Página 1 dos resultados de 336 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Identificação de genes com expressão modulada por estreptomicina e de genes associados à virulência e patogenicidade em Xylella fastidiosa; Identification of genes modulated by streptomycin and of genes related to virulence and pathogenicity in Xylella fastidiosa

Silva, Patrícia Isabela Pessoa da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.75%
Em concentrações subletais, agentes antimicrobianos modulam a expressão gênica bacteriana, sendo que o conjunto de genes que é modulado depende tanto da cepa bacteriana, como da natureza do agente antimicrobiano. Neste trabalho, avaliamos o perfil de expressão gênica de Xylella fastidiosa cepa 9a5c em resposta ao tratamento por até 60 minutos com dose subletal do antibiótico estreptomicina. Esta é uma cepa virulenta, originalmente isolada de laranjeiras com sintomas de clorose variegada dos citros. A hibridização de microarranjos de DNA representando 2608 das 2848 sequências codificadoras (CDS) previamente anotadas no genoma desta cepa, revelou que 136 CDS apresentaram expressão gênica diferencial em resposta à exposição à estreptomicina, sendo que destas 109 foram negativamente moduladas e 27 positivamente moduladas. Realizamos, também, ensaios de PCR quantitativo precedido de transcrição reversa (RTqPCR) de 21 CDS para confirmar a modulação observada na análise global da expressão gênica. O perfil de expressão gênica de X. fastidiosa em resposta à estreptomicina foi analisado de forma integrada com outros perfis de expressão gênica desta bactéria. Entre as CDS positivamente moduladas, destacamos aquelas codificadoras das chaperoninas GroEL e GroES...

Caracterização das mutações envolvidas na resistência de isolados de Mycobacterium tuberculosis à estreptomicina e sua relação com o sistema de efluxo; Characterization of mutations involved in resistance to streptomycin in clinical isolates of Mycobacterium tuberculosis and its relation with the efflux system

Spies, Fernanda Sá
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
O Mycobacterium tuberculosis é intrinsecamente resistente a diversos antimicrobianos. Esta resistência é devida, principalmente, ao envelope hidrofóbico da célula bacteriana que atua como uma barreira efetiva para diversos compostos. Outros determinantes da sua resistência intrínseca incluem enzimas hidrolíticas e bombas de efluxo de drogas. A resistência adquirida em isolados clínicos de M. tuberculosis é principalmente devida a mutações em genes que codificam alvos para os fármacos ou em seus ativadores. Apesar disso, um número entre 5–30% das cepas resistentes não têm caracterizado o seu mecanismo de resistência, considerando-se o sistema de efluxo como uma das possibilidades para esta resistência. O efluxo é o resultado da atividade de proteínas transportadoras envolvidas na extrusão de substâncias (incluindo todas as classes de relevantes antimicrobianos clínicos) de dentro da célula para o meio externo. O principal objetivo deste trabalho foi comparar a Concentração Mínima Inibitória (CMI) em condições de diferentes tratamentos (presença e ausência de inibição do sistema de efluxo) e os resultados obtidos com o seqüenciamento dos genes rpsL e rrs. Para isso foram testados 79 isolados de M. tuberculosis...

Resultado do tratamento da tuberculose com estreptomicina, isoniazida e etambutol : (esquema SHM); Results of tuberculosis treatment with streptomycin, isoniazid and ethambutol : (scheme SHM)

