Página 1 dos resultados de 944 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Entre espíritos doentios e doenças do espírito : tupi, jesuítas e as epidemias na América portuguesa (1549-1585)

Anzolin, André Soares
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Esta pesquisa visa analisar algumas das principais implicações causadas pelas epidemias nas interações desenvolvidas entre índios Tupi e jesuítas na América Portuguesa entre os anos de 1549 e 1585. Para isto, buscamos, inicialmente, salientar a influência das interpretações elaboradas sobre as origens dos contágios, tanto para a construção de concepções sobre o “outro” formuladas a partir do encontro, quanto para a criação de diferentes soluções e acomodações concebidas com o intuito de mitigar os efeitos provocados por estes fenômenos. Em seguida, destacamos como as implicações acarretadas por estas medidas de proteção, aliadas as transformações ocasionadas pelas abruptas quedas demográficas, repercutiram nas relações que se estabeleceram entre indígenas e inacianos durante estas pouco mais de três décadas. Deste modo, foi possível relacionar a emergência de diferentes epidemias ao desenvolvimento de aproximações e rupturas nestas interações, e, com isto, sublinhar as consequências drásticas destes surtos nas dinâmicas dos primeiros contatos desenvolvidos entre os Tupi e a missão jesuítica no período quinhentista.; This research aims to analyze the impacts of epidemics in the interactions between Tupi and Jesuits in América Portuguesa between the years 1549 and 1585. For this...

Duas epidemias de tuberculose em crianças menores de três anos de idade, vacinadas com BCG oral, numa creche do município de São Paulo, Brasil

Brólio,Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1974 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
São descritas duas epidemias de tuberculose em crianças menores de 3 anos de idade vacinadas com BCG oral, ocorridas numa creche para crianças menores de 5 anos de idade, no município de São Paulo, nos anos de 1967 e 1969. Em 1967 havia no estabelecimento 96 crianças, inicialmente não reatoras ao teste tuberculínico padronizado (PPD, Rt-23, 2 UT). Foram encontrados 19 reatores, sendo 12 reatores fortes (63,2%) e 7 reatores fracos (36,8%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 15 crianças ou 78,9% dos reatores. Em 1969 havia no estabelecimento mais 62 crianças não reatoras, que foram acompanhadas separadamente em relação ao grupo de 1967, embora convivessem no mesmo ambiente. Foram encontrados 36 reatores à tuberculina, sendo 29 reatores fortes (80,5%) e 7 reatores fracos (19,5%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 11 crianças, ou 30,5% dos reatores. Nesse mesmo ano houve viragem tuberculínica em mais 7 crianças pertencentes ao grupo de não reatores de 1967, sendo 5 reatores fortes e 2 reatores fracos. Nas duas epidemias, as viragens tuberculínicas e as alterações radiológicas pulmonares foram constatadas apenas nas crianças menores de 3 anos de idade, em sua maioria vacinadas previamente com 3 doses de BCG oral...

Uma abordagem ao estudo de epidemias de moléstias contagiosas: modelo conceitual baseado nas escalas espaciais e funcionais da propagação epidêmica

Takiguti,Clovis K.; Sakuma,Mary E.; Curti,Suely P.; Pacheco,Genival R.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1986 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
Propõe-se, uma nova abordagem para a solução do problema da metodologia padronizada, em epidemias. Consiste em um modelo conceitual, onde: (a) Integram-se os componentes da epidemia de acordo com esse método amplamente utilizado por geógrafos, quando da difusão de inovações. Justifica-se pelo isomorfismo entre esta difusão e a disseminação de uma doença infecciosa, (b) Essa sistemática tem em si, implícitos, os dados a serem colhidos no campo do surto epidêmico. Inclui, a intercorrelação dos elementos de composição do evento, permitindo a elucidação metódica (não simplesmente intuitiva) do mecanismo da propagação do mesmo, (c) O inter-relacionamento daqueles vários elementos, é feito racionalmente, pois são utilizadas inúmeras escalas espaciais (aspectos estáticos) e funcionais (aspectos dinâmicos). A falha em identificar o conceito de escala (básico) tem provocado muita confusão e, principalmente, evitado progressos importantes na análise epidêmica. Com efeito, essa não identificação da unidade de escala, tem prejudicado a padronização em epidemias.

Clima e epidemias de dengue no Estado do Rio de Janeiro

Câmara,Fernando Portela; Gomes,Adriana Fagundes; Santos,Gualberto Teixeira dos; Câmara,Daniel Cardoso Portela
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
As temperaturas dos primeiros trimestres do período de 1986-2003, especialmente as mínimas, mostraram-se significativamente mais altas nos anos em que as epidemias de dengue tiveram início na Cidade do Rio de Janeiro. Não houve relação significativa com o total das precipitações pluviométricas para os mesmos trimestres, contudo, as epidemias foram mais freqüentes nos anos em que o volume de chuvas no verão foi pequeno (abaixo de 200mm).

Endemias e epidemias na Amazônia: malária e doenças emergentes em áreas ribeirinhas do Rio Madeira. Um caso de escola

Katsuragawa,Tony Hiroshi; Gil,Luiz Herman Soares; Tada,Mauro Shugiro; Silva,Luiz Hildebrando Pereira da
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
Após fazer uma análise da evolução da malária na Amazônia brasileira, detalhando em particular a situação em Rondônia e no município de Porto Velho, onde ocorreram episódios dramáticos de epidemias de malária no passado, os autores apresentam o quadro atual da prevalência de malária nas áreas do Vale do Rio Madeira, que sofrerão impactos com a construção das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, e alertam sobre a situação particular da malária em áreas ribeirinhas. Nessas áreas, observam-se alta incidência de malária vivax e falciparum, a presença de grande número de portadores assintomáticos de parasitas e altas densidades do vetor Anopheles darlingi o ano todo. Esses elementos, associados à provável chegada de migrantes oriundos de áreas não-endêmicas de Rondônia e de outros Estados do país, atraídos pela possibilidade de trabalho nessas hidrelétricas e oportunidades de comércio, lazer, educação e atividades domésticas, criam condições favoráveis à ocorrência de epidemias de malária e de outras doenças tropicais se não forem realizadas intervenções adequadas de controle, em particular no domínio do saneamento.

Cem anos de endemias e epidemias

Barata,Rita Barradas
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este ensaio traça, resumidamente, um panorama das principais epidemias e endemias que acometeram a população do estado de São Paulo, no século XX. Os fatos são apresentados agrupados em cinco períodos, definidos a partir de fatos marcantes da vida nacional. Situa a ocorrência dos problemas de saúde no contexto econômico social e político de cada período. As informações baseiam-se em revisão, não exaustiva, de alguns periódicos científicos da área de saúde pública e medicina. Os períodos considerados são: do início do século ao final da República Velha, o período getulista, a redemocratização de 1945 a 1964, a ditadura militar e o período atual após a queda da ditadura. Para cada período descreve-se a situação epidemiológica das principais endemias e epidemias e para as quais havia dados ou informações disponíveis. Dada a extensão limitada de um artigo, não foi possível aprofundar os aspectos relacionados ao surgimento de cada um dos problemas, nem os detalhes de seu controle. Optou-se pela construção de um painel que possibilitasse aos leitores uma visão de conjunto do século XX. A lista de referências bibliográficas poderá ser útil àqueles que desejarem se aprofundar nos diferentes temas tratados.

Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase

Andrade, Ana Regina Coelho de; Ramos, Andréa Machado Coelho; Araújo, Marcelo Grossi; Miranda, Silvana Spíndola de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este material contempla a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Esta disciplina busca incentivar a equipe multidisciplinar das equipes de Saúde da Família a se organizar para o controle da tuberculose e hanseníase. O conteúdo está distribuído em quatro seções: Seção 1: Fatores determinantes e condicionantes das epidemias e endemias. Seção 2: Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas. Seção 3: Situação da tuberculose e da hanseníase. Seção 4: Casos clínicos: tuberculose e hanseníase

Endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase

Andrade, Ana Regina Coelho de; Ramos, Andréa Machado Colelho; Araújo, Marcelo Grossi; Miranda, Silvana Spíndola de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Esta disciplina busca incentivar a equipe multidisciplinar das equipes de Saúde da Família a se organizar para o controle da tuberculose e hanseníase. O conteúdo está distribuído em quatro seções: Seção 1: Fatores determinantes e condicionantes das epidemias e endemias. Seção 2: Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas. Seção 3: Situação da tuberculose e da hanseníase. Seção 4: Casos clínicos: tuberculose e hanseníase

Endemias e epidemias B: dengue, leishmaniose tegumentar e visceral, leptospirose, influenza e febre maculosa

Moura, Alexandre Sampaio; Rocha, Regina Lunardi
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.29%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, influenza e febre maculosa" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Tem como objetivo instrumentalizar os profissionais de saúde, em especial os das equipes de Saúde da Família, para contribuírem no controle das epidemias e endemias mais frequentes no país e em Minas Gerais.Este módulo está dividido em 2 seções : Seção 1 - Fatores determinantes das epidemias e endemias; Seção 2 - Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas mais comuns

Discurso Televisivo em Saúde. Impacto das Epidemias na Opinião Pública.

Pombo, Ana Margarida
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Este relatório de estágio debruça-se sobre a experiência de estágio na redação da RTP, Rádio e Televisão Portuguesa, localizada em Vila Nova de Gaia. Este trabalho propõe, adicionalmente, uma reflexão teórica acerca da saúde e dos media televisivos, partindo dos casos mais mediáticos durante o período de realização do estágio: a epidemia do ébola e a doença do legionário. Partindo da experiência do estágio, neste trabalho são abordadas as rotinas produtivas, os constrangimentos, as técnicas jornalísticas, assim como as reportagens efetuadas. É também proposta uma reflexão crítica acerca das aprendizagens e da relação com o curso. No que respeita ao estudo de caso sobre a saúde e os media, é analisada a construção noticiosa das epidemias como forma de espetáculo noticioso para captação de audiências. Além disso, esta temática é comparada com a abordagem habitualmente proposta acerca do cancro da mama, que é abordado pelos media de uma forma mais pedagógica, e não tão eufórica, como no caso das epidemias. Toda esta construção cria um impacto decisivo nos padrões mentais dos telespetadores, que está relacionado com o nível de literacia dos indivíduos. Esta reflexão resulta de uma observação detalhada no local de estágio...

Sorocaba entre epidemias: a experiência de Álvaro Soares na febre amarela e na gripe espanhola (1897-1918); Sorocaba between epidemics: Alvaro Soares experience in yellow fever and Spanish flu (1897-1918)

Dall'Ava, João Paulo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
A presente pesquisa investiga as epidemias de febre amarela - em 1897 e 1900 - e de gripe espanhola - em 1918 - ocorridas em Sorocaba e a atuação do médico Álvaro César da Cunha Soares no seu combate, a fim de revelar as condições sanitárias de uma cidade que passava por grandes transformações, como o crescimento urbano e a industrialização, em um contexto de consolidação da medicina oficial e de acirrados debates em torno das questões relacionadas à saúde pública. Para tanto, traça-se um panorama das condições sanitárias e de saúde pública de Sorocaba entre o final do século XIX e o início do século XX, apontando o agravamento dos problemas sociais e o aumento do número de casos de determinadas enfermidades. Desse modo, pretende-se demonstrar como a condição de vida da população pobre sorocabana foi se deteriorando cada vez mais enquanto a cidade apresentava um relativo crescimento urbano e industrial. As epidemias de febre amarela são reconstituídas, abordando-se questões políticas, sociais e científicas que se desenrolaram no decorrer dos surtos epidêmicos, em um contexto de disputa entre o poder estadual, representado pelo Serviço Sanitário do Estado de São Paulo, e os poderes locais, representados por médicos e autoridades públicas municipais...

Limites das convicções científicas : as epidemias no Rio de Janeiro e em Socorro e o desencadeamento da crise nos estudos da febre amarela (1927-1948); Limits of scientific convictions : epidemics in Rio de Janeiro and Socorro, and the appearance of the crisis in studies on yellow fever (1927-1948)

Aleidys Hernandez Tasco
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
Em 1927 a luta contra a febre amarela parecia finalizada no continente americano. A Fundação Rockefeller, instituição filantrópica estadunidense que tinha como principal objetivo o combate da febre amarela na primeira metade do século XX, assegurava que a doença estava quase erradicada. No entanto, a ocorrência das epidemias de febre amarela no Rio de Janeiro em 1928 (Brasil) e em Socorro em 1929 (Colômbia), colocou em dúvida as medidas profiláticas recomendadas e aplicadas tanto pelos órgãos nacionais de Saúde Pública como os da Fundação Rockefeller que participou da luta contra essa doença em ambos os países. Ao mesmo tempo em que ocorriam as epidemias, uma controvérsia instalou-se em torno à descoberta de Stokes, Bauer e Hudson na África, em 1927, que demonstrou que a febre amarela era facilmente inoculável no Macacus Rhesus. Tal descoberta acabou por rejeitar a concepção etiológica estabelecida em 1919 por Noguchi. A nova descoberta dos pesquisadores, as epidemias e a rejeição da teoria de Noguchi geraram uma enorme desconfiança na época, dando a sensação de que nada era seguro em assuntos relacionados à febre amarela, despertando uma crise nos estudos da doença. Esta pesquisa assume a responsabilidade de fazer um estudo comparativo a partir da ciência...

Endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase

Andrade, Ana Regina Coelho de; Ramos, Andréa Machado Colelho; Araújo, Marcelo Grossi; Miranda, Silvana Spíndola de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: 87p. ; il.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Esta disciplina busca incentivar a equipe multidisciplinar das equipes de Saúde da Família a se organizar para o controle da tuberculose e hanseníase. O conteúdo está distribuído em quatro seções: Seção 1: Fatores determinantes e condicionantes das epidemias e endemias. Seção 2: Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas. Seção 3: Situação da tuberculose e da hanseníase. Seção 4: Casos clínicos: tuberculose e hanseníase; Ministério da Saúde

Endemias e epidemias B: dengue, leishmaniose tegumentar e visceral, leptospirose, influenza e febre maculosa

Moura, Alexandre Sampaio; Rocha, Regina Lunardi
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: 81p. ; il.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.29%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, influenza e febre maculosa" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Tem como objetivo instrumentalizar os profissionais de saúde, em especial os das equipes de Saúde da Família, para contribuírem no controle das epidemias e endemias mais frequentes no país e em Minas Gerais.Este módulo está dividido em 2 seções : Seção 1 - Fatores determinantes das epidemias e endemias; Seção 2 - Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas mais comuns; 2. ed.; Ministério da Saúde

Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase

Andrade, Ana Regina Coelho de; Ramos, Andréa Machado Coelho; Araújo, Marcelo Grossi; Miranda, Silvana Spíndola de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Backup de Moodle Formato: Backup moodle da disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase " do curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014), contendo materiais em formato PDF e na linguagem html, além de áudio e s
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Este material contempla a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: tuberculose e hanseníase" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Esta disciplina busca incentivar a equipe multidisciplinar das equipes de Saúde da Família a se organizar para o controle da tuberculose e hanseníase. O conteúdo está distribuído em quatro seções: Seção 1: Fatores determinantes e condicionantes das epidemias e endemias. Seção 2: Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas. Seção 3: Situação da tuberculose e da hanseníase. Seção 4: Casos clínicos: tuberculose e hanseníase; Ministério da Saúde

Endemias e epidemias na Amazônia: malária e doenças emergentes em áreas ribeirinhas do Rio Madeira. Um caso de escola; Endemic and epidemic diseases in Amazonia: malaria and other emerging diseases in riverine areas of the Madeira river. A school case

Katsuragawa, Tony Hiroshi; Gil, Luiz Herman Soares; Tada, Mauro Shugiro; Silva, Luiz Hildebrando Pereira da
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.19%
Após fazer uma análise da evolução da malária na Amazônia brasileira, detalhando em particular a situação em Rondônia e no município de Porto Velho, onde ocorreram episódios dramáticos de epidemias de malária no passado, os autores apresentam o quadro atual da prevalência de malária nas áreas do Vale do Rio Madeira, que sofrerão impactos com a construção das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, e alertam sobre a situação particular da malária em áreas ribeirinhas. Nessas áreas, observam-se alta incidência de malária vivax e falciparum, a presença de grande número de portadores assintomáticos de parasitas e altas densidades do vetor Anopheles darlingi o ano todo. Esses elementos, associados à provável chegada de migrantes oriundos de áreas não-endêmicas de Rondônia e de outros Estados do país, atraídos pela possibilidade de trabalho nessas hidrelétricas e oportunidades de comércio, lazer, educação e atividades domésticas, criam condições favoráveis à ocorrência de epidemias de malária e de outras doenças tropicais se não forem realizadas intervenções adequadas de controle, em particular no domínio do saneamento.; The authors present a short review on the evolution of malaria incidence in the Brazilian Amazon...

Epidemias : perspectiva de Portugal com principal enfoque em Lisboa e na peste branca (tuberculose)

Longo, C
Fonte: RVJ Editores Publicador: RVJ Editores
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.29%
As sociedades ao longo dos séculos têm sido atingidas por cataclismos e epidemias. Portugal e a sua capital Lisboa também não foi excepção, estas epidemias estavam associadas a outro flagelo o da fome e produziam sangrias demográficas, e demarcaram nas cidades o palco privilegiado para a encenação do seu espectáculo de horrores. Após uma curta perspectiva histórica da cidade de Lisboa faz-se analise de crises de sobre-mortalidade por epidemias, analisa-se a evolução mortalidade da tuberculose em Portugal desde o final do século XIX até 2008, e referenciam-se os dados de prevalência e incidência em 2008 em Portugal. Conclui-se que Portugal fez um longo caminho na luta antituberculosa, apesar dos progressos, os indicadores não permitem abrandar as medidas de combate à doença, dado que o nível endémico é ainda considerável, particularmente nos grandes meios urbanos. A tuberculose é ainda hoje uma emergência global, com 9 milhões de novos casos anuais no Mundo e 1,5 milhões de mortes, não obstante estarmos perante uma doença tratável e curável com um custo de menos de 20 euros por doente.

Duas epidemias de tuberculose em crianças menores de três anos de idade, vacinadas com BCG oral, numa creche do município de São Paulo, Brasil; Two epidemics of tuberculosis in children under three years of age vaccinated with oral BCG in a day-nursery in S. Paulo county, Brazil

Brólio, Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/1974 POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
São descritas duas epidemias de tuberculose em crianças menores de 3 anos de idade vacinadas com BCG oral, ocorridas numa creche para crianças menores de 5 anos de idade, no município de São Paulo, nos anos de 1967 e 1969. Em 1967 havia no estabelecimento 96 crianças, inicialmente não reatoras ao teste tuberculínico padronizado (PPD, Rt-23, 2 UT). Foram encontrados 19 reatores, sendo 12 reatores fortes (63,2%) e 7 reatores fracos (36,8%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 15 crianças ou 78,9% dos reatores. Em 1969 havia no estabelecimento mais 62 crianças não reatoras, que foram acompanhadas separadamente em relação ao grupo de 1967, embora convivessem no mesmo ambiente. Foram encontrados 36 reatores à tuberculina, sendo 29 reatores fortes (80,5%) e 7 reatores fracos (19,5%) e imagens radiológicas indicativas de anormalidade pulmonar em 11 crianças, ou 30,5% dos reatores. Nesse mesmo ano houve viragem tuberculínica em mais 7 crianças pertencentes ao grupo de não reatores de 1967, sendo 5 reatores fortes e 2 reatores fracos. Nas duas epidemias, as viragens tuberculínicas e as alterações radiológicas pulmonares foram constatadas apenas nas crianças menores de 3 anos de idade, em sua maioria vacinadas previamente com 3 doses de BCG oral...

Uma abordagem ao estudo de epidemias de moléstias contagiosas: modelo conceitual baseado nas escalas espaciais e funcionais da propagação epidêmica; An approach to the study of contagious disease epidemics: conceptual model based on spatial and functional scales of epidemic progression

Takiguti, Clovis K.; Sakuma, Mary E.; Curti, Suely P.; Pacheco, Genival R.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/1986 POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Propõe-se, uma nova abordagem para a solução do problema da metodologia padronizada, em epidemias. Consiste em um modelo conceitual, onde: (a) Integram-se os componentes da epidemia de acordo com esse método amplamente utilizado por geógrafos, quando da difusão de inovações. Justifica-se pelo isomorfismo entre esta difusão e a disseminação de uma doença infecciosa, (b) Essa sistemática tem em si, implícitos, os dados a serem colhidos no campo do surto epidêmico. Inclui, a intercorrelação dos elementos de composição do evento, permitindo a elucidação metódica (não simplesmente intuitiva) do mecanismo da propagação do mesmo, (c) O inter-relacionamento daqueles vários elementos, é feito racionalmente, pois são utilizadas inúmeras escalas espaciais (aspectos estáticos) e funcionais (aspectos dinâmicos). A falha em identificar o conceito de escala (básico) tem provocado muita confusão e, principalmente, evitado progressos importantes na análise epidêmica. Com efeito, essa não identificação da unidade de escala, tem prejudicado a padronização em epidemias.; A new approach to the standardization of the study of epidemics is proposed. The approach proposed consists of a conceptual model where: (a) the epidemic components are integrated according to models used by geographers in the study of innovation diffusion. This attitude is justified by the isomorphism between this diffusion and dissemination of an infectious disease; (b) the model adopted takes into account the data to be collected in field work on epidemics. This permits a non-intuitive method for the elucidation of the mechanism of progression of epidemics...

Epidemias: un nuevo objeto sociotécnico

Tirado,Francisco; Cañada,José A.
Fonte: Universidad Autónoma del Estado de México, Facultad de Ciencias Políticas y Administración Publicador: Universidad Autónoma del Estado de México, Facultad de Ciencias Políticas y Administración
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.29%
Las epidemias se han convertido en un objeto de interés para las ciencias sociales. Éstas se caracterizan normalmente como objeto de pánico o situación biopolítica. Tales perspectivas olvidan que las epidemias impactan directamente en nuestra cotidianidad. Para analizar ese impacto conviene conceptualizarlas como objetos sociotécnicos. Nuestro artículo presenta esa perspectiva. Analizando material de prensa, información especializada publicada en revistas como Science o editada por instituciones sanitarias mostramos cómo las epidemias subvierten los principales límites de nuestra realidad cotidiana: humano-animal, local-global, política-naturaleza y sano-patológico. Argüiremos que tras esa ruptura se produce instantáneamente una reconstrucción de los mismos basada en las siguientes características: a) la medicina adquiere una fuerza especial en la definición de tales límites, b) aparece la conceptualización de una "excepcionalidad biológica" como mecanismo de inteligibilidad básico para comprender el mencionado fenómeno de reconstrucción y c) se actualiza un determinado régimen sobre lo corporal.