Página 1 dos resultados de 17148 itens digitais encontrados em 0.105 segundos

Percepção do processo saúde-doença: significados e valores da educação em saúde

Câmara,Ana Maria Chagas Sette; Melo,Vinícius Lins Costa; Gomes,Maria Gabriela Pimentel; Pena,Bruna Calado; Silva,Ana Paula da; Oliveira,Kênia Marice de; Moraes,Ana Paula de Sousa; Coelho,Gabriella Rodrigues; Victorino,Luciana Ribeiro
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
A relevância sociológica do estudo das representações sociais do processo saúde-doença está no fato de que elas fundamentam práticas e atitudes dos seus atores, assim como as relações que eles estabelecem com o seu contexto social e com aquilo que lhes acontece. O problema dessa pesquisa consiste em conhecer as representações sociais do processo saúde-doença dos profissionais do PSF, considerando que esse conhecimento pode ser fundamental para o desenvolvimento de práticas educativas em saúde. A abordagem metodológica desta pesquisa foi qualitativa, tendo por base as representações sociais dos profissionais de apoio e das equipes de saúde da família do Centro de Saúde Milionários, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Para a coleta de dados, foi utilizada entrevista individual semi-estruturada abordando os seguintes aspectos: processo saúde-doença; educação em saúde; e barreiras ou dificuldades para prescrição/adoção de hábitos saudáveis. Os dados foram analisados pela técnica de análise de conteúdo, a partir das categorias: dimensões do processo saúde-doença; barreiras ou dificuldades para adoção de hábitos saudáveis; e significados e valores da educação em saúde. Os dados apontam que há necessidade de modificações conceituais na formação permanente desses profissionais e da inclusão do enfoque coletivo...

Promoção e educação em saúde no âmbito da Escola de Governo em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública

Buss,Paulo Marchiori
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
As escolas de saúde pública devem definir seus programas de ensino, pesquisa e cooperação técnica em função dos contextos epidemiológico, epistemológico e dos serviços de saúde, que são profundamente condicionados pelo contexto sócio-econômico do país. No Brasil, a transição demográfico-epidemiológica caracteriza-se pela prevalência cada vez mais elevada de doenças e fatores de risco relacionados com os estilos de vida, o que exige uma profunda transformação do modelo assistencial, com a maior oferta de serviços e ações preventivas e de promoção da saúde baseadas em evidências, o que inclui iniciativas inovadoras de informação, educação e comunicação. Esse artigo aborda a experiência recente da Escola Nacional de Saúde Pública, que vem somando à sua longa tradição acadêmica a reorientação estratégia denominada Escola de Governo em Saúde, que inclui a educação à distância como uma de suas principais opções pedagógicas. Face ao quadro sócio-sanitário vigente, conclui-se que adquire enorme importância a capacitação de profissionais e a pesquisa e desenvolvimento tecnológico nos campos da promoção e educação em saúde no âmbito da Escola de Governo em Saúde da ENSP.

Representação social da educação ambiental e da educação em saúde em universitários

Andrade Júnior,Hermes de; Souza,Marcos Aguiar de; Brochier,Jorgelina Ines
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
105.97%
A crescente globalização tem promovido modificações econômicas, políticas e culturais em diversos setores da atividade humana. Tal situação de interdependência tem favorecido a discussão de temas de interesse mundial, como a educação ambiental e a educação em saúde. O presente estudo teve como objetivo investigar as representações sociais da educação ambiental e da educação em saúde em 204 estudantes universitários da cidade do Rio de Janeiro, sendo 106 homens e 98 mulheres, na idade média de 26,9 anos. Os participantes preencheram um questionário com perguntas relativas a concepções pessoais sobre educação ambiental e educação em saúde. Da análise das respostas, através da técnica de análise de conteúdo, emergiram três categorias relativas à educação ambiental (concepção antropocêntrica utilitarista, concepção antropocêntrica pactuada e concepção ecocêntrica) e quatro categorias relativas a educação em saúde (saúde como ausência de doença, ênfase na saúde do corpo, saúde como equilíbrio corpo-mente e concepção ecocêntrica de saúde). As conclusões remetem ao entendimento de que meio ambiente e saúde ainda são entendidos como temas independentes, dificultando ações mais eficientes por parte da população e de entidades governamentais e não governamentais.

