Página 1 dos resultados de 11 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Rocky shore macroinvertebrates assemblages as indicators of sewage pollution

Oliveira, Joana
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
18.03%
As zonas costeiras estão sujeitas a intensa pressão humana, sendo o enriquecimento orgânico e de nutrientes, com origem em descargas de águas residuais, um dos principais problemas. Atualmente, procurando prevenir a contínua deterioração das zonas costeiras, a comunidade científica tem concentrado esforços na procura de índices e indicadores eficazes. Contudo, de forma a alcançarmos sustentadas ferramentas de gestão, é indispensável, antes do mais, adquirir um conhecimento detalhado das respostas das comunidades biológicas aos diferentes impactos antropogénicos, como o são, por exemplo, as descargas de águas residuais. Nesse sentido, a presente tese como objetivo principal compreender os efeitos daquelas descargas nas comunidades de macroinvertebrados da zona intertidal da costa rochosa, podendo ser dividida em dois pontos principais: no inicial, quisemos estudar os padrões de abundância, riqueza específica, estrutura da comunidade e produção secundária das comunidades de macroinvertebrados expostos a descargas de águas residuais; no segundo, procurou-se comparar as respostas das comunidades intertidais expostas a este foco de perturbação em diferentes bioregiões (Atlântico e Mediterrâneo), por forma a encontrar padrões de resposta semelhantes. O primeiro objetivo desta tese foi explorado no capítulo 2...

Identificação e caracterização dos biótopos de uma praia de Peniche

Antunes, Dina Maria Trindade
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
16.93%
A praia do Abalo situa-se na costa oeste de Portugal, na península de Peniche ( 39º21’12,90’’N e 9º23’06,15’’W). De Março de 2007 a Agosto de 2008 foi efectuado um estudo com o objectivo de identificar e caracterizar as comunidades intertidais de subtrato rochoso desta praia. Foi recenseado um total de 105 espécies, das quais 35 de macroalgas, 68 de macroinvertebrados e 2 de líquenes. No que respeita às macroalgas foi a Divisão Rhodophyta que apresentou uma maior riqueza em espécies, com 19, seguida da divisão Chlorophyta com 9 espécies e da Heterokontophyta com 7 espécies. Dentro dos macroinvertebrados foram os moluscos que apresentaram a maior diversidade, com 30 espécies, seguidos dos crustáceos com 16 e dos anelídeos com 13 espécies. A diversidade aumentou da zona superior da praia em direcção à linha de água. Na praia do Abalo identificaram-se dois biótopos: um localizado na franja sublitoral e caracterizado pelas macroalgas Corallina elongata, Halopteris filicina e Asparagopsis armata e outro, localizado no eulitoral superior, caracterizado pelo cirrípede Chthamalus sp, pelo líquen Lichina pygmaea e pelo gastrópode Melaraphe neritoides. Apenas este último biótopo está definido para a região costeira de Inglaterra e Irlanda. Os factores determinantes no estabelecimento das comunidades da zona intertidal rochosa da praia do Abalo...

Caracterização sazonal de uma praia estuarina da Ria de Aveiro : estrutura da comunidade e relações tróficas de espécies seleccionadas

Rodrigues, Clara Lúcia Ferreira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
18.26%
As praias, devido aos processos físicos e geológicos associados ao ambiente sedimentar, são um dos habitats mais inóspitos para o estabelecimento de comunidades de macroinvertebrados. No entanto, apesar da sua aparente uniformidade e pobreza específica, as praias sedimentares possuem uma fauna marinha de grande diversidade ecológica. A distribuição da macrofauna nestas praias depende de uma série de respostas quer físicas quer biológicas ao ambiente, sendo a zonação um fenómeno bem conhecido nos habitats intertidais. Nas condições relativamente protegidas dos sistemas estuarinos, as zonas intertidais são caracterizadas pela abundância de matéria orgânica e pela presença de cadeias tróficas complexas, onde os macroinvertebrados desempenham um papel fundamental no fluxo de matéria e energia para níveis tróficos superiores. Neste estudo é realizada a caracterização espaciotemporal da comunidade de macroinvertebrados bentónicos e dos parâmetros ambientais numa praia estuarina do Canal de Mira (Ria de Aveiro, NO Portugal), é estimada a produção secundária anual e são determinadas relações tróficas entre algumas das espécies mais importantes. A caracterização espacio-temporal foi efectuada através de uma amostragem aleatória estratificada sazonal (Abril...

Notes on Aplysia

Marcus,Ernst
Fonte: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1957 EN
Relevância na Pesquisa
16.93%
De Aplysia cervina (Dall & Simpson 1901) conhecia-se, do Brasil, um exemplar de Maceió. Mais um, quase maduro, foi colhido no eulitoral da ilha de São Sebastião. Enquanto vivente, tinha comprimento de 10 cm. A espécie distingue-se, de A. brasiliana, pelas manchas escuras redondas (Fig. 1), pela forma das mandíbulas (Fig. 4) e dos bastonetes (Fig. 5) que as compõem, pelo ceco (Fig. 7, c) encurvado e dirigido mais transversal que longitudinalmente, e pela aproximação dos gânglios bucais. A rádula não oferece seguros critérios sistemáticos. A chave para determinar as 5 espécies de Aplysia, ocorrentes na costa brasileira, possibilita classificação de espécimes adultos, viventes ou conservados em formalina, sem dissecção. A comparação dos órgãos reprodutivos de A. brasiliana, dactylomela, juliana, e cervina mostra que, para a fecundação dos óvulos, os espermatozóides saem do espermatocisto (s) pelo duto (se) deste. Daí passam para a vagina (v). Sobem nela até à região em que os compartimentos vaginal e oviducal (o) se comunicam. Entram no último e descem nele para a câmara de fertilização (ci). Duto uterino (duto de Cuvier) ou comunicação entre vagina e a dita câmara inexiste. A bursa seminal (b) é comparável à glândula atrial de Phyllaplysia (Marcus 1957...

Patterns of distribution in intertidal rocky shores: the role of grazing and competition in structuring communities

Boaventura, Diana Mendes
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2000 ENG
Relevância na Pesquisa
17.65%
A presente dissertação teve por objectivo estudar os padrões de distribuição em povoamentos intertidais de substrato rochoso e a influência da herbivoria e competição na estrutura das comunidades. Em Portugal pouca atenção tem sido dedicada ao estudo das comunidades intertidais de substrato rochoso. A costa portuguesa é uma zona de fronteira biogeográfica para espécies de afinidades atlântico-boreais e temperadas-quentes, sendo por isso fundamental o estudo dos povoamentos ao longo de toda a costa. No presente trabalho foi feita a descrição geral dos padrões de zonação ao longo da costa continental portuguesa e a comparação quantitativa dos padrões de distribuição na zona eulitoral. Com o objectivo de testar se existem variações na distribuição e abundância dos organismos na zona eulitoral superior e inferior ao longo de toda a costa, foram consideradas três regiões principais; norte, centro e sul.; Patterns of distribution on rocky shores and the role of grazing and competition as structuring agents of intertidal communities were studied in the present work. The intertidal rocky shore communities of the Portuguese coast have been studied in a scattered way by different authors. Taking into account that Portugal is thought to be a zone of overlap of boreal Atlantic species at their southem limits and more subtropical and Mediterranean species at their northem limits...

Biotopos marinos intermareales entre Canal Trinidad y Canal Smyth, Sur de Chile

Soto, Eulogio H.; Báez, Pedro; Ramírez, María E.; Letelier, Sergio; Naretto, Javier; Rebolledo, Andrea
Fonte: Universidad de Valparaíso. Facultad de Ciencias del Mar Publicador: Universidad de Valparaíso. Facultad de Ciencias del Mar
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
28.03%
Indexación: Scielo; Durante un crucero oceanográfico realizado entre el sector sur de la región de Aysén y sector norte de Magallanes, Canal Trinidad a Canal Smyth (50º00'S,75º00'W a 52º00'S, 73º48'W), sur de Chile, se efectuaron 13 estaciones de recolección de material biológico para registrar y caracterizar los biotopos del intermareal rocoso del área. Se identificaron 19 biotopos, 12 de los cuales eran biotopos reconocidos para otras áreas más septentrionales de Aysén; 6 correspondían a variantes de los anteriores y uno sólo fue reconocido y descrito como biotopo nuevo. Entre los primeros están los biotopos de litoral rocoso correspondientes a las especies dominantes Bostrychia harveyi, Acrosiphonia pacifica, Porphyra sp., Adenocystis utricularis, Iridaea tuberculosa y Mazzaella laminarioides-Nothogenia fastigiata. Entre los 6 que representaban variantes de algunos de los biotopos anteriormente descritos hubo 2 de Porphyra sp., 3 de Bostrychia harveyi y 1 de Mazzaella laminarioides-Nothogenia fastigiata. Sólo el biotopo de litoral rocoso integrado por la macroalga Caepidium antarcticum y algas coralináceas crustosas, constituyeron un biotopo nuevo para el área que se distribuye en la subzona eulitoral inferior de frentes protegidos y se caracteriza por presentar una fuerte influencia subantártica. La diversidad de biotopos costeros fue alta...

Sea-hares and side: gilled slugs from Brazil

Eveline,; Marcus,Ernst
Fonte: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1955 EN
Relevância na Pesquisa
16.93%
A espécie mais comum de Aplysia, no litoral superior da costa de S.Paulo, é A.brasiliana Rang, 1828, descrita do Rio. A.livida d'Orbigny, 1837, também do Rio, foi expressamente separada de brasiliana por d'Orbigny e, por isso, figura no Manual de Pilsbry (1895-96) como espécie a parte. As diferenças, porém, revelam-se como variações da cor. Há lesmas acastanhadas escuras, cor de chocolate, esverdeadas, oliváceas, e outras quase cor de creme. As mais das vezes, são malhadas. Contribuem para a composição do colorido: 1) a côr geral do corpo, verde garrafa, ora mais clara ora mais escura, acinzentada, ou mais ou menos carregadamente amarelada; 2) o pigmento superficial preto ou sépia, de quantidade muito variável; e 3) o conteúdo de glândulas cutâneas, também extremamente variável e caduco como caráter colorativo nos liquidos de conservação. Areas claras e escuras alternadas no lado interno da orla dos parapódios ocorrem na maioria dos exemplares, mas, são variavelmente nitidas e, ás vezes, faltam. As relações entre as algas alimentares e a idade por um lado e o colorido pelo outro merecem estudo. Rang descreveu material conservado; d'Orbigny, lesmas viventes. O aspecto das figuras difere muito, porque a regiào anterior se contrai especialmente...

The Middle Paleolithic of Murcia

Zilhão, João; Villaverde, Valentín
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2008 ENG
Relevância na Pesquisa
17.65%
Thirty-six Middle Paleolithic sites are currently known in Murcia. The open air localities correspond to patches or scatters in surficial position, with one cluster of four sites in the Yecla plateau suggesting that, where flint is concerned, a simple model of reduction-with-distance to source underlies inter-assemblage variability. Five stratified cave and rockshelter sites show logistical use with a fragmentary representation of the flint production chain and transport of curated items over significant distances. The coastal sites document the exploitation of eulittoral shellfish as a food resource. The associated human remains are of Neandertals, with evidence for their survival to at least 34.5 ka 14C BP at Sima de las Palomas.; Hi ha 36 jaciments del paleolític mitjà coneguts a la regió de Múrcia. Els jaciments a l’aire lliure són tots de superfície. Una concentració en els altiplans de Yecla indica que, per al cas del sílex, la variabilitat industrial observada pot explicar-se a través d’un model senzill en el qual el grau de reducció està en funció de la distància a les fonts de matèria primera. Els cinc jaciments de cova o abric coneguts contenen ocupacions de tipus logístic amb cadenes operatives de sílex representades de forma molt parcial i el rebuig de peces retocades transportades des de distàncies importants. En els jaciments costers es documenta el consum de mol·luscs de la zona eulitoral. Les restes humanes de la Sima de las Palomas proven la pervivència dels Neandertals en la regió fins almenys el 34.5 ka 14C BP.; Hay 36 yacimientos del Paleolítico Medio conocidos en la región de Murcia. Los yacimientos al aire libre son todos de superficie. Una concentración en el altiplano de Yecla indica que...

Notes on Aplysia

Marcus, Ernst
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1957 ENG
Relevância na Pesquisa
16.93%
De Aplysia cervina (Dall & Simpson 1901) conhecia-se, do Brasil, um exemplar de Maceió. Mais um, quase maduro, foi colhido no eulitoral da ilha de São Sebastião. Enquanto vivente, tinha comprimento de 10 cm. A espécie distingue-se, de A. brasiliana, pelas manchas escuras redondas (Fig. 1), pela forma das mandíbulas (Fig. 4) e dos bastonetes (Fig. 5) que as compõem, pelo ceco (Fig. 7, c) encurvado e dirigido mais transversal que longitudinalmente, e pela aproximação dos gânglios bucais. A rádula não oferece seguros critérios sistemáticos. A chave para determinar as 5 espécies de Aplysia, ocorrentes na costa brasileira, possibilita classificação de espécimes adultos, viventes ou conservados em formalina, sem dissecção. A comparação dos órgãos reprodutivos de A. brasiliana, dactylomela, juliana, e cervina mostra que, para a fecundação dos óvulos, os espermatozóides saem do espermatocisto (s) pelo duto (se) deste. Daí passam para a vagina (v). Sobem nela até à região em que os compartimentos vaginal e oviducal (o) se comunicam. Entram no último e descem nele para a câmara de fertilização (ci). Duto uterino (duto de Cuvier) ou comunicação entre vagina e a dita câmara inexiste. A bursa seminal (b) é comparável à glândula atrial de Phyllaplysia (Marcus 1957...

Phoronidea from Brazil

Forneris, Liliana
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1959 ENG
Relevância na Pesquisa
16.93%
Phoronis hippocrepia Wright de Santos, Cananéia e Ubatuba, vive no eulitoral, na zona de máxima vasante, perfurando conchas de ostra ou sobre fauna que recobre rochas. Hermafrodita simultânea, com fecundação precoce interna. A eliminação dos corpúsculos polares dá-se na câmara incubadora. Larvas aí se desenvolvem até o estádio de 4 tentáculos, excepcionalmente até o de 8 tentáculos. As seguintes observações foram feitas: máximo de sobrevivência em aquário: 1 ano; época de reprodução: julho a março; duração da reprodução individual: mais de 15 dias; desenvolvimento: do ôvo à larva jovem - 4 dias; em natação livre - 9 a 12 dias; metamorfose - 2 horas. Máximo de 12 embriões na câmara incubadora. O adulto, quase imóvel, é muito sensível quando recém-coletado; perde parte da sensibilidade quando no aquário. Circulação sanguínea irregular, com cerca de 10 pulsações por minuto. Alimentação: principalmente diatomáceas; também protozoários. Espécie não necessariamente cavadora. A ocorrência em agregados parece acidental. Larva nada em círculos, subindo à superfície e mergulhando em seguida; perto da metamorfose, nada no fundo. Espécie euritérmica (temperaturas de 16 a 27ºC), suporta salinidades de 30...

Sea-hares and side: gilled slugs from Brazil

s.n., Eveline; Marcus, Ernst
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1955 ENG
Relevância na Pesquisa
16.93%
A espécie mais comum de Aplysia, no litoral superior da costa de S.Paulo, é A.brasiliana Rang, 1828, descrita do Rio. A.livida d'Orbigny, 1837, também do Rio, foi expressamente separada de brasiliana por d'Orbigny e, por isso, figura no Manual de Pilsbry (1895-96) como espécie a parte. As diferenças, porém, revelam-se como variações da cor. Há lesmas acastanhadas escuras, cor de chocolate, esverdeadas, oliváceas, e outras quase cor de creme. As mais das vezes, são malhadas. Contribuem para a composição do colorido: 1) a côr geral do corpo, verde garrafa, ora mais clara ora mais escura, acinzentada, ou mais ou menos carregadamente amarelada; 2) o pigmento superficial preto ou sépia, de quantidade muito variável; e 3) o conteúdo de glândulas cutâneas, também extremamente variável e caduco como caráter colorativo nos liquidos de conservação. Areas claras e escuras alternadas no lado interno da orla dos parapódios ocorrem na maioria dos exemplares, mas, são variavelmente nitidas e, ás vezes, faltam. As relações entre as algas alimentares e a idade por um lado e o colorido pelo outro merecem estudo. Rang descreveu material conservado; d'Orbigny, lesmas viventes. O aspecto das figuras difere muito, porque a regiào anterior se contrai especialmente...