Página 1 dos resultados de 195 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

"Os kujà são diferentes" : um estudo etnológico do complexo xamânico dos Kaingang da terra indígena Votouro

Rosa, Rogerio Reus Goncalves da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.45%
A partir do modelo etnológico, esta Tese de Doutorado busca compreender o complexo xamânico dos Kaingang, uma sociedade Jê que passou por profundas transformações sociais, religiosas e ambientais no decorrer dos últimos dois séculos. Trata-se de uma pesquisa realizada entre os Kaingang católicos da Terra Indígena Votouro e do Capão Alto (Terra Indígena Nonoai), duas sociedades falantes do dialeto kaingang Sudoeste, localizadas na bacia do Rio Uruguai, respectivamente às margens leste e oeste do rio Passo Fundo, região Alto-Uruguai, norte do Rio Grande do Sul, Brasil, América do Sul. De forma específica, na perspectiva do saber “guiado” kaingang, esta pesquisa analisa os dois sistemas ideológicos que marcam essa instituição xamânica, quais sejam: o sistema kujà — ligado ao domínio “floresta virgem” e à influência dos Guarani — e o sistema caboclo — ligado aos domínios “casa” e “espaço limpo” e à influência dos caboclos. No mesmo sentido, este trabalho visa perceber a maneira como o complexo xamânico se estabelece contemporaneamente entre os Kaingang da T.I. Votouro, a partir da influência exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana e pelo Estado brasileiro.

Entre parentes, lugares e outros : traços na sociocosmologia guarani no sul

Gobbi, Flávio Schardong
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.66%
Esta dissertação insere-se em um dos movimentos recentes da etnologia Guarani, qual seja, o direcionamento do foco para as relações que tomam corpo na série humana, o que não implica, de modo algum, desconsideração pelas (des)associações entre os homens e outras agências do cosmos. Tem por eixo três contextos etnográficos diferenciados, enfatizando práticas nativas que indicam modos de aparentamento ao mesmo tempo diversos e similares. Uma história que narra o processo, reversível, de virar branco, diferentes configurações aldeãs e um ritual envolvendo pessoas de distintas localidades são o substrato para a reflexão em torno da produção do parentesco entre os Guarani. Recorre-se, para isto, a analogias pontuais com as formulações recentes da etnologia amazônica.; This dissertation is part of one of the recent movements in Guarani ethnology: the focus on the relationships that take place in the human series. That does not imply, however, a disregard for the associations/dissociations between men and other cosmological agencies. It takes three different ethnographic contexts as an axis and emphasizes native practices indicating forms of kinship that are, at once, diverse and similar. A narrative on the reversible process of becoming white...

A questão de genero na etnologia Je : apartir de um estudo sobres os Apinaje

Raquel Pereira Rocha
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
36.66%
Esse trabalho tem por objetivo analisar a questão da construção social dos gêneros masculino e feminino no contexto da etnografia dos povos da família lingüística Jê. Para tanto, investiga diferentes abordagens e interpretações sobre temas recorrentes que, ao longo de décadas de estudos sobre os povos Jê, formaram um conjunto peculiar de assuntos e noções pelas quais perpassam de modo significativoa questão da construção social e das relações de gênero. Esse trabalho foi realizado através de uma análise bibliográfica que inclui a literatura Jê, bem como outros trabalhos sobre etnologia indígena que contribuíram à construção das idéias presentes ao longo dessa dissertação. O estudo bibliográfico é balizado por uma pesquisa de campo realizada entre os Apinajé, etnia localizada no Estado do Tocantins. Através dessa experiência de campo foi possível perceber aspectos da dinâmica social inscritos nas histórias de vida, que permitiram-me pensar temas pertinentes à questão de gênero na etnologia indígena; The aim of this dissertation is to analyse the question of the social construction of male and female gender within the ethnographic context of the Jê linguistic family. Different approaches and interpretations concerning recurrent themes...

