Página 1 dos resultados de 1237 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Solipsismo, solidão e finitude : algumas lições de Strawson, Wittgenstein e Cavell sobre metafísica e método filosófico

Techio, Jônadas
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
26.72%
O presente estudo é constituído de cinco ensaios relativamente autossuficientes, mas redigidos tendo em vista um objetivo comum, que será perseguido por várias vias—a saber, a exploração de um núcleo de problemas filosóficos relacionados com a possibilidade, e com a própria inteligibilidade, do solipsismo. Os resultados obtidos nesses ensaios, assim como os caminhos que levam a eles, pretendem servir como exemplos para a extração de lições mais gerais sobre o método filosófico, e sobre a própria natureza humana. O procedimento adotado para esse fim consiste na leitura de um conjunto de escritos de filósofos contemporâneos que refletiram profundamente sobre o solipsismo— sobretudo Peter Strawson, Ludwig Wittgenstein, e Stanley Cavell. A tese central à qual procuro fornecer suporte por meio dessas leituras é que o solipsismo é uma resposta intelectualizada, e radical, a um conjunto de dificuldades práticas ou existenciais relacionadas com a finitude da condição humana. (Essas mesmas dificuldades originam respostas menos radicais, que são manifestas por meio de outras “posições filosóficas”— ou, pelo menos, é isso que tentarei mostrar.) Estar sujeito a essas dificuldades implica estar permanentemente sujeito à ameaça da solidão...

O socialismo utópico e a crítica à razão utilitária

Walter, Carolina Palma
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
O objetivo principal desta monografia é fazer uma análise da vida e obra dos principais filósofos, chamados por Marx, de utópicos – Saint –Simon, Owen e Fourier - e através de sua crítica chegar ao materialismo histórico e conseqüentemente no socialismo científico. Para isto, este trabalho mostrará os antecedentes históricos, junto com grande parte da evolução da utopia: de Platão a Morelly. Nesta perspectiva, para finalizar será utilizada a chamada crítica à razão utilitária para mostrar formas alternativas do relacionamento humano, as quais fogem do foco do interesse. Propondo, assim, uma nova perspectiva para o nosso desenvolvimento.; Ce travail envisage d’analyser les principaux modèles appelés dans nos jours de socialistes. D’abord, on fera une lecture de la vie et du travail de penseurs comme Saint-Simon, Owen et Fourier désignés de manière péjoratif par Max comme utopiques. On pourra, de cette façon, caractériser leurs actes selon l’époque. Ensuite, on indiquera le contexte historique ainsi que l’évolution de l’utopie: de Platon à Morelly. On fera ce parcours de la théorie du matérialisme historique jusqu’à la théorie du socialisme scientifique en utilisant la critique de Marx et Engels à ces théoriciens. Pour conclure...

Sofistas e filósofos na administração imperial: o olhar de Eunápio sobre a unidade política do império Romano no século IV D. C

Farias Júnior, José Petrúcio de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 152 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Pós-graduação em História - FCHS; Pretendemos, com essa pesquisa, analisar a obra Vidas dos filósofos e sofistas, redigida pelo historiador e sofista grego Eunápio, em 399, o qual retrata as vidas de neoplatônicos pertencentes à Ásia Menor, em especial, Sardes, cidade na qual nasceu. No interior dessa obra, evidenciaremos a questão administrativa do Império Romano por meio da atuação profissional de filósofos e sofistas neoplatônicos que ocuparam cargos administrativos sob a vigência dos imperadores cristãos. Propornos- emos, dessa forma, discorrer sobre a maneira como Eunápio, por meio dos artifícios retóricos mobilizados pela filosofia neoplatônica, avalia o exercício do poder imperial ocupado pelas elites cristãs e, em contrapartida, constrói, em nível literário, a imagem de filósofos e sofistas neoplatônicos na sociedade romana oriental tardia com a finalidade de evidenciar a representatividade política das elites locais neoplatônicas da Ásia Menor, uma vez que, gradativamente, as famílias abastadas não-cristãs eram preteridas dos ofícios públicos por conta da orientação políticoreligiosa instituída, conforme sugere Eunápio, por Constantino e culmina em Teodósio; We intend, with this research...

