Página 1 dos resultados de 3000 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

TELETUBE: Novo passeio pelos bosques da ficção televisiva

Santana, Fernanda Castilho
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
As narrativas de ficção, emitidas pelos canais de sinal aberto, figuram entre os programas televisivos de maior importância sociocultural, em virtude do inegável êxito conquistado entre os portugueses desde o final dos anos 70. Tendo como ponto de partida esse enquadramento histórico, notamos que a ficção televisiva perpassou diversas fases que acompanharam as alterações do panorama mediático nacional. No contexto atual, torna-se impossível ignorar o contributo da difusão acelerada da tecnologia informática para o surgimento de um novo cenário de produção e divulgação dos textos ficcionais. As alterações do paradigma tecnológico afetam diferentes esferas sociais, todavia no campo da ficção televisiva identifica-se, sobretudo, a tendência para a migração da emissão dos conteúdos da televisão para outras plataformas, com destaque para a visualização online. O aparecimento destes novos pontos de acesso aos conteúdos audiovisuais contribuem, fundamentalmente, para o declínio das audiências da TV. Como reação à consolidação deste cenário tecnocultural, as indústrias produtivas iniciam um processo de materialização das narrativas que extrapola os limites da televisão, integrando multiplataformas e originando novos processos de envolvimento com o universo ficcional. A adesão dos públicos a esta estratégia...

Contatos: a ficção científica no ensino de ciências em um contexto sociocultural.; Contacts: science fiction in science teaching from a sociocultural co context.

Piassi, Luis Paulo de Carvalho
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Este trabalho surgiu de minha experiência pessoal em sala de aula usando ficção científica para lecionar física, astronomia e outros tópicos de ciência. Por aproximadamente quatro anos eu desenvolvi diversas atividades de sala de aula com filmes, romances e contos de ficção científica, empregando-os não apenas para discutir os produtos da ciência - conceitos, leis e fenômenos - mas também os mecanismos da produção do conhecimento científico e a relação entre o trabalho da ciência e o contexto social. A partir destas experiências práticas, investiguei e estudei a respeito da própria ficção científica, como um gênero literário e cinematográfico e empreendi também uma pesquisa sobre as experiências atuais envolvendo a ficção científica em sala de aula. Estes estudos auxiliaram-me a desenvolver instrumentos teóricos de análise para lidar com a ficção científica a partir do ponto de vista do professor de ciência. Tais instrumentos são o conteúdo principal do presente trabalho. Eles foram desenvolvidos a partir da constatação de que as abordagens mais comuns para a ficção científica em aulas de ciências eram baseadas em duas estratégias um tanto ingênuas: a identificação dos erros (ou acertos) conceituais de ciência nas obras de ficção científica ou a discussão dos diversos níveis de distorção em relação a ciência e aos cientistas "reais" nelas apresentadas. Assumindo a ficção científica como uma construção empreendida sobre um discurso social a respeito da ciência foi possível tratar tais "erros" e "distorções" de um outro ponto de vista. Ao invés de distorções...

Física e ficção científica: desvelando mitos culturais em uma educação para a liberdade; Physics and Science Fiction: unveiling cultural myths in an education for freedom

Oliveira, Adalberto Anderlini de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Nosso intuito com este trabalho é responder à questão: por que discutir a ficção científica no ensino de física? Buscando autores que a propõem como instrumento pedagógico, encontramos predominantemente estudos que apontam as narrativas como forma de motivar, cativar os estudantes. Após construirmos um castelo teórico baseado em Paulo Freire, Mikhail Bakhtin, Lev Vygotsky, Thomas Kuhn, dentre outros, percebemos que esse motivar significava, na verdade, seduzir - no sentido de convencer o aprendiz de que a ciência precisa ser aprendida. Ou seja, alguns trabalhos acabam, por meio do cientificismo da ficção científica, levando os estudantes a adorar a ciência, persuadindo-os a venerá-la, em uma devoção submissa. Para nós, essa mística fascinação debilitaria suas autonomias frente às opções que esse saber representa e frente aos limites que ele possui. Por conta disso, e embasados na filosofia freiriana, defendemos a ficção científica justamente como uma forma de apresentar e discutir os mitos culturais que recheiam nosso imaginário, delineando nossas concepções de ciência, tecnologia, civilização, relações humanas, etc. Isto é, propomos a decodificação das narrativas deste gênero inerentemente transdisciplinar em um círculo de cultura composto por uma equipe interdisciplinar responsável pela problematização de nossas maneiras de entender e imaginar o mundo - maneiras que revelam ideologias incorporadas culturalmente desde a infância. Problematização seguida pelo estudo da visão de especialistas (sejam eles físicos...

