Página 2 dos resultados de 944 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Epidemias em escala mundial e no Brasil; Epidemics on a global scale and in Brazil

CARVALHEIRO, José da Rocha
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Epidemias devem ser consideradas não como um tipo especial de doença, mas sim como parte de um complexo processo de distribuição de patologias no tempo e no espaço. Diversas classificações de doenças existem, sendo oficial a CID atualmente em sua décima versão. As cartas de controle, empregadas pelo serviço de saúde, permitem uma aproximação à fase, endêmica ou epidêmica, em que se encontram especialmente doenças sujeitas a vigilância em todo o mundo, as quarentenáveis. O conceito de surto deve ser encarado como um indício de concentração de episódios que merece estudo mais profundo. As mais importantes doenças transmissíveis no mundo em desenvolvimento são chamadas negligenciadas e merecem atenção especial das agências de fomento de pesquisa por não serem tidas como prioritárias pela indústria farmacêutica. No Brasil, a Agenda de Prioridades de Pesquisa em Saúde inclui diversas doenças dessa natureza e tem sido contempladas em editais do CNPq e do Ministério da Saúde.; Epidemics must not be seen as a special kind of disease but as part of a complex process of distribution of pathologies over time and space. Among the different existing disease classifications, the ICD, currently in its 10th edition...

Caracterização das epidemias de malária nos municípios da Amazônia Brasileira em 2010; Characteristics of malaria epidemics in the municipalities of the Brazilian Amazon, 2010; Caracterización de las epidemias de malaria en los municipios de la Amazonia brasileña en 2010

Braz, Rui Moreira; Duarte, Elisabeth Carmen; Tauil, Pedro Luiz
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.64%
Epidemias de malária ocorrem anualmente nos municípios da Região Amazônica, Brasil, no entanto os serviços de saúde não adotam, de maneira sistemática, instrumentos para detecção e contenção oportunas desses eventos. O objetivo foi caracterizar as epidemias de malária na região segundo duração, espécie de Plasmodium e vulnerabilidade das populações. Foi avaliado um sistema de monitoramento automatizado da incidência da malária, com base no diagrama de controle segundo quartis, para identificar as epidemias da doença. Em 2010, ocorreram epidemias em 338 (41,9%) municípios da região. Houve epidemias por P. falciparum e por P. vivax, separadamente, e também por ambas as espécies. Epidemias com duração de um a quatro meses ocorreram em 58,3% dos municípios epidêmicos; de cinco a oito meses, em 24,3%; e de nove a 12 meses, em 17,4%. O monitoramento automatizado da variação da incidência da malária poderá contribuir para detecção precoce das epidemias e melhorar o seu controle oportuno. __________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Malaria epidemics occur annually in various municipalities (counties) in the Brazilian Amazon. However, health services do not systematically adopt tools to detect and promptly control these events. This article aimed to characterize malaria epidemics in the Brazilian Amazon Region based on their duration...

Statistical methods for modeling and nowcasting the impacts of influenza epidemics

Nunes, Baltazar, 1973-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 ENG
Relevância na Pesquisa
27.51%
Tese de doutoramento, Estatística e Investigação Operacional (Probabilidades e Estatística), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2012; Influenza is an acute respiratory infection responsible for epidemics with high impact on human health. Several statistical methods have been applied to data collected from influenza surveillance systems (ISS) to assess the epidemic burden and early detect it. Given the ISS reporting delays, models have recently been developed to correct them by predicting the present situation (nowcasting) using the incomplete information collected. Thus, three objectives were defined. Review and classify the methods that use interrupted mortality time series to estimate influenza excess deaths. They were classified according to the model used to fit the time series and obtain a baseline; the influenza epidemic period estimator and the procedure used to fit the model (iterative or non iterative). This generalization led to the development of user friendly R-package, flubase, implementing all these models. Estimate influenza excess deaths in Portugal between 1980 and 2004. The seasonal excess deaths average by all causes was 2,475, of those 90% occurred in the elderly. These results suggest a similar influenza epidemics profile between Portugal and other countries in the Northern Hemisphere...

Epidemias de dengue e divulgação de informações pela imprensa

França,Elisabeth; Abreu,Daisy; Siqueira,Márcia
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.37%
A ocorrência de sucessivas epidemias de dengue no Brasil ressalta a importância da divulgação de informações pela mídia, pois, como esfera de mediação das sociedades contemporâneas, a mídia produz, amplifica e faz circular informações e significados que afetam as decisões das pessoas. Com o objetivo de contribuir nessa discussão, analisou-se a cobertura do principal jornal diário de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, sobre as epidemias de dengue naquela capital entre 1996 e 2000, buscando-se avaliar a prioridade do noticiário para a doença e os enfoques privilegiados. Foram selecionadas 446 notícias, classificadas segundo o tema abordado nos títulos e nos textos das matérias. Verificou-se que o número de notícias guardou estreita relação com o número de casos de dengue registrados, com "picos" de cobertura coincidindo com a ocorrência de epidemias. A prioridade jornalística na cobertura das epidemias e o pouco espaço destinado à prevenção observados neste estudo apontam a necessidade de se considerar, no campo de atuação dos serviços de vigilância, estratégias de divulgação de informação nos meios de comunicação, visando propiciar intervenções mais participativas e, assim, mais eficientes para a prevenção de epidemias.

Caracterização das epidemias de malária nos municípios da Amazônia Brasileira em 2010

Braz,Rui Moreira; Duarte,Elisabeth Carmen; Tauil,Pedro Luiz
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.47%
Epidemias de malária ocorrem anualmente nos municípios da Região Amazônica, Brasil, no entanto os serviços de saúde não adotam, de maneira sistemática, instrumentos para detecção e contenção oportunas desses eventos. O objetivo foi caracterizar as epidemias de malária na região segundo duração, espécie de Plasmodium e vulnerabilidade das populações. Foi avaliado um sistema de monitoramento automatizado da incidência da malária, com base no diagrama de controle segundo quartis, para identificar as epidemias da doença. Em 2010, ocorreram epidemias em 338 (41,9%) municípios da região. Houve epidemias por P. falciparum e por P. vivax, separadamente, e também por ambas as espécies. Epidemias com duração de um a quatro meses ocorreram em 58,3% dos municípios epidêmicos; de cinco a oito meses, em 24,3%; e de nove a 12 meses, em 17,4%. O monitoramento automatizado da variação da incidência da malária poderá contribuir para detecção precoce das epidemias e melhorar o seu controle oportuno.

Epidemias em escala mundial e no Brasil

Carvalheiro,José da Rocha
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
Epidemias devem ser consideradas não como um tipo especial de doença, mas sim como parte de um complexo processo de distribuição de patologias no tempo e no espaço. Diversas classificações de doenças existem, sendo oficial a CID atualmente em sua décima versão. As cartas de controle, empregadas pelo serviço de saúde, permitem uma aproximação à fase, endêmica ou epidêmica, em que se encontram especialmente doenças sujeitas a vigilância em todo o mundo, as quarentenáveis. O conceito de surto deve ser encarado como um indício de concentração de episódios que merece estudo mais profundo. As mais importantes doenças transmissíveis no mundo em desenvolvimento são chamadas negligenciadas e merecem atenção especial das agências de fomento de pesquisa por não serem tidas como prioritárias pela indústria farmacêutica. No Brasil, a Agenda de Prioridades de Pesquisa em Saúde inclui diversas doenças dessa natureza e tem sido contempladas em editais do CNPq e do Ministério da Saúde.

As epidemias nas notícias em Portugal: cólera, peste, tifo, gripe e varíola, 1854-1918

Almeida,Maria Antónia Pires de
Fonte: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
Em períodos de crise sanitária grave como os de 1854-1856, 1899 e 1918, especialmente no Porto, onde cólera-morbo, peste bubónica, tifo exantemático, gripe pneumónica e varíola mataram percentagens elevadas da população, as imagens das epidemias na imprensa permitem-nos identificar os conhecimentos científicos num país considerado periférico, mas que dispunha de estudos e pessoal especializado no nível dos mais avançados da época. Uma base de dados de 6.700 notícias, artigos e anúncios revela-nos o conhecimento médico e farmacêutico da segunda metade do século XIX e início do XX, o modo como era transmitido e divulgado ao público e as soluções apresentadas pelas autoridades sanitárias. Um fator foi sempre salientado nas notícias e anúncios: a higiene.

'Formidável contágio': epidemias, trabalho e recrutamento na Amazônia colonial (1660-1750)

Chambouleyron,Rafael; Barbosa,Benedito Costa; Bombardi,Fernanda Aires; Sousa,Claudia Rocha de
Fonte: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
Analisa em que medida epidemias de varíola e de sarampo ensejaram transformações nas formas de aquisição e uso de força de trabalho na Amazônia colonial, de meados do século XVII a meados do século XVIII, com o incremento de descimentos privados de índios e a tentativa de organização de uma rota de tráfico negreiro para a região. Trata igualmente de entender como a mortandade de indígenas significou, no fim do século XVII, uma preocupação com a defesa da região e motivou o recrutamento de soldados da Madeira.

Epidemias, estado e sociedade : Minas Gerais na segunda metade do século XIX

Torres Silveira, Anny Jackeline
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Um dos aspectos que marcam as análises das doenças epidêmicas é a noção de crise: as epidemias são geralmente percebidas como eventos que fogem ao enquadramento engendrado pelos ordenamentos e práticas cotidianos, ultrapassando a experiência individual —o sofrimento, a ameaça da morte—, colocando em risco as próprias estruturas sociais, a ordem pública, as atividades econômicas, os valores morais. Entretanto, esses eventos também podem esclarecer sobre o modo como as sociedades organizam a assistência à saúde em tempos de normalidade, como a extensão e os limites da atuação das autoridades e o papel das populações no provimento de suas necessidades cotidianas. Este artigo aborda a organização dos serviços de assistência à saúde na província de Minas Gerais (Brasil) durante dois episódios epidêmicos —varíola (1873-1875) e o cólera (1855-1856)— identificando os problemas vivenciados pela população de Minas e as ações do poder público durante o curso dessas moléstias. Por outro lado, sugerimos que as dificuldades vivenciadas quando da instalação do cólera ou do recrudescimento da varíola, na verdade evidenciavam e aprofundavam as deficiências que caracterizavam o atendimento a saúde naquela sociedade...

Epidemias em escala mundial e no Brasil; Epidemics on a global scale and in Brazil

Carvalheiro, José da Rocha
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.03%
Epidemias devem ser consideradas não como um tipo especial de doença, mas sim como parte de um complexo processo de distribuição de patologias no tempo e no espaço. Diversas classificações de doenças existem, sendo oficial a CID atualmente em sua décima versão. As cartas de controle, empregadas pelo serviço de saúde, permitem uma aproximação à fase, endêmica ou epidêmica, em que se encontram especialmente doenças sujeitas a vigilância em todo o mundo, as quarentenáveis. O conceito de surto deve ser encarado como um indício de concentração de episódios que merece estudo mais profundo. As mais importantes doenças transmissíveis no mundo em desenvolvimento são chamadas negligenciadas e merecem atenção especial das agências de fomento de pesquisa por não serem tidas como prioritárias pela indústria farmacêutica. No Brasil, a Agenda de Prioridades de Pesquisa em Saúde inclui diversas doenças dessa natureza e tem sido contempladas em editais do CNPq e do Ministério da Saúde.; Epidemics must not be seen as a special kind of disease but as part of a complex process of distribution of pathologies over time and space. Among the different existing disease classifications, the ICD, currently in its 10th edition...

Perigo Silêncioso: Análise historiográfica sobre o reflexo das epidemias na América colonial

Moraes, Leandro da Silva; UnB - HIS
Fonte: Revista Noctua; Journal Noctua Publicador: Revista Noctua; Journal Noctua
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/msword
Publicado em 25/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
RESUMO Este ensaio tem como objetivo fazer uma análise historiográfica sobre as epidemias na América Colonial, analisando suas causas com o auxílio do instrumental das ciências biológicas, tendo como enfoque o estudo geográfico do Vice Reino do Peru.

Epidemias, estado e sociedade: Minas Gerais na segunda metade do século XIX

Torres Silveira,Anny Jackeline
Fonte: Dynamis Publicador: Dynamis
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Um dos aspectos que marcam as análises das doenças epidêmicas é a noção de crise: as epidemias são geralmente percebidas como eventos que fogem ao enquadramento engendrado pelos ordenamentos e práticas cotidianos, ultrapassando a experiência individual - o sofrimento, a ameaça da morte -, colocando em risco as próprias estruturas sociais, a ordem pública, as atividades econômicas, os valores morais. Entretanto, esses eventos também podem esclarecer sobre o modo como as sociedades organizam a assistência à saúde em tempos de normalidade, como a extensão e os limites da atuação das autoridades e o papel das populações no provimento de suas necessidades cotidianas. Este artigo aborda a organização dos serviços de assistência à saúde na província de Minas Gerais (Brasil) durante dois episódios epidêmicos - varíola (1873-1875) e o cólera (1855-1856) - identificando os problemas vivenciados pela população de Minas e as ações do poder público durante o curso dessas moléstias. Por outro lado, sugerimos que as dificuldades vivenciadas quando da instalação do cólera ou do recrudescimento da varíola, na verdade evidenciavam e aprofundavam as deficiências que caracterizavam o atendimento a saúde naquela sociedade...

Descargas de cascarilla de soja en Tarragona y riesgo de epidemias de asma

Rovira,Enric; Cuadras,Anna; Gaig,Pere; Gázquez,Vanessa; Dalmau,Gaspar; Gómez-Ollés,Susana; Cruz,Mª Jesús
Fonte: Gaceta Sanitaria Publicador: Gaceta Sanitaria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
37.19%
Objetivos: Entre 2007 y 2008 se descargaron 215.000 toneladas de cascarilla de soja en el puerto de Tarragona. En la cascarilla se encuentra la proteína causante de las epidemias de asma bronquial. Los objetivos de este estudio fueron estudiar las características de las descargas, la dispersión del alergeno y el riesgo para la población. Métodos: Se recogió información sobre el proceso de descarga, transporte y almacenaje, la meteorología y los casos de asma atendidos en urgencias hospitalarias. Se midió la concentración de alergeno en los filtros de PM10 de las estaciones de vigilancia de la contaminación atmosférica. En los pacientes sensibilizados se realizó un estudio clínico consistente en pruebas cutáneas, IgE sérica total y específica para soja, e inmunoblotting. Resultados: Se encontraron concentraciones moderadas de alergeno a un kilómetro del punto de descarga (3 días por encima de 300U/m³, máximo 441U/m³). El perfil proteico de los extractos de cascarilla es similar al de las muestras de las epidemias de Barcelona. El 92% de los pacientes estudiados son sensibles a los extractos de cascarilla. No hubo ninguna epidemia de asma durante los días de descarga. Además de las proteínas de bajo peso molecular identificadas en estudios anteriores (6 y 14-17kDa)...

Epidemias, obras de saneamiento y precursores del urbanismo: La ciudad de México rumbo al primer centenario

Sánchez Ruiz,Gerardo G.
Fonte: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora Publicador: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.03%
En el trabajo se hace una revisión de la ciudad de México en su camino hacia el primer centenario, destacándose los esfuerzos de un grupo de profesionales, en especial médicos e ingenieros, quienes en un contexto exterior de construcción del urbanismo desde finales del siglo XIX y en una dinámica de reflexionar y proponer, impulsaron una serie de proyectos para la ciudad como drenaje, agua potable, arborización, ensanchamiento de calles, embellecimiento, etc., con los que pretendieron disminuir las enfermedades y epidemias que azotaban a este espacio. Si bien con sus límites, por los disfrutes desiguales en el conjunto de habitantes, esos proyectos fueron la base de una modernidad con la que la capital inició el siglo XX, colocándose esos profesionales como precursores del urbanismo en México.

Descargas de cascarilla de soja en Tarragona y riesgo de epidemias de asma

Rovira,Enric; Cuadras,Anna; Gaig,Pere; Gázquez,Vanessa; Dalmau,Gaspar; Gómez-Ollés,Susana; Cruz,Mª Jesús
Fonte: Ediciones Doyma, S.L. Publicador: Ediciones Doyma, S.L.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.19%
Objetivos: Entre 2007 y 2008 se descargaron 215.000 toneladas de cascarilla de soja en el puerto de Tarragona. En la cascarilla se encuentra la proteína causante de las epidemias de asma bronquial. Los objetivos de este estudio fueron estudiar las características de las descargas, la dispersión del alergeno y el riesgo para la población. Métodos: Se recogió información sobre el proceso de descarga, transporte y almacenaje, la meteorología y los casos de asma atendidos en urgencias hospitalarias. Se midió la concentración de alergeno en los filtros de PM10 de las estaciones de vigilancia de la contaminación atmosférica. En los pacientes sensibilizados se realizó un estudio clínico consistente en pruebas cutáneas, IgE sérica total y específica para soja, e inmunoblotting. Resultados: Se encontraron concentraciones moderadas de alergeno a un kilómetro del punto de descarga (3 días por encima de 300U/m³, máximo 441U/m³). El perfil proteico de los extractos de cascarilla es similar al de las muestras de las epidemias de Barcelona. El 92% de los pacientes estudiados son sensibles a los extractos de cascarilla. No hubo ninguna epidemia de asma durante los días de descarga. Además de las proteínas de bajo peso molecular identificadas en estudios anteriores (6 y 14-17kDa)...

Duas epidemias de tuberculose em crianças menores de três anos de idade, vacinadas com BCG oral, numa creche do município de São Paulo, Brasil

Brólio,Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1974 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
São descritas duas epidemias de tuberculose em crianças menores de 3 anos de idade vacinadas com BCG oral, ocorridas numa creche para crianças menores de 5 anos de idade, no município de São Paulo, nos anos de 1967 e 1969. Em 1967 havia no estabelecimento 96 crianças, inicialmente não reatoras ao teste tuberculínico padronizado (PPD, Rt-23, 2 UT). Foram encontrados 19 reatores, sendo 12 reatores fortes (63,2%) e 7 reatores fracos (36,8%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 15 crianças ou 78,9% dos reatores. Em 1969 havia no estabelecimento mais 62 crianças não reatoras, que foram acompanhadas separadamente em relação ao grupo de 1967, embora convivessem no mesmo ambiente. Foram encontrados 36 reatores à tuberculina, sendo 29 reatores fortes (80,5%) e 7 reatores fracos (19,5%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 11 crianças, ou 30,5% dos reatores. Nesse mesmo ano houve viragem tuberculínica em mais 7 crianças pertencentes ao grupo de não reatores de 1967, sendo 5 reatores fortes e 2 reatores fracos. Nas duas epidemias, as viragens tuberculínicas e as alterações radiológicas pulmonares foram constatadas apenas nas crianças menores de 3 anos de idade, em sua maioria vacinadas previamente com 3 doses de BCG oral...

Cem anos de endemias e epidemias

Barata,Rita Barradas
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este ensaio traça, resumidamente, um panorama das principais epidemias e endemias que acometeram a população do estado de São Paulo, no século XX. Os fatos são apresentados agrupados em cinco períodos, definidos a partir de fatos marcantes da vida nacional. Situa a ocorrência dos problemas de saúde no contexto econômico social e político de cada período. As informações baseiam-se em revisão, não exaustiva, de alguns periódicos científicos da área de saúde pública e medicina. Os períodos considerados são: do início do século ao final da República Velha, o período getulista, a redemocratização de 1945 a 1964, a ditadura militar e o período atual após a queda da ditadura. Para cada período descreve-se a situação epidemiológica das principais endemias e epidemias e para as quais havia dados ou informações disponíveis. Dada a extensão limitada de um artigo, não foi possível aprofundar os aspectos relacionados ao surgimento de cada um dos problemas, nem os detalhes de seu controle. Optou-se pela construção de um painel que possibilitasse aos leitores uma visão de conjunto do século XX. A lista de referências bibliográficas poderá ser útil àqueles que desejarem se aprofundar nos diferentes temas tratados.

Epidemias de dengue e divulgação de informações pela imprensa

França,Elisabeth; Abreu,Daisy; Siqueira,Márcia
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.37%
A ocorrência de sucessivas epidemias de dengue no Brasil ressalta a importância da divulgação de informações pela mídia, pois, como esfera de mediação das sociedades contemporâneas, a mídia produz, amplifica e faz circular informações e significados que afetam as decisões das pessoas. Com o objetivo de contribuir nessa discussão, analisou-se a cobertura do principal jornal diário de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, sobre as epidemias de dengue naquela capital entre 1996 e 2000, buscando-se avaliar a prioridade do noticiário para a doença e os enfoques privilegiados. Foram selecionadas 446 notícias, classificadas segundo o tema abordado nos títulos e nos textos das matérias. Verificou-se que o número de notícias guardou estreita relação com o número de casos de dengue registrados, com "picos" de cobertura coincidindo com a ocorrência de epidemias. A prioridade jornalística na cobertura das epidemias e o pouco espaço destinado à prevenção observados neste estudo apontam a necessidade de se considerar, no campo de atuação dos serviços de vigilância, estratégias de divulgação de informação nos meios de comunicação, visando propiciar intervenções mais participativas e, assim, mais eficientes para a prevenção de epidemias.

Caracterização das epidemias de malária nos municípios da Amazônia Brasileira em 2010

Braz,Rui Moreira; Duarte,Elisabeth Carmen; Tauil,Pedro Luiz
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.47%
Epidemias de malária ocorrem anualmente nos municípios da Região Amazônica, Brasil, no entanto os serviços de saúde não adotam, de maneira sistemática, instrumentos para detecção e contenção oportunas desses eventos. O objetivo foi caracterizar as epidemias de malária na região segundo duração, espécie de Plasmodium e vulnerabilidade das populações. Foi avaliado um sistema de monitoramento automatizado da incidência da malária, com base no diagrama de controle segundo quartis, para identificar as epidemias da doença. Em 2010, ocorreram epidemias em 338 (41,9%) municípios da região. Houve epidemias por P. falciparum e por P. vivax, separadamente, e também por ambas as espécies. Epidemias com duração de um a quatro meses ocorreram em 58,3% dos municípios epidêmicos; de cinco a oito meses, em 24,3%; e de nove a 12 meses, em 17,4%. O monitoramento automatizado da variação da incidência da malária poderá contribuir para detecção precoce das epidemias e melhorar o seu controle oportuno.

Uma abordagem ao estudo de epidemias de moléstias contagiosas: modelo conceitual baseado nas escalas espaciais e funcionais da propagação epidêmica

Takiguti,Clovis K.; Sakuma,Mary E.; Curti,Suely P.; Pacheco,Genival R.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1986 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
Propõe-se, uma nova abordagem para a solução do problema da metodologia padronizada, em epidemias. Consiste em um modelo conceitual, onde: (a) Integram-se os componentes da epidemia de acordo com esse método amplamente utilizado por geógrafos, quando da difusão de inovações. Justifica-se pelo isomorfismo entre esta difusão e a disseminação de uma doença infecciosa, (b) Essa sistemática tem em si, implícitos, os dados a serem colhidos no campo do surto epidêmico. Inclui, a intercorrelação dos elementos de composição do evento, permitindo a elucidação metódica (não simplesmente intuitiva) do mecanismo da propagação do mesmo, (c) O inter-relacionamento daqueles vários elementos, é feito racionalmente, pois são utilizadas inúmeras escalas espaciais (aspectos estáticos) e funcionais (aspectos dinâmicos). A falha em identificar o conceito de escala (básico) tem provocado muita confusão e, principalmente, evitado progressos importantes na análise epidêmica. Com efeito, essa não identificação da unidade de escala, tem prejudicado a padronização em epidemias.