Página 1 dos resultados de 788 itens digitais encontrados em 0.018 segundos

Estigma social sobre o uso de álcool; Social stigma about alcohol use

RONZANI, Telmo Mota; FURTADO, Erikson Felipe
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.47%
O uso de álcool e outras drogas é um importante problema de saúde pública em todo o mundo, com relativa complexidade no entendimento do tema e nas ações de prevenção e tratamento. O objetivo do presente estudo é apresentar uma revisão bibliográfica sobre estigma social e uso de álcool. Estudos que investigam o estigma social associado ao usuário de álcool e de outras drogas sugerem que tal associação apresenta um importante impacto tanto para a definição de políticas públicas quanto para ações de prevenção e tratamento. A moralização e os estereótipos associados aos usuários podem influenciar direta ou indiretamente nos resultados e na qualidade da prevenção e tratamento do uso. Dessa forma, estudos e ações que visem diminuir o impacto do estigma na qualidade de assistência de usuários tornam-se relevantes.; The use of alcohol and other drugs is an important public health problem worldwide with certain complexity in understanding about the subject and in prevention and treatment actions. The aim of this paper is to present a bibliographic revision about social stigma and alcohol use. Studies that investigate the social stigma related with alcohol and other drugs users suggest that such association presents an important impact both in definition of public policy and in prevention and treatment actions. Moralization and stereotype associated to users can influence direct or indirectly the quality and outcomes of treatment and prevention of drug use. Nevertheless...

O estigma da esquizofrenia na mídia: um levantamento de notícias publicadas em veículos brasileiros de grande circulação; The schizophrenia stigma and mass media: a search for news published by wide circulation media in Brazil

Guarniero, Francisco Bevilacqua; Bellinghini, Ruth Helena; Gattaz, Wagner Farid
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.4%
CONTEXTO: O estigma que pesa sobre as doenças psiquiátricas é o mais forte impedimento para que o paciente busque tratamento, mais até que a dificuldade de acesso aos serviços de saúde. A esquizofrenia também é a doença mais usada hoje como metáfora na mídia, aparecendo rotineiramente associada a crimes e violência. OBJETIVOS: Avaliação da presença do estigma estrutural na mídia brasileira por meio do levantamento de notícias em imprensa e internet que utilizam o termo "esquizofrenia" e correlatos ("esquizofrênico/a") sob três aspectos: (a) uso médico e científico; (b) atribuição do diagnóstico de esquizofrenia a suspeitos de crimes com pouco ou nenhum rigor médico ou científico; (c) uso metafórico. MÉTODOS: O estudo foi realizado em três etapas: levantamento de notícias, classificação dos itens encontrados e análise do contexto em que foram publicados. O levantamento foi realizado em dois períodos - 2008 e 2011 -, sendo o primeiro restrito ao jornal Folha de S. Paulo e o segundo ampliado para os portais dos principais veículos impressos brasileiros. RESULTADOS: Foram encontrados 229 textos, distribuídos da seguinte forma: 89 (39%) registros em ciência e saúde, com tendência à impessoalidade; 62 (27%) registros em crime e violência...

A tuberculose no interior das famílias: uma análise sobre conhecimento, atitudes e estigma social relacionados à doença; Tuberculosis in the families: an analysis about knowledge, attitudes and social stigma related to the disease

Popolin, Marcela Paschoal
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.6%
O estudo teve por objeto analisar o conhecimento, atitudes e estigma social relacionados à tuberculose em famílias de pacientes diagnosticados com essa doença, em Ribeirão Preto, SP. Trata-se de estudo epidemiológico analítico, de corte transversal, com amostragem do tipo probabilística, constituído por 110 familiares e coabitantes de pacientes de tuberculose diagnosticados entre 1 de janeiro de 2010 e 31 de julho de 2011. A coleta de dados ocorreu mediante entrevistas nos domicílios com um instrumento pré-testado na população de estudo entre 25 de julho e 31 de agosto de 2011. No plano de análise, foram contempladas a análise univariada com medidas de frequência, de posição e de dispersão; a análise bivariada, com dicotomização das variáveis dependentes e independentes, sendo aplicado o teste qui-quadrado para verificar a associação entre as mesmas. Foram calculados os Odds Ratio com respectivos intervalos de confiança de 95%. Adotou-se a probabilidade de erro tipo I de 5%. Procedeu-se, também, à regressão logística binária para identificar possíveis variáveis explicativas para o conhecimento sobre tuberculose nas famílias. Complementarmente...