Quarteto fantástico: ensino de física, histórias em quadrinhos, ficção científica e satisfação cultural; Fantastic four: physics teaching, comic books, scientific fiction and cultural satisfaction

Nascimento Junior, Francisco de Assis
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Dentro da área de Ensino de Ciências é possível identificar a existência da linha de trabalho que advoga o ensino de uma Física detentora de valor Cultural dentro de sala de aula. Trabalhos como os de Zanetic (1989) sugerem que a Física, por não ser desprovida de conteúdo ideológico e político seja ensinada nas escolas públicas dentro de um contexto sociocultural. Neste caminho, pretendemos contribuir para o diálogo entre a Física e a Cultura, em especial a Cultura de Massas, apresentando uma análise do potencial didático apresentado pela Leitura de Histórias em Quadrinhos de Ficção Científica dentro da sala de aula em um curso de Física. Utilizamos como referenciais para a relação entre Física e Cultura os trabalhos de George Snyders (1988) C.P. Snow (1959) e do próprio Zanetic (1989). A relação entre História em Quadrinhos e Educação foi analisada a partir dos trabalhos do prof. Waldomiro Vergueiro (2009) da ECA-USP e de outros estudiosos da área. Para iluminar o laço entre a Ficção Científica e o Ensino de Física, nos baseamos na teoria de análise dos pólos temáticos desenvolvida por Piassi (2007). Como demonstraremos adiante, o diálogo entre a Física, as Histórias em Quadrinhos de Ficção Científica e o período histórico-social que as produz é profundo...

O desenvolvimento da poética eletroacústica na trilha sonora de filmes de ficção científica norte-americanos; The development of electroacoustic's poetic on north-american science fiction movies' soundtracks

Oliveira, Juliano de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Nesta dissertação, buscou-se realizar um estudo histórico e analítico acerca do desenvolvimento da poética e dos processos da música eletroacústica na trilha sonora - principalmente na trilha musical - do cinema de ficção científica norte-americano. A música eletroacústica, a começar por suas primeiras manifestações através dos instrumentos eletrônicos e de técnicas de manipulação de tape magnético, esteve associada, desde o início do cinema sonoro, à ficção científica e ao terror. Na década de 1950, com o início da era de exploração espacial no cinema norte-americano, os sons eletrônicos se associaram ao universo alienígena e às narrativas de futuro. Nos anos seguintes, os gestos e funções indiciais desses primeiros instrumentos foram adaptados aos sintetizadores e às novas gerações de dispositivos eletrônicos. Assim, lentamente se consolidou uma tradição que relacionaria, durante os anos subsequentes, a música eletroacústica às narrativas de suspense, terror e ficção científica. Para entender como se deu a utilização de sons eletrônicos no cinema de ficção científica ao longo do século XX, partimos da exposição de alguns pressupostos metodológicos de análise audiovisual e de música eletroacústica. Estes...

