Página 1 dos resultados de 264 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Polifarmácia entre idosos do Município de São Paulo - Estudo SABE; Polypharmacy among the elderly in the city of São Paulo, Brazil - SABE Study

Carvalho, Maristela Ferreira Catão; Romano-Lieber, Nicolina Silvana; Bergsten-Mendes, Gun; Secoli, Silvia Regina; Ribeiro, Eliane; Lebrão, Maria Lúcia; Duarte, Yeda Aparecida de Oliveira
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.03%
Foi avaliado o uso de cinco ou mais medicamentos (polifarmácia) e seus fatores associados por idosos do município de São Paulo. Realizou-se estudo transversal de base populacional: Estudo SABE - Saúde, Bem-estar e Envelhecimento, no ano de 2006. A amostra foi composta por 1.115 idosos com 65 anos e mais, que correspondiam a 422.377 indivíduos do Município de São Paulo. Utilizou-se regressão logística múltipla. A prevalência de polifarmácia foi de 36%. Sexo feminino (OR = 1,7; IC 95%: 1,0; 2,9), idade igual ou superior a 75 anos (OR = 1,9; IC 95%: 1,3; 2,7), maior renda (OR = 1,8; IC 95%: 1,2; 2,8), estar trabalhando (OR = 1,8; IC 95%: 1,1; 2,9), auto avaliação de saúde regular (OR = 1,6; IC 95%: 1,1; 2,3) ou ruim (OR = 2,6; IC 95%: 1,4; 4,9), hipertensão (OR = 2,0; IC 95%: 1,4; 2,9), diabetes (OR = 4,1; IC 95%: 2,2; 7,5), doença reumática (OR = 2,3; IC 95%: 1,5; 3,6) e problemas cardíacos (OR = 2,9; IC 95%: 1,9; 4,5) apresentaram associação positiva com polifarmácia. Usar apenas o sistema público de saúde (OR = 0,5; IC 95%: 0,3; 0,7) associou-se inversamente à polifarmácia. Os medicamentos mais utilizados foram os de ação no sistema cardiovascular e trato alimentar e metabolismo. No âmbito da farmacoepidemiologia...

O uso de medicamentos na gravidez; The use of drugs in pregnancy

Osorio-de-Castro, Claudia Garcia Serpa; Paumgartten, Francisco José Roma; Silver, Lynn Dee
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.03%
O uso de medicamentos na gravidez é cada vez mais intenso, enquanto a prática médica volta-se para a incorporação do conceito de risco. Embora a tragédia da talidomida tenha marcado o início da reflexão sobre a ocorrência de efeitos adversos de medicamentos usados durante a gestação, as percepções dos prescritores, no âmbito da terapêutica medicamentosa na gravidez, ainda oscilam entre a certeza de que tudo é nocivo e a relativa crença de que tudo é seguro até que se prove o contrário. Faz-se necessária a produção de evidências que substanciem as condutas clínicas. O ensaio clínico randomizado é considerado a pedra angular do paradigma da medicina baseada em evidências. Sugerem-se os contextos nos quais a aplicação dos diversos tipos de pesquisa clínica seriam apropriados na gestação e ainda o emprego ampliado da farmacoepidemiologia para a construção de evidências nessa população, por meio de estudos analíticos, em especial a coorte. Entende-se que estes estudos, desde que executados com rigor metodológico, possam oferecer informação balizada, geradora de hipóteses, essenciais para a prática clínica. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Drug utilization during pregnancy is an increasing trend; meanwhile...

Farmacoepidemiologia no Brasil: evolução e perspectivas

Castro,Lia Lusitana Cardozo de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.49%
O presente trabalho apresenta o desenvolvimento da farmacoepidemiologia no Brasil. Enfatiza o papel dos programas de educação continuada em farmacologia coordenados pelo professor Carlos Lacaz, autor do primeiro livro brasileiro sobre doenças iatrogênicas. Ressalta o papel do programa de formação em farmácia clínica da Organização Pan-Americana de Saúde, onde vários profissionais brasileiros tiveram o primeiro contato com o Programa de farmacovigilância por Monitorização Intensiva Hospitalar. Refere também às primeiras teses de doutorado sobre medicamentos defendidas na Universidade de São Paulo. Relata a tentativa da Divisão de Medicamentos do Ministério da Saúde do Brasil de se direcionar para a farmacovigilância. Tece considerações sobre a I Oficina de Trabalho sobre medicamentos organizada pelas Secretarias Municipal e Estadual de Saúde de São Paulo. Enfatiza a criação da Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos, e sua importância como estimuladora da farmacoepidemiologia. Analisa o impulso do setor dinamizado pela implantação dos Centros de Informações de Medicamentos, no país. Conclui que já existem condições para se incrementar a pesquisa farmacoepidemiológica no Brasil.

