Página 1 dos resultados de 615 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Do down ao up… : contributos do envolvimento familiar na estimulação precoce de uma criança com Trissomia 21

Morgado, Paulo Jorge Monteiro
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.45%
Do Down ao UP… Percurso de sentimentos, emoções, procuras e certezas, por vezes, incertas mas alegre e esperançosamente desafiantes… O itinerário de investigação, e consequente formação, que foi encetado procurou, com o envolvimento familiar, as estratégias e dinâmicas mais eficazes para a promoção de aquisições relevantes e significativas para uma criança, filha do próprio investigador, com necessidades educativas especiais decorrentes do quadro de Trissomia 21. Através da procura objectiva de dados contextualizadores, foi delineado um programa de estimulação precoce aplicado nas rotinas familiares, as quais se constituíram como reais oportunidades/meios de um envolvimento familiar participante e corresponsável, facilitador e promotor de desenvolvimento das potencialidades e capacidades da própria criança. Com esta investigação pretendeu-se destacar a importância da intervenção/estimulação nas rotinas familiares constituídas ou a potencializar, como forma de obtenção de prometedores resultados em todas as áreas de desenvolvimento, veiculando os princípios da normalização, da funcionalidade, da contextualização e do envolvimento convergente de todo o agregado familiar.; Orientador: Jorge Serrano

O apoio familiar na perspectiva do paciente em reinternação psiquiátrica: um estudo qualitativo; Family support from the perspective of patients in psychiatric rehospitalization: a qualitative study; Apoyo familiar desde la perspectiva de los pacientes en reinternación psiquiátrica: un estudio cualitativo

Machado, Vanessa Cristina; Santos, Manoel Antonio dos
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.15%
Objetivou-se investigar a percepção do envolvimento familiar nos cuidados ao paciente, no paradigma da reabilitação psicossocial. Utilizou-se abordagem qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com 22 pacientes com reinternação psiquiátrica. A interpretação dos dados foi fundamentada no paradigma emergente da Atenção Psicossocial. Os entrevistados reconheceram a importância do apoio recebido dos familiares, tanto em termos práticos como afetivos, e admitiram as dificuldades impostas pela convivência com o sofrimento mental. Por outro lado, destacaram limitações nas relações familiares e, por conseguinte, nas possibilidades de cuidado recebido, o que conduz à incompreensão sobre o transtorno mental e à consequente desconfiança, bem como à superproteção que se confunde com privação de liberdade. Ao se considerarem esses aspectos, no contexto da desinstitucionalização, confirma-se a necessidade de a família ser incluída em intervenções de promoção de saúde, como protagonista das estratégias de reabilitação psicossocial.

Desempenho escolar e percepção infantil da motivação e suporte familiar; School performance and infantile perception of motivation and family support

Andreia Arruda Guidetti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.43%
As relações de envolvimento entre a família e escola sempre foram apontadas como importantes para o desenvolvimento social e cognitivo do aluno e têm revelado ser fundamentais para o sucesso escolar. A família e a escola emergem como duas instituições fundamentais atuando como propulsoras ou inibidoras do crescimento físico, intelectual, afetivo e social do indivíduo. Considerando a relevância desses dois contextos na infância, o presente estudo tem como objetivo explorar as diferenças na percepção infantil da motivação escolar e do suporte familiar, analisar se há diferenças entre a motivação e o suporte familiar quanto ao ano escolar e, ainda, investigar as relações entre a motivação escolar e o suporte familiar de crianças com diferente desempenho em leitura, escrita e aritmética. Participaram deste estudo 342 crianças, de ambos os sexos, com idades variando de 7 a 13 anos, de três escolas municipais de uma cidade do interior de São Paulo. Foram utilizados três instrumentos para a coleta de dados: a Escala da Percepção Infantil dos Suportes do Ambiente Familiar ¿ EPISAF, para avaliar o suporte afetivo, educativo e material do ambiente familiar; a Escala para Avaliação da Motivação Escolar - EAME-IJ...

