Página 1 dos resultados de 37 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Reações cutâneas adversas a medicamentos. Contribuições para o estudo dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos em reações retardadas

Gonçalo, Maria Margarida Martins
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
16.75%
As reações cutâneas adversas a medicamentos (CADR) não imediatas apresentam várias lacunas no conhecimento dos mecanismos imunopatológicos que lhe estão subjacentes. Tivemos por base as semelhanças fisiopatológicas com a dermatite de contacto alérgica (ACD) para melhor entender os mecanismos das CADR. Na ACD os testes epicutâneos reproduzem o eczema. Nas CADR a reatividade depende do medicamento e do padrão de reação. Neste estudo, a análise histopatológica de 18 testes epicutâneos positivos a medicamentos mostrou um infiltrado predominantemente linfocitário ou neutrofilico com variável agressão epidérmica, semelhante ao exantema da CADR. Em 4/5 biopsias de pustulose exantemática aguda generalizada (AGEP) existiam pústulas subcórneas. No exantema maculopapular (6), reação medicamentosa com eosinofilia e sintomas sistémicos (DRESS) (5) e síndrome de Stevens-Johnson/necrólise epidérmica tóxica (SJS/TEN) (2) predominava o infiltrado linfomononuclear dermo-epidérmico com vacuolização, necrose ceratinoticitária e formação de vesículas, mostrando uma intensidade crescente nas formas mais severas de CADR e semelhança macro e microscópica com as lesões agudas da CADR. Para além de reforçar a especificidade...

Avaliação clínica, dermatoscópica e histopatológica do nevo de Meyerson: relato de caso; Clinical, dermoscopic and histopathological evaluation of the Meyerson nevus: case report

GABBI, Tatiana Villas Boas; OMAR, Erick D.; CRIADO, Paulo R.; VALENTE, Neusa Y. S.; MARTINS, José Eduardo C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Relatório
POR
Relevância na Pesquisa
16.75%
O nevo de Meyerson ocorre quando uma rara erupção eczematosa focal e transitória surge ao redor de lesões melanocíticas. O mesmo fenômeno também foi observado em lesões não melanocíticas. O caso relatado é o de um doente masculino, 25 anos, que há dois meses notara surgimento de eritema e prurido, circundando dois nevos, localizados no abdome. As lesões eram atípicas à dermatoscopia e procedeu-se à excisão cirúrgica dos dois nevos. O exame histopatológico revelou nevos melanocíticos compostos displásicos, envolvidos por espongiose e vesículas intraepidérmicas. O presente relato sugere que o fenômeno de Meyerson não modifica as características dermatoscópicas dos nevos.; Meyerson nevi occur whenever a rare focal and transitory eczematous eruption arises around melanocytic lesions. The same phenomenon has also been observed in non-melanocytic lesions as well. Herein we report the case of a 25 year old, male patient, who had noticed, two months before, the arising of a pruriginous and erithematous halo around two nevi localized on his abdomen. The lesions were found to be atypical on dermoscopic examination and he was submitted to surgical excision of both nevi. Histopathological examination revealed displastic compound melanocytic nevi...

Epidemiologia e estudo dos fatores responsáveis pela espongiose ocular no município de Araguatins -TO; Epidemiology and study of the factors responsible for spongiosis ocular in the city of Araguatins TO

Cunha Filho, Silvio Carneiro da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Em outubro de 2005 a notificação de 17 casos de doença ocular de etiologia desconhecida, envolvendo, em sua maioria, a população infantil da cidade de Araguatins/TO, levou as autoridades locais a pedirem ajuda a Secretaria de Estado da Saúde do Estado do Tocantins no intuito de descobrirem sua etiologia, tratamento e prevenção. Nos pacientes acometidos, os sinais freqüentemente observados foram: intensa hiperemia conjutival, granuloma, episclerite, infiltrado corneano periférico. Na anamnese realizada nos pacientes foi observado que todos tiveram contato com as águas do Rio Araguaia. Os resultados obtidos a partir do processamento das amostras de água, sedimentos e substratos particularmente na vegetação marginal inundada, permitiram confirmar a hipótese de que deveria haver uma fauna rica de esponjas no Araguaia, no trecho fronteiro à cidade de Araguatins A presença intraocular de espícula de esponja de água doce das espécies Drulia uruguayensis e Oncosclera navicela foi confirmada em material avaliado histopatologicamente proveniente de três pacientes que haviam sido submetidos a lensectomia, sugerindo que espículas de água doce poderiam ser um surpreendente novo agente etiológico de patologia ocular. Assim...

