Página 1 dos resultados de 130 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Envelhecimento activo: um desafio para os idosos não institucionalizados

Catanho, Ana Paula de Freitas Teixeira
Fonte: Universidade da Madeira Publicador: Universidade da Madeira
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 27/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.91%
Perante o progressivo envelhecimento da sociedade e o aumento da longevidade as questões relativas ao envelhecimento adquiriram um maior interesse e uma maior preocupação. Consequentemente, emergiu a política social do envelhecimento que pretende que os idosos sejam activos, ou seja, que participem nas questões sociais, económicas, culturais, espirituais e cívicas. Neste sentido, esta investigação pretende aferir o modo como os idosos não institucionalizados do concelho de São Vicente vivem o seu quotidiano e se o seu envelhecimento se enquadra no conceito de envelhecimento activo. Para isso, utilizámos simultaneamente os métodos quantitativo e qualitativo e recorremos às técnicas de inquérito por questionário e à entrevista. Como estratégia de pesquisa realizámos o estudo de caso onde participaram 12 idosos (6 homens e 6 mulheres). De forma a abranger os vários contextos sociais neste conjunto de indivíduos incluímos casais, viúvos que vivem sozinhos e ainda idosos que vivem acompanhados. Na globalidade deste estudo podemos concluir que o envelhecimento activo é um desafio para os idosos porque apesar destes se considerarem activos, pois ainda gozam de autonomia física e dedicam-se a actividades de lazer...

Envelhecimento Activo/Envelhecimento Saudável - Opinião dos Idosos do Concelho de Viana do Castelo

Castilho, Ana Rita de Faria
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.99%
Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem.; O forte crescimento do número de idosos torna-se um sinal positivo do desenvolvimento da sociedade. Porém, este aumento conduz a um acréscimo significativo nos custos de serviços de saúde e sociais, dependendo das condições de saúde e da capacidade funcional que a população idosa apresenta. Considerando que o envelhecimento faz parte natural do ciclo de vida humano, este deve constituir uma possibilidade para se viver de forma saudável, autónoma e independente, o maior tempo possível. Desde cedo, o ser humano deve optar por uma atitude preventiva e promotora da saúde e de autonomia na velhice, pensando no envelhecimento ao longo da vida. O presente trabalho, versa o tema: "Envelhecimento Activo/Envelhecimento Saudável- opinião dos Idosos do Conselho de Viana do Castelo", tendo como objectivos identificar os conhecimentos da pessoa idosa sobre o Envelhecimento Activo/Envelhecimento Saudável; conhecer os estilos de vida dos idosos face ao processo de envelhecimento; identificar as emoções experimentadas pelos Idosos face ao Envelhecimento; conhecer os factores que os Idosos identificam como condicionantes do processo de envelhecimento e identificar a percepção dos Idosos em relação à morte. Neste âmbito...

Envelhecimento ativo

Magalhães, Carlos Pires; Fernandes, Adília; Antão, Celeste
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Vila Real Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Vila Real
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
46.85%
O conceito “Envelhecimento Ativo” foi introduzido em 2002 pela Organização Mundial de Saúde, definindo-o como o “processo de optimização das oportunidades para a saúde, participação e segurança, para melhorar a qualidade de vida das pessoas que envelhecem” (pg. 12). O incremento da qualidade de vida preconizado como objectivo fulcral do envelhecimento activo, contempla não unicamente indivíduos saudáveis e activos, mas também indivíduos frágeis, fisicamente incapacitados ou que necessitem de cuidados. Este conceito é mais abrangente que o conceito de envelhecimento saudável, pois para além da saúde são tomadas em conta os aspectos socioeconómicos, psicológicos e ambientais (Ribeiro & Paúl, 2011). Num projecto de envelhecimento activo, para além das políticas e programas que incrementam a saúde física, são igualmente importantes aquelas que promovem as relações sociais e a saúde mental. Em Portugal, a promoção do envelhecimento activo constituía uma das estratégias de intervenção do Programa Nacional para a Saúde das Pessoas Idosas (DGS, 2004), programa este elaborado com o aval científico da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia. Com este trabalho pretende-se através de uma revisão da literatura...