Discrimination, stigma, and AIDS : a review of academic literature produced in Brazil (2005-2010); Discriminação, estigma e AIDS : revisão da produção acadêmica nacional (2005-2010)

Monteiro, Simone; Villela, Wilza Vieira; Knauth, Daniela Riva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
46.57%
Given the implications of stigma for HIV/AIDS prevention and control of the epidemic, as emphasized by UNAIDS, this study analyzes the Brazilian academic production on health, AIDS, stigma, and discrimination, available in the SciELO database from 2005 to 2010. Brazilian research on the theme is modest as compared to the international literature, but the studies follow the same trend of focusing on individual experiences of discrimination as opposed to analysis of stigma and discrimination as social processes associated with power relations and domination (macro-social structures) and the characteristics of individuals and social groups that shape social interactions. The current study seeks to analyze the reasons for the scarcity of studies on the social perspective towards stigma and discrimination in the field of public health and the implications for the development of proposals to deal with HIV/AIDS-related discrimination.; Frente às implicações do estigma para a prevenção e o controle da epidemia de HIV/AIDS, destacada pela UNAIDS, este trabalho analisa a produção acadêmica nacional sobre saúde, AIDS, estigma e discriminação, disponível no SciELO, de 2005 a 2010. Constatou-se que a literatura sobre o tema não é expressiva...

Estigma social e as famílias de doentes com tuberculose: um estudo a partir das análises de agrupamento e de correspondência múltipla

Touso, Michelle Mosna; Popolin, Marcela Paschoal; Crispim, Juliane De Almeida; Freitas, Isabela Moreira De; Rodrigues, Ludmila Barbosa Bandeira; Yamamura, Mellina; Pinto, Ione Carvalho; Monroe, Aline Aparecida; Palha, Pedro Fredemir; Ferraudo, Antônio S
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 4577-4586
POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); The social stigma associated with TB is a challenge facing management of the area of public health care. The aim of this study was to investigate the social stigma in families of patients with TB and identify the profile of those who are affected by the event in relation to socioeconomic and demographic conditions. It is a cross-sectional study that was conducted in 2011 in the city of Ribeirão Preto, state of São Paulo, Brazil, with a sample of 110 individuals. The data were analyzed using the univariate descriptive technique and cluster and multiple correspondence assessment. The stigmatized groups tend to have lower scholarity, incipient access to the media and little understanding about TB, as opposed to those that have higher educational levels, continuous access to the media, consider themselves well informed and show proactive attitudes to deal with the disease. The identification of varied profiles highlights the need to develop health interventions to cater to the singularities of families with respect to the social stigma of the disease.; O estigma social da tuberculose é um desafio que se coloca à gestão do cuidado na área da saúde pública. O objetivo deste estudo foi investigar o estigma social em famílias de doentes com TB e identificar o perfil daquelas que são acometidas pelo evento em relação às condições socioeconômicas e demográficas. Trata-se de um estudo transversal realizado no município de Ribeirão Preto...