Linguagem e pensamento: uma preocupação de lingüistas e filósofos

Hoyos-Andrade, Rafael-Eugenio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Trata-se de um balanço das afirmações feitas hoje por lingüistas (e alguns filósofos) referentes ao problema da relação entre linguagem e pensamento. Os depoimentos foram organizados pelo autor a partir da análise dos trabalhos constantes da bibliografia. Dita análise foi realizada com a colaboração dos alunos de Teoria Lingüística (Pós-Graduação, 1º semestre de 1980) do Instituto de Letras, História e Psicologia de Assis.

Conversão e reconversão : a circulação internacional dos filosofos de origem catolica; Conversion and recorversion : the international circulation from the philosophers with an catholic origin

Daniela Maria Ferreira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
O objetivo desta pesquisa é contribuir para a compreensão do campo filosófico brasileiro, por meio do estudo de um grupo específico de filósofos, cuja formação escolar e socialização se deram no Brasil e no exterior (Roma e Louvain), graças à Igreja Católica. O estudo procura também suprir uma lacuna bibliográfica, ao abordar os aspectos históricos e sociais da institucionalização da Filosofia no Brasil. Para tanto, tomando como ponto de partida a instauração do primeiro curso universitário de Filosofia (FFLCH-USP), o trabalho apresenta: 1) a reconstituição do espaço filosófico brasileiro e a transformação ocorrida nesse espaço, em especial, com a inserção de um grupo de intelectuais, os filósofos de origem católica; 2) a descrição e a análise da trajetória social desses agentes ex- seminaristas, ex- religiosos e militantes católicos (17 no total), visando compreender a forma pela qual se deu o seu processo de entrada no campo filosófico; Not informed

Nietzsche

Castilho, Kelly de Fátima
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-graduação em Filosofia; Desde seus primeiros escritos Nietzsche se ocupou de questões relacionadas ao conhecimento e à verdade, ocorre, porém, que seu objetivo não é formular uma nova teoria do conhecimento ou reformular as concepções tradicionais, mas questionar a valor da verdade, indicando que os filósofos jamais a colocaram em questão. Em conseqüência dessa superestimação da verdade está o ódio instintivo contra a vida e seus pressupostos: tudo o que é transitório e efêmero foi negado em nome do conhecimento racional e objetivo. A proposta de Nietzsche é que a interpretação metafísica - que nega e falsifica a vida- seja substituída por uma interpretação afirmativa, com conceitos leves e dançantes, que se reconhece como interpretação provisória. O eterno retorno diz à vida o grande Sim, aceita o destino e deseja o seu retornar eterno. É um sim dionisíaco, que deseja o que a vida tem mais exuberante e belo, mas também o que ela tem de mais horrível e miserável.

A Ideia de formação

Mafalda, Rodrigo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2011; Quando perguntamos sobre o que é uma boa formação (Bildung), não temos dúvida, o assunto é polêmico, e se estamos dispostos ao diálogo, temos um assunto que não tem hora para terminar. Deste assunto, de modo íntimo, falamos de mestres e de autênticos educadores, da cultura e da importância ou não de certos conteúdos e conhecimentos para uma devida formação humana. O presente texto versa sobre a ideia de formação humana. A abordagem foi realizada considerando dois grandes filósofos: Schopenhauer e Nietzsche. Para este temos uma alternativa e uma expressiva afirmação: a formação de si mesmo é o primeiro quesito de um filósofo como educador; de um educador enquanto libertador. Está implicada igualmente a relação mestre # discípulo, que cultivada em um contexto livre acaba por transformar o discípulo em mestre; quando o primeiro é capaz de romper e opor-se àquilo que o influenciou. Destes pensadores vamos encontrar a relação entre conteúdo, mestre e discípulo; mas principalmente, duas filosofias, duas fundamentações e dois modos de ver o mundo e a própria formação humana cultural. Neste contexto o tema remete a contemporaneidade...

