Página 1 dos resultados de 1260 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Gender differences in proximal esophageal contractions; Influência do gênero nas contrações do esôfago proximal

DANTAS, Roberto Oliveira; ALVES, Leda Maria Tavares; CASSIANI, Rachel de Aguiar
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBGSociedade Brasileira de Hepatologia - SBHSociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBGSociedade Brasileira de Hepatologia - SBHSociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
36.2%
CONTEXT: There are reports showing that gender has an influence on swallowing and on the contractions of the distal esophageal body. OBJECTIVE: In this investigation we studied the effect of gender on proximal esophageal contraction. METHODS: We studied 20 men (22-68 years old, median 39 years) and 44 women (18-61 years old, median 41 years) without symptoms and without gastrointestinal or respiratory diseases. We measured the time interval between the onset of pharyngeal contraction 1 cm proximal to the upper esophageal sphincter and the onset of the proximal esophageal contraction 5 cm from the pharyngeal recording. We also measured the amplitude, duration and area under the curve of the proximal esophageal contractions. The recording was performed by the manometric method with continuous perfusion. The contractions were recorded in duplicate after swallows of a 5 mL bolus of water. RESULTS: There were no differences between men and women in the interval between the onset of pharyngeal and of esophageal contractions or in the amplitude of esophageal contractions. The duration of contractions was longer in women (2.35 ± 0.60 s) than in men (2.07 ± 0.62 s) but the difference did not reach statistical significance (P = 0.087). The area under the curve of the esophageal contraction was higher in women (130.2 ± 55.2 mm Hg x s) than in men (97.4 ± 49.4 mm Hg x s...

Função motora do esôfago em pacientes com doença do refluxo gastroesofágico; Esophageal motor function in patients with gastro-esophageal reflux disease

Falcão, Angela Cristina Gomes Marinho
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.25%
Introdução: A diminuição do tônus basal e da extensão do esfíncter inferior do esôfago são considerados como principais mecanismos responsável pela ocorrência de refluxo gastroesofágico. Um adequado clareamento esofágico depende da presença de peristaltismo primário e secundário efetivos. Ainda há dúvidas se o achado de alterações do peristaltismo esofágico em pacientes com doença do refluxo gastroesofágico é uma anormalidade primária ou surge como consequência da agressão causada pelo refluxo. Objetivo: avaliar as alterações motoras esofágicas do esfíncter inferior do esôfago e do corpo esofágico em diferentes formas da doença do refluxo gastroesofágico. Métodos: foram selecionados 268 prontuários de pacientes encaminhados para avaliação motora do esôfago através de manometria como parte da investigação diagnóstica da doença do refluxo gastroesofágico e foram distribuídos em quatro grupos: SE: 33 pacientes sem esofagite ao estudo endoscópico; EE: 92 pacientes que apresentavam esofagite erosiva (classificação de Los Angeles); BC: 101 pacientes que apresentavam esôfago de Barrett curto (< 3 cm) e BL: 42 pacientes que apresentavam esôfago de Barrett longo (> 3 cm). Resultados: O grupo SE apresentou um tamanho médio do esfíncter inferior do esôfago maior quando comparado aos grupos EE...

Avaliação de fatores de estadiamento em carcinoma epidermoide do esôfago e de fatores imuno-histoquímicos relacionados a apoptose e p53; Assessment of staging factors in squamous cell carcinoma of the esophagus, and of immunohistochemical factors related to apoptosis and p53

Soares, Iberê Cauduro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.23%
O carcinoma epidermoide do esôfago continua sendo a principal neoplasia maligna esofágica na população brasileira. Os objetivos desta investigação foram: avaliar a imuno-expressão de um grupo de proteínas relacionadas à via intrínseca da apoptose (bax, APAF-1 e citocromo c) e da proteína p53 em um grupo de carcinomas epidermoides do esôfago; confrontar estes resultados com a atividade proliferativa medida pela imuno-expressão do antígeno Ki67 e com a atividade apoptótica medida pela imuno-expressão da caspase 3 clivada; e confrontá-los com parâmetros implicados no estadiamento do carcinoma epidermoide do esôfago (invasão local ou pT, estado dos linfonodos regionais ou pN, grau de diferenciação do tumor primário e local do tumor primário no esôfago) e com o tamanho do tumor primário. De um grupo inicial de 91 carcinomas esofágicos consecutivos, 66 carcinomas epidermoides do esôfago foram revistos, alocados em micromatrizes teciduais e submetidos à técnica de imuno-peroxidase com anticorpos primários anti: bax, APAF-1, citocromo c, p53, Ki67 e caspase 3 clivada. Suas imuno-expressões foram semiquantificada de 0 a 5+, exceto caspase 3 clivada que foi contada em 1000 células. Apresentaram amostras válidas um conjunto de 63 carcinomas epidermoides do esôfago. A mediana de imuno-expressão destas 6 proteínas foi: 2+...

