Página 1 dos resultados de 203 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Direito ao desenvolvimento de comunidades indígenas no Brasil; Le droit au développement des communautés indigênes au Brésil

Anjos Filho, Robério Nunes dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.31%
O presente trabalho versa sobre o direito ao desenvolvimento das comunidades indígenas no Brasil, procurando identificar suas fontes, sujeitos e objeto. Para tanto, buscou-se inicialmente examinar o direito ao desenvolvimento no plano internacional, especialmente no que concerne à possibilidade da sua titularidade ser exercida por minorias e outros grupos vulneráveis. Posteriormente, ainda no âmbito do direito internacional, destacou-se a hipótese de as comunidades indígenas, como espécies de minorias, serem titulares de um direito ao desenvolvimento próprio, com características específicas, apontando-se as fontes, os legitimados passivos e o objeto desse direito. A seguir, verificou-se que todos os elementos do direito ao desenvolvimento das comunidades indígenas também se encontram presentes no direito positivo brasileiro. No plano nacional, suas fontes principais são a Constituição de 1988, os tratados de direitos humanos incorporados à ordem jurídica interna com status supralegal e a legislação ordinária. Já a legitimidade passiva diz respeito ao estado brasileiro, às pessoas jurídicas e às pessoas físicas. Integram o objeto do direito ao desenvolvimento das comunidades indígenas no Brasil os mesmos direitos que o compõem no âmbito internacional: a) o direito à autodeterminação indígena; b) o direito à manutenção da própria cultura; c) o direito à opção por um processo próprio de desenvolvimento; d) o direito ao território indígena e à utilização dos recursos naturais; e) o direito à participação; f) o direito à melhoria das condições econômicas e sociais; g) o direito à saúde; h) o direito à previdência social; i) o direito à educação; j) o direito à subsistência...

Etnobotânica de plantas antimaláricas em comunidades indígenas da região do Alto Rio Negro – Amazonas – Brasil

Kffuri, Carolina Weber
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: ix, 213 f. : il. color., gráfs, tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
26.41%
Pós-graduação em Agronomia (Horticultura) - FCA; More than 3.3 million people worldwide are exposed to malaria. The drugs used in combating the disease already show signs of resistance. In Brazil 99% of cases occur in Legal Amazônia. It is an endemic disease in the Upper Negro River considered a sui generis cultural region, where more than 90 % of inhabitants are native speakers of 23 languages, and the forest is preserved and unknown to science. It is the first ethnobotanical work on antimalarial plants in the region. Negotiations for obtaining research permission were intense between 2010 and 2013. And the fieldwork was carried out between September 2011 and July 2012 and September and November 2013, in five indigenous communities . 46 species are used to treat malaria were recorded belonging to 24 botanical families, most native of the Amazon phytogeographical area. Cultural perceptions of the disease were recorded, as well as the name of some plants in the two major languages of the region and a study of fitonímia in Língua Geral Amazônica was made. 14 of the 46 species have scientific studies proving its antimalarial activity and 25 can be considered interesting for future scientific studies. Only five species showed consensus in use. The large number of native species used and cultural perceptions of the participants about the disease demonstrate that there is local knowledge and its application as the need for environmental and cultural protection of these area...

Dinâmica de espécies na agricultura indígena do Vale do Javari - AM

Freitas, Sérgio Fernandes
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 107 f.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
26.47%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas.; A visão depreciativa em relação à população rural aprofundou o descaso com muitos sistemas de conhecimento nativo, cujo conteúdo era expresso de forma discursiva e simbólica. Poucos trabalhos foram realizados e ainda pouco se conhece sobre os sistemas tradicionais de produção. Os estudos realizados têm demonstrado a diversidade e complexidade dos padrões de cultivo, dos sistemas de manejo e conservação de solos, usos da água, reciclagem de nutrientes, controle da sucessão e proteção das culturas, além da incorporação de grande número de cultivares, importantes para o desenvolvimento de programas de melhoramento genético. A agricultura itinerante constitui a forma tradicional de uso da terra mais praticada na América Latina. Alternando-se períodos de cultivo e regeneração da floresta, é possível manejar a fertilidade do solo e controlar pragas e doenças, estabelecendo policultivos e sistemas agroflorestais com alto grau de sustentabilidade. Nos sistemas tradicionais indígenas da Amazônia, os produtos de maior importância são o milho, a mandioca e a banana...