A filosofia da natureza dos pré-socráticos

Polito, Antony Marco Mota; Silva Filho, Olavo Leopoldino da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
Este artigo faz uma revisão conceitual dos principais elementos relacionados com as filosofias naturais dos chamados filósofos Pré-Socráticos, as quais prosperaram no período compreendido entre os séculos VII a.C. e V a.C. Esse período corresponde ao do surgimento das primeiras investigações do que serão posteriormente as “ciências físicas”, tendo igualmente lançado as sementes, na filosofia, para as grandes construções realizadas no período seguinte por Platão e Aristóteles. O primeiro foco dessa revisão consiste em salientar a íntima conexão existente entre concepções propriamente científicas e concepções filosóficas de caráter mais geral, vigentes durante esse período, quando os campos da filosofia e da ciência eram, de fato, indiscerníveis. O segundo foco consiste em tornar evidente que, do ponto de vista da evolução conceitual da física na Idade Moderna, as elaborações e aquisições dos filósofos Pré-Socráticos não figuraram como meras relíquias, relegáveis a um papel de dispensável curiosidade histórica. ____________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This article is a conceptual review of the main elements related with the natural philosophies of the so-called Pre-Socratic philosophers...

A representação da mulher no pensamento dos filósofos iluministas portugueses

Cabrita, Lígia Maria Sánchez Coelho da Silva
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
27.22%
Tese de mestrado, Estudos Românicos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras - 2011; O século XVIII é conhecido por ser o século das mulheres e o século dos filósofos. É um lugar-comum considerar que os filósofos, enquanto formadores de opinião, defenderam causas nobres que contribuíram para que a Humanidade pensasse e vivesse melhor. Contudo, no que respeita à mulher, e para nosso espanto, os filósofos do «Século das Luzes» excluíram-na e relegaram-na a um lugar secundário no mundo do saber. A filosofia iluminista defendia a universalidade da razão, mas fê-lo de um modo que se traduziu, de facto, num meio de exercer violência sobre as mulheres, ignorando um mundo que era peculiarmente seu, um modo feminino de estar e de pensar, e impondo um modelo único, o masculino, porque criado por homens. Contudo, na mesma época, as mulheres, aproveitando-se das fissuras de uma sociedade patriarcal, não deixaram de se fazer ouvir. «Ocultas» participaram na vida intelectual da sua comunidade e tudo fizeram para escapar aos limites impostos pelas representações que delas se faziam. A escrita foi um meio de escape aos constrangimentos impostos à actuação feminina. As palavras foram a arma de eleição das mulheres. Afectando uma aparência de modéstia...

O Colóquio dos Jovens Filósofos e a Disciplina de Filosofia na Escola Secundária Augusto Cabrita. Algumas Reflexões

Peres, Maria Emília Martins
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2012 POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Relatório de Estágio apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ensino da Filosofia no Secundário; No início deste Relatório procuramos descrever a nossa Prática de Ensino Supervisionada, diferentes aspetos relacionados com a docência e o Projeto que desenvolvemos na Escola Secundária Augusto Cabrita. Em seguida, apresentamos uma parte mais reflexiva sobre o Colóquio dos Jovens Filósofos, os seus objetivos e a preparação dos alunos, analisando o trabalho de campo desenvolvido antes e após o Colóquio, assim como as competências filosóficas que os alunos foram exercitando em diferentes momentos relacionados com este evento: a autonomia, a criatividade, a argumentação e o pensamento crítico, que são fundamentos de um pensar filosófico

