Página 1 dos resultados de 226 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Ao redor e através da prisão: cartografias do dispositivo carcerário contemporâneo; Around and through the prison: cartography of the contemporary penal mechanism

Godoi, Rafael
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.06%
Nesse trabalho, a incidência da prisão para além de seus limites físicos e institucionais é problematizada a partir da exploração e confrontação de dois contextos sociais distintos: a Catalunha e São Paulo. Os vasos comunicantes que conectam a prisão a outros territórios sociais, bem como as experiências de diversos agentes que fazem a mediação entre o mundo prisional e a sociedade mais ampla, são questões abordadas através de uma perspectiva analítico-descritiva, visando evidenciar a produção de um multifacetado campo social estruturado ao redor e através das instituições prisionais. Explorando diferentes trajetórias que se conformam nesse campo é possível problematizar algumas das circunstâncias do processo de massificação do encarceramento, assim como outras importantes alterações recentes no dispositivo carcerário contemporâneo.; This work intends to problematize the impacts of prison beyond its physical and institutional limits. Such aim is achieved through exploration and confrontation of two different social contexts: Catalonia and São Paulo. The communicating vessels, which connect jail to other social territories, and the experience of several agents, that provide mediation between prison and the rest of society...

O uso de monitoração eletrônica como alternativa ao encarceramento

Scheffer, Fabricio da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.06%
Este trabalho tem como objetivo discutir os prós e contras no uso da monitoração eletrônica em presos. Uso como referência Lei 12.258 que alterou o Código penal e a LEP permitindo o uso do equipamento e a alteração no art. 319 do Código de Processo Penal ocorrida com a Lei 12.403 de 04 de maio de 2011 que permite como medida cautelar a monitoração eletrônica. Mostro a falência do atual modelo de execução penal e procuro justificar o uso dos equipamentos eletrônicos como alternativa ao encarceramento. Para isso, faço uma descrição sobre as formas tradicionais de prisão (prisão-pena e prisão-processo) e discuto as penas e medidas alternativas e suas aplicações. Nesse contexto, verifico a aplicação do monitoramento sanção, monitoramento processual e o monitoramento auxiliar. Faço também um panorama do uso do equipamento eletrônico em alguns países, com destaque em sua utilização prática no Brasil. Finalizo com dois relatórios sobre o uso da vigilância eletrônica: o primeiro da experiência no Estado da Flórida e outro feito na 7ª conferência europeia sobre o rastreamento eletrônico.; This paper aims at discussing the pros and contraries in the use of electronic monitoring on arrested people. Used as reference the 12.258 law which has altered the Penal Code and the LEP allowing the using of the equipment and the alteration in the art. 319 of the Code of Criminal Procedure with the 12.403 Law of 04 of May 2011...

Novas formas de encarceramento?: os jovens e o centro de ressocialização

Vedovello, Camila de Lima
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 236 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
27.35%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciências Sociais - FFC; A prisão enquanto principal forma de punição aparece nas sociedades num período recente. Ela surge como a forma de punição por excelência a partir do século XIX com a sociedade industrial. No Brasil e no Estado de São Paulo, é com o advento da República e as idéias de progresso advindas com ela que se começa a pensar a prisão com uma maior acuidade; pois existia um forte pressuposto de que o desenvolvimento estava acoplado ao controle da criminalidade por meio da punição prisional. Nos últimos anos, o Governo do Estado de São Paulo vem implantando uma política de descentralização e de ampliação do número das unidades prisionais, acompanhando a política de mais encarceramento implementada em diversos países do ocidente. Uma das formas de descentralização ocorreu através da implantação dos chamados Centros de Ressocialização (CR), sendo que cada unidade abriga poucos detentos, com baixo grau de periculosidade. Nesse sentido, o trabalho aqui exposto aborda os jovens encarcerados em uma das unidades do CR no interior do Estado de São Paulo, onde entrevistamos doze detentos - com idades entre 18 e 21 anos -...