O envolvimento familiar no processo de decisão dos jovens à saída do 9º ano

Faria, Susana
Fonte: Instituto Politécnico de Santarém, Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Santarém, Escola Superior de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
56.33%
A influência familiar nos projectos escolares e profissionais dos jovens pode fazer-se sentir de várias formas: transmitindo valores e informações sobre as profissões, actuando como modelo ou impondo uma profissão. Tem, em todo o caso, um papel inquestionável enquanto estruturante das decisões do adolescente, razão pela qual não pode deixar de ser equacionado na análise do processo de decisão vocacional. O presente artigo incide sobre um dos momentos que considero mais problemáticos na vida escolar dos alunos e respectivas famílias – o momento em que é necessário escolher uma área de estudos que dará (ou não) acesso a um curso superior e/ou uma profissão. Com o trabalho de campo que desenvolvi, procurei aceder às diferentes racionalidades presentes nas decisões relativas à continuidade do percurso escolar e/ou profissional, a partir do 10º ano, mas também analisar a “unidade de decisão”, isto é a participação (mais do que influência) de outros actores sociais: professores, orientadores, amigos e familiares. O processo de decisão surge, nesta perspectiva, como um produto social, fruto de constrangimentos vários: representações, vocações e expectativas, por um lado, mas também da pressão familiar...

Factores sociodemográficos que influenciam a resiliência : estudo comparativo com pais de crianças com e sem doença

Santos, Sara Isabel
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.71%
Este estudo de origem quantitativa teve como objectivo comparar a capacidade de resiliência dos pais de crianças na faixa etária dos 3 aos 5 anos sem doença, com a dos pais de crianças internadas num serviço de pediatria, na mesma faixa etária. A Resiliência é a capacidade do indivíduo/família/comunidade, face às adversidades da vida, sair vencedor de uma experiência que poderia ser traumática. A nível familiar, diz respeito ao conjunto de características que a família possui e lhe permite ultrapassar situações traumáticas, restabelecendo o bom funcionamento e desenvolvendo algumas das suas capacidades. Os dados foram recolhidos recorrendo a um questionário aplicado a 120 pais. O questionário contemplava um conjunto de dados sociodemográficos (sexo, idade, estado civil, profissão, escolaridade e número de filhos) e o Questionário de Resiliência, Stress, Ajustamento e Adaptação Familiar de McCubbin, M. e McCubbin, H. (1993). Este último permite avaliar o Perfil de Resiliência Familiar (PRF) e contempla a Coerência Familiar, Flexibilidade Familiar, Envolvimento Familiar e Suporte Social. A análise estatística dos dados foi realizada utilizando o SPSS. Relativamente ao sexo, apenas existem diferenças estatísticas a nível da Coerência Familiar (p=0...

Envolvimento familiar e autonomia na criança com síndrome de asperger

Gomes, Maria do Carmo Costa
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
46.18%
Projeto de investigação no âmbito da Pós-Graduação em Educação Especial - Domínio Cognitivo e Motor, da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti.; O presente trabalho, visa perceber qual o papel da família no desenvolvimento da autonomia do jovem com Síndrome de Asperger. O trabalho é constituído por duas partes: na primeira parte, procedemos à pesquisa bibliográfica através de obras de vários autores onde constam conceitos e teorias explicativas, acerca do espetro do autismo e mais concretamente sobre a síndrome de Asperger. De seguida, abordamos também através de uma revisão da literatura, conceitos como família e construção de autonomia. A segunda parte do trabalho, projetando o estudo empírico, será constituída pelas considerações metodológicas a ter em consideração num estudo de caso de uma criança diagnosticada com Síndrome de Asperger. Para tal, foram utilizados alguns instrumentos de recolha de dados que nos possibilitaram o confronto entre a teoria e a prática: análise documental, ficha de anamnese, grelha de observação de comportamentos e inquérito por entrevista. Através da análise dos dados recolhidos verificamos que a participação e colaboração da família no processo educativo foi determinante no desenvolvimento da autonomia da criança em estudo. Desde o momento em que tiveram conhecimento do diagnóstico...

Análise do fenómeno de base segura em contexto familiar: A especificidade das relações criança/mãe e criança/pai

Monteiro, Lígia Maria Santos
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
36.45%
Tese de doutoramento em Psicologia Educacional; Esta investigação enquadra-se na teoria da vinculação de Bowlby/Ainsworth, testando empiricamente conceitos centrais como: a organização dos comportamentos de base segura, o modelo dinâmico interno, a transmissão social da vinculação, a especificidade das relações, bem como, os contextos de envolvimento, no micro-sistema familiar. Os participantes são 56 famílias portuguesas, com crianças entre os 2 ½ e os 3 anos de idade. De modo a avaliar a qualidade das relações de base segura utilizou-se o Attachment Behavior Q-Set (Waters, 1995), tendo para tal sido efectuadas, separadamente, visitas domiciliárias com a mãe e com o pai, por observadores independentes. No final destas, aplicou-se as “Narrativas de Vinculação em Adultos” (Waters & Rodrigues-Doolabh, 2004). O envolvimento parental foi avaliado com base num questionário (Monteiro, Veríssimo, Castro, & Oliveira, 2006), preenchido independentemente pelos pais. Os resultados indicam que as crianças utilizam ambos os pais como base segura, e que não existem diferenças significativas entre os valores de segurança das crianças, nestas duas relações, embora os estilos de interacção apresentem algumas características específicas. Os valores de segurança da criança...

