Página 1 dos resultados de 1659 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Educação sexual no 1º CEB : argumentação dos professores para a sua (não) consecução

Anastácio, Zélia; Carvalho, Graça Simões de; Clément, Pierre
Fonte: Universidade do Minho. Instituto de Educação e Psicologia. Centro de Investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho. Instituto de Educação e Psicologia. Centro de Investigação em Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /09/2005 POR
Relevância na Pesquisa
76.18%
Este trabalho teve como objectivo clarificar concepções dos professores do primeiro ciclo do ensino básico relativamente à abordagem da educação sexual neste nível de ensino, por via da argumentação. A metodologia utilizada consistiu em discussões em grupo sobre o tema, pelo que envolveu a realização de cinco focus groups. Destes cinco grupos, quatro foram constituídos por quatro indivíduos e um por apenas três, obtendo-se um total de 19 participantes. As discussões foram moderadas pelas duas investigadoras, decorreram em ambiente de descontracção e duraram cerca de uma hora. Posteriormente, procedeu-se à transcrição das discussões, seguindo-se a respectiva análise de conteúdo, tendo como recurso informático o programa NUD*IST. Apuraram-se as argumentações dos professores de primeiro ciclo para abordar ou não a educação sexual em meio escolar. De um modo geral os professores consideraram difícil a sua implementação na escola por receio das reacções dos pais dos alunos, além de outros factores inerentes ao contexto social; pela falta de clarificação dos conteúdos no plano curricular; e por carência de formação específica para abordar esta temática. No entanto, defendem que deva ser abordada naturalmente de forma a satisfazer a curiosidade e o interesse das crianças.; Fundação para a Ciência e a Tecnologia - POCTI/CED/44187/2002. European Project FP6 Biohead-Citizen CIT2-CT-2004-506015.

Receios e apoios em educação sexual : percepções de professores de 1.º CEB

Anastácio, Zélia
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
76.1%
O propósito deste trabalho consistiu em identificar concepções de professores de 1.º Ciclo do Ensino Básico acerca da Educação Sexual (ES) em meio escolar, analisando-se aqui as suas percepções de receios e de apoios. A investigação desenrolou-se em três fases: aplicou-se um questionário a uma amostra de 486 indivíduos; organizou-se um debate com 4 professores; realizaram-se cinco grupos de foco que totalizaram 19 participantes. Os dados do questionário foram analisados estatisticamente através do programa SPSS. Os dados do debate e dos grupos de foco foram alvo de análise de conteúdo utilizando o método dos termos pivot. Os resultados do questionário indicaram que os professores receiam essencialmente a mentalidade e as reacções dos pais, bem como as reacções dos próprios alunos e o conservadorismo do meio. Os apoios que mais consideraram foram os dos colegas e dos directores de escola e de agrupamento. Factores que revelaram influência significativa na variável receios foram sobretudo sexo, formação específica em ES e área de trabalho, enquanto a variável apoios parece ser mais influenciada pela religião e prática religiosa, além da formação esporádica em ES. A argumentação apresentada nas discussões validou externamente estas percepções dos professores.

Reprodução humana no contexto da educação sexual : concepções dos professores de 1.º CEB

Anastácio, Zélia
Fonte: Instituto Politécnico de Castelo Branco. Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Castelo Branco. Escola Superior de Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
76.1%
O presente trabalho teve como objectivo identificar concepções e obstáculos de professores de 1º. Ciclo do Ensino Básico (1.ºCEB) num domínio da educação sexual, mais precisamente no que se refere ao sistema reprodutor. A investigação iniciou-se com a construção de um questionário que, depois de validado, foi aplicado a uma amostra de 486 professores. Os resultados que se apresentam foram obtidos em resposta a duas questões abertas: a) Represente, através de um desenho esquemático legendado, os aparelhos reprodutores (masculino e feminino) e a fecundação; b) Represente, agora, como acha que um aluno de 1.º ciclo desenharia os aparelhos reprodutores (masculino e feminino) e a fecundação, antes da respectiva aprendizagem. Depois da recolha dos questionários, construiu-se uma base de dados no programa SPSS, com o qual se procedeu à análise categórica – ANACOR - dos mesmos. A percentagem de professores que respondeu a estas duas questões foi de aproximadamente 30%, tendo a análise dos desenhos sobre as representações dos professores revelado a existência de oito categorias de representação para o aparelho reprodutor feminino e cinco para o aparelho reprodutor masculino. No respeitante à fecundação emergiram três categorias relativas aos gâmetas. No que concerne à localização deste processo...

Convergência da percepção de jovens grávidas e de professores com formação específica em educação sexual sobre a gravidez na adolescência

Oliveira, Tânia; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Universidade da Beira Interior. Departamento de Psicologia e Educação Publicador: Universidade da Beira Interior. Departamento de Psicologia e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
76.17%
A gravidez na adolescência é um problema que continua a inquietar pais, professores, técnicos de saúde e os próprios jovens, já que poderão conduzir a problemas de saúde, tanto para os jovens como para os filhