Página 1 dos resultados de 3046 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

As emoções em contexto de trabalho:implicações positivas e negativas da sua gestão

Saraiva, Carla Sofia Martins
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
O objectivo principal deste trabalho conceptual é o de contribuir para o aprofundamento das questões ligadas à gestão das emoções em contexto de trabalho e para a compreensão das suas implicações (positivas e negativas) para o comportamento organizacional. Ao longo das últimas décadas, o interesse pelo estudo das emoções em contexto de trabalho tem ganho maior protagonismo, derivado da emergência de preocupações relacionadas com outras temáticas (e.g., liderança, qualidade de vida no trabalho, satisfação). Essa relação merece atenção adicional, pois possibilita uma melhor compreensão do comportamento organizacional (Mann, 2004). A gestão das emoções ocorre, com maior ou menor frequência, no dia-a-dia de trabalho, e sendo uma característica proeminente do ambiente organizacional tende a fazer parte da função e/ou requisito do próprio desempenho das pessoas. Neste sentido, o conceito de emotional labor foi apontado como o esforço requerido para gerir adequadamente as emoções, de acordo com as exigências organizacionais. A literatura revista sugere que os indivíduos gerem as suas emoções no seu ambiente de trabalho com o intuito de obterem algum tipo de benefício para si ou mesmo para a organização. De entre algumas das funcionalidades dessa gestão sublinham-se a produção e melhoramento de estados emocionais associados ao bom desempenho e à optimização do mesmo; a eliminação ou minimização de estados emocionais que possam estar associados ao fraco desempenho ou a perigos relativos à saúde (Evison...

A influência das emoções básicas nos géneros

Campos, Bárbara Alexandra Latães
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Ao longo dos anos o estudo das emoções tem vindo a ser alvo crescente de investigação, há cada vez mais interesse sobre o tema, sobretudo pelo papel preponderante que as emoções exercem sobre o desenvolvimento global do ser humano, no seu processo de construção quer a nível pessoal, académico ou profissional. O presente estudo é designado ―A influência das Emoções Básicas nos Géneros e tem como objectivos: analisar o padrão de identificação das emoções em ambos os géneros, analisar o padrão de identificação das emoções em diferentes idades e analisar o padrão de identificação das emoções perante os diferentes estímulos. Este estudo tem como principal objectivo caracterizar o conceito de emoção em crianças com idades compreendidas entre os 7 e os 12 anos, de ambos os géneros, de uma escola privada na área geográfica de Aveiro. Através de um questionário serão recolhidos os dados socio-demográficos, informações sobre o conceito de emoção e interpretação de estados emotivos. Os dados obtidos foram utilizados para verificar a relação entre a formação e organização do conceito de emoção, e as variáveis idade e género. A investigação passou por uma revisão bibliográfica exposta no primeiro capítulo – Fundamentação Teórica -...

O medo de emoções positivas: possíveis origens do medo da felicidade e a sua relação com sintomas psicopatológicos

Nogueira, Andreia da Costa
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Devido a uma mudança no foco da investigação na Psicologia, diversos estudos recentes têm dado mais relevância às emoções positivas e ao seu papel no desenvolvimento do ser humano. Ainda, uma linha recente de investigação tem-se debruçado nas diferenças individuais na experiência de emoções positivas, e no facto de alguns indivíduos experienciarem estas emoções de forma negativa. Com o objetivo de explorar as crenças negativas associadas às emoções positivas, este estudo centra-se principalmente na exploração do Medo da Felicidade. Inicialmente procedeu-se à validação da Escala do Medo da Felicidade para a população portuguesa. Para além disso, pretendeu-se compreender os fatores preditores deste constructo e explorar as suas possíveis origens. Os resultados demonstraram que a Escala do Medo da Felicidade apresentou boas propriedades psicométricas. Revelaram, ainda, que os indivíduos que têm mais medo de ser feliz apresentam mais dificuldades em diversas áreas da sua vida (e.g. emocional, interpessoal). Mais especificamente, os resultados sugerem que a ausência de memórias precoces de calor e segurança podem estar na origem do medo de emoções positivas, particularmente do Medo da Compaixão e do Medo da Felicidade. Para além disso...