A estratégia saúde da família como objeto de educação em saúde

Besen,Candice Boppré; Netto,Mônica de Souza; Da Ros,Marco Aurélio; Silva,Fernanda Werner da; Silva,Cleci Grandi da; Pires,Moacir Francisco
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
105.96%
Este estudo investigou se a proposta da Estratégia Saúde da Família (ESF) é objeto de discussão com a população na prática educativa dos profissionais nela inseridos e a compreensão sobre Educação em Saúde que eles possuem. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratório-descritiva, realizada a partir de entrevistas semi-estruturadas. Na análise de conteúdo, identificaram-se as categorias: Educação em Saúde; A Universidade não ensina e A ESF como objeto de educação em Saúde. Os resultados mostraram que a ESF não é objeto de educação; alguns profissionais desconhecem seus fundamentos e a maioria deles tem práticas educativas verticais e patologizantes, distanciando-se da proposta de Promoção da Saúde da ESF. Reflete-se acerca das concepções de Educação em Saúde que permeiam os discursos dos profissionais, assim como sobre sua participação na capacitação comunitária para a construção da autonomia, cidadania e controle sobre os determinantes de saúde na perspectiva da Promoção da Saúde. Aponta-se para a importância da Educação Permanente e a reestruturação da graduação, de modo a aproximar as práxis da Educação em Saúde com a realidade social.

Análise biopolítica do discurso oficial sobre educação em saúde para pacientes diabéticos no Brasil

Melo,Lucas Pereira de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
105.93%
No contexto brasileiro de transição epidemiológica, a educação em saúde tem sido uma ferramenta na luta pela promoção de estilos de vida "saudáveis" e adesão ao tratamento. Dentre essas doenças destaca-se o diabetes mellitus, considerado um problema de saúde pública. O objetivo deste estudo é analisar o discurso oficial sobre educação em saúde para diabetes mellitus, na primeira década dos anos 2000, no Brasil, fundamentado nos conceitos de biopolítica e práticas discursivas de Michel Foucault. Foi feita a revisão bibliográfica de dois documentos publicados pelo Ministério da Saúde brasileiro relacionados ao tema em estudo: "Manual de hipertensão arterial e diabetes mellitus", de 2002; e o "Caderno de atenção básica, número 16, diabetes mellitus", de 2006. Essas publicações têm orientado as práticas dos profissionais de saúde nos últimos dez anos. A localização e obtenção das fontes foram realizadas no site da Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde, em dezembro de 2010. São discutidas as características gerais dos discursos oficiais; os objetivos das ações educativas para pacientes diabéticos; as temáticas abordadas nessas ações; o imperativo técnico e moral que rege o incentivo à realização das práticas educativas; e os parâmetros para avaliação e acompanhamento dos adoecidos. Em seguida...

A política federal de saneamento básico e as iniciativas de participação, mobilização, controle social, educação em saúde e ambiental nos programas governamentais de saneamento

Moisés,Márcia; Kligerman,Débora Cynamon; Cohen,Simone Cynamon; Monteiro,Sandra Conceição Ferreira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.93%
O presente artigo se propõe a relatar uma análise crítica de dois programas governamentais - os Programas de Educação em Saúde e Mobilização Social (PESMS), da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), e de Educação Ambiental e Mobilização Social em Saneamento (PEA-MSS), do Ministério das Cidades (MCidades). Os referidos programas visam fomentar ações educativas participativas e a mobilização social em projetos de saneamento. A metodologia utilizada baseou-se na leitura e análise documental e em observações oportunizadas por meio de participações em seminários, encontros, reuniões, oficinas e entrevistas. Os autores abordam a criação do PESMS e do PEAMSS, promovendo uma reflexão sobre os conceitos relativos à participação, mobilização, controle social, educação em saúde e educação ambiental. Fazem considerações quanto às dificuldades, facilidades, avanços e desafios na implantação e na implementação dos programas quanto aos princípios fundamentais para prestação de serviços públicos de saneamento básico. Concluem que, para o desenvolvimento da Política Federal de Saneamento Básico, se faz necessário criar condições mediante iniciativas de participação, mobilização, controle social...

Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG)

Cervera,Diana Patrícia Patino; Parreira,Bibiane Dias Miranda; Goulart,Bethania Ferreira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
A educação em saúde é uma forte ferramenta que valoriza os contextos sociais, econômicos e culturais da comunidade, aliados ao processo de promoção da saúde. O objetivo deste estudo foi conhecer a percepção dos enfermeiros, vinculados à Estratégia Saúde da Família, sobre a educação em saúde, em Uberaba (MG). O estudo foi descritivo, de abordagem qualitativa, utilizando-se o método de análise temática. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com vinte enfermeiros da Estratégia Saúde da família (ESF) do referido município. Das informações obtidas, foram abstraídos cinco temas: conceituação; postura; educação bancária; crescimento profissional e ação pontual. Foi possível identificar que no cotidiano os sujeitos apresentam uma perspectiva de educação em saúde ampla, com uma relação próxima dos profissionais a esta prática. Porém, os trabalhadores ainda percebem esta estratégia de uma forma verticalizada, institucionalizada, com um sentido único profissional-usuário. Acredita-se que este estudo poderá contribuir para uma reflexão a respeito do tema na prática, podendo assim possibilitar a construção de um novo olhar sobre a educação em saúde, pautado em relações dialógicas e na valorização do saber popular.

A educação em saúde e suas representações entre alunos de um curso de odontologia

Mialhe,Fábio Luiz; Silva,Cristiane Maria da Costa
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.95%
A educação em saúde é um importante instrumento para se promover a participação ativa das pessoas na conquista de sua autonomia. Desta forma, este estudo exploratório, de abordagem qualitativa, objetivou avaliar as representações em educação em saúde de graduandos de um curso de odontologia, trazendo à tona dados para a discussão sobre quais concepções têm sustentado suas práticas educativas. Os dados foram coletados por meio de um instrumento contendo a seguinte questão: particularmente, o que você entende por educação em saúde? O mesmo foi aplicado em 67 acadêmicos do último ano do curso, perfazendo 85,3 % da população-alvo. A análise dos dados foi realizada segundo os pressupostos metodológicos qualitativos do discurso do sujeito coletivo. Os resultados evidenciaram que o conceito de educação em saúde dos acadêmicos está fortemente ligado ao conceito positivista de ensinamento, instrução e prevenção de doenças, pautados na ideia de que a falta de informações dos indivíduos é que os induz a não exercerem práticas saudáveis em saúde, sendo função do profissional educar as pessoas neste sentido. Observou-se a necessidade de estratégias de ensino-aprendizagem voltadas a transformar a representação da educação em saúde por parte dos acadêmicos.

Educação em saúde e cidadania: revisão integrativa

Ferreira,Viviane Ferraz; Rocha,Genylton Odilon Rêgo da; Lopes,Márcia Maria Bragança; Santos,Milena Silva dos; Miranda,Shirley Aviz de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
105.95%
Este artigo apresenta os resultados de uma revisão integrativa de literatura sobre educação em saúde e cidadania, que buscou conhecer e analisar as diferentes contribuições científicas disponíveis. A educação em saúde reflete uma estratégia que almeja um cidadão coautor do processo de construção do cuidado à sua saúde. Utilizouse para a coleta de dados a base Lilacs (Literatura LatinoAmericana do Caribe em Ciências da Saúde) no período de 2000 a 2011, totalizando 79 produções. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, a amostra final incluiu dez publicações. A pesquisa trouxe a prevalência de estudos da natureza artigo, apresentando mais de três autores, com predominância de docentes e produção do tipo revisão teórica. As categorias que emergiram do estudo foram: educação em saúde - historicidade e bases conceituais; e educação popular como geradora de cidadania. As evidências mostraram o processo histórico das políticas de saúde e o surgimento dos movimentos sociais voltados para as necessidades da população. Destacaram também que a educação permanente em saúde proporciona a construção de novos saberes, mediante a junção de conhecimentos científicos e de saberes populares. Manifestaramse na literatura contribuições relevantes sobre a educação em saúde...

O concreto e o simbólico no cotidiano da educação em saúde: práticas, representações e processo identitário dos agentes comunitários de saúde de João Pessoa PB

Brito, Suerde Miranda de Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.97%
The present study is about an etnographic research based on the Theory of Social Representation and its complementary approach, the Theory of Central Core based on the bourdiesianos concepts of field and habitus , concerning that these concepts, articulated to the constructed social representation, may contribute to the study of social identities. Its aim is to acknowledge which identity references community health agents (CHA), agents from Community Health Agent Program (CHAP) and Family Health Program (FHP) from João Pessoa PB and which social representation is constructed by them towards health education. The study had the participation of 119 CHAs, from which 90,3 % were female and 9,7% were male. Since the identity is also built by the representation of others towards the group, 63 professionals of the FHP group (16 nurses, 16 nursing assistents, 12 doctors, 9 dentists, 6 dentistry office assistents, 4 coordinators, 1 psicologist and 1 receptionist) and 1 nurse from CHAP took part of the study, oficial documents from the Health Ministry were analyzed, verbal information from its representatives were also taken into consideration, as well as reports from the many benefitiaries of the CHA, CHAP and FHP. For data collecting, we used the combination of (a) Direct Observation and Participant Observation of the functioning micro-areas of the CHA at the Family Health Units...

