Página 1 dos resultados de 116 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Extrativismo em área de reserva da biosfera da Mata Atlântica no Rio Grande do Sul : um estudo etnobiológico em Maquiné

Coelho-de-Souza, Gabriela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
As frondes de Rumohra adiantiformis (G.Forest.) Ching, conhecida como “leatherleaf”, “seven-weeks-fern” ou samambaia-preta, são usadas mundialmente em arranjos florais. Na África do Sul e Brasil o comércio da espécie é baseado no extrativismo. No Brasil a coleta é realizada em áreas de Mata Atlântica, sendo que 50% da produção provém das áreas de capoeira das encostas da Serra Geral no Rio Grande do Sul (RS). Atualmente, cerca de 2.000 famílias de agricultores familiares vivem nestas áreas, tendo no extrativismo sua principal fonte de renda. No entanto no RS a coleta, o comércio e o transporte de plantas ornamentais nativas são proibidos, já que nesta zona de transição da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (Maquiné, RS) há grandes restrições quanto à exploração dos recursos naturais. O êxodo rural e o próprio extrativismo estabelecido a partir da década de 70, permitiram a regeneração da Floresta Ombrófila Densa. Como a espécie é característica de estágios sucessionais iniciais, a regeneração florestal está levando à diminuição dos estoques naturais. Este trabalho se propôs a identificar alternativas econômicas para diversificação da economia de famílias de extrativistas, no intuito de minimizar a tensão associada à diminuição dos estoques naturais de samambaia-preta...

Os princípios de justificação em jogo nos conflitos socioambientais : o caso do extrativismo florestal no Litoral Norte do Rio Grande do Sul

Tavares, Francinei Bentes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.67%
No Brasil, uma das principais linhas da investigação social acerca da questão ambiental se desenrola em torno dos denominados conflitos socioambientais, pois há um grande número de situações potencialmente polêmicas em relação a esses aspectos e ao denominado desenvolvimento sustentável, que têm cada vez mais despertado a atenção de setores sociais os mais diversos. Dessa forma, pode-se citar, de maneira específica, o caso das populações extrativistas que vivem nas áreas com presença de vegetação florestal da Mata Atlântica, nas encostas da Serra Geral, no município de Maquiné-RS. Os extrativistas contam com o apoio de outros atores (principalmente organizações não-governamentais de cunho conservacionista e acadêmicos com atuação local) visando uma mudança na legislação que vedava a exploração dos recursos florestais, sobretudo da espécie samambaia-preta (Rumohra adiantiformis (G. Forst.) Ching). A partir da definição de parâmetros de sustentabilidade para a extração, baseados na mensuração do impacto das práticas dos agricultores sobre a referida espécie, realizada através de estudos técnico-científicos, pretende-se regularizar legalmente seu extrativismo no estado. Assim, procura-se no presente trabalho mapear os diferentes atores sociais que participam dessa discussão...

Impacto do corte das macrófitas aquáticas Schoenoplectus californicus e Typha domingensis sobre a fauna de macroinvertebrados : subsídios para o extrativismo sustentável

Silveira, Thiago Cesar Lima
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.73%
Este estudo foi conduzido em um banhado palustre dominado por Typha domingensis na várzea do rio Maquine e na beira da lagoa dos Quadros, colonizada do Schoenoplectus californicus. Ambos os locais estão situados bacia hidrográfica do rio Maquiné, Planície costeira do Rio Grande do Sul, Sul do Brasil. Nestes locais são coletados rametes destas macrófitas como matéria prima para a confecção de artesanato, tendo importância econômica para as famílias da região. Áreas de banhado e beiras de lagoas são consideradas áreas de proteção permanente, tendo seu uso restrito. A pesquisa foi conduzida com o objetivo de se avaliar a resposta da fauna de macroinvertebrados frente ao corte destas macrófitas aquáticas em um experimento de campo e a regeneração vegetal. Os resultados apontam para uma fraca resposta da fauna de macroinvertebrados frente ao distúrbio de corte. As características do distúrbio de corte realizado como a intensidade, freqüência e escala podem não ter sido suficientes para causar uma mudança perceptível. A rápida regeneração vegetal pode ter possibilitado a fraca resposta dos macroinvertebrados. Além disso, é discutido que variáveis ambientais foram importantes durante a condução dos experimentos.; This study was executed in a wetland...

