Página 1 dos resultados de 134 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Vernalização afeta o filocrono em lírio

Schuh,Mariângela; Streck,Nereu Augusto; Nardi,Claudia; Buriol,Galileo Adeli; Bellé,Rogério Antônio; Brackmann,Auri
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.95%
O experimento foi desenvolvido com o objetivo de estudar o efeito da vernalização sobre o filocrono (intervalo de tempo entre o aparecimento de duas folhas sucessivas) em lírio (Lilium longiflorum Thunb.), cv. Snow Queen, no campo experimental do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria (RS). Os tratamentos constituíram-se de bulbos submetidos a -0,5 ºC; 4 ºC e 10 ºC com períodos de vernalização dos bulbos de 2, 4, 6 e 8 semanas. O tratamento testemunha correspondeu a bulbos não vernalizados. Após o tratamento de vernalização, os bulbos foram plantados no interior de uma estufa plástica em 5 de dezembro de 2002 e observado o desenvolvimento das plantas. O filocrono foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o número de folhas e o acúmulo térmico acima de 1 ºC, a partir da emergência das plantas. Os resultados evidenciaram que o estado de vernalização da planta afeta o filocrono em lírio, e plantas não vernalizadas ou com pouca vernalização têm um filocrono mais elevado do que plantas completamente vernalizadas. Quando o tratamento de vernalização é maior que 30 dias efetivos de vernalização, o valor do filocrono foi em torno de 25 ºC dia/folha...

Comparação de parâmetros de crescimento e de desenvolvimento de dois biótipos de arroz vermelho com genótipos de arroz irrigado

Streck,Nereu Augusto; Michelon,Simone; Kruse,Nelson Diehl; Bosco,Leosane Cristina; Lago,Isabel; Marcolin,Elio; Paula,Gizelli Moiano de; Samboranha,Flávia Kaufmann
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
27.47%
Caracterizar o crescimento e desenvolvimento de biótipos de arroz vermelho pode ajudar no seu controle e no melhoramento para aumentar a competitividade do arroz cultivado com esta planta daninha. O objetivo deste trabalho foi quantificar parâmetros de crescimento e desenvolvimento de dois biótipos de arroz vermelho e compará-los com genótipos de arroz irrigado. Desenvolveu-se um experimento de campo em Santa Maria (RS), durante o ano agrícola 2004/2005 com cinco épocas de semeadura. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com quatro repetições no esquema bifatorial (genótipos e épocas de semeadura). A unidade experimental foi um balde de 12 litros com dez plantas. Os genótipos utilizados foram: IRGA 421, IRGA 416, IRGA 417, IRGA 420, BR-IRGA 409, BRS 7 TAIM e EPAGRI 109 (tipo moderno), EEA 406 (tipo tradicional), um híbrido, arroz vermelho casca amarela com arista (AVCAA) e arroz vermelho casca preta com arista (AVCPA). A data dos principais estágios de desenvolvimento da escala de COUNCE, área foliar, comprimento de panícula, estatura de planta, filocrono, número final de folhas no colmo principal e perfilhamento foram avaliados em cinco plantas por balde. Nos biótipos de arroz vermelho geralmente observa-se ciclo de desenvolvimento médio em relação aos genótipos cultivados...

Filocrono em batateira afetado pelo tamanho do tubérculo-semente e pela época de cultivo