Revisão sistemática da literatura sobre as terapias endoscópicas ablativas do esôfago de Barrett; Systematic literature review on endoscopic ablative therapies of Barrett´s esophagus

Souza, Thiago Ferreira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/07/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.18%
O esôfago de Barrett é o principal fator de risco para o adenocarcinoma e resulta da agressão crônica causada pelo refluxo gastroesofágico. A abordagem terapêutica é controversa, e o tratamento cirúrgico, na presença de neoplasia intraepitelial de alto grau, pode estar indicado. A abordagem endoscópica apresenta-se como a alternativa com menor morbimortalidade e resultados favoráveis. Método: Realizou-se revisão sistemática nas bases de informação científica, com seleção de artigos randomizados e controlados, possibilitando metaanálise e avaliação isolada dos resultados das terapias ablativas da metaplasia intestinal. Considerou-se como terapias ablativas a crioterapia, laser, terapia fotodinâmica, eletrocoagulação multipolar, ablação por plasma de argônio e radiofrequência. Resultados: A revisão sistemática da literatura através do PUBMED recuperou os estudos com maior força de evidência e grau de recomendação disponíveis referentes ao tratamento ablativo do esôfago de Barrett. Nenhuma outra base de dados pesquisada adicionou outros artigos. Os artigos selecionados são estudos randomizados e controlados, classificados como A ou B pela tabela de Oxford. A terapia fotodinâmica apresenta no estudo meta-analítico aumento do risco de falha terapêutica em relação à ablação por plasma de argônio...

Prevalência da expressão imunoistoquímica da proteína p21 em adenocarcinoma do esôfago

Villwock, Maite de Mello
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.2%
INTRODUÇÃO: No mundo ocidental, a prevalência de adenocarcinoma da junção esofagogástrica vem crescendo nas últimas décadas. Atualmente, é aceito que o adenocarcinoma do esôfago se desenvolve de uma lesão pré-maligna: esôfago de Barrett. Este carcinoma é de difícil diagnóstico nos seus estágios iniciais, o que resulta em uma mortalidade significativa. O estudo da biologia molecular tem demonstrado que grande parte dos tumores malignos tem origem na interação entre o componente hereditário e influências externas, que em indivíduos predispostos podem ocasionar alterações genéticas que influenciem o controle da diferenciação e crescimento celular. O p21 (WAF1/CIP1) tem um papel fundamental na regulação do ciclo celular, e sua expressão imunoistoquímica tem sido estudada em diversos tumores, mostrando influência no prognóstico de várias neoplasias. OBJETIVO: Verificar a prevalência da expressão da proteína p21 em pacientes com adenocarcinoma de esôfago diagnosticados nos últimos cinco anos no Grupo de Cirurgia de Esôfago e Estômago do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (GCEE/HCPA). METODOLOGIA: A população em estudo foi constituída de 42 pacientes com adenocarcinoma de esôfago diagnosticados no GCEE/HCPA entre janeiro de 1998 e dezembro de 2002. A expressão da proteína p21 foi realizada por meio de imunoistoquímica...

Expressão das citoqueratinas 7 e 20 nas células caliciformes e células colunares azuis em pacientes com suspeita endoscópica de esôfago de Barrett