Avaliação da utilização de medicamentos em pacientes idosos por meio de conceitos de farmacoepidemiologia e farmacovigilância

Pereira,Leonardo Régis Leira; Vecchi,Laura Umbelina Perna; Baptista,Marina Elisa Costa; Carvalho,Dermeval de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
O Conselho Federal de Farmácia tem definido, no Brasil, resoluções que proporcionam um seguimento terapêutico individualizado aos pacientes, avaliando os efeitos adversos, crônicos e agudos, bem como os riscos de um tratamento farmacológico na população em geral, ou em grupos restritos de pacientes. Estudos recentes demonstraram que a prevalência de idosos no Brasil situa-se em torno de 12%. Neste estudo foram avaliados 35 voluntários ­ 33 mulheres e 2 homens ­ por meio de entrevistas sobre os medicamentos utilizados e possíveis problemas relacionados aos medicamentos. Entre os principais medicamentos prescritos para uso crônico, destacam-se: anti-hipertensivos, estrógenos e progesteronas, antidepressivos e ansiolíticos. Dos 35 pacientes avaliados, 24 fazem uso de politerapia, nove utilizam monoterapia e um paciente não utiliza medicamento de forma crônica. Este trabalho além de avaliar a utilização de medicamentos nessa população específica, também buscou identificar interações inadequadas e prestar informações sobre o uso adequado de fármacos.

O uso de medicamentos na gravidez

Osorio-de-Castro,Claudia Garcia Serpa; Paumgartten,Francisco José Roma; Silver,Lynn Dee
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
O uso de medicamentos na gravidez é cada vez mais intenso, enquanto a prática médica volta-se para a incorporação do conceito de risco. Embora a tragédia da talidomida tenha marcado o início da reflexão sobre a ocorrência de efeitos adversos de medicamentos usados durante a gestação, as percepções dos prescritores, no âmbito da terapêutica medicamentosa na gravidez, ainda oscilam entre a certeza de que tudo é nocivo e a relativa crença de que tudo é seguro até que se prove o contrário. Faz-se necessária a produção de evidências que substanciem as condutas clínicas. O ensaio clínico randomizado é considerado a pedra angular do paradigma da medicina baseada em evidências. Sugerem-se os contextos nos quais a aplicação dos diversos tipos de pesquisa clínica seriam apropriados na gestação e ainda o emprego ampliado da farmacoepidemiologia para a construção de evidências nessa população, por meio de estudos analíticos, em especial a coorte. Entende-se que estes estudos, desde que executados com rigor metodológico, possam oferecer informação balizada, geradora de hipóteses, essenciais para a prática clínica.

Uso de registros de assistência farmacêutica do Sistema de Informações Ambulatorial para avaliação longitudinal de utilização e adesão a medicamentos

Soares,Claudia; Silva,Gulnar Azevedo
Fonte: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
OBJETIVO: Descrever o processo de criação de uma coorte de pacientes a partir dos registros de reabastecimento de receitas de um programa de assistência farmacêutica. MÉTODOS: Coorte retrospectiva de pacientes admitidos num programa de assistência em doença de Alzheimer entre 2002 e 2005 no estado do Rio de Janeiro. Os registros de reabastecimento de receitas saíram dos dados de Autorização de Procedimentos Ambulatoriais de Alta Complexidade do Sistema de Informações Ambulatoriais do Sistema Único de Saúde. Foi utilizado o relacionamento probabilístico de dados para identificação das múltiplas entradas de cada indivíduo e o programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) para construção da coorte e das medidas. RESULTADOS: Foi obtida a base cuja unidade de análise é o indivíduo, contendo os dados demográficos, unidade de dispensação, as múltiplas entradas de abastecimento com suas respectivas datas de apresentação, código primário e secundário do CID, o procedimento realizado (nesse caso medicamento e dose por unidade de apresentação) e número de unidades dispensadas. CONCLUSÕES: A base criada com dados secundários permite a avaliação do perfil de utilização e exposição a medicamentos e amplia as possibilidades de pesquisa na área farmacoepidemiologia e avaliação de programas.