Agroflorestas e agentes agroflorestais indígenas no Acre

Bianchini, Paola Cortez
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: viii, 112 f.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
26.52%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas; Os Agentes Agroflorestais Indígenas (AAFIs) são jovens e adultos de todas as etnias indígenas do estado do Acre escolhidos em suas aldeias, para atuarem na implantação de sistemas agroflorestais e na gestão ambiental e territorial de suas terras indígenas, após receber a formação da Comissão Pró-índio do Acre (CPI/AC). Os AAFIs constituem uma nova categoria social nas TIs. Um dos objetivos do trabalho do AAFI é a segurança alimentar e a autonomia indígena. É objetivo deste trabalho descrever os Sistemas Agroflorestais (SAFs) e os roçados da Terra Indígena Kaxinawá do rio Humaitá (TIRH), analisar a atuação dos AAFI nas aldeias e a relação existente entre a formação dos AAFIs e os SAFs. As metodologias utilizadas em campo foram a observação participante e as entrevistas abertas. Assim, a pesquisa foi realizada com dados primários e dados secundários, a partir da sistematização de relatórios da CPI/AC. Os SAFs na TIRH, foram implantados em quintais, capoeiras e roçado de um ano. Nestes SAFs as espécies foram classificadas quanto à origem e percentual nos sistemas. De maneira geral há predominância de espécies nativas (65%) nos diferentes tipos de sistemas agroflorestais na TIRH. Nos quintais agroflorestais encontrou-se o maior número de plantas exóticas...

Amostragem da flora costeira da Ilha Graciosa

Silva, Luís; Cordeiro, Nuno
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em /06/2005 POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
XI Expedição Científica do Departamento de Biologia - Graciosa 2004.; Neste trabalho realizou-se uma amostragem da flora da zona costeira na ilha Graciosa. Em 16 locais amostraram-se 92 plantas vasculares. O número de taxa amostrados variou entre 9 e 30, e a percentagem de taxa indígenas variou entre 6 e 70%. Apenas em 5 locais a percentagem de indígenas ultrapassou a percentagem de introduzidas. A percentagem de endémicas variou entre 0 e 30%, encontrando- se acima dos 20% apenas para três locais; apenas em dois dos locais se verificou uma total ausência de endémicas. Os locais com maior percentagem de plantas indígenas foram os Fenais, o Carapacho e a Ponta do Pesqueiro, existindo vários locais onde as plantas indígenas são ainda comuns. A maioria dos locais apresentava vegetação do tipo costeiro com uma intervenção humana mais ou menos intensa. As espécies dominantes foram muito frequentemente introduzidas (Tamarix africana, Carpobrotus edulis) e em alguns casos endémicas (Festuca petraea, Erica azorica). De referir a ocorrência das seguintes endémicas características da zona costeira: Festuca petraea, Daucus carota ssp. azorica, Gaudinia coarctata, Euphorbia azorica, Spergularia azorica e Azorina vidalii. Foram amostradas várias plantas nativas típicas da zona costeira nos Açores: Plantago coronopus...

Caracterização das manchas florestais da Ilha Graciosa

Silva, Luís; Cordeiro, Nuno
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em /06/2005 POR
Relevância na Pesquisa
26.44%
XI Expedição Científica do Departamento de Biologia - Graciosa 2004.; Neste trabalho procedeu-se a uma caracterização geral das manchas florestais da ilha Graciosa. Os 24 locais amostrados estenderam-se desde os 34 até aos 340 metros de altitude A generalidade das manchas correspondeu a matas de exóticas, havendo apenas dois locais com mato nativo de Erica. Somente em dois locais os valores de frequência e cobertura relativas dos taxa indígenas foram superiores ou iguais a 50%. O número de taxa indígenas variou entre 0 e 83% e a cobertura entre 0 e 88%. Os endemismos estavam presentes em 13 dos locais, com percentagens que variaram entre 8 e 20%, e com coberturas que oscilaram entre 6 e 25%. De salientar que 8 locais apresentaram percentagens superiores ou iguais a 80% de taxa introduzidos, um dos quais com 100%. Em 6 locais a percentagem de introduzidas atingiu mais de 60% e em 8 locais mais de 70%. Uma situação semelhante foi encontrada para a percentagem de cobertura. A espécie mais importante nas amostragens foi a árvore naturalizada Pittospoum undulatum. Seguiram-se duas nativas (Myrica faya e Pteridium aquilinum), duas introduzidas (Rubus ulmifolius e Arundo donax) e uma endémica (Erica azorica). As restantes 8 plantas indígenas (4 nativas e 4 endémicas) surgiram com uma importância mais reduzida. Entre as plantas mais importantes encontraram-se várias invasoras problemáticas (Rubus ulmifolius...