Diagnóstico de sífilis em lesões orais. Estudo comparativo utilizando-se as técnicas histoquímica e imuno-histoquímica; Diagnosis of syphilis in oral lesions. A comparative study using techniques of histochemistry and immunohistochemistry

Siqueira, Carla Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
A sífilis é uma doença infecciosa, cujo agente etiológico é o Treponema pallidum. Pode ser transmitida sexualmente ou verticalmente, via placenta. Seus estágios variam entre sífilis primária, sífilis secundária, sífilis latente e sífilis congênita. Dentre os diagnósticos mais eficazes, encontram-se os testes sorológicos, porém os falsos positivos e falsos negativos no estágio primário levam à procura de uma forma mais eficaz de se determinar, precocemente, a doença. Além disso, por várias razões, nem sempre o profissional clínico suspeita das lesões presentes na mucosa oral, cogitando de outras hipóteses diagnósticas. O objetivo deste trabalho foi avaliar imuno-histoquimicamente e histoquimicamente lesões bucais biopsiadas cujo aspecto histológico levou à suspeita de sífilis, buscando identificar os microorganismos, bem como correlacionar o quadro sorológico quando positivo. Para o estudo foram incluídas 34 lesões suspeitas de sífilis, que foram submetidas à reação imuno-histoquímica com o anticorpo anti-treponema e técnica histoquímica de coloração pela prata. Dos 34 casos avaliados 13 foram positivos para o anticorpo anti-treponema, todos posteriormente diagnosticados como sífilis secundária...

Microscopia confocal a laser na avaliação in vivo da gengivite descamativa: padrões no penfigóide das membranas mucosas, pênfigo vulgar e líquen plano oral; Confocal microscopy in the in vivo evaluation of desquamative gingivitis: patterns in mucous membrane pemphigoid, pemphigus vulgaris and oral lichen planus

Cesar, Sabrina Sisto Alessi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Introdução: Gengivite descamativa (GD) se refere a uma manifestação clínica associada com diversas doenças mucocutâneas. Suas causas mais comuns são penfigóide das membranas mucosas (PMM), pênfigo vulgar (PV) e líquen plano oral (LP). A diagnose específica é melhor estabelecida através de avaliação histopatológica e de imunofluorescência. Objetivos: Examinar casos de gengivite descamativa utilizando microscopia confocal a laser e comparar os achados com aqueles encontrados na gengiva normal. Além disso, comparar os achados de microscopia confocal da gengivite descamativa com os da histopatologia convencional das lesões biopsiadas a fim de estabelecer critérios para este método diagnóstico não invasivo. Método: Doentes com manifestações clínicas de gengivite descamativa foram incluídos, totalizando quarenta e três casos. A microscopia confocal foi realizada na gengiva de um indivíduo saudável e nas lesões gengivais. Todas as lesões sem exame histopatológico prévio foram biopsiadas a fim de permitir uma correlação entre a microscopia confocal e a histopatologia. Resultados: O exame de microscopia confocal das lesões suspeitas de penfigóide das membranas mucosas revelou uma separação ao nível da junção dermo-epidérmica...

