Página 1 dos resultados de 680 itens digitais encontrados em 0.059 segundos

Relações biométricas entre o estádio de maturação e a produtividade de híbridos de milho para produção de silagem; Biometric relations between maturity stage and productivity of corn cultivars for silage production

ZOPOLLATTO, Maity; NUSSIO, Luiz Gustavo; PAZIANI, Solidete de Fátima; RIBEIRO, José Leonardo; SARTURI, Jhones Onorino; MOURÃO, Gerson Barreto
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.98%
Avaliaram-se o teor de matéria seca (MS) da planta e do colmo e a produtividade de MS da planta, do colmo e dos grãos de híbridos de milho colhidos em diversos estádios de maturação. Utilizou-se um delineamento experimental de blocos casualizados, em esquema fatorial 8 × 6 × 2, composto de oito épocas de corte, seis híbridos de milho e duas safras de avaliação (2001/2002 e 2002/2003). Os híbridos CO 32, AG 5011, P 3041, DKB 333B, AG 1051 e Z 8550 foram colhidos ao atingirem 50% de florescimento masculino (emissão do pendão), 15 dias após esta data e, posteriormente, a cada semana, totalizando oito cortes. O híbrido CO 32 apresentou os maiores teores de MS da planta e do colmo e a menor produtividade de colmo, enquanto, no híbrido P 3041, foram obtidos os menores teores de MS da planta e do colmo. O avanço da maturação aumentou o teor de MS da planta (de 14,5 para 46%) e do colmo (de 16,9 para 28%) e aumentou a produtividade de MS da planta (de 9,6 para 20,9 t MS/ha) e dos grãos (de 0 para 9,3 t MS/ha). Na safra 2001/2002, a produtividade de colmo reduziu inicialmente e depois aumentou, enquanto, na safra 2002/2003, aumentou até o 6º corte e reduziu posteriormente. O teor de MS da planta teve baixa correlação com a produtividade de MS da planta (r² = 0...

EFEITO DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO DO FRUTO E DO TEMPO DE PRÉ-EMBEBIÇÃO DE ENDOCARPOS NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE UMBUZEIRO (Spondias tuberosa Arr. Câm.)

COSTA,NIVÂNIA PEREIRA DA; BRUNO,RISELANE DE LUCENA ALCÂNTARA; SOUZA,FRANCISCO XAVIER DE; LIMA,ELIZA DOROTEA POZZOBOM DE A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
96.19%
O umbuzeiro é uma fruteira nativa do Nordeste brasileiro, cujos frutos são usados na alimentação humana, tendo, portanto, grande potencial de exploração agroindustrial. A lenta germinação das sementes limita a produção de mudas, daí a realização deste trabalho que objetivou estudar o efeito dos diferentes estádios de maturação do fruto e tempos de pré-embebição dos endocarpos em água na germinação das sementes de umbu. Os frutos foram despolpados manualmente, e os endocarpos pré-embebidos em água destilada substituída a cada 24 horas. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente ao acaso, em fatorial (4´4´2), sendo os fatores: estádios de maturação dos frutos (verde, de vez, maduro e maturação avançada), tempos de pré-embebição dos endocarpos em água (0, 48, 96 e 144 horas) e tipos de umbuzeiros (azedo e doce), com quatro repetições e dez endocarpos/parcela. Os endocarpos foram semeados em bandejas de isopor contendo Areia Quartzosa Distrófica. Pelos resultados, concluiu-se que o tipo de umbu e o estádio de maturação do fruto influenciaram na germinação. Entretanto, a pré-embebição dos endocarpos em água não influenciou na germinação das sementes de umbuzeiro.

