Página 1 dos resultados de 1644 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Orfandade e estigma: vivências de jovens órfãos em decorrência da aids; Orphans and stigma: young orphans living with aids

Ferrara, Andrea Paula
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
A epidemia da aids afeta a vida de crianças e jovens, independentemente da presença do HIV/Aids, através do adoecimento, perda dos pais, estigma, discriminação, entre outros. Este estudo teve como objetivo compreender o significado de ser órfão para jovens que perderam um ou ambos os pais em decorrência da aids e compreender os processos de estigmatização decorrentes dessa morte. Foram analisadas 19 entrevistas em profundidade realizadas com jovens órfãos, com idade entre 15 e 22 anos, residentes na cidade de São Paulo, entre os anos de 2005 e 2007. O sentido atribuído à morte e todo o ritual que a cerca é concebido como socialmente construído e a morte em decorrência da aids permeada pelo estigma que acompanha a aids desde o início da epidemia. Foram encontrados cinco significados associados à orfandade: dificuldade de falar sobre a orfandade ligada à aids; sentir falta do cuidado materno; o desafio de ser independente; não se sentir órfão e sentir tristeza em decorrência da morte. Os processos de estigmatização foram divididos em estigma sentido e efetivado e aconteceram na escola, na casa de amigos, na rua e com a namorada. Todos os relatos e cenas de estigma foram de estigma por associação, pois decorriam da causa da morte do(s) pai(s). Percebe-se que a orfandade em decorrência da aids impacta a vida dos jovens. Eles convivem com as adversidades com apoio da família...

O estigma da doença mental: compreensão e ações dos trabalhadores dos CAPS; The stigma of mental illness: understanding and actions of workers of the CAPS.

Santos, Jussara Carvalho dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
O Estigma é definido como um atributo profundamente depreciativo, que aos olhos da sociedade serve para desacreditar a pessoa que o possui, contribuindo com a discriminação social. Durante séculos a pessoa com doença mental se sentiu estigmatizada porque ser vista como louca pelo grupo cultural com quem convive. Esta forma de produção cultural do estigma se dá de modo similar no Brasil. Desta forma, as equipes dos serviços substitutivos territoriais, como o CAPS, devem realizar ações que mude a questão cultural em relação à loucura para poder alcançar a superação do estigma da doença mental. Para que isso possa acontecer, os profissionais de saúde mental tem de reconhecer os usuários dos serviços substitutivos territoriais como cidadãos, caso contrário eles reforçarão o estigma e a discriminação já prevalentes na sociedade. A equipe multidisciplinar dos CAPS tem um papel importante para ampliar debates sobre os direitos e sobre a cidadania das pessoas com doença mental no seu território de atuação, informando às pessoas com e sem doença mental e aos empregadores sobre o propósito de diminuir a discriminação/estigma relacionado à doença mental. Esta equipe deve aproveitar as oportunidades dentro e fora do campo de trabalho em saúde mental para promover a inclusão social...

O conceito de estigma como processo social: uma aproximação teórica a partir da literatura norte-americana

Siqueira, Ranyella de; Cardoso Júnior, Hélio Rebello
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 92-113
POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); This article implies in a literature review to discuss the stigma concept for Goffman and some authors among others that developed their ideas from him. Among the chosen authors: Ainlay, Coleman & Becker; Link & Phelan; Stafford & Scott; Becker & Arnold; Martin; Jones, Farina, Hastorf et al; and Crocker & Major. So, we tried the first aim involves to relate Goffman and the authors who think the stigma concept like a process established by the social. The second goal aims to relate Goffman and the authors who think the stigma concept based on the relationship between the stigmatized person and stigma. The theoretical methodology is based on readings and discussion, since it is a theorical survey.; Este artigo consiste em uma revisão bibliográfica com objetivo de discutir o conceito de estigma para Goffman e para alguns entre tantos autores que desenvolveram suas ideias a partir dele – entre os autores escolhidos: Ainlay, Coleman & Becker; Link & Phelan; Stafford & Scott; Becker & Arnold; Martin; Jones, Farina, Hastorf et al; e Crocker & Major. Assim, buscou-se relacionar Goffman e os autores que pensam o conceito de estigma sob a visão de que estigma é um processo estabelecido pelo social e...