O lugar da ficção - Le lieu de la fiction; Le lieu de la fiction

Kinas, Fernando César
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
O tema central desta pesquisa é a investigação sobre o estatuto da ficção no teatro contemporâneo ocidental. Em sintonia com as transformações sociais da sua época, os contornos do teatro perderam nitidez. Neste momento de questionamentos radicais, a permanência, mutação ou desaparecimento da ficção é uma das características centrais na reconfiguração da arte teatral. Ao diagnosticar o ambiente de desconfiança em relação aos métodos e resultados da representação, investigamos este novo lugar que ocupa, ou pode ocupar, a ficção teatral. Através do debate teórico e da análise de experiências teatrais das últimas três décadas, identificamos uma preocupação com o real e com a inovação formal que não são incompatíveis com um projeto teatral crítico.; Le sujet central de cette recherche est une investigation sur le statut de la fiction dans le théâtre occidental contemporain. En ligne avec les transformations sociales de son temps, les contours du théâtre ont perdu de leur netteté. En ce moment de mise en question radicale, la permanence, la mutation ou la disparition de la fiction est l'une des caractéristiques principales pour la reconfiguration de l'art théâtral. En diagnosticant l'environnement de méfiance par rapport aux méthodes et résultats de la représentation...

Janet Frame : uma escritora de ficção e a ficção de uma escritora : os múltiplos processos da autobiografia estética

Olmi, Alba
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
A escritora objeto desta tese, figura proeminente da literatura neozelandesa, voltou-se ao gênero autobiográfico após um longo percurso na área da ficção, para definir-se como uma primeira pessoa, depois de sua vida particular ter sido insistentemente confundida com sua obra por parte da crítica. Uma questão que logo vem à tona é que praticamente toda ficção resulta ser, até um certo grau, fundamentalmente autobiográfica e que a análise crítica da obra de um escritor possibilita o conhecimento de sua vida. Nosso argumento, opondo-se a esse pressuposto, parte da vida para melhor compreender a obra, evidenciando que Janet Frame manteve um grande distanciamento entre os eventos reais e sua ficcionalização, realizando uma tarefa que a coloca lado a lado dos nomes mais ilustres da literatura ocidental do século XX. Numa atitude comparatista, procuramos extrair os diversos processos de transmutação estética realizados pela escritora, buscando sanar algumas distorções que impediram uma análise mais confiável de sua obra, problematizando, entre outros aspectos, a questão do gênero autobiográfico, da mímese e do realismo ficcional. A manipulação artística da vida particular de Janet Frame foi resgatada por um conjunto de processos...

Literatura de ficção-científica no cinema : a transposição para a mídia fílmica de A Máquina do Tempo de H. G. Wells

Dutra, Daniel Iturvides
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Esta dissertação realiza uma análise do livro A Máquina do Tempo, escrito por H.G. Wells em 1895, e sua transposição fílmica homônima realizada por George Pal em 1960 dentro do escopo do gênero ficção-científica. São analisadas as mudanças que foram realizadas no processo de transposição da literatura para o cinema. Este trabalho discute inicialmente as características do gênero ficção-científica na literatura, como o gênero se diferencia de outros gêneros como a literatura fantástica, por exemplo, e quais são os elementos que compõem a identidade do gênero ficção-científica. Em um segundo momento investigamos os problemas que o gênero ficção-científica apresenta quando transposto a mídia cinematográfica. Entre os fatores investigados estão como a verossimilhança funciona na literatura de ficção-científica e como o leitor se relaciona com ela. Também se analisou como o gênero utiliza o conhecimento científico para criar seus universos ficcionais, e as mudanças que os realizadores fílmicos às vezes precisam fazer para tornar o universo literário ficcional aceitável ao espectador em termos de verossimilhança, considerando que o que é verossímil na literatura não é necessariamente verossímil no cinema...

Da inquisição à ficção: as narrativas do inquérito e os processos da escrita em António Vieira e Lobo Antunes