Influência do estádio de maturação e do armazenamento pós-colheita na germinação e desenvolvimento inicial do maracujazeiro-amarelo

Negreiros,Jacson Rondinelli da Silva; Wagner Júnior,Américo; Álvares,Vírginia de Souza; Silva,José Osmar da Costa e; Nunes,Endson Santana; Alexandre,Rodrigo Sobreira; Pimentel,Leonardo Duarte; Bruckner,Claudio Horst
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
116.39%
O maracujazeiro está entre as principais fruteiras cultivadas no País, sendo a propagação por sementes o método predominante na produção de mudas. Para obtenção de sementes de boa qualidade, um dos aspectos que devem ser considerados é o momento de sua coleta, que pode ser determinada pelo estádio de desenvolvimento do fruto. O objetivo deste trabalho foi verificar a influência do estádio de maturação dos frutos e de armazenamento pós-colheita sobre a germinação e o desenvolvimento inicial de maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa). O trabalho foi realizado na Universidade Federal de Viçosa (MG). As sementes utilizadas foram extraídas de frutos em três estádios de maturação (estádio 1 - verde começando a alterar sua coloração para amarela; estádio 2 - fruto com 5 até 50% de coloração amarela, e estádio 3 - fruto com mais de 50% de coloração amarela) e quatro períodos de armazenamento pós-colheita (0; 3; 6 e 9 dias) à temperatura ambiente. Posteriormente, as sementes foram semeadas em caixas plásticas com areia fina lavada. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados, num fatorial 3 x 4 (estádio de maturação x período de armazenamento), com quatro repetições...

Armazenamento de pitangas sob atmosfera modificada e refrigeração: II - qualidade e conservação pós-colheita

Santos,Adriana Ferreira dos; Silva,Silvanda de Melo; Mendonça,Rejane Maria Nunes; Filgueiras,Heloísa Almeida Cunha
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
96.17%
Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de atmosfera modificada (AM) na conservação pós-colheita de pitangas colhidas nos estádios de maturação e início da pigmentação (IP), vermelho-alaranjado (VA) e vermelho predominante (VP) e armazenadas a 10 e a 14 ºC (90 ± 1%UR) e condições ambientes (23± 2 ºC e 85 ± 2%UR). O uso de AM associada à refrigeração resultou em menores perdas de massa, incidência de fungo e enrugamento. A AM também permitiu um aumento de quatro dias na vida útil pós-colheita, mantendo a qualidade acima do limite de aceitação durante oito dias, para pitangas do estádio VA mantidas sob refrigeração. Em conjunto, pitangas colhidas no estádio de maturação vermelho-alaranjado apresentaram melhor potencial de armazenamento, quando mantidas sob atmosfera modificada a 10 ºC.

Estádio de maturação dos frutos e fatores relacionados aos aspectos nutritivos e de textura da polpa de pequi (Caryocar brasiliense Camb.)

Oliveira,Maria Neudes Sousa de; Gusmão,Eduardo; Lopes,Paulo Sérgio Nascimento; Simões,Maria Olívia Mercadante; Ribeiro,Leonardo Monteiro; Dias,Bruna Anair Souto
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
96.21%
O experimento foi conduzido com o objetivo de obter informações sobre a influência do estádio de desenvolvimento do fruto (época de coleta) e do tipo de congelamento sobre os componentes nutricionais e de textura da polpa de pequi (Caryocar brasiliense Camb.). Os frutos foram coletados na árvore, antes da queda natural; no chão, após a queda natural, e após a queda natural, mantidos três dias em condição ambiente. Em cada época de coleta, após a retirada da casca dos frutos, um grupo de putamens foi congelado diretamente em freezer, e outro, congelado em nitrogênio líquido, antes do congelamento em freezer. Após seis meses, foi retirada a polpa dos putamens para a análise dos teores de carotenóides totais, ß -caroteno, licopeno, vitamina A, proteínas e lipídios; teor de celulose, hemicelulose, pectinas total, cálcio ligado à parede celular e total, atividade da pectinametilesterase e poligalacturonase. Os resultados indicaram que os teores de pigmentos, lipídios, proteínas e atividade da PG aumentaram com o avanço do estádio de maturação dos frutos. Por outro lado, houve diminuição no teor da celulose com avanço do estádio de maturação, enquanto os teores de hemicelulose e cálcio não foram influenciados pela idade do fruto. O tipo de congelamento interferiu nos teores de pigmentos...