Picon, Pedro Dornelles; Della Giustina, Maria de Lourdes; Rizzon, Carlos Fernando Carvalho; Bassanesi, Sergio Luiz; Zanardo, Ana Paula; Michalczuk, Matheus Truccolo; Dei Ricardi, Letícia Rebolho
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Avaliar o desempenho do esquema SHM (estreptomicina, isoniazida e etambutol), na rotina de trabalho de uma unidade ambulatorial de tratamento da tuberculose. Método: Setenta e oito pacientes tuberculosos, cujo tratamento prévio com o esquema RHZ (seis meses de rifampicina, isoniazida e pirazinamida) teve de ser interrompido devido a efeitos adversos, ou que não puderam receber o esquema RHZ por serem de alto risco para hepatotoxicidade a esse esquema, foram tratados ambulatorialmente com o esquema de 12 meses de SHM, de 1986 a 1994, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Resultados: Em três pacientes houve necessidade de troca de esquema por toxicidade (3,8%). Nos 75 restantes observaram-se 58 curas (77,3%), oito abandonos (10,7%), cinco falências (6,7%) e quatro óbitos (5,3%). A taxa teórica de cura, que é o percentual de cura entre os bacilíferos que fizeram tratamento regular, foi de 95,3%. Reações adversas ocorreram em 32 pacientes (41%), sendo as mais freqüentes as manifestações de dano vestibular, em 18 (23,1%). Esses resultados foram comparados com os obtidos no mesmo ambulatório com o esquema de 12 meses de RHM (rifampicina, isoniazida e etambutol) e de seis meses de RHZ. Conclusão: O esquema SHM pode ser recomendado como alternativa para o tratamento da tuberculose quando o esquema RHZ não pode ser indicado.; Aim: To evaluate the performance of an SHM scheme (streptomycin...

Infecção por leptospira em touros (Bos Taurus Indius): comparação da eficiência de dois produtos à base de estreptomicina na eliminação da leptospirúria causado pelo Sorovar Hardjo

Girio, Thais Marino Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xvi, 58 p. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
27.83%
Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; O objetivo desse trabalho foi verificar a ação de marcas diferentes de estreptomicinas polivalentes para o tratamento da leptospirose bovina em dose única (25 mg de estreptomicina por kg de peso corpóreo). O trabalho foi realizado com 14 touros adultos sorologicamente reagentes para Leptospira interrogans sorovar Hardjo, com título mínimo de 800 e com cultivo positivo. Os animais foram separados em 2 grupos de acordo com a marca da estreptomicina utilizada no tratamento, grupo 1: estreptomicina A e grupo 2: estreptomicina B. Os bovinos controles não receberam nenhum tratamento. Foram obtidas amostras de sangue e urina dos animais tratados e controles nos dias -1, 0, 1, 2, 3, 5, 10, 15 e 25; considerando-se o dia do tratamento como dia 0. Na urina dos bovinos tratados e controle foi realizada a reação em cadeia da polimerase (PCR) e isolamento com inoculação em hamsters. Observou-se que a estreptomicina da marca A, em dose única de 25 mg/kg de peso corpóreo, conseguiu eliminar a leptospirúria no grupo de touros após 24h do tratamento. Já no grupo de touros tratados com a estreptomicina da marca B, foi constatado a leptospirúria entre 48h e 72h, após o tratamento. Em ambos os grupos tratados...

Desenvolvimento e validação de metodos analititicos para a deteminação de residuos de estreptomicina e diidroesteptominicina em leite bovino (ELISA, LC-APCI-MS/MS QToF); Development and validation of analytical methos for the determination of streptomycin and ddihydrostreptomycin residues in milk (ELISA, LC-APCI-MS/MS QToF)

Renata Cabrera de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.55%
A presença de resíduos de medicamentos veterinários em níveis acima dos limites máximos (LMR) estabelecidos apresentam riscos à saúde humana. O conhecimento da dimensão da exposição da população a esses compostos é necessário para garantir a proteção do consumidor. Para tanto, é imprescindível que métodos de análise validados estejam disponíveis, para assegurar a confiabilidade dos resultados. O objetivo deste trabalho foi desenvolver e validar métodos analíticos para a determinação de resíduos de estreptomicina e diidroestreptomicina em leite e empregá-los na análise de amostras comercializadas na região de Campinas, São Paulo. Os métodos analíticos desenvolvidos e validados incluem o ensaio imunoenzimático (ELISA) e a cromatografia líquida associada à espectrometria de massas em tandem (LCMS/MS QToF). A validação analítica foi realizada de acordo com as recomendações da Comunidade Européia e IUPAC. Os seguintes parâmetros foram avaliados: seletividade, curva analítica, linearidade, sensibilidade, precisão (repetibilidade intra e inter-dias), exatidão e limites de detecção e de quantificação. Os resultados do procedimento de validação dos métodos de ELISA e LC-MS/MS demonstraram que estes são adequados para a análise de triagem e confirmatória...