Estigma na epilepsia

Paula Teixeira Fernandes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/10/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Epilepsia é uma condição neurológica crônica muito comum e seu diagnóstico revela uma alta incidência de dificuldades psico-sociais, que parecem estar relacionadas ao estigma existente. Infelizmente, este aspecto é muito pouco abordado, especialmente em países em desenvolvimento, como o Brasil. Este trabalho teve dois objetivos principais: criar um escala de avaliação da percepção do estigma na epilepsia e quantificar o estigma da epilepsia em nossa cultura. Neste sentido, este trabalho teve nove etapas: i) conceituar o estigma na epilepsia; ii) buscar os aspectos mais comuns do estigma na comunidade, iii) comparar o preconceito da epilepsia com AIDS e diabetes, iv) validar a Escala de Estigma na Epilepsia, v) realizar um levantamento epidemiológico do estigma na cidade de Campinas, vi) comparar a percepção do estigma em diferentes cidades do Brasil, vii) identificar o estigma em profissionais da saúde, viii) identificar a percepção do estigma em professores e ix) avaliar a percepção do estigma em crianças da quarta série do ensino fundamental. Com estes passos, foi possível elaborar o nosso modelo de estigma na epilepsia e construir uma Escala de Estigma na Epilepsia (EEE) de fácil execução, com dez questões e alta consistência interna (alpha de Cronbach = 0...

Crianças e adolescentes com HIV/AIDS : revisão de estudos sobre revelação do diagnóstico, adesão e estigma; Children and adolescents with HIV/AIDS : a review on disclosure of diagnosis, adherence and stigma; Niños y adolescentes con VIH/SIDA : un repaso sobre revelación del diagnóstico, adhesión y estigma

Guerra, Camila Peixoto Pessôa; Seidl, Eliane Maria Fleury
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O artigo discute os temas revelação do diagnóstico, adesão e estigma relativos a crianças e adolescentes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). A revisão da literatura incluiu artigos nacionais e internacionais, publicados a partir do ano 2000, e foi realizada por meio de buscas eletrônicas em bases de dados. Foram selecionados vinte e um artigos, duas dissertações de mestrado e cinco publicações institucionais. Concluiu-se que a revelação do diagnóstico tende a ser postergada pelos cuidadores. O medo do estigma pode dificultar a comunicação clara sobre a enfermidade e o tratamento, com repercussões negativas sobre os níveis de adesão de crianças e adolescentes soropositivos. Diante dos desafios identificados, pesquisas e recomendações são sugeridas no sentido de nortear a prática profissional de equipes de saúde que prestam assistência a essa clientela. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This study aims to present and discuss the themes disclosure of diagnosis, adherence and stigma related to children and adolescents infected with Human Immunodeficiency Virus (HIV). A bibliographical review of literature included Brazilian and international articles published since 2000 available in electronic databases. Twenty-one articles...

Experiências do estigma na depressão: um estudo transcultural

Moreira,Virginia; Telles,Thabata Castelo Branco
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Na pesquisa O significado da depressão na contemporaneidade: um estudo crítico-cultural no Brasil, Chile e Estados Unidos (Moreira, 2007), uma das categorias emergentes da análise fenomenológica das entrevistas foi o estigma. Este artigo retoma esse resultado, buscando aprofundar a compreensão da experiência vivida do estigma em pessoas diagnosticadas com depressão nos 3 países. Com este fim, foram reanalisadas fenomenologicamente 51 entrevistas (n=15, em Fortaleza; n=20, em Santiago; e n=16, em Boston). Os resultados apontam peculiaridades em cada país, mostrando o conteúdo qualitativamente diferente da experiência vivida do estigma na depressão nos três países. Só no Brasil aparecem conteúdos relacionados à preocupação com a evitação do estigma; apenas no Chile, o estigma foi encontrado associado à culpa, vergonha e falta de privacidade; e unicamente nos Estados Unidos o estigma aparece relacionado ao racismo, o que possivelmente estaria relacionado a diferenças culturais.