O reconhecimento de expressões de emoções básicas e auto-conscientes na população portuguesa

Rosa, Tânia Filipa Soeiro de Azevedo e Fontes
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
Em finais da década de sessenta, um grupo de investigadores descobriu que para um conjunto de emoções básicas existem expressões não-verbais distintas, universais, e provavelmente inatas. Desde então, multiplicaram-se os estudos em diferentes culturas que pretendem testar a tese da universalidade. Muitos deles consistiram no desenvolvimento e validação de sistemas de codificação de acção muscular facial para as expressões das diferentes emoções. Recentemente, têm surgido evidências de universalidade das expressões de algumas emoções auto-conscientes. Esta investigação teve como objectivo testar o comportamento na população portuguesa do University of California, Davis, Set of Emotion Expressions, ou UCDSEE (Tracy, Robins, & Schriber, 2009), um conjunto de 47 fotografias com expressões emocionais básicas e auto-conscientes. Participaram nesta investigação 427 estudantes universitários, a quem foi pedido que as observassem e identificassem as respectivas emoções. As expressões das emoções em estudo foram reconhecidas pela população portuguesa num nível superior ao acaso, exceptuando as de vergonha. O reconhecimento das expressões das emoções básicas foi superior ao das emoções auto- conscientes. O UCDSEE mostrou-se adequado para futuros estudos com a população portuguesa.; Orientador: Américo Baptista

Juízos e emoções morais de adolescentes sobre atitudes de exclusão de pares com deficiência

Espiga, Catarina Inês Costa
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
A inclusão de sujeitos com deficiência depende bastante das atitudes que os pares adotam nos contextos efetivos de interação. Lidar com sujeitos com caraterísticas diferentes da maioria dos pares desafia os estereótipos e a capacidade de tolerância e solicita a utilização de princípios de igualdade e justiça e, de empatia. A exclusão de sujeitos com deficiência pode ser, portanto, influenciada por juízos e por emoções morais, duas componentes importantes para a avaliação da ação moral. Neste estudo analisámos a relação entre a avaliação moral efetuada pelos adolescentes e os juízos que fazem sobre a justeza da inclusão de pessoas com essas caraterísticas da motivação para interagir com elas. Para avaliar os juízos e emoções morais utilizámos uma versão traduzida por Ferreira (2012) da Survey Instrument for Measuring Judgments about Emotions about Exclusion (Malti, Killen & Gasser, 2012) que incluiu três histórias de exclusão de sujeitos com deficiência motora, mental e sensorial. Participaram no estudo 109 adolescentes, de dois grupos etários, os mais novos com média de idade de 13, 06 e os mais velhos com média de idade de 15,05. Os adolescentes mais velhos expressam juízos e emoções atribuídas ao excludente mais positivas que os mais novos...

Modelagem computacional para reconhecimento de emoções baseada na análise facial; Computational modeling for emotion recognition based on facial analysis

Libralon, Giampaolo Luiz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.21%
As emoções são objeto de estudo não apenas da psicologia, mas também de diversas áreas como filosofia, psiquiatria, biologia, neurociências e, a partir da segunda metade do século XX, das ciências cognitivas. Várias teorias e modelos emocionais foram propostos, mas não existe consenso quanto à escolha de uma ou outra teoria ou modelo. Neste sentido, diversos pesquisadores argumentam que existe um conjunto de emoções básicas que foram preservadas durante o processo evolutivo, pois servem a propósitos específicos. Porém, quantas e quais são as emoções básicas aceitas ainda é um tópico em discussão. De modo geral, o modelo de emoções básicas mais difundido é o proposto por Paul Ekman, que afirma a existência de seis emoções: alegria, tristeza, medo, raiva, aversão e surpresa. Estudos também indicam que existe um pequeno conjunto de expressões faciais universais capaz de representar as seis emoções básicas. No contexto das interações homem-máquina, o relacionamento entre ambos vem se tornando progressivamente natural e social. Desta forma, à medida que as interfaces evoluem, a capacidade de interpretar sinais emocionais de interlocutores e reagir de acordo com eles de maneira apropriada é um desafio a ser superado. Embora os seres humanos utilizem diferentes maneiras para expressar emoções...