Fernandes, Alexandre Claudius
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 92 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Estudos Literários - FCLAR; O elo estabelecido entre ficção e inquisição, nas narrativas de António Vieira e no romance de António Lobo Antunes, demonstra uma semelhança em seu processo, ainda que estes autores estejam separados no tempo por quase quatro séculos. Na História do Futuro, o jesuíta forma e transforma a narrativa condicionada ao Tribunal do Santo Ofício. Enquanto se defende das acusações, também redige sua narrativa, produzindo uma realidade paralela na qual acreditava, uma ficção profética, uma especulação (im)possível. Obviamente outros textos circundam a narrativa vieirina, como a Clavis Prophetarum e a Carta Esperanças de Portugal, este último pivô do processo e desencadeador, na retomada da escrita, da História do Futuro. Na outra margem do rio está o romancista contemporâneo António Lobo Antunes, em O Manual dos Inquisidores, que retoma a inquisição, não somente no título, mas, também, em sua forma narrativa. O romance é disposto por confissões e depoimentos e, desta forma, a ficção encontra a inquisição na pena do autor. Vieira e Lobo Antunes miram em vetores distintos, mas se aproximam do alvo partindo da inquisição à ficção.; The association established between fiction and inquisition in António Vieira’s narrative and António Lobo Antunes´ novel...

Eugenia e literatura no Brasil: apropriação da ciência e do pensamento social dos eugenistas pelos escritores brasileiros de ficção científica (1922 a 1949)

Smaniotto, Edgar Indalecio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 131 f. il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Pós-graduação em Ciências Sociais - FFC; Este trabalho tem por objetivo contribuir para as pesquisas referentes ao movimento científico e social conhecido como eugenia, a partir da análise de obras brasileiras de ficção científica publicadas na primeira metade do século XX, particularmente entre os anos de 1922 a 1949. A partir de algumas obras representativas, segundo a crítica especializada da época, buscamos verificar a forma com que o pensamento eugênico foi incorporado às narrativas de ficção científica, dando forma à representação ficcional de mundos utópicos eugenistas. Mapearemos e estudaremos a apropriação da ciência e do pensamento social desses intelectuais eugenistas pelos escritores brasileiros de ficção científica, no período de 1922 a 1949, possibilitando compreender as formas com as quais o discurso eugênico foi incorporado à literatura brasileira e, posteriormente, difundido por ela. Para tanto, buscamos entender os limites da eugenia como ciência, as diferentes formas do gênero ficção científica e as formas de interação entre literatura de ficção científica e eugenia no Brasil e nos Estados Unidos. Dessa forma, teremos um amplo aspecto das interações entre o pensamento social eugenista e o campo literário no Brasil. Sendo assim...

Distorção como artifício ou estratégia : o problema do real no género de Ficção Científica

Ramos, Renata Oliveira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 16/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Integrada no âmbito da especialização em Cinema e Audiovisual do mestrado em Som e Imagem, o desenvolvimento da temática da corrente dissertação assume como o objetivo a reflexão em torno do processo de construção de significado que define o fenómeno cinematográfico enquanto ato de comunicação, tomando como enfoque da investigação o modo como este se efetiva em função da especificidade do cinema de ficção científica. Com efeito, pautando-se pela articulação entre investigações do campo da Psicologia da Arte e da Teoria de Cinema, o trabalho desenvolvido parte da análise em torno da dicotómica natureza fotográfica do cinema e o potencial de subjetividade que surge do ato interpretativo a que esse real irredutível é sujeito quando subordinado à constituição do objeto cinematográfico, mediada por fatores que lhe são externos. Desta forma, pretendeu-se abordar a influência do espetador – como agente ativo neste processo interpretativo – no âmbito da reflexão em torno da distorção que decorre da relação entre realidade e representação, que, por sua vez, surge como base da definição da expressão artística enquanto ato de comunicação (em particular, no Cinema). Com vista ao cumprimento destes objetivos...

Ignorando Deus ou uma visão ateísta na literatura de ficção cientifica

Jesus, Jorge Manuel Lourenço de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Na Ficção Científica, as sociedades ou civilizações que evoluiram utopicamente para estados ou estilos de vida perfeitos, perfilam duas categorias maiores, diametralmente opostas: 1) ou se afastam consciente e voluntariamente de um paradigma religioso 2) ou tendem a criar uma matriz deísta que se constitui como a base de sustentação de toda a sua existência, sem a qual (apenas em teoria, como é sabido) nada sobreviveria. Por outro lado, é nossa convicção que, na vida real, o espaço reservado a uma vertente mais metafísica ou espiritual se rarefaz, porquanto a Ciência vai (lenta, gradual e inexoravelmente) dando resposta a enigmas que os nossos antepassados, durante anos, séculos ou milénios consideravam insolúveis. A perspectiva conivente e intencionalmente redutora transmitida desde sempre pela Religião cria, ainda hoje, uma inércia mental no que diz respeito à demanda de respostas fora de um domínio dogmático, porque determinada pela fé e pelas normas de um qualquer “establishment” religioso... Num enquadramento teórico que contempla um compromisso quase impossível de assumir actualmente entre a Ciência e a Religião, o presente trabalho propôs-se estudar e reflectir sobre concepções de futuro científico-teológicas em várias obras de Ficção Científica...