Mecanismos de proteção da distrofia muscular : estudo proteômico e terapia farmacológica; Protective mechanisms of muscular dystrophy : proteomic study and pharmacological therapy

Cintia Yuri Matsumura
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.55%
Na Distrofia Muscular de Duchene (DMD) e em seu modelo experimental, camundongos mdx, a ausência ou disfunção da proteína distrofina leva a degeneração muscular. Acredita-se que a patogênese da DMD esteja relacionada à fragilidade do sarcolema, ao estresse mecânico e ao maior influxo de íons cálcio na fibra muscular resultante do funcionamento anormal de canais iônicos, como os canais de cálcio ativados por estiramento. O conhecimento das proteínas envolvidas na degeneração/regeneração muscular e na proteção a mionecrose da fibra muscular distrófica é essencial para a caracterização das distrofias musculares, bem como para o estabelecimento de métodos diagnósticos e de tratamentos preventivos ou terapêuticos. No presente trabalho estudamos os mecanismos de proteção a degeneração muscular, sendo dois os objetivos. No primeiro, identificamos proteínas envolvidas na proteção a mionecrose e nos processos de degeneração/regeneração muscular através do estudo proteômico dos músculos afetados ou não pela distrofia muscular em camundongos mdx e em animais controle. No segundo, verificamos a participação dos canais de cálcio ativados por estiramento na degeneração da fibra muscular através do seu bloqueio pela estreptomicina nos diferentes músculos distróficos de mdx. Adicionalmente...

Preparação e caracterização de micro e nanoparticulas polimericas contendo estreptomicina; Preparation and characterization of the micro and nanoparticles with streptomycin

Priscyla Daniely Marcato Gaspari
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.64%
O projeto consistiu na preparação e caracterização de sistemas de liberação sustentada veiculando a estreptomicina, um agente antimicobacteriano. A estreptomicina (STM) foi encapsulada em micropartículas poliméricas preparadas a partir do polímero biodegradável poli(e-caprolactona) (PCL) e do copolímero biodegradável poli(3-hidroxibutirato-co-3-hidroxivalerato) (PHBV), pela técnica de emulsificação seguida da evaporação do solvente. Estas partículas foram caracterizadas quanto ao diâmetro médio e distribuição de tamanho, morfologia, Potencial Zeta e eficiência de encapsulamento. Micropartículas de PCL e PHBV foram obtidas pelo método de dupla emulsão e evaporação de solvente com diferentes morfologias, sendo que as partículas de PCL apresentaram superfície mais lisa do que as de PHBV. Além disto, a adição do co-solvente acetona na fase orgânica, provocou a formação de micropartículas de PHBV maiores e mais porosas. Alterações em parâmetros da preparação como, aumento da concentração do tensoativo, evaporação de solvente a baixa pressão e uso de polímero com menor massa molar foram fatores que reduziram do diâmetro das partículas. A eficiência de encapsulamento nas micropartículas de PHBV...