Investigação em farmacoepidemiologia de campo: uma proposta para as ações de farmacovigilância no Brasil

Mota,Daniel Marques
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.7%
O presente artigo tem como objetivos propor e descrever a investigação em farmacoepidemiologia de campo como função primordial de farmacovigilância a ser conduzida pelas vigilâncias sanitárias municipais, estaduais e/ou federal frente à notificação, comunicação e ou rumores nos meios de comunicação social de casos de eventos adversos relacionados com medicamentos. Inicialmente fazemos uma contextualização da farmacovigilância, incluindo definição, eventos de interesse e principais funções. Na sequência, descrevemos a investigação em farmacoepidemiologia de campo orientada para a execução dos doze passos da investigação. Logo a seguir, apresentamos uma caracterização geral de investigações em farmacoepidemiologia de campo realizadas no Brasil. Finalmente, argumentamos que a investigação em farmacoepidemiologia de campo constitui importante instrumento para o aperfeiçoamento das ações de farmacovigilância visando a melhoria da segurança de pacientes no país.

Polifarmácia entre idosos do Município de São Paulo - Estudo SABE

Carvalho,Maristela Ferreira Catão; Romano-Lieber,Nicolina Silvana; Bergsten-Mendes,Gun; Secoli,Silvia Regina; Ribeiro,Eliane; Lebrão,Maria Lúcia; Duarte,Yeda Aparecida de Oliveira
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
Foi avaliado o uso de cinco ou mais medicamentos (polifarmácia) e seus fatores associados por idosos do município de São Paulo. Realizou-se estudo transversal de base populacional: Estudo SABE - Saúde, Bem-estar e Envelhecimento, no ano de 2006. A amostra foi composta por 1.115 idosos com 65 anos e mais, que correspondiam a 422.377 indivíduos do Município de São Paulo. Utilizou-se regressão logística múltipla. A prevalência de polifarmácia foi de 36%. Sexo feminino (OR = 1,7; IC 95%: 1,0; 2,9), idade igual ou superior a 75 anos (OR = 1,9; IC 95%: 1,3; 2,7), maior renda (OR = 1,8; IC 95%: 1,2; 2,8), estar trabalhando (OR = 1,8; IC 95%: 1,1; 2,9), auto avaliação de saúde regular (OR = 1,6; IC 95%: 1,1; 2,3) ou ruim (OR = 2,6; IC 95%: 1,4; 4,9), hipertensão (OR = 2,0; IC 95%: 1,4; 2,9), diabetes (OR = 4,1; IC 95%: 2,2; 7,5), doença reumática (OR = 2,3; IC 95%: 1,5; 3,6) e problemas cardíacos (OR = 2,9; IC 95%: 1,9; 4,5) apresentaram associação positiva com polifarmácia. Usar apenas o sistema público de saúde (OR = 0,5; IC 95%: 0,3; 0,7) associou-se inversamente à polifarmácia. Os medicamentos mais utilizados foram os de ação no sistema cardiovascular e trato alimentar e metabolismo. No âmbito da farmacoepidemiologia...