Estigma e discriminação vividos na escola por crianças e jovens órfãos por Aids

Zucchi,Eliana Miura; Barros,Claudia Renata dos Santos; Paiva,Vera Silvia Facciolla; França Junior,Ivan
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
A restrição de direitos humanos é uma das características mais marcantes da epidemia da Aids. Crianças e jovens infectados ou afetados pela Aids são particularmente vulneráveis a sofrer estigma em ambientes educacionais. O objetivo deste artigo foi analisar episódios de estigma e discriminação relacionados ao HIV/Aids na escola. Integradas a um estudo de base populacional, foram analisadas sete entrevistas em profundidade com coordenadores pedagógicos de seis escolas públicas e privadas, de ensino infantil e fundamental, na cidade de São Paulo. A maioria dos episódios de estigma vividos por crianças e jovens no âmbito escolar ocorreu em circunstâncias de namoro/sexualidade, conflito com colegas, dificuldade de aprendizagem, revelação da orfandade por Aids, interação entre professores e alunos com HIV, sendo as causas mais frequentemente atribuídas: ter HIV, ser proveniente de "família desestruturada", desigualdade nos papéis de gênero, idade e classe social. Homofobia e racismo foram indicados como reforçadores do estigma. Foram descritas respostas institucionais ao estigma da Aids e práticas de atividades de prevenção às DST/Aids. Os episódios indicam o quanto o estigma e a discriminação relacionados ao HIV/Aids podem aprofundar uma desigualdade social já instalada no âmbito da educação...

Percepção de estigma na epilepsia

Fernandes,Paula Teixeira; Li,Li Min
Fonte: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) Publicador: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
INTRODUÇÃO: Pessoas com epilepsia frequentemente vivenciam o estigma, muitas vezes mais prejudicial que a própria condição em si. De maneira geral, pode-se dizer que a epilepsia é uma das condições que mais afeta o comportamento e a qualidade de vida, não só da pessoa que tem epilepsia, mas também da família toda, especialmente devido ao estigma existente. Por isso, dizemos que a epilepsia causa um impacto bio-psicosocial na vida das pessoas. Porém, este aspecto do estigma na epilepsia é pouco abordado, especialmente em países em desenvolvimento, como o Brasil, onde superstições, atitudes negativas e falta de informação dificultam a relação da comunidade com a epilepsia. OBJETIVO: Este artigo tem o objetivo de discutir aspectos relevantes do estigma na epilepsia: conceituação e modelos de estigma na área médica e social; estigma e qualidade de vida; fatores operantes; aspectos neurobiológicos e estratégias para se lidar com o estigma na epilepsia. CONCLUSÕES: Este artigo mostrou uma visão geral do estigma englobando seus diferentes aspectos. Pelo fato de ser um conceito multifatorial, o combate ao estigma requer também uma intervenção ampla, envolvendo as áreas médica, psicológica e social. O entendimento do processo do estigma contribui para uma mudança da interpretação social da epilepsia...

Percepção do estigma na criança com epilepsia refratária: estudo comparativo entre doenças crônicas na infância

Schlindwein-Zanini,Rachel; Portuguez,Mirna Wetters; Costa,Danielle I.; Marroni,Sabine Possa; Costa,Jaderson Costa da
Fonte: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) Publicador: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
A epilepsia refratária gera impacto na integração social, tendo repercussões emocionais e neuropsicológicas, possibilitando a vivência do estigma pelo paciente e seus familiares. OBJETIVO: Avaliar a percepção do estigma em crianças com epilepsia refratária e asma grave e em seus respectivos cuidadores, correlacionando os resultados entre estas duas doenças crônicas. Verificar as possíveis diferenças na percepção do estigma entre estes dois grupos de crianças. MÉTODOS: Estudo hipotético-dedutivo-observacional-transversal. A amostra foi constituída de crianças com epilepsia refratária (e seus cuidadores) e do grupo controle constituído por crianças com asma grave (e seus respectivos cuidadores). As avaliações foram realizadas a partir de Escalas de Estigma (Child stigma scale e Parent stigma scale) e Escalas Weschsler de inteligência (WISC III - versão para crianças e WAIS III - versão para adultos) (em critérios de exclusão). RESULTADOS: A análise de variância mostrou que a percepção do estigma é semelhante em ambas doenças, com médias de 22,35 nas crianças com epilepsia e 20,84 naquelas com asma. A maioria das crianças apresentou pontuação na escala de estigma, entre valores médios e altos...