Etnologia Indígena

Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Vídeo
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.54%

Coleções etnográficas

Fürbringer, Nádia Philippsen
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 131 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.76%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Florianópolis, 2013.; Retomo o lugar das pesquisas antropológicas acerca de coleções etnográficas. Ainda que haja uma lacuna nas pesquisas em museus e/ou com coleções, a prática de colecionismo na Antropologia permaneceu em todos esses anos. A análise parte das coleções do antropólogo Sílvio Coelho dos Santos, que em decorrência de sua profissão de antropólogo colecionou objetos indígenas que foram doados ao Museu de Arqueologia e Etnologia (Marque) ligado a Universidade Federal de Santa Catarina e compõe o acervo de Etnologia Indígena. Soma-se a esse conjunto, centenas de diapositivos e Diários de Campo que foram acumulados em décadas de pesquisa. Ocorre que essas coleções estão em processo de reapropriações, as novas articulações tem ressignificado tais objetos e o próprio sistema museal. Meu campo parte da observação dessas reapropriações: o processo da exposição de curadoria compartilhada de longa duração (curadoria que integra técnicos do Museu e indígenas); e o interesse de grupos indígenas, que são os alunos da Licenciatura Indígena da UFSC (Kaingang...

DA ACULTURAÇÃO À FRICÇÃO: O INÍCIO DA TRAJETÓRIA ACADÊMICA DE SÍLVIO COELHO DOS SANTOS E A EMERGÊNCIA DA ETNOLOGIA INDÍGENA NO SUL DO BRASIL

Silva, Thayse Jacques da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 79 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.88%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Curso de Ciências Sociais.; Este trabalho de conclusão de curso discorrerá sobre o início da trajetória acadêmica de Sílvio Coelho dos Santos e a emergência da Etnologia no Sul do Brasil. Neste sentido, procura estabelecer um intenso diálogo a níveis teóricos e institucionais com as características formativas da Antropologia Brasileira na década de 1960, período que se dá a inserção de Sílvio Coelho na Etnologia. A partir deste diálogo foi possível compreender as condições e as características de formação do campo da Etnologia Indígena no sul do Brasil, frente a um contexto que se acreditava não existir mais indígenas na região, especialmente as populações Jê. A razão desta crença estava nas ínfimas pesquisas que existiam sobre os Jê meridionais que apontavam para seu inevitável desaparecimento. Nestas circunstâncias, as pesquisas iniciadas por Sílvio Coelho dos Santos, através dos aportes teóricos emergentes na antropologia brasileira, permitiram a visibilização destas populações e o apontamento para um destino diferente daquele previsto pelas (poucas) pesquisas anteriores: a continuidade das populações indígenas no sul do Brasil.

Figuras da captura : a atividade cinegética na etnologia indígena

Bechelany, Fabiano Campelo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.81%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, 2012.; Este trabalho procura percorrer alguns dos estudos sobre a atividade cinegética na Amazônia no intuito de distinguir as principais linhas de força dos discursos que a abordam. Trata-se de uma revisão da bibliografia concernente ao tema e uma discussão sobre as potencialidades de uma análise da caça na região. A etnologia realizada na Amazônia indígena reuniu dados que atestam a recorrência factual da atividade, além da sua pregnância simbólica e sua relevância sociológica para os coletivos amazônicos. As interações entre humanos e não-humanos na caça constitui um campo privilegiado para a observação dos modos de articulação entre natureza e cultura no universo ameríndio. Ao mesmo tempo, a complexidade da caça coloca desafios para a sua captura etnológica, tendo em vista a sua dispersão por diferentes dimensões da vida social indígena. Por meio da apresentação de diferentes estudos etnográficos que tratam da cinegética e uma discussão sobre os principais aspectos teóricos que informam esses trabalhos...