Análise de misturas de estreptomicina e di-hidro-estreptomicina : (contribuição para o seu estudo)

Cunha, António Proença Mário Augusto da
Fonte: Coimbra : [Edição do Autor] Publicador: Coimbra : [Edição do Autor]
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
27.26%

Meningite tuberculosa tratada com estreptomicina

Mursa,Mario; Reis,João Baptista dos; Woiski,J. Renato
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1947 PT
Relevância na Pesquisa
27.44%
Trata-se do primeiro caso publicado no Brasil de meningite tuberculosa, em menino de 5 anos de idade, tratado com sucesso pela Estreptomicina. O diagnóstico foi firmado pelo achado do bacilo de Koch no liqüido cefalorraqueano e pela inoculação em cobaio. O tratamento foi iniciado no 8.° dia depois de se declararem os sinais da meningite e durou 71 dias, tendo o pacente recebido um total de 44.600.000 U. de Estreptomicina, sendo 42.650.000 U. por via intramuscular e 1.950.000 U. por via intratecal, em 41 punções lombares e suboccipitais. Durante o tratamento, em sua fase final, foi associado o Promin. Os autores acreditam que os resultados obtidos se devem, entretanto, à Estreptomicina, com a qual, desde o início do tratamento, se modificou de maneira nítida a marcha da moléstia. Após 40 dias de terminado o tratamento, o paciente se apresentava como uma criança normal, sem apresentar seqüela neurológica alguma. Repetidos exames do líqüido cefalorraqueano mostraram progressiva diminuição das alterações, restando, no final, apenas hipercitose linfocitária de 72 células por mm3, aumento da taxa de proteínas e fino retículo fibrinoso. Os autores, apesar dos brilhantes resultados obtidos, não afirmam a cura completa...

Tentativas de inhibicion de la sintesis de enterotoxina estafilocóccica por penicilina y estreptomicina

Cotillo Z.,Luís G.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1967 ES
Relevância na Pesquisa
27.26%
Se realizaron tentativas de inhibir la producción de las enterotoxinas estafilocóccicas por las cepas ATCC 13565, ATCC 14458, S 6 y S 100 con los antibióticos penicilina y estreptomicina. Los resultados obtenidos parecen demonstrar que la penicilina no impide la formación de proteínas enterotóxicas, siendo que por otro lado la estreptomicina a partir de la dosis de 500 myg por ml de medio impide en casi todas las cepas la producción de enterotoxinas. Con la dosis de 1000 myg/ml no se pudo demonstrar presencia de enterotoxina en ninguno de los cultivos realizados con las diversas cepas. Se indican las posibles explicaciones para estos resultados.

Sensibilidade a cobre, estreptomicina e oxitetraciclina em Xanthomonas spp. associadas à mancha-bacteriana do tomate para processamento industrial

Quezado-Duval,Alice Maria; Gazzoto Filho,Ademir; Leite Júnior,Rui P.; Camargo,Luis Eduardo A.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
27.64%
Apesar de amplamente empregados em lavouras de tomate para processamento industrial no Brasil, fungicidas cúpricos e antibióticos registrados para uso agrícola nem sempre resultam em controle eficiente das bacterioses que afetam a cultura. O aparecimento de estirpes resistentes é uma das causas dessa baixa eficiência. Avaliou-se, in vitro, a sensibilidade a cobre, estreptomicina e oxitetraciclina de 389 isolados de Xanthomonas spp. associadas à mancha-bacteriana do tomateiro, sendo 92 de X. axonopodis pv. vesicatoria (60 do grupo "A"/raça T1 e 32 do "C"/raça T3), 93 de X. vesicatoria (grupo "B"/raça T2) e 204 de X. gardneri (grupo "D"/raça T2). Os isolados foram obtidos de plantas doentes em campos comerciais de tomate para processamento industrial nos estados de Goiás, Minas Gerais, Pernambuco e Bahia, nos anos de 1995 a 1998 e em 2000. Alíquotas de 5 ml de suspensões bacterianas foram depositadas em meio Nutriente-Ágar suplementado com sulfato de cobre, nas concentrações de 50 e 200 µg/ml; sulfato de estreptomicina, a 25 e 200 µg/ml e cloridrato de oxitetraciclina, a 25 µg/ml. Nenhum isolado foi resistente a oxitetraciclina, como também nenhum foi resistente ao cobre na concentração de 200 µg/ml do sulfato de cobre. No entanto...