Lazer, viol??ncia e estigma: estudo dos jovens do Vila Ip??; Lazer, viol??ncia e estigma: estudo dos jovens do Vila Ip??

LIMA, Liliane Nobre
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o F??sica; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o F??sica; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o F??sica; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o F??sica; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
This work aims to investigate the reality of young in Vila Ip?? subdivision, leisure options and the influences caused by the stigma that was constructed violent place. For this, we have considered philosophically methodological assumptions of Historical Materialism Dialectic, guided by the suggestions of Trivi??os (2008) for the development of a research line in Dialectic, outlined in the following three stages: contemplation alive and the analysis and the concrete reality of the phenomenon. The instruments used were questionnaire with open, free observation and semistructured interview, with the subjects, young people between 14 and 19 years residing in the subdivision and are studying or have studied at the at the School Hall Elementary School Ruben Bento Alves. To achieve this study, firstly, the delimit reality and the peculiarities of Vila Ipe in the context of Caxias do Sul, demonstrating the importance of understanding their dynamics and their development. Apart from training and urbanization of the community, we emphasize the school as a reference and leisure as deprivation, two of its singularities. In this context, we seek the understanding of one aspect of this reality, which stands out in a general way to refer to Vila Ipe caxiense in society...

Estigma sentido en personas con VIH positivo propuesta de intervención analítica conductual

Ostos Rosas, Diana
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Tipo: masterThesis; Tesis de Grado Maestría Formato: Pdf
Relevância na Pesquisa
37.32%
El VIH/Sida constituye una enfermedad que trae consigo diversas problemáticas a nivel psicológico en las personas que presentan ésta condición, y una de ellas es la de estigma sentido. De acuerdo con Jiménez, Ramos, Morales, Asencio, Sala, Castro, Santori, Santiago, Zorrilla (2010), el estigma sentido está compuesto por cuatro dimensiones: estigma personalizado, autoimagen negativa, preocupación por actitudes públicas y preocupaciones por la divulgación, el cual se ve acrecentado por patrones inflexibles de funcionamiento psicológico. La presente investigación tuvo como propósito determinar el efecto que tiene una intervención orientada a transformar la función psicológica asociada a las conductas de estigma sentido e inflexibilidad psicológica de tres participantes, a través de la implementación de un diseño cuasi experimental de caso único tipo AB con seguimiento. Como instrumentos se utilizaron la escala de estigma sentido para personas con VIH (Jiménez et al 2010), y el Cuestionario de Aceptación y Acción (AAQ-II) (Barraca, 2004), también se usaron los registros de experiencias diarias y de disposición creados por Barnes-Holmes (2012). Los resultados obtenidos a partir de los instrumentos y registros demuestran que la intervención utilizada tuvo un efecto favorable al lograr la disminución del nivel de estigma sentido...

Estigma social, trastorno mental, identidad y desempeño ocupacional: relaciones pendientes de transformación

Lojo Sayáns, Sandra
Fonte: Universidade da Corunha Publicador: Universidade da Corunha
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
37.32%
Traballo fin de grao (UDC.FCS). Terapia ocupacional. Curso 2012/2013; Introducción: El término del estigma ha ido variando a lo largo del tiempo, y con ello su significado. Erving Goffman, define estigma por primera vez. Son aspectos principales los estereotipos, prejuicios y discriminación, siendo éstos influenciados de forma negativa directamente por los medios de comunicación y actitudes generales de la población. Las personas con trastorno mental constituyen uno de los grupos sociales estigmatizados más estudiados, siendo vulnerables en derechos, y diversas facetas de la vida que merman igualmente su desempeño ocupacional. Material y Método: El objetivo principal del estudio es la relación entre el estigma percibido y el desempeño ocupacional desde la perspectiva de los participantes, personas con trastorno mental, familiares y profesionales. Se trata de una investigación cualitativa enmarcada bajo el paradigma fenomenológico, cuya recogida de información ha sido mediante entrevistas semiestructuradas con pregunta abierta Este estudio se ha desarrollado sido un Hospital de Día de Psiquiatría del Servicio Galego de Saúde. Se asegurará el rigor siguiendo los criterios de credibilidad, confirmabilidad y transferibilidad. Resultados: Tras el análisis de la información recogida...