Conservação pós-colheita de mangaba em função da maturação, atmosfera e temperatura de armazenamento

Santos,Adriana Ferreira dos; Silva,Silvanda de Melo; Mendonça,Rejane Maria Nunes; Alves,Ricardo Elesbão
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.3%
Nesse trabalho, avaliou-se a influência de Atmosfera Modificada (AM) por filme de PVC na conservação pós-colheita de mangabas colhidas nos estádios de maturação Verde (V), início da pigmentação amarela (IP) e fruto amarelo com leves manchas vermelhas (AV) e armazenadas sob refrigeração (10 ± 0,5 ºC e 90 ± 2% UR) e sob condições ambientes (23 ± 2 ºC e 75 ± 2% UR). O uso de AM associada à refrigeração resultou em menores perdas de massa fresca, permitiu a manutenção da vida útil pós-colheita dos frutos durante 15 dias, mantendo a aparência geral acima do limite de aceitação pelo consumidor, para os três estádios de maturação avaliados. Mangabas colhidas no estádio de maturação verde não desenvolveram a coloração característica e apresentaram visível incidência de danos pelo frio quando mantidas sob refrigeração. Frutos colhidos no estádio de maturação IP, mantidos sob AM e refrigeração, amadureceram normalmente e apresentaram melhor aparência após 15 dias de armazenamento, quando comparados com mangabas colhidas no estádio AV e mantidas sob as mesmas condições.

Qualidade fisiológica de sementes de cebola em função do estádio de maturação das umbelas

Nascimento,Warley M; Freitas,Raquel A de
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.03%
O trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do estádio de maturação da umbela e da presença ou ausência de hastes sobre o potencial fisiológico das sementes. Foi utilizada a cultivar Beta Cristal, destinada à produção de picles. Por ocasião da abertura dos botões florais, foram selecionadas e identificadas, ao acaso, 200 umbelas com cerca de 70% de flores abertas. O experimento foi conduzido no delineamento inteiramente casualizado, em fatorial 2 x 5, correspondendo a dois comprimentos de haste floral (0 e 30 cm) e cinco épocas de colheita (cápsulas fechadas e 10% de sementes com tegumento preto; cápsulas fechadas e 90% de sementes com tegumento preto; cápsulas fechadas e 100% de sementes com tegumento preto; 10% de cápsulas abertas e 30% de cápsulas abertas), com intervalo semanal entre as colheitas. As sementes atingiram o grau de umidade mais adequado entre a terceira e quarta colheitas. Foi também até a quarta colheita que se verificou um acréscimo na massa das sementes (1000 sementes = 3,78 g). A colheita das umbelas com haste promoveu aumento na massa das sementes apenas até a segunda colheita, sendo prejudicial na terceira e não influenciando a partir de então. As sementes oriundas das três últimas colheitas apresentaram maior potencial germinativo...

Estabilidade da cor de doces em massa de polpa de umbu (Spondias tuberosa arr. cam.) no estádio de maturação verde

Policarpo,Vânia Madeira Nunes; Borges,Soraia Vilela; Endo,Érika; Castro,Fernanda Travassos de; Damico,Aline Azevedo; Cavalcanti,Nilton Brito
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
96.03%
Os frutos de umbu (Spondias tuberosa Arr. Cam.) maduros são altamente perecíveis, e o aproveitamento deles no estádio de maturação verde, sob a forma de doce é uma interessante alternativa econômica, para o semi-árido nordestino. A conservação da cor, durante o armazenamento, constitui um fator de qualidade dos mais importantes para o consumo, e o presente trabalho objetivou avaliar sua alteração em função de diferentes formulações, embalagens (polipropileno e celofane) e temperaturas (33 e 43°C), por 90 dias de armazenamento. A adição de pectina e/ou xarope de glicose não alterou a luminosidade (L*), mas diminuiu os valores de a* ( intensidade do vermelho ) e b*. ( intensidade do amarelo). Verificou-se diminuição dos valores de L* a* e b*, notadamente para os doces armazenados à temperatura de 43°C e para a formulação sem adição de pectina. A embalagem não exerceu efeito significativo sobre L*( luminosidade), mas afetou a* e b* aos 90 dias de estocagem, em ambas as temperaturas. Os resultados globais indicaram o uso de pectina e xarope de glicose, embalagens de polipropileno e estocagem à temperaturas mais baixas como sendo as condições mais adequadas para preservação da cor.