Conocimiento etnoecólogico de los hongos entre los indígenas Uitoto, Muinane y Andoke de la Amazonía Colombiana

Vasco-Palacios,Aída Marcela; Suaza,Sandy Carolina; Castanõ-Betancur,Mauricio; Franco-Molano,Ana Esperanza
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 ES
Relevância na Pesquisa
26.43%
El presente texto es el resultado de un compartir de conocimientos acerca de los hongos y sus relaciones ecológicas con animales y plantas, con las etnias Uitoto, Andoke y Muinane que habitan la región del medio Caquetá. Gran parte de la información ecológica encontrada está contenida en la tradición oral de estas etnias, y refleja la capacidad integradora y descriptiva que tienen los indígenas sobre el medio natural circundante. En la zona de estudio la madera es un sustrato muy abundante debido principalmente al tipo de agricultura que tienen los indígenas, y por tanto se desarrollan una gran cantidad de especies de hongos lignícolas. Muinanes, Uitotos y Andokes conocen algunas de las especies vegetales que sirven de sustrato para los hongos, sobretodo aquellas utilizadas en la alimentación tales como Lentinula raphanica y Lentinus scleropus, entre otros. El conocimiento ecológico que tienen estos indígenas sobre los hongos, incluye además datos acerca de cucarrones (Coleoptera) y larvas (Diptera), mamíferos como venados (Mazama americana y M. gouazoubira) y ardillas (Microsciurus flaviventer) y tortugas que incluyen los hongos en su dieta, así como sobre especies de hongos que parasitan plantas e insectos.

Una visión borrosa de los vencidos. Indígenas pampeanos y medio

Irianni, Marcelino
Fonte: Instituto de Estudios Histórico-sociales, Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires Publicador: Instituto de Estudios Histórico-sociales, Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.3%
La relación de los indígenas pampeanos con el medio ambiente todos los aspectos de su devenir, incluyendo la identidad. Por ello, la del espacio y la incorporación de especies exóticas por parte de la sociedad blanca durante el siglo XIX, debió influenciar en la pérdida y mutación de la identidad de algunas parcialidades, principalmente aquellas que adquieren el estatus de tribus amigas. Nos interesa avanzar en aspectos ligados a las creencias y la simbología de las parcialidades indígenas pampeanas y sus cambios a partir de la llegada de los europeos y criollos a sus territorios.; The relationship of the Pampas Indians to the environment molded all aspects of its evolution, including the identity. Therefore, the use of space and the incorporation of alien species by white society during the nineteenth century, had lost influence and mutation of the identity of some bias, especially those who acquire the status of friendly tribes. We want progress in aspects related to the beliefs and symbols of indigenous groups in Pampa and its changes since the arrival of Europeans and natives to their lands.; Fil: Irianni, Marcelino. Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires. Facultad de Ciencias Humanas. Instituto de Estudios Histórico-Sociales-Tandil; Argentina; Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas; Argentina;

The role of alien plants in the composition of fruit-eating bird assemblages in Brazilian urban ecosystems

Guix, Juan Carlos
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2007 ENG
Relevância na Pesquisa
36.25%
Between 1985 and 2004, 91 wild fruit-eating bird species were studied in 11 urban areas of Brazil: 78 of these species were seed dispersers and 13 were seed predators. The most representative families of fruit-eating birds in these areas were: Thraupidae with 46 species, Tyrannidae with 19 species, Psittacidae with 11 species and Turdidae with 6 species. Several of these avian species (or part of their populations) are vagrants or visitors (wanderers) and migrants. At least 19 fleshy-fruiting plant species usually dispersed by birds were found growing spontaneously in urban areas: at least 8 of these were indigenous (autochthonous) to the region in which they were found, and 11 were alien (allochthonous). A total of 383 fleshy-fruiting plants were found on 321 plots: 275 (71.8%) plants belonged to autochthonous taxa and 108 (28.2%) plants belonged to alien taxa. In these plots, the fleshyfruiting plants that most successfully colonized urban environments were those belonging to autochthonous taxa, all of them small-seeded: Ficus spp. (Moraceae), Rhipsalis spp. (Cactaceae), Struthanthus spp. (Loranthaceae) and Cereus spp. (Cactaceae). The alien fleshyfruiting plant species that most successfully colonized urban environments were: Ficus microcarpa...