Estigma e discriminação: experiências de mulheres HIV positivo nos bairros populares de Maputo, Moçambique

Andrade,Rosário Gregório; Iriart,Jorge Alberto Bernstein
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.44%
A epidemia de HIV/AIDS é um sério problema de saúde pública em Moçambique, que convive com altas taxas de prevalência do HIV. O impacto da epidemia é agravado pelo forte estigma que atinge as pessoas soropositivas. O objetivo deste estudo foi investigar, com base em uma perspectiva socioantropológica, a experiência de mulheres HIV positivo nos bairros populares de Maputo e como lidam com o estigma e a discriminação. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com dez mulheres HIV positivo, residentes nos bairros populares de Maputo. Os resultados mostram como a desigualdade de gênero atua de forma importante na construção da vulnerabilidade das mulheres ao HIV, assim como em sua estigmatização e discriminação. No enfrentamento do estigma, as mulheres procuram preservar o sigilo do diagnóstico buscando apoio na reunião em grupos de pares HIV positivo. É fundamental que se implementem políticas públicas voltadas para o empoderamento das mulheres e redução do estigma associado ao HIV/AIDS.

"Como ferrugem em lata velha": o discurso do estigma de pacientes institucionalizados em decorrência da hanseníase

Leite,Soraia Cristina Coelho; Sampaio,Cristina Andrade; Caldeira,Antônio Prates
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.5%
Este estudo analisa os discursos de pacientes institucionalizados em função da hanseníase, focalizando o estigma e seu enfrentamento para inclusão social. Trata-se de estudo qualitativo, desenvolvido na Casa de Saúde Santa Fé, em Minas Gerais, Brasil. Participaram dez pacientes que responderam a uma entrevista no período de março a outubro de 2011. A história oral foi a metodologia adotada e utilizou-se a técnica da análise de discurso na avaliação das entrevistas, partindo-se do referencial psicossocial. Constatou-se, nos depoimentos, a força do estigma, bem como seu caráter, aparentemente permanente, no imaginário coletivo acerca da hanseníase. Percebe-se que o estigma ainda representa forte entrave no enfrentamento da doença, podendo produzir alterações no psiquismo e na história de vida dos indivíduos acometidos. Conclui-se pela necessidade de abordagem ampla de apoio à inclusão social de pacientes sequelados pela hanseníase.

O estigma da doença mental e as residências terapêuticas no município de Volta Redonda-RJ

Martins,Gizele da Conceição Soares; Peres,Maria Angélica de Almeida; Oliveira,Alexandra Medeiros Brito de; Stipp,Marluci Andrade Conceição; Almeida Filho,Antonio Jose de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
56.4%
Os objetivos desta pesquisa são caracterizar o estigma vivenciado por portadores de transtorno mental e profissionais de saúde, durante o processo de implantação das Residências Terapêuticas; e analisar a atuação da equipe de enfermagem para a transposição destes obstáculos e implantação das mesmas. É uma pesquisa qualitativa de cunho histórico-social. As fontes primárias foram constituídas de documentos escritos e seis entrevistas. O referencial teórico para análise dos resultados foi o autor Erving Goffman. Observou-se que o estigma social resultou na resistência de alguns atores sociais para implantação e permanência das Residências Terapêuticas, tanto por parte dos moradores próximos as mesmas quanto para o aluguel destes imóveis. Também se evidenciou crise de identidade profissional. Concluiu-se que o enfermeiro teve papel fundamental ao interferir no processo de estigmatização ao portador de transtorno mental e aos profissionais de saúde mental, mostrando que a mudança na forma da assistência prestada seria uma inovação.

Revisão sistemática da literatura sobre estigma social e alcoolismo

Silveira,Pollyanna Santos da; Martins,Leonardo Fernandes; Soares,Rhaisa Gontijo; Gomide,Henrique Pinto; Ronzani,Telmo Mota
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.45%
Diversas pesquisas têm abordado o tema estigma social e suas implicações na vida dos estigmatizados. Uma vez que o alcoolismo e problemas relacionados ao uso de álcool configuram-se como um dos principais problemas de saúde pública da América Latina, o presente artigo teve como objetivo realizar uma pesquisa bibliométrica de artigos científicos sobre os temas estigma social, estereotipagem e alcoolismo. Os artigos foram pesquisados em quatro bancos de dados LILACS (Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde), PsycInfo, PubMed e SciELO, entre 1997 e 2007, utilizando os descritores: stigma, stereotyped attitudes, stereotyping e alcoholism. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, nove artigos foram analisados. Demonstrou-se que a área ainda não apresenta convergência de objetivos, instrumentos e população, sinalizando a não existência de uma metodologia consolidada para mensurar estigma. Ademais, a literatura sobre o tema não vem crescendo como esperado, sendo necessário maior investimento em pesquisas para desenvolvimento de estratégias de prevenção e reabilitação.