Envelhecimento activo em alunos de Universidades Seniores: o papel do sentido da vida, mindfulness e perspectiva temporal enquanto factores de bem-estar

Cruz, Ana Cristina Fulgêncio
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.62%
O presente estudo teve como objectivo principal estudar o bem-estar dos alunos das Universidades Seniores para melhor compreender a problemática do envelhecimento activo e bem-sucedido. Especificamente procurámos investigar as relações existentes entre o bem-estar dos seniores com algumas variáveis como: o sentido da vida, a atenção mindfulness, a auto-eficácia, a auto-estima e a perspectiva temporal, bem como variáveis sociodemográficas. Para a realização deste estudo foi utilizado um plano não experimental correlacional, sendo os dados recolhidos por questionário com recurso aos seguintes instrumentos: MAAS, MLQ, Escalas PALADIN (saúde, educação, finanças, actividade e cidadania), ROS, SWLS, PANAS, ZTPI, PTFT. A amostra foi constituída por 214 alunos de 7 Universidades Seniores, com idades compreendidas entre os 51 e os 84 anos. Nos principais resultados obtidos verificámos que o bem-estar encontra-se associado à auto-eficácia para a auto-direcção nos domínios da saúde, educação, finanças, actividade e cidadania, bem como à presença e procura de sentido na vida, à atenção mindfulness, às orientações temporais relativas ao passado negativo, ao presente fatalista e ao futuro transcendental. A nível da perspectiva temporal...

Envelhecimento activo e autonomia : um desafio às Instituições particulares de Solidariedade Social com resposta social em centro de dia : um estudo de caso

Gaidão, Maria Clara da Silva Caetano Lopes
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.87%
Diante das incertezas que perpassam o crescente envelhecimento das populações ressalta o papel das Instituições de Solidariedade Social e das respostas sociais na protecção às pessoas idosas e no apoio às famílias, para conquista do bem-estar individual e colectivo. Com este estudo pretendeu-se determinar de que forma os serviços disponibilizados pela resposta social em Centro de Dia promovem a autonomia e o envelhecimento activo dos clientes. A autonomia está presente em todo o curso de vida da infância até a velhice numa dialéctica entre a condição de dependência e independência. Mas principalmente pela necessidade da autodeterminação que converge com a afirmação dos Direitos Humanos, subsidiário de um envelhecimento activo e digno. Deste modo a investigação decorreu sob o referencial teórico do envelhecimento activo da autonomia e das respostas sociais. Como metodologia de análise foi utilizada uma abordagem que aliou o qualitativo e quantitativo (plural mix). A investigação decorreu na resposta social em Centro de Dia da Associação dos Idosos e Deficientes do Penedo (AIDP). Para a recolha de dados optámos por instrumentos de inquirição directa aos técnicos responsáveis e aos clientes. No caso dos primeiros foram aplicadas duas entrevistas semi-directivas e no segundo um questionário semi-estruturado individual. Os resultados elucidam o papel que a resposta social em Centro de Dia assume na promoção da autonomia...

O envelhecimento activo : uma análise à luz de uma ética educativa crítica

Rocha, Maria Custódia Jorge da
Fonte: Serviço Social do Comércio (SESC) Publicador: Serviço Social do Comércio (SESC)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.67%
A ética é construída histórica e socialmente a partir das relações colectivas que as pessoas mantêm entre si nas suas práticas de sociabilidade educativa e reporta para o domínio dos valores. Neste artigo, a apresentação e análise de algumas orientações políticas internacionais relativas à problemática do envelhecimento activo permite problematizar o carácter tecnocrático e instrumental que perpassa nessas orientações de teor economicista e, simultaneamente, permite mostrar que os valores inerentes a uma educação “para a decisão, para a responsabilidade social e política, para o desenvolvimento e para a democracia” tendem a estar ausentes dessas orientações. Nesta sequência analítica, defendemos que na ausência de um código deontológico estatalmente legitimado, os educadores devem proceder à construção e consolidação de uma ética educativa crítica que lhes permita perceber as desconexões axiológicas entre o que a ética do mercado exige e o que uma ética educativa comporta. Uma ética educativa crítica torna-se assim condição fundamental para uma nova concepção de educação num mundo cada vez mais envelhecido mas, nem por isso, cada vez menos pensante. A “educação para o trabalho”...