La importancia conservacionista de las comunidades indígenas de la Reserva de Bosawás, Nicaragua : un modelo de flujos

Cordón, María Rosa; Toledo, Víctor M.
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2008 SPA
Relevância na Pesquisa
36.37%
Hoy existen en el mundo alrededor de 109,000 áreas naturales protegidas representando el 11.5% de la superficie terrestre del planeta (WDPA 2005), buena parte de las cuales se traslapan a, o se encuentran rodeadas de, territorios pertenecientes a pueblos indígenas. Este fenómeno es consecuencia de la estrecha correlación que existe a escala global entre las áreas de mayor riqueza biológica y los territorios indígenas. Dado lo anterior, existe un creciente interés por realizar estudios que informen de los impactos biológicos y ecológicos que las comunidades locales tienen sobre las áreas naturales protegidas con las que co-existen o se sobreponen y, de manera especial, de sus prácticas productivas y estrategias de subsistencia. La Reserva de la Biosfera de Bosawás (RBB) en Nicaragua cubre cerca de 8,000 km2, y se encuentra habitada y/o rodeada por núcleos humanos indígenas y de familias de colonos mestizos. Los análisis sobre el uso del suelo realizados en los últimos años por varios autores (Smith 2003; Lugo 2006 y Stocks et al. 2007) acerca del impacto de las actividades de las comunidades indígenas y mestizas sobre la RBB, han dejado establecido el bajo impacto deforestador de las comunidades indígenas miskitas y mayangna...

Classificaçõe émicas da natureza — a etnobiologia no Brasil e a socialização das espécies naturais; Emic classifications about nature – ethnobiology in Brazil and the socialization of natural species

Carrara, Eduardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/1996 POR
Relevância na Pesquisa
36.2%
Trato aqui do início e desenvolvimento dos estudos em etnobiologia (feitos no Brasil) ou a anélise de como as sociedades de tradição oral (indígenas, principalmeme) percebem, nomeiam e classificam plantas e animais. Discuto também as perspectivas teóricas de cada trabalho, a fim de pensar as classificaçõeses émicas da natureza não como sistemas formais auto-suficientes, mas Como um produto da socializaçãoo das espécies naturais, operada através do trabalho humano, das atividades rituais e do pensamento cosmologico.; Here I deal with the beginnings and the development of the Brazilian studies about ethnobiology i.e. the analysis of how societies with oral tradition (mainly Indian ones) perceive, name and classify plants and animals. I also discuss the theoretical perspectives of every study in order to reflect about emic classifications of nature not as formal, self-sufficient systems, but as products of a socialization of the natural species, put into action through activities and cosmological thinking.

Padrões de raridade das plantas vasculares indígenas dos Açores : implicações para a conservação e gestão

Goulart, Marisa Nascimento Santos
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 02/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.16%
Dissertação de Mestrado, Engenharia do Ambiente, 2 de Outubro de 2015, Universidade dos Açores.; [...]. O objetivo geral deste trabalho consiste em definir o tipo de raridade das 160 plantas indígenas dos Açores de acordo com a amplitude da sua distribuição geográfica (abrangente ou restrita), abundância da espécie (abundante ou esparsa) e especificidade do habitat (generalista ou especialista), seguindo a metodologia proposta por Deborah Rabinowitz em 1981, que resulta na obtenção de oito categorias, sete das quais raras. Os dados utilizados para responder ao objetivo foram obtidos nos trabalhos clássicos de Lüpnitz (1976), Dias (1996), Elias (2001), Schäfer (2002) e Elias (2007) e ainda em dados não publicados obtidos por Rui B. Elias em 2013, que contêm simultaneamente informação de distribuição, abundância e ecologia; foram excluídos outros trabalhos publicados acerca da flora dos Açores por não cumprirem estes requisitos. [...].; ABSTRACT: [...]. The overall objetive of the work is to define patterns of rarity of 160 Azorean indigenous plants according to their geographical range, abundance and habitat specificity, following the methodology proposed by Rabinowitz in 1981, resulting in obtaining eight categories...