A ruptura dos direitos humanos na filosofia política de Hannah Arendt

Brito,Fausto
Fonte: Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG Publicador: Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
O objetivo deste artigo é a análise das críticas de Hannah Arendt à concepção dos direitos humanos, introduzida pelo pensamento dos filósofos contratualistas e efetivada, politicamente, pelas revoluções americanas e francesas no final do século XVIII. Contudo, este objetivo não seria plenamente alcançado sem a avaliação da proposta de Arendt para a superação de suas próprias críticas: a reconstrução dos direitos humanos através do reconhecimento que cada indivíduo tem direito a ter direitos, independente das fronteiras do Estado-nação. Arendt vai buscar na moral universalista e cosmopolita kantiana o conceito de humanidade e dá a ele as dimensões ontológicas e políticas necessárias para se construir um espaço público internacional, onde o direito a ter direito seja decorrente do mero pertencimento à humanidade, não se dissolvendo nos limites de cada Estado-nação.

Educação, militantismo católico e filosofia no Brasil

Ferreira,Daniela Maria
Fonte: UNICAMP - Faculdade de Educação Publicador: UNICAMP - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
Este artigo propõe uma reflexão sobre a relação entre educação, militância política católica e Filosofia no Brasil. Trata-se de pensar como a passagem pelo militantismo político em movimentos de juventude católica (Juventude Universitária Católica e Juventude Estudantil Católica) se constituiu em um lócus de socialização importante para os mentores dos primeiros dispositivos que contribuíram para a institucionalização da produção filosófica universitária no Brasil. O material empírico coletado para análise foi composto de entrevistas semi-estruturadas com 17 filósofos, observações etnográficas, depoimentos publicados, além de informações coletadas na base de dados institucionais (Plataforma Lattes, CNPq).

Invertendo o poema parmenídico: sobre a crítica do jovem Nietzsche ao pensamento de Parmênides

Melo Neto,João Evangelista Tude de
Fonte: Grupo de Estudos Nietzsche Publicador: Grupo de Estudos Nietzsche
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
O objetivo deste artigo é analisar a interpretação realizada por Nietzsche ao poema de Parmênides, Da Natureza. Para levar a cabo essa tarefa, efetuaremos, num primeiro momento, um exame do poema em questão. Esse trabalho inicial fornecerá subsídios para, num segundo momento, voltarmos nossos esforços diretamente à interpretação nietzschiana do texto do pré-socrático. Nesta segunda etapa do artigo, iremos nos debruçar sobre os trabalhos A Filosofia na Idade Trágica dos Gregos e Os filósofos pré-platônicos. A intenção inicial do segundo momento de nossa empreitada é esclarecer a hipótese de Nietzsche acerca da gênese do poema e do desenvolvimento lógico do argumento nele contido. Feito isso, também tentaremos retraçar a argumentação do filósofo alemão no que diz respeito à critica que ele realiza ao pensador de Eleia. Por fim, tentaremos mostrar que as questões levantadas por Nietzsche nesses textos irão reverberar nas fases posteriores de sua filosofia.

Nietzsche e a modernidade: da crítica à metafísica à crítica à democracia

Vieira, Mauro Rogério de Almeida
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
This dissertation presents an interpretation concerning the critical considerations of the German philosopher Friedrich Nietzsche on Modernity, especially Nietzsche s criticism of Modernity, of Christian mores and democracy produced by him in Beyond Good and Evil. Nietzsche attentively analyses details of Modernity, produces a diagnosis of modern man and discovers the sign of decay. We consider that Nietzsche s criticism of modernity is directly linked to the criticism of classic metaphysics. We emphasize questions like: what in us aspires to truth? Christian mores: why and what for? What characterizes modernity? Could it be the appeal to the democratic taste? Is it possible to reinvent Modernity? We stress the relation between the notion of truth, democracy and Christian mores, showing that these mores were also inherited from the Socratic culture. We also intend to clarify Nietzsche s proposal of a new way of doing philosophy, that would be able to surpass the decay which rules in European modern culture. The end of this research points out to the ―philosophers of the future‖ who are able, according to Nietzsche, to claim life beyond the metaphysics opposition, beyond the good and the evil; Esta dissertação apresenta uma interpretação a respeito das considerações críticas do filósofo alemão Friedrich Nietzsche sobre a modernidade...