Animação sociocultural : uma forma de educação permanente e ao longo da vida para um envelhecimento activo

Correia, Ana Catarina
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
Relatório de estágio de mestrado em Educação (área de especialização em Educação de Adultos e Intervenção Comunitária); O envelhecimento faz parte do ciclo de vida de um indivíduo e é um tema que preocupa a actualidade de Portugal. A população está cada vez mais envelhecida devido ao aumento da esperança média de vida e da diminuição da taxa de natalidade. Esta realidade provoca a reflexão sobre as infra-estruturas; apoios; políticas; que rodeiam a população idosa. Pelas suas características e pela mudança de papéis que ocorre nesta fase da vida, os idosos tornam-se mais vulneráveis, por vezes mais sós, sujeitos a depressões, isolamento e exclusão social. Nesta medida torna-se importante pensar no papel que as instituições podem ter para precaver ou atenuar estas situações, para além de satisfazerem as necessidades básicas da vida diária do idoso. Tendo sido o trabalho de intervenção realizado na Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis, procurou-se transmitir ao idoso a importância de desenvolver a educação ao longo da vida, e que através desta poderíamos contribuir para o envelhecimento activo e a sua qualidade de vida. Para impulsionar a educação ao longo da vida utilizamos como estratégia a animação sociocultural. Através desta foram desenvolvidas várias actividades-tipo (culturais...

A importância das TIC na promoção do envelhecimento activo

Faria, Jacinta de Fátima Alves
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Dissertação de mestrado em Marketing e Gestão Estratégica; Nas últimas décadas temos vindo a assistir a uma das mais importantes alterações demográficas na história da humanidade, o envelhecimento global da população, ao qual Portugal não se mantém alheio. Por ser um fenómeno inevitável e generalizado a todo o mundo, conduz a alterações estruturais das sociedades, reflectindo-se no crescimento económico, no mercado de trabalho, de capitais e de consumo, nos sistemas de saúde e apoio social, nas estruturas familiares e no próprio indivíduo. No sentido de enfrentar esta nova realidade procuramos compreender as dinâmicas deste fenómeno e, sobretudo, as consequências e desafios resultantes. Não restam dúvidas que o maior desafio consiste em encarar este fenómeno como uma experiência positiva, ao invés de um problema social, mas para que tal aconteça é fundamental enriquecer esta fase da vida humana com oportunidades contínuas de saúde, participação e segurança. Nesta investigação, pretendemos perceber qual o papel das novas tecnologias, nomeadamente as TIC, no processo de envelhecimento activo da população. Para além da sua importância na melhoria da gestão e prestação de cuidados de saúde e de serviços sociais...

Projecto de intervenção em saúde comunitária. Envelhecimento activo:amadurecer em saúde

Banza, Maria Manuela Serra
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
Dissertação de mestrado em Saúde comunitária, orientada por Helena José, Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Saúde.; Perante um mundo a envelhecer, torna-se fundamental olhar este fenómeno, não como um problema, mas como uma parte natural do ciclo de vida e uma oportunidade para viver de forma saudável e autónoma, o maior tempo possível. Tal implica uma actuação integrada, acompanhada de mudança de comportamentos e atitudes na população em geral, nos profissionais de saúde e noutras áreas de intervenção. Adequar os serviços de saúde à nova realidade social e familiar que acompanha o envelhecimento individual e demográfico, ajustar o ambiente e a oferta de cuidados às fragilidades que frequentemente acompanham a idade avançada, desenvolvendo estratégias capacitadoras dos cidadãos, torna-se um dos grandes desafios do presente. Pela experiência acumulada na prestação e gestão de cuidados de enfermagem em Cuidados de Saúde Primários, sustentada pelas orientações da Organização Mundial de Saúde e pelo Programa Nacional para a Saúde das Pessoas Idosas, elegemos esta área de intervenção. Com este projecto, propomo-nos contribuir para o envelhecimento activo, fomentando parcerias comunitárias promotoras de ganhos em saúde.