Parâmetros relevantes na determinação da velocidade terminal de frutos de café

Couto,Sandra M.; Magalhães,Anderson C.; Queiroz,Daniel M. de; Bastos,Itaciane T.
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2003 PT
Relevância na Pesquisa
96.17%
No desenvolvimento de máquinas de separação movidas a fluxos de ar, o conhecimento da velocidade terminal de um produto e das impurezas associadas é de importância fundamental. Neste trabalho, investigou-se o comportamento dos valores da velocidade terminal de frutos de café (variedades Catuaí e Híbrido Timor) em função dos parâmetros (a) estádio de maturação do produto na colheita ("verde" e "cereja"); (b) época de colheita; (c) variedade; (d) teor de umidade dos frutos e (e) número de frutos contidos na amostra usada para as determinações da velocidade. A análise dos resultados mostrou que os valores das velocidades terminais foram influenciados, significativamente, pelo teor de umidade do produto, estádio de maturação dos frutos e tamanho das amostras usadas nas determinações; entretanto, a época de colheita e a variedade dos frutos não se mostraram como parâmetros importantes nas determinações da velocidade terminal do produto. Relações funcionais entre parâmetros adimensionais, usando-se análise dimensional e o teorema Pi de Buckingham, foram também obtidas e são apresentadas neste trabalho; por outro lado, essas relações fornecem estimativas razoáveis para a velocidade terminal de um fruto...

Influência do estádio de maturação na colheita e temperatura de secagem de grãos de trigo sobre os valores de energia metabolizável aparente corrigida (EMAc) em frangos de corte

Mazzuco,Helenice; Portella,José Antonio; Barioni Junior,Waldomiro; Zanotto,Dirceu Luis; Miranda,Martha Zavariz de; Avila,Valdir Silveira de
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2002 PT
Relevância na Pesquisa
96.17%
Foi avaliada a influência do estádio de maturação (nível de umidade) e o processo de secagem (temperatura) do trigo sobre os valores de composição química e de Energia Metabolizável Aparente corrigida para retenção de nitrogênio (EMAc) pelo método de coleta total em frangos de corte. O trigo foi colhido com 13, 16, 20 ou 30% de umidade e submetido a 40, 70 e 100ºC de temperaturas na secagem, excetuando-se a umidade de 13%, considerado como o trigo seco na lavoura. O maior valor de EMAc (3326 kcal/kg) do trigo foi obtido no tratamento em que se utilizou trigo colhido com 16% de umidade e submetido à secagem de 40ºC. A temperatura na secagem e umidade de colheita altera o valor nutricional do trigo. É necessário conhecer o melhor estádio de maturação na colheita e o processo de secagem do trigo, considerando sua variação nutritiva e posterior emprego em rações avícolas.

Armazenabilidade de sementes de Coffea canephora Pierre colhidas em diferentes estádios de maturação e submetidas a diferentes métodos de secagem.

ROSA, S. D. V. F. da; VEIGA, A. D.; SILVA, L. H. de C. e; VEIGA, A. D.; OLIVEIRA, F. J. M.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.24%
A lenta e desuniforme germinação de sementes de cafeeiro aliadas ao seu baixo potencial de armazenamento, dificultam a obtenção de mudas uniformes e bem desenvolvidas. Apesar dos esforços das pesquisas as causas da lenta germinação ou baixa armazenabilidade das sementes continuam obscuras. Para a produção de sementes de cafeeiro é recomendada à colheita dos frutos no estádio cereja, no entanto pesquisas têm demonstrado que estas sementes já adquirem a sua máxima capacidade germinativa entre os estádios verde cana e cereja e que sementes completamente maduras, podem não ter o máximo potencial de armazenamento ou maior tolerância à desidratação devido à provável iniciação do processo de germinação já no final do processo de desenvolvimento. Assim, o presente trabalho foi realizado com o objetivo de investigar os efeitos do estádio de desenvolvimento e do método de secagem sobre a germinabilidade e a armazenabilidade de sementes de cafeeiro. Sementes foram processadas a partir de frutos de Coffea canephora Pierre, cultivar Apoatã IAC2258, colhidos no estádio cereja e verde cana e submetidas a três métodos de secagem (sem secagem, secagem lenta à sombra e secagem rápida em secador estacionário). Após quatro meses de armazenamento sob temperatura de 10ºC em embalagens herméticas...