O extrativismo de samambaia-preta : uma alternativa de renda para agricultores familiares da encosta da Mata Atlântica no município de Maquiné (RS)

Acosta Suárez, Jorge Eliécer
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
O Projeto Samambaia-preta (PSP) vem sendo desenvolvido desde o ano 2000, nas áreas de encosta da Floresta Ombrófila Densa, no município de Maquiné, Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Nesta região, estão localizadas as zonas núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (MAB/UNESCO), recebendo várias restrições quanto ao manejo das propriedades. O PSP visava avaliar a sustentabilidade do extrativismo da samambaia-preta, sob o ponto de vista ambiental, social e econômico. A comprovação científica da sustentabilidade ecológica dos sistemas de manejo tradicionalmente utilizados pelos agricultores embasou a construção de uma nova regulamentação, baseada no conhecimento dos agricultores. Apesar deste fato, está sendo registrada pelos agricultores e pesquisadores a diminuição da samambaia, como conseqüência da regeneração dos estádios sucessionais iniciais e médios (capoeira) da Mata Atlântica. Este processo é decorrente da coibição das práticas de manejo tradicionais pela legislação ambiental. Neste contexto, o presente trabalho tem como objetivo: compreender a atividade extrativista da samambaia-preta na área de Encosta da Mata Atlântica, município de Maquiné, e a sua relação com as demais atividades desenvolvidas pelos diferentes tipos de agricultores...

A (in)visibilidade de uma atividade praticada por muitos : o extrativismo e os canais de comercialização de pinhão em São Francisco de Paula, RS

Silva, Camila Vieira da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.74%
O pinhão é uma importante fonte de alimento e renda para comunidades rurais que residem na região de ocorrência da Floresta com Araucária. Embora sua coleta seja praticada por muitos, é pouco conhecida. Diante disto, este estudo objetivou compreender os aspectos históricos, sociais e econômicos relacionados ao extrativismo do pinhão em São Francisco de Paula, RS. Para tanto, utilizou-se a abordagem teórico-metodológica da Teoria de Sistemas Agrários aliada ao estudo sobre os canais de comercialização. A partir da reconstituição e diferenciação da evolução dos Sistemas Agrários de São Francisco de Paula, constatou-se que o pinhão, em tempos pretéritos, estava associado ao livre acesso, sendo este fonte de alimento e renda, principalmente, para os grupos sociais que foram sistematicamente alijados do acesso à terra. No entanto, frente à valorização deste produto em mercados regionais, o extrativismo de pinhão despertou o aumento de interesses de proprietários de terra em explorar esse recurso para si, ocasionando o consequente impedimento ou exigências e contrapartidas para o livre acesso às araucárias. Evidenciou-se, ainda, que esta mudança de postura dos proprietários de terras em relação ao pinhão é decorrente também do processo de cerceamento e vigilância para com as populações locais representados...

Extrativismo vegetal como estratégia de desenvolvimento rural no Cerrado

Melo, Sued Wilma Caldas
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.92%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Agronegócios, 2013.; Esta dissertação tem como objetivo investigar o potencial do extrativismo vegetal em contribuir para as condições de vida das famílias agroextrativistas e para o Desenvolvimento Rural no Cerrado. Este bioma destaca-se por prestar serviços ambientais importantes para o equilíbrio ecológico do planeta e por abrigar um sem-número de comunidades tradicionais que têm na utilização dos seus recursos fonte de sobrevivência física e cultural. Entretanto, encontra-se ameaçado pelo modelo de desenvolvimento hegemônico que, fomentando a expansão da produção de commodities para exportação em sistemas de grandes monoculturas, devasta a sua biodiversidade e dificulta as condições de existência das comunidades que ali vivem e trabalham. O ponto de partida desta dissertação tem ligação com as discussões acerca das implicações negativas em termos ambientais, sociais e econômicos deste desenvolvimento predominantemente economicista e com o debate a ele atrelado a respeito da necessidade de se criar alternativas de ocupação e utilização dos recursos do Cerrado a partir de modelos mais sustentáveis mais sustentáveis e includentes. Iniciativas inseridas na abordagem de desenvolvimento rural que procuram ampliar os objetivos do desenvolvimento para abranger não apenas crescimento econômico...

Extrativismo vegetal ou plantio: qual a opção para a Amazônia?