Terra sem mal : A história e a ficção como promessas de futuro

Cruz, Elcy Luiz da; Cordiviola, Alfredo Adolfo (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Nosso trabalho busca enfocar a diversidade de duas escrituras de fronteiras altamente vulneráveis: a história e a ficção. Na construção dessas escrituras percebemos que a memória e o esquecimento são bases limítrofes, fundando tantas vezes a plurissignificação de ambas. Na tentativa de percorrer as fronteiras dessas escrituras fazemos uma divisão didática com um intuito laboratorial de separar dois corpos para análise colocando a teoria (a história) como componente do esquecimento e a ficção (representada por romances lançados a partir da década de 1990) como pertencendo à memória. Argumentamos com essa divisão que o discurso histórico pode se apresentar inverídico por atender interesses de determinados grupos, enquanto que o discurso de ficção estaria livre deste propósito pela natureza gratuita da obra de arte. Sabemos que essa gratuidade é relativa, o que só comprova que não é tão simples estabelecer divisões entre esses discursos. No aprofundamento do estudo fazemos uma crítica às teorias que versam sobre o fim da história bem como sobre a morte do romance com um debate que envolve historiadores e romancistas e para tal fazemos uso tanto das teorias sobre a história (abrindo debate também com teóricos da pós-modernidade) assim como da ficção (com romances que usam e abusam da intertextualidade...

Sobras seguido de A ficção, a imaginação e a realidade e O amor como ficção

Zeni, Bárbara Seger
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.16%
A parte literária deste trabalho retrata períodos da vida de um homem da adolescência à velhice. O eixo condutor da história é a sua relação com uma amiga de infância, onde entram em jogo suas expectativas e decepções. Nos ensaios teóricos que se seguem (a) explicito meu processo de criação e as influências literárias mais importantes durante o período de escrita; (b) investigo os conceitos de imaginação, ficção e realidade e seu modo de relacionamento. No senso comum, geralmente entendemos que ficção e realidade são conceitos contrários, sendo um o substrato da negação do outro. Mas será que isso é mesmo assim? Para embasar esta reflexão lanço mão dos teóricos H. Vaihinger e W. Iser. O primeiro praticamente iniciou as reflexões sobre o conceito de ficção no sentido de entender a ficção como fazendo parte da realidade, a saber, muitas de nossas ideias mais básicas podem ser entendidas como ficções. Já Iser, desenvolvendo as ideias de Vaihinger, pensa como esta polaridade ficção vs. realidade deveria ser compreendida como um jogo entre o ficcional, o real e o imaginário, cancelando a polaridade, e como consequência, lugares transcendentais da onde estamos acostumados a falar; (c) tento pensar como o amor...

Narragonia 3.0: ficção científica e tecnognose em experimentações narrativas gráficas; Narragonia 3.0: sciencefiction and techgnosis in graphical narrative experiments

CHAVES, Gabriel Lyra
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Cultura Visual; Processos e Sistemas Visuais, Educação e Visualidade Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Cultura Visual; Processos e Sistemas Visuais, Educação e Visualidade
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
This work, done for the area of Visual Poetics and Creation Processes, set out in search of two distinct objectives: a theoretical reflection that embraces the language of comics, science fiction and tecnognose, noting the relationship of these two last elements in comic works of the early 1980s; and create a graphic narrative that reflects what was learned in theoretical deliberation. To do so, I ve examined the elements that constitute the language of comics, watching how they relate to each other in order to convey a message and generate subjective reactions in readers in the context of the story. I ve investigated how this narrative genre is structured, and at what points it approximates or take distances from other narrative genres. I ve also looked for relationships between science fiction and the definition of techgnosis, a concept which ponders about the manifestation of transcendental yearnings among supposedly secular aspects of contemporary culture. Done this theoretical approach, I will analyze two comics: Akira, from Katsuhiro Otomo and Ronin, from Frank Miller, observing the articulation of the concepts brought up to date within these comics. And finally, I will deliberate on how I had built my own fictional universe...