Educação em saúde em hanseníase: estratégia na educação básica, Parnamirim/RN

Santos, Vivianne Rafaelle Correia dos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.98%
Leprosy is an ancient disease that still stands as a public health problem worldwide, especially in the considered developing countries. Of these, Brazil still has large areas of endemicity. The disease remains high among those younger than 15 years old. In this group, the national index achieves 0.6 every 10 000 inhabitants and reaches 2 in the North and Midwest of Brazil. Therefore, the plan of the Ministry of Health is to prioritize the fight against disease in critical areas, providing early diagnosis and timely treatment, especially for patients under 15 years old. This research aimed to: identify the knowledge of students from three schools of basic education in Parnamirim/RN about the risk of getting ill in leprosy; conduct them health education on this topic. An exploratory-descriptive study with quantitative and qualitative nature. Data collection consists of two steps: questionnaire and health education on leprosy. The study was approved by the Research Ethics Committee (REC) of UFRN through the opinion nº 204/2009. Quantitative data obtained were organized, categorized, typed and submitted to the Microsoft Office - Excel for quantitative analysis with simple percentage. Qualitative data were subjected to a content analysis according to Bardin. The sample consisted of 164 students of basic education...

A educação em saúde pública na práqtica cotidiana: atuação dos cirurgiões-dentistas do PSF de Natal-RN; Education in health on the daily practice: the performance of theoral surgeons from the Family Health Program of Natal-RN

Fernandes, Maria Julieta Medeiros
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; Odontologia Preventiva e Social; Periodontia e Prótese Dentária Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; Odontologia Preventiva e Social; Periodontia e Prótese Dentária
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.98%
Considering education a support to health promotion, care integration and citizenship formation,the purpose of this research was to analyze the perception of the oral surgeons from the Family Health Program of Natal-RN over education in health as well as their performance as educators based on their activities on the program. A qualitative study was accomplished by a semi-structured interview and a Free Association of Words Test with 80 oral surgeons from the Family Health Program of Natal-RN. The instruments were analyzed through the meaning analysis and the Central Nucleus of Vergès Theory. The results showed a lack of planning in health actions so there is no standardization on the educative practices done by the oral surgeons which mostly are focused on scholars. There was an agreement among the group according to the oral surgeons´ perception about education in health that education is related to its function of recall prevention ideas to the population. Most part of the context units analyzed by the professionals´ speech show the knowledge of education in health as an inadequate behavior change instrument of the individuals. An interesting point was a quotation cited by some professionals that included actual themes such as citizenship...

Limites e possibilidades da educação em saúde na estratégia de saúde da família de Pau dos Ferros/RN

Pereira, Andrezza Karine Araújo de Medeiros
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família no Nordeste; Saúde da Família Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família no Nordeste; Saúde da Família
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
115.99%
A Estratégia Saúde da Família (ESF) apresenta-se como um espaço privilegiado para a efetivação de práticas de educação em saúde orientadas pelo diálogo entre o saber científico e o saber popular, uma vez que é nesse espaço de saúde que profissionais e indivíduos/família se interrelacionam, criam vínculos, dialogam e constroem soluções para o enfrentamento dos problemas de saúde da população. O objetivo geral deste estudo foi analisar os limites e as possibilidades de efetivação da educação em saúde voltada para a coletividade na ESF de Pau dos Ferros/RN. Nesse sentido, buscou-se conhecer as concepções de educação em saúde dos profissionais de nível universitário da ESF; observar onde as práticas de educação eram desenvolvidas; conhecer os conteúdos e metodologias utilizadas para a efetivação das práticas de educação em saúde e caracterizar os espaços onde tais práticas eram desenvolvidas. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de caráter descritivo-exploratório realizada junto a nove equipes localizadas na zona urbana do município. Foram investigados 28 profissionais que atuam nessas equipes, dentre os quais elencamos: quatro médicos, oito enfermeiros e dezesseis cirurgiões dentistas. Fez-se uso da entrevista semiestruturada e da observação baseada em princípios etnográficos. Os dados foram analisados com base na técnica de análise de conteúdo de Bardin. O estudo obedeceu aos aspectos éticos contidos na Resolução 196/96 que regulamenta as Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Os resultados apontam que as concepções e práticas de educação em saúde dos profissionais da ESF são orientadas por uma educação bancária ...

