Página 1 dos resultados de 32 itens digitais encontrados em 0.053 segundos

Prática de ensino supervisionada em educação pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico

Fernandes, Maria Isabel Afonso Miranda
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.21%
A Prática de Ensino Supervisionada continua a ser um elemento muito valorizado tanto pelos professores em formação como por aqueles que estão em exercício, em relação às diferentes componentes do currículo formativo Garcia (1999) e, embora estas práticas sejam simulações da prática, são sem dúvida um momento de socialização, em que os alunos aprendem a comportar-se como professores. A prática profissional tem, assim, um papel fundamental, uma vez que para além de ser uma experiência única e imprescindível na formação de professores, serve de base a um futuro professor que se pretende reflexivo, empreendedor, investigador e interventivo. Neste sentido, ao longo da Prática de Ensino Supervisionada desenvolveu-se um estudo, onde se procuraram conhecer as percepções que os pais e os professores têm sobre as características e modos de participação dos pais divorciados na vida escolar dos filhos. Esta investigação contou com a participação de cinco alunos, que foram interpelados a partir de um conjunto de actividades registadas em diário de bordo, oito pais (5 pais e 3 mães) em situação de divórcio que responderam a um questionário e quatro professores que responderam a uma entrevista do tipo semi-estruturada...

Percepções dos pais sobre os direitos, deveres e práticas associados à paternidade

Cavaleiro, Vânia Filipa Gomes Almeida
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.14%
Tanto os homens como as mulheres têm sido sujeitos a algum tipo de discriminação associada ao género, embora elas em maior escala do que eles. Por isso, o género, construto social que tem servido para avaliar os comportamentos e os traços que a sociedade considera adequados que os homens e as mulheres tenham, deverá receber uma atenção especial no domínio da educação e formação de adultos, em virtude das suas implicações para a compreensão das dinâmicas sociais. Verificando-se a entrada das mulheres na esfera pública, devido, essencialmente, à sua crescente integração no mundo do trabalho, espera-se, na mesma medida, que o homem também ocupe um lugar preponderante na esfera privada, de modo a alcançar-se a participação equilibrada dos homens e das mulheres nas diferentes esferas da vida. Para que isto ocorra é essencial ultrapassarem-se os estereótipos de género, que limitam o desempenho dos papéis sociais e normalizam, injustamente, os comportamentos, atitudes e capacidades dos homens e das mulheres. Neste contexto, a família e, em particular, os pais e as mães, que servem de modelos às suas crianças, ganham especial relevância, na medida em que a educação que veiculam está impregnada de mensagens sobre o que eles e elas devem ser e fazer...

Percepções dos pais sobre os direitos, deveres e práticas associados à paternidade : um estudo de casos múltiplos feito com homens com filhos-as adolescentes

Cavaleiro, Vânia Filipa Gomes Almeida
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
Tanto os homens como as mulheres têm sido sujeitos a algum tipo de discriminação associada ao género, embora elas em maior escala do que eles. Por isso, o género, construto social que tem servido para avaliar os comportamentos e os traços que a sociedade considera adequados que os homens e as mulheres tenham, deverá receber uma atenção especial no domínio da educação e formação de adultos, em virtude das suas implicações para a compreensão das dinâmicas sociais. Verificando-se a entrada das mulheres na esfera pública, devido, essencialmente, à sua crescente integração no mundo do trabalho, espera-se, na mesma medida, que o homem também ocupe um lugar preponderante na esfera privada, de modo a alcançar-se a participação equilibrada dos homens e das mulheres nas diferentes esferas da vida. Para que isto ocorra é essencial ultrapassarem-se os estereótipos de género, que limitam o desempenho dos papéis sociais e normalizam, injustamente, os comportamentos, atitudes e capacidades dos homens e das mulheres. Neste contexto, a família e, em particular, os pais e as mães, que servem de modelos às suas crianças, ganham especial relevância, na medida em que a educação que veiculam está impregnada de mensagens sobre o que eles e elas devem ser e fazer...

A influência do ambiente e das atitudes familiares nas manifestações psicossomáticas dos filhos

Lima, Gláucia Kronberg Medeiros
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.12%
Estudos têm sugerido que fatores ambientais na família e atitudes parentais são significativos para a presença de doenças e sintomas psicossomáticos nos filhos. Este estudo transversal, Estudo 1 e 2, analisou de que forma o ambiente e as atitudes familiares exercem esta influência na saúde dos filhos. Foram aplicadas as escalas FES, CSI-24, PSI-Stress de Vida, o inquérito APAD (em desenvolvimento) e uma ficha para dados sociodemográficos e levantamento de doenças. Os participantes do Estudo 1 (n=100) foram pais de alunos de duas escolas públicas de Porto, que originou também a amostra para o Estudo 2 (n=19). No Estudo 1, vários fatores apresentaram associação às manifestações psicossomáticas, nomeadamente acontecimentos de vida como: o número de casamentos, a morte de um membro da família próxima, a entrada num novo emprego; a mudança de uma pessoa da família para a casa, a separação conjugal, a doença psiquiátrica, ou características do ambiente familiar como o conflito familiar, a organização, o controlo, a orientação para a conquista e a coesão. No Estudo 2, as análises estatísticas foram exploratórias, relativa aos filhos de pais divorciados, aos fatores ambientais e as manifestações psicossomáticas...

Aspectos psicológicos da guarda compartilhada no direito brasileiro

Bemfica, Inês de Fátima da Costa
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: vii, 90 f.| tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
46.14%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; Procuraremos, no presente trabalho, trazer a debate a questão da guarda compartilhada no Brasil, tendo em conta que está surgindo um novo enfoque de atendimento aos casais separados ou divorciados, bem como a seus filhos. O objetivo desta pesquisa é avaliar e sugerir a aplicabilidade deste modelo no Brasil, uma vez que o mesmo possibilita a busca de acordos que contenham a participação direta de ambos os ex-cônjuges. Enquanto a família permanece física e emocionalmente unida, não surgem questões relativas à guarda de filhos menores. Estas, porém, afloram, tão logo apareçam os primeiros sinais de discórdia. A desunião dos pais, resultante da separação ou do divórcio, ou da dissolução da sociedade de fato, redistribui os papéis e as funções, até então, exercidas conjuntamente, atingindo diretamente os filhos, que, a partir deste momento, não mais continuarão a conviver com pai e mãe juntos. A fixação da guarda, após a dissolução da sociedade conjugal ou do casamento, é de elevada e delicada importância no direito de família, pois envolve diretamente a vida do menor...

Influência da guarda exclusiva e compartilhada no relacionamento entre pais e filhos e na percepção do cuidado parental

Alexandre, Diuvani Tomazoni
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 202 f.| grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
96.36%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2009.; O objetivo geral da presente pesquisa foi verificar a influência da guarda exclusiva e compartilhada no relacionamento entre pais e filhos e na percepção do cuidado parental. Participaram do estudo 48 homens e 49 mulheres (ambos divorciados), sendo 22 homens e 15 mulheres com guarda compartilhada e 26 homens e 34 mulheres cuja atribuição da guarda é exclusiva da mãe. A coleta de dados foi realizada através de uma entrevista semi-estruturada e por meio da aplicação de escalas de estilo materno e paterno. Foram utilizados testes não paramétricos e análise de conteúdo para fazer a análise dos dados. Através da análise quantitativa constatou-se que, quanto ao comprometimento parental após o divórcio não houve diferenças significativas entre o grupo de guarda exclusiva e compartilhada. Em relação à rede de apoio, os principais integrantes foram os avós maternos. A principal causa para os participantes de guarda exclusiva e compartilhada optarem pelo divórcio foram as brigas e o sentimento predominante após o divórcio, para ambos os grupos de guarda...

A Importância do estudo social nos processos de regulamentação de visitas

Ulysséa, Denise da Silva
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
86.12%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Serviço Social.; 0 presente trabalho reúne pesquisa teórica e empírica sobre a evolução histórica da família e como se apresenta na atualidade, perpassada pelos conceitos de alguns autores que são necessários para entendê-la na atualidade. Diante disso, apresentamos sua função no desenvolvimento dos filhos, dando destaque aos vínculos que se formam. Faz-se, ainda, urna apresentação do ciclo vital da família, que são fases em que podem surgir os conflitos, tendo como conseqüência, em alguns casos, a separação conjugal, quando surgem novos conflitos. Entre eles, destacamos a guarda dos filhos e o conseqüente direito de visita e sua regulamentação. Em muitos casos faz-se necessário recorre à ajuda institucional para solucioná-los. A temática abordada é conseqüência da crescente demanda que se apresenta ao Poder Judiciário para resolução de conflitos relacionados à regulamentação de visitas de pais a seus filhos. Dessa forma, destacamos a assessoria dos profissionais do Serviço Social Forense, que através da utilização relevante do Estudo Social, um instrumental técnico operativo inerente à profissão...

Delinquência : a importância da intervenção precoce em alunos com comportamentos desajustados

Rocha, Matilde Susana Ribeiro da
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.02%
A delinquência Juvenil não é um problema emergente da sociedade contemporânea. Sempre houve delinquência praticada por jovens adultos, movidos pelas mais variadas razões. Infelizmente continua a ser um flagelo na vida destes jovens e nos dias que correm cada vez mais frequente. O facto é que, havendo hoje em dia tantos recursos sociais, pedagógicos e educativos, a realidade continua a ser muito semelhante à das décadas anteriores. O nosso estudo centra-se num caso de um delinquente jovem de 22 anos, recluso. Tentou-se perceber o que falhou neste percurso. Desconstruiu-se toda a sua história de vida, o seu “crescer” ao nível das vivências e experiências e analisou-se cada etapa de desenvolvimento desde a idade pré-escolar até à adolescência, nos diversos contextos: na família, na escola e no meio. Foram contemplados vários factores de risco, nomeadamente os que se referem à parentalidade e escola/contexto sala de aula. Também nos debruçámos sobre outros factores que coadjuvam os primeiros como são os problemas comportamentais, comportamentos desajustados e anti-sociais e de personalidade. Tentámos perceber como é que a intervenção precoce poderia actuar para “debelar” ou corrigir os anteriores. Quisemos estudar esta problemática partindo do estudo de um caso através de entrevista semi-estruturada feita ao sujeito e ao pai...

(Des)complexificando os estilos parentais : com pais casados e pais divorciados-separados

Gomes, Maria Inês Marques
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
76.51%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; A presente investigação pretende estudar e compreender as relações entre os estilos parentais (da percepção de estilos parentais do próprio e da percepção dos estilos parentais do outro) e algumas variáveis sócio-demográficas (sexo, nível de escolaridade, estado civil), bem como estudar e compreender as possíveis semelhanças e diferenças nos estilos parentais (do próprio e da percepção do outro) em famílias com pais casados e em famílias com pais separados ou divorciados, analisando também a influência de algumas variáveis sócio-demográficas (e.g. tempo de casamento, tempo de divórcio/separação, número de filhos, agregado familiar) nessa análise comparativa. Foi aplicada uma versão reduzida do Questionário de Dimensões e Estilos Parentais (QDEP) (Robinson, Mandleco, Olsen & Hart, 2001) a uma amostra de 60 pais, incluindo 30 pais casados e 30 pais divorciados/separados, com filhos em idade escolar. Os resultados do estudo demonstram-nos que as variáveis sócio-demográficas, nomeadamente o sexo, o nível de escolaridade e o estado civil...

Conflito interparental, vinculação aos pais e competências sociais do jovem adulto

Gouveia, Marita João Carreira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
75.98%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Este estudo pretende explorar de que forma o conflito interparental se relaciona com a qualidade da vinculação ao pai e à mãe e com as competências sociais dos jovens adul-tos. Os principais objetivos desta investigação são avaliar as perceções dos jovens adul-tos acerca do conflito interparental, da sua vinculação ao pai e à mãe e das suas compe-tências sociais e analisar a relação entre estas variáveis. Adicionalmente pretende-se determinar variações na qualidade da vinculação e competências sociais em função da perceção do conflito interparental, do estatuto conjugal dos pais e género. Os dados foram recolhidos mediante a resposta online a um conjunto de três instrumentos aplica-dos a uma amostra de conveniência constituída por 200 jovens adultos com idades com-preendidas entre os 18 e os 25 anos, de ambos os sexos. Os resultados mostram uma correlação negativa entre o conflito interparental e a qualidade da vinculação ao pai e à mãe e as competências sociais. Verificaram-se diferenças em função do género na qua-lidade do vínculo aos pais...

A paternidade na França: entre igualização dos direitos parentais e lutas ligadas às relações sociais de sexo

Devreux,Anne-Marie
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.02%
Na França, a evolução recente do Direito de Família e a redefinição dos direitos dos pais e das mães se desenvolveram em um contexto ideológico em que a noção de "novos pais" teve um papel importante, como em outras sociedades européias. O estudo das práticas masculinas na vida doméstica e da efetiva responsabilidade por filhas e filhos mostra, entretanto, um descompasso entre a idéia de que os pais teriam mudado e a realidade da divisão sexual do trabalho na família. Defendendo os direitos dos pais, em nome da "co-parentalidade", alguns homens, organizados em grupos de defesa dos pais divorciados, reivindicam direitos equivalentes entre pais e mães, invocando o "interesse da criança". O caráter reversível e intermitente do engajamento dos homens-pais na parentalidade e a prioridade que eles conferem à carreira profissional nos levam a interrogar o que está realmente em jogo em seus combates.

O envolvimento parental após a separação/divórcio

Grzybowski,Luciana Suárez; Wagner,Adriana
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.13%
Apoiados no modelo ecológico-contextual e no conceito de envolvimento parental, este artigo se propõe a discutir as práticas parentais de pais e mães separados/divorciados com seus filhos. Para tanto, foram pesquisados 234 sujeitos (117 pais/117 mães) com filhos em idade escolar, que responderam o Inventário de Práticas Parentais. Tal instrumento avaliou o envolvimento parental em 5 áreas: envolvimento afetivo, envolvimento didático, envolvimento social, envolvimento disciplinar e responsabilidade. Os resultados evidenciam maior envolvimento materno do que paterno com os filhos após o divórcio, tanto direto (cuidados, interação) quanto indireto (monitoramento, preocupação). A coabitação com a mãe mostrou ser uma variável significativa associada ao maior envolvimento dela em atividades no espaço privado/doméstico, enquanto os pais tiveram maior envolvimento no espaço público/social. Características contextuais (coabitação, freqüência de visitas) e características dos pais (ocupação, escolaridade, questões afetivo-conjugais) mostraram-se fortemente associadas ao envolvimento parental após o divórcio.

Debates entre pais e mães divorciados: um trabalho com grupos

Brito,Leila Maria Torraca de; Cardoso,Andréia Ribeiro; Oliveira,Juliane Dominoni Gomes de
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.09%
O artigo apresenta dados coletados em pesquisa participativa realizada por meio de grupos de reflexão com pais e mães separados. A investigação teve como objetivo avaliar dificuldades quanto ao exercício da parentalidade após a separação conjugal bem como a possibilidade do uso de grupos de reflexão em tais situações. Destacam-se, no artigo, vivências e queixas de pais e de mães que participaram de cada um dos dois grupos organizados no que diz respeito ao convívio com os filhos após a dissolução conjugal. Conclui-se que a divisão tradicional entre guardiães e visitantes acarreta dificuldades próprias a cada uma das categorias, o que pode ser bem compreendido quando os pais se reúnem para o debate sobre o tema.

Contornos da guarda compartilhada

Raimundi, Raquel Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.21%
Esta monografia trata da modalidade da Guarda Compartilhada, ou Guarda Conjunta, como sendo a melhor forma de guarda a ser instituída quando da separação dos genitores, por atender ao princípio do melhor interesse da criança, bem como ao princípio da igualdade entre o homem e a mulher. Embora o homem tenha figurado por muito tempo como o "cabeça do casal", tomando todas as decisões referentes à família, sendo o titular do "pátrio poder", com as alterações ocorridas na sociedade, nas últimas décadas, a mulher adquiriu patamares de igualdade ao homem, passando a ser tal igualdade um direito fundamental, garantido constitucionalmente. Por muito tempo, foi aplicado e ainda o é, o sistema da guarda exclusiva, em que os filhos permanecem sob a guarda apenas do pai ou da mãe, sendo que o outro genitor apenas exerce o direito de visitas, o qual não viabiliza uma convivência adequada com o genitor não-guardião e o menor. No direito comparado, iniciando-se os estudos no direito inglês, já era, há mais tempo, aplicada a guarda conjunta como a melhor forma de guarda, pelo fato de que ambos os pais exercem os direitos e deveres inerentes ao poder familiar em igualdade de condições. Em contrapartida, no direito brasileiro...

Parentalidade em tempo de mudanças: desvelando o envolvimento parental após o fim do casamento

Grzybowski, Luciana Suárez
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.2%
Observa-se que, dentre as diversas tarefas familiares pós-divórcio, provavelmente a mais complexa fique ao encargo dos pais. Estes, que acabaram de separar-se como casal, permanecem unidos pelos laços parentais, compartilhando a tarefa comum de educar os filhos. Porém, pergunta-se: como educar um filho em lares separados? O que facilita e o que dificulta este processo? Qual o envolvimento do pai e da mãe neste contexto? Como os pais combinam os procedimentos educativos (coparentalidade)? Diante disso, este trabalho buscou conhecer as práticas educativas e o envolvimento parental que pais e mães separados/divorciados desenvolvem na educação de seus filhos, bem como compreender como ocorre o exercício da coparentalidade após o advento do divórcio. Para tanto, apoiando-se numa perspectiva ecológica-contextual, realizou um estudo com metodologia mista, através da aplicação do Inventário de Práticas Parentais – IPP em 234 sujeitos (pais e mães) e, posteriormente, da realização de dois grupos focais (um com pais e outro com mães). Os resultados do estudo quantitativo evidenciaram que há uma diferença significativa entre o envolvimento parental de pais e mães. As mães demonstraram maior envolvimento que os pais em todas as áreas investigadas (emocional...

O divórcio e o ajustamento sócio-afectivo no ínicio da adolescência

Luz, Soraia Inês da Conceição
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.3%
Este estudo pretende contribuir para o aumento do conhecimento sobre a relação entre o divórcio e o ajustamento sócio-afectivo no início da adolescência. Para tal, uma amostra de 101 adolescentes, filhos de pais divorciados e filhos de famílias intactas, com idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos. Foram aplicados um questionário sócio-demográfico, o Questionário de Capacidades e de Dificuldades (SDQ; Goodman, 1997; traduzido para a população portuguesa por Fonseca, Loureiro & Gaspar; Gaspar & Paiva, 2003) e o Inventário Breve de Sintomas (BSI; Derogatis & Spencer, 1982; adaptado e aferido para a população portuguesa por Canavarro, 1995). Os resultados não apontam diferenças estatisticamente significativas entre os filhos de pais divorciados e os filhos provenientes de famílias intactas, no que respeita ao seu grau de ajustamento psico-sócio-emocional, mas apresentam diferenças entre o grupo de filhos para alguns dos sintomas psicopatológicos; ABSTRACT: This study aims to contribute to increased knowledge about the relationship between divorce and socio-emotional adjustment in early adolescence. For this, the sample of 101 adolescents of divorced parents and children of intact families, aged between 12 and 14 years. We applied a social-demographic questionnaire...

Boas práticas dos programas psicoeducacionais para pais separados-divorciados

Silva, Lia Sofia Pichel Nunes da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.47%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012; O processo de reorganização do sistema familiar após a separação conjugal está fortemente associado à qualidade da relação estabelecida entre os pais, crucial na continuidade do desempenho de papéis parentais e na estabilidade da relação entre pais e filhos. Os programas psicoeducacionais para pais separados/divorciados pretendem promover padrões de interacção funcionais entre os membros da família e minimizar os efeitos negativos do conflito interparental, particularmente para as crianças. O principal objectivo deste estudo é apresentar de forma compreensiva as características, formatos e procedimentos associados a uma maior eficácia de programas psicoeducacionais para pais separados/divorciados. Explora-se também a percepção de pais portugueses separados/divorciados acerca da relevância de diferentes conteúdos a abordar em programas desse tipo e, as preferências dos pais sobre vários elementos associados à organização dos programas. Os dados foram recolhidos através de um questionário online numa amostra de 55 pais portugueses separados/divorciados com filhos menores de idade fruto de relações passadas. Os resultados indicam que todos os conteúdos foram considerados relevantes pelos participantes. Existem algumas diferenças significativas entre os sexos...

