Página 1 dos resultados de 10 itens digitais encontrados em 0.049 segundos

O Jogo Hermenêutico

Petry, Arlete dos Santos
Fonte: Edições Universidade Fernando Pessoa Publicador: Edições Universidade Fernando Pessoa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
35.92%
Este artigo propõe uma fundamentação do conceito de jogo no contexto da fenomenologia hermenêutica, da hermenêutica filosófica e da teoria dos jogos de linguagem, sendo um contributo para a discussão do que é considerado jogo, quais suas características e sua relevância para uma compreensão da produção de conhecimento. Mostra ainda a presença de tais conceitos no contexto da pesquisa hipermidiática, concebida como forma pragmático-existencial dos modos de ser do Dasein no caminho do pensar (produção de conhecimento). Dado os conceitos desenvolvidos, os aplica, buscando compreender as estruturas práticas presentes na Ópera Quântica, enquanto exercícios vividos de uma profunda experiência estética dos autores, mostrando a relevância de uma reflexão conceitual dentro do mundo e das práticas de produção reflexivas.

O vestido azul: educação e música na infância - ressonâncias antropológicas; The blue dress: education and music in the childhood: anthropological considerations

Espíndola, Luz Marina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
25.8%
Trata-se de dissertação de mestrado que pretende aprofundar a reflexão sobre a música e a educação na infância. Nesse sentido, não se trata de inventariar metodologias do ensino musical ou considerações de caráter técnico-musical para aplicações didáticas, mas a possibilidade de uma educação da infância que tenha como objetivo o encontro entre professor e aluno, a busca de auto-conhecimento e a expressão, através da música. A autora coloca no primeiro capítulo, Parte A, uma abordagem antropológica da música, pensando-se na universalidade dos sons humanos que se ouve e se produz, sugerindo o conceito Fundamentos sonoros do ser para distinguir a música enquanto som, não restringindo-se à canção ou teoria musical. A partir desses fundamentos, coloca-se a Paisagem sonora, enquanto sons que rodeiam o ser humano, distinguindo-se duas qualidades que a constitui, a paisagem sonora natural e a cultural, e a conversão semiótica das paisagens, como um exercício de reconstruir e ressignificar o mundo. Questiona-se a paisagem sonora contemporânea e a importância do resgate mitico no Prelúdio, rumo ao oceano. Para assim, adentrar-se na relação do mito com a música, no Refrão, Música Oceânica, em que se apresenta o conceito da música profunda que habita o ser humano e que o entrelaça na relação pedagógica. Na segunda parte...

O corpo e seus textos : o estetico, o politico e o pedagogico na dança

Elaine Melo de Brito Costa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
45.89%
Neste estudo, o corpo dançante revela-se tanto autor como espaço cênico de inscrição do texto coreográfico. Sua qualidade de autor consiste em escrever o texto em si mesmo. Quanto ao espaço cênico, nele acontece a arte da dança. O objetivo desta pesquisa é compreender os sentidos estético e político do corpo, que revelam a composição coreográfica como um texto, coletivo e dialógico, em construção, escrito pelo corpo. A natureza fenomenológica deste estudo baseia-se em Merleau-Ponty, numa abordagem do corpo vivido e da sua descrição e também em Paul Ricoeur, em sua concepção da hermenêutica, que interpreta a realidade a partir do corpo vivido. Ao interpretarmos o corpo dançante no processo de composição coreográfica – na Gaia Companhia de Dança, em Natal (Brasil) – foram descobertos horizontes de significação e revelados os textos estético e político do corpo na dança. O texto estético enaltece a criação do belo no próprio corpo, assim como a criação cênica pelo mapa interpretativo e pela experimentação significante do movimento, estratégias utilizadas no processo de ensino-aprendizagem da expressão e intencionalidade do movimento. É o Ser dançante que desdobra suas inspirações, seus sentimentos e pensamentos em conhecimento sensível. No texto estético...