Vetores de malária em duas reservas indígenas da Amazônia Brasileira; Vectores de malaria en dos reservas indígenas del Amazonas Brasilero; Malaria vectors in two indigenous reserves of the Brazilian Amazon

Santos, Roseli La Corte dos; Padilha, Alexandre; Costa, Manoel Djalma Pereira; Costa, Evaldo Maia; Dantas-Filho, Herberto de Carvalho; Povoa, Marinete Marins
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2009 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
26.6%
OBJETIVO: Descrever a composição, características ecológicas e comportamentais e infectividade das espécies de anofelinos em reservas indígenas da região Amazônica. MÉTODOS: O estudo foi conduzido no ano de 2002 em aldeias das reservas indígenas Nhamundá-Mapuera e Cuminapanema no estado do Pará. Foram realizadas três coletas de duas semanas em cada reserva, com capturas de adultos e de imaturos. Anofelinos adultos foram capturados com capturador de Castro por atração humana nos ambientes intra e peridomiciliares, no período das 18h às 21h e das 18 às 06h e avaliados para verificação da paridade e infectividade para plasmódios por dissecção e ELISA. As coleções hídricas próximas às aldeias foram pesquisadas utilizando conchas de 500 ml, sendo 20 conchadas a cada 10 m, cobrindo-se a extensão máxima de 200 m de perímetro do criadouro. RESULTADOS: Foram capturadas 8.668 fêmeas somando-se as coletas das duas reservas. Anopheles darlingi foi a espécie predominante, com maior freqüência no peridomicílio. Na reserva Mapuera, a atividade hematofágica concentrou-se entre as 20h e 24h e, em Cuminapanema, manteve-se elevada até as 24h, diminuindo após esse horário e voltando a elevar-se no início da manhã. Das 6.350 fêmeas de An. darlingi examinadas...

Etnobotânica Xucuru: espécies místicas; .

Silva, Valdeline Atanazio da; Laboratório de Etnobotânica e Botânica aplicada. Departamento de Botânica - Universidade Federal de Pernambuco; Andrade, Laise de Holanda Cavalcanti; Laboratório de Etnobotânica e Botânica aplicada. Departamento de Bot
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2002 POR
Relevância na Pesquisa
36.38%
A tribo Xucuru, grupo indígena pernambucano, é um dos sete remanescentes do estado de Pernambuco, nordeste do Brasil. O toré é o principal ritual místico da tribo, cuja prática representa atualmente um resgate do "ser Xucuru". Ao dançarem o toré, os Xucuru frequentemente usam vestimentas, ornamntos, instrumentos musicais e bebida. A bebida que compõe  o ritual, chamada jurema, tem como base a Mimosa tenuiflora (Wild.) Poir. Esta bebida é característica dos rituais de vários grupos indígenas nordestinos e permite, segundo os Xucuru, uma maior integração entre o índio (indivíduo) e os "encantados" (espíritos de antepassados), funcionando, ainda, como estimulante para os participantes do ritual. Quinze espécies (75% do total levantado) vegetais (nativas e introduzidas) são utilizadas pelos Xucuru em banhos mediúnicos (contato/limpeza contra os espíritos), uma como amuleto (castanha de caju, como proteção contra picada de cobra), três como defumador (folhas secas e queimadas, usadas, para afastar maus espíritos e aromatizar o ambiente) e duas na produção de cigarro (apesar de ser hábito comum entre os Xucuru, a planta utilizada em geral, tem origem no mercado e é chamada "fumo brabo"). As espécies místicas estão distribuídas nas seguintes famílias: Anacardiaceae (1 espécie)...

O significado cultural das espécies botânicas entre indígenas de Pernambuco: o caso Xucuru; .