Uso de antibióticos e leveduras para controle da podridão-mole em couve-chinesa

Mello,MRF; Silveira,EB; Viana,IO; Guerra,ML; Mariano,RLR
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
27.44%
A podridão-mole causada por Pectobacterium carotovorum subsp. carotovorum (Pcc) pode ocorrer em plantios de couve-chinesa (Brassica pekinensis) com até 67% de incidência. O trabalho visou avaliar a sensibilidade in vitro de Pcc a bactericidas, o efeito de Mycoshield® nas dosagens de 3,0 e 1,5 g L-1, e de leveduras a 10(8) cel/mL no controle da doença em casa de vegetação e em campo. As plantas foram pulverizadas com Mycoshield® (oxitetraciclina 20%) e leveduras (Rh1 e Rh2 (Rhodotorula spp.) e Sc1 (Saccharomyces cerevisae)) sete dias após o transplante, e inoculadas por picada com o isolado Pcc120, sete dias e 12 h após o tratamento, respectivamente. Em todos os experimentos foram avaliados os componentes epidemiológicos da doença. In vitro, 40 isolados de Pcc testados apresentaram resistência ao sulfato de cobre e sensibilidade a oxitetraciclina, estreptomicina, oxitetraciclina+estreptomicina e oxitetraciclina+sulfato de cobre, todos na concentração de 0,2 g L-1. Seis isolados de Pcc foram mais inibidos por Mycoshield® do que por Agri-Micina® (oxitetraciclina 1,5% + estreptomicina 15%) ambos a 3,0 g L-1, não sendo inibidos por Kasumin® (casugamicina 2%) (2,0 mL L-1). Em casa de vegetação, Mycoshield® (3,0 g L-1) reduziu a severidade e o índice de doença em até 47...

Resultado do tratamento da tuberculose com estreptomicina, isoniazida e etambutol (esquema SHM)

PICON,PEDRO DORNELLES; DELLA GIUSTINA,MARIA DE LOURDES; RIZZON,CARLOS FERNANDO CARVALHO; BASSANESI,SÉRGIO LUIZ; ZANARDO,ANA PAULA; MICHALCZUK,MATHEUS TRUCCOLO; DEI RICARDI,LETÍCIA REBOLHO
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Objetivo: Avaliar o desempenho do esquema SHM (estreptomicina, isoniazida e etambutol), na rotina de trabalho de uma unidade ambulatorial de tratamento da tuberculose. Método: Setenta e oito pacientes tuberculosos, cujo tratamento prévio com o esquema RHZ (seis meses de rifampicina, isoniazida e pirazinamida) teve de ser interrompido devido a efeitos adversos, ou que não puderam receber o esquema RHZ por serem de alto risco para hepatotoxicidade a esse esquema, foram tratados ambulatorialmente com o esquema de 12 meses de SHM, de 1986 a 1994, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Resultados: Em três pacientes houve necessidade de troca de esquema por toxicidade (3,8%). Nos 75 restantes observaram-se 58 curas (77,3%), oito abandonos (10,7%), cinco falências (6,7%) e quatro óbitos (5,3%). A taxa teórica de cura, que é o percentual de cura entre os bacilíferos que fizeram tratamento regular, foi de 95,3%. Reações adversas ocorreram em 32 pacientes (41%), sendo as mais freqüentes as manifestações de dano vestibular, em 18 (23,1%). Esses resultados foram comparados com os obtidos no mesmo ambulatório com o esquema de 12 meses de RHM (rifampicina, isoniazida e etambutol) e de seis meses de RHZ. Conclusão: O esquema SHM pode ser recomendado como alternativa para o tratamento da tuberculose quando o esquema RHZ não pode ser indicado.

Produção de arroz inoculado com bactérias diazotróficas marcadas com resistência induzida ao antibiótico estreptomicina.