Micose fungóide foliculotrópica: descrição clínico-epidemiológica, análise histológica e investigação do colapso do imunoprivilégio do folículo piloso; Folliculotropic mycosis fungoides: clinical and epidemiological description, histological analysis and investigation of hair follicle immune privilege collapse

Deonizio, Janyana Marcela Doro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Introdução: A micose fungóide foliculotrópica (MFF) é subtipo de linfoma cutâneo de células T que atinge especialmente o folículo piloso e parece ter prognóstico mais reservado. Informações clínicas sobre a população acometida por linfomas cutâneos no Brasil são escassas. O fenômeno de imunoprivilégio (IP) diz respeito à habilidade de alguns órgãos em permanecer protegidos contra reações inflamatórias. Tem sido sugerido que o folículo piloso normal represente um local de IP. Nesse estudo aventou-se a possibilidade de haver uma quebra no equilíbrio desse fenômeno na MFF, com alteração na expressão de moléculas do complexo maior de histocompatibilidade (MHC) e na expressão de MHC não-clássicos (HLA-G), com algum papel no mecanismo do foliculotropismo. Os objetivos foram: descrever o perfil clínico-epidemiológico de paciente com MFF, descrever a histologia e imunofenótipo dos casos de MFF e investigar os mecanismos envolvidos na predileção dos linfócitos atípicos pelo folículo piloso. Metodologia: Os prontuários de pacientes com diagnóstico de MFF provenientes do ambulatório de Linfomas Cutâneos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) foram revisados (n=33). O material histológico de biópsias de pele dos pacientes com MFF provenientes dos ambulatórios de Linfomas Cutâneos da FMUSP e da Northwestern University foi analisado por meio de escala semi-quantitativa (n=43). Na coloração de hematoxilina-eosina foram avaliados os seguintes parâmetros: infiltrado neoplásico epidérmico...

Efeitos do brometo de etidio no tronco cerebral de ratos Wistar : aspectos morfologicos relacionados aos processos de desmielinização e remielização do sistema nervoso central

Luis Antonio Violin Dias Pereira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/1994 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Face à dificuldade do estudo de material humano, muitos modelos experimentais, que mimetizam doenças desmielinizantes, têm sido utilizados no estudo das características celulares da desmielinização e da limitada remielinização do sistema nervoso central. O objetivo desta investigação foi estudar o fenômeno desmielinizante causado pela droga intercalante brometo de etídio (BE), bem como o conseqüente processo de remielinização, no tronco cerebral de ratos Wistar adultos. Foram utilizados 34 animais divididos em grupo I (3 animais) utilizados para as análises histológica e ultraestrutural da porção ventral da ponte, grupo 11 (21 animais) que receberam uma única injeção de 1O,u1 (0,1 % de BE em solução salina 0,15M) na cisterna basal, e grupo 111 (10 animais) que receberam uma única injeção de 10 ,ul de solução salina 0,15M. Do grupo 11, 3 animais foram perfundidos (1 para histologia e 2 para ultraestrutura) nos seguintes intervalos de tempo (dias): 1,3,7, 11, 15,21 e 30. Do grupo 111, 2 animais foram perfundidos (1 para histologia e 2 para ultraestrutura) até o período de 15 dias. No grupo 11, lesões desmielinizantes foram encontradas principalmente na superfície ventral da ponte e se estendem de 1/3 a 1/2 na estrutura em sentido dorsal e posteriormente constituem formações císticas. As lesões eram caracterizadas por espongiose do tecido nervoso confirmados à microscopia eletrônica de transmissão por cariorréxis das células gliais...

Histopathological study of radicular cysts diagnosed in a Brazilian population

Santos, Luciano Cincurá Silva; Vilas Boas, Deise Souza; Oliveira, Gabriel Queiroz Vasconcelos; Ramos, Eduardo Antônio Gonçalves; Gurgel, Clarissa Araújo Silva; Santos, Jean Nunes dos
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
16.75%
O propósito desse estudo foi investigar os aspectos histopatológicos de cistos radiculares diagnosticados em uma população brasileira. Setenta e três casos de cistos radiculares entre 1480 biópsias diagnosticadas na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia, entre 2001 e 2008, foram investigados, considerando os seus aspectos histopatológicos. Os resultados morfológicos mostraram que os achados mais comuns foram a exocitose (n=50), espongiose (n=40), acantose (n=28), epitélio atrófico (n=27) e células apoptóticas (n=21). Outros achados encontrados incluíram macrófagos espumosos (n=10), corpúsculos de Russell (n=7), imagens negativas de colesterol (n=7) e restos epiteliais odontogênicos semelhantes à tecido glandular (n=1). Material exógeno foi observado em 16 casos. Concluiu-se que os aspectos histopatológicos e clínicos observados foram comparáveis a outros descritos em outras populações.