Estigma social e as famílias de doentes com tuberculose: um estudo a partir das análises de agrupamento e de correspondência múltipla

Touso,Michelle Mosna; Popolin,Marcela Paschoal; Crispim,Juliane de Almeida; Freitas,Isabela Moreira de; Rodrigues,Ludmila Barbosa Bandeira; Yamamura,Mellina; Pinto,Ione Carvalho; Monroe,Aline Aparecida; Palha,Pedro Fredemir; Ferraudo,Antônio Sérgio; Vil
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.54%
O estigma social da tuberculose é um desafio que se coloca à gestão do cuidado na área da saúde pública. O objetivo deste estudo foi investigar o estigma social em famílias de doentes com TB e identificar o perfil daquelas que são acometidas pelo evento em relação às condições socioeconômicas e demográficas. Trata-se de um estudo transversal realizado no município de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, em 2011, com uma amostra de 110 sujeitos. Os dados foram analisados mediante técnica descritiva univariada e análises de agrupamento e de correspondência múltipla. Os grupos com estigma apresentaram baixa escolaridade, acesso incipiente aos meios de informação e pouca mobilização referente à compreensão sobre a doença, diferenciando-se dos demais grupos que apresentam comportamentos e atitudes positivas, com níveis de escolaridade mais elevados, acesso contínuo aos meios de informação e se dizem conhecedores da TB. A identificação de diferentes perfis aponta para necessidade de serem desenvolvidas ações em saúde sensíveis às singularidades das famílias no que se refere ao estigma social da doença.

Da negatividade a positividade: possível trânsito de saberes, práticas e representações sociais sobre o estigma da hanseníase

Lima, Izabella Bezerra de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.55%
Leprosy is a chronic infectious-contagious disease, caused by Mycobacterium leprae, manifested by dermatological and neurological signs and symptoms and has great disabling power. It was marked by a strong stigma throughout its history, since its bearers represented a threat, target of fear and social contempt. Currently, leprosy has treatment and cure, and the need to separate the diseased from family and social environment is no more necessary. However, patients still suffer prejudice and discrimination. This study aimed to understand the social representations of leprosy that interfere modifying mental health of the patient with leprosy in relation to stigma and prejudice. This is a descriptive and exploratory study, with qualitative approach, which involved 22 users of the Special Care Clinic in Infectious Diseases at the Hospital Giselda Trigueiro, located in Natal / RN. They were in use of multidrug therapy in the period of data collection, were of both sexes, aged between 16 and 80 years of age and classified as paucibacillary or multibacillary. The study was approved by the UFRN Ethics in Research Committee. Data collection was performed by filling the questionnaire identification and then for conducting the semi-structured interview...

Estigma social, trastorno mental, identidad y desempeño ocupacional: relaciones pendientes de transformación

Lojo Sayáns, Sandra
Fonte: Universidade da Corunha Publicador: Universidade da Corunha
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
56.59%
Traballo fin de grao (UDC.FCS). Terapia ocupacional. Curso 2012/2013; Introducción: El término del estigma ha ido variando a lo largo del tiempo, y con ello su significado. Erving Goffman, define estigma por primera vez. Son aspectos principales los estereotipos, prejuicios y discriminación, siendo éstos influenciados de forma negativa directamente por los medios de comunicación y actitudes generales de la población. Las personas con trastorno mental constituyen uno de los grupos sociales estigmatizados más estudiados, siendo vulnerables en derechos, y diversas facetas de la vida que merman igualmente su desempeño ocupacional. Material y Método: El objetivo principal del estudio es la relación entre el estigma percibido y el desempeño ocupacional desde la perspectiva de los participantes, personas con trastorno mental, familiares y profesionales. Se trata de una investigación cualitativa enmarcada bajo el paradigma fenomenológico, cuya recogida de información ha sido mediante entrevistas semiestructuradas con pregunta abierta Este estudio se ha desarrollado sido un Hospital de Día de Psiquiatría del Servicio Galego de Saúde. Se asegurará el rigor siguiendo los criterios de credibilidad, confirmabilidad y transferibilidad. Resultados: Tras el análisis de la información recogida...