Rendimento em suco e resíduos do maracujá em função do tamanho dos frutos em diferentes pontos de colheita para o armazenamento.

COELHO, A. A.; CENCI, S. A.; RESENDE, E. D. de.
Fonte: Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 13, n. 1, p. 55-63, 2011. Publicador: Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 13, n. 1, p. 55-63, 2011.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.98%
Neste trabalho foi avaliada a influência do tamanho dos frutos em diferentes estádios de maturação durante a colheita do maracujá-amarelo sobre o rendimento em suco e a quantidade de resíduos, antes e após o armazenamento. Amostragens foram feitas numa lavoura comercial da região Norte Fluminense, RJ, no período de junho a agosto de 2007. Utilizou-se um teste estatístico segundo o método de amostragem simples ao acaso (ASA), considerando-se o nível de 5% de significância. A amostra ideal foi dimensionada para uma população infinita de frutos tendo em vista além do nível de significância, o desvio de 10% em torno da média amostral. Foram determinados o ponto de colheita pela coloração da casca, o padrão de tamanho dos frutos, o rendimento em suco, a perda de massa na estocagem, a quantidade de resíduos e a espessura da casca. Verificou-se que houve influência do tamanho do fruto e do estádio de maturação no rendimento em suco e na espessura de casca do maracujá-amarelo, ocorrendo maior rendimento em suco e menor quantidade de casca nos frutos de maior padrão de tamanho. Os frutos colhidos com mais de 30,7% de área da casca amarelada apresentaram o máximo rendimento em suco e espessura mínima de casca.; 2011

Influência do estádio de maturação sobre rendimento e qualidade do óleo das sementes de maracujá-amarelo.

REGIS, S. A.; RESENDE, E. D. de; ANTONIASSI, R.; GRAVINA, G. de A.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 3.; CONGRESSO DO INSTITUTO NACIONAL DE FRUTAS TROPICAIS, 2.; SEMINÁRIO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS, 4., 2011, Recife. [Anais...] Recife: sbCTA, 2011. Publicador: In: SIMPÓSIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 3.; CONGRESSO DO INSTITUTO NACIONAL DE FRUTAS TROPICAIS, 2.; SEMINÁRIO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS, 4., 2011, Recife. [Anais...] Recife: sbCTA, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.03%
2011

Constituintes da parede celular de duas cultivares de mamão: influência do estádio de maturação

Paiva, Emmanuela Prado de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116.41%
As modificações pós-colheita afetam a estrutura da parede celular, composta de uma rede de hemicelulose ligada as microfibrilas de celulose, embebida em uma matriz de pectinas. As principais transformações bioquímicas envolvem ações distintas de enzimas que participam direta ou indiretamente do processo de degradação de componentes da parede celular, promovendo o amolecimento como conseqüência do amadurecimento dos frutos. O entendimento dos mecanismos envolvidos permanece inconcluso principalmente no que diz respeito aos componentes pécticos. Este estudo objetivou avaliar a influência do processo de maturação através das mudanças na cor, firmeza, pH, ºBrix, conteúdo de celulose e fibra detergente ácido (FDA), além de monitorar as principais transformações dos polissacarídeos pécticos através da determinação de pectina, grau de metoxilação e diâmetro dos fragmentos. Tomou-se duas cultivares de mamão - papaya (Carica papaya L) e formosa (Carica sp.) - em três diferentes estádios de maturação (verde, de vez e maduro) para aplicar um ensaio fatorial 2 x 2, cujos dados foram interpretados segundo a estatística γ, para resolução do estádio de maturação e programa R, para demais variáveis...

Padrão de germinação de sementes e estabelecimento de mudas de guanandi (Calophyllum brasiliense Cambess.)