Análise de sinais de voz para reconhecimento de emoções.; Analysis of speech signals for emotion recognition.

Iriya, Rafael
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Esta pesquisa é motivada pela crescente importância do reconhecimento automático de emoções, em especial através de sinais de voz, e suas aplicações em sistemas para interação homem-máquina. Neste contexto, são estudadas as emoções Felicidade, Medo, Nojo, Raiva, Tédio e Tristeza, além do estado Neutro, que são emoções geralmente consideradas como essenciais para um conjunto básico de emoções. São investigadas diversas questões relacionadas à análise de voz para reconhecimento de emoções, explorando vários parâmetros do sinal de voz, como por exemplo frequência fundamental (pitch), energia de curto prazo, formantes, coeficientes cepstrais e são testadas diferentes técnicas para a classificação, envolvendo reconhecimento de padrões e métodos estatísticos, como K-vizinhos mais próximos (KNN), Máquinas de Vetores de Suporte (SVM), Modelos de Misturas de Gaussianas (GMM) e Modelos Ocultos de Markov (HMM), destacando-se o uso de GMM como principal técnica utilizada por seu custo computacional e desempenho. Neste trabaho é desenvolvido um sistema de identificação em estágio único obtendo-se resultados superiores a diversos sistemas na literatura, com uma taxa de reconhecimento de até 74,86%. Além disso...

AFRODITE: ambiente de simulação baseado em agentes com emoções

Adamatti, Diana Francisca
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
Este trabalho está relacionado às áreas de Sistemas Multiagentes, Simulação Computacional e Emoções. A partir do estudo destas áreas de pesquisa, foi proposto e desenvolvido um protótipo para um ambiente de simulação baseado em agentes com emoções. Os sistemas multiagentes têm sido utilizados nas mais diversas áreas de pesquisa, não apenas para a área acadêmica, mas também para fins comerciais. Isso ocorre devido a características importantes que estes possuem, como flexibilidade e cooperação. Estas características são úteis para um grande número de aplicações, como para simulação de situações reais, pois os modelos de simulação desenvolvidos utilizando a tecnologia de agentes são muito eficazes e versáteis no estudo dos mais diferentes problemas. Emoções vêm sendo estudadas há algum tempo, pois elas influenciam a tomada de decisão de todas as suas atividades. A tentativa de expressar emoções é algo complexo, dependendo de diversos fatores, tanto sociais como fisiológicos. Objetivando a abrangência das pesquisas na área de sistemas multiagentes, este trabalho propõe o desenvolvimento de um protótipo para um ambiente de simulação baseado em agentes com emoções, utilizando como base para a estruturação das emoções o modelo OCC. Este novo ambiente é chamado AFRODITE. De forma a melhor definir como o AFRODITE seria implementado...

Análise fonético-acústica da expressividade de emoções em depoimentos reais; Acoustic-phonetic analysis of the expression of emotions in real life speech

Wellington da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.21%
Esta dissertação apresenta um estudo intercultural da percepção de emoções expressas pela fala em situações comunicativas reais conduzido com ouvintes brasileiros e suecos. A literatura sobre o tema mostra que sujeitos ouvintes são capazes de reconhecer emoções expressas na fala em experimentos de percepção com um percentual de sucesso muito superior ao que seria obtido ao acaso, mesmo quando avaliando estímulos em uma língua estrangeira e de uma cultura diferente. Os principais objetivos do estudo apresentado foram investigar quais parâmetros fonético-acústicos dentre os extraídos são afetados pelo estado emocional dos falantes, em quais deles os sujeitos ouvintes se guiam para julgar o grau de expressão dessas emoções nos experimentos de percepção, investigar se os sujeitos realizam melhor essa tarefa para dimensões emocionais do que para emoções discretas, se a cultura e a língua materna dos sujeitos influenciam na percepção das emoções e se os sujeitos brasileiros e suecos se guiam pelos mesmos parâmetros acústicos para fazer esse julgamento. Os corpora utilizados consistem de enunciados de mulheres falantes do português brasileiro e do sueco extraídos de um documentário e de programas de televisão e de rádio. Os enunciados passaram por uma análise acústica...