Envelhecimento activo e bem-sucedido

Moreira, Isaura Patrícia de Sousa
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.76%
No âmbito do Mestrado em Gerontologia Social, realizamos o nosso estágio curricular na Obra de Assistência Social da Freguesia de Sobrosa. Este estágio foi desenvolvido no âmbito do Projecto Criação e dinamização de um Centro de Convívio. Após termos conhecimento de toda a realidade, optamos por estudar o isolamento e o envelhecimento de forma a promover o envelhecimento activo e bem-sucedido. Neste sentido, elaboramos o respectivo enquadramento teórico, apresentando as diversas perspectivas dos autores lidos, de forma a permitir uma melhor compreensão dos conceitos. No que se refere à nossa intervenção salientamos que esta tem por base um objectivo geral e três objectivos específicos. Sendo o objectivo geral, prevenir o isolamento e o envelhecimento de forma a promover o envelhecimento activo e bem-sucedido; e os objectivos específicos fazer uma avaliação diagnóstica, criar os planos de desenvolvimento individuais e adaptar o plano de actividades a cada utente. Seguidamente referimos a metodologia, sendo o método de estudo de casos ou análise intensiva o mais adequado, pois este permitiu-nos analisar em profundidade situações particulares. No que respeita à obtenção e recolha de dados o método por nós utilizado foi o qualitativo. Este privilegia o caso singular e operações que não impliquem a quantificação e medida dos fenómenos. Importa ainda referir as técnicas às quais recorremos...

Deambulações do envelhecimento activo no curso do envelhecimento

Silva, Maria Eugénia Duarte
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.92%
Comunicação oral integrada no simpósio "Envelhecimento e saúde: Algumas experiências de vida”, apresentado no 9º Congresso Nacional de Psicologia da Saúde, Aveiro, Fevereiro de 2012.; A literatura na área da Psicogerontologia muito beneficiou, nas últimas décadas, com a introdução dos conceitos de envelhecimento activo, envelhecimento bem-sucedido, envelhecimento com êxito, envelhecimento óptimo, envelhecimento vital, envelhecimento produtivo. A própria OMS (2002) adoptou o modelo do envelhecimento activo apontando-o como relevante na promoção da saúde no curso de vida, possibilitando alcançar uma idade avançada, mantendo-se produtivo e revelando capacidades adaptativas. A onda de optimismo e de perspectivas positivas face ao envelhecimento tem um papel importante para contrapor o idadismo que assume discriminações em função da idade e que alimenta uma visão tendencialmente negativa do envelhecimento e da velhice. No presente trabalho, discutem-se algumas vicissitudes da progressão do processo de envelhecimento como a mais frequente ocorrência de alterações na funcionalidade, de doença crónica e de experiência subjectiva de menor saúde, particularmente na 4ª idade, apoiando-se em dados de investigação empírica. Reflecte-se sobre o modelo do envelhecimento consciente (Moody...

Envelhecimento activo e relações intergeracionais

Ferreira, Pedro Moura, 1958-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.78%
O envelhecimento da população é considerado um dos maiores desafios com que as sociedades contemporâneas actualmente se confrontam. Numa conjuntura sensível ao custo social e económico da terceira e quarta idades, a ideia de promover o envelhecimento activo tem vindo a ser desenvolvida. Na base das políticas que visam promover o envelhecimento saudável e a inclusão social dos idosos está a actividade, embora sem desconsiderar outros factores individuais e sociais (como o género, a classe, a saúde). Atendendo a que as ideias em torno do envelhecimento activo dominam as respostas políticas e sociais ao problema do envelhecimento, torna-se necessário fazer o inventário crítico do conceito e avaliar se não estaremos mais perante uma ideologia do que de um discurso científico em relação aos desafios que o envelhecimento da população coloca às relações intergeracionais.

A Universidade sénior como espaço de aprendizagem, socialização e envelhecimento activo: o estudo exploratório de um caso

Fernandes, Teresa Elisabete Esteves
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.85%
Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação – Especialização em Educação de Adultos; Um dos grandes desafios do século XXI tem sido o de compreender a importância que as Universidades Séniores têm para o idoso. Estas instituições assumem um papel relevante na vida dos idosos em várias vertentes. Desse modo, foi nosso objectivo tentar responder, no presente estudo, à questão central “A Universidade Sénior constitui-se como espaço de aprendizagem, socialização e envelhecimento activo?”. Realizou-se a revisão de literatura, enquadramento teórico, no que diz respeito às Universidades Séniores, definição, história e o seu alcance/impacto em Portugal, bem como o seu papel enquanto espaço de aprendizagem, socialização e envelhecimento activo. Dado que se tratava de um estudo exploratório de um caso, optámos por fazer uma pesquisa de campo na qual participaram 13 idosos, com idades compreendidas entre os 54 e 86 anos de idade, que frequentavam uma Universidade Sénior, em Portugal, na zona de Trás- os- Montes, participando igualmente o director e 6 formadores da referida instituição. A técnica de pesquisa utilizada foi a entrevista estruturada, sendo de salientar que foi dada total liberdade aos entrevistados. Foram aplicadas três entrevistas diferentes para os três agentes mencionados. As questões que dela faziam parte diziam respeito a três principais categorias de análise da investigação...