Panencefalite subaguda esclerosante: transmissão de agente encefalitogênico humano ao macaco rhesus

Alencar,Alexandre; Monteiro,Estácio
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1971 PT
Relevância na Pesquisa
17.41%
Material proveniente do cérebro de um paciente com "panencefalite subaguda esclerosante" foi inoculado, por via intracerebral, em dois Macacus rhesus. Os animais permaneceram assintomáticos, aparentemente bem, por mais de um ano. Entretanto, 21 e 22 meses após as inoculações começaram a apresentar sinais de comprometimento neurológico, traduzido por paralisia dos membros posteriores, com apatia e caquexia progressivas. Os animais foram sacrificados. O exame histopatológico do sistema nervoso central mostrou gliose marginal e gliose da substância branca, com os neurônios exibindo sinais de "lesão celular crônica". Foram vistos discretos manguitos inflamatórios perivasculares. Em um animal foi encontrada inclusão acidófila intra- nuclear. Havia também proliferação da glia satélite perineuronal, com satelitose, notadamente no tronco cerebral. No exame das vísceras foi encontrado discreto processo de miocardite crônica. Foram retirados fragmentos dos encéfalos destes animais e inoculados em 4 outros, também por via intracerebral. Estes animais de 2.ª passagem após 2 meses de inoculação, em média, apresentaram sinais de comprometimento do sistema nervoso central semelhante ao dos animais doadores, de 1ª passagem. Houve...

Degeneração cortico-estriato-medular: relato de um caso com achados clínicos e patológicos sugestivos de doença de Creutzfeldt-Jakob

Nascimento,Osvaldo J. M.; Freitas,Marcos R. G. de
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1976 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
É apresentado caso sugestivo de doença de Creutzfeldt-Jakob em adulto jovem. O estudo anátomo-patológico revelou alteração difusa no córtice cerebral, núcleos da base e medula, constituídas por degeneração neuronal, gliose, espongiose e infiltração linfoplasmocitária. Acham os autores que a natureza do infiltrado inflamatório corrobora a etiologia por vírus.

Estudo retrospectivo da doença de Creutzfeldt-Jakob diagnosticada no norte de Portugal entre 1993-2002: características demográficas, clínicas e neuropatológicas

Silva,Ana Martins; Pires,Manuel Melo; Leite,Antonio J Bastos; Honavar,Mrinalini; Mendes,Alexandre; Correia,Manuel; Nora,Manuel; Silva,Mário Rui; Costa,Manuela; Guimarães,Antonio; Monteiro,Luís
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
INTRODUÇÃO E OBJETIVO: Descrição das características demográficas, clinicas e neuropatológicas de 11 doentes com doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ). MÉTODO: Revisão clínica e neuropatológica de doentes com DCJ diagnosticados entre 1993 e 2002 em hospitais do Norte de Portugal. RESULTADOS: Foram identificados 11 doentes (4 do sexo feminino; idade média de início dos sintomas, 64 anos; média de duração da doença, 8 meses). Todos apresentaram síndrome demencial progressiva associada a mioclonias, sendo a síndrome cerebelar a forma de apresentação inicial em quatro deles. O estudo neuropatológico revelou sempre espongiose e gliose reativa associada a perda neuronal. O estudo imunocitoquímico para proteína priônica (PrP) foi positivo nos oito casos em que foi executado. CONCLUSÃO: O grupo de doentes descritos constitui uma série clinica representativa da heterogeneidade de fenótipos possíveis da DCJ esporádica. O estudo neuropatológico é ainda indispensável para o diagnóstico definitivo da doença.