O aumento no encarceramento e a redução nos homicídios em São Paulo, Brasil, entre 1996 e 2005

Nadanovsky,Paulo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.53%
O desenvolvimento social dos estados do Brasil não tem sido acompanhado pela redução nas taxas de homicídio. O Estado de São Paulo é uma exceção positiva, porque nele houve uma clara redução na taxa de homicídio entre 1999 e 2005. Naquele estado houve um aumento marcante na taxa de encarceramento, que antecedeu, e logo em seguida coincidiu, com um declínio igualmente expressivo na taxa de homicídio. Um teste bivariado de causalidade de Granger revelou que valores passados de encarceramento ajudaram a prever homicídio no Estado de São Paulo entre 1999 e 2005. Apesar de não ser possível concluir que essa relação seja causal, constatou-se uma associação temporal clara, compatível com a interpretação de que o aumento no encarceramento de criminosos exerceu seu efeito incapacitador e/ou dissuador do crime em São Paulo. Outros fatores não avaliados neste estudo podem ter causado a redução do homicídio no Estado de São Paulo entre 1999 e 2005.

O encarceramento em massa em São Paulo

Sinhoretto,Jacqueline; Silvestre,Giane; Melo,Felipe Athayde Lins de
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.53%
A população prisional de São Paulo cresce acentuadamente. Mais de 30% dos presos do país se distribui pelas 154 unidades prisionais paulistas. A política de descentralização das prisões e encarceramento em massa focaliza acusados por crimes patrimoniais e de drogas, jovens, homens e oriundos das periferias urbanas. O artigo aborda desdobramentos do encarceramento em massa, resultantes das normas e moralidades que regem a vida nas prisões, sobretudo as formas de compartilhamento entre a administração e os internos e seus familiares na gestão do cotidiano na prisão. Tal compartilhamento ultrapassa os limites físicos das prisões, produzindo efeitos sobre os mecanismos do encarceramento e o seu crescimento. Observou-se a negociação entre instâncias da administração penitenciária, os grupos organizados de presos e seus familiares para manter a ordem interna e para a execução das tarefas do tratamento penitenciário. A intensificação do controle social repressivo centralizado é tensionada pela oposição complementar de um controle social difuso, fundamentado nos dispositivos de segurança compartilhados entre os agentes que participam da gestão da vida na prisão.

Justiça penal autoritária e consolidação do estado punitivo no Brasil

Pastana,Débora
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
A transição democrática brasileira, ainda em curso, tem esbarrado na enorme dificuldade em inserir a atuação penal nesse paradigma político. Mais do que isso, os limites ao processo de democratização, demarcados na atuação desse setor estatal, nos remete à idéia de que o campo jurídico ficou imune às mudanças democráticas. Mesmo que o discurso corrente entre os profissionais do Direito afirme a democratização da Justiça Penal, observa-se, na prática, uma forte resistência do campo jurídico em assumir a sua responsabilidade política na consolidação democrática. Este artigo reporta análises e conclusões formuladas a partir de observações sobre a Justiça Penal brasileira e que deram origem à tese intitulada "Justiça Penal no Brasil atual: discurso democrático - prática autoritária". O objetivo dessa pesquisa foi refletir sobre a política criminal contemporânea, voltada à ampliação da repressão e ao uso contínuo do encarceramento. Tal política, realizada no Brasil logo após a abertura política, ocorrida em 1985, ajustase ao projeto liberal também em curso no país e em praticamente todo o Ocidente capitalista. Como pode ser observado, a Justiça Penal, mesmo durante a execução da pena, opera de forma autoritária e excludente...

Expressões da homossexualidade feminina no encarceramento: o significado de se "transformar em homem" na prisão

Barcinski,Mariana
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
Mediante uma perspectiva de gênero, o presente trabalho tem como objetivo investigar as especificidades da homossexualidade feminina no encarceramento. Pela análise do discurso de entrevistas realizadas com duas mulheres encarceradas em uma unidade prisional feminina, trataremos dos significados atrelados ao "se transformar em homem" na prisão. As duas entrevistadas assumiram, dentro do cárcere, posturas, nomes e aparência masculinas e passaram, desde então, a ser reconhecidas por outras internas e pelo próprio staff do presídio como homens. O objetivo é entender que tipos de privilégios tais mulheres adquirem como resultado da adoção de padrões de comportamentos tipicamente masculinos. Os resultados atestam que as duas participantes experimentam o status e os direitos usualmente associados ao masculino, tais como a poligamia e o uso legitimado da força, reproduzindo no espaço intramuros a organização hierárquica que marca as relações heterossexuais na sociedade mais ampla.