Potencial de Recovery do Doente com Esquizofrenia versus Auto-Estigma [Póster]

Dias, Carlos Manuel de Melo; Lopes, Dília Maria Fonseca; Lourenço, Isabel Maria dos Santos Silva; Simões, Maria da Conceição Ribeiro
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Outros
Publicado em 03/02/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Introdução Experienciar esquizofrenia é devastador, dado o início precoce, a sintomatologia, a longa duração, e o estigma envolvido. O estigma condiciona o modo de vivenciar a doença e consequências, e a procura ajuda, influenciando oportunidades de trabalho, de relações, de gerir a habitação, e de suporte social (Rüsch, Angermeyer e Corrigan, 2005). O auto-estigma corresponde a um processo de transformação de identidade, passando a pessoa a adoptar uma visão estigmatizada de si próprio e da doença que está a experienciar (Yanos et al., 2008, citada por Brohan et al., 2010). Potencial de recovery é viver de forma satisfatória sem os constrangimentos da doença mental (Corrigan et al., 2004), gerindo o estigma e o auto-estigma (Sartorius, 2002). Apesar do seu aparentemente obvio impacto, pouco tem sido estudado sobre o auto-estigma em pessoas com esquizofrenia (Vauth et al., 2007; Brohan et al., 2010), ainda que se verifique um aumento recente do interesse em examinar o auto-estigma como barreira ao recovery (Brohan et al., 2010) ou barreira à adesão ao tratamento psicossocial (Fung, Tsang e Chan, 2010). Objetivos Analisar a influência do Auto-Estigma no Potencial de Recovery em pessoas com esquizofrenia. Propor...

Estigma da tuberculose: perceção de emoções na expressão facial dos outros pelos doentes em tratamento

Nascimento, Teresa Maria Carvalho
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Mestrado em Psicologia das Relações Interculturais; Apesar de ter um tratamento eficaz há mais de 50 anos, a tuberculose ainda é um problema grave de saúde pública. O estigma associado a esta doença é visto como uma barreira importante no controlo da doença, e uma causa de sofrimento social. Para melhor compreender os processos subjacentes ao estigma da tuberculose e o seu impacto na vida quotidiana dos doentes, nomeadamente, na perceção de emoções, foi realizado este estudo. Os doentes com tuberculose identificarão mais faces expressando nojo do que os não doentes? As pessoas doentes com elevada consciência do estigma identificarão mais faces expressando nojo do que o grupo de controlo? Para testar estas hipóteses, dois grupos de participantes (doentes com tuberculose e grupo de controlo) responderam a um questionário com 23 fotografias de faces (neutras, ambíguas envolvendo nojo, ambíguas envolvendo desprezo e faces não ambíguas) onde identificaram o tipo de emoção e a sua intensidade, com as escalas de Consciência do Estigma, Rejeição Interpessoal Relacionada com o Estigma e Sensibilidade à Rejeição, questões sociodemográficas e tempo de doença. Os resultados mostram que os doentes com elevada consciência do estigma sentem uma elevada rejeição interpessoal relacionada com o estigma; que há uma diferença de comportamento dos dois grupos e os efeitos dão-se a nível das emoções negativas...

Experiencias de estigma de enfermos mentales con trabajadores de la salud en Colombia

Cardona, Asdrubal; cordoba, Sergio; Ruiz, Adriana; Sanchez, Laura; Vallejo, Alexie; Ibañez, Milciades; Perez, Isabel; Arboleda, Julio
Fonte: Facultad de Medicina Publicador: Facultad de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
37.43%
Los conceptos para la comprensión del estigma, inician con Goffman en los años sesenta, hasta los estudios de los noventa liderados la World Psychiatri Asociation (WPA). ¿Cómo se crea el estigma?, ¿cómo se difunde? y ¿que efectos tiene sobre los enfermos mentales, sus familias, la sociedad y los sistemas de salud?; es necesario caracterizarlas. Diferencias entre los países desarrollados y en vía de desarrollo, en las características del estigma, sus efectos y consecuencias se han observado; podrían explicarse por las diferencias socioculturales. Este artículo busca determinar cuáles y como son las experiencias que los pacientes mentales crónicos tienen con los trabajadores de la salud en siete regiones colombianas y que factores se encuentran asociados a éstas. Es uno de los objetivos específicos de un protocolo que evalúa otros aspectos del estigma; para la caracterización de las experiencias de estigma en Colombia. Se aplicó entrevista tipo encuesta (Inventario de Experiencias de Estigma), auto diligenciad, a quinientos pacientes de siete regiones del país; la cual se usa en investigaciones de la WPA. Se hallaron niveles bajos pero significativos, de experiencias de estigma con los trabajadores de la salud...