A inclusão social pelo trabalho no processo de minimização do estigma social pela doença

Volz,Pâmela Moraes; Tomasi,Elaine; Bruck,Ney Roberto Vattimo; Saes,Mirelle de Oliveira; Nunes,Bruno Pereira; Duro,Suele Manjourany Silva; Facchini,Luiz Augusto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.41%
Com o objetivo de refletir sobre a importância da inclusão social pelo trabalho no processo de redução do estigma social pela doença, este artigo apresenta a narrativa de três usuárias, vinculadas às Oficinas de Geração de Trabalho e Renda da Reabilitação Trabalho e Arte (Retrate), que sofrem com o preconceito e a discriminação por serem portadoras de transtornos mentais. Pautando-se nas contribuições teóricas de Erving Goffman e valendo-se da proposta metodológica trazida pela sociologia da vida cotidiana e pela história oral de vida, o resultado obtido aponta que a inclusão social pelo trabalho é o principal meio para a positivação da identidade dos portadores de transtornos mentais e para a redução da estigmatização social pela doença. Ao sentirem-se reconhecidos por seu trabalho e conceberem o grupo como uma "família", esses sujeitos têm a baixa autoestima, os sentimentos de anormalidade, o medo e a desvalorização visivelmente minimizados.

La mirada de los medios de comunicación y la generación del estigma social: las pandillas juveniles de Puerto Tejada, Cauca

Fonte: Universidad Autónoma de Occidente; Comunicación Social-Periodismo Publicador: Universidad Autónoma de Occidente; Comunicación Social-Periodismo
Tipo: Bachelor Thesis; Proyecto de Grado Formato: PDF
SPA
Relevância na Pesquisa
66.24%
El presente trabajo tuvo como propósito indagar sobre el tratamiento de la información publicada por el periódico El País con relación al estigma social que tienen en la actualidad las pandillas juveniles del Municipio de Puerto Tejada, Cauca. Igualmente se indagó el pasado para conocer su historia, algunos aspectos sociodemográficos propios de la población y de esta manera conocer a profundidad el contexto en el cual se desarrollan los habitantes de esta localidad. Para dar cumplimiento con lo propuesto con anterioridad, se planteó una investigación cualitativa, en la que se realizó una revisión y sistematización de las noticias publicadas por el periódico El País durante el periodo comprendido entre Enero a Diciembre del 2014 y de Enero a Febrero del 2015, en total fueron revisadas 426 periódicos, en los cuales se encontraron 10 noticias, que trataban sobre la problemática de estudio. Por último se comparó las informaciones encontradas en el periódico El País con las percepciones de algunos habitantes del municipio

Estigma social y adopción internacional en España. ¿Es la familia adoptiva un modelo familiar menos «auténtico» que los basados en lazos biológicos?