Cantarelli Junior, João Carlos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.18%
Introdução: O esôfago de Barrett é uma condição associada ao refluxo gastroesofágico e que predispõe ao surgimento de displasia e adenocarcinoma. Durante a endoscopia digestiva alta, a suspeita do esôfago de Barrett ocorre quando projeções de epitélio colunar são visualizados acima da junção esofagogástrica, e o diagnóstico somente é confirmado quando biópsias neste epitélio demonstram a presença de metaplasia intestinal. A metaplasia intestinal é definida pela observação de células caliciformes (goblet cells) à coloração de hematoxilina/eosina e com positividade para alcian blue ph 2,5. Entretanto, um tipo muito freqüente de células, as chamadas células colunares azuis (columnar blue cells), podem ser observadas durante o exame histológico. Estas células têm a aparência de células colunares gástricas à hematoxilina/eosina, mas ao contrário destas, coram-se positivamente com alcian blue. Alguns autores consideram que estas células podem representar um estágio transicional entre célula colunar e célula caliciforme. Porém, quando estão presentes, e na ausência de células caliciformes, não são consideradas para a definição do diagnóstico de esôfago de Barrett. Estudos recentes têm sugerido que certos padrões de expressão das citoqueratinas 7 e 20 podem ser usados como fator diferencial entre metaplasia intestinal do esôfago e da cárdia. Porém...

Níveis séricos de 25 hidroxivitamina D em pacientes com câncer de esôfago, em alcoolistas/tabagistas sob risco para carcinoma epidermóide do esôfago e em indivíduos saudáveis residentes no rio grande do sul

Boneti, Rochele da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.18%
A vitamina D é um composto lipossolúvel de origem vegetal (vitamina D2 ou ergocalciferol) ou animal (vitamina D3 ou colecalciferol), responsável principalmente pela manutenção do equilíbrio no metabolismo ósseo, encontrada em alguns alimentos e suplementos alimentares, porém sua maior fonte é proveniente da síntese cutânea, a partir da exposição à radiação ultravioleta B (UVB) da luz solar. A vitamina D é absorvida no intestino delgado, mas é no fígado que ocorre sua metabolização tanto da vitamina ingerida ou daquela sintetizada pela pele, através da hidroxilação do carbono 25 pela enzima D325Hidroxilase (25-OHase), formando a 25-hidroxivitamina D (25HOVD) ou calcidiol. A 25HOVD é a forma mais abundante deste hormônio no organismo, e sofre uma nova hidroxilacão no rim que resulta na forma biologicamente ativa, a 1,25(OH)2D ou calcitriol. Esta por sua vez interfere de forma direta ou indireta no controle de mais de 200 genes envolvidos na regulação do ciclo celular, podendo determinar diminuição da proliferação de células normais ou neoplásicas. O status da vitamina D tem sido implicado como fator de risco no desenvolvimento de alguns tipos de câncer como o câncer de mama, câncer colo-retal, melanoma...

Estudo eletromanometrico do segmento de esofago inferior apos a vagotomia gastrica proximal

Nelson Adami Andreollo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/1984 PT
Relevância na Pesquisa
36.2%
Os pacientes operados de V.G.P. foram estudados no pôs-operatôrio precoce, isto e, entre o 79 e 219 dia, periodo em que a disfagia freqüentemente ocorre. Os estudos eletromanometricos foram realizados no segmento de esôfago inferior "desnervado" e esôfago medio não atingido pela cirurgia, antes e apôs estimulo do Carbacol na dose de 4ftg/kg de peso por via subcutânea, analisa dos quanto ao numero de contrações, alterações do tônus, tempo de duração e alterações das ondas de deglutição e comparados ao grupo controle de normais. Os resultados demonstraram, mediante cálculos estatisticos, que o numero de contrações do segmento de esôfago inferior nos grupos de pacientes operados de V.G.P. sob estimulo do Carbacol, foi maior que nos normais. A Atônus do segmento inferior do esôfago, sob estimulo do Carbacol, sofreu significante elevação no grupo de pacientes operados de V.G.P. e que apresentaram disfagia no p.o.. O tempo de duração das ondas de deglutição neste mesmo segmento esofágico, antes do estimulo do Carbacol no grupo de doentes operados de V.G.P. e que apresentaram disfagia foi mais elevado e significativo que nos demais. Alem disso, as alterações morfológicas verificadas nas ondas de deglutição no grupo de pacientes sob estimulo do Carbacol foi mais significativo que operados nos normais. Assim...