Children and adolescents with HIV/Aids: a review on disclosure of diagnosis, adherence and stigma; Crianças e adolescentes com HIV/Aids: revisão de estudos sobre revelação do diagnóstico, adesão e estigma; Niños y adolescentes con VIH/SIDA: un repaso sobre revelación del diagnóstico, adhesión y estigma

Guerra, Camila Peixoto Pessôa; Seidl, Eliane Maria Fleury
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
O artigo discute os temas revelação do diagnóstico, adesão e estigma relativos a crianças e adolescentes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). A revisão da literatura incluiu artigos nacionais e internacionais, publicados a partir do ano 2000, e foi realizada por meio de buscas eletrônicas em bases de dados. Foram selecionados vinte e um artigos, duas dissertações de mestrado e cinco publicações institucionais. Concluiu-se que a revelação do diagnóstico tende a ser postergada pelos cuidadores. O medo do estigma pode dificultar a comunicação clara sobre a enfermidade e o tratamento, com repercussões negativas sobre os níveis de adesão de crianças e adolescentes soropositivos. Diante dos desafios identificados, pesquisas e recomendações são sugeridas no sentido de nortear a prática profissional de equipes de saúde que prestam assistência a essa clientela.; El artículo presenta y discute los temas revelación del diagnóstico, adhesión y estigma relacionados a niños y adolescentes infectados por el Virus de la Inmunodeficiencia Humana (VIH). El repaso bibliográfico de artículos nacionales e internacionales, publicados desde el año 2000, se realizó mediante búsquedas electrónicas en bases de datos. Fueron seleccionados veintiuno artículos...

Estigma e discriminação vividos na escola por crianças e jovens órfãos por Aids; Stigma and discrimination at school experienced by children and youngsters orphaned by AIDS

Zucchi, Eliana Miura; Barros, Claudia Renata dos Santos; Paiva, Vera Silvia Facciolla; França Junior, Ivan
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
A restrição de direitos humanos é uma das características mais marcantes da epidemia da Aids. Crianças e jovens infectados ou afetados pela Aids são particularmente vulneráveis a sofrer estigma em ambientes educacionais. O objetivo deste artigo foi analisar episódios de estigma e discriminação relacionados ao HIV/Aids na escola. Integradas a um estudo de base populacional, foram analisadas sete entrevistas em profundidade com coordenadores pedagógicos de seis escolas públicas e privadas, de ensino infantil e fundamental, na cidade de São Paulo. A maioria dos episódios de estigma vividos por crianças e jovens no âmbito escolar ocorreu em circunstâncias de namoro/sexualidade, conflito com colegas, dificuldade de aprendizagem, revelação da orfandade por Aids, interação entre professores e alunos com HIV, sendo as causas mais frequentemente atribuídas: ter HIV, ser proveniente de "família desestruturada", desigualdade nos papéis de gênero, idade e classe social. Homofobia e racismo foram indicados como reforçadores do estigma. Foram descritas respostas institucionais ao estigma da Aids e práticas de atividades de prevenção às DST/Aids. Os episódios indicam o quanto o estigma e a discriminação relacionados ao HIV/Aids podem aprofundar uma desigualdade social já instalada no âmbito da educação...