O puru-puru da Amazônia (Pinta, Carate, Mal del Pinto etc)

Guimarães,F. Nery; Rodrigues,Bichat Almeida
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde Publicador: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1948 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
1) "Purú-purú" é uma palavra indígena que quer dizer "pintado" ou "manchado", peculiar à Amazonia Brasileira. Com êsse nome é designada uma dermatose referida entre os selvicolas desde 1774, por Ribeiro Sampaio. Certas tribus, com alta incidência da moléstia passaram a ser cahamadas também "Purú-purús", o mesmo acontecendo com o rio onde habitavam - Rio Purús. 2) A doença existe na bacia do Rio Solimões e seus principais afluentes: Javari, Juruá, Purús, Içá, Japurá, e Negro. Por esses rios, o fóco da dermatose se continua nos países limitrofes com o Brasil: Guianas, Venezuela, Colombia, Perú (Equador) e Bolivia. 3) Desde 1890 essa dermatose foi relacionada à pinta (carate ou mal del pinto) por P. S. de Magalhães, idéa essa depois defendida por Juliano Moreira, Carlos Chagas, Roquete Pinto, Wappeus, O. da Fonseca Filho, Da Matta, Brumpt e outros, baseados na semelhança clínica e na terapêutica. Recentemente (1945), essa provavel identidade das duas dermatoses, recebeu fundamento sorológico de Biocca (que verificou a positividade das reações de Kline e Kahn em doentes de purú-purú), e, pelo presente trabalho, recebe base clínico-epidemio-anatomo-patológica. 4) Sob o ponto de vista clínico, as lesões cutaneas discromicas da moléstia...

Intoxicação experimental pelas favas de Stryphnodendron obovatum (Leg. Mimosoideae) em bovinos. 2. Achados anátomo e histopatológicos

Brito,Marilene F.; Tokarnia,Carlos H.; Peixoto,Paulo V.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Com o objetivo de caracterizar as alterações anátomo e histopatológicas da intoxicação experimental por Stryph-nodendron obovatum Benth. (fam. Leg. Mimosoideae), as favas desta árvore foram administradas, por via oral, a 17 bovinos jovens. Destes, cinco morreram, sendo que apenas um deles recebeu 60g/kg das favas, em dose única, e quatro as receberam em doses repetidas (10g/kg durante 8 dias, 20g/kg durante 3 dias, 30g/kg durante 2 dias e 40g/kg durante 2 dias). Macroscopicamente, as lesões se caracterizaram por avermelhamento e aderência das papilas, desprendimento do epitélio e congestão da própria, sobretudo no rúmen e com menor intensidade no retículo e no omaso. No abomaso havia congestão difusa ou focal e grandes áreas com erosões/ulcerações. No intestino delgado observaram-se congestão da mucosa e placas de Peyer muito vermelhas e bem delimitadas e no intestino grosso leve a moderada congestão. Os linfonodos mesentéricos apresentavam-se avermelhados, ao corte. Histologicamente verificaram-se, desde a cavidade oral até o omaso, áreas de acantose, espongiose, paraqueratose, hiperqueratose, necrose e degeneração hidrópico-vacuolar, com formação de vesículas ou pústulas intra-epiteliais, por vezes contendo queratinócitos acantolíticos...

Lesões perinatais em bovinos na intoxicação experimental por Ateleia glazioviana (Leg.Papilionoideae)