Homma,Alfredo Kingo Oyama
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.69%
O crescimento do mercado de produtos extrativos tem conduzido a domesticação de plantas e a descoberta de substitutos sintéticos. Outras variáveis como o crescimento populacional, a mudança nos preços relativos, a baixa produtividade da terra e da mão de obra da atividade extrativa conflitam com o aumento dos níveis salariais afetando a sustentabilidade em médio e longo prazos. A criação de mercados verdes e de certificação pode prolongar a existência da economia extrativa, mas fatalmente terá dificuldades de sua manutenção no longo prazo, com o crescimento do mercado. A insistência na manutenção do extrativismo leva a prejuízos para os produtores e consumidores.

Os limites da abordagem clássica dos acidentes de trabalho: o caso do setor extrativista vegetal em Minas Gerais

Câmara,Guilherme Ribeiro; Assunção,Ada Ávila; Lima,Francisco de Paula Antunes
Fonte: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO Publicador: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.38%
Este estudo, baseado na literatura e no estudo de caso que será apresentado, discute as análises clássicas dos acidentes de trabalho, tendo como foco o setor extrativista vegetal, o qual vem registrando elevadas taxas de mortalidade de trabalhadores em todo o mundo. O estudo articulou duas técnicas: pesquisa documental e observações de campo. Os documentos analisados estavam disponíveis em Comissão Parlamentar de Inquérito. Foram observados os trabalhadores organizados em equipes para cortar as árvores de uma empresa do setor foco. Estudou-se o processo de trabalho por meio de técnicas de observação direta dos trabalhadores. Viu-se predominar nos relatórios técnicos consultados a ideologia do ato inseguro como causa dos acidentes analisados. No entanto, as observações do trabalho evidenciaram determinantes externos dos riscos ocupacionais. Foi possível, ao final, identificar modos operatórios de proteção contra os riscos implementados pelos próprios operadores. Os resultados indicam alguns limites das análises clássicas que não consideram o desenvolvimento da tarefa nas zonas de risco, sendo fonte de idéias preconceituosas sobre o comportamento inseguro dos operadores.

A participação do extrativismo vegetal do fruto do imbuzeiro na formação da renda de pequenos agricultores no Nordeste Semi-Árido.

CAVALCANTI, N. de B.; RESENDE, G. M. de
Fonte: Economia Rural, Viçosa, MG, v. 13, n. 2, p. 34-37, abr./jun. 2002. Publicador: Economia Rural, Viçosa, MG, v. 13, n. 2, p. 34-37, abr./jun. 2002.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Este trabalho objetivou identificar a participação do extrativismo vegetal do fruto do imbuzeiro na formação da renda dos pequenos agricultores em duas comunidades da região semiárida da Bahia, no ano de 2000.; 2002

O extrativismo da borracha na Amazônia Ocidental, Brasil.

RODRIGUES, F. M.; TINÔCO, P. B.
Fonte: In: SEMINÁRIO NACIONAL DA SERINGUEIRA, 1984, Salvador, BA. Resumo dos trabalhos. [S.l.]: SUDHEVEA/EMBRAPA/EMBRATER/Banco Econômico, [1984]. p. 128. Publicador: In: SEMINÁRIO NACIONAL DA SERINGUEIRA, 1984, Salvador, BA. Resumo dos trabalhos. [S.l.]: SUDHEVEA/EMBRAPA/EMBRATER/Banco Econômico, [1984]. p. 128.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Analisa-se a estrutura operacional e financeira do extrativismo da borracha oriunda de seringal nativo aos níveis operacionais de seringueiro, de seringalista, de mini-usina e de usinas de beneficiamento de borracha.; 1984

Amazônia brasileira: processo histórico do extrativismo vegetal na mesorregião sul de Roraima