Vivência de estigma e enfrentamento em pessoas que convivem com o HIV; Experiencia de Estigmatización y Afrontamiento en Personas que Conviven con el VIH; Experience of Stigmatization and Coping in People who live with HIV; Expérience de Stigmatisation et Affrontament pour Personnes Infectées par le VIH

Suit, Dafne; Pereira, Marcos Emanoel
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
On a recherché dans cette étude, à élargir la compréhension du vécu de la séropositivité à partir de l’annonce du diagnostic, en identifiant les stratégies de lutte utilisées par des adultes séropositifs, en corrélant cette perception que les populations ont sur sa stigmatisation. On a réalisé une étude à caractère transversal, corrélationnel, qui se constitue dans un dessin ex-post facto. L’échantillon étudié a été de cinquante personnes du genre masculin et de cinquante personnes du genre féminin, résidentes dans la ville de Salvador, dans l’État de Bahia; cette étude est caractérisée et évaluée à partir de l’Échelle de Stigmatisation pour les Porteurs de HIV et l’Échelle de Modes de lutte face à ces Problèmes (EMEP). Des analyses statistiques descriptives et des corrélations entre les variables ont été réalisées. On y a trouvé une plus grande utilisation de lutte focalisée sur le problème et une utilisation moindre focalisée sur l’émotion, cette dernière étant directement reliée à un plus grand vécu du stigmate. On y a également trouvé des différences significatives entre les genres, attendu qu’on a observé, pour le genre féminin, un plus grand vécu de stigmate, une plus grande utilisation de lutte focalisée sur l’émotion...

“Minha doença é invisível!”: revisitando o estigma de ser doente mental; “My illness is invisible!”: revisiting the stigma of being mentally ill

Moreira, Virginia; Universidade de Fortaleza; Melo, Anna Karynne
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
In this article, we describe part of the results of the first year of a longitudinal project about the lived experience of stigma among those with mental illness in Northeast Brazil. Using the critical phenomenological method, 30 interviews with patients in a public hospital in Fortaleza, Brazil were analyzed. The results show the presence not only of stigma but of self-stigma in the lived experience of mental illness. In addition to stigma and self-stigma, behaviors of shame, isolation and keeping the illness in secret are developed because of the pejorative image of mental illness, in the traditional comprehension of stigma as being associated to madness. Besides this comprehension, the lived experience of stigma, as well as of self-stigma appears also qualitatively related to the “invisible” character of mental illness.   Keywords: stigma; mental illness; phenomenology.; Neste artigo descrevemos resultados parciais relativos ao primeiro ano de uma pesquisa fenomenológica longitudinal sobre a experiência vivida do estigma da doença mental no Nordeste do Brasil. Utilizando o método fenomenológico crítico, foram analisadas 30 entrevistas com pacientes de um hospital público de Fortaleza...

Estudio de traducción al español y evaluación psicométrica de una escala para medir el estigma internalizado en pacientes con trastornos mentales graves

Flores Reynoso,Samantha; Medina Dávalos,Rafael; Robles García,Rebeca
Fonte: Instituto Mexicano de Psiquiatría Ramón de la Fuente Publicador: Instituto Mexicano de Psiquiatría Ramón de la Fuente
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.35%
Introducción Se ha demostrado que la enfermedad mental es una de las condiciones que generan más estigma. El estigma producido por los trastornos psiquiátricos se puede experimentar desde la perspectiva social y la personal (estigma internalizado). La forma en que las personas con padecimientos psiquiátricos experimentan las reacciones adversas de los otros ha sido poco estudiada. Hasta ahora no existía una escala validada en la población mexicana que permitiera la medición del estigma percibido por este tipo de pacientes. El objetivo del presente trabajo fue traducir al español y determinar la consistencia interna y la validez factorial de la Escala de estigma de King et al. Método Sujetos: Se incluyeron 100 pacientes mexicanos con diagnósticos de trastornos mentales graves y persistentes (TMSP) que reciben atención en el Centro de Atención Integral en Salud Mental de Estancia Prolongada del Instituto Jalisciense de Salud Mental (SALME), con un mínimo de dos años de evolución y que no se encontraran cursando con un episodio agudo de su enfermedad. Instrumentos y procedimiento: Se aplicó la escala de estigma internalizado de King et al. (EEI) y las escalas de evaluación de la actividad global (EEAG) y de impresión clínica global (CGI). Análisis de datos: Se evaluó la consistencia interna de la EEI mediante el coeficiente alpha de Cronbach y la validez de constructo con base en un análisis factorial de componentes principales con rotación varimax. Resultados La muestra estuvo integrada por 100 pacientes...