Modelo Assistencial e Atenção Primária em Saúde

Núcleo de Tecnologias e Educação a Distância em Saúde da UFC/NUTEDS; Núcleo de Educação em Saúde-NESCON
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Módulo composto por 4 aulas dividas em tópicos.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.94%
Estimula a reflexão sobre os modelos assistenciais em saúde ofertados no Brasil em seus diversos contextos, com base na sua evolução em diferentes momentos históricos. É tratado em particular o Sistema Único de Saúde e a Estratégia de Saúde da Família, entendida como projeto de reorganização da Atenção Básica e de implementação do novo Modelo Assistencial que está expresso na Constituição Brasileira. Aborda ainda o trabalho da Equipe de Saúde da Família no esforço de reorientação da Atenção Básica em Saúde (ABS) e de mudança de Modelo Assistencial. O módulo está dividido em quatro aulas com as seguintes temáticas: Aula 1 - Modelos assistenciais em saúde; Aula 2 - Atenção básica à saúde; Aula 3 - O trabalho da equipe de saúde da família e a mudança do modelo assistencial e Aula 4 - A qualidade na prestação do cuidado em saúde.; Versão 2.0; Universidade Federal do Ceará-UFC; Universidade Aberta do SUS

Política nacional de educação permanente em saúde

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de política
POT
Relevância na Pesquisa
115.9%
63 p.; Este documento aborda as responsabilidades das três esferas de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), relativas à gestão da Educação na Saúde. O seu objetivo é orientar a construção e o acompanhamento dos Termos de compromisso de gestão dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal.

Educação em saúde: papel e funções do especialista e do generalista; Health education: the role and functions of the specialist and the generalist

Cleary, Helen P.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/1988 ENG
Relevância na Pesquisa
105.95%
A Educação em Saúde é um processo no qual todo o pessoal da saúde pública e do atendimento médico estão envolvidos. As pessoas aprendem ou formalmente (experiências de aprendizagem planejadas) ou informalmente (experiências de aprendizagem não planejadas). Na medida em que o paciente, o cliente, o usuário e a comunidade esperam que o pessoal da saúde pública e o pessoal do atendimento médico os auxiliem, no que diz respeito a assuntos e a problemas da saúde, a resposta do profissional "educa" o usuário, quer o profissional tenha ou não tenha a intenção de o fazer. Portanto, cabe a todos os profissionais da saúde pública e do atendimento médico entender suas funções educativas e seu papel na Educação em Saúde. É também importante que o papel do especialista em educação esteja claro. O especialista, tanto quanto os outros especialistas, possui um profundo conhecimento na sua área técnica como, por exemplo, o processo de ensino-aprendizagem; pode trabalhar como um consultor para ampliar o potencial educativo de outros ou pode trabalhar com equipes, com comunidades ou com grupos de pacientes. É preciso que o especialista em Educação em Saúde tenha conhecimentos e competências específicos e há um conjunto de teorias de aprendizagem e de mudança social que proporcionam um esquema de referência para planejar...

A estratégia saúde da família como objeto de educação em saúde; The family health strategy as object of health education

Besen, Candice Boppré; Netto, Mônica de Souza; Da Ros, Marco Aurélio; Silva, Fernanda Werner da; Silva, Cleci Grandi da; Pires, Moacir Francisco
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2007 POR
Relevância na Pesquisa
105.96%
Este estudo investigou se a proposta da Estratégia Saúde da Família (ESF) é objeto de discussão com a população na prática educativa dos profissionais nela inseridos e a compreensão sobre Educação em Saúde que eles possuem. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratório-descritiva, realizada a partir de entrevistas semi-estruturadas. Na análise de conteúdo, identificaram-se as categorias: Educação em Saúde; A Universidade não ensina e A ESF como objeto de educação em Saúde. Os resultados mostraram que a ESF não é objeto de educação; alguns profissionais desconhecem seus fundamentos e a maioria deles tem práticas educativas verticais e patologizantes, distanciando-se da proposta de Promoção da Saúde da ESF. Reflete-se acerca das concepções de Educação em Saúde que permeiam os discursos dos profissionais, assim como sobre sua participação na capacitação comunitária para a construção da autonomia, cidadania e controle sobre os determinantes de saúde na perspectiva da Promoção da Saúde. Aponta-se para a importância da Educação Permanente e a reestruturação da graduação, de modo a aproximar as práxis da Educação em Saúde com a realidade social.; This study investigated whether the proposal of the Family Health Strategy (FHS) is discussed with the population in the educational practice of the professionals inserted in this strategy...