Streck,Nereu Augusto; Paula,Fabiana Luiza Matielo de; Dellai,Jacso; Bisognin,Dilson Antônio; Paula,Adalberto Luiz de
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
28%
O objetivo deste trabalho foi estimar o filocrono de plantas de batata da cultivar Asterix oriundas de diferentes tamanhos de tubérculos-semente, em duas épocas de cultivo em campo utilizando o conceito de graus-dia para o cálculo do filocrono. O experimento foi desenvolvido em Santa Maria (RS), na primavera de 2003 e no outono de 2004. Foram usados quatro tamanhos de tubérculos-semente da cultivar de batata Asterix: entre 2 e 4 cm, 4 e 6 cm, 6 e 8 cm e 8 e 10 cm. O filocrono (ºC dia folha-1) foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da relação entre número de folhas na haste principal e a soma térmica calculada por três métodos: método 1 - considera apenas a temperatura base; método 2 - considera a temperatura base e a temperatura ótima, e método 3 - considera a temperatura base, a temperatura ótima e a temperatura máxima. O tamanho do tubérculo-semente não afetou o filocrono, mas o método de cálculo da soma térmica e a época de cultivo afetaram o filocrono da batateira cultivar Asterix. No método de cálculo da soma térmica a ser usado no filocrono da batateira cultivar Asterix, recomenda-se usar a temperatura base e a temperatura ótima, pois com este método, o filocrono foi similar entre as épocas de cultivo.

Arranjos de plantas de mandioca e milho em cultivo solteiro e consorciado: crescimento, desenvolvimento e produtividade

Schons,Alfredo; Streck,Nereu Augusto; Storck,Lindolfo; Buriol,Galileo Adeli; Zanon,Alencar Junior; Pinheiro,Diego Garrido; Kraulich,Bruno
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.47%
O objetivo deste trabalho foi quantificar o crescimento, o desenvolvimento e a produtividade da mandioca e do milho em diferentes arranjos de plantas em cultivo solteiro e consorciado considerando-se duas épocas de semeadura do milho. O experimento foi desenvolvido em Santa Maria (RS). A mandioca, variedade RS 13, foi plantada em 27/9/2005. O milho, variedade BRS Missões, foi semeado em duas épocas: 2/11/2005 e 29/11/2005. O delineamento experimental foi o de blocos completos ao acaso com 12 tratamentos e três repetições. Foram medidos parâmetros de crescimento (altura de plantas e área de folhas), desenvolvimento (filocrono, número final de folhas e duração de fases de desenvolvimento) e os componentes de produção das duas culturas. Foi calculada a soma térmica de algumas fases de desenvolvimento (usando-se uma temperatura base de 14 ºC para mandioca e de 10 ºC para milho) e determinado o filocrono. O crescimento e o desenvolvimento das duas espécies não foram afetados pelo arranjo de plantas, tanto em cultivo solteiro como em consórcio. O maior uso eficiente da terra (UET) foi obtido no consórcio de mandioca com milho, com a mandioca cultivada em fileiras duplas de 1,6 x 0,5 x 0,6 m e uma fileira de milho a 0...

Efeito do espaçamento de plantio no crescimento, desenvolvimento e produtividade da mandioca em ambiente subtropical

Streck,Nereu Augusto; Pinheiro,Diego Garrido; Junior Zanon,Alencar; Gabriel,Luana Fernandes; Rocha,Thiago Schmitz Marques; Souza,André Trevisan de; Silva,Michel Rocha da
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.47%
O objetivo neste trabalho foi analisar o efeito de diferentes espaçamentos de plantio no crescimento, desenvolvimento e produtividade de hastes e raízes comerciais de mandioca cultivada em ambiente subtropical no Rio Grande do Sul, Brasil. Os tratamentos foram em quatro espaçamentos: 0,8x0,8 m; 1,0x1,0 m; 1,2x1,2 m e 1,5x1,5 m, que correspondem às densidades 15.625 plantas ha-1, 10.000 plantas ha-1, 6.944,45 plantas ha-1 e 4.444,45 plantas ha-1, respectivamente. A cultivar usada foi a Fepagro - RS 13. As variáveis de crescimento e desenvolvimento analisadas foram área foliar verde, altura das plantas, número de folhas senescidas, comprimento de entrenó, número final de folhas (NFF), número de brotações laterais, tamanho final de folhas, filocrono e produtividade de haste e raiz em massa fresca e seca. O índice de área foliar máximo e o filocrono aumentam à medida que aumenta a densidade de plantio. O tamanho final de folha e o número de brotações laterais aumentaram à medida que diminuiu a densidade de plantio. O NFF diferiu apenas na segunda ramificação simpodial (RS2), com maior número de folhas nas plantas espaçadas a 1,5x1,5 m. A produtividade de hastes na cultivar Fepagro - RS 13 não varia com o espaçamento de plantio...

Métodos de soma térmica e datas de semeadura na determinação de filocrono de cultivares de trigo

Rosa,Hamilton Telles; Walter,Lidiane Cristine; Streck,Nereu Augusto; Alberto,Cleber Maus
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.95%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito dos métodos de cálculo de graus-dia e de datas de semeadura na determinação do filocrono de cultivares de trigo (Triticum aestivum). Foi conduzido um experimento em campo, com 13 datas de semeadura, durante três anos (2005-2007), em Santa Maria, RS, usando-se seis cultivares de trigo: BRS Louro, CEP 52, CEP 51, BRS 177, Nova Era e BRS Tarumã. O filocrono (°C dia folha-1) foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o estádio de Haun e a soma térmica acumulada calculada por seis métodos. O método de cálculo da soma térmica afeta as estimativas do filocrono em trigo.O uso das três temperaturas cardinais de emissão de folhas e a comparação das temperaturas cardinais com a temperatura mínima e máxima do ar melhora a precisão na simulação do desenvolvimento vegetativo dessa cultura, em comparação aos demais métodos. O filocrono varia com a cultivar de trigo e com a data de semeadura, e cultivares mais precoces (BRS Louro e CEP 51) têm menor filocrono do que cultivares tardias (Nova Era e BRS Tarumã). Em semeaduras no outono ou inverno, o filocrono é maior do que em semeaduras de primavera ou verão.

Filocrono e número de folhas da canola em diferentes condições ambientais

Dalmago,Genei Antonio; Fochesatto,Elizandro; Kovaleski,Samuel; Tazzo,Ivonete Fátima; Bolis,Laise Maria; Cunha,Gilberto Rocca da; Nied,Astor Henrique; Bergamaschi,Homero; Santi,Anderson
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.88%
O objetivo deste trabalho foi determinar o número de folhas e o filocrono de genótipos de canola, em resposta a variações térmicas associadas com datas de semeadura. Foram realizados dois experimentos, em delineamento de blocos ao acaso, com arranjo fatorial de genótipos por datas de semeadura (5x2, em 2009, e 2x3 em 2010) e quatro repetições. O número de folhas do caule principal e do primeiro ramo foi determinado três vezes por semana. O filocrono foi estimado pelo inverso do coeficiente angular entre a soma térmica e o número de folhas, para os subperíodos da roseta e do alongamento do caule. O número de folhas no caule variou de 11,5 a 16,4; nos ramos, este número foi, em média, 70% menor. O número de folhas no caule foi maior em semeaduras precoces, e o inverso ocorreu no ramo. O filocrono foi maior no subperíodo da roseta e variou entre 21,4 e 52,9 graus-dia por folha conforme o genótipo e a data de semeadura. Semeaduras tardias aumentaram o filocrono. Genótipos de ciclo precoce apresentam número de folhas e filocrono menores que genótipos de ciclo médio ou longo, e a variabilidade entre os genótipos acentua-se em semeaduras tardias.

Estimativa da temperatura-base para emissão de folhas e do filocrono em duas espécies de eucalipto na fase de muda

Martins,Fabrina Bolzan; Silva,Joel Cordeiro da; Streck,Nereu Augusto
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.88%
O desenvolvimento, incluindo a emissão de folhas, de culturas agrícolas e florestais depende fortemente da temperatura do ar. A emissão de folhas pode ser estimada e quantificada utilizando-se o conceito do filocrono, definido como o intervalo de tempo, em graus dia, entre o aparecimento de duas folhas sucessivas em uma haste, com unidade °C dia folha-1. O objetivo deste trabalho foi estimar a temperatura-base para a emissão de folhas e o filocrono em Eucalyptus grandis (Hill ex Maiden) e Eucalyptus saligna (Smith), em fase de muda. Foram realizados dois experimentos, um no campo e outro em casa de vegetação na área experimental do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, RS. A semeadura foi realizada em cinco épocas diferentes em campo e em 03/10/2005 na casa de vegetação. A temperatura-base foi estimada pelo menor valor do quadrado médio do erro da regressão entre o número de folhas acumuladas na haste principal (NF) e a soma térmica acumulada (STa), e o filocrono foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão entre NF e STa. A temperatura-base estimada foi de 8,0 °C para Eucalyptus saligna e 10 °C para Eucalyptus grandis. O filocrono em Eucalyptus grandis foi de 32...

Morfogênese de Lolium multiflorum Lam. e Paspalum urvillei steud sob níveis de adubação de fósforo e potássio

Quadros,Fernando Luiz Ferreira de; Bandinelli,Duilio Guerra; Pigatto,Aline Grohe Schirmer; Rocha,Marta Gomes da
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.79%
O estudo foi conduzido em área de várzea, com o objetivo de avaliar a resposta morfogênica de Lolium multiflorum e Paspalum urvillei, submetidos a níveis de adubação (50, 100 e 150% da recomendação) de fósforo (P) e potássio (K). Foram utilizados afilhos marcados para avaliar as taxas de alongamento e aparecimento de lâminas foliares e o filocrono. Os níveis de adubação afetaram (P<0,044) a taxa de alongamento de lâminas foliares de , no período de 03/08 a 17/08, com variação de 0,374 a 0,436mm GD-1 afilho-1, do menor ao maior nível de adubação. O intervalo para surgimento de folhas foi de 11,7 dias e o filocrono de 156 GD, na média dos tratamentos e períodos. Em P. urvillei, os níveis de adubação não afetaram a taxa de alongamento de lâminas foliares, sendo na média dos períodos e tratamentos de 0,375mm GD-1 afilho-1. Houve efeito dos níveis de adubação no aparecimento de folhas no período de 19/10 a 09/11, quando o nível de 100% da adubação, apresentou a maior taxa de alongamento de lâminas foliares, diferindo (P<0,003) dos demais. O filocrono foi maior (250 GD) no período de 04/01 a 24/01, nos demais (19/10 a 09/11 e 02/02 a 23/02) foi semelhante (166 e 175 GD, respectivamente). Os maiores níveis de adubação de P e K influenciam as taxas de alongamento em e de aparecimento de folhas em P. urvillei. Os valores de filocrono das espécies são semelhantes...

Filocrono em diferentes densidades de plantas de batata

Dellai,Jacso; Trentin,Gustavo; Bisognin,Dilson Antônio; Streck,Nereu Augusto
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.88%
O conceito do filocrono, ou seja, o intervalo de tempo necessário para a emissão de duas folhas consecutivas, pode ser usado para simular o aparecimento de folhas em plantas. O número de folhas, além de afetar o índice de área foliar da planta, é considerado uma excelente medida de tempo fisiológico. O objetivo do trabalho foi estimar o filocrono em batata cultivada num sistema hidropônico com substrato em diferentes densidades de plantas. O experimento foi conduzido em ambiente protegido, no Departamento de Fitotecnia da UFSM, RS, no período de 03/09/2004 a 26/10/2004. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com três repetições. Os tratamentos foram os espaçamentos de 5x5, 10x10, 15x15 e 20x20cm entre covas. Os valores de filocrono para cada densidade foram relacionados com o número de covas m-2 e de hastes m-2. Os valores de filocrono estimados variaram em função da densidade de plantas. As maiores densidades promoveram aumentos no filocrono, indicando que a densidade de plantas afeta a velocidade de surgimento de folhas em batata, e esta resposta deve ser contemplada em modelos de simulação do número de folhas nesta cultura.

Filocrono de genótipos de arroz irrigado em função de época de semeadura

Streck,Nereu Augusto; Michelon,Simone; Rosa,Hamilton Telles; Walter,Lidiane Cristine; Bosco,Leosane Cristina; Paula,Gizelli Moiano de; Camera,Cátia; Samboranha,Flávia Kaufmann; Marcolin,Elio; Lopes,Sidinei José
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.88%
O filocrono é definido como o tempo necessário para o aparecimento de folhas sucessivas em um colmo, no caso de espécies da família das Poáceas. Através do filocrono, pode-se calcular o número de folhas acumuladas, o que é uma excelente maneira de caracterizar o desenvolvimento vegetal. Este trabalho teve por objetivo estimar o filocrono de sete cultivares de arroz irrigado utilizadas na Região Sul do Brasil, em cinco épocas de semeadura, na região ecoclimática da Depressão Central do Rio Grande do Sul. Um experimento de campo foi realizado em Santa Maria, RS, durante os anos agrícolas de 2003/2004 e 2004/2005, com cinco épocas de semeadura em cada ano agrícola. Foram utilizadas sete cultivares de arroz recomendadas para a Região Sul do País: "IRGA 421", "IRGA 416", "IRGA 417", "IRGA 420", "BR-IRGA 409", "BRS 7 TAIM" e "EPAGRI 109". O filocrono (°C dia folha-1) foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o número de folhas no colmo principal, determinado conforme o Estádio de Haun, e a soma térmica diária acumulada (temperatura base = 11°C) a partir da emergência das plantas. As diferenças genotípicas são pequenas e podem ser desprezadas, enquanto que o ambiente, principalmente pela época de semeadura...

Temperatura base para emissão de folhas e nós, filocrono e plastocrono das plantas daninhas papuã e corriola

Paula,Gizelli Moiano de; Streck,Nereu Augusto
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
27.79%
O papuã (Brachiaria plantaginea) e a corriola (Ipomoea triloba) são importantes plantas daninhas de culturas anuais. O filocrono (intervalo de tempo entre o aparecimento de duas folhas sucessivas) e o plastocrono (intervalo de tempo entre o aparecimento de dois nós sucessivos) são importantes parâmetros do desenvolvimento vegetal. A soma térmica é usada para expressar tempo no filocrono e no plastocrono e o seu cálculo implica o conhecimento da temperatura base. O objetivo do trabalho foi estimar a temperatura base para emissão de folhas e nós, o filocrono e o plastocrono em papuã e corriola, respectivamente. Os dados usados no trabalho são provenientes de um experimento com milho realizado em Santa Maria, RS, em várias épocas durante o ano agrícola 2005/2006. Em cada parcela de milho, foram deixadas crescer duas plantas de papuã e duas plantas de corriola. Na haste principal destas plantas, foram medidos, uma vez por semana, o Estágio de Haun (HS) no papuã e o número de nós visíveis (NN) na corriola. A temperatura base estimada usando a metodologia do menor valor de Quadrado Médio do Erro (QME) foi de 3°C para o papuã e 7°C para corriola. O filocrono em papuã variou de 100,1°C dia folha-1 a 142...

Desenvolvimento vegetativo em diferentes hastes da planta de mandioca em função da época de plantio

Fagundes,Lovane Klein; Streck,Nereu Augusto; Lopes,Sidnei José; Rosa,Hamilton Telles da; Walter,Lidiane; Zanon,Alencar Junior
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.88%
Estudos sobre o desenvolvimento vegetativo da mandioca cultivada nas condições subtropicais do Brasil são escassos. O objetivo deste trabalho foi determinar o filocrono e o número final de folhas na haste principal e nas ramificações simpodiais de uma variedade de mandioca em diferentes épocas de plantio, em condições de clima subtropical. Um experimento de campo foi conduzido em Santa Maria, Rio Grande do Sul (RS), com quatro datas de plantio: 26/09/2006, 18/10/2006, 08/11/2006 e 28/11/2006. A variedade usada foi a FEPAGRO RS13, com caule do tipo simpodial tricotômico, no delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro tratamentos (datas de plantio) e quatro parcelas de 4,0 x 9,0m, com cinco fileiras e espaçamento 0,80 x 0,80m. Em seis plantas por parcela selecionadas aleatoriamente, foi feita a contagem semanal do número de folhas visíveis (NF) e do número final de folhas (NFF) da haste principal (HP) e das ramificações simpodiais de primeira (RS1) e de segunda (RS2) ordem. O filocrono (°C dia folha-1) foi estimado para HP, RS1 e RS2 pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre NF e soma térmica acumulada, considerando a temperatura base de 14°C. O filocrono aumentou na seqüência HP

Temperatura base para aparecimento de folhas e filocrono da variedade de milho BRS Missões

Streck,Nereu Augusto; Lago,Isabel; Samboranha,Flávia Kaufmann; Gabriel,Luana Fernandes; Schwantes,Ana Paula; Schons,Alfredo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.66%
O objetivo deste trabalho foi estimar a temperatura base para aparecimento de folhas e o filocrono em uma variedade de milho em várias datas de semeadura e dois anos de cultivo. Um experimento de campo foi realizado em Santa Maria, Rio Grande do Sul (RS), com sete datas de semeadura. Foi utilizada a variedade BRS Missões em dois anos agrícolas consecutivos (2005-06 e 2006-07). O delineamento experimental foi blocos ao acaso com seis repetições. A parcela foi composta por três linhas de 5m de comprimento no espaçamento 0,8m x 0,21m. Em cada parcela, foram marcadas ao acaso três plantas na linha central nas quais foi realizada semanalmente a contagem do número de folhas completamente expandidas (NFE) e o total (NFT). A temperatura base variou entre épocas de semeadura de 4,5 a 12°C, com média próxima de 8°C, valor que foi usado no cálculo da soma térmica. O filocrono foi maior quando calculado com base no NFE do que com base no NFT e variou com a data de semeadura, de 50,0 a 69,9°C dia folha-1 e de 39,6 a 59,8°C dia folha-1, respectivamente, sendo o fotoperíodo uma possível causa da variação do filocrono entre épocas.

Estimativa do filocrono em milho para híbridos com diferentes ciclos de desenvolvimento vegetativo

Martins,Juliano Dalcin; Carlesso,Reimar; Petry,Mirta Terezinha; Knies,Alberto Eduardo; Oliveira,Zanandra Boff de; Broetto,Tiago
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.95%
O filocrono é definido como o tempo térmico necessário para o aparecimento de folhas sucessivas na haste principal de uma planta. Através do filocrono, pode-se calcular a duração do período vegetativo e, portanto, a época de florescimento em função da temperatura do ar. O presente trabalho teve por objetivo determinar o filocrono de diferentes híbridos de milho. Foram conduzidos três experimentos a campo, nos anos agrícolas de 2007/08, 2008/09 e 2009/2010. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com três repetições. Os tratamentos constituíram-se de 18, 22 e 24 híbridos de milho, nos anos agrícolas de 2007/08, 2008/09 e 2009/2010, respectivamente. O filocrono foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o número de folhas e a soma térmica acumulada a partir de emergência (temperatura base = 10°C). O filocrono calculado variou de 44,3 a 34,4°C dia-1 folha-1 entre os híbridos avaliados, estando o valor de filocrono dos híbridos diretamente relacionados com a precocidade do período vegetativo.

Métodos de soma térmica e datas de semeadura na determinação de filocrono de cultivares de trigo.