Os impactos econômicos da atuação do sistema penal: vida virtual, isolamento e encarceramento em massa

Graziano Sobrinho,Sergio Francisco Carlos
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
Este artigo objetiva compreender a atuação do sistema penal brasileiro a partir dos índices de encarceramento dos últimos 20 anos, interagindo o conceito econômico da maximização dos lucros com o discurso criminológico da seletividade do sistema penal. As transformações discursivas no campo das políticas criminais, caracterizadas por uma constante e forte repressão penal, passando do "previdenciarismo penal" (correção) ao aumento das punições, sofrem importante interferência do modelo econômico, em especial modulando as práticas de encarceramento com interesses privados e produzindo significativo aumento dos índices de encarceramento, permanente seletividade da atuação do sistema penal e transformações, tanto no modo de vida contemporâneo como na atuação e nas estruturas dos órgãos de controle e de justiça criminais.

O novo estado punitivo norte-americano: políticas criminais, reformas penalógicas e o encarceramento massivo

Camargo, Maria Clara de Lima
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
27.35%
A presente dissertação tem por objetivo explorar as transformações políticocriminais e penológicas ocorridas nos Estados Unidos a partir da crise e falência do welfarismo penal e do advento da modernidade recente, a fim de que se possa compreender o efeito mais alarmante dessa virada de paradigma: o encarceramento massivo. Em um primeiro momento, far-se-á a análise destas modificações à luz dos diversos discursos criminológicos, das investigações sociológicas, dos discursos políticos e considerando os muitos aspectos que repercutiram na formação, consolidação e crise do welfarismo penal. Em um segundo momento, far-se-á a apresentação do que se denominou de “Novo Estado Punitivo Norte-americano”, abordando-se todos os movimentos político-criminais que fundamentaram esse novo cenário de controle do delito e punição. Nesse mesmo esforço narrativo e argumentativo, será exposta a teoria penológica do Merecimento Justo, por ser esta, o fundamento principiológico da construção dos novos critérios de aplicação da pena e, também, porque tal teoria vem em resposta a uma crise no sistema penal, em especial quanto à punição. Num último momento, pois, discutir-se-á a questão do encarceramento massivo como conseqüência direta desses entrelaçamentos...

As configurações da situação de encarceramento de idosos em Porto Alegre/RS

Wacheleski, Nadia Regina
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
27.35%
Este trabalho procura conhecer as configurações da situação de encarceramento de idosos, tendo como cenário de pesquisa o Presídio Central de Porto Alegre/RS. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que aborda o fenômeno estudado, a partir da triangulação de diferentes correntes teóricas e de distintas técnicas de pesquisa social. A construção epistemológica do estudo teórico sobre o tema consubstanciada na revisão bibliográfica e na pesquisa documental fundamenta-se nos referenciais do materialismo histórico e dialético, da criminologia crítica e da gerontologia social. Participaram como colaboradores do trabalho por livre e espontânea vontade dez idosos presos com mais de sessenta anos de idade. O experiênciado dos idosos com o cárcere foi narrado por eles em entrevistas de história oral temática. A história oral temática foi a principal técnica de coleta utilizada resultando dela histórias e não dados. O instrumento que viabilizou sua aplicação foi o roteiro de história oral temática organizado por eixos temáticos que visaram a construção de uma apreensão ontológica da realidade. A técnica de observação participante com recurso ao diário de campo permitiu o registro de notas sobre o cotidiano e o desenvolvimento da pesquisa contribuindo significativamente para a análise das interconexões e dos múltiplos determinantes envolvidos no encarceramento de idosos.A pesquisa permite maior visibilidade às experiências sociais de cárcere dos idosos...