Promoção e educação em saúde no âmbito da Escola de Governo em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública

Buss,Paulo Marchiori
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
As escolas de saúde pública devem definir seus programas de ensino, pesquisa e cooperação técnica em função dos contextos epidemiológico, epistemológico e dos serviços de saúde, que são profundamente condicionados pelo contexto sócio-econômico do país. No Brasil, a transição demográfico-epidemiológica caracteriza-se pela prevalência cada vez mais elevada de doenças e fatores de risco relacionados com os estilos de vida, o que exige uma profunda transformação do modelo assistencial, com a maior oferta de serviços e ações preventivas e de promoção da saúde baseadas em evidências, o que inclui iniciativas inovadoras de informação, educação e comunicação. Esse artigo aborda a experiência recente da Escola Nacional de Saúde Pública, que vem somando à sua longa tradição acadêmica a reorientação estratégia denominada Escola de Governo em Saúde, que inclui a educação à distância como uma de suas principais opções pedagógicas. Face ao quadro sócio-sanitário vigente, conclui-se que adquire enorme importância a capacitação de profissionais e a pesquisa e desenvolvimento tecnológico nos campos da promoção e educação em saúde no âmbito da Escola de Governo em Saúde da ENSP.

Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG)

Cervera,Diana Patrícia Patino; Parreira,Bibiane Dias Miranda; Goulart,Bethania Ferreira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
A educação em saúde é uma forte ferramenta que valoriza os contextos sociais, econômicos e culturais da comunidade, aliados ao processo de promoção da saúde. O objetivo deste estudo foi conhecer a percepção dos enfermeiros, vinculados à Estratégia Saúde da Família, sobre a educação em saúde, em Uberaba (MG). O estudo foi descritivo, de abordagem qualitativa, utilizando-se o método de análise temática. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com vinte enfermeiros da Estratégia Saúde da família (ESF) do referido município. Das informações obtidas, foram abstraídos cinco temas: conceituação; postura; educação bancária; crescimento profissional e ação pontual. Foi possível identificar que no cotidiano os sujeitos apresentam uma perspectiva de educação em saúde ampla, com uma relação próxima dos profissionais a esta prática. Porém, os trabalhadores ainda percebem esta estratégia de uma forma verticalizada, institucionalizada, com um sentido único profissional-usuário. Acredita-se que este estudo poderá contribuir para uma reflexão a respeito do tema na prática, podendo assim possibilitar a construção de um novo olhar sobre a educação em saúde, pautado em relações dialógicas e na valorização do saber popular.

A educação em saúde e suas representações entre alunos de um curso de odontologia

Mialhe,Fábio Luiz; Silva,Cristiane Maria da Costa
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.95%
A educação em saúde é um importante instrumento para se promover a participação ativa das pessoas na conquista de sua autonomia. Desta forma, este estudo exploratório, de abordagem qualitativa, objetivou avaliar as representações em educação em saúde de graduandos de um curso de odontologia, trazendo à tona dados para a discussão sobre quais concepções têm sustentado suas práticas educativas. Os dados foram coletados por meio de um instrumento contendo a seguinte questão: particularmente, o que você entende por educação em saúde? O mesmo foi aplicado em 67 acadêmicos do último ano do curso, perfazendo 85,3 % da população-alvo. A análise dos dados foi realizada segundo os pressupostos metodológicos qualitativos do discurso do sujeito coletivo. Os resultados evidenciaram que o conceito de educação em saúde dos acadêmicos está fortemente ligado ao conceito positivista de ensinamento, instrução e prevenção de doenças, pautados na ideia de que a falta de informações dos indivíduos é que os induz a não exercerem práticas saudáveis em saúde, sendo função do profissional educar as pessoas neste sentido. Observou-se a necessidade de estratégias de ensino-aprendizagem voltadas a transformar a representação da educação em saúde por parte dos acadêmicos.