ROSA, H. T.; WALTER, L. C.; STRECK, N. A.; ALBERTO, C. M.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 44, n. 11, p. 1374-1382, nov. 2009. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 44, n. 11, p. 1374-1382, nov. 2009.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.95%
Resumo - O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito dos métodos de cálculo de graus-dia e de datas de semeadura na determinação do filocrono de cultivares de trigo (Triticum aestivum). Foi conduzido um experimento em campo, com 13 datas de semeadura, durante três anos (2005?2007), em Santa Maria, RS, usando-se seis cultivares de trigo: BRS Louro, CEP 52, CEP 51, BRS 177, Nova Era e BRS Tarumã. O filocrono (°C dia folha-1) foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o estádio de Haun e a soma térmica acumulada calculada por seis métodos. O método de cálculo da soma térmica afeta as estimativas do filocrono em trigo.O uso das três temperaturas cardinais de emissão de folhas e a comparação das temperaturas cardinais com a temperatura mínima e máxima do ar melhora a precisão na simulação do desenvolvimento vegetativo dessa cultura, em comparação aos demais métodos. O filocrono varia com a cultivar de trigo e com a data de semeadura, e cultivares mais precoces (BRS Louro e CEP 51) têm menor filocrono do que cultivares tardias (Nova Era e BRS Tarumã). Em semeaduras no outono ou inverno, o filocrono é maior do que em semeaduras de primavera ou verão.; 2009

Temperatura base e filocrono em duas cultivares de oliveira

Martins,Fabrina Bolzan; Reis,Diogo da Fonseca; Pinheiro,Marcos Vinícius Marques
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.66%
O objetivo deste trabalho foi estimar a temperatura base para emissão de folhas e determinar o filocrono em duas cultivares de oliveira, 'Arbequina' e 'MGS ASC315', durante a fase de muda em condições de campo. Foi instalado um experimento na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, Maria da Fé, MG. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x6, sendo duas cultivares e seis épocas de transplantio, com quinze repetições. A temperatura base (Tb) foi estimada usando a metodologia do menor valor do quadrado médio do erro (QME), e o filocrono foi obtido através do inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o número de folhas emitidas e a soma térmica acumulada. A Tb estimada para a Arbequina foi de 10,5°C e 11°C para a MGS ASC315. O filocrono diferiu estatisticamente somente entre as cultivares, sendo menor para a 'Arbequina' (21,7°C dia-1 folha-1) quando comparada com a 'MGS ASC315' (41,6°C dia-1 folha-1).

Desenvolvimento vegetativo de duas cultivares de oliveira na fase de muda

Lisboa,Priscila Maria Martins; Martins,Fabrina Bolzan; Alvarenga,Maria Inês Nogueira; Vieira Neto,João; Reis,Diogo da Fonseca
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
28.05%
O desenvolvimento de plantas, influenciado pela temperatura do ar, pode ser estimado através do conceito de filocrono, definido como o intervalo de tempo entre o surgimento sucessivo de folhas em uma haste, sendo o tempo expresso em °C dia e o filocrono em °C dia folha-1. O objetivo deste estudo foi avaliar o desenvolvimento de duas cultivares de oliveira durante a fase de muda, em diferentes épocas de aclimatação, utilizando o conceito de filocrono. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental da Epamig, em Maria da Fé, sul de Minas Gerais, Brasil. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x5, com duas cultivares ('MGS ASC315' e 'Arbequina'), cinco épocas de aclimatação (maio, junho, julho, agosto e setembro de 2010) e 15 repetições. O filocrono foi estimado pelo inverso do coeficiente angular da regressão linear entre o número de folhas emitidas (NF) e a soma térmica acumulada (STa). O filocrono em 'MGS ASC315' foi de 14,7°C dia folha-1 (época 1), 31,7°C dia folha-1 (média das épocas 2, 3 e 4) e 60,2°C dia folha-1 (época 5). O filocrono em 'Arbequina' foi de 17,3°C dia folha-1 (média das cinco épocas de aclimatação, uma vez que não apresentou diferença significativa entre as épocas). Nas épocas de aclimatação 3...