O esôfago de Barrett associado à estenose cáustica do esôfago

Andreollo,Nelson Adami; Lopes,Luiz Roberto; Tercioti Jr.,Valdir; Brandalise,Nelson Ary; Leonardi,Luiz Sérgio
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.21%
RACIONAL: A estenose esofágica secundária à ingestão de produtos cáusticos é freqüente no Brasil, principalmente como tentativa de suicídio. O esôfago de Barrett surge como conseqüência do refluxo gastroesofágico crônico. A literatura pesquisada mostrou que esta associação é muito rara. CASUÍSTICA E MÉTODOS: De 1981 a 2000 foram admitidos e tratados no Gastrocentro-UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas, SP.) 120 doentes com estenose cáustica do esôfago e durante o seguimento destes, foram encontrados 9 casos associados com o esôfago de Barrett (7,5%). O tempo de ingestão do cáustico variou de 4 a 54 anos (média de 29 anos) e eram quatro homens e cinco mulheres, oito brancos e um negro, com idade média de 57,7 anos (43 a 72 anos). RESULTADOS: Todos os casos apresentavam disfagia e a endoscopia digestiva alta flexível mostrou áreas de estenose e seqüelas de esofagite cáustica. Três pacientes referiram sintomas de refluxo gastroesofágico, mas hérnia de hiato foi encontrada em apenas um caso. O esôfago de Barrett foi encontrado no terço médio do esôfago em três casos, acima das áreas de estenose, e nos demais, no terço distal. A disfagia foi tratada com dilatações esofágicas periódicas. Dois pacientes apresentando sintomas de refluxo grave foram submetidos a fundoplicatura à Nissen modificado através de videolaparoscopia...

Metaplasia intestinal especializada de esôfago distal na doença do refluxo gastroesofágico: prevalência e aspectos clínico-epidemiológicos

Caum,Leiber C.; Bizinelli,Sérgio L.; Pisani,Júlio César; Amarantes,Heda Maria Barska dos Santos; Ioshii,Sérgio O.; Carmes,Eliane R.
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.18%
RACIONAL: A metaplasia intestinal especializada pode ser classificada, de acordo com os achados endoscópicos e histológicos, em Barrett longo, Barrett curto e metaplasia intestinal da cárdia. O esôfago de Barrett é doença adquirida que ocorre em aproximadamente 10% a 13% dos indivíduos com doença do refluxo gastroesofágico e representa uma condição pré-neoplásica. É caracterizado por substituição do epitélio escamoso estratificado pelo metaplásico colunar especializado, contendo células caliciformes. OBJETIVOS: Determinar, prospectivamente, a prevalência e as características clínico-epidemiológicas da metaplasia intestinal especializada de esôfago distal na doença do refluxo gastroesofágico. MÉTODOS: Entre abril e outubro de 2002, 402 pacientes com sintomas da doença do refluxo gastroesofágico foram avaliados através de questionário padronizado que abordava as variáveis demográficas e foram submetidos a exame endoscópico com biopsias 1 cm abaixo da junção escamocolunar, nos quatro quadrantes. RESULTADOS: Metaplasia intestinal especializada foi encontrada em 18,4% dos pacientes: 0,5% Barrett longo, 3,2% Barrett curto e 14,7% metaplasia intestinal da cárdia. Houve tendência de maior número de homens apresentando esôfago de Barrett e mulheres com metaplasia intestinal da cárdia. Todos com esôfago de Barrett eram da raça branca. Não houve relação entre a intensidade dos sintomas da doença do refluxo gastroesofágico e a presença de metaplasia intestinal especializada. O tempo de duração de sintomas superior a 5 anos foi uma tendência nos portadores de esôfago de Barrett. Este grupo também apresentou mais hérnia de hiato e esofagite mais intensa do que aqueles com metaplasia intestinal da cárdia. Não houve relação entre uso de tabaco ou álcool e metaplasia intestinal especializada. CONCLUSÕES: Esôfago de Barrett foi mais relacionado ao sexo masculino...