García y Santos,Maria del Carmen; Schild,Ana Lucia; Barros,Severo Sales de; Riet-Correa,Franklin; Elias,Fabiana; Ramos,Adriano T.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Folhas de Ateleia glazioviana Baill., dessecadas em estufa a 100ºC por 16 a 20 horas, foram administradas a sete vacas sem raça definida. Duas vacas receberam 9 g/kg da planta seca aos 4 meses de gestação em dose única. Três vacas no 8º mês de gestação, receberam doses diárias de 1 a 2 g/kg da planta seca, perfazendo totais de 10, 21 e 28 g/kg. Duas outras, também no 8º mês de gestação, receberam a planta seca em dose única 15,5 e 18 g/kg. Duas vacas, no 4º mês de gestação, receberam 35 g/kg da planta verde, em dose única. A vaca que recebeu 21 g/kg da planta seca foi a única a apresentar sinais clínicos de intoxicação e o bezerro nasceu morto. As demais vacas não apresentaram sinais clínicos. Os bezerros das vacas que receberam a planta seca nas doses de 9, 15,5 e 28 g/kg, apresentaram sinais clínicos de debilidade, dificuldade de manter-se em pé e mamar e foram sacrificados. Macroscopicamente, no bezerro que nasceu morto, foram observados áreas esbranquiçadas e espessamento da parede do ventrículo cardíaco direito. Os demais bezerros que nasceram fracos foram sacrificados e não apresentaram lesões macroscópicas, com exceção do bezerro da vaca que recebeu a planta seca, na dose total de 28g/kg...

Intoxicação experimental por Tetrapterys multiglandulosa (Malpighiaceae) em ovinos

Riet-Correa,Gabriela; Terra,Fabiano F.; Schild,Ana Lucia; Riet-Correa,Franklin; Barros,Severo Sales de
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
28.22%
Em uma propriedade no município de Roseira Velha, São Paulo, com histórico de doença cardíaca, abortos e sinais nervosos em bovinos, associados à ingestão de Tetrapterys multiglandulosa, foi observada fibrose cardíaca em um bezerro de uma semana de idade que apresentava apatia, fraqueza e insuficiência respiratória. Os objetivos desse trabalho foram determinar se a espécie ovina é sensível à intoxicação por T. multiglandulosa, descrever as alterações clínicas e patológicas da intoxicação e avaliar a utilização dessa espécie como modelo experimental para a intoxicação. Para determinar a toxicidade de T. multiglandulosa a ser utilizada em ovinos, foi realizado um experimento prévio em um bovino, sendo administrado 22g por kg de peso vivo (g/kg/pv) da planta verde durante 9 dias. Após 9 dias de ingestão o animal apresentou sinais nervosos e no 12º dia foi eutanasiado. Na necropsia não foram observadas lesões. No estudo histológico observou-se vacuolização (status spongiosus, espongiose) da camada profunda da substância cinzenta do córtex cerebral e da substância branca subcortical. Para a reprodução da enfermidade em ovinos foram utilizados 6 ovinos, machos, divididos em 3 grupos de 2 animais cada. Os Ovinos 1 e 2 do Grupo 1 receberam doses diárias de 6 g/kg/pv da planta seca por um período de 30 dias; os Ovinos 3 e 4 do Grupo 2 receberam doses diárias de 3 g/kg/pv por um período de 60 dias; e os Ovinos 5 e 6 do Grupo 3 serviram como controle. O Ovino 1 foi sacrificado aos 30 dias de administração da planta. Apresentou somente arritmia cardíaca e não foram observadas lesões significativas na necropsia. Os Ovinos 2...

Intoxicação por Ramaria flavo-brunnescens (Clavariaceae) em bovinos

Barros,Ricardo R.; Irigoyen,Luiz F.; Kommers,Glaucia D.; Rech,Raquel R.; Fighera,Rafael A.; Barros,Claudio S.L.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Dois surtos de intoxicação pelo cogumelo Ramaria flavo-brunnescens são relatados em bovinos de duas fazendas localizadas nos municípios de Santa Maria e São Gabriel, no Rio Grande do Sul, no período de abril-maio de 2005. De um total de 180 bovinos de sobreano que tiveram acesso a bosques de eucaliptos, 19 adoeceram e 10 morreram. A evolução clínica foi de 8-15 dias e os sinais clínicos incluíam depressão, perda de peso, desidratação, salivação excessiva, afrouxamento e perda dos pêlos longos da cauda, alisamento da superfície dorsal da língua com ocasional ulceração, afrouxamento do estojo córneo dos chifres, fezes em forma de cíbalos e recobertas por película de muco, hipópion, hifema e opacidade da córnea. Dois novilhos tinham leucocitose devido a leve desvio regenerativo à esquerda. Os achados de necropsia confirmaram as observações clínicas e adicionalmente incluíam esofagite fibrinonecrótica, principalmente no terço distal do esôfago. Alterações histopatológicas na pele da cauda incluíam hiperqueratose ortoqueratótica, folículos pilosos com contornos irregulares, espessamento da camada de queratina tricolemal e formação ocasional de tampões de queratina; degeneração e necrose da bainha radicular externa também era observada. Nos cascos havia hemorragia...