GUIMARÃES, S. L.; BALDANI, V. L. D.
Fonte: Revista de Ciências Agrárias. Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, v. 56, n. 2, p. 125-132, 2013 Publicador: Revista de Ciências Agrárias. Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, v. 56, n. 2, p. 125-132, 2013
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.26%
objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da inoculação de Herbaspirillum spp. e Burkholderia spp. em relação aos componentes de produtividade do arroz. Foram conduzidos dois experimentos: o primeiro, em casa de vegetação, e o segundo, sob condições de campo, com duas cultivares de arroz (IR42 e IAC4440). No experimento em casa de vegetação, para a cv. IR42, foram utilizadas as estirpes ZAE94 e ZALIR42 (Herbaspirillum seropedicae), e M130 e M171 (Burkholderia spp.). Na cultivar IAC4440: ZAE94 e Z3 (H. seropedicae), M130 e M209 (Burkholderia spp.), com quatro repetições. Como controle, foram utilizadas plantas sem inoculação. As bactérias foram marcadas para resistência ao antibiótico estreptomicina, sendo que Herbaspirillum spp. apresentou resistência a 100 mg kg?1 de estreptomicina, enquanto Burkholderia spp., até 150 mg kg?1. A inoculação das sementes ocorreu por meio da peletização, com a turfa contendo as bactérias multiplicadas em meio Dygs. Foram plantadas quatro sementes por vaso, sendo realizada uma coleta no final do ciclo das cultivares. Já no campo, as coletas foram realizadas de acordo com o estádio fenológico das cultivares, avaliando-se: população de bactérias diazotróficas nas plantas...

Avaliação do efeito dos antimicrobianos benzilpenicilina estreptomicina e flucitosina, no crescimento “in vitro” de Leishmania braziliensis

Mello, Cintia Xavier de; Madeira, Maria de Fátima; Nóbrega, Armi Wanderley da; Abrantes, Shirley de Mello Pereira
Fonte: Eskalab Publicador: Eskalab
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.44%
As leishmanioses constituem um grupo de doenças infecciosas causadas por protozoários do gênero Leishmania. No diagnóstico laboratorial da Leishmaniose o isolamento em cultura é considerado padrão-ouro, entretanto tem como inconveniente a possibilidade de contaminação secundária por bactérias e fungos que inviabilizam o exame. A fim de minimizar a contaminação são utilizados antibióticos como benzilpenicilina e estreptomicina e antifúngicos como flucitosina. Concentrações ideais destes antimicrobianos, para que o isolamento do protozoário não seja prejudicado, necessitam ser estabelecidas. Neste trabalho estudou-se o efeito de diferentes concentrações dos antibióticos (benzilpenicilina e estreptomicina) e do antifúngico (flucitosina) sobre o crescimento de Leishmania braziliensis “in vitro”. Os resultados demonstraram que as concentrações de 1000 e 500 U/mL de benzilpenicilina e, 1000 e 500 μg/mL de estreptomicina e flucitosina, exerceram inibição significativa do crescimento do protozoário, indicando que essas substâncias devem ser utilizadas com certa cautela na rotina do diagnóstico das leishmanioses

Avaliação microbiológica do sêmen fresco e congelado de reprodutores caprinos; Microbiological evaluation of buck fresh and frozen semen