Esofagectomia transiatal para o tratamento do adenocarcinoma do esôfago

Altmann,Dino Antonio Oswaldo; Ferreira,Fábio de Oliveira; Paula,Roberto Anania de; Ferreira,Eugênio Américo Bueno
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.21%
A esofagite de refluxo associada ao epitélio de colunar do esôfago predispõe ao adenocarcinoma, cuja incidência vem aumentando nos últimos anos. Entre 1976 e 1993, os autores trataram 11 pacientes com adenocarcinoma primário do esôfago. Em dois casos, a neoplasia desenvolveu-se em epitélio colunar ectópico no esôfago cervical e torácico. Nos demais casos, ocorreu no terço distal do esôfago em epitélio colunar de Barrett, em pacientes com sintomas clínicos de esofagite de refluxo, dos quais sete eram portadores de hérnia de hiato e refluxo gastroesofágico previamente documentados. Nove pacientes foram submetidos a esofagectomia transiatal com esofagogastroplastia, um foi submetido a esofagectomia distal com interposição de jejuno e o último a esofagogastroplastia retroestemal sem esofagectomia. A exceção de três pacientes, os demais tiveram operações consideradas curativas. Cinco doentes encontravam-se em estádios mais iniciais, ainda sem comprometimento linfonodal. Não houve mortalidade operatória, sendo que as principais complicações foram a fístula da anastomose esofagogástrica e a abertura da cavidade pleural, ambas ocorrendo em dois pacientes. A sobrevida média dos pacientes foi de 40,5 meses. Três pacientes permanecem vivos e sem evidência de doença (estádio 0...

Avaliação da expressão imunoistoquímica da proteína p16INK4a no adenocarcinoma de esôfago

Osanai,Mário Henrique; Edelweiss,Maria Isabel Albano; Meurer,Luise; Vilwock,Maitê de Mello; Cavazzola,Leandro Totti; Ribeiro,Guilherme; Schirmer,Carlos Cauduro; Gurski,Richard Ricachenevsky
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.21%
INTRODUÇÃO: O adenocarcinoma de esôfago apresenta aumento de frequência nas últimas décadas, particularmente em países desenvolvidos. O esôfago de Barrett é reconhecido como a principal lesão precursora e o estudo da sequência metaplasia-displasia-adenocarcinoma mostra a ocorrência de alterações genéticas desde suas fases mais incipientes. As alterações no p16INK4a são relatadas como frequentes no esôfago de Barrett e no carcinoma de esôfago. OBJETIVO: Verificar a prevalência da expressão imunoistoquímica da proteína p16INK4a em exames anatomopatológicos de pacientes com adenocarcinoma de esôfago. MÉTODO: A população do estudo foi constituída de 37 pacientes com adenocarcinoma de esôfago. A expressão da proteína p16 foi detectada por meio de análise imunoistoquímica, com anticorpo primário p16INK4aAb-7, clone 16P07, NeoMarkers e avaliada de acordo com o Sistema de Escore de Imunorreatividade (Immunoreactive scoring system - IRS) modificado. RESULTADOS: No grupo houve predominância de pacientes do sexo masculino (86,5%) e a maioria dos casos correspondia a estádios avançados (III e IV = 67,5%). Em 12 casos (32,4%) foi identificada expressão imunoistoquímica da proteína p16INK4a. Não foi observada relação significativa entre a perda da expressão da proteína p16INK4a e o grau de diferenciação histológica (p=0...

Biomarcadores moleculares no esôfago de Barrett: análise comparativa da imunoexpressão tecidual do p53, c-erbB-2, E-caderina, COX-2 e KI-67, na esofagite por refluxo, no esôfago de Barrett e no adenocarcinoma associado ao esôfago de Barrett

Nóbrega de Souza, Gláucio; Tarcísio de Miranda Cordeiro, Fernando (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.2%
O esôfago de Barrett, definido pela metaplasia colunar do esôfago distal, com a presença de células caliciformes, representa importante complicação da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), e caracteriza-se como a principal lesão precursora do adenocarcinoma esofágico. Fatores clínicos e endoscópicos não apresentam a sensibilidade e especificidade necessárias à estratificação de risco para o câncer. Biomarcadores moleculares têm sido utilizados com esse objetivo. Este trabalho incluiu três grupos de pacientes, portadores de esofagite por refluxo (grupo I; N=23), esôfago de Barrett (grupo II; N=30) e adenocarcinoma esofágico associado ao esôfago de Barrett (grupo III; N=11), nos quais foram realizadas, respectivamente, análises comparativas da imunoexpressão tecidual dos seguintes biomarcadores: p53, c-erbB-2, Ecaderina, COX 2 e Ki-67. As imunorreações qualitativas com p53, COX-2 e c-erbB-2 revelaram maior expressão no grupo III, contrastando com a positividade menor e decrescente dos grupos II e I (p<0,001; p=0,002; p<0,001, respectivamente). O escore semiquantitativo final para p53, c-erbB-2, COX-2 e Ki-67 seguiu a mesma tendência da expressão qualitativa, com os maiores índices no grupo III...

Câncer de esôfago no centro-oeste do Brasil: incidência, mortalidade e tendências; Esophageal cancer in central-western Brazil: incidence, mortality and trens

SILVA, Diego Rodrigues Mendonça e
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.24%
Introduction: Esophageal cancer is a malignancy of high mortality worldwide. Studies on Population-based of this neoplasm in Brazil are scarce. In the central-western of Brazil there are population-based cancer registries to monitor the impact of cancer. However there are no studies describing the profile of this tumor in the central-western of Brasil. Another reason for this study is the large-scale of internal migration happened in the 70's from Porto Alegre to the central-western. Such migration may have influenced the incidence and mortality rates of esophageal cancer in the region. Objective: To evaluate the performance of the Population-Based Cancer Registry of Goiânia (PBCR of Goiânia) in the collecting of basic variables and recommended variable (clinical staging) of incident cases of esophageal cancer. To describe the epidemiological profile of the incidence, mortality and trends esophageal cancer in central-western Brazil. Methods: From the PBCR of Goiânia it was analyzed the completeness of variables related to the patient, tumor and clinical staging of esophageal cancer cases for incidence analysis the period were: Cuiabá (2000-2005), Brasília (1999-2002) and Goiânia (1995-2008). Mortality data were obtained from DATASUS (2010) for the period 1980-2008 for all capitals of central western region. For statistical analysis we used version 15.0 of SPSS for Windows ®...

Displasia e adenocarcinoma no esofago de Barrett secundarios ao refluxo duodeno-esofago-gastrico e nitrito de sodio : estudo experimental em ratos; Dysplasia and adenocarcinoma of the Barrett's esophagus secondadry to the duodenogastroesophagic reflux and sodium nitrite : experimental study in rats

Sergio Ferreira Modena
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.24%
Os compostos de nitrito e nitrato são sais há muito empregados como conservantes de alimentos, que neste atual contexto de aumento acentuado da população mundial e escassez de alimentos, será cada vez mais empregado. Por outro lado, o perfil da sociedade é, cada vez mais, se utilizar de alimentos industrializados prontos para consumo, nos quais estão embutidos vários conservantes na sua elaboração. Estes sais, por sua vez, têm ação danosa ao organismo em situações específicas, como demonstram vários experimentos. A Doença do Refluxo Gastro-Esofágico tem crescido em incidência por todo mundo e em especial em países desenvolvidos como os Estados Unidos e Europa, onde são relatados índices alarmantes do crescimento da freqüência dos carcinomas da junção esôfago-gástrica. O objetivo desta pesquisa foi analisar o modelo experimental de refluxo duodeno-esôfago-gástrico e a ingestão de solução de nitrito de sódio na gênese do adenocarcinoma associado ao esôfago de Barrett. Sessenta ratos machos Wistar foram divididos em quatro grupos, com vinte animais controles não operados (10 animais ingeriram somente água e 10 animais ingeriram água mais solução de nitrito de sódio) e quarenta animais submetidos a anastomose duodeno-esôfago-gástrico látero-lateral (20 animais ingeriram somente água e 20 animais ingeriram água mais solução de nitrito de sódio). A classificação de Viena para displasia e adenocarcinoma foi empregada na análise dos resultados. Após 42 semanas de observação...

Immunoreactivity of cytokeratins 7 and 20 in goblet cells and columnar blue cells in patients with endoscopic evidence of Barrett's esophagus; Imunoreatividade das citoqueratinas 7 e 20 nas células caliciformes e células colunares azuis em pacientes com evidência endoscópica de esôfago de Barrett

Cantarelli Junior, João Carlos; Fagundes, Renato Borges; Meurer, Luíse; Rocha, Marta Pires da; Nicola, André; Kruel, Cleber Dario Pinto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
36.2%
Contexto - Esôfago de Barrett é caracterizado pela presença de células caliciformes. Entretanto, quando “alcian blue” é utilizado, outro tipo de células, chamadas células colunares azuis, estão frequentemente presentes no esôfago distal de pacientes com evidência endoscópica de esôfago de Barrett. A imunoreatividade das citoqueratinas 7 e 20 tem sido estudada previamente em áreas de metaplasia intestinal na junção esôfago-gástrica. Entretanto, a expressão destas citoqueratinas nas células colunares azuis não foi caracterizada. Objetivo - Comparar a expressão das citoqueratinas 7 e 20 nas células caliciformes e células colunares azuis em pacientes com evidência endoscópica de esôfago de Barrett. Métodos - Biopsias de 86 pacientes com evidência endoscópica de esôfago de Barrett foram avaliadas. Estas foram coradas com citoqueratinas 7 e 20. Resultados - Células caliciformes estavam presentes em 75 casos e células colunares azuis em 50 casos. Ao todo, a expressão da citoqueratina 7 foi similar nas células caliciformes e células colunares azuis (P = 0,25), enquanto que a da citoqueratina 20 foi mais comum nas células caliciformes (P<0,001). Por outro lado, em indivíduos apresentando ambos os tipos de células...

Origem do adenocarcinoma no esôfago de Barrett: bases histopathológicas e expressão dos genes p53 e Ki67; Origin of adenocarcinoma in Barrett's esophagus: P53 and Ki67 expression and histopathologic background

Szachnowicz, Sergio; Cecconello, Ivan; Iriya, Kiyoshi; Marson, Allan Garms; Takeda, Flávio Roberto; Gama-Rodrigues, Joaquim José
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2005 ENG
Relevância na Pesquisa
36.24%
O esôfago de Barrett é definido como a substituição do epitélio escamoso do esôfago distal por epitélio colunar. A metaplasia intestinal no esôfago de Barrett é considerada por muitos como o principal fator de risco para o desenvolvimento do adenocarcinoma. Embora já descrito, o adenocarcinoma do tipo difuso e o esôfago de Barrett sem metaplasia intestinal, são raros e pouco estudados. OBJETIVO E MÉTODO: O presente estudo objetivou o cálculo da prevalência do adenocarcinoma no esôfago de Barrett, assim como a análise macroscópica e microscópica detalhada de treze pacientes operados no período de 1990 a 2002, com realização de estudo imunohistoquímico do p53 e Ki67, correlacionando o tipo de tumor com o epitélio adjacente a este. RESULTADOS: Obtivemos uma prevalência de 5,7% de adenocarcinoma em pacientes internados para tratamento cirúrgico de esôfago de Barrett . Encontraram-se tumores relativamente grandes, com média de 4,67 ± 2,28 cm, e sempre em esôfago de Barrett longo, com média de 7,71 ± 1,5 cm. Observou-se tendência de os tumores se localizarem próximos à transição escamo-colunar. O estudo histológico mostrou dois pacientes (15,4%) que apresentavam esôfago de Barrett adjacente ao tumor do tipo juncional sem presença de metaplasia intestinal. Classificaram-se os tumores segundo a classificação japonesa de Nakamura (23% de padrão diferenciado ou intestinal e 77% de padrão indiferenciado ou gástico) e pela classificação de Laurén (61% intestinais e 39% difusos). A diferença decorre da migração dos tumores microtubulares e foveolares do padrão gástrico para o tipo intestinal de Laurén. O estudo do Ki67 foi fortemente positivo em todos os pacientes...

Cáncer de esófago en el Hospital Rebagliati: experiencia del Servicio de Esófago- Estómago 3C I

Ríos Canturin,Pedro J.; Huaman G,Manuel; Ríos Torres,Pedro O.
Fonte: Revista de Gastroenterología del Perú Publicador: Revista de Gastroenterología del Perú
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 ES
Relevância na Pesquisa
36.23%
OBJETIVO: Establecer las características clínico patológica del cáncer de esófago, de una población asegurada, en nuestro medio. MATERIAL Y METODOS: En el presente estudio retrospectivo, se revisaron 28 historias clínicas de pacientes con diagnóstico de cáncer de esófago, tratados quirúrgicamente en el Hospital Rebagliati, Servicio de Cirugía 3C II, Lima -Perú, de Setiembre del 2002 a Diciembre del 2005. Se obtuvieron datos referentes a la edad, sexo, síntomas de presentación, localización anatómica del tumor, compromiso de pared (T), metástasis linfática regional (N), metástasis a distancia (M) , estadio TNM, mortalidad, complicaciones, y tipo histológico. RESULTADOS: Con respecto a la edad el 64.5 % (18/28) tenia más de 60 años , al 75% (21/28) le correspondio el sexo masculino y la disfagía se presento en el 100% . La distribución de acuerdo a la localización anatómica : El 10.7% (3/28) en el esófago cervical , el 17.9% ( 5/28) en el esófago toráxico superior, el 35.7% (10/28) en el esófago toráxico medio, en el 14.3% (4/28) en el esófago toráxico inferior y en el 21,4% (6/28) en el esófago abdominal. Fueron resecados el 57.1 % (16/28), en el 68.8% (11/16) la adventicia estuvo comprometida , en el 68.8 % (11/16) los ganglios estuvieron comprometidos y al 67.8% ( 19/28) le correspondió el estadio III-IV. La mortalidad fue del 12.5% (2/16) y las complicaciones tempranas en el 81.3% (13/16). El tipo histológico en el 78.6% (22/28) epidermoide y en el 21.4% ( 6/28) adenocarcinoma. El 17.9% (5/28) recibio tratamiento primario con quimioradioterapia...

Esófago de Barrett

Barreda Bolaños,Fernando; Sánchez Lihon,Juvenal; Misad Nuñez,Oscar; Combe Gutiérrez,Juan; Amorín Kajatt,Edgar; Rojas Gonzáles,Víctor; Celis Zapata,Juan; Díaz Del Olmo García,Mauricio
Fonte: Revista de Gastroenterología del Perú Publicador: Revista de Gastroenterología del Perú
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 ES
Relevância na Pesquisa
36.24%
En el presente reporte, se realiza en la primera parte una revisión de la definición, de la historia y de los aspectos clínicos del Esófago de Barrett. A continuación, se presenta los resultados que hemos obtenido en el INEN, Lima - Perú. El primer caso diagnosticado de Esófago de Barrett complicado con adenocarcinoma data de 1956. La prevalencia del Esófago de Barrett en 3904 pacientes examinados por endoscopía es de 0.64%. El Esófago de Barrett en 40 pacientes evaluados afecta preponderantemente al sexo masculino con una relación de 3 a 1 respecto al femenino. El promedio de edad de los pacientes con Esófago de Barrett es de 60 años. La frecuencia de presentación del Esófago de Barrett se incrementa con la edad, sobretodo a partir de los 40 años, alcanzando su máxima expresión en el grupo de 55 a 64 años. La displasia está asociada con la metaplasia intestinal. La frecuencia de presentación del carcinoma epidermoide es de 96% y del adenocarcinoma es de 4% en un período evaluado de 15 años (1985-1999). La tendencia del carcinoma epidermoide en relación al adenocarcinoma no presenta variación en cuanto a sus proporciones en el período en referencia. El adenocarcinoma en el Esófago de Barrett afecta sobretodo al sexo masculino en una relación de 6:1...

Magnificación Endoscópica, Ácido Acético y “Flexible Spectral Imaging Colour Enhancement” (FICE) para el diagnóstico de Esófago de Barrett

Piñero,Ramón; Lara,Angie; Piñero,Regina; Ruiz,María; Sierra,Marcos; Brunni,Francisco
Fonte: Sociedad Venezolana de Gastroentereología Publicador: Sociedad Venezolana de Gastroentereología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 ES
Relevância na Pesquisa
36.2%
Con endoscopia estándar no se precisa esófago de Barrett, pero la magnificación endoscópica con o sin cromoscopia puede identificarlo. Objetivo: Diagnosticar esófago de Barrett con magnificación endoscópica, rociado de ácido acético y “Flexible Spectral Imaging Colour Enhancement” (FICE). Pacientes: Previo consentimiento se incluyeron a los individuos con indicación de endoscopia digestiva superior. Materiales y Métodos: Se realizó endoscopia digestiva superior con equipo Fujinon Inc. EG 590 ZW, y procesador EPX 4400, consecutivamente se practicó: a) alta resolución, b) FICE, c) alta resolución, d) magnificación, e) FICE, f) alta resolución con instilación de acido acético al 5% en esófago distal y lavado con agua, g) magnificación y h) FICE. Se tomó biopsia del patrón observado, evaluada sin información del paciente. El procedimiento se grabó, se fotografió y se guardó en JPEG en programa Power Point. Resultados: En 120 pacientes: 44 hombres y 76 mujeres con edades de 20-85 años, el ácido acético destacó los patrones de mucosa observados con magnificación y resaltados con FICE. Esófago de Barrett se diagnosticó en 87,50% de patrón tipo 3 identificados en lengüetas largas. Conclusión: Magnificación endoscópica con rociado de ácido acético...