Estrutura e Dinâmica do Sistema Afectivo das Dimensões de Avaliação às Estruturas de Acção - Emoções

Cardoso, Francisco Manuel dos Santos
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.29%
Tese de Doutoramento em Psicologia; Tivemos como principal propósito a apresentação de uma hermenêutica para o sistema afectivo que se oferecesse também como tela para o desenvolvimento da presente dissertação. Nessa sequência, ao longo da primeira parte desenvolvemos uma reflexão que procurou realçar uma estrutura de representação para o sistema afectivo que confluiu para uma estrutura bipolar arquitectada por um sistema hedónico definido pela dimensão bivalente prazer versus desprazer e por uma segunda dimensão –de actividade- sobrelevada pela ressonância interna organísmica. Estrutura que estaria subjacente às significações das coisas do mundo. Num segundo momento, em virtude de algumas incompletudes identificadas no modelo circumplexo, relacionadas com a sua natureza de representação ser estático-configuracional, invocámos o modelo de bivariado de Cacioppo e Berntson de modo a dar conta da sua realidade dinâmica: O sistema afectivo compreendido em dimensões bivalentes capazes de acção conjunta, quer por co-inibição quer por coactivação, supondo a existência de estruturas neurais correspondentes, em pleno desafio à incursão do estado de conhecimentos actuais. Vendo nesta perspectiva elementos suficientes para a ultrapassagem da querela estabelecida entre os defensores da unipolaridade e da bipolaridade das dimensões em torno do sistema afectivo. A segunda parte foi dedicada à defesa das emoções como estruturas de acção...

A importancia dos comportamentos de cidadania organizacional nas emoções desenvolvidas em diferentes fases da gestao de projectos

Raposo, Ana Schätzle
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Mestrado em Gestão; O presente estudo tem como objectivo determinar a influência que os comportamentos de cidadania organizacional têm nas emoções ao longo das cinco fases da Gestão de Projectos. Para tal, foi utilizada uma amostra constituída por 150 Gestores de Projecto, provenientes de diferentes áreas de intervenção, com a idade média de 38,7 anos. De seguida, foi realizado um estudo de regressão linear entre os comportamentos de cidadania organizacional e as emoções positivas e negativas, que veio tornar evidente que a presença ou ausência de determinados CCO, em fases concretas da Gestão de Projectos, é responsável pelo desenvolvimento de emoções positivas e emoções negativas. De um modo geral, os resultados vieram salientar que a lealdade é o CCO mais representativo para o desenvolvimento de emoções positivas na Gestão de Projectos, especificamente na fase de Planeamento e na fase de Execução. Adicionalmente, a ausência de lealdade na fase de Monitorização e Controlo desencadeia emoções negativas nos Gestores de Projecto. Como tal, pode-se concluir que a adopção do CCO lealdade é fundamental para a promoção e desenvolvimento de emoções positivas na Gestão de Projectos.; The present study examines how organizational citizenship behaviors influence emotions during the five stages of project management (PMI...