Educação física, vivência e experiência corporal

Guimarães, Samuel Macêdo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xiii,175 f.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
26%
Dissertação(mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos. Programa de Pós-Graduação em Educação Física; A Educação Física como espaço de uma perspectiva sensível, com visão crítica e emancipatória, vem construindo-se gradativamente através de estudos reflexivos na área de Teoria e Prática Pedagógica. Muitos cenários estão sendo construídos nos constantes diálogos com teorias do conhecimento. Nesses cenários o campo fenomenológico aponta a necessidade de aprofundamentos filosóficos. Para este trabalho, o tema foi as Vivências Corporais interpretadas como Espaço de Probabilidades e Possibilidades (EPP) do Movimento Humano Sensível. Como um Estilo de Pensamento para o trabalho com o Ser Humano que favorece a relação com a experimentação do corpo. Nessa forma de pensar o Movimento Humano é possível torná-lo mais abrangente, construindo oportunidades de vivenciar tonalidades de percepções a partir das próprias experiências corporais. O processo gerado pela reflexão oportuniza elaborações que podem conduzir o Ser Humano a responder a si mesmo o como está sentindo-se no contexto em que está inserido na vivência. Assim, orientou-se pela questão: Quais são os cenários teórico-interpretativos que fundamentam as Vivências Corporais como EPP para o trabalho na perspectiva de corpo relacional na Educação Física? Teve como objetivo descrever cenários teórico-interpretativos com por base na fenomenologia de Merleau-Ponty. Em sua metodologia se pautou por um estudo bibliográfico que procurou detectar no que foi possível encontrar e elaborar...

Investigación y subjetividad: la complementariedad como posibilidad para investigar en educación

Jaramillo Echeverri, Luis Guilhermo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
SPA
Relevância na Pesquisa
26.25%
Tese de Doutoramento em Educação; 1. PEQUENA ABERTURA Na presente tese tento fazer um corte epistémico/metodológico relativamente ao ensino da investigação, utilizando como eixo fundador uma atitude femomenológica. Trata-se de tentar pôr em situação e com intencionalidade os estudantes de licenciatura e pósgraduação na realização dos seus projectos de investigação. Para esse fim, a tese não se apresenta simplisticamente como uma proposta inédita a aplicar, mas antes, como diz Levinas «provou-se andando», isto é, toma como ponto de partida um texto em que se apresenta um modelo e perspectiva da investigação denominado “A complememtariedad Etnográfica” (o qual vem sendo aplicado desde o ano 1998 em diferentes projectos finais de licenciatura e mestrado e em teses de doutoramento) com a intenção de fazer uma análise do referido texto, vendo as suas fendas ou fissuras e, através da sua desconstrução, poder elaborar uma perspectiva didáctica para formar em investigação a partir da subjectividade. Em tal sentido, a tese apoia-se nas teorizações quer filosóficas da subjectividade, em autores como Levinas, quer epistémico/metodológicas, em autores como Zemelman, Gonzáles Rey e Maffesoli entre outros. Vislumbra-se nos resultados como uma proposta de investigação deve apoiar-se em processos criativos de configuração que permitam aos investigadores articular entre si as diversidades e verificar como estas emergem num tempo e num lugar...

Consciência cósmica: educação transdisciplinar e estética biocósmica configurando a imaginação simbólica e o ser multidimensional

Parode, Valquíria Pezzi
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.04%
A pesquisa movimenta-se no campo das teorias do conhecimento das Artes, sendo construída pelo princípio da “Religação dos Saberes” (Morin, 2002), envolvendo distintas áreas do conhecimento, indo da Física Quântica e da Neurociência, à Psicologia Transpessoal, da Filosofia (Fenomenologia) à Semiótica. O trabalho foi desenvolvido na linha de pesquisa Ensino e Educação de professores. O objetivo da pesquisa foi compreender como a Consciência Cósmica, se manifesta como espectro eletromagnético a partir de diferentes freqüências vibratórias e, enquanto Inteligência Espiritual que se constitui pela alma, como por meio da Educação Transdisciplinar e da Estética Biocósmica, configura a Imaginação Simbólica e o Ser Multidimensional. A proposta vivencial do Curso, instigado a partir da Arte Vibracional, desenvolveu-se por uma abordagem qualitativa de cunho Transdisciplinar (Nicolescu, 2001, Morin, 2000 e Wilber, 1998) e pela Fenomenologia Hermenêutica (Gadamer, 1998), que permite a interpretação da teoria com o processo empírico entendido aqui como vivência. Sua proposta foi possibilitar Experiências Estéticas a partir da Arte, da Educação e da Espiritualidade, caminhos que permeiam a transcendência pelo sensível...

A dupla estrutura do conhecimento: relação entre teoria e compreender prévio do ser-no-mundo em Martin Heidegger

Seibt, Cezar Luís
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.16%
O problema da presente tese é o conhecimento. Contrapõe à metafísica do conhecimento ou às Teorias do Conhecimento a alternativa da fenomenologia hermenêutica de Martin Heidegger. Iniciamos por apresentar alguns elementos fundamentais elaborados pela tradição na busca de solucionar o problema através das diversas teorias explicativas do conhecimento. Mostramos que a tradição metafísica parte da separação entre sujeito e objeto, pressupondo esses dois entes contrapostos que entram na relação cognoscitiva, enquanto o pensamento de Heidegger busca descrever fenomenologicamente o horizonte prévio, o solo fático, dentro do qual se desenvolvem as separações e possíveis teorias. Apresentamos, por isso, a dupla estrutura do conhecimento, sendo que o elemento primário e originário é o compreensivo ser-no-mundo do Dasein e todos os demais comportamentos são dele derivados. O problema mente e mundo, experiência interna e experiência externa, recorrentes e centrais no pensamento moderno são, a partir das contribuições de Heidegger, postos sob nova luz. Se a separação mente e mundo conduz à necessidade de elaboração de teorias para garantir a correspondência ou verdade entre o objeto e o que se diz dele, o conhecer visto a partir da fenomenologia (uma fenomenologia do conhecimento) retorna para a condição fática onde já sempre se está na abertura compreensiva do ser. Neste nível não é preciso justificar ou provar a veracidade...

Que é compreender?: estudo a partir de Hans-Georg Gadamer

Pegoraro, Evandro
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.01%
Esta dissertação tem o objetivo de recriar o conceito de compreensão (Verstehen) na obra Verdade e Método de Hans-Georg Gadamer. Para ele, a compreensão consiste num atributo da experiência de mundo do ser humano. A tese é desenvolvida a partir de dois pressupostos: (i) o conceito de Lebenswelt de Husserl, o qual é condição de possibilidade de conhecimento: antes de ser sujeito cognoscente já se é objeto no mundo; (ii) a contribuição de Heidegger, na definição de fenomenologia como hermenêutica através da retomada do sentido do ser no Dasein, que é conhecida sob o nome de “hermenêutica da facticidade”. Primeiramente, tratase do modo de ser da obra de arte como parâmetro a fim de se investigar o fenômeno da compreensão. Assim como a experiência da obra de arte, o conceito de jogo possui um fim em si mesmo, que se configura enquanto o espectador (o jogador) envolve-se no espetáculo (no jogo). Posteriormente, trata-se de pensar o princípio da historicidade da compreensão, o qual inclui a substancialidade da historicidade do intérprete e a consciência do valor da tradição no ato de compreender textos. Aqui, a reabilitação do preconceito como condição de possibilidade do intérprete torna-se chave.Quando se diz da experiência hermenêutica querse referir à experiência da finitude humana que nunca é repetida...

EDUCAÇÃO, CONHECIMENTO E FINITUDE

Seibt, Cezar Luís; Universidade Federal do Pará
Fonte: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação Publicador: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
65.91%
A complexidade da realidade humana não permite que a razão instrumental esgote explicativamente os elementos que compõe a realidade educacional. Surge a necessidade de uma atitude aberta e atenta para compreender aquilo que se recusa e esconde na cotidianidade.  A fenomenologia hermenêutica é consciência dos limites da racionalidade, postura vigilante, um desafio para a responsabilidade e criatividade na atividade pedagógica.

O CONHECIMENTO COMO MODO DE SER DO SER HUMANO NA FENOMENOLOGIA HERMENÊUTICA

Seibt, Cezar Luis
Fonte: Universidade Federal da Paraíba -UFPB Publicador: Universidade Federal da Paraíba -UFPB
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Pesquisa Bibliográfica Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
116.16%
As reflexões sobre a natureza do conhecimento conduzem, na tradição, a dicotomias, tais como a separação entre o sujeito e objeto, que exigem uma teoria que reaproxime os dois elementos. As teorias do conhecimento são elaborações que procuram fundar e justificar essa relação. Buscamos mostrar que Heidegger, com a sua fenomenologia hermenêutica, na insistência em torno da faticidade e do ser-no-mundo, apresenta uma forma de entender o fenômeno do conhecimento a partir do reconhecimento da condição originária do ser humano, da sua finitude. Neste pensamento dá-se a superação da dicotomia e da exigência de sempre novas fundamentações exteriores ao próprio fenômeno. [doi:http://dx.doi.org/10.7443/problemata.v5i2.20671]