Página 1 dos resultados de 2245 itens digitais encontrados em 0.071 segundos

Excesso de peso e obesidade nas crianças em idade escolar : prevalência e factores de risco

Casado, Sara Cristina de Almeida
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
116.24%
Este trabalho tem como objectivos gerais (1) determinar a prevalência de excesso de peso e da obesidade nas crianças em idade escolar do concelho de Mira e (2) investigar a associação entre o Índice de Massa Corporal das crianças (IMC) e o aleitamento materno, o peso à nascença, o IMC parental e o estatuto socioeconómico dos pais. A amostra envolve as crianças que frequentam o ensino básico no concelho de Mira autorizadas pelo seu encarregado de educação. É (1) efectuada uma medição do peso e da altura da criança e (2) um inquérito dirigido aos pais de forma a determinar a duração do aleitamento materno, o peso da criança à nascença, o IMC dos pais e o respectivo estatuto socioeconómico. O excesso de peso e a obesidade representam 35,7% das crianças medidas, sendo que a obesidade representa 16,3%. A grande maioria dos inquiridos do estudo encontra-se nas classes média baixa, média e média alta num total de 93,4%.As crianças que nasceram com peso favorável totalizam 81,1% da amostral. A percentagem de crianças com baixo peso é de 8,4 % enquanto a de excesso de peso é de 9,7%. As percentagens de tempo de amamentação insuficiente e favorável estão próximas, sendo a primeira de 42,7% e a segundo de apenas um pouco mais...

Associação entre excesso de peso e hábito de fumar, Santarém, PA, 2007; Association between overweight and smoking habits, Santarém, PA, 2007

SÁ, Naíza Nayla Bandeira de; MOURA, Erly Catarina
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
126.28%
OBJETIVO: Estudar associação entre excesso de peso e hábito de fumar. METODOLOGIA: Estudo transversal desenvolvido por telefone numa amostra probabilística de adultos (Santarém /PA), em 2007. Variável desfecho foi excesso de peso, explanatória hábito de fumar e de confusão idade, escolaridade, união conjugal, estado nutricional prévio, abuso de bebidas alcoólicas, atividade física no lazer e padrão alimentar. Associação entre excesso de peso e demais variáveis foi investigada pelo teste do qui-quadrado e regressão de Poisson para o cálculo das razões de prevalência de excesso de peso conforme hábito de fumar, considerando-se três níveis de hierarquia: características sociodemográficas, estado nutricional prévio e padrão comportamental. RESULTADOS: Verificou-se 40,6% de excesso de peso e 16,4% de fumantes. As variáveis associadas ao excesso de peso foram: maior idade, menor escolaridade, união conjugal estável, excesso de peso aos 20 anos e hábito de não consumo de refrigerante para ambos os sexos; não ativo no lazer para homens e hábito de fumar (atual e passado) para mulheres. As razões de prevalência de excesso de peso não apresentaram associação com hábito de fumar para homens, porém para mulheres houve tendência de maior prevalência de excesso de peso para fumantes atuais...

"Estudo das características alimentares de crianças e adolescentes com excesso de peso e de seus cuidadores em uma Unidade Básica de Saúde do Município de Uberlândia, Minas Gerais" ; “Study of the alimentary characteristics of children and adolescents with overweight and of its take careers in a Basic Unit of Health of the City of Uberlândia, Minas Gerais.”

