Página 1 dos resultados de 6 itens digitais encontrados em 0.024 segundos

Efeito das concentrações potássicas nas variáveis de crescimento e produção da bananeira sob fertirrigação.

AZEVEDO, N. F.; COSTA, F. da S.; COELHO, E. F.; BARROS, D. L.; SILVA, A. C. P. da; RIBEIRO, R. N. da S.
Fonte: In:CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 21., 2010, Natal. Frutas: saúde, inovação e responsabilidade: anais. Natal: Sociedade Brasileira de Fruticultura, 2010. Publicador: In:CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 21., 2010, Natal. Frutas: saúde, inovação e responsabilidade: anais. Natal: Sociedade Brasileira de Fruticultura, 2010.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.46%
A produção mundial de banana em 2008 foi de 90,7 milhões de toneladas, e o Brasil foi responsável por 7,83% dessa produção (7,1 milhões), se classificando em quarto no ranking mundial (FAOSTAT, 2010). A produção é influenciada por fatores internos da planta, como os genéticos, e fatores externos, que são as condições de clima, solo e manejo agronômico praticado na cultura, como a adubação (SILVA, et al. 2003). O potássio (K) é considerado o nutriente mais importante para a produção de frutos de qualidade, e a quantidade recomendada varia de 100 a 750 kg de K2O/ha dependendo do teor no solo (BORGES, 2003). Quando a concentração de K na solução do solo aumenta, a capacidade-tampão do K decresce, e sua velocidade de transporte se incrementa. No período de máxima taxa de absorção de K pela planta, com alta demanda pelo nutriente, este elemento deve ser suprido pela água de irrigação até que a concentração no solo seja suficiente para cultura (BAR-YOSEF, 1999). Para um bom planejamento da fertirrigação, torna-se necessário o conhecimento da condição iônica do solo, acompanhamento da aplicação dos fertilizantes, observação da concentração dos mesmos na solução de injeção bem como na saída dos emissores...

Doses de nitrogenio em fertirrigação na bananeira cultivar d´Angola.

SILVA, A. C. P. da; COELHO, E. F.; ANDRADE, T. P. de; BARROS, D. L.; AMORIM, M. da S.
Fonte: In: CONGRESSO LATINOAMERICANO Y DEL CARIBE DE INGENIERIA AGRICOLA, 10.; CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA, 41., 2012, Londrina. A engenharia agrícola na evolução dos sistemas de produção: artigos completos. Londrina: SBEA, 2012. 1 CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO LATINOAMERICANO Y DEL CARIBE DE INGENIERIA AGRICOLA, 10.; CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA, 41., 2012, Londrina. A engenharia agrícola na evolução dos sistemas de produção: artigos completos. Londrina: SBEA, 2012. 1 CD-ROM.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.1%
A banana cultivar D`Angola, Subgrupo Terra (AAB) apresenta frutos grandes e com alto teor de amido, sendo consumidos cozidos, fritos ou assados. O trabalho foi desenvolvido na área experimental da Embrapa Mandioca e Fruticultura do Estado da Bahia. Objetivou-se estudar os efeitos de diferentes doses de nitrogênio aplicados via três laminas de irrigação na produtividade de frutos da cultivar de bananeira ?D?Angola? fertirrigada. O experimento foi instalado em setembro de 2010, no espaçamento 2,0 m x 2,5 m com irrigação por gotejamento. Empregou-se o delineamento experimental em blocos casualizados em esquema fatorial 5 x 3, cinco doses de nitrogênio (135; 180; 225; 270 e 315 em kg ha-1 de N), na forma de uréia e três lâminas de irrigação (107,55mm; 161,33mm e 215,4 mm) com quinze tratamentos e três repetições com dez plantas por parcelas sendo seis tomadas como úteis. As doses de nitrogênio e as laminas de irrigação não tiveram efeito nas variáveis dependentes de produção e de crescimento vegetativo.; 2012

ACÚMULO DE NUTRIENTES EM BANANEIRA ‘D´ANGOLA’ (TIPO TERRA) SOB DOSES DE NITROGÊNIO VIA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO

SILVA,ANA CARINA PIRES DA; BORGES,ANA LÚCIA; COELHO,EUGÊNIO FERREIRA
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.27%
A bananeira cv. D´Angola demanda grandes quantidades de nutrientes para seu desenvolvimento e produção. Para uma recomendação adequada de fertilizantes, é importante que se conheçam as quantidades de nutrientes absorvidas, exportadas e restituídas ao solo pela planta. Objetivou-se avaliar os acúmulos de fitomassa e macronutrientes na bananeira cv. D´Angola (tipo Terra), em cinco doses de nitrogênio (N) aplicado em fertirrigação por gotejamento. O trabalho foi desenvolvido no campo da Embrapa Mandioca e Fruticultura, no município de Cruz das Almas-BA, em delineamento experimental em blocos casualizados, com quatro repetições. Avaliaram-se a fitomassa e o acúmulo de nutrientes em cinco órgãos da planta (pseudocaule, folhas, frutos, engaço e coração), em cinco doses de N (135; 180; 225; 270 e 315 kg ha-1) aplicadas via água de irrigação. Os resultados indicaram que o acúmulo de fitomassa e nutrientes para a bananeira cv. D´Angola mostrou que há diferentes níveis de absorção, exportação e restituição ao solo de macronutrientes entre os órgãos da planta, em função das doses de N, e que, em média, o pseudocaule e as folhas foram os órgãos que mais acumularam de nutrientes, enquanto o coração foi o que menos acumulou. A ordem decrescente de absorção na planta foi potássio...