Mundo Real e Mundo Ideal em Rousseau: da Necessidade da Ficção para Pensar o Político

Leone,Maria
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
RESUMO:A hipótese desenvolvida nos leva a confrontar três textos do corpusrousseauísta: o Segundo Discurso, Júlia ou A Nova Heloísa e o extrato do Primeiro Diálogo, em que há a ficção do mundo ideal, textos que, apesar do seu estatuto genérico diferente, estão em coerência e convergência teórica. Desejamos evidenciar um aspecto da unidade problemática do pensamento de Rousseau concernente à abordagem crítica da sociedade de seus contemporâneos e sua concepção do papel das Letras e dos Espetáculos. A preocupação do filósofo é de refundar a natureza humana, a fim de lançar as bases de uma nova organização social. Nessa empreitada, a ficção desempenha um papel crucial, o prefácio do Segundo Discurso o comprova: para bem conhecer o homem atual, deve-se supor o que ele não é mais. O homem do estado de natureza, ser de ficção, cujas paixões são retas e naturais, é o modelo teórico que reativa a sociedade dos seres ideais de Júlia. Dessa forma, a ficção é chamada a desempenhar um papel referencial fundamental para o pensamento social e político de Rousseau, aparecendo como um poderoso meio de ação sobre o público. O romance pode reeducar os povos corrompidos, pois, assim como o teatro, como denuncia a Carta a d’Alembert...

Sob o signo da escritura: ficção-crítica, biografia e história em Haroldo Maranhão; Dans le signe de l’écriture: fiction-critique, biographie et histoire en Haroldo Maranhão

Sales, Paulo Alberto da Silva
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL); Faculdade de Letras - FL (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL); Faculdade de Letras - FL (RG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Dans cette recherche, nous développerons dans un premier temps, une étude interdisciplinaire sur la notion d'écriture que nous avons adoptée à la lecture des oeuvres de Roland Barthes, de Jacques Derrida et d'autres théoriciens post-structuralistes qui pensent le texte comme un « événement » comme un « devenir » et comme une « offre » faite dans le « jeu textuel » arbitrée par l´éternelle répétition avec une différence critique et ironique. L'écriture est, selon l'idée centrale de notre thèse, la notion qui s'applique le mieux à des récits fictifs de la contemporanéité. En effet, ceux-ci contiennent simultanément dans leur structure, des aspects fictionnels, critiques et théoriques. En se repliant sur elle-même, l'écriture présente des aspects auto-conscientset auto-réflexifs, que nous connaissons comme de la métafiction. Grâce au contenu métafictionnel dont s'approprie l'écriture, il y a réfutation de la mimêsis et de la vraisemblance, au sens aristotélicien du terme, pour la représentation de l'ingéniosité de la fiction et dans le même temps, la convocation du lecteur à une participation active dans la construction des sens du texte. Dans ce paradoxe métafictionnel, l'écriture revisite aussi des aspects et des faits de l'historiographie à travers un examen problématisant associé à des stratégies textuelles transgressives comme l'ironie...