Filocrono de Paspalum notatum FL. e Coelorhachis selloana (HACK.) camus em pastagem natural; Phyllochron of Paspalum notatum FL. and Coelorhachis selloana (HACK.) camus in natural pasture

Eggers, Lilian; Cadenazzi, Mónica; Boldrini, Ilsi Iob
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 ENG
Relevância na Pesquisa
27.88%
A taxa de aparecimento de folhas (TAF) e o filocrono são conceitos associados, que exercem forte influência na produção de forragem. O filocrono é o intervalo de tempo entre o aparecimento de duas folhas sucessivas acima do pseudocaule e varia de acordo com alguns fatores ambientais, sendo a temperatura o fator determinante. O experimento foi conduzido em pastagem natural em Eldorado do Sul, RS, com o objetivo de testar a variação no filocrono em diferentes estações do ano, níveis de oferta de forragem (NOF) e posições topográficas (PT). Para a definição do filocrono, foram amostrados perfilhos marcados e estabeleceu-se a relação entre número de folhas produzidas e a soma térmica do período amostral. A soma térmica (em °C) necessária para que a planta emita uma folha é igual a 1/b, sendo b o coeficiente angular verificado na regressão. As retas obtidas para as combinações entre estações, NOF e PT foram comparadas. Em condições de primavera e verão, se obteve filocrono de 156°C para P. notatum e de 238°C para C. selloana, independentemente dos tratamentos avaliados.; Leaf appearance rate and phyllochron are related variables which play a central role in forage production. Phyllochron is the time interval between the appearance of successive leaves and varies according to a number of environmental factors...

Improving predictions of leaf appearance in field grown potato; Melhora na predição do aparecimento de folhas em batata cultivada a campo

Streck, Nereu Augusto; Lago, Isabel; Paula, Fabiana Luiza Matielo de; Bisognin, Dilson Antônio; Heldwein, Arno Bernardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
27.66%
O cálculo da taxa de aparecimento de folhas (LAR) e do número de folhas acumuladas ou emergidas (NL) na haste principal são parte de muitos modelos de simulação de cultivos agrícolas. O objetivo deste estudo foi adaptar e avaliar um modelo (modelo WE) para simular a LAR e o NL na haste principal de batata (Solanum tuberosum L.). O modelo WE é um modelo multiplicativo não linear que leva em conta o efeito do genótipo e de fatores ambientais sobre LAR. Um modelo linear (modelo do filocrono) também foi usado como comparação com o modelo WE. Uma série de experimentos de campo com 14 épocas de plantio durante dois anos (2003 e 2004) foi conduzido em Santa Maria, RS. A cultivar usada foi Asterix. Os coeficientes dos modelos WE e filocrono foram estimados com dados de quarto épocas de plantio em 2003 e os modelos foram avaliados com dados independentes de outras dez épocas de plantio. A estatística usada para quantificar o desempenho dos dois modelos foi a raiz do quadrado médio do erro (RMSE). O modelo WE foi um melhor preditor de NL (RMSE=2,0 folhas) do que o modelo filocrono (RMSE=3,7 folhas). O modelo WE tem coeficientes com significado biológico e uma função não linear de resposta a temperatura que conferem generalidade e robustes a este modelo de LAR.; The calculation of leaf appearance rate (LAR) and number of accumulated or emerged leaves (NL) on the main stem are part of many crop simulation models. The purpose of this study was to adapt and evaluate a model (WE model) for simulating the main stem LAR and NL in potato (Solanum tuberosum L.). The WE model is a non-linear multiplicative model that takes into account the effect of genotype and environmental factors on LAR. A linear model (Phyllochron model) was also used as a comparison with the WE model. A series of field experiments with 14 planting dates over two years (2003 and 2004) was carried out in Santa Maria...