Souza, Andreia Fernandes de; Guerra, Maria Madalena Pessoa; Coleto, Zoraide Fernandes; Mota, Rinaldo Aparecido; Silva, Leonildo Bento Galiza da; Leão, Ana Emília Duarte de Souza; Nascimento Sobrinho, Eliezer Silva do
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 POR
Relevância na Pesquisa
27.26%
Objetivou-se avaliar a flora microbiana no sêmen fresco e congelado de reprodutores caprinos, assim como a eficácia dos antibióticos estreptomicina, penicilina e gentamicina, na viabilidade de doses de sêmen congeladas. Foram utilizados 25 reprodutores de diferentes raças, submetidos a duas colheitas de sêmen através do método da vagina artificial, após higiene da região prepucial. A primeira colheita do sêmen foi realizada visando o exame microbiológico e a segunda teve como objetivo proceder a congelação, após diluição em leite desnatado, utilizando penicilina + estreptomicina (A1), gentamicina (A2) ou sem antibiótico (A3). Ao proceder a avaliação microscópica no sêmen fresco, evidenciou-se média de 87,92 ± 7,76% de motilidade individual progressiva (MIP) e 4,96 ± 0,20 de vigor espermático. Em relação à avaliação bacteriana, constatou-se principalmente bactérias do gênero Staphylococcus spp e Bacillus sp. Após a congelação do sêmen, não foram evidenciadas diferenças (P>;0,05) entre os grupos quanto a MIP e vigor espermático. Entretanto, na avaliação microbiológica pós-descongelação, a bactéria do gênero Staphylococcus spp esteve presente na maioria das amostras. Observou-se também que a gentamicina (13...

Resultados preliminares de investigações sobre a ocorrência de M. tuberculosis resistentes à estreptomicina e hidrazida em amostras isoladas de animais; Preliminary results of investigations on the occurrence of Streptomycin and hydrazid resistant strains of M. tuberculosis from animal sources

Freitas, Dinoberto Chacon de; Zani Neto, Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/1955 POR
Relevância na Pesquisa
27.44%
O estudo de 38 amostras de M. tuberculosis isoladas de animais tuberculosos (27 bovinos e 11 cães) não tratados por estreptomicina ou hidrazida, revelou-nos a inexistência de amostras resistentes àquelas substâncias, nas 27 culturas obtidas de bovinos. Nas 11 amostras isoladas de cães encontrámos uma resistente a 50 mcg de estreptomicina e outra resistente a 500 mcg de estreptomicina e 100 mcg de hidrazida, ao lado de 9 amostras sensíveis. À vista dos nossos resultados, julgamos que o aparecimento de formas naturalmente resistentes de M. tuberculosis em animais não tratados, não deve constituir fato comum. O encontro de 2 amostras resistentes em cães, sugerem, a nosso ver, uma contaminação por bacilos já resistentes, possivelmente de origem humana. No entanto, tal achado nos permite prever a possibilidade da transmissão de bacilos resistentes através de animais.; Concerning to the existence of naturally resistant strains of M. tuberculosis isolated from animals never treated with streptomycin or hydrazide, the study of 38 strains (27 bovines and 11 dogs) gave negative results in all those of bovine origin and in 9 of canine origin. One strain from dog grew up in presence of 50 mcg of streptomycin and other gave positive cultures in presence of 500 mcg of streptomycin and 100 mcg of hydrazide...

Estudos sobre mastites bovinas II - Verificação da sensibilidade de agentes etiológicos de mastites bovinas à penicilina e estreptomicina; Studies on bovine mastitis II - The sensibility of bovine mastitis microorganisms to penicillin and streptomycin

Freitas, Dinoberto Chacon de; Zani Neto, Luiz; Lacerda Jr., Paulo M. G. de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/1953 POR
Relevância na Pesquisa
27.7%
Após tecerem considerações sobre os agentes etiológicos de mastites bovinas, os autores estudam o comportamento perante diferentes concentrações de penicilina e estreptomicina, de 81 microorganismos que isolaram de vacas com mastites, assim distribuidos: 32 estafilococos, dos quais 11 resistentes à penicilina e 7 à estreptomicina; 25 estreptococos, dos quais 13 resistentes à penicilina e 13 à estreptomicina; 7 amostras de Corynebacterium pyogenes, das quais 5 resistentes à penicilina e 5 pouco sensíveis à estreptomicina; 15 germes do grupo coliforme, dos quais 14 resistentes à penicilina e 7 à estreptomicina; 2 bacilos difteróides, resistentes a ambos os antibióticos. Diversas dessas amostras se comportaram como resistentes a tanto à penicilina como à estreptomicina; Studies about conduct of 81 microorganisms isolated from cows affected with mastites, in presence of various concentrations of penicillin and streptomycin have been carried out. The following results could be observed: from 32 staphylococci, 11 were penicillin resistent and 7 were streptomycin resistent; from 25 streptococci, 13 were penicillin resistent and 13 were streptomycin resistent; from 7 samples of Corynebacterium pyogenes, 5 were penicillin resistent and 5 were of little sensibility to streptomycin; in a group of 15 coliform germs...