A origem da escola moderna: o legado de Condorcet

Rodríguez, Margarita Victoria
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
O artigo discute as contribuições de Condorcet (1743-1794) sobre a educação pública. Esse intelectual participou da Revolução Francesa e colaborou para estabelecer as bases doutrinárias do sistema educativo burguês e definir o projeto educativo liberal republicano, baseado nos postulados teóricos e ideológicos da Ilustração e dos filósofos iluministas que influenciaram o pensamento pedagógico contemporâneo. Para tanto, analisam-se várias fontes documentais escritas por Condorcet. Inicialmente, o Relatório e Projeto de Decreto sobre a Organização Geral da Instrução Pública, apresentado à Assembléia Nacional, em nome do Comitê de Instrução Pública (1792). Além desse texto, também são analisados outros documentos breves, em que o autor insiste na necessidade de se instaurar a instrução pública na República, tais como: a) Sobre as Assembléias Provinciais (1788); b) Post-scriptum (1788); c) o discurso pronunciado à Assembléia Nacional em nome da Academia das Ciências (1790); d) Apresentação Geral da Biblioteca do Homem Público (1790); e) Sobre a Necessidade da Instrução Pública (1793). Nas fontes analisadas, observa-se a insistência na formação moral do homem e da mulher, percebida como uma união radical entre a razão e a moral vivenciada...

Um estudo sobre o sofista Protágoras nos diálogos de Platão; A study of the sophist Protagoras in Plato´s dialogues

Robson Gabioneta
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
Protágoras é considerado pela maior parte dos críticos como o primeiro e o maior sofista de todos os tempos. Por outro lado, Sócrates é qualificado como o filósofo de Platão. É senso comum da história da filosofia que os sofistas são adversários dos filósofos, desse modo, Protágoras seria o maior adversário de Sócrates. Porém, ao lermos os diálogos por eles mesmos, como nos ensinam os textos de Hector Benoit, veremos que o problema não é tão simples assim. Platão, com suas inversões, surpreende até mesmo o mais atento leitor. Uma delas, para nós a mais importante, a troca de posições entre Sócrates e Protágoras acerca da possibilidade ou não do ensino da virtude política, será discutida por nós quando analisarmos a relação entre os personagens no diálogo Protágoras. Portanto, neste momento discutiremos as posições políticas do sofista. Porém, Platão não fica apenas no pensamento político de Protágoras, ele, ou para ser mais preciso, Sócrates dá a palavra para o sofista dizer o que pensa acerca de sua própria tese: 'o homem é a medida de todas as coisas'. Platão investiga a famosa frase de Protágoras dando a ela um novo sentido que a história da filosofia jamais esqueceria, a saber: 'conhecimento é sensação'. Veremos como Sócrates...

Los humanistas en la Universidad Nacional (1929-1945)

Fix-Fierro, Héctor
Fonte: Universidade Nacional Autônoma do México Publicador: Universidade Nacional Autônoma do México
Formato: 20
ESPAñOL
Relevância na Pesquisa
26.97%
Por humanidades se entiende, en el marco de esta ponencia, la filosofía, la historia y la literatura. En 1945 surge el Instituto de Investigaciones Filosóficas de la UNAM. José Gaos, Eduardo Nicol y Ramón Xirau, entre otros filósofos españoles del exilio, desempeñan un papel fundamental en el florecimiento de la filosofía en México. También en 1945 se funda el Instituto de Investigaciones Históricas, promovido entre otros académicos por el profesor Pablo Martínez del Río y, más adelante, por el profesor Miguel León-Portilla. La Coordinación General de Humanidades fue, asimismo, concebida por la ley orgánica de 1945, con el objetivo de fomentar la investigación, fundamental para el desarrollo de México. A diferencia de otras profesiones, como la de los abogados, médicos e ingenieros, la profesión de los humanistas (filósofos, historiadores, literatos) no tenía una salida profesional muy obvia, por lo que su trabajo estuvo concentrado en la academia. Ese trabajo enriqueció no sólo la docencia sino la investigación en la Universidad.