Envolvimento familiar em intervenção precoce: Percepções dos pais e educadores de infância

Martins, Ana Paula de Oliveira Calisto Garcia
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //1999 POR
Relevância na Pesquisa
46.68%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; Na fase inicial, a Intervenção Precoce consistia em providenciar serviços de estimulação à jovem criança, considerada o centro da actuação educativa. Progressivamente, as várias contribuições conceptuais e empíricas, provenientes sobretudo dos E.U.A., ao enfatizarem a importância do envolvimento familiar no desenvolvimento da criança, originaram as abordagens centradas na família e de base comunitária. Também no nosso país, temos vindo a assistir a uma lenta mudança face ao envolvimento familiar neste tipo de intervenção. O presente estudo tem por objectivo, dar a conhecer as percepções dos Educadores de Infância dos Apoios Educativos e dos País das crianças em situação de risco estabelecido sobre as suas práticas face ao envolvimento familiar em Intervenção Precoce. O estudo empírico consistiu na construção e aplicação dum questionário, que pretende avaliar as práticas actuais e as práticas consideradas ideais pelos actores educativos atrás mencionados, em três dimensões: Envolvimento familiar na avaliação da criança, envolvimento familiar na intervenção com a criança e envolvimento familiar na escolha providenciamento de serviços de apoio para os pais/família. Os resultados obtidos mostram...

Educação ambiental, envolvimento familiar e mudança de comportamento

Ribeiro, Susana Isabel Rocha
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.6%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; A área da educação ambiental (EA) é essencial nos dias de hoje, em que cada vez mais se assiste à degradação e depleção dos recursos naturais, urna vez que procura dotar os cidadãos de conhecimentos e comportamentos ambientalmente correctos, recorrendo para isso a estratégias potenciadoras dessas mesmas mudanças. Neste estudo procurou-se, através de um projecto de educação ambiental, fomentar a mudança de comportamentos relativamente ao uso eficiente do recurso natural água em alunos do 3o e 4o anos do l°Ciclo do Ensino Básico do Concelho de Santarém, durante o ano lectivo 2003/2004. No sentido de potenciar essas mudanças de comportamentos, fomentou-se a participação da família, através da apresentação de duas formas de participação dos encarregados de educação, uma através da realização de actividades de acompanhamento pontual do projecto, executadas em casa, e a outra pela participação numa campanha internacional de limpeza dos cursos de água intitulada Clean Up the Med. O instrumento de avaliação de comportamentos aplicado neste estudo baseou-se na adaptação de um inquérito sobre o impacte das atitudes e dos valores na determinação do comportamento de alunos do ensino superior...

Após a licença maternidade: a percepção de professoras sobre a divisão das demandas familiares

Vanalli,Ana Carolina Gravena; Barham,Elizabeth Joan
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.43%
Neste estudo, foram investigadas vivências de professoras após o retorno da licença maternidade, examinando a divisão de tarefas com seus cônjuges, satisfação com seu envolvimento familiar e o do cônjuge e com sua rede social de apoio. Foram entrevistadas 40 professoras de escolas públicas no interior paulista, mães de filhos de até dois anos. A maioria delas relatou dedicar o dobro do tempo que seus cônjuges às atividades domésticas e cuidados com os filhos, assumindo tarefas de alta frequência e com horários fixos. No geral, estas se sentiam satisfeitas com seu próprio envolvimento familiar, embora 65% delas relatou preferir passar mais tempo com seus filhos. Estas avaliaram positivamente o envolvimento familiar do esposo, mas sistematicamente menor que seu próprio. Muitas usaram outras fontes de apoio, avaliadas positivamente. Contudo, as respondentes enfrentavam grande sobrecarga, apontando para a necessidade de rever a divisão do trabalho familiar.

O apoio familiar na perspectiva do paciente em reinternação psiquiátrica: um estudo qualitativo

Machado,Vanessa Cristina; Santos,Manoel Antônio dos
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.08%
Objetivou-se investigar a percepção do envolvimento familiar nos cuidados ao paciente, no paradigma da reabilitação psicossocial. Utilizou-se abordagem qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com 22 pacientes com reinternação psiquiátrica. A interpretação dos dados foi fundamentada no paradigma emergente da Atenção Psicossocial. Os entrevistados reconheceram a importância do apoio recebido dos familiares, tanto em termos práticos como afetivos, e admitiram as dificuldades impostas pela convivência com o sofrimento mental. Por outro lado, destacaram limitações nas relações familiares e, por conseguinte, nas possibilidades de cuidado recebido, o que conduz à incompreensão sobre o transtorno mental e à consequente desconfiança, bem como à superproteção que se confunde com privação de liberdade. Ao se considerarem esses aspectos, no contexto da desinstitucionalização, confirma-se a necessidade de a família ser incluída em intervenções de promoção de saúde, como protagonista das estratégias de reabilitação psicossocial.

Avaliação do grau de envolvimento familiar nos atendimentos de crianças com deficiência auditiva

Figueiredo,Carolina Calsolari; Gil,Daniela
Fonte: Academia Brasileira de Audiologia Publicador: Academia Brasileira de Audiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.61%
OBJETIVO: Caracterizar o perfil de crianças com deficiência auditiva que usam aparelho de amplificação sonora individual ou implante coclear, e avaliar a participação das famílias no processo terapêutico dessas crianças. MÉTODOS: Participaram do estudo 25 famílias de crianças com deficiência auditiva, com idades entre 0 e 14 anos, atendidas nos ambulatórios pesquisados, que estavam em terapia fonoaudiológica por, no mínimo, seis meses. Foram levantados os registros das informações dos prontuários das crianças selecionadas e, posteriormente, foi aplicada a escala Family Involvement Rating (Moeller), traduzida para o português com o nome de Escala de Envolvimento Familiar. RESULTADOS: A média do envolvimento familiar das 25 famílias estudadas foi 3,28, sendo que 40% das famílias foram classificadas com participação mediana, pelas terapeutas. Os testes utilizados não evidenciaram relação entre o envolvimento familiar e os limiares auditivos das crianças, nem entre o envolvimento familiar e o tempo em que as crianças estavam em terapia. CONCLUSÃO: A maioria das famílias apresentou participação mediana no processo terapêutico de seus filhos. Não houve diferença entre os diferentes graus de envolvimento familiar no processo terapêutico e os limiares auditivos das crianças com e sem dispositivos eletrônicos...

Trabalho vs. família: O envolvimento parental nas diferentes dimensões da dinâmica familiar

Jorge, Eva Raquel Machado
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.57%
Nos últimos tempos, dadas as mudanças sócio-culturais a teoria relativa à dinâmica familiar, tem vindo a mudar radicalmente. Deste modo, o objectivo subjacente à presente investigação é o de explorar diferentes aspectos da vivência familiar do pai e da mãe, a saber: a ansiedade de separação materna, o regresso da mãe ao trabalho e a influência do mesmo na dinâmica familiar, bem como o envolvimento paterno, nas tarefas familiares e de que maneira é que este influencia ou não a ansiedade de separação materna. A questão de investigação foi operacionalizada num desenho metodológico de cariz exploratório transversal. A amostra por conveniência é constítuida por 178 famílias, onde as idades dos pais estão compreendidas entre os 23 e os 62 anos de idade, e as suas habilitações literárias entre os 4 e os 19 anos. Foram aplicadas as escalas de avaliação: “Escala de Ansiedade de Separação Materna” (Hock, McBride & Gneza, 1989), “Conciliar Trabalho e Família”, “Parent Role Quality Scale” (NICHD, 1991, Martins, Martins, Mateus, Osório e Fonseca, 2010) e “Escala de Envolvimento Parental: Actividades de Cuidados e de Socialização” (Monteiro, Veríssimo & Pessoa e Costa, 2008). Concluímos que os pais concordam quer nas recompensas quer nas dificuldades em conciliar trabalho e família...