Magalhães, Maria das Graças Santos Dias
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.87%
Esse trabalho tem como objetivo analisar o processo histórico relacionado ao extrativismo vegetal na mesorregião sul de Roraima. Apresenta-se inicialmente um pano de fundo da história da Amazônia, evidenciando a sua relação estreita com o extrativismo vegetal. A seguir, verifica-se as transformações políticas, econômicas e sociais que foi palco o Território Federal do Rio Branco – Roraima, resultante de um planejamento geopolítico e desenvolvimentista. Os resultados da pesquisa permitiram demonstrar que na mesorregião sul de Roraima houve uma mudança significativa do ponto de vista humano, físico-espacial, econômico e social. Destaca-se novas estruturas, aumento populacional, surgimento de várias cidades e vilarejos, passou-se do extrativismo da borracha para madeira. Deixou de existir a figura social do seringueiro e entrou em cena o colono como o novo fornecedor dos produtos florestais. Finalmente, foram discutidos os problemas relacionados às repercussões socioambientais, sendo o desmatamento apontado como o principal problema social. Nesse contexto, o desenvolvimento sustentável surge na prática como alternativa de viabilizar o desenvolvimento socioeconômico da referida mesorregião.; The main purpose of this work is to analyse the vegetable extraction of the smaller regions in the south of Roraima...

A vida dirige o rio: cem anos de ocupa??o cabocla e extrativismo madeireiro no Alto Capim

MEDINA, Gabriel
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Com o avan?o do desmatamento na Amaz?nia brasileira, a comunidade cient?fica internacional tem feito grande esfor?o na busca por formas de aproveitamento da floresta que reconciliem desenvolvimento e conserva??o. Desde o final da d?cada de 1980, os pesquisadores t?m explorado o papel que o extrativismo dos Produtos Florestais N?o Madeireiros (PFNM) pode possuir para a economia, o bem-estar e o meio ambiente dos moradores de ?rea de floresta. Esta disserta??o explora o papel dos PFNM na vida de comunidades rurais em ?reas de fronteiras da atividade madeireira ao longo do Rio Capim, no Estado do Par?. Com o avan?o da ind?stria madeireira sobre novas fronteiras da bacia amaz?nica, muitas comunidades est?o tendo a oportunidade de vender os direitos de explora??o de sua madeira. As comunidades consideram v?rios aspectos para avaliar o valor dos produtos florestais. Al?m do valor s?cio-econ?mico e ecol?gico (valor real), h? um valor relativo que influencia fortemente a forma como os recursos s?o explorados. Este valor relativo ? baseado em representa??es que consideram a import?ncia dos produtos florestais e no contexto em que essas representa??es s?o constru?das. Para explorar essa tem?tica, este trabalho parte do hist?rico de uma comunidade cabocla enfocando na forma como ela se apropriou e explorou seus recursos florestais. Para as fam?lias da comunidade...

O extrativismo de mangaba ? ?trabalho de mulher??: duas situa??es emp?ricas no Nordeste e Norte do Brasil

MOTA, Dalva Maria da; SCHMITZ, Heribert; SILVA J?NIOR, Josu? Francisco da; RODRIGUES, Raquel Fernandes de Ara?jo; ALVES, Jackeline Nakata F.
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.61%
Apesar dos recentes investimentos acad?micos, o trabalho das mulheres ainda ? pouco conhecido, como comprovam as insistentes iniciativas de lembrar a sua import?ncia na vida das mesmas, para ton?-las mais vis?veis e valorizadas. Colabora com este pouco conhecimento o fato de que as categorias habituais de an?lise econ?mica e social, durante muito tempo, omitiram ou negaram as atividades femininas ou as associaram exclusivamente a um universo particular denominado ?os trabalhos das mulheres?, marcados por um grande n?mero de estere?tipos que escamoteiam capacidades adquiridas socialmente. O objetivo do artigo ? analisar a constru??o social da no??o ?trabalho de mulher? a partir da reflex?o de duas situa??es emp?ricas do extrativismo da mangaba praticado, predominantemente, pelas mulheres nas regi?es Norte e Nordeste do Brasil. A pesquisa foi realizada no ano de 2007 nos munic?pios de Indiaroba/SE (Povoado Pontal) e Salvaterra/PA (Ilha de Maraj?). N?o obstante a dist?ncia e as particularidades s?cio-culturais, existe a id?ia de que o extrativismo da mangaba ? ?trabalho de mulher?. Quais os signifi cados atribu?dos a essa express?o em t?o diferentes contextos?; ABSTRACT: Despite recent academic investments, the work of the women is not very well known yet...