Aborto em bovinos devido à intoxicação por Tetrapterys acutifolia (Malpighiaceae)

Caldas,Saulo A.; Peixoto,Tiago C.; Nogueira,Vivian A.; França,Ticiana Nascimento; Tokarnia,Carlos H.; Peixoto,Paulo V.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Esse estudo teve por objetivo demonstrar experimentalmente que Tetrapterys acutifolia Cav. (fam. Malpighiaceae) é capaz de provocar aborto em bovinos e caracterizar as alterações clínico-patológicas nas vacas e nos fetos. Estas plantas são responsáveis por significativo número de mortes em bovinos com mais de um ano de idade, especialmente nos Estados de Rio de Janeiro e São Paulo, mas até agora não havia sido comprovado experimentalmente seu efeito abortivo em bovinos. Os experimentos foram realizados no município de Barra do Piraí, RJ. Quatro vacas de descarte receberam brotos e folhas novas frescas de T. acutifolia, coletadas em propriedades vizinhas, nas doses de 2,5g/kg/dia, 5,0g/kg/dia (2 vacas) e 10g/kg/dia, até ocorrer o abortamento. O quadro clínico nas vacas caracterizou-se por arritmia cardíaca, tremores musculares, anorexia, ascite, jugular ingurgitada, edema de peito e barbela e aborto (23-76 dias após o início da ingestão da planta); todas as vacas abortaram. Das quatro vacas apenas uma (a que recebeu 10g/kg/dia) morreu 36 dias após o abortamento, com sintomas de insuficiência cardíaca. O exame necroscópico dos fetos/natimortos revelou hidrotórax, hidropericárdio, hidroperitônio e congestão hepática; ao corte do miocárdio...

Lesões traumáticas de pele causadas pelos espinhos de Mimosa pudica e Mimosa debilis em equídeos

Reis,Alessandra S. Belo; Duarte,Marcos Dutra; Sousa,Melina G.S. de; Freitas,Nayra Fernanda de Q.R.; Yamasaki,Elise M.; Silva,André G. Marciel e; Oliveira,Carlos Magno C.; Barbosa,José Diomedes
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Foram realizadas pesquisas sobre a natureza e causa de lesões de pele em equídeos em uma propriedade no município de Castanhal, região Nordeste do Estado do Pará. Foram realizadas visitas técnicas, estudos epidemiológicos, coletas de sangue, biópsias de pele afetada e a inspeção da pastagem. O estudo incluiu 25 equídeos, dos quais 14 machos e 11 fêmeas, de seis meses e oito anos de idade. Os animais apresentaram lesões ulcerativas, de bordos irregulares, na cabeça (narinas, focinho, lábios superiores e inferiores e chanfro), na cavidade oral (vestíbulo bucal e gengiva) e nos membros (boletos, metacarpos e metatarsos e articulação escápulo-umeral). No exame histopatológico foram observados focos de erosões cutâneas, caracterizados por perda e necrose da epiderme, com espongiose, degeneração vesicular da epiderme remanescente e leve infiltrado inflamatório na derme subjacente, constituído predominantemente por macrófagos e, em menor grau, eosinófilos. Na inspeção da pastagem, constituída de Brachiaria humidicola, foi constatada grande invasão de duas plantas providas de espinhos, Mimosa pudica e Mimosa debilis, ambas da família Leg. Mimosoideae. Concluiu-se, que as lesões de pele foram causadas pela ação traumática dos espinhos de Mimosa pudica e Mimosa debilis.