Rezende, Camila Azenha Alves de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
116.19%
Este estudo teve como objeto, crianças e adolescentes com excesso de peso (20 do sexo feminino, 41 do masculino) e seus 61 cuidadores (55 do sexo feminino, 6 do masculino), usuários do Centro de Saúde Escola de peso e seus cuidadores, usuários do Centro de Saúde Escola Jaraguá em Uberlândia-MG. Constitui-se como objetivo, investigar características alimentares destes usuários, como uma contribuição ao estudo da obesidade nesta população. O método adotado foi o descritivo, por meio de uma amostra de conveniência. O instrumento utilizado foi um questionário fechado composto de dez partes. O armazenamento de dados foi feito no programa “Epidate”. A análise dos dados foi feita pelo programa estatístico “Epinfo 6.0” e pelo “Excel”. Foram feitas correlações de Spearman, Pearson, e Contingência para verificar associação de variáveis entre os cuidadores e as crianças e adolescentes com excesso de peso. Os resultados desta investigação indicam que apesar das crianças e adolescentes e suas famílias fazerem pelo menos as refeições principais, e terem horário determinado para fazê-las, há erro alimentar (excesso de carboidratos e gorduras, alimentos com alta densidade calórica principalmente na colação...

EXCESSO DE PESO E A OBESIDADE INFANTIL NUMA ESCOLA PORTUGUESA: SUAS CAUSAS E DETERMINANTES PARA O ESBOÇO DE UM PROJETO DE INTERVENÇÃO

Faria, Filipa; Bonito, Jorge
Fonte: Departamento de Psicologia e Educação da Universidade da Beira Interior Publicador: Departamento de Psicologia e Educação da Universidade da Beira Interior
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
116.18%
Com o objetivo de conhecer um projeto de intervenção na área da educação para a saúde contra o excesso de peso e a obesidade nos alunos do 5.º ao 9.º ano, de uma escola em Arruda dos Vinhos, é fundamental fazer-se um bom diagnóstico da realidade, identificando de que forma os hábitos alimentares e de atividade física, o tempo usado a ver televisão, a usar o computador e a jogar consola, assim como as crenças e atitudes dos pais acerca do peso e da alimentação saudável interferem no excesso de peso e na obesidade destas crianças. Dos 432 alunos que participaram no estudo, 53,5% eram do sexo feminino. Os resultados relativos ao Índice de Massa Corporal dos alunos indicaram que, na população em estudo, 31,7% dos alunos apresentavam peso em excesso, dos quais 10,5% eram obesos. A prevalência de excesso de peso e obesidade era superior nos alunos mais novos e nas raparigas, no entanto eram os rapazes os mais obesos. Em virtude dos resultados, identificaram-se como áreas de intervenção, a melhoria dos hábitos alimentares, o aumento dos níveis de atividade física e a diminuição das atividades de lazer sedentárias dos alunos, bem como intervenções ao nível das crenças, atitudes e comportamentos dos alunos e dos pais. É sabido que mudar atitudes e comportamentos...

Excesso de peso e obesidade em escolares: associação com fatores biopsicológicos, socioeconômicos e comportamentais

Guimarães,Adriana Coutinho de Azevedo; Feijó,Isabela; Soares,Amanda; Fernandes,Sabrina; Machado,Zenite; Parcias,Sílvia Rosane
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
116.19%
OBJETIVO: Verificar a associação dos fatores biopsicológicos, socioeconômicos e comportamentais em escolares com excesso de peso e obesidade. SUJEITOS E MÉTODOS: A amostra foi constituída por 393 escolares da rede pública e privada de florianópolis/sc, com idade 9,9 ± 1,7 anos, sendo 41% do sexo masculino. foi aplicado um questionário adaptado de oliveira e cols. em forma de entrevista e realizada a avaliação antropométrica (massa corporal e estatura) para o cálculo do índice de massa corporal (imc) e classificação de excesso de peso e obesidade conforme conde e monteiro. RESULTADOS: Em relação à distribuição de obesidade e excesso de peso por sexo, verificou-se uma distribuição equitativa entre as meninas, enquanto nos meninos o excesso de peso representou 77% da amostra. houve associações entre sexo feminino, estrato econômico, etnia, escola e qualidade dietética, com valores de p variando de < 0,001 a 0,003. CONCLUSÃO: os fatores biopsicológicos, socioeconômicos e comportamentais parecem interferir no excesso de peso e na obesidade em escolares de florianópolis.

Alguns fatores associados a excesso de peso, baixa estatura e déficit de peso em menores de 5 anos

Vitolo,Márcia R.; Gama,Cíntia M.; Bortolini,Gisele A.; Campagnolo,Paula D. B.; Drachler,Maria de Lourdes
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
116.21%
OBJETIVO: Examinar fatores socioeconômicos e outras condições de vida familiar associadas a excesso de peso, baixa estatura e baixo peso para a estatura em menores de 5 anos. MÉTODOS: Estudo transversal avaliou 3.957 crianças entre 1 mês e 5 anos de idade durante campanha nacional de imunização no município de São Leopoldo (RS) em 2002. As condições socioeconômicas e de saneamento das áreas de abrangência das unidades de saúde foram agrupadas por análise de cluster dos setores do censo populacional de 2001. RESULTADOS: Déficit de peso para estatura ocorreu em 2,6% das crianças, baixa estatura em 9,1% e excesso de peso em 9,8%. A regressão logística multivariada sugere que os fatores associados à chance de excesso de peso foram: área de condições socioeconômicas alta (RC = 1,47; IC95% 1,09-1,96), filhos únicos (RC = 1,44; IC95% 1,00-2,07) e peso ao nascer ≥ 2.500 g (RC = 2,21; IC95%1,27-3,83). A chance de déficit de peso associou-se ao baixo peso ao nascer (RC = 3,46; IC95% 2,06-5,80) e idade da mãe < 20 anos (RC = 1,99; IC95% 1,09-3,62). A baixa estatura associou-se à área de condições socioeconômicas baixas (RC = 2,36; IC95% 1,51-3,69), três ou mais irmãos (RC = 3,12; IC95% 2,18-4,47), peso ao nascer < 2.500 g (RC = 3...

Prevalência e determinantes do excesso de peso em pré-escolares

Menezes,Risia Cristina Egito de; Lira,Pedro Israel Cabral de; Oliveira,Juliana Souza; Leal,Vanessa Sá; Santana,Sandra Cristina da Silva; Andrade,Sonia Lucia Lucena Sousa de; Filho,Malaquias Batista
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
116.22%
OBJETIVO: Identificar a prevalência do excesso de peso e sua associação com as condições socioeconômicas, ambientais, bens de consumo, estado nutricional materno e assistência à saúde em pré-escolares. MÉTODOS: Estudo transversal com 954 pré-escolares do estado de Pernambuco, no ano de 2006. Foi realizada regressão logística múltipla, utilizando-se o modelo hierarquizado. Razões de chances de excesso de peso (bruta e ajustada para confundimento) foram calculadas para cada variável de exposição. RESULTADOS: A prevalência de excesso de peso foi de 8,1% para o estado e 9% para a região metropolitana de Recife (PE). No interior urbano e rural, foram encontradas prevalências de 9,7 e 6,8%, respectivamente. Maiores prevalências de excesso de peso foram observadas entre crianças pertencentes a famílias com melhores condições socioeconômicas: maior renda familiar per capita e nível de escolaridade, acesso a bens de consumo, melhores condições de moradia e saneamento básico e de assistência à saúde. O modelo final de regressão logística múltipla indicou que a escolaridade materna, os bens de consumo e o índice de massa corporal da mãe foram os fatores que melhor explicaram o excesso de peso das crianças. CONCLUSÕES: As prevalências do excesso de peso superam as de desnutrição entre pré-escolares no estado...

Excesso de peso em crianças de pré-escolas: prevalência e fatores associados

Schuch,Ilaine; Castro,Teresa G. de; Vasconcelos,Francisco de A.G. de; Dutra,Carmem L.C.; Goldani,Marcelo Z.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
116.22%
OBJETIVO: Estudar a prevalência e os fatores associados ao excesso de peso em crianças matriculadas em escolas públicas dos estados do Rio Grande do Sul (RS) e Santa Catarina (SC). MÉTODOS: Realizou-se estudo transversal com crianças de idade entre quatro e seis anos. O desfecho estudado foi o excesso de peso, definido através do escore Z > 2DP para o Índice de Massa Corporal (IMC)/idade, em comparação com a população de referência da OMS 2006/2007. As medidas antropométricas de massa corporal e altura foram aferidas em duplicata, utilizando-se técnicas padronizadas conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS). Os dados foram duplamente digitados utilizando o software EPI-INFO, versão 6.04. Foram calculadas frequências absolutas e relativas e médias (DP). Associações entre excesso de peso e demais variáveis foram avaliadas em modelo de Poisson de variância robusta. Foi utilizado o programa STATA versão 12.0 (p < 0,05). RESULTADOS: Foram avaliadas 4.914 crianças (RS 2.578 e SC 2.336). No RS, o excesso de peso foi de 14,4% (IC 95% = 13,1-15,8%) e, em SC, de 7,5% (IC 95% = 6,5-8,7%). As variáveis que apresentaram associação com o excesso de peso foram: número de moradores no domicílio; escolaridade materna; situação conjugal; número de filhos; idade materna ao nascimento do primeiro filho; idade gestacional; e o peso ao nascer. CONCLUSÃO: As crianças matriculadas nas pré-escolas públicas do RS apresentaram uma prevalência de excesso de peso duas vezes maior do que a identificada em SC...

Prevalência de excesso de peso e hipertensão arterial, em população urbana de baixa renda

Feijão,Adelina Maria Melo; Gadelha,Francisco Vieira; Bezerra,Antonio Alberto; Oliveira,Antonio Maurício de; Silva,Maria do Socorro Sombra; Lima,José Wellington de Oliveira
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
116.12%
OBJETIVO: Estudar a relação entre massa corporal e pressão arterial em população urbana de baixa renda. MÉTODOS: Estudo transversal desenvolvido em amostra representativa de uma comunidade urbana de baixa renda, no período de julho a dezembro/1998. De um total de 224 quadras, 67(30%) quadras foram selecionadas com indivíduos de ambos os sexos, com idade > 30 anos. A pressão arterial, o peso e a altura foram medidos, e através de questionário, obtidas informações sobre sexo, idade, renda familiar, escolaridade e ocupação. Foi calculado o índice de massa corporal (IMC), dividindo-se o peso (quilograma) pela altura (metro) elevada ao quadrado e considerado normal IMC<25; como sobrepeso 25 30. Adicionalmente, excesso de peso foi definido como IMC> 25, hipertensão arterial foi definida como uma pressão sistólica > 140 mm Hg e diastólica > 90 mm Hg. RESULTADOS: Em 1078 domicílios, residiam 1.137 indivíduos elegíveis, e foram obtidas informações completas de 1.032 (91%) pessoas. A prevalência de hipertensão arterial e de excesso de peso foi 22,58% e 51,26% respectivamente. Antes de ajustar, o OR de hipertensão arterial foi 1,85 (IC 95%: 1,52-2,25) para os indivíduos com sobrepeso e 3...

Fatores associados ao excesso de peso em crianças brasileiras menores de cinco anos

Meller,Fernanda de Oliveira; Araújo,Cora Luiza Pavin; Madruga2,Samanta Winck
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
116.24%
O objetivo do estudo foi identificar os fatores associados ao excesso de peso em crianças brasileiras menores de cinco anos. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS) de 2006, um estudo transversal de base domiciliar. O diagnóstico do excesso de peso baseou-se no índice peso-para-altura superior a 2 escores z acima da mediana do padrão antropométrico da Organização Mundial de Saúde - 2006. A população estudada constituiu-se de 4.388 crianças. A prevalência de excesso de peso nas crianças foi descrita segundo variáveis socioeconômicas, demográficas, antropométricas e comportamentais. Foram realizadas análises bruta e ajustada através da Regressão de Poisson e todas foram estratificadas pelo sexo da criança. A prevalência de excesso de peso foi de 6,6%. Após análise ajustada, o índice de massa corporal materno e o peso ao nascer foram associados ao excesso de peso. Além disso, o excesso de peso mostrou-se associado ao tempo de amamentação exclusiva, nos meninos e ao nível socioeconômico e situação conjugal, nas meninas. Enfatiza-se a necessidade da implementação de políticas públicas que atuem...

Associação entre excesso de peso e consumo de feijão em adultos

Silva,Sara Araújo; Santos,Priscilla de Nazaré Silva dos; Moura,Erly Catarina
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
116.23%
OBJETIVO: Avaliar associação entre excesso de peso e consumo de feijão em adultos. MÉTODOS: O estudo constou de indivíduos adultos (>18 anos), moradores em Belém (PA), em 2005. A amostragem foi realizada por sorteio de residências com telefone fixo e de um morador adulto de cada casa sorteada. A variável desfecho foi excesso de peso, a variável explanatória consumo de feijão e as variáveis de controle foram idade, escolaridade e situação conjugal, além de atividade física no lazer e hábitos alimentares de risco. A análise dos dados foi feita pelo teste do qui-quadrado e por regressão logística. RESULTADOS: Foram avaliados 2 352 indivíduos (39,8% do sexo masculino). O excesso de peso atingiu mais os homens, 49,3%, do que as mulheres, 34,0% (p<0,001). A prevalência de excesso de peso apresentou associação direta com idade em ambos os sexos e com escolaridade para homens, para as mulheres a associação com a escolaridade foi inversa. A variável referente ao consumo alimentar que melhor se associou com excesso de peso foi o consumo de feijão. Após ajuste para as demais variáveis, o risco de excesso de peso foi cerca de 1,4 vez maior para os homens que consomem feijão menos do que cinco vezes na semana, porém o inverso para as mulheres. CONCLUSÃO: Os resultados indicam a necessidade de estudos mais controlados para melhor entendimento da associação entre consumo de feijão e excesso de peso.

Associação entre excesso de peso e hábito de fumar, Santarém, PA, 2007

Sá,Naíza Nayla Bandeira de; Moura,Erly Catarina
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
116.28%
OBJETIVO: Estudar associação entre excesso de peso e hábito de fumar. METODOLOGIA: Estudo transversal desenvolvido por telefone numa amostra probabilística de adultos (Santarém /PA), em 2007. Variável desfecho foi excesso de peso, explanatória hábito de fumar e de confusão idade, escolaridade, união conjugal, estado nutricional prévio, abuso de bebidas alcoólicas, atividade física no lazer e padrão alimentar. Associação entre excesso de peso e demais variáveis foi investigada pelo teste do qui-quadrado e regressão de Poisson para o cálculo das razões de prevalência de excesso de peso conforme hábito de fumar, considerando-se três níveis de hierarquia: características sociodemográficas, estado nutricional prévio e padrão comportamental. RESULTADOS: Verificou-se 40,6% de excesso de peso e 16,4% de fumantes. As variáveis associadas ao excesso de peso foram: maior idade, menor escolaridade, união conjugal estável, excesso de peso aos 20 anos e hábito de não consumo de refrigerante para ambos os sexos; não ativo no lazer para homens e hábito de fumar (atual e passado) para mulheres. As razões de prevalência de excesso de peso não apresentaram associação com hábito de fumar para homens, porém para mulheres houve tendência de maior prevalência de excesso de peso para fumantes atuais...

Prevalência e fatores associados ao excesso de peso em adolescentes de Salvador, Bahia, Brasil

Frainer,Deivis Elton Schlickmann; Silva,Maria da Conceição Monteiro da; Santana,Mônica Leila Portela de; Santos,Nedja Silva dos; Oliveira,Lucivalda Pereira Magalhães de; Barreto,Mauricio Lima; Assis,Ana Marlúcia O
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
116.19%
OBJETIVO: Estimar a prevalência e identificar fatores associados ao excesso de peso em adolescentes. MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal. Foram selecionados 426 adolescentes de 10 a 18 anos, da cidade de Salvador, região Nordeste do Brasil, por um processo de amostragem por conglomerados, aleatória em três estágios. Os dados sobre a frequência de consumo alimentar e atividade física, maturação sexual, medidas antropométricas e covariáveis foram coletados. O estado nutricional foi classificado por meio dos pontos de corte baseados no índice de massa corporal de crianças e adolescentes brasileiros. As características sexuais secundárias foram autorreferidas pelos avaliados. Os adolescentes que realizaram mais de 300 minutos de atividade física moderada por semana, foram considerados fisicamente ativos. A etnia foi classificada pela cor da pele e atributos físicos. RESULTADOS: A prevalência de excesso de peso para ambos os sexos foi de 14,3%. Estimou-se que a maturação sexual precoce (Razão de Prevalência ajustada = 2,12, IC95% = 1,10-4,05) e insuficientes níveis de atividade física (RP ajustada = 1,85, IC95% = 1,01-3,41), ajustados pela idade (RP ajustada = 1,77, IC95% = 0,97-3,24), são associados, de forma independente...

Associação entre fatores socioeconômicos, maternos e biológicos com o excesso de peso em menores de cinco anos de uma região semiárida do nordeste brasileiro

de Arruda Moreira, Marcella; Israel Cabral de Lira, Pedro (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116.25%
O estado de Alagoas é o que apresenta os piores indicadores econômicos e sociais, quando comparado aos demais estados brasileiros. Sua região semiárida sem dúvida é uma região de maior vulnerabilidade, onde os problemas inerentes ao estado são agravados. Apesar das condições adversas, a prevalência de desnutrição infantil diminuiu na região, ao passo que houve um aumento nos casos de obesidade. O aumento na prevalência do excesso de peso infantil é preocupante devido ao risco elevado que essas crianças têm de tornarem-se adultos obesos, além de várias condições mórbidas associadas à obesidade e suas consequências em termos de saúde e qualidade de vida, tanto em curto como em longo prazo. Estudos têm buscado identificar entre as variáveis econômicas, sociais, ambientais e biológicas os fatores associados à ocorrência do excesso de peso, possibilitando desta maneira, delinear o ambiente em que a criança vive. O presente estudo é apresentando sob a forma de artigo original com objetivo de avaliar a associação entre o excesso de peso e fatores socioeconômicos, maternos e biológicos em menores de cinco anos em uma região semiárida do nordeste brasileiro. Estudo do tipo transversal analítico. A amostra foi composta por 963 crianças de ambos os sexos com idade média de 27...

Evolução e determinantes da desnutrição e do excesso de peso em crianças no Estado de Pernambuco

Cristina Egito de Menezes, Risia; Israel Cabral de Lira, Pedro (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116.25%
O Brasil tem experimentado uma transição nutricional, nos últimos anos, com um marcante aumento da prevalência de sobrepeso e obesidade da população, nas diferentes fases do curso da vida, sem que a desnutrição e outros problemas carenciais tenham sido superados, inclusive com prevalências do excesso ponderal bem mais preocupantes que a própria desnutrição. Objetivou-se, assim, descrever a evolução e os determinantes do deficit estatural de menores de cinco anos nos, em 1991, 1997 e 2006 e identificar a prevalência do excesso de peso e fatores associados, no ano de 2006, em pré-escolares no Estado de Pernambuco. A análise da prevalência e dos fatores associados ao deficit estatural (estatura-para-idade < -2 escore Z) e ao excesso de peso (Índice de Massa Corporal/Idade ≥ 2 escores Z) incluiu: condições socioeconômicas, características materna e da criança e de assistência à saúde. Foi realizada regressão logística múltipla, utilizando-se o modelo hierarquizado. Razões de Chance bruta e ajustada para confundimento foram calculadas para cada variável de exposição. Em relação à desnutrição, a prevalência do deficit estatural das crianças pernambucanas nos anos de 1991, 1997 e 2006 foi de 24...

Prevalência de excesso de peso e fatores associados em idosos assistidos em unidade gerontogeriátrica

Maria Ribeiro de Vasconcelos, Celia; Paula de Oliveira Marques, Ana (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116.25%
INTRODUÇÃO: O excesso de peso e sua associação às outras doenças crônicas não transmissíveis representam, na atualidade, um problema de saúde pública de magnitude considerável. O conhecimento do estado nutricional e das condições de saúde dos idosos possibilita a detecção de riscos e agravos à saúde desses indivíduos, sendo de grande utilidade na estruturação de estratégias de intervenção ajustadas aos mais velhos. OBJETIVO: Determinar a prevalência de excesso de peso em idosos assistidos em Unidade Gerontogeriátrica e sua associação com variáveis sociodemográficas, condições de saúde saúde autopercebida, hipertensão arterial (HAS), diabetes mellitus (DM) entre outras comorbidades , imagem corporal autopercebida e comportamentos adotados. MÉTODO: Estudo de corte transversal quantitativo. A amostra correspondeu a 214 idosos de ambos os sexos, selecionados aleatoriamente, cadastrados entre janeiro de 2004 e agosto de 2009. Para coleta dos dados, utilizou-se um roteiro de entrevista estruturado com questões fechadas e semiabertas. O diagnóstico de excesso de peso foi definido pelo Índice de Massa Corporal (IMC) 27 Kg/m2 (Lipschitz). Os dados foram processados e analisados mediante programa estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS) for Windows...

Estudo sobre a actividade física e excesso de peso e obesidade em alunos da escola secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva

Jardim, Avelino Reinaldo Fernandes, 1972-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
116.13%
Tese de mestrado, Saúde Escolar, 2009, Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina; O presente trabalho consiste na apresentação de um estudo, aplicado em alunos da Escola Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva. Procurámos estabelecer um paralelo entre a AF, profissão dos Encarregados de Educação e seu nível de escolaridade; verificar quais as AF mais praticadas segundo o género, dentro das actividades organizadas, não organizadas e sedentárias; aferir quais as actividades sedentárias mais frequentes segundo o género, apurar quais as razões para não praticar AF; verificar se existe influência da TV e da prática da AF em relação ao excesso de peso e obesidade e finalmente aferir os comportamentos alimentares. A amostra foi constituída por 106 adolescentes de ambos os sexos da referida escola. A AF, bem como os comportamentos alimentares foram avaliados através de questionário. Na classificação de sujeitos com excesso de peso e obesidade, utilizámos os valores de referência apresentados por Cole94, e para a % MG,86 recorremos à categorização sugerida por Lohman87 . Os principais resultados aferidos são: não existe associação directa entre a profissão dos encarregados de educação com realização de exercício físico...

Fatores associados ao excesso de peso corporal em escolares da tríplice fronteira: Argentina, Brasil e Paraguai

Legnani,Elto; Legnani,Rosimeide Francisco Santos; Filho,Valter Cordeiro Barbosa; Krinski,Kleverton; Elsangedy,Hassan Muhamed; de Campos,Wagner; da Silva,Sergio Gregório; Lopes,Adair da Silva
Fonte: Sociedad Latinoamericana de Nutrición Publicador: Sociedad Latinoamericana de Nutrición
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
116.21%
A região da Tríplice Fronteira apresenta diversos problemas sociais e de saúde na população jovem, contudo, não há informações sobre a proporção de adolescentes com excesso de peso corporal. Este estudo investigou a prevalência de excesso de peso corporal e os fatores associados em escolares da Tríplice Fronteira: Argentina, Brasil e Paraguai. Participaram do estudo 1.183 escolares, de 15 a 18 anos de idade. O excesso de peso corporal foi identificado segundo os pontos de corte do índice de massa corporal, propostos pela Organização Mundial de Saúde. O questionário do Global School-Based Student Health Survey foi utilizado para identificar fatores sociodemográficos (sexo e faixa etária) e comportamentais (atividade física fora da escola, deslocamento à escola, tempo assistindo TV e consumo de frutas, vegetais, doces e salgados) associados ao excesso de peso corporal. Utilizou-se a estatística descritiva, análise de variância, qui-quadrado e regressão logística binária, adotando-se p< 1 vez/dia) tiveram 2,2 e 2,9 vezes mais chances de ter excesso de peso corporal do que seus pares que realizavam deslocamento ativo e que consumiam vegetais diariamente, respectivamente. Estes resultados sugerem que políticas públicas de combate ao excesso de peso corporal devem focar a promoção hábitos saudáveis entre os jovens da Tríplice Fronteira.

Associação entre excesso de peso e hábito de fumar, Santarém, PA, 2007

Sá,Naíza Nayla Bandeira de; Moura,Erly Catarina
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
116.28%
OBJETIVO: Estudar associação entre excesso de peso e hábito de fumar. METODOLOGIA: Estudo transversal desenvolvido por telefone numa amostra probabilística de adultos (Santarém /PA), em 2007. Variável desfecho foi excesso de peso, explanatória hábito de fumar e de confusão idade, escolaridade, união conjugal, estado nutricional prévio, abuso de bebidas alcoólicas, atividade física no lazer e padrão alimentar. Associação entre excesso de peso e demais variáveis foi investigada pelo teste do qui-quadrado e regressão de Poisson para o cálculo das razões de prevalência de excesso de peso conforme hábito de fumar, considerando-se três níveis de hierarquia: características sociodemográficas, estado nutricional prévio e padrão comportamental. RESULTADOS: Verificou-se 40,6% de excesso de peso e 16,4% de fumantes. As variáveis associadas ao excesso de peso foram: maior idade, menor escolaridade, união conjugal estável, excesso de peso aos 20 anos e hábito de não consumo de refrigerante para ambos os sexos; não ativo no lazer para homens e hábito de fumar (atual e passado) para mulheres. As razões de prevalência de excesso de peso não apresentaram associação com hábito de fumar para homens, porém para mulheres houve tendência de maior prevalência de excesso de peso para fumantes atuais...

Fatores associados ao excesso de peso em crianças brasileiras menores de cinco anos

Meller,Fernanda de Oliveira; Araújo,Cora Luiza Pavin; Madruga2,Samanta Winck
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
116.24%
O objetivo do estudo foi identificar os fatores associados ao excesso de peso em crianças brasileiras menores de cinco anos. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS) de 2006, um estudo transversal de base domiciliar. O diagnóstico do excesso de peso baseou-se no índice peso-para-altura superior a 2 escores z acima da mediana do padrão antropométrico da Organização Mundial de Saúde - 2006. A população estudada constituiu-se de 4.388 crianças. A prevalência de excesso de peso nas crianças foi descrita segundo variáveis socioeconômicas, demográficas, antropométricas e comportamentais. Foram realizadas análises bruta e ajustada através da Regressão de Poisson e todas foram estratificadas pelo sexo da criança. A prevalência de excesso de peso foi de 6,6%. Após análise ajustada, o índice de massa corporal materno e o peso ao nascer foram associados ao excesso de peso. Além disso, o excesso de peso mostrou-se associado ao tempo de amamentação exclusiva, nos meninos e ao nível socioeconômico e situação conjugal, nas meninas. Enfatiza-se a necessidade da implementação de políticas públicas que atuem...