"Narrativas itinerantes. Aspectos franco-britânicos da ficção brasileira, em periódicos do século XIX". ; "Itinerant Narratives: French-British aspects of brazilian fiction, in Nineteenth-Century periodicals"

Ramicelli, Maria Eulália
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
A escrita de ficção no Brasil iniciou-se definitivamente em fins da década de 1830. Jornais e revistas do Rio de Janeiro publicaram essas narrativas ao lado de ficção estrangeira (especialmente européia) traduzida. Este trabalho tem dois objetivos centrais: 1)apresentar criticamente o conjunto de textos ficcionais britânicos, traduzidos e publicados em periódicos do Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX, através da análise comparativa da tradução (aqui vista como processo e produto cultural) com os textos originais; 2)avaliar o papel dessa ficção britânica na produção de alguns dos nossos primeiros ficcionistas. O estudo implica discutir o lugar dessa ficção britânica nos jornais e revistas que foram seu meio de circulação: os periódicos britânicos, os brasileiros e a Revue Britannique, revista francesa que se coloca como importante intermediadora nesse percurso. Dessa forma, pretendo contribuir para a discussão das condições de circulação de ficção britânica no Brasil, no século XIX.; The writing of prose fiction in Brazil did not definitely start until the end of the 1830's. These narratives were published in periodicals from Rio de Janeiro side by side with translated (notably European) fiction. This thesis has two main purposes: 1)to critically present the collection of British fictional texts...

Limite de alerta! Ficção cientifica em atmosfera rarefeita : uma introdução ao estudo da FC no cinema brasileiro e em algumas cinematografias off-Hollywood; Alert limit! Science fiction in rarefied atmosphere : an introduction to the study of SF in the brazilian cinema and some off-Hollywood filmographies

Alfredo Luiz Paes de Oliveira Suppia
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
'A Ficção Científica no Brasil: Um planeta quase desabitado.' Esse é o título de um artigo do crítico e escritor Fausto Cunha, referente à literatura de ficção científica, mas que poderia ser aplicado também à análise do gênero no cinema brasileiro. Na Europa, nos EUA e no Japão, o cinema de ficção científica encontra terreno fértil. Sua relevância estética e econômica é evidente, desde o período mudo, sendo até hoje freqüente objeto de estudo. No Brasil, entretanto, a situação é um pouco diferente, uma vez que a ficção científica cinematográfica tem sido frequentemente encarada como algo 'fora de lugar'. Afinal, podemos falar de ficção científica no cinema brasileiro? Esta tese traz uma resposta afirmativa a essa pergunta, muito embora tenhamos de levar em consideração algumas peculiaridades. Ao contrário dos EUA e Europa, o Brasil não tem grande tradição no estudo da ficção científica. Apesar disso, escritores brasileiros de ficção científica têm obtido reconhecimento internacional, e o cinema brasileiro tem tido experiências na produção de filmes do gênero. Por exemplo, manifestações da ficção científica no cinema brasileiro podem ser detectadas em comédias ou chanchadas dos anos 1940/50...

A ficção científica no Brasil nas decadas de 60 e 70 e Fausto Cunha; Science Fiction in Brazil in the 60'-70' and Fausto Cunha

Edivaldo Marcondes Leonardo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
A Ficção Científica enquanto gênero literário tem suas raízes muito remotas, período em o homem se encontrava numa situação muito primitiva. Eram os antigos homens das cavernas, que buscavam explicações para os eventos da natureza que poderiam promover o desenvolvimento ou a destruição de uma comunidade, essas histórias seriam narradas ao redor de uma fogueira, no interior de uma caverna ou simplesmente num campo. O homem sempre desejou alcançar as estrelas, pisar em planetas que só podiam ser observados através de lentes. A Lua tão próxima torna-se um fascínio, e por muito tempo somente conseguem alcança-la através da Literatura de Ficção Científica. Dois momentos históricos impulsionam a produção mundial literária do gênero: a Revolução Industrial, em mais tarde a corrida espacial. No Brasil o período áureo da Ficção Científica ocorreu após a Segunda Guerra Mundial e com a Guerra Fria. Para muitos dos escritores daquele período no mundo e principalmente no Brasil, a Ficção Científica seria a literatura que responderia as indagações da humanidade. Assim poderemos ver nesse trabalho sua ascensão e a produção nas décadas de sessenta e setenta no Brasil. Curiosamente, o gênero que mais vende na indústria cinematográfica é o de Ficção Cientifica...