Envelhecimento da população portuguesa : algumas decorrências económicas

Sousa, Rui Miguel Vieira de
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.66%
Mestrado em Ciências Económicas; Este trabalho tem como objectivo analisai algumas consequências económicas do envelhecimento demográfico em Portugal. Baseando-nos, essencialmente, em projecções e documentos publicados por entidades nacionais e internacionais procuramos analisar a evolução da população portuguesa nas próximas décadas e alguns impactos a nível económico e social. O envelhecimento da população apresenta um conjunto de desafios como a sustentabilidade do sistema de segurança social, o crescimento económico, o envelhecimento activo e a produtividade. Mas também representa um conjunto de oportunidades como novos mercados económicos, novas profissões e a maior tolerância social. A dissertação está dividida em três partes: na primeira parte apresentamos os aspectos metodológicos do trabalho e o enquadramento demográfico de Portugal; na segunda parte enunciamos algumas políticas correctivas da tendência demográfica e alguns conceitos na abordagem ao envelhecimento; finalmente, na terceira parte analisamos a importância das redes de suporte e alguns impactos da evolução demográfica na economia portuguesa.; The main focus of this work is to analyze some economic impacts of ageing in Portugal. Using...

Capital social, envelhecimento activo e dinâmicas de liderança: um estudo sobre as organizações sociais de apoio à população idosa em Oeiras

Martins, Maria Isabel Redondo
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 28/05/2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.51%
Dissertação de Mestrado em Política Social; A presente tese tem como objecto de estudo as organizações de apoio à população idosa sediadas em Oeiras, com a particularidade de serem criadas e geridas por idosos; analisa a sua contribuição para o envelhecimento activo e produtivo dos associados, dinâmica de liderança, impacto na comunidade envolvente e papel como geradoras de capital social. A partir da análise do modelo de organização e funcionamento, entrevista aos seus líderes e questionário aplicado a uma amostra de associados, foram comparadas entidades previamente categorizadas de acordo com a sua orientação operativa em Convívio, Ensino e Conhecimento, e Apoio Psicossocial, e delineadas as suas semelhanças e singularidades, aferindo o desempenho de cada uma das tipologias a nível de produção de capital social. Os resultados alcançados permitiram determinar o papel do associativismo como fonte de capital social, o que pode ser potenciado pela tipologia da entidade, características do seu líder, bem como pela estrutura da organização e o seu relacionamento com o ambiente externo. Nas situações mais favoráveis pode surgir um compromisso cívico por parte dos líderes e associados, que gera um aumento de capital social a nível individual...

Políticas locais para o envelhecimento activo: um estudo no concelho da Sertã

Alcobia, Liliana Margarida Serra
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 02/05/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.92%
Dissertação de Mestrado em Política Social; A melhoria das condições de saúde e socioeconómicas, aliada aos progressos da tecnologia, contribuem para o aumento da longevidade da população. Paralelamente ao aumento da população idosa, o desequilíbrio entre homens e mulheres acentua-se devido ao forte aumento da longevidade feminina em relação à masculina. Se o envelhecimento da população é uma preocupação, não menos preocupante é o desafio que as sociedades têm: permitir que as pessoas vivam mais tempo, mas também que envelheçam com qualidade de vida e de forma activa. Devem-se assim unir esforços, colectivos e individuais, no sentido de promover o envelhecimento activo. Neste sentido, é importante perceber quais as políticas sociais para o envelhecimento activo adoptadas, no panorama Europeu, em Portugal, e concretamente no concelho da Sertã. Para isso, foram realizados questionários, a nível do concelho, às Instituições que prestam apoio social, a alunos da Academia Sénior da Sertã, a utentes de uma resposta social e a cidadãos comuns, de forma a perceber como o envelhecimento activo é vivido. Indo ao encontro das preocupações sobre este tema, o Parlamento Europeu decidiu que 2012 é o Ano Europeu do Envelhecimento Activo...

O envelhecimento activo / depressão em pessoas idosas: que intervenção nos cuidados de saúde primários em Portugal?