Sustentabilidade e processos de reconstrução identitária entre o povo indígena Kinikinau (Koinukunôen) em Mato Grosso do Sul

Souza, Rosaldo de Albuquerque
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2012.; O povo indígena Kinikinau, do tronco linguístico Aruak, tem os primeiros registros históricos de sua existência no Chaco paraguaio. Por causa de perseguições por parte daqueles que os consideravam “selvagens”, migraram para o atual território brasileiro ainda na segunda metade do século XVII. O primeiro local a se instalarem foi nas proximidades do município sul mato-grossense de Miranda e, em seguida, se deslocaram até chegarem à reserva Indígena Kadiwéu, onde vivem atualmente. O grupo chegou a ser considerado “extinto” por alguns pesquisadores e tal ideia foi aceita, inclusive, pela FUNAI. Apesar de viverem por longos anos de forma oculta, sem declarar ao público sua identidade étnica, preservaram grande parte de raízes identitárias, como a arte, as manifestações culturais e a alimentação tradicional. Um sinal diacrítico muito importante, mas que, infelizmente, ficou nos rastros do tempo, foi a língua Kinikinau. No início do século XXI, a escola inseriu, no seu currículo, aulas de Língua Indígena, mas sabe-se que é muito difícil sensibilizar as crianças a aprenderem o idioma original. Um produto muito apreciado e produzido pelos Kinikinau (autodenominados Koinukunôen) é o mel. Os apicultores indígenas são excelentes conhecedores dos efeitos medicinais desse alimento e também conhecem...

Estratégias sociais no Movimento Indígena : representações e redes na experiência da APOINME

Emanuelly de Oliveira, Kelly; Wilfried Schröder, Peter (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.49%
A presente pesquisa visa analisar a constituição de estratégias sociais na arena política do Movimento Indígena, a partir de APOINME (Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo), segunda maior organização indígena do país, representando mais de 150 mil pessoas de 65 povos. O estudo pretende observar as diferentes relações estabelecidas entre as lideranças indígenas da APOINME na arena política de atuação da entidade, seja na esfera regional, nacional ou internacional. Também centrei o processo de construção das próprias lideranças, envolvendo os novos desafios de capacitação profissional em demandas crescentes do movimento, como ainda problemáticas pessoais que surgem nessa caminhada, como solidão, ausência em suas comunidades e da própria família. Pretendo, a partir dessa observação, ampliar a compreensão da constituição das organizações do Movimento Indígena no Nordeste e no Brasil, percebendo como as tensões, disputas e alianças envolvidas no processo de representação política podem interferir na constituição de projetos coletivos para as comunidades indígenas.; Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Etnicidade indígena no contexto urbano: uma etnografia sobre os Kalabaça, Kariri, Potiguara, Tabajara e Tupinambá de Crateús

Lucia Silva Lima, Carmen; Monteiro Athias, Renato (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.73%
No município de Crateús, a partir da década de 1990, iniciou-se um processo de mobilização social e política que resultou na constituição dos grupos Kalabaça, Kariri, Potiguara, Tabajara e Tupinambá. Desencadeada pela ação da Pastoral Raízes Indígenas da Diocese de Crateús, a referida mobilização foi empreendida por moradores da zona urbana da cidade. Esta tese tem como objetivo analisar a etnicidade dos que compõem estas coletividades, considerando as implicações do contexto urbano nesta construção. Para atingir a finalidade deste estudo antropológico, relacionamos etnicidade, etnologia indígena e antropologia urbana. Por meio do relato etnográfico, que integra texto e imagem, é evidenciado o processo de urbanização da cidade, mostrando como ela se tornou um pólo distribuidor de bens e serviços no Centro-oeste do Ceará. Privilegiando a visão dos indígenas, é examinado como eles vivem, a percepção que eles têm da cidade e do ser indígena neste espaço. Através da abordagem das trajetórias dos núcleos familiares que compõem as coletividades estudadas é apresentado como se constituiu os grupos étnicos, a influência dos agentes externos, a lógica da adoção dos etnônimos e os múltiplos contextos de edificação da identidade étnica. A política indígena e as relações interétnicas são contempladas...