Rodríguez-Jaume, María José; Jareño Ruiz, Diana
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2015 SPA
Relevância na Pesquisa
56.26%
En España, el fenómeno de las adopciones internacionales irrumpe en la década de 1990. En 2004, se convirtió en el segundo país del mundo que las llevaba a cabo. Con el objetivo de incrementar el conocimiento sociológico sobre la familia adoptiva internacional española, se realizó la encuesta a través de web titulada Las familias adoptivas y sus estilos de vida. A partir de las respuestas ofrecidas por 230 madres y padres adoptivos, se dibuja el perfil sociodemográfico de sus hogares. Estos se caracterizarían por contar con progenitores con elevado nivel formativo, no adscritos a ninguna religión, que defienden políticas de izquierdas y que comparten un sistema de valores posmodernos respecto a la institución familiar. La identificación de la estructura doméstica según su tipo de alianza (biparental o monoparental) y su tipo de filiación (adoptiva o mixta) nos permite situar a la adopción contemporánea como una opción de filiación elegida y no, exclusivamente, como alternativa ante la imposibilidad de tener hijos biológicos. Adicionalmente, los resultados arrojados por la encuesta nos permiten adentrarnos en uno de los aspectos menos abordados en el estudio sociológico de la familia adoptiva: el papel de las actitudes sociales hacia la adopción y su impacto en aquella. La mayoría de los encuestados perciben el estigma social del que es objeto su familia adoptiva...

Drogadependencia, estigma y exclusión en salud: Barreras de accesibilidad de drogadependientes a servicios de salud en las ciudades de Barcelona y Buenos Aires

Vázquez,Andrea; Romaní,Oriol
Fonte: Anuario de investigaciones Publicador: Anuario de investigaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 ES
Relevância na Pesquisa
46.48%
El problema del estigma y la discriminación, constituye un desafío para la investigación sobre exclusión en salud. La relevancia de estudiar los procesos de estigma social, se basa en la necesidad de identificar componentes que disminuyan la exclusión desde una lógica de protección social en salud (OPS/OMS, 2005, p.2). El objetivo del trabajo es construir articulaciones entre los procesos de estigmatización social y la drogadependencia como un caso particular de exclusión en salud¹. Para ello, se realiza una revisión bibliográica y documental y se analizan resultados seleccionados de dos investigaciones que indagan la relación entre los procesos de estigma social sobre la drogadependencia y sus efectos en la accesibilidad de drogadependientes a la atención en salud. La reducción de la estigmatización y la discriminación, es fundamental para la elaboración de políticas de inclusión desde una lógica de respeto por los derechos humanos.

Estigma: barrera de acceso a servicios en salud mental

Campo-Arias,Adalberto; Oviedo,Heidi Celina; Herazo,Edwin
Fonte: Revista Colombiana de Psiquiatría Publicador: Revista Colombiana de Psiquiatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2014 ES
Relevância na Pesquisa
46.52%
Introducción: El estigma percibido supone una barrera sociocultural para el acceso a servicios de salud mental y priva a las personas que reúnen criterios de trastorno mental de la posibilidad de disfrutar de atención integral e integrada. Objetivo: Actualizar los mecanismos institucionales por los cuales el estigma, percibido y perpetrado, relacionado con los trastornos mentales se configura como una barrera de acceso a la salud mental. Resultados: El estigma como barrera para el acceso a servicios de salud mental se materializa con la reducción de solicitud de atención, la escasa asignación de recursos a salud mental, el proceso sistemático de pauperización de las personas que los padecen, el incremento del riesgo de implicaciones en delitos y el contacto con el sistema legal y en invisibilización de la vulnerabilidad de estas personas. Conclusiones: Se necesita un proceso estructurado de sensibilización y educación de los distintos colectivos para promover el conocimiento sobre los trastornos mentales, favorecer la rehabilitación psicosocial en comunidad y la inclusión social y laboral. En Colombia, es necesario estudiar la frecuencia y las variables asociadas al estigma relacionado con trastornos mentales. Este conocimiento permitirá la implementación de acciones para favorecer la inclusión social de las personas que reúnen los criterios de trastorno mental.