Maurício, I
Fonte: Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. Publicador: Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.51%
O aumento da população de idosos em Portugal, põe questões ao nível da sua qualidade de vida, e também da qualidade dos cuidados de saúde primários que lhes são prestados, no que respeita ao diagnóstico e tratamento da Depressão. Este aspecto é de crucial importância na promoção do Envelhecimento Activo, conceito que nos remete para a manutenção da motivação na vida laboral e social do idoso, mantendo a sua participação, dignidade e auto realização. É analisado o papel dos cuidados de saúde primários no diagnóstico e tratamento da Depressão.

Envelhecimento activo e educação para a saúde

Batinas, Maria de Fátima Sousa
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.85%
Objectivo: estudar o envelhecimento activo num grupo de idosos do concelho de Évora, contribuindo para a promoção do mesmo. Metodologia: trata-se de um estudo descritivo e exploratório, de abordagem quantitativa. A amostra em estudo integra idosos com pelo menos 65 anos de idade, frequentadores da universidade sénior de Évora, seleccionada por método não probabilístico de conveniência. Resultados: o estudo demonstra que estes idosos consideram como importantes a procura de novos conhecimentos, a ocupação dos tempos livres e o convívio. A maioria pratica actividade física, e, no geral, sentem-se satisfeitos com as possibilidades que têm para desenvolverem actividades que lhes agradam. Considerações finais: sendo a educação para a saúde uma estratégia da promoção da saúde, torna-se importante a sua aplicação para a promoção de um envelhecimento activo. Verificando-se que o grupo estudado mantém actividades físicas e intelectuais frequentes aposta-se na continuidade de actividades que possam manter e preservar o envelhecimento activo; ABSTRACT: Objective: Study the active ageing in a group of elderly people in the county of Évora, contributing to the promotion of the same. Method: It is a descriptive and exploratory study with a quantitative approach. The study sample includes elderly people with at least 65 years of age...

Envelhecimento activo em contexto institucional

Marques, Joana Alexandra Gonçalves
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.89%
Projecto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau Licenciada em Serviço Social; O presente trabalho dedica a sua atenção à problemática do Envelhecimento Activo em contexto Institucional, mais concretamente: conhecer o papel da instituição na promoção do envelhecimento activo, caracterizar o papel do responsável promotor do envelhecimento activo, aferir o tipo de actividades realizadas no âmbito desta temática, conhecer as principais limitações na promoção das actividades, e averiguar as estratégias para ultrapassar as dificuldades. O estudo tem como ponto de partida a análise da intervenção realizada na valência de Centro de Convívio de uma Instituição Particular de Solidariedade Social. Através de uma metodologia qualitativa, com o auxílio da técnica de entrevista em profundidade, semi-estruturada, pretendeu-se averiguar o tipo de abordagem realizada no âmbito do Envelhecimento Activo em contexto institucional, aferindo a especificidade da intervenção. Através da análise dos resultados foi possível concluir que é realizado um trabalho continuo no âmbito do envelhecimento activo. Apesar de existir uma grande dedicação e interesse no dinamismo da valência é possível identificar uma carência de apoios económicos que facilitem a realização de mais intervenções. Neste contexto foi possível perceber a importância do trabalho em rede como factor facilitar da promoção das actividades em contexto institucional...

Actividade física e envelhecimento activo : o incremento da prática de actividade física através de consultoria

Soares, Isabel Pedrosa
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
RESUMO: Num quadro de profundas transformações demográficas, o envelhecimento populacional coloca muitas questões à sociedade. A promoção da saúde e de comportamentos saudáveis desempenha um papel importante numa perspectiva de Envelhecimento Activo. Hoje em dia existem inúmeras evidências científicas de que a Actividade Física regular tem importantes benefícios, tanto a nível físico como psicológico, com um impacto significativo no bem-estar e na qualidade de vida das pessoas em todas as idades. Para fomentar a prática de Actividade Física há um envolvimento cada vez maior dos profissionais de saúde, visto serem figuras de referência para os pacientes. Desta forma, foi objectivo do nosso estudo verificar a existência de uma associação positiva entre a prática de Actividade Física e a Consultoria em Actividade Física, baseado nas seguintes variáveis: análise sócio-demográfica dos indivíduos; percepções e práticas de Actividade Física. Para tal estudámos uma amostra de conveniência, seleccionada a partir dos utentes de ambulatório das Unidades de Saúde Familiar de Benfica e Carnide, constituída por 5 pessoas, todas do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 50 e os 65 anos...