Emoções, autoconceito, auto-estima e desempenho académico em alunos do 7º ano de escolaridade

Gonçalves, Marlene Isabel dos Santos
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário, na especialidade de Psicologia Educacional; A disciplina de matemática é considerada de natureza difícil e emocionalmente muito intensa para os alunos, podendo estes experienciar emoções positivas ou negativas em relação a esta disciplina. Apesar da omnipresença das emoções em contexto educativo, são ainda relativamente raros os estudos que as analisem neste contexto. Assim sendo, este estudo tem como principal objectivo a identificação dos diversos tipos de emoções experienciadas pelos alunos, em relação à disciplina de matemática, nomeadamente em situação de aula e em situação de teste, em função do género dos alunos e do seu desempenho académico. O estudo procura igualmente analisar as relações das emoções com o autoconceito académico e a auto-estima. Participaram no estudo 214 alunos do 7º ano de escolaridade, que responderam à escala das emoções de realização (AEQ) e à escala do autoconceito e auto-estima. Os resultados obtidos no presente estudo, permitem afirmar que as emoções positivas, se encontram associadas ao desempenho académico positivo, à elevada auto-estima e ao alto autoconceito académico dos alunos...

O Reconhecimento das emoções básicas através da análise da expressão facial : A Influência da toxicodependência

Gonçalves, Mafalda Cardoso Pinto
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
Dissertação de mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário.; O Reconhecimento das Emoções Básicas através da Análise das Expressões Faciais: A Influência da Toxicodependência Partindo do pressuposto que as emoções podem ser definidas como uma realidade multidimensional e, reconhecendo a universalidade da sua expressão e reconhecimento nos rostos humanos, de acordo com o postulado pela Teoria Neurocultural das Emoções, procedeu-se á análise de casos múltiplos com o principal objectivo de compreender a importância de variáveis capazes de influenciar a acuidade do seu reconhecimento. Deste modo, a toxicodependência foi considerada como uma variável pertinente capaz de influenciar o reconhecimento das emoções. Contudo, através da obra de Freitas-Magalhães (2007)- A Psicologia das Emoções: O Fascínio do Rosto Humano – sabe-se que as mulheres são mais espontâneas e mais consistentes do que os homens na percepção das emoções básicas e, por essa razão, este estudo foca-se apenas em indivíduos do sexo feminino. Da aplicação do Teste de Reconhecimento das Emoções Básicas a uma amostra de três participantes do sexo feminino sob a influência da variável em causa, procurou-se compreender se de facto as mulheres têm a mesma capacidade de reconhecimento das emoções quando estão sob o efeito de drogas e se a sua vivência emocional não irá afectar a sua percepção relativamente às emoções básicas. Assim...

Prejuízos no reconhecimento de emoções faciais em parentes de primeiro grau de portadores de autismo não são associados com o polimorfismo 5HTTLPR

Neves,Maila de Castro Lourenço das; Tremeau,Fabien; Nicolato,Rodrigo; Lauar,Hélio; Romano-Silva,Marco Aurélio; Correa,Humberto
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.21%
OBJETIVO: Diversos estudos sugerem que o processamento de emoções faciais está prejudicado em portadores de autismo e que tal prejuízo possa ser hereditário. Nós estudamos o reconhecimento de emoções faciais em parentes de primeiro grau de portadores de autismo e suas associações com o polimorfismo funcional de transportador de serotonina (5HTTLPR). MÉTODO: Foram avaliados 40 parentes de primeiro grau de portadores de autismo e 41 controles saudáveis. Todos os participantes foram submetidos ao Teste de Reconhecimento de Emoções (ER40) da Bateria Neuropsicológica Computadorizada da Universidade da Pensilvânia (PENNCNP) e genotipados para o 5HTTLPR. RESULTADOS: Os parentes de primeiro grau de portadores de autismo apresentaram pior reconhecimento de emoções faciais comparados aos controles. A análise do padrão de erros mostrou que eles tendiam a reconhecer faces demonstrando emoções como neutras. O genótipo para o 5HTTLPR não influenciou a acurácia no Teste de Reconhecimento de Emoções, mas os homozigotos para o alelo L apresentaram padrão de erros diferente. Nossos resultados sugerem que prejuízos no reconhecimento de emoções faciais possam ser encontrados em maiores taxas em parentes de primeiro grau de autistas do que na população em geral. CONCLUSÃO: Nossos resultados sugerem que o reconhecimento de emoções faciais seja um candidato a endofenótipo no estudo do autismo.