Lima, Julia Araujo de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
106.15%
CAPÍTULO II: Calophyllum brasiliense Cambess. é uma espécie arbórea, típica das florestas tropicais úmidas, com sementes de germinação variável e desuniforme devido às camadas do tegumento. O objetivo deste trabalho foi caracterizar a dormência das sementes da espécie pela sua capacidade de embebição, germinação, emergência, distribuição e sincronia da germinação ao longo do tempo, além de quantificar a evolução da dormência durante a maturação dos frutos. Experimentos independentes, em delineamentos inteiramente casualizados e de blocos casualizados, foram conduzidos testando-se tratamentos prégerminativos e estádios de maturação de frutos com pericarpo, colhidos na árvore. A semeadura das sementes foi feita em caixas tipo gerbox, com vermiculita ou areia, e em papel de filtro, confeccionando-se rolos. Nas avaliações diárias ou em intervalos de 7 dias, foram consideradas germinadas as sementes com protrusão de radícula. Também foram avaliadas plântulas normais, anormais, sementes intactas e chochas. De frutos colhidos em Uberlândia, a germinação das sementes sem tegumento atingiu 81% em 43 dias, enquanto em sementes com tegumento, a germinação foi de 62% em 104 dias. Com a escarificação do tegumento na região da micrópila...

Estádio de maturação dos frutos, tratamentos pré-germinativos e variabilidade da emergência de plântulas de morototó (Schefflera morototoni)

Anastácio, Maristela Rosália
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
96.15%
O objetivo do trabalho foi avaliar a influência do estádio de maturação dos frutos nos atributos físicos e de germinação de pirênios de Schefflera morototoni submetidos a tratamentos pré-germinativos. Frutos com coloração verde e verde-arroxeada foram coletados de 14 indivíduos, despolpados em água corrente, descartando-se, após contabilização, os pirênios chochos, com endosperma retraído e oxidado, utilizando-se os uniformes (com endosperma esverdeado ocupando toda a cavidade do pirênio). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 2 x 5 (estádios de maturação dos frutos e tratamentos pré-germinativos), com quatro repetições em parcelas contendo 25 pirênios. Verificou-se que para maior capacidade e velocidade de germinação dos pirênios, os frutos devem ser colhidos quando apresentarem coloração verde-arroxeada, descartando-se àqueles com pirênios chochos, endosperma retraído ou oxidado. A capacidade de germinação dos pirênios com endosperma uniforme varia entre 50 e 60%, com início do processo em cerca de 40 dias após semeadura, se estendendo por até 60 dias em vermiculita. Pirênios despolpados, secos e embebidos em água a 60oC por 5 minutos, seguida da embebição em água à temperatura ambiente por 12 horas iniciam o processo de germinação em menor tempo...

Caracterização física e química de híbridos de tomate em diferentes estádios de maturação produzidos em Baraúna, Rio Grande do Norte

Ferreira,Rafaella Martins de Araújo; Lopes,Welder de Araújo Rangel; Aroucha,Edna Maria Mendes; Mano,Neidiane Conceição Sales; Sousa,Cleiniane Maria Guerra de
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.21%
O tomate é uma das olerícolas mais consumidas no mundo. Na região nordeste do Brasil, é comum a comercialização de cultivares industriais para consumo in natura. Este trabalho teve como objetivo avaliar algumas características de qualidade de dois híbridos de tomate industrial ('Mariana' e 'SM -16'), em quatro estádios de maturação (verde - 1; salada - 2; colorido - 3; vermelho - 4). Após a colheita, os frutos foram transportados para o Laboratório de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, onde foram selecionados de acordo com a uniformidade de maturação e avaliados de acordo com diâmetro longitudinal e transversal, massa de matéria fresca, firmeza da polpa, sólidos solúveis, pH, vitamina C e açúcares totais. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 4 (dois cultivares e quatro estádios de maturação). Os dados foram submetidos análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey, a 5%. Observaram-se diferenças na qualidade física e química dos frutos, entre híbridos e entre estádios de maturação. A massa de matéria fresca dos frutos, o diâmetro transversal e a firmeza da polpa dos tomates pertencentes ao híbrido 'SM-16' foram superiores aos do híbrido 'Mariana'. Houve aumento da massa de matéria fresca até o estádio de maturação 3 e decréscimo da firmeza e do pH da polpa...