Aclimatização de mudas micropropagadas de bananeira 'Grand Naine' com aplicação de biofertilizantes em duas estações do ano

Nomura,Edson Shigueaki; Damatto Junior,Erval Rafael; Fuzitani,Eduardo Jun; Saes,Luis Alberto; Jensen,Evelyn
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.17%
A utilização de mudas de bananeira micropropagadas de qualidade é o primeiro passo na implantação de um bom pomar e, para isso, sua aclimatização deve ser realizada de forma adequada. Em vista disso, objetivou-se, neste trabalho, avaliar o desempenho dos biofertilizantes HUMITEC® e RUTER AA® no desenvolvimento de mudas de bananeira micropropagadas, sendo instalado um experimento em viveiro comercial de produção de mudas. Foram utilizadas mudas de bananeira cv. Grand Naine, obtidas por micropropagação, sendo, posteriormente, transplantadas em sacos de polietileno preto (1,5 L), contendo, como substrato, terra de subsolo (Latossolo Amarelo), casca de arroz carbonizada e composto orgânico Organifol® (1:1:1). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, fatorial 2 x 4 (produtos e doses), com quatro repetições e quatro plantas úteis por parcela. Os tratamentos foram compostos pelos seguintes biofertilizantes e doses: HUMITEC® (0,0; 4,0; 8,0; 16,0 mL planta-1) e RUTER AA® (0,0; 2,0; 4,0; 8,0 mL planta-1). As doses dos produtos foram divididas em duas aplicações (28 e 56 dias após o transplantio das mudas), aplicadas via fertirrigação. Noventa e oito dias após o transplantio avaliaram-se as seguintes variáveis: altura das plantas (cm)...

Acúmulo de micronutrientes em bananeira CV. D´Angola (tipo Terra) sob doses de nitrogênio via água de irrigação.

SILVA, A.C. P. da; BORGES, A. L.; COELHO, E. F.
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 37, n. 2, p. 488-496, jun., 2015. Publicador: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 37, n. 2, p. 488-496, jun., 2015.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.27%
A bananeira cv. D´Angola demanda grandes quantidades de nutrientes para seu desenvolvimento e produção. Para uma recomendação adequada de fertilizantes, é importante que se conheçam as quantidades de nutrientes absorvidas, exportadas e restituídas ao solo pela planta. Objetivou-se avaliar os acúmulos de fitomassa e macronutrientes na bananeira cv. D´Angola (tipo Terra), em cinco doses de nitrogênio (N) aplicado em fertirrigação por gotejamento. O trabalho foi desenvolvido no campo da Embrapa Mandioca e Fruticultura, no município de Cruz das Almas-BA, em delineamento experimental em blocos casualizados, com quatro repetições. Avaliaram-se a fitomassa e o acúmulo de nutrientes em cinco órgãos da planta (pseudocaule, folhas, frutos, engaço e coração), em cinco doses de N (135; 180; 225; 270 e 315 kg ha-1) aplicadas via água de irrigação. Os resultados indicaram que o acúmulo de fitomassa e nutrientes para a bananeira cv. D´Angola mostrou que há diferentes níveis de absorção, exportação e restituição ao solo de macronutrientes entre os órgãos da planta, em função das doses de N, e que, em média, o pseudocaule e as folhas foram os órgãos que mais acumularam de nutrientes, enquanto o coração foi o que menos acumulou. A ordem decrescente de absorção na planta foi potássio...

Monitoramento de íons na solução e no extrato de saturação do solo sob aplicação de diferentes concentrações de sais fertilizantes na água de irrigação em bananeira da terra.

Andrade Neto, Torquato Martins de
Fonte: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Publicador: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Relevância na Pesquisa
96.67%
A Fertirrigação possibilita total controle da quantidade de fertilizantes que devem ser aplicados ao solo em função da demanda das culturas. Essa aplicação de sais solúveis ao solo requer o monitoramento de íons para otimização dessa tecnologia. O conhecimento da composição química da solução do solo, bem como da condutividade elétrica é importante para um manejo sustentável da fertirrigação. Nesse aspecto, o monitoramento de nitrato (NO3 -) e potássio (K+) tem enorme importância, pois são dois dos nutrientes vitais ao desenvolvimento da maioria das culturas. A condutividade elétrica do solo pode ser utilizada para quantificar a quantidade de sais presente no solo. O objetivo geral deste trabalho foi avaliar a concentração dos íons na solução do solo e no extrato saturação sob aplicação de diferentes concentrações de sais fertilizantes na água de irrigação em bananeira cv Terra. Foi instalado um experimento no delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 6 x 2, seis concentrações de fertilizantes (1,0; 2,5 e 4,0 g.L-1 de uréia e 13,0; 10,0 e 3,0 g L-1 de nitrato de cálcio) e dois sistemas de irrigação localizada (microaspersão e gotejamento), totalizando 12 tratamentos. A parcela experimental foi representada por 20 plantas de bananeira ‘Terra’...