Relações interétnicas em conflito entre makuxi e wapixana na terra indígena Raposa Serra do Sol

Almeida, Wanderley Gurgel de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social; Antropologia Social Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social; Antropologia Social
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.54%
This dissertation present an analysis of the interethnic conflict between Makuxi and Wapixana at the current moment in the Maloca of the Adobe, Aboriginal Land Fox-Mountain range of the Sun, in the State of Roraima. The theoretical field was boarded in the Ethnology, pursuing situations in local history, with edges in ethno-history. The research elapsed of the deepening necessity on the social relations and aboriginal politics, for the intercultural professional exercise of educator, appealing the bibliographical survey and participant comment as method; not directive interviews, photographs, filmings and daily register in of field, as techniques carried through in the period of 2006 to 2007. Although to inhabit in the same area and to establish marriages between itself, individuals and groups express tensions, aggravated with the landmark and legal recognition of the area, which generated inter dispute and intraetnias, mainly with the intrusion of farmers, rizicultores and the form of governmental influence. A relation of rivalry, individual and collective was evidenced, suggesting the strengthenig and not it fractionly, of the fights external politics, interns and in way to the cultural diversity and social adversity; Esta dissertação apresenta uma análise do conflito interétnico entre Makuxi e Wapixana no momento atual na Maloca do Barro...

Interpretando direitos e incorporando novas agências: o reconhecimento da Terra Indígena Las Casas, PA, e as perspectivas caiapó sobre esse processo

Melo, Juliana Gonçalves
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.39%
O artigo trata do processo de retomada e reconhecimento da Terra Indígena Las Casas, PA, de ocupação tradicional dos índios caiapó. O intuito é mostrar que os Caiapó interpretam esse evento, que é também jurídico e administrativo, a partir de suas próprias ló- gicas culturais, a ele incorporando novas agências e visões de mundo

Os Kalankó, Karuazu, Koiupanká e Katokinn : resistência e ressurgência indígena no alto sertão Alagoano; The Kalanko, Karuazu, Koiupanka and Katokinn: resistence and resurgence in the High Sertão Alagoano, Brasil

Amorim, Siloé Soares de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.45%
Os Kalankó, Karuazu, Katokinn e Koiupanka. desde 1998 vem reaparecendo no cenário étnico-político como índios resistentes. Como tais, demandam do Órgão indigenista oficial, a FUNAI, reconhecimento, delimitação e demarcação etnicoterritorial. A forma particular como reapareceram marcou os quatro povos: uma aparição pública coletiva chamada "festa do ressurgimento". Apresentando-se de forma similar, mas em espaço físico e temporal distintos, o reaparecimento étnico dos KKKK tem como pano de fundo o processo hist6rico e a trajet6ria (dispersão e reagrupamento) desses grupos como "rama" e "ponta de rama" (dos Pankararu, seus ascendentes) no Alto Sertão alagoano. A pesquisa de campo desenvolve-se, paralelamente, no registro fílmico-fotográfico desses eventos e na reconstrução de seus etnônimos e observa, em seu conjunto, as relações entre a representação indígena e a imagem "como um retorno a si mesmo" como uma forma de entrever o passado desses povos em imagens do presente, nas quais os indivíduos e suas comunidades compõem sua própria forma de "mostrar-se" ao mundo com "novas" especificidades étnicas, numa tentativa de restaurar também sua memória, o que permite, nesta pesquisa, caracterizar o tratamento hist6rico atribuído aos índios...

'Ñande Rekó' : diferentes jeitos de ser Guarani

Neumann, Mariana Araújo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.54%
A presente dissertação analisou a cerâmica Guarani pré-colonial de dois diferentes contextos regionais: o Litoral Norte e o Vale do Rio da Várzea, Rio Grande do Sul. Nosso objetivo foi discutir aspectos da história Guarani pré-colonial, enfocando, através de uma perspectiva comparada, a existência de diferentes parcialidades e suas dinâmicas. Neste sentido, agregamos novos referenciais teóricos, como a Arqueologia Simétrica, a etnologia indígena e os estudos tecnológicos, a fim de discutir as duas imagens homogeneizantes dos Guarani précoloniais, vigentes na arqueologia Guarani hoje, oferecendo, assim, uma outra visão centrada nos aspectos divergentes internos à "Nação Guarani".; The present dissertation has analyzed the Guarani archaeological ceramics of two different regional contexts: the Coast North and the Valley of Rio da Várzea, Rio Grande do Sul. Our objective was to argue aspects of Guarani history, focusing, through a compared perspective, the existence of different partialities and its dynamic. In this direction, we add new theoretical references, as Symmetrical Archaeology, the ethnology and the technological studies, in order to argue the two images effective in Guarani archaeology, offering, thus, one another vision centered in the internal divergent aspects to the "Guarani Nation".