O envolvimento parental nas aprendizagens escolares dos filhos

Silva, Ana Mafalda Bendrao Ferreira da
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.6%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Univesitário; O Envolvimento Parental na escolaridade dos jovens é relacionado a um melhor desempenho académico dos filhos, porém, menos é conhecido sobre as variáveis que influenciam a decisão dos pais para se envolverem. Esta investigação teve como objectivo examinar a relação entre 5 variáveis preditoras para o envolvimento, que inclui as práticas de envolvimento parental, a percepção de auto-eficácia parental, a concepção de responsabilidade, as práticas de literacia familiar e os resultados escolares das crianças. Pais (n=123) de alunos no 1º e 2º ano de escolaridade, de duas escolas públicas, responderam a um questionário sobre a sua percepção de auto-eficácia, a concepção de responsabilidade, o grau de envolvimento em 4 tipo de actividades: apoio em tarefas escolares, comunicação sobre a escolaridade, tarefas de mediação social e cultural e participação em eventos escolares e extra-escolares; e o grau de envolvimento em 3 tipo de actividades: práticas de literacia de dia-a-dia, práticas de literacia de entretenimento e práticas de literacia de treino. Os resultados revelam que as variáveis concepção de responsabilidade e práticas de envolvimento parental...

O envolvimento familiar no processo de decisão dos jovens à saída do 9º ano.

Faria, Susana; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Leiria
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.33%
A influência familiar nos projectos escolares e profissionais dos jovens pode fazer-se sentir de várias formas: transmitindo valores e informações sobre as profissões, actuando como modelo ou impondo uma profissão. Tem, em todo o caso, um papel inquestionável enquanto estruturante das decisões do adolescente, razão pela qual não pode deixar de ser equacionado na análise do processo de decisão vocacional. O presente artigo incide sobre um dos momentos que considero mais problemáticos na vida escolar dos alunos e respectivas famílias – o momento em que é necessário escolher uma área de estudos que dará (ou não) acesso a um curso superior e/ou uma profissão. Com o trabalho de campo que desenvolvi, procurei aceder às diferentes racionalidades presentes nas decisões relativas à continuidade do percurso escolar e/ou profissional, a partir do 10º ano, mas também analisar a “unidade de decisão”, isto é a participação (mais do que influência) de outros actores sociais: professores, orientadores, amigos e familiares. O processo de decisão surge, nesta perspectiva, como um produto social, fruto de constrangimentos vários: representações, vocações e expectativas, por um lado, mas também da pressão familiar...

Educação para o desenvolvimento sustentável no ensino básico : contributos da integração das tecnologias da informação e comunicação e do envolvimento familiar nos primeiros anos de escolaridade

Tréz, Ticiana de Astrogildo e
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.52%
A necessidade de se educar para o desenvolvimento sustentável é um ponto assente nas atuais políticas educativas internacionais. Considera-se fulcral desenvolver nos alunos as competências necessárias para analisar criticamente e tomar de decisão frente às atuais problemáticas relacionadas com as dimensões ambiental, social e económica, sob uma perspetiva sistémica. No entanto, a literatura de referência aponta a escassez de recursos intencionalmente concebidos para apoiar práticas didático-pedagógicas dos professores mais coerentes com estas diretrizes. Assim, o presente estudo tem por finalidade desenvolver estratégias, conceber e explorar recursos didáticos multimédia para promover a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS), no contexto da Educação em Ciência com orientação Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS), através da integração das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e do envolvimento familiar (EF) nos primeiros anos de escolaridade, assim como compreender os impactes dos mesmos na alteração das práticas dos professores tornando-as mais coerentes com as orientações EDS/CTS. Face a esta finalidade, adotámos uma metodologia de natureza qualitativa, nomeadamente o Estudo de Caso na vertente multicasos...

O envolvimento familiar na vida escolar dos alunos

Pinhão, Carina Sofia Arsénio
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.4%
Relatório Final apresentado à Escola Superior de Educação de Lisboa para obtenção de grau de mestre em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico; O sucesso escolar dos alunos não depende apenas do aluno e do docente, depende também da contribuição de outros agentes para garantir esse sucesso. O meio familiar é um desses agentes. É neste meio que a criança realiza as suas primeiras aprendizagens e inicia a construção da sua identidade. Mais tarde, este papel também é assumido pela escola, à qual não compete apenas a transmissão de conhecimentos, mas igualmente contribuir para o desenvolvimento global do indivíduo. Por estas razões, é fundamental que esta relação, entre a escola e a família, seja uma relação harmoniosa e de equilíbrio em que ambas as partes se unam para o sucesso escolar do aluno. Com base nestes pressupostos, no âmbito da prática pedagógica supervisionada, desenvolvemos um estudo sobre as conceções que os diversos atores educativos (docentes, pais e alunos) têm de envolvimento parental em que pretendemos perceber as conceções existentes na sociedade actual e o que é mais valorizado pelos atores educativos nesta relação. Contextualizado numa escola da cidade de Lisboa, este estudo foi realizado numa turma de 2.º ano do 1.º ciclo do ensino básico com recurso a técnicas de recolha de dados: entrevista semiestruturada...