Avaliação do uso de medicamentos na rede pública municipal de saúde de Campo Grande/MS

Cunha,Maria Candia Nunes da; Zorzatto,José Roberto; Castro,Lia Lusitana Cardozo de
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
Em virtude do arsenal terapêutico disponível às populações, é crescente no âmbito mundial a preocupação com o uso racional dos medicamentos. Estudos de Utilização de Medicamentos, atividade da Farmacoepidemiologia, fornecem importantes informações sobre todas as fases do uso dos fármacos em uma sociedade e suas conseqüências, evidenciando como é feita a gestão saúde/doença. Neste estudo objetivou-se avaliar o uso de medicamentos na rede pública municipal de saúde de Campo Grande/MS, empregando a metodologia preconizada pela OMS, através dos Indicadores Selecionados de Uso de Medicamentos. Para o cálculo dos indicadores foram coletados dados em 12 unidades sanitárias no período de Julho/98 a Junho/99. Foram analisadas 1480 prescrições, acompanhadas 1456 consultas e 1498 dispensações e foram entrevistados 735 usuários. Os resultados encontrados são compatíveis com os de outros estudos análogos realizados em diversas regiões do país. No entanto, importantes diferenças entre as equipes no uso de antibióticos e injetáveis sugerem a necessidade de pesquisas mais aprofundadas. A qualidade do atendimento aos usuários deve ser melhorada. E a Lista Local de Medicamentos Essenciais necessita estar sempre atualizada e divulgada entre os prescritores.

A importância e a história dos estudos de utilização de medicamentos

Melo,Daniela Oliveira de; Ribeiro,Eliane; Storpirtis,Sílvia
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
No mundo atual, onde há ampla necessidade de racionalização de recursos, sobretudo nos países mais pobres, esses estudos apresentam-se como alternativa que permite reduzir custos sem perda de qualidade nos tratamentos médicos, além de terem como função detectar possíveis abusos no uso dos medicamentos ou a ocorrência de eventos adversos. Os medicamentos representam boa parcela dos gastos públicos com saúde e não são substâncias inócuas. Essas são as duas principais razões pelas quais, cada vez mais, se reconhece a necessidade e a importância dos estudos que analisam os tratamentos medicamentosos, em especial nos hospitais, e os dados relativos ao consumo em si. Os últimos possibilitam a aplicação da farmacoeconomia e da farmacoepidemiologia como ferramentas no combate à utilização inadequada de medicamentos e a gastos desnecessários. A pesquisa tornou possível confirmar a importância da ocorrência desses estudos, especialmente em hospitais, visando à redução do gasto com medicamentos. A detecção de desvios, ineficácia e eventos adversos com a utilização inadequada de medicamentos possibilita, em nível macro, o desenvolvimento de políticas governamentais e, em nível micro, a realização de intervenções educativas - ambas as medidas tendo como objetivo a utilização dos medicamentos de forma racional.

Estudo descritivo do consumo referido de psicof?rmacos em Ouro Preto Minas Gerais (2006).

Fontes, Renata Aparecida
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.03%
A farmacoepidemiologia em sa?de mental ? incipiente no Brasil. Trabalhos sobre este tema contribuem para a discuss?o sobre a problem?tica de acesso ?s terapias farmacol?gicas dos transtornos mentais, pois permitem entender rela??o de sua utiliza??o com as dimens?es s?cio-demogr?ficas e pol?ticas p?blicas de sa?de. Por isso torna-se importante determinar a preval?ncia e fatores associados ao uso de psicof?rmacos e neste trabalho este procedimento foi realizado pela popula??o residente na zona urbana de Ouro Preto, Minas Gerais. Este foi um inqu?rito epidemiol?gico do tipo transversal com base populacional, por meio de question?rios censit?rios padronizados e testados cujos dados est?o em banco digital. Crit?rios de inclus?o: question?rios que continham ao menos um psicof?rmaco. Os medicamentos foram classificados segundo ATC e realizou-se an?lise estat?stica descritiva para as vari?veis s?cio-demogr?ficas. Foram coletadas informa??es de 24.169 habitantes. A preval?ncia estimada foi de 4,18% (n=1012). Subgrupos terap?uticos mais referidos: psicol?pticos (n=767; 49,1%), psicoanal?pticos (n=540; 34,6%), antiepil?pticos (n=213; 13...