Tentativas de inhibicion de la sintesis de enterotoxina estafilocóccica por penicilina y estreptomicina

Cotillo Z., Luís G.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 30/11/1967 SPA
Relevância na Pesquisa
27.26%
Se realizaron tentativas de inhibir la producción de las enterotoxinas estafilocóccicas por las cepas ATCC 13565, ATCC 14458, S 6 y S 100 con los antibióticos penicilina y estreptomicina. Los resultados obtenidos parecen demonstrar que la penicilina no impide la formación de proteínas enterotóxicas, siendo que por otro lado la estreptomicina a partir de la dosis de 500 myg por ml de medio impide en casi todas las cepas la producción de enterotoxinas. Con la dosis de 1000 myg/ml no se pudo demonstrar presencia de enterotoxina en ninguno de los cultivos realizados con las diversas cepas. Se indican las posibles explicaciones para estos resultados.; An attempt to inhibit Staphyloccoci enterotoxin production of strains ATCC 13565, ATCC 14458, S6 and S100 was made with penicillin and streptomycin. Results suggest that penicillin does not prevent enterotoxic protein synthesis, while streptomycin, in doses of 500 mug/ml prevent it in almost all strains. With doses of 1.000 mug/ml the presence of enterotoxin was not detected in any of the strains under study. Possible explanations for such results are suggested in this paper.

Manejo de Erwinia amylovora con Aceite Esencial de Orégano (Lippia berlandieri) y Estudio de Resistencia a Estreptomicina en Arboles de Manzano cv. 'Golden Delicious'

Romo Chacón,Alejandro; Berlanga Reyes,David I.; Guerrero Prieto,Víctor M.; Martínez Campos,Roberto; Romero Gómez,Sergio; Ramírez Legarreta,Manuel Rafael
Fonte: Sociedad Mexicana de Fitopatología A.C. Publicador: Sociedad Mexicana de Fitopatología A.C.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 ES
Relevância na Pesquisa
27.44%
El tizón de fuego causado por Erwinia amylovora (Ea), es una de las enfermedades más severas del manzano, debido a que origina la muerte de yemas florales y en ocasiones del árbol completo. Un método para su manejo es el uso de antibióticos. Sin embargo, el uso inapropiado de éstos puede inducir resistencia en las bacterias. En este trabajo se evaluó el aceite esencial de orégano (Lippia berlandieri) (carvacrol 80%) durante los años 2005 y 2006, como una alternativa orgánica para el manejo de Ea. La concentración mínima bactericida (CMB) encontrada in vitro fue de 0.055 a 0.073% (p/v). Se evaluó una concentración de 0.11% (p/v) en campo y se determinó su efecto en la reducción del daño ocasionado por Ea; estos resultados se compararon con los obtenidos con Agry-Mycin 100MR, Cuprimicin 100MR y Agry-Gent Plus 800MR. Durante ambos años, los tratamientos no presentaron diferencias significativas con respecto al testigo. El momento de la aplicación se basó en la detección de poblaciones epifíticas mediante la impresión de estigmas en medio semi-selectivo, temperatura y humedad con valores de 5%, 16.7°C y 78%, respectivamente para 2005. Por otra parte en el ciclo 2006 estos mismos parámetros fueron de 96%, 15.2°C y 70%...