Silva, Valdeline Atanazio da; Departamento de Botânica - Universidade Federal Rural de Pernambuco; Andrade, Laise de Holanda Cavalcanti; Departamento de Botânica - Universidade Federal Rural de Pernambuco
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 POR
Relevância na Pesquisa
36.47%
O Índice de Significado Cultural (ISC), criado no final dos anos 80, visa registrar o valor de cada espécie vegetal e revelar sua importância para a sobrevivência biológica e cultural de uma comunidade tradicional. Considerando que foi inicialmente proposto e aplicado em comunidades indígenas no Canadá e nos Estados Unidos, visou-se verificar sua aplicabilidade para grupos indígenas brasileiros, avaliando o significado cultural das espécies vegetais úteis para a tribo Xucuru, em Pesqueira (Lat 8° 21`30"S e Long 36° 41'45"), Pernambuco. A partir de entrevistas informais foram registradas 97 espécies úteis entre Arvores, arbustos e ervas, originárias da mata Pedra D'Agua (Serra do Ororobá-Floresta úmida), dos quintais e pequenas Areas de cultivo (rogas), existentes na aldeia. 0 ISC ordenou numericamente as plantas levantadas na tribo Xucuru, de modo similar à ordenação de importância observada em campo e Musa paradisiaca é a espécie de maior significado atual para a  comunidade (ISC 120), seguida por Rosmarinum officinalis (ISC 92), Xerophyta plicata (ISC 88), Aspidosperma sp. (ISC 84) e Cymbopogon citratus (ISC 80). 0 lugar de destaque ocupado por espécies não nativas da região evidencia a importância que plantas exóticas adquiriram na cultura Xucuru.; The Index of Cultural Significance (ICS) created at the end of the 1980's...

Etnobotánica de los helechos (Ophioglossidae, Equisetidae y Polypodiidae) en Argentina: recopilación y análisis entre grupos criollos e indígenas

Scarpa,Gustavo F; Cassá,Liliana A
Fonte: Revista del Museo Argentino de Ciencias Naturales Publicador: Revista del Museo Argentino de Ciencias Naturales
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 ES
Relevância na Pesquisa
36.26%
El objetivo de este trabajo es contribuir a la actualización, análisis y difusión de datos etnobotánicos registrados sobre los helechos asignados a grupos indígenas y criollos de Argentina. Para ello se recopilan datos provenientes de 66 fuentes bibliográficas de carácter etnobotánico, botánico, farmacobotánico, antropológico-folklórico e histórico. Se registraron 502 datos etnobotánicos diferentes, en un total de 1065 citas bibliográficas referidas a 106 taxa de helechos empleados por grupos criollos e indígenas de Argentina. Entre los mismos prevalecen claramente los usos de tipo medicinal con el 84 % de los datos (424), mientras que las demás categorías no superan el 3 % cada una. Entre estas últimas se registraron usos de carácter mágico -no medicinal- (18); comercial (16), cultivados como ornamentales (16), de uso forrajero (8), alimenticios, indicadores y tóxicos (4 datos cada uno); entre otros. Con fines medicinales los helechos son empleados principalmente contra trastornos del aparato reproductor con el 31,1 % de los datos; digestivo con el 14,1 %; respiratorio con el 11,8 % y urinario con el 9,4 %. Para indígenas y criollos se registraron valores similares de datos totales, aunque los primeros emplean una cantidad de especies netamente mayor...

Etnobotánica médica de los indígenas chorote y su comparación con la de los criollos del Chaco semiárido (Argentina)

Scarpa,Gustavo F
Fonte: Darwiniana, nueva serie Publicador: Darwiniana, nueva serie
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 ES
Relevância na Pesquisa
36.3%
Se identifica la farmacopea vegetal que utilizan actualmente los indígenas Chorote del Chaco semiárido argentino. Se registraron 69 especies vegetales, 2 especies de hongos y un liquen con 194 usos medicinales. Se destaca el bajo porcentaje de este tipo de usos respecto al total de datos etnobotánicos recopilados para los Chorote (15 %). De su comparación con la farmacopea criolla se desprende que el 52 % de los datos resulta idéntico, por lo que se concluye que los Chorote habrían adquirido estas prácticas a manera de préstamo cultural. La farmacopea de este pueblo, entonces, fue muy reducida debido a que su medicina tradicional de corte chamanístico no involucraba antaño el uso de remedios de origen vegetal. Entre las plantas medicinales típicamente Chorote se pueden citar a Achatocarpus praecox, Cleistocactus baumannii, Echinopsis rhodotricha y Funastrum clausum. Los usos estrictamente Chorote quedarían así reducidos a 90 aplicaciones en total, principalmente como antiemenagogos, antidiarreicos, antitusivos y cicatrizantes.