Avaliação do uso de medicamentos na Rede Pública Municipal de Saúde de Campo Grande/MS

Cunha, Maria Candia Nunes da; Zorzatto, José Roberto; Castro, Lia Lusitana Cardozo de
Fonte: Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas Publicador: Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.03%
Em virtude do arsenal terapêutico disponível às populações, é crescente no âmbito mundial a preocupação com o uso racional dos medicamentos. Estudos de Utilização de Medicamentos, atividade da Farmacoepidemiologia, fornecem importantes informações sobre todas as fases do uso dos fármacos em uma sociedade e suas conseqüências, evidenciando como é feita a gestão saúde/doença. Neste estudo objetivou-se avaliar o uso de medicamentos na rede pública municipal de saúde de Campo Grande/MS, empregando a metodologia preconizada pela OMS, através dos Indicadores Selecionados de Uso de Medicamentos. Para o cálculo dos indicadores foram coletados dados em 12 unidades sanitárias no período de Julho/98 a Junho/99. Foram analisadas 1480 prescrições, acompanhadas 1456 consultas e 1498 dispensações e foram entrevistados 735 usuários. Os resultados encontrados são compatíveis com os de outros estudos análogos realizados em diversas regiões do país. No entanto, importantes diferenças entre as equipes no uso de antibióticos e injetáveis sugerem a necessidade de pesquisas mais aprofundadas. A qualidade do atendimento aos usuários deve ser melhorada. E a Lista Local de Medicamentos Essenciais necessita estar sempre atualizada e divulgada entre os prescritores.; ABSTRACT - The rational use of therapeutic drugs is arising as a consequence of an increase in the search for advanced therapeutic drugs. The therapeutic drugs use...

An evaluation of drug use in the municipal health care service of Campo Grande-MS; Avaliação do uso de medicamentos na rede pública municipal de saúde de Campo Grande/MS

Cunha, Maria Candia Nunes da; Zorzatto, José Roberto; Castro, Lia Lusitana Cardozo de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2002 POR
Relevância na Pesquisa
27.03%
The rational use of therapeutic drugs is arising as a consequence of an increase in the search for advanced therapeutic drugs. The therapeutic drugs use, that is a pharmacoepidemiology deal, can give evidence of how a society manage with all steps of therapeutic drugs use and also all consequence of this use. The therapeutic drugs use evaluation can demonstrate how healthyness/ilness link is handled in that society. The aim of this study was an evaluation of therapeutic drugs use at the Campo Grande/ MS public health. WHO indicators were used in this research. The evaluation was done using the medical prescrition indicator. The data were collected in 12 health care units between July 1998 and June 1999. One thousand four hundred eighty prescriptions were analyzed, 1456 medical visits and 1498 dispensations were followed and 735 patients were interviewed. The results were in agreement with other results in other country regions. However, important differences were found in antibiotics and injectable prescritions among different health care unit staffs evaluated. These differences sugested the necessity of more specific studies. The quality of the users attendance must be improved. The Local Essential Drugs List must be always available and also updated to health care unit staff.; Em virtude do arsenal terapêutico disponível às populações...

A importância e a história dos estudos de utilização de medicamentos; The importance and the history of studies on medicine use

Melo, Daniela Oliveira de; Ribeiro, Eliane; Storpirtis, Sílvia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
27.03%
No mundo atual, onde há ampla necessidade de racionalização de recursos, sobretudo nos países mais pobres, esses estudos apresentam-se como alternativa que permite reduzir custos sem perda de qualidade nos tratamentos médicos, além de terem como função detectar possíveis abusos no uso dos medicamentos ou a ocorrência de eventos adversos. Os medicamentos representam boa parcela dos gastos públicos com saúde e não são substâncias inócuas. Essas são as duas principais razões pelas quais, cada vez mais, se reconhece a necessidade e a importância dos estudos que analisam os tratamentos medicamentosos, em especial nos hospitais, e os dados relativos ao consumo em si. Os últimos possibilitam a aplicação da farmacoeconomia e da farmacoepidemiologia como ferramentas no combate à utilização inadequada de medicamentos e a gastos desnecessários. A pesquisa tornou possível confirmar a importância da ocorrência desses estudos, especialmente em hospitais, visando à redução do gasto com medicamentos. A detecção de desvios, ineficácia e eventos adversos com a utilização inadequada de medicamentos possibilita, em nível macro, o desenvolvimento de políticas governamentais e, em nível micro, a realização de intervenções educativas - ambas as medidas tendo como objetivo a utilização dos medicamentos de forma racional.; There is a worldwide concern about rational drug use and medical treatment approach. In developing countries...