À sombra do encarceramento: o entorno das prisões

Gonzaga, Vanessa Portes Galvão
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
27.53%
À sombra do encarceramento é um título sugestivo para esta tese. Sombras perseguem, escondem, ameaçam, dominam, e, por vezes, “assombram”. As sombras são também veículos que transportam magníficas imagens psicológicas: não gozam de boa reputação, são sempre associadas ao que é enganoso, perigoso, ameaçador. Em geral, carregam significações negativas, estranhas, invasivas. Andam sempre envoltas na suspeita e no medo. As sombras são misteriosas e sedutoras, escuras e inquietantes. Não inspiram confiança e não são boas companhias. Pensar na riqueza das metáforas e das histórias inventadas sobre as sombras trouxe-me inspiração para a escrita da tese. Que outra imagem poderia ser tão apropriada para representar (ou irrepresentar) os sentimentos que uma pessoa passa a experienciar a partir do encarceramento de um parente próximo? Ter um familiar na prisão é como estar na companhia ininterrupta de uma sombra: uma sombra maldita e amaldiçoada que persegue e não se afasta. É nesse sentido que esta pesquisa se dedica ao estudo do entorno prisional, desenhado pelas famílias que passam a residir nas proximidades dos presídios para continuarem mantendo o vínculo com o parente preso e, dessa forma, partilharem a prisão. Além disso...

Uso de Interfaces Cérebro-computador na comunicação de pessoas com Síndrome de Encarceramento

Pereira, Joaquim José Sobral
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Engenharia do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Engenharia do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
Os avanços nas Interfaces Cérebro-máquina, resultantes dos avanços no tratamento de sinal e da inteligência artificial, estão a permitir-nos aceder à atividade cerebral, descodificá-la, e usála para comandar dispositivos, sejam eles braços artificiais ou computadores. Isto é muito mais importante quando os utilizadores são pessoas que perderam a capacidade de comunicar, embora mantenham as suas capacidades cognitivas intactas. O caso mais extremo desta situação é o das pessoas afetadas pela Síndrome de Encarceramento. Este trabalho pretende contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas afetadas por esta síndrome, disponibilizando-lhes um meio de comunicação adaptado às suas limitações. É essencialmente um estudo de usabilidade aplicada a um tipo de utilizador extremamente diminuído na sua capacidade de interação. Nesta investigação começamos por compreender a Síndrome de Encarceramento e as limitações e capacidades das pessoas afetadas por ela. Abordamos a neuroplasticidade, o que é, e em que medida é importante para a utilização das Interfaces Cérebro-máquina. Analisamos o funcionamento destas interfaces, e os fundamentos científicos que o suportam. Finalmente, com todo este conhecimento em mãos...

A onda de encarceramento aliada ao fenômeno das privatizações nos estados unidos da américa: influência no Brasil

Arratia, Flávia Aparecida Pires
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.65%
O fenômeno do encarceramento em massa, que se observa nas diversas sociedades contemporâneas, é tema discutido por uma parcela significativa de autores que denunciam ser este fenômeno uma resultante do capitalismo globalizado neoliberal, em cujo cenário, o crime é visto como um produto e o controle do crime visto como um mercado. Associado a esta ideia, quanto maior for o índice de crimes praticados maior será o lucro. Assim, a indústria do controle do crime reinventa técnicas para fiscalizar, comandar e punir e se beneficia do crescimento do encarceramento. Observa-se a diminuição do Estado de bem-estar social e o crescimento do Estado penal, este adquire novas funções em uma época na qual os postos de trabalho, cada vez mais, tornam-se escassos e a desigualdade social se agrava. Desta forma, alguns autores consignam que existe hoje uma criminalização da miséria, já que constantemente são alvos do sistema de justiça criminal indivíduos pobres, negros e favelados, cidadãos que não se amoldaram a nova diretriz do capitalismo vigente, qual seja o consumo. O sistema carcerário adquire função principal de neutralização daquele indivíduo que não dispõe de capacidade financeira para integrar a nova sociedade consumerista. A partir desses pontos...