INFLUÊNCIA DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO E DA COBERTURA COM POLIETILENO NA CONSERVAÇÃO DE TOMATES FRIGORIFICADOS

KLUGE,R.A; RODRIGUES,D.S; KALIL,G.P.C; RUSSO,R; LUCAS,M.B; MINAMI,K
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1996 PT
Relevância na Pesquisa
106.25%
O efeito do estádio de maturação (verde, rosa e vermelho) e da embalagem (com polietileno perfurado, com polietileno selado e sem polietileno) sobre a conservação por refrigeração de tomates `Santa Clara', foi estudado em frutos armazenados por 7, 14 e 21 dias a 13 ± 0,5oC e 80 ± 10% UR (+ 2 dias de comercialização simulada sob temperatura ambiente). A coloração dos frutos aumentou ao longo do armazenamento e comercialização para os três estádios, independente da embalagem utilizada. O uso de sacos de polietileno, principalmente selado, foi importante para a redução das perdas de peso dos frutos, não havendo efeito do estádio de maturação sobre esta variável. As podridões aumentaram substancialmente aos 21 dias de armazenamento para os estádios rosa e vermelho.

ARMAZENAMENTO REFRIGERADO DE AMEIXAS `REUBENNEL' (Prunus salicina Lindl.): EFEITOS DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO E DO POLIETILENO

Kluge,R.A.; Bilhalva,A.B.; Cantillano,R.F.F.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1996 PT
Relevância na Pesquisa
106.28%
Para verificar os efeitos do estádio de maturação e da embalagem de polietileno, ameixas `Reubennel' foram colhidas em dois estádios de maturação: verde (25-50% de coloração vermelha) e semimaduro (50-75% de coloração vermelha) e armazenadas à 0oC e 90-95% UR por 14, 28 e 42 dias (+ 3 dias de comercialização simulada à 25-26oC). A metade das frutas foi embalada em sacos de polietileno perfurado. O polietileno reduziu as perdas de peso das frutas durante o armazenamento, sem afetar outros parâmetros de qualidade estudados (firmeza de polpa, sólidos solúveis totais, acidez total titulável e relação sólidos solúveis totais/acidez total titulável). As frutas deste cultivar conservaram-se bem até 42 dias e o melhor estádio de maturação para o armazenamento foi o verde.

Desempenho de vacas Holandesas alimentadas com cana-de-açúcar ou silagens de milho de diferentes textura de grão; Performance of Holstein cows fed sugarcane or corn silages of different grain textures

Corrêa, Clóvis Eduardo Sidnei; Pereira, Marcos Neves; Oliveira, Simone Gisele de; Ramos, Marcelo Hentz
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2003 ENG
Relevância na Pesquisa
96.24%
Corn cultivated in Brazil is predominantly of hard texture, and more propense to decreased starch digestibility under late harvesting situations than dent hybrids. This work tested the utilization of dent corn as a way of extending the ensilage period without reducing animal performance, and evaluated the potential of sugarcane as a forage for high-producing dairy cows. Nine lactating Holstein cows were allocated to three 3 ' 3 latin squares and were fed 200 g of forage neutral detergent fiber per kg of dry matter as either hard texture corn ensiled at the half milk line stage of maturity, soft texture corn ensiled at the black layer stage, or sugarcane. There were no detectable differences between corn hybrids with regard to milk yield (34.2 vs 34.6 kg d-1) and composition, dry matter intake (23.0 vs 23.2 kg d-1) and total tract apparent digestibility of nutrients. Sugarcane decreased feed intake (21.5 kg d-1) and milk yield (31.9 kg d-1). Organic matter digestibility, chewing activity and rumen pH did not differ among treatments. Sugarcane seems to be a viable option to feed groups of Holstein cows during lactation stages in which nutrient demand is not at a maximum. The performance of dairy cows fed dent corn ensiled at the black layer stage of maturity was similar to the performance of cows fed flint corn ensiled at the half milk line stage.; O milho cultivado no Brasil é predominantemente de textura dura...