Crianças selvagens : a expressão das emoções após situação de extrema privação de convívio social

Pontes Souza, Karine; da Graça Bompastor Borges Dias, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.29%
Os estudos sobre emoções são realizados há muito tempo, mas apesar disso não há um consenso sobre um conceito devido às muitas questões envolvidas nesse complexo processo. Um ponto controverso é sobre a existência de emoções básicas e sua universalidade. Alguns autores defendem a idéia de emoções inatas e universais, outros opinam sobre os fatores culturais presentes no desenvolvimento das emoções. Apesar dessa discussão todos concordam que as pessoas expressam externamente suas emoções através de gestos, ações, reações fisiológicas, expressões faciais e vocais. Existem vários relatos sobre crianças que foram privadas de convívio social e passaram a viver com animais ou em isolamento social e foram consideradas selvagens. Estes casos despertam no mínimo a curiosidade da população em geral e dos acadêmicos, pois representam uma forma de se tentar entender o papel da sociedade e do convívio com outros da mesma espécie para o desenvolvimento das funções únicas do ser humano. Os participantes desta pesquisa foram dois jovens descobertos num curral com suínos no interior de Pernambuco. Permaneceram nessa situação por aproximadamente sete anos. A presente pesquisa é um estudo de caso...

AS EMOÇÕES DOS ENFERMEIROS PERANTE A CRIANÇA EM FIM DE VIDA

Pereira, César
Fonte: Instituto Politecnico da Guarda Publicador: Instituto Politecnico da Guarda
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
O processo de morte e morrer, desde sempre que foi objeto de muita especulação e de muito interesse por parte do homem, uma vez que envolve sentimentos e emoções ao seu redor. Todavia, é no contexto hospitalar, em especial o enfermeiro que trabalha com crianças que esse assunto se torna mais desafiador, visto que estes profissionais podem deparar-se por vezes com as crianças em fim de vida, no seu dia a dia. Foi objetivo deste estudo identificar as emoções e que apoio emocional possuem, os enfermeiros enquanto prestadores de cuidados no processo de fim de vida e morrer da criança. Para concretizar este objetivo fizemos revisão bibliográfica sobre as emoções e a razão, a morte e sobre as emoções dos enfermeiros perante a criança em fim de vida. Foi aplicado um questionário a uma amostra de enfermeiros de quatro hospitais distritais das beiras, que tinham contacto direto com crianças. A metodologia utilizada foi uma pesquisa descritiva de caráter quantitativo e analítico. Este estudo teve como relevância o aumento de conhecimento relacionado com o processo de morte e morrer, permitindo assim uma reflexão a respeito das emoções e do suporte emocional que possuem os enfermeiros ligados diretamente a crianças e...

Algumas aproximações do modelo cognitivo das emoções de Aaron T. Beck com a filosofia, a biologia evolutiva e as neurociências

Lima, Ana Carolina Rimoldi de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
Este trabalho consistiu em uma pesquisa bibliográfica, cujo objetivo foi elucidar o modelo cognitivo das emoções de Aaron T. Beck, apontando relações e paralelos entre esse modelo e outras abordagens teóricas na Filosofia e na Biologia (evolução e neurociências cognitivas) que também se aplicam ao entendimento da relação entre processos cognitivos e afetivos. A partir de leituras de textos gerais sobre as emoções e sua relação com processos cognitivos, foi feita uma seleção de teorias filosóficas e biológicas que fazem interface com a teoria e terapia cognitivas, sendo que na Filosofia foram consideradas as abordagens de Platão, Aristóteles, Descartes e Kant e na Biologia, a abordagem evolutiva de Darwin, algumas considerações de autores neodarwinistas e as abordagens neurocientíficas de Antônio Damásio e Joseph Ledoux. O método de pesquisa envolveu, dessa forma, a identificação e localização do material bibliográfico pertinente, seguido por sua compilação, através de fichamentos de cada teoria selecionada, e sua explanação subsequente. Ao final da explanação de todas as teorias, foi feita a discussão geral dos aspectos do modelo cognitivo das emoções de Beck que se relacionam ou apresentam paralelos com as teorias da Filosofia ou da Biologia. Observou-se que as abordagens filosóficas consideradas sustentam a principal premissa do modelo cognitivo – a centralidade da cognição – ao passo que as abordagens evolutivas justificam a compreensão da psicologia humana em termos adaptados ou desadaptados...