O papel do projecto “Academia Escola Mais” na mediação familiar

Silva, Filomena da
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 18/07/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.54%
Do envolvimento dos pais na vida escolar dos filhos, depende, em boa parte, também o envolvimento e aproveitamento escolar dos alunos (Henderson, 1987, Epstein, 1987, Davies, 1993, Zenhas, 2006, Sanches, 2007). Muitas crianças e jovens imigrantes têm insucesso escolar porque os currículos e os professores não estão preparados para respeitar e valorizar as diferenças linguísticas e culturais (Marques, 1997). Como consequência dessa inadaptação escolar, surge a desmotivação, o insucesso escolar, a ausência e o abandono escolar precoce. Para que o sucesso escolar dessas crianças e jovens se concretize é necessária a intervenção e colaboração de várias parcerias no processo do desenvolvimento da aprendizagem. O presente trabalho desenvolve-se no âmbito da implementação de um projecto de mediação familiar em contexto escolar. O objecto deste estudo é a análise de um estudo de caso - um Projecto de mediação familiar em curso numa escola de Amadora, num Território Educativo de Intervenção Prioritária (TEIP) em que se enquadram alunos provenientes de famílias imigrantes de diversas nacionalidades e de vários níveis socioeconómicos e culturais -. Tem como objectivos conhecer compreender, identificar, descrever e aprofundar as estratégias e actividades desenvolvidas e implementadas com vista à promoção do maior envolvimento das famílias na vida escolar dos alunos...

Adaptação do perfil de resiliência familiar à populaçâo portuguesa

Peixoto,Maria José; Martins,Teresa
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.4%
Este estudo teve como objectivo adaptar o Questionário de Perfil de Resiliência Familiar de McCubbin e McCubbin (1993) a uma amostra de familiares cuidadores. O instrumento multidimensional avalia a forma como a família desenvolve habilidades para se adaptar a situações de crise e é constituído por cinco escalas: Mudanças Familiares, Flexibilidade Familiar, Coerência Familiar, Envolvimento Familiar e Suporte Social. Recorreu-se a uma amostra de conveniência de 124 familiares cuidadores. Os participantes eram do sexo feminino 86,3% (107), casados 84,7% (105), reformados 46,0% (57), com uma média de idades de 61,2±12,3 anos, sendo na maioria, 42,7% (53) cônjuges ou filhos/as do recetor. O estudo das propriedades métricas do instrumento traduz uma boa fidelidade para a escala da Flexibilidade Familiar, Envolvimento Familiar e Suporte Social. Contudo, as escalas Mudanças Familiares e Coerência Familiar apresentaram uma baixa fidelidade. Sugere-se a realização de mais estudos para esclarecer sobre a validade de todo o instrumento.

O apoio familiar na perspectiva do paciente em reinternação psiquiátrica: um estudo qualitativo

Machado,Vanessa Cristina; Santos,Manoel Antônio dos
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.08%
Objetivou-se investigar a percepção do envolvimento familiar nos cuidados ao paciente, no paradigma da reabilitação psicossocial. Utilizou-se abordagem qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com 22 pacientes com reinternação psiquiátrica. A interpretação dos dados foi fundamentada no paradigma emergente da Atenção Psicossocial. Os entrevistados reconheceram a importância do apoio recebido dos familiares, tanto em termos práticos como afetivos, e admitiram as dificuldades impostas pela convivência com o sofrimento mental. Por outro lado, destacaram limitações nas relações familiares e, por conseguinte, nas possibilidades de cuidado recebido, o que conduz à incompreensão sobre o transtorno mental e à consequente desconfiança, bem como à superproteção que se confunde com privação de liberdade. Ao se considerarem esses aspectos, no contexto da desinstitucionalização, confirma-se a necessidade de a família ser incluída em intervenções de promoção de saúde, como protagonista das estratégias de reabilitação psicossocial.