Sistema prisional ??? demandas para a psicologia

Macedo, Fernando Rodrigues
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.35%
O objetivo do presente trabalho monogr??fico ?? discorrer sobre a Psicologia no sistema prisional brasileiro ao tratar do ser humano ap??s sua priva????o de liberdade. Faz abordagem dos pilares filos??ficos do sistema prisional, o sistema penitenci??rio na atualidade e sua presente realidade, evidenciando, que o encarceramento da pessoa n??o o reintegra ?? sociedade, visto que o sistema prisional atual deve passar por profundas mudan??as para que alcance o status de reintegrador do homem. Um tema atual, pol??mico, rico em detalhes e opini??es que nos fazem refletir sobre dois conflitos: de um lado o psic??logo, que tenta resgatar o homem ao conv??vio social, dedicando-se de todas as formas a desempenhar seu trabalho para a melhoria da sa??de psicol??gica do preso, e, do outro lado, o sistema prisional, escasso de pol??ticas p??blicas e programas voltados para a reintegra????o do preso ?? sociedade. Sem se ter um diagn??stico claro dos efeitos do encarceramento sobre o indiv??duo, as pr??ticas p??blicas encontram grande dificuldade para produzir real reintegra????o. Sem d??vida esse ?? um desafio que convida a Psicologia para produ????o de respostas que tornem a atua????o p??blica eficiente, eficaz e efetiva.

Combatendo homicídios no Brasil: o que funciona em São Paulo funciona na Bahia?; Texto para Discussão (TD) 1979: Combatendo homicídios no Brasil: o que funciona em São Paulo funciona na Bahia?; Fighting homicides in Brazil: what works in São Paulo works in Bahia?

Sachsida, Adolfo; Mendonça, Mario Jorge Cardoso de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
27.35%
O objetivo central deste estudo é verificar se as políticas de repressão aos homicídios têm efeitos similares em diferentes estados. Esses métodos de repressão ao crime podem ser divididos em: políticas de incapacitação (encarceramento) e políticas de detenção (taxas de policiamento). Usando dados de homicídio, tanto oficiais como os estimados por Cerqueira (2013), constatou-se que estratégias policiais parecem fazer diferença no combate aos homicídios, o que contradiz o estudo de Levitt (2004) para os Estados Unidos. Sendo assim, os resultados encontrados sugerem que diferentes estratégias policiais podem ter impactos distintos no combate ao crime. Além disso, constatou-se que a mudança na lei de combate às drogas, de 2006, teve como consequência não desejada enfraquecer o impacto da taxa de encarceramento sobre a taxa de homicídios.; 33 p. : il.

Develpment of crime, social change, mass media, crime policy, sanctioning practice and thier impact on prison population rates

Cid Moliné, Josep; Larrauri, Elena
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2009 ENG
Relevância na Pesquisa
27.53%
Spain has suffered a big increase of imprisonment between 1980 and 2006, passing from an average prison population of 17,000 prisoners in 1980 to 63,000 in 2006, meaning a growth of 266% in average prison population in 26 years. In order to explore the reasons for this increase in prison population, this paper proposes that is useful to distinguish two main periods: a) 1980-1994 (increase in prison population, followed by stability between 1995 and 2000, and b) 2001-2006 (a second increase in prison population). During these two periods, the growth of incarceration rates is higher in the first period (12% average increase per year) than in the second (6% average increase per year). More recent trends seem to announce an even more pronounced escalation of imprisonment in the foreseeable future. Authors proposes that the two trends that in Spain contribute to the enlargement of the prison incarceration rates, the larger time served by prisoners and the criminalization of new phenomena, will continue in the future.; A Espanha sofreu um grande aumento das taxas de encarceramento entre 1980 e 2006, passando de uma população carcerária média de 17.000 presos em 1980 para 63.000 em 2006, significando um crescimento de 266% na população carcerária média em 26 anos. A fim de explorar as razões para este aumento da população prisional...

Correlação entre HIV e HCV em prisioneiros brasileiros: evidência de transmissão parenteral no encarceramento; Correlation between HIV and HCV in Brazilian prisoners: evidence for parenteral transmission inside prison

Burattini, MN; Massad, E; Rozman, M; Azevedo, RS; Carvalho, HB
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2000 ENG
Relevância na Pesquisa
27.35%
OBJECTIVE: It is an accepted fact that confinement conditions increase the risk of some infections related to sexual and/or injecting drugs practices. Mathematical techniques were applied to estimate time-dependent incidence densities of HIV infection among inmates. METHODS: A total of 631 prisoners from a Brazilian prison with 4,900 inmates at that time were interviewed and their blood drawn. Risky behavior for HIV infection was analyzed, and serological tests for HIV, hepatitis C and syphilis were performed, intended as surrogates for parenteral and sexual HIV transmission, respectively. Mathematical techniques were used to estimate the incidence density ratio, as related to the time of imprisonment. RESULTS: Prevalence were: HIV -- 16%; HCV -- 34%; and syphilis -- 18%. The main risk behaviors related to HIV infection were HCV prevalence (OR=10.49) and the acknowledged use of injecting drugs (OR=3.36). Incidence density ratio derivation showed that the risk of acquiring HIV infection increases with the time of imprisonment, peaking around three years after incarceration. CONCLUSIONS: The correlation between HIV and HCV seroprevalence and the results of the mathematical analysis suggest that HIV transmission in this population is predominantly due to parenteral exposure by injecting drug...