Soluciones terapéuticas a consultas de casos críticos

Calvo Barbado,Dulce María; Cires Pujol,Miriam; Delgado Martínez,Ibis
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 ES
Relevância na Pesquisa
27.03%
La atención médica de urgencia constituye uno de los pilares a la hora de evaluar la calidad de los servicios sanitarios de cualquier sistema de salud. Es un área donde el accionar médico requiere preparación, agilidad y solidez de los conocimientos. El paciente grave origina habitualmente la prescripción de fármacos, una tecnología sanitaria que bien utilizada contribuye a mejorar el manejo de estos pacientes. Son también comunes las interrogantes relacionadas con este tipo de paciente en relación con la temática fármaco. La consulta terapéutica como medio de información ha brindado un acompañamiento al accionar de los facultativos de esta área de la medicina. En el presente trabajo se pone a su disposición ejemplos de casos clínicos que han justificado la emisión de consultas por nuestro servicio en el Centro para el Desarrollo de la Farmacoepidemiología.

Estudios sobre los enfermos hipertensos en tratamientos en España durante el periodo 1990 - 1993

García Ruiz,Antonio J.; García Ruiz,Inmaculada; Aranda Lara,Pedro; Montesinos,Ana C.; Martos Crespo,Francisco; Sánchez de la Cuesta,Felipe
Fonte: Revista Española de Salud Pública Publicador: Revista Española de Salud Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/1997 SPA
Relevância na Pesquisa
27.03%
FUNDAMENTO: El objetivo principal de nuestro trabajo ha sido conocer desde la perspectiva de la farmacoepidemiología el uso de los fármacos antihipertensivos en nuestro país con objeto de obtener una estimación cruda del número de enfermos hipertensos en tratamiento en las diferentes Comunidades Autónomas. MÉTODOS: Los datos referentes al consumo de los medicamentos antihipertensivos (monofármacos) desde 1990 a 1993 se han obtenido de la Subdirección General de Asistencia y Ordenación Farmacéutica. La metodología empleada para el cálculo de laEstimación de la Prevalencia de Enfermos-Día en tratamiento con estos fármacos se basa en las recomendaciones de la OMS para los Estudios de Utilización de Medicamentos. Se ha calculado la Estimación de la prevalencia de enfermos-día (EPED), empleándose para su cálculo la Dosis Diaria Definida de cada uno de los fármacos antihipertensivos. RESULTADOS: Los hipertensos en tratamiento con estos fármacos han sido 1.736.937, 1.966.398, 2.226.225 y 2.435.294 durante 1990 a 1993 respectivamente. A final de nuestro estudio, 1993, el número de hipertensos tratados en España se aproxima al 50% del total de hipertensos. Existen diferencias interregionales, así las Comunidades Autónomas de Aragón...

O uso de medicamentos na gravidez

Osorio-de-Castro,Claudia Garcia Serpa; Paumgartten,Francisco José Roma; Silver,Lynn Dee
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
O uso de medicamentos na gravidez é cada vez mais intenso, enquanto a prática médica volta-se para a incorporação do conceito de risco. Embora a tragédia da talidomida tenha marcado o início da reflexão sobre a ocorrência de efeitos adversos de medicamentos usados durante a gestação, as percepções dos prescritores, no âmbito da terapêutica medicamentosa na gravidez, ainda oscilam entre a certeza de que tudo é nocivo e a relativa crença de que tudo é seguro até que se prove o contrário. Faz-se necessária a produção de evidências que substanciem as condutas clínicas. O ensaio clínico randomizado é considerado a pedra angular do paradigma da medicina baseada em evidências. Sugerem-se os contextos nos quais a aplicação dos diversos tipos de pesquisa clínica seriam apropriados na gestação e ainda o emprego ampliado da farmacoepidemiologia para a construção de evidências nessa população, por meio de estudos analíticos, em especial a coorte. Entende-se que estes estudos, desde que executados com rigor metodológico, possam oferecer informação balizada, geradora de hipóteses, essenciais para a prática clínica.