Emoções e Perturbação Emocional; reconhecimento de expressões faciais

Arruda, Beatriz Bettencourt
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde; É demais reconhecido o interesse e a pertinência do estudo das emoções, atendendo ao papel que assumem na vida do ser humano, enquanto ser biológico e social. As emoções desempenham uma função social e comunicativa, interferindo na definição de relações interpessoais e redes sociais, assim como uma função intrapessoal, psicológica e biológica que garante a sobrevivência da espécie. O rosto humano, por sua vez, desempenha um papel fundamental na comunicação de emoções, afigurando-se o reconhecimento de expressões faciais como um meio imediato de obter informação relativa às emoções do outro. O presente estudo tem como objetivo estudar diferenças no reconhecimento de emoções básicas em expressões faciais consoante a presença ou ausência de perturbação emocional, assim como consoante o sexo e a idade. Neste participaram 85 indivíduos, residentes no Arquipélago dos Açores, com idades compreendidas entre os 18 e os 57 anos. Os dados foram recolhidos através de um breve Questionário de Caracterização Sociodemográfica...

Identificação das emoções; a influência do género e dos estímulos visuais

Martins, Ana Raquel Baltazar
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Trabalho de Projeto apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Terapêutica da Fala, área de especialização em Linguagem na criança; Ao longo dos anos, as emoções têm vindo a ser extensivamente estudadas e documentadas na literatura, devido à sua importância no desenvolvimento biopsicossocial do ser humano. As emoções são consideradas reações a determinados acontecimentos, situações recentes ou inesperadas que desempenham várias funções. Permitem proteger o património genético, pois garantem a sobrevivência da espécie, bem como equilibram o bem-estar individual e social. Têm, também um papel fundamental na aprendizagem, pois é através da expressão das emoções que ensinamos as crianças a interiorizar valores e regras sociais que as ajudam a manter relações e a processar informações. Permitem ainda uma melhor compreensão sobre os nossos comportamentos e os dos outros, uma vez que é uma forma de comunicação que implica uma interação social mais apropriada e eficaz, para além de que ajudam a tomar decisões e influenciam os comportamentos comunicativos. No entanto, os estudos e registos existentes são habitualmente realizados com participantes adultos e com recurso à face humana. Braconnier (1996) afirma que existem diferenças emocionais entre géneros; que estas dependem do contexto familiar...

As razões do coração: entre neurociências culturais e antropologia das emoções

Pussetti, Chiara Gemma, 1972-
Fonte: Grupo de Pesquisa em Antropologia e Sociologia das Emoções Publicador: Grupo de Pesquisa em Antropologia e Sociologia das Emoções
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
47.06%
Este artigo pretende pôr em diálogo a antropologia das emoções com as contribuições mais recentes das neurociências culturais e afetivas, apresentando portanto uma abordagem biocultural, que tenha em conta os aspetos socioculturais e os mecanismos neuronais que controlam as respostas emocionais. A partir das teorias que consideram o ser humano como um ser incompleto e em continua construção, propomos uma crítica ao reducionismo biológico e cultural, repensando o conceito de incorporação do ponto de vista da neuroantropologia. A partir desta leitura biocultural das emoções, consideraremos alguns processos voluntários de auto-construção na direção de específicos modelos de humanidade, apresentando o debate bioético ligado ao emprego – massivo e em continuo crescimento - da psicofarmacologia cosmética na construção cultural das emoções.