Gest?o coletiva de bens comuns no extrativismo da mangaba no nordeste do Brasil

SCHMITZ, Heribert; MOTA, Dalva Maria da; SILVA J?NIOR, Josu? Francisco da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
O artigo analisa a gest?o coletiva de bens comuns no extrativismo da mangaba destacando o acesso aos recursos, os arranjos institucionais e os conflitos sociais entre os atores envolvidos. A pesquisa foi realizada no Nordeste do Brasil a partir de observa??es, entrevistas e dados secund?rios. O trabalho mostra a exist?ncia de remanescentes de mangabeiras bem conservados a partir da gest?o coletiva.; ABSTRACT: This article analyses the collective management of common goods within the context of mangaba fruit collection; it focuses on the access to resources, the institutional arrangements and the social conflicts among the involved actors. The research was undertaken in northeastern Brazil and is based on observations, interviews and secondary data. The study demonstrates the existence of well preserved mangaba trees due to collective management.

Value determinants of plant extractivism in Brazil: an analysis of the data from the IBGE Agricultural Census; Texto para Discussão (TD) 682: Value determinants of plant extractivism in Brazil: an analysis of the data from the IBGE Agricultural Census; Determinantes do valor do extrativismo vegetal no Brasil: uma análise dos dados do Censo Agropecuário do IBGE

Wunder, Sven
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
EN-US
Relevância na Pesquisa
46.44%
Neste trabalho, analisam-se a estrutura e o desenvolvimento da extração vegetal no Brasil. Esse subsetor da agricultura recebeu muita atenção internacional pelo potencial que lhe é atribuído para o uso sustentável das florestas tropicais e de outros ecossistemas naturais, por exemplo, com a colheita de produtos não madeireiros nas reservas extrativistas. A fonte principal de dados utilizada aqui é o último Censo Agropecuário do IBGE (1995/96), o qual se avalia criticamente. A extração no território do Brasil é descrita em termos gerais; especificamente para a Amazônia Legal, as causas da variação de valores entre áreas são analisadas por meio de instrumentos econométricos. O trabalho mostra que a extração vegetal sofreu um declínio estrutural em relação aos cultivos agrícolas, uma tendência que se acelerou na última década. Os valores não madeireiros constituem um menor segmento do setor extrativo e são extremamente concentrados em poucos produtos e em áreas geográficas com características ecológicas especiais, as quais são pouco representativas para as florestas tropicais, num sentido mais amplo. Conseqüentemente, as perspectivas favoráveis para a extração não madeireira, encontradas em estudos de caso anteriores...

Value determinants of plant extractivism in Brazil; Discussion Paper 90 : Value determinants of plant extractivism in Brazil; Determinantes do valor do extrativismo vegetal no Brasil:

Wunder, Sven
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Discussion Paper
EN-US
Relevância na Pesquisa
46.44%
Neste trabalho, analisam-se a estrutura e o desenvolvimento da extração vegetal no Brasil. Esse subsetor da agricultura recebeu muita atenção internacional pelo potencial que lhe é atribuído para o uso sustentável das florestas tropicais e de outros ecossistemas naturais, por exemplo, com a colheita de produtos não madeireiros nas reservas extrativistas. A fonte principal de dados utilizada aqui é o último Censo Agropecuário do IBGE (1995/96), o qual se avalia criticamente. A extração no território do Brasil é descrita em termos gerais; especificamente para a Amazônia Legal, as causas da variação de valores entre áreas são analisadas por meio de instrumentos econométricos. O trabalho mostra que a extração vegetal sofreu um declínio estrutural em relação aos cultivos agrícolas, uma tendência que se acelerou na última década. Os valores não madeireiros constituem um menor segmento do setor extrativo e são extremamente concentrados em poucos produtos e em áreas geográficas com características ecológicas especiais, as quais são pouco representativas para as florestas tropicais, num sentido mais amplo. Conseqüentemente, as perspectivas favoráveis para a extração não madeireira, encontradas em estudos de caso anteriores...

Plantas alimentícias não convencionais ofertadas nas feiras e mercados de Manaus, AM.