O ajustamento emocional das crianças e adolescentes face ao divórcio

Santos, Carolina
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.25%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; Foram analisadas as dificuldades dos filhos de pais divorciados, os factores facilitadores e inibidores do seu ajustamento emocional. Foram estudadas as notas das entrevistas semi-estruturadas e das observações participantes de dois filhos e uma mãe divorciada, de acordo com o método da Grounded Theory. Foi aferido que perante este desmoronar do sistema familiar, os filhos de pais divorciados sofrem com a perda/afastamento do pai/mãe que sai de casa, com a falta de suporte social ou pelo contrario com o apoio familiar e de amigos e as dificuldades relacionais. Verificou-se ainda, que o ajustamento emocional parece ser influenciado por factores facilitadores e/ou inibidores, entre eles as características pessoais dos pais, o tipo de ruptura parental, a idade da criança/adolescente, as suas características pessoais, a qualidade de relação da criança com cada progenitor, as incompatibilidades familiares, novos relacionamentos parentais, a frequência de contacto com o progenitor que saiu.; ABSTRACT: We have analysed the problems of children whose parents are divorced, including the factors that facilitate and inhibit their emotional adjustment. We studied the notes of semi-structured interviews and the participant observations of two children and a divorced mother...

CHILDREN’S PERCEPTION ABOUT FATHER’S DIVORCE; LA PERCEPCIÓN DE LOS HIJOS SOBRE EL DIVORCIO DE LOS PADRES; PERCEPÇÃO DOS FILHOS SOBRE O DIVÓRCIO DOS PAIS

Straube, Kátia Maria; Gonçalves, Marília de Paula; Centa, Maria de Lourdes
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2007 POR
Relevância na Pesquisa
56.14%
Evento cada vez mais freqüente em nossa sociedade, o divórcio completa no Brasil, cerca de vinte anos de existência, configurando-se como instrumento de estudo essencial à compreensão das intensas transformações que ocorrem na família. Sendo um processo longo e complexo que envolve mudanças múltiplas, há necessidade de se promover a saúde dos membros da família envolvidos. Assim, é preciso dar condições para que este evento possa ser utilizado como ferramenta de solução para os conflitos familiares através do conhecimento e compreensão da experiência vivida, a fim de obter subsídios que ofereçam suporte aos envolvidos no processo, no sentido de elaborar suas decisões, ações e reações de forma positiva e satisfatória. O objetivo deste trabalho é retratar a percepção dos filhos sobre o divórcio dos pais através do conhecimento da experiência vivida no processo, para o que focalizou-se a faixa etária de 18 a 26 anos, momento em que já se pode ter compreensão maior das suas conseqüências. Para o presente estudo...

A PATERNIDADE NA FRANÇA: entre igualização dos direitos parentais e lutas ligadas às relações sociais de sexo

Devreux, Anne-Marie; Universidade Paris 8
Fonte: Universidade de Brasilia Publicador: Universidade de Brasilia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 12/05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.02%
Na França, a evolução recente do Direito de Família e a redefinição dos direitos dos pais e das mães se desenvolveram em um contexto ideológico em que a noção de “novos pais” teve um papel importante, como em outras sociedades européias. O estudo das práticas masculinas na vida doméstica e da efetiva responsabilidade por filhas e filhos mostra, entretanto, um descompasso entre a idéia de que os pais teriam mudado e a realidade da divisão sexual do trabalho na família. Defendendo os direitos dos pais, em nome da “co-parentalidade”, alguns homens, organizados em grupos de defesa dos pais divorciados, reivindicam direitos equivalentes entre pais e mães, invocando o “interesse da criança”. O caráter reversível e intermitente do engajamento dos homens-pais na parentalidade e a prioridade que eles conferem à carreira profissional nos levam a interrogar o que está realmente em jogo em seus combates.