Dermatite alérgica sazonal em ovinos deslanados no nordeste do Brasil

Portela,Roseane de A.; Carvalho,Kézia S.; Ahid,Silvia M.M; Felippe-Bauer,Maria L.; Riet-Correa,Franklin
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
16.75%
Dermatite alérgica sazonal foi diagnosticada em um rebanho de 40 ovinos da raça Santa Inês no município de Jucurutú, Estado de Rio Grande do Norte. Para o estudo epidemiológico e observação dos sinais clínicos a propriedade foi visitada periodicamente entre 2007 e 2010. Os ovinos eram criados extensivamente em campo nativo cortado pelo rio Piranhas e com um açude permanente. Entre 2007 e 2009 adoeceram 13 (32,5%) ovinos de um total de 40. As lesões eram observadas durante a época da chuva e regrediam total ou parcialmente durante a seca, reaparecendo no próximo período chuvoso. Os animais que foram retirados da área se recuperaram. No final de 2009 foram eliminados os animais susceptíveis e três novos casos apareceram em 2010. A pele apresentava lesões alopécicas, crostosas, enrugadas, esbranquiçadas e com intenso prurido, localizados na região da cabeça (orelhas, ao redor dos olhos e região frontal), região dorsal do corpo e garupa. Histologicamente, a epiderme apresentou hiperqueratose, acantose, hipergranulose e moderada espongiose. Na derme havia infiltrado inflamatório, principalmente perivascular, composto por eosinófilos, macrófagos e plasmócitos. Observou-se queratose de folículos pilosos e dilatação das glândulas sudoríparas. No hemograma...

Intoxica??o experimental por Tetrapterys multiglandulosa (Malpighiaceae) em ovinos

CORREA, Gabriela Riet; TERRA, Fabiano Fonseca; SCHILD, Ana Lucia; RIET-CORREA, Franklin; BARROS, Severo Sales de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
28.22%
Em uma propriedade no munic?pio de Roseira Velha, S?o Paulo, com hist?rico de doen?a card?aca, abortos e sinais nervosos em bovinos, associados ? ingest?o de Tetrapterys multiglandulosa, foi observada fibrose card?aca em um bezerro de uma semana de idade que apresentava apatia, fraqueza e insufici?ncia respirat?ria. Os objetivos desse trabalho foram determinar se a esp?cie ovina ? sens?vel ? intoxica??o por T. multiglandulosa, descrever as altera??es cl?nicas e patol?gicas da intoxica??o e avaliar a utiliza??o dessa esp?cie como modelo experimental para a intoxica??o. Para determinar a toxicidade de T. multiglandulosa a ser utilizada em ovinos, foi realizado um experimento pr?vio em um bovino, sendo administrado 22g por kg de peso vivo (g/kg/pv) da planta verde durante 9 dias. Ap?s 9 dias de ingest?o o animal apresentou sinais nervosos e no 12? dia foi eutanasiado. Na necropsia n?o foram observadas les?es. No estudo histol?gico observou-se vacuoliza??o (status spongiosus, espongiose) da camada profunda da subst?ncia cinzenta do c?rtex cerebral e da subst?ncia branca subcortical. Para a reprodu??o da enfermidade em ovinos foram utilizados 6 ovinos, machos, divididos em 3 grupos de 2 animais cada. Os Ovinos 1 e 2 do Grupo 1 receberam doses di?rias de 6 g/kg/pv da planta seca por um per?odo de 30 dias; os Ovinos 3 e 4 do Grupo 2 receberam doses di?rias de 3 g/kg/pv por um per?odo de 60 dias; e os Ovinos 5 e 6 do Grupo 3 serviram como controle. O Ovino 1 foi sacrificado aos 30 dias de administra??o da planta. Apresentou somente arritmia card?aca e n?o foram observadas les?es significativas na necropsia. Os Ovinos 2...