Pessoas na medida

Jesus, Suzana Cavalheiro de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 235 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.69%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Florianópolis, 2015.; Pensada a partir dos campos teóricos da etnologia indígena, buscando estreitar laços com o campo dos estudos de gênero, esta tese constitui-se em uma etnografia que privilegia a compreensão dos saberes que constituem o nhande reko Guarani, o modo tradicional de vida desses povos, amplamente discutido na literatura antropológica. Trata-se de uma pesquisa desenvolvida a partir da Tekoa Ko?enju, também conhecida como Reserva Indígena Inhacapetum, localizada no município de São Miguel das Missões, região das Missões, no estado brasileiro do Rio Grande do Sul: uma região imersa em políticas de patrimonialização de bens culturais que remetem ao passado de catequização de povos Guarani por Jesuítas da Companhia de Jesus. O objetivo foi compreender processos de produção, circulação e transformação de conhecimentos mbya-guarani que produzem o ?nhande reko? e que derivam dos desafios contemporâneos de produzir pessoas ?na medida?, ou seja, pessoas mbya que saibam dosar a alteridade advinda do mundo não indígena (jurua). Argumenta-se que tais aspectos organizam-se em torno dos modos de criar crianças...

Etnologia e Política Indígena em Movimento

Schiocchet, Leonardo Augusto; Martins, Homero Moro
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2005 POR
Relevância na Pesquisa
36.76%
Embora o trabalho e as contribuições de Alcida Rita Ramos ao quadro da etnologia indígena produzida no Brasil dispensem maiores apresentações, pensamos ser interessante levantar alguns pontos sobre sua trajetória que motivaram as questões que compõem esta entrevista. Na observação de sua carreira, fica claro que Alcida Ramos sempre buscou avidamente a atualização de suas preocupações e temáticas de pesquisa, grande parte das quais surgiram em estreita consonância com seu envolvimento pessoal nas causas indígenas e indigenistas no país. No que concerne à atualização da análise, é exemplo o fato de que, não satisfeita com a sua primeira interpretação dos dados levantados em seu campo junto aos Yanomami entre 1968 e 1970, ela promoveria uma releitura profunda de seu material ao longo dos anos, em diversos artigos e com o livro Memórias Sanumá (1990). Já na década de 1980, mergulhou não só como antropóloga, mas como participante política na crescente mobilização dos povos indígenas brasileiros, que culminaria com as manifestações e reivindicações da Constituinte de 1988. A reflexão de Alcida Ramos sobre seu envolvimento com este contexto viria à tona na minuciosa discussão contida em Indigenism (1998)...

Anthropology and Ethnicity’s Interplay among First Nations in Canada: The case of Quebec; A Antropologia e o Jogo da Etnicidade entre Povos Originários no Canadá: O caso de Quebec

da Silva, Cristhian Teófilo
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 14/02/2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.66%
This article presents Quebec as a multicultural province, which is ethnically polarized in such a way as to affect the processes of formation of different styles of ethnology. The data presented here are of three kinds: political chronology, interethnic relations and collective demands. It is our expectation to promote with this brief presentation Quebec’s uniqueness as an ethnographic case study for the research of the development of styles of ethnology in national contexts.; Este artigo apresentará o Quebec como uma província multicultural, a qual se encontra etnicamente polarizada de tal modo a afetar os processos de formação de estilos de etnologia indígena. Os dados apresentados aqui são de três tipos: cronologia política, relações interétnicas e demandas coletivas. Espera-se promover com esta breve apresentação a especificidade do Quebec como um estudo de caso etnográfico para a pesquisa sobre o desenvolvimento de estilos de etnologia em contextos nacionais.

A educação escolar indígena no contexto da antropologia brasileira

Tassinari, Antonella Maria Imperatriz; UFSC
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Antropolgia Social da UFSC Publicador: Programa de Pós-Graduação em Antropolgia Social da UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2008 POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-8034.2008v10n1p217Este trabalho pretende analisar o historico das politicas educativas voltadas para indigenas no seculo XX em relação a historia das pesquisas antropologicas na area de etnologia indigena destacando os poucos trabalhos que se dedicalam ao tema da educação mdigena em especial a sua educação escolarcomo a contribuição pioneira de Silvio Coelho dos Santos São analisados três momentos modelares do seculo XX não por reunirem caracteristicas definidoras de um periodo mas por servirem como divisores de aguas por marcarem rupturas entre momentos anteriores e subsequentes a decada de 1930 e o modelo do SPI a decada de 1960 e o modelo da FUNAI e a decada de 1990 e as transformaçoes decorrentes da Constituição Federal de 1988 Tratam se de tres fases importantes no processo de institucionalização da Antropologia no Brasil e que tambem marcam rupturas nos modelos de políticas educacionais voltadas para indigenas no Brasil.

“Os Encontros de Saberes”: equívocos entre índios e Estado em torno das políticas de saúde indígena na Venezuela

Luciani, Jose Antonio Kelly; Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Antropolgia Social da UFSC Publicador: Programa de Pós-Graduação em Antropolgia Social da UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
46.45%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-8034.2009v11n1-2p265A partir de uma reunião entre representantes dos yanomamis e do sistema de saúde oficial da Venezuela, realizada em La Esmeralda (estado do Amazonas), no ano de 2004, este artigo discute alguns aspectos críticos da relação entre o Estado venezuelano e os yanomamis dentro do campo da saúde e além. O artigo tem duas partes. Na primeira delas, considero as circunstâncias históricas e ideológicas que, dentro da era do multiculturalismo, favorecem o tipo de “encontros de saberes” dos quais essa reunião foi um exemplo. Esta parte constitui um comentário crítico sobre como as noções de cultura e identidade podem atrapalhar a análise da saúde indígena ao obscurecer a existência de redes de relações – entre Estado e comunidade, entre índios e brancos – que influenciam a determinação dos perfis sanitários das comunidades. A segunda parte do ensaio segue nos temas de cultura e identidade, mas desloca o foco para iluminar outro tipo de problema. Ao promover um diálogo intercultural, a reunião (batizada como “Encontro de Saberes”) foi um momento de interpretação e tradução recíproca entre índios e brancos. A análise do que cada um desses atores traduz do outro revela os equívocos que tão frequentemente caracterizam as relações entre índios e Estados nacionais. Essa análise se nutre da crítica de Roy Wagner (1981) à própria antropologia e da noção de ‘equívoco controlado’ discutida por Eduardo Viveiros de Castro (2004).

Os Tupí em Rondônia: diversidade, estado do conhecimento e propostas de investigação

Velden, Felipe Ferreira Vander; UNICAMP
Fonte: Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas Publicador: Laboratório de Línguas e Literaturas Indígenas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.66%
A região do alto rio Madeira e seus formadores – que corresponde ao estado de Rondônia e às áreas vizinhas do noroeste do Mato Grosso, sul do Amazonas e oriente boliviano – apresenta uma notável diversidade de populações indígenas falantes de línguas de várias famílias do tronco Tupí (Tupí-Guaraní, Arikém, Ramaráma, Puruborá, Mondé, Mundurukú, Tuparí e Mawé). Esta riqueza foi apontada por vários autores que refletiram sobre essa região, tendo-a visitado ou não. As advertências destes pesquisadores, contudo, não garantiram uma continuidade no interesse pela etnologia indígena na bacia do alto Madeira, e não resultaram em uma produção consistente e integrada que buscasse desvendar as dinâmicas atuais e históricas dessa diversidade. Em resumo: nosso conhecimento das culturas Tupí em Rondônia e adjacências é pobre, disperso e pouco sistematizado. É tarefa necessária que a etnologia indígena dos Tupí na bacia do alto Madeira tome um rumo coeso, abrindo espaços de interlocução e integrando seus achados, com vistas a incrementar a produção antropológica e histórica acerca dessas populações e a refinar nosso conhecimento sobre cada uma de suas culturas, além dos cenários interétnicos e das trajetórias históricas locais...