SOUSA, S. G. A. de; SOUZA NETA, N. L. de; GARCIA, L. C.
Fonte: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE INTERAMERICANA DE HORTICULTURA TROPICAL, 61., 2015, Manaus. Anais... Brasília, DF: Embrapa, 2015. p. 133. Publicador: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE INTERAMERICANA DE HORTICULTURA TROPICAL, 61., 2015, Manaus. Anais... Brasília, DF: Embrapa, 2015. p. 133.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.56%
As feiras e mercados de Manaus oferecem uma variedade de produtos da horticultura amazônica, que provêm de plantas alimentícias não convencionais (Panc), originárias das Américas ou de outros continentes. São hortaliças e frutas produzidas em hortas de pequena escala, sem o uso de agrotóxicos, ou oriundas do extrativismo vegetal, ou do manejo agroflorestal da agricultura familiar. O presente trabalho objetivou inventariar os produtos denominados de plantas alimentícias não convencionais, ofertados pelas feiras e mercados de Manaus.; 2015

O mercado de amêndoas de babaçu no estado do Maranhão

Gouveia, Vera Maria
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.69%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais, 2015.; As amêndoas de babaçu representam um expressivo recurso do extrativismo vegetal no Brasil, no Maranhão o maio estado produtor, a atividade é essencial para as populações rurais. O presente estudo tem por objetivos: (i) Construir a dinâmica espaço-temporal da produção de amêndoas de babaçu; (ii) Estimar o comportamento da produção e preços das amêndoas de babaçu e tendência no mercado de óleos e (iii) Identificar os determinantes da oferta e da demanda de amêndoas de babaçu. Os resultados da Análise Hot Spot indicam tendências de concentração espaço-temporal das atividades de uso do solo no Maranhão. No extremo noroeste até o litoral ocidental aparece o cold spot para todas as categorias de uso do solo, sendo recoberto por APAs com a finalidade de proteger os ecossistemas lacustres. Somente para a produção de amêndoas de babaçu surge um segundo cold spot a partir de 1992 na confluência das regiões oeste, centro e sul do estado sugerindo a vulnerabilidade do extrativismo do babaçu em relação às outras categorias de utilização das terras. Entre os produtos estudados com relação a concorrência com as amêndoas de babaçu para o mercado de óleos...

Extrativismo vegetal ou plantio: qual a opção para a Amazônia?; Plant extractivism or plantation: what is the best option for the Amazon?

Homma, Alfredo Kingo Oyama
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/zip; application/pdf
Publicado em 01/01/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
56.69%
O crescimento do mercado de produtos extrativos tem conduzido a domesticação de plantas e a descoberta de substitutos sintéticos. Outras variáveis como o crescimento populacional, a mudança nos preços relativos, a baixa produtividade da terra e da mão de obra da atividade extrativa conflitam com o aumento dos níveis salariais afetando a sustentabilidade em médio e longo prazos. A criação de mercados verdes e de certificação pode prolongar a existência da economia extrativa, mas fatalmente terá dificuldades de sua manutenção no longo prazo, com o crescimento do mercado. A insistência na manutenção do extrativismo leva a prejuízos para os produtores e consumidores.; The growing market for forest products has led to the domestication of plants and the discovery of synthetic substitutes. Other variables such as population growth, the change in relative prices, low productivity of land and labor of the extractive activity conflict with the increase in wage levels affecting sustainability in the medium and long term. The creation of green markets and certification can extend the life of the extractive economy, but eventually it will have difficulties in maintaining itself in the long term, with market growth. The insistence on maintaining the extractivism leads to losses for producers and consumers.

O mercado de amêndoas de babaçu no estado do Maranhão

Gouveia, Vera Maria
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.69%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais, 2015.; As amêndoas de babaçu representam um expressivo recurso do extrativismo vegetal no Brasil, no Maranhão o maio estado produtor, a atividade é essencial para as populações rurais. O presente estudo tem por objetivos: (i) Construir a dinâmica espaço-temporal da produção de amêndoas de babaçu; (ii) Estimar o comportamento da produção e preços das amêndoas de babaçu e tendência no mercado de óleos e (iii) Identificar os determinantes da oferta e da demanda de amêndoas de babaçu. Os resultados da Análise Hot Spot indicam tendências de concentração espaço-temporal das atividades de uso do solo no Maranhão. No extremo noroeste até o litoral ocidental aparece o cold spot para todas as categorias de uso do solo, sendo recoberto por APAs com a finalidade de proteger os ecossistemas lacustres. Somente para a produção de amêndoas de babaçu surge um segundo cold spot a partir de 1992 na confluência das regiões oeste, centro e sul do estado sugerindo a vulnerabilidade do extrativismo do babaçu em relação às outras categorias de utilização das terras. Entre os produtos estudados com relação a concorrência com as amêndoas de babaçu para o mercado de óleos...