Estigma y salud mental en personas víctimas del conflicto armado interno colombiano en situación de desplazamiento forzado

Campo-Arias,Adalberto; Herazo,Edwin
Fonte: Revista Colombiana de Psiquiatría Publicador: Revista Colombiana de Psiquiatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 ES
Relevância na Pesquisa
46.52%
Introducción: El prolongado fenómeno de violencia sociopolítica colombiana generó un alto número de víctimas, muchas de quienes sufrieron un continuo proceso de desplazamiento interno y del complejo estigma-discriminación. Objetivo: Postular por qué en Colombia las víctimas del conflicto armado interno en situación de desplazamiento (VCAISD) fueron estigmatizadas-discriminadas. Resultados: El estigma afecta a la salud mental no solo porque representa un estresor importante para las personas y los colectivos discriminados, sino también porque da cuenta de las desigualdades e inequidades que se observan en salud. Inicialmente, debido a que las VCAISD no se consideraron como tales, sino responsables de la situación, las desigualdades sociales y económicas que debieron afrontar dieron cuenta parcialmente de la baja categorización o estatus que recibieron, posiblemente por la deficiente construcción de capital social en el país. Asimismo, las VCAISD sufren de estigma y discriminación intersectorial por otras características como sexo, orientación sexual y origen étnico-racial o por reunir criterios de trastorno mental. Conclusiones: Se necesita un proceso de desarrollo social inclusivo para las VCAISD que reduzca los múltiples complejos estigma-discriminación y garantice el derecho a la salud mental.

Estudio cualitativo sobre la autopercepción del estigma social en personas con esquizofrenia

Ochoa,Susana; Martínez,Francisco; Ribas,Maria; García-Franco,Mar; López,Elisabeth; Villellas,Raul; Arenas,Otilia; Álvarez,Irene; Cunyat,Christian; Vilamala,Sonia; Autonell,Jaume; Lobo,Esther; Haro,Josep Maria
Fonte: Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría Publicador: Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
66.43%
Introducción y objetivos: Pocos son los estudios que evaluan la autopercepción del estigma social en las personas que padecen esquizofrenia. El objetivo del presente estudio consiste en analizar la percepción sobre la esquizofrenia que tienen las personas que la padecen. Material y métodos: Se realizaron dos sesiones en cuatro grupos focales de personas con esquizofrenia que estaban siendo atendidas en servicios de rehabilitación psicosocial del Parc Sanitari de Sant Joan de Déu. A partir de un guión establecido se valoraron un total de 11 áreas abordadas en los grupos. Resultados: Las áreas de peligrosidad, culpa, pérdida de roles sociales y miedo al rechazo fueron aquellas que más mencionaron y más preocupaban a las personas que participaron en los grupos focales. Conclusión: Intervenciones para reducir el estigma social en la comunidad y en los propios usuarios/as deberían ser tenidas en cuenta, especialmente en estas áreas.

Estigma social e as famílias de doentes com tuberculose: um estudo a partir das análises de agrupamento e de correspondência múltipla

Touso,Michelle Mosna; Popolin,Marcela Paschoal; Crispim,Juliane de Almeida; Freitas,Isabela Moreira de; Rodrigues,Ludmila Barbosa Bandeira; Yamamura,Mellina; Pinto,Ione Carvalho; Monroe,Aline Aparecida; Palha,Pedro Fredemir; Ferraudo,Antônio Sérgio; Vil
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.54%
O estigma social da tuberculose é um desafio que se coloca à gestão do cuidado na área da saúde pública. O objetivo deste estudo foi investigar o estigma social em famílias de doentes com TB e identificar o perfil daquelas que são acometidas pelo evento em relação às condições socioeconômicas e demográficas. Trata-se de um estudo transversal realizado no município de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, em 2011, com uma amostra de 110 sujeitos. Os dados foram analisados mediante técnica descritiva univariada e análises de agrupamento e de correspondência múltipla. Os grupos com estigma apresentaram baixa escolaridade, acesso incipiente aos meios de informação e pouca mobilização referente à compreensão sobre a doença, diferenciando-se dos demais grupos que apresentam comportamentos e atitudes positivas, com níveis de escolaridade mais elevados, acesso contínuo aos meios de informação e se dizem conhecedores da TB. A identificação de diferentes perfis aponta para necessidade de serem desenvolvidas ações em saúde sensíveis às singularidades das famílias no que se refere ao estigma social da doença.