El materialisme com a antídot als subterfugis ontològics : «Contra filósofos: O ¿en qué se diferencia una mujer de un gato?»

Armengol Sans, Andrés
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2015 CAT
Relevância na Pesquisa
26.97%
La present nota crítica proposa realitzar un breu recorregut per les línies argumentatives generals de la darrera obra de Mercè Rius, Contra filósofos: O ¿en qué se diferencia una mujer de un gato? Partint d’una perspectiva històrica i filosòfica, l’autora s’endinsa en les arrels polítiques que han sustentat l’universalisme excloent del discurs filosòfic d’ençà de la metafísica platònica i artistotèlica, palesant l’arrelament biopolític de les suposades justificacions de caire misogin contra les dones al llarg de la història occidental, alhora que l’ús que es proposa del materialisme permet d’aflorar els pressupòsits polítics que donen compte de les exclusions en la història de la filosofia.; La presente nota crítica propone realizar un breve recorrido por las líneas argumentativas generales de la última obra de Mercè Rius, Contra filósofos: O ¿en qué se diferencia una mujer de un gato? Partiendo de una perspectiva histórica y filosófica, la autora se adentra en las raíces políticas que han sustentado el universalismo excluyente del discurso filosófico desde la metafísica platónica y artistotélica, y hace evidente el enraizamiento biopolítico de las supuestas justificaciones de tipo misógino contra las mujeres a lo largo de la historia occidental...

A padroeira dos filósofos

Nunes, Ruy Afonso Costa
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/1977 POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
(primeiro parágrafo do artigo)Não podia ser indiferente às moças do século XII o fato de ser uma mulher reverenciada pelos filósofos e teólogos como a sua padroeira. Elas deviam ver com satisfação que o dia da festa de Santa Catarina de Alexandria era feriado na Universidade de Paris. Por isso, embora não pudessem freqüentar as faculdades como os rapazes — impossibilidade que se manteria por muitos séculos — o nível das suas aspirações devia ser bem elevado em matéria de estudos, quando se leva em conta que os maiores sábios da Idade Média liam com enlevo e devoção a Conversio e a Passio de Santa Catarina de Alexandria, a jovem de 18 anos que brilhou pela beleza do corpo, mas ainda muito mais pela beleza da virtude, como cantou Alfano, monge de Monte Cassino e arcebispo de Salerno, em sua Ode em louvor de Santa Catarina. Não foram, porém, os atributos morais os únicos a determinarem a elevação de Catarina às culminâncias do culto a ela prestado pelos universitários medievais. Como diz o mesmo Alfano noutro hino, Cantus in laudem S. Catharinae Virginis, "a doutora confundiu os sábios". Com essa afirmação ele se reportava à discussão que Santa Catarina manteve, conforme a Passio, com os cinqüenta filósofos que ela dominou com o peso da doutrina e o fascínio das palavras.  

Voces de un diálogo: Francisco Romero y los filósofos norteamer

Ferreira de Cassone,Florencia
Fonte: Cuyo Publicador: Cuyo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 ES
Relevância na Pesquisa
37.12%
La obra de Francisco Romero (1891-1962) ha revolucionado el pensamiento argentino no sólo en el sentido de crear un nuevo sistema filosófico, sino en el de sentar una genuina filosofía americana. Su trabajo se extendió no sólo al campo filosófico, sino también al editorial y universitario. En este contexto y a través del epistolario entramos en la práctica y los contenidos de sociabilidad, para delinear las contribuciones de la categoría en el campo de la historia de las ideas. Desde esta perspectiva partimos en el estudio del epistolario de Romero con filósofos de EEUU. Es acerca de un epistolario, esto es, un corpus de cartas que sostuvo con filósofos norteamericanos y europeos con residencia en EEUU entre 1942-1962. Entendemos que tal reservorio nos abre un camino para estudiar la escritura epistolar bajo códigos de sociabilidad.