Polifarmácia entre idosos do Município de São Paulo - Estudo SABE

Carvalho,Maristela Ferreira Catão; Romano-Lieber,Nicolina Silvana; Bergsten-Mendes,Gun; Secoli,Silvia Regina; Ribeiro,Eliane; Lebrão,Maria Lúcia; Duarte,Yeda Aparecida de Oliveira
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.03%
Foi avaliado o uso de cinco ou mais medicamentos (polifarmácia) e seus fatores associados por idosos do município de São Paulo. Realizou-se estudo transversal de base populacional: Estudo SABE - Saúde, Bem-estar e Envelhecimento, no ano de 2006. A amostra foi composta por 1.115 idosos com 65 anos e mais, que correspondiam a 422.377 indivíduos do Município de São Paulo. Utilizou-se regressão logística múltipla. A prevalência de polifarmácia foi de 36%. Sexo feminino (OR = 1,7; IC 95%: 1,0; 2,9), idade igual ou superior a 75 anos (OR = 1,9; IC 95%: 1,3; 2,7), maior renda (OR = 1,8; IC 95%: 1,2; 2,8), estar trabalhando (OR = 1,8; IC 95%: 1,1; 2,9), auto avaliação de saúde regular (OR = 1,6; IC 95%: 1,1; 2,3) ou ruim (OR = 2,6; IC 95%: 1,4; 4,9), hipertensão (OR = 2,0; IC 95%: 1,4; 2,9), diabetes (OR = 4,1; IC 95%: 2,2; 7,5), doença reumática (OR = 2,3; IC 95%: 1,5; 3,6) e problemas cardíacos (OR = 2,9; IC 95%: 1,9; 4,5) apresentaram associação positiva com polifarmácia. Usar apenas o sistema público de saúde (OR = 0,5; IC 95%: 0,3; 0,7) associou-se inversamente à polifarmácia. Os medicamentos mais utilizados foram os de ação no sistema cardiovascular e trato alimentar e metabolismo. No âmbito da farmacoepidemiologia...

Farmacoepidemiologia no Brasil: evolução e perspectivas

Castro,Lia Lusitana Cardozo de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.49%
O presente trabalho apresenta o desenvolvimento da farmacoepidemiologia no Brasil. Enfatiza o papel dos programas de educação continuada em farmacologia coordenados pelo professor Carlos Lacaz, autor do primeiro livro brasileiro sobre doenças iatrogênicas. Ressalta o papel do programa de formação em farmácia clínica da Organização Pan-Americana de Saúde, onde vários profissionais brasileiros tiveram o primeiro contato com o Programa de farmacovigilância por Monitorização Intensiva Hospitalar. Refere também às primeiras teses de doutorado sobre medicamentos defendidas na Universidade de São Paulo. Relata a tentativa da Divisão de Medicamentos do Ministério da Saúde do Brasil de se direcionar para a farmacovigilância. Tece considerações sobre a I Oficina de Trabalho sobre medicamentos organizada pelas Secretarias Municipal e Estadual de Saúde de São Paulo. Enfatiza a criação da Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos, e sua importância como estimuladora da farmacoepidemiologia. Analisa o impulso do setor dinamizado pela implantação dos Centros de Informações de Medicamentos, no país. Conclui que já existem condições para se incrementar a pesquisa farmacoepidemiológica no Brasil.

Investigação em farmacoepidemiologia de campo: uma proposta para as ações de farmacovigilância no Brasil

Mota,Daniel Marques
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.7%
O presente artigo tem como objetivos propor e descrever a investigação em farmacoepidemiologia de campo como função primordial de farmacovigilância a ser conduzida pelas vigilâncias sanitárias municipais, estaduais e/ou federal frente à notificação, comunicação e ou rumores nos meios de comunicação social de casos de eventos adversos relacionados com medicamentos. Inicialmente fazemos uma contextualização da farmacovigilância, incluindo definição, eventos de interesse e principais funções. Na sequência, descrevemos a investigação em farmacoepidemiologia de campo orientada para a execução dos doze passos da investigação. Logo a seguir, apresentamos uma caracterização geral de investigações em farmacoepidemiologia de campo realizadas no Brasil. Finalmente, argumentamos que a investigação em farmacoepidemiologia de campo constitui importante instrumento para o aperfeiçoamento das ações de farmacovigilância visando a melhoria da segurança de pacientes no país.