Espécies invasoras: conceitos, modelos e atributos

Espínola,Luis A; Ferreira Júlio Junior,Horácio
Fonte: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA Publicador: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.19%
A distribuição natural das espécies nos ecossistemas é influenciada por diversos fatores bióticos e abióticos, e as barreiras físicas operam como filtro para a dispersão. Os antigos processos de colonização e migração humana e a recente tendência de globalização são os principais responsáveis pela transposição das barreiras geográficas e introdução de espécies em regiões fora de sua distribuição original. Na designação das espécies introduzidas, a terminologia adotada eventualmente pode levar uma falta de operacionalidade das definições confundindo a interpretação dos paradigmas relacionados ao processo de invasão. De acordo com a literatura, os seguintes critérios, i) biogeográfico, ii) crescimento da população e iii) dispersão na nova área, deveriam ser tomados em conta para evitar interpretações subjetivas. A maioria dos modelos apresentados se encontram incertos nos mesmos paradigmas para explicar os estados do processo de invasão (chegada, estabelecimento e invasão) embora cada modelo tenha seus próprios conceitos. Muitos autores consideram tanto as características das espécies invasoras, como as características dos ambientes invadidos para explicar o sucesso das espécies e o estabelecimento. O uso de claros...

Contenido de mercurio total en peces de consumo habitual en los asentamientos indígenas el plomo y el casabe - Estado Bolívar

Álvarez Fermín,Luis Alberto; Rojas,Luis Alfredo
Fonte: Universidad Nacional Experimental Politécnica " Antonio José de Sucre", UNEXPO, Vicerrectorado Puerto Ordaz. Publicador: Universidad Nacional Experimental Politécnica " Antonio José de Sucre", UNEXPO, Vicerrectorado Puerto Ordaz.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 ES
Relevância na Pesquisa
36.37%
En las proximidades de dos poblados indígenas con antecedentes en minería aurífera, situados en las márgenes de los ríos Paragua (El Casabe) y Caroní (El Plomo), se practicó la captura de peces de consumo habitual por sus pobladores y se les determinó el contenido de mercurio total en tejido de músculos mediante la técnica de absorción atómica, vapor en frío. A los valores obtenidos se les aplicó el test de Sperman no encontrándose correlación entre las concentraciones de mercurio total con la talla y el peso. La prueba de Mann-Withney (Wilcoxon) no reveló diferencias significativas en El Casabe, al comparar el contenido mercurial de las especies omnívoras-herbívoras con las piscívoras, omnívoras, insectívoras y detritívoras y entre las insectívoras y las omnívoras, aunque si hubo diferencias al comparar las detritívoras con las piscívoras, omnívoras e insectívoras, así como entre las insectívoras y las piscívoras y las omnívoras con las piscívoras. En El Plomo hubo diferencias significativas entre las piscívoras y las detritívoras. Del total de especies analizadas, 6 (46.13%) mostraron valores promedio de mercurio total sobre 0.5 μg/g (OMS/FAO) y en especies similares, estas cifras fueron superiores en El Plomo con respecto a las observadas en El Casabe.

Enteroparasitosis en indígenas de la comunidad Japrería, estado Zulia, Venezuela

Rivero,Zulbey; Maldonado,Adriana; Bracho,Ángela; Gotera,Jennifer; Atencio,Ricardo; Leal,Marilyn; Sánchez,Rosana; Silva,Carolina
Fonte: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA Publicador: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 ES
Relevância na Pesquisa
36.2%
Las enfermedades parasitarias representan un problema médico, económico y social, afectando a todas las clases sociales, pero principalmente a los estratos socioeconómicos más bajos. Para determinar la prevalencia de enteroparásitos en la comunidad indígena Japrería, ubicada en la Sierra de Perijá, Estado Zulia, Venezuela, se procesaron 191 muestras fecales correspondientes a individuos de ambos sexos con edades comprendidas entre 1 mes y 86 años. Las muestras fueron analizadas a través de los métodos coproparasitológico directo y por la técnica de concentración formol-éter. Se encontró una elevada prevalencia de enteroparásitos (82,20%) y un predominio del poliparasitismo (78,98%), con asociaciones entre especies comensales y patógenas. No se observó diferencia significativa de susceptibilidad entre la prevalencia de parásitos y el sexo (p>0,05). En cuanto al grupo etario, el estrato más afectado resultó ser el de adultos jóvenes (20-39 años; 25,48%). Las especies de protozoarios más frecuentes fueron Blastocystis hominis (46,07%), Entamoeba coli (42,93%) y el complejo Entamoeba histolytica/Entamoeba dispar (34,03%). Entre los helmintos, Ancylostomideos (30,89%), Ascaris lumbricoides (9,95%) e Hymenolepis nana (4...