O encarceramento em massa em São Paulo; Mass incarceration in São Paulo

Sinhoretto, Jacqueline; Silvestre, Giane; Melo, Felipe Athayde Lins de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.53%
São Paulo's prison population has grown sharply. More than 30% of the country's prisoners are found in the 154 prison establishments in the state. The policy of decentralizing prisons and mass incarceration focuses on people accused of property and drug-related crimes, typically young, male and living in urban peripheries. The article explores the repercussions of mass incarceration resulting from the norms and moralities governing prison life, especially the collaboration between prison administrations, inmates and their families in managing the daily life of the prison. This collaboration extends beyond the physical limits of the prisons, influencing the mechanisms determining incarceration and the increase in prison populations. The study observed negotiations between the administrations and organized groups of inmates and their families towards the shared goal of maintaining internal order to enable the work involved in penitentiary practices. The intensification of centralized forms of repressive social control is counterbalanced by the complementary opposition of a diffuse social control, grounded in the security procedures shared among the agents participating in the management of prison life.; A população prisional de São Paulo cresce acentuadamente. Mais de 30% dos presos do país se distribui pelas 154 unidades prisionais paulistas. A política de descentralização das prisões e encarceramento em massa focaliza acusados por crimes patrimoniais e de drogas...

The Economic Impacts of the Penal System Performance: virtual life, isolation and mass incarceration; ; Os impactos econômicos da atuação do sistema penal: vida virtual, isolamento e encarceramento em massa

Graziano Sobrinho, Sergio Francisco Carlos; Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Fonte: Fundação José Arthur Boiteux Publicador: Fundação José Arthur Boiteux
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2014v35n69p133This article aims to understand the role of the criminal justice system from the incarceration rates of the past 20 years, interacting economic concept of profit maximization with the criminological discourse of selectivity of the penal system. The discourse transformations in the field of criminal policy, characterized by a constant and strong prosecution, passing “penal welfarism” (correction) the increase in punishment, suffer significant interference from the economic model, in particular modulating the practices of incarceration with private interests, producing a significant increase in incarceration rates, permanent selectivity of action of the penal system and the changes in both the contemporary way of life as the action of the organs and structures of control and criminal justice.; ; http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2014v35n69p133Este artigo objetiva compreender a atuação do sistema penal brasileiro a partir dos índices de encarceramento dos últimos 20 anos, interagindo o conceito econômico da maximização dos lucros com o discurso criminológico da seletividade do sistema penal. As transformações discursivas no campo das políticas criminais...

O aumento no encarceramento e a redução nos homicídios em São Paulo, Brasil, entre 1996 e 2005

Nadanovsky,Paulo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.53%
O desenvolvimento social dos estados do Brasil não tem sido acompanhado pela redução nas taxas de homicídio. O Estado de São Paulo é uma exceção positiva, porque nele houve uma clara redução na taxa de homicídio entre 1999 e 2005. Naquele estado houve um aumento marcante na taxa de encarceramento, que antecedeu, e logo em seguida coincidiu, com um declínio igualmente expressivo na taxa de homicídio. Um teste bivariado de causalidade de Granger revelou que valores passados de encarceramento ajudaram a prever homicídio no Estado de São Paulo entre 1999 e 2005. Apesar de não ser possível concluir que essa relação seja causal, constatou-se uma associação temporal clara, compatível com a interpretação de que o aumento no encarceramento de criminosos exerceu seu efeito incapacitador e/ou dissuador do crime em São Paulo. Outros fatores não avaliados neste estudo podem ter causado a redução do homicídio no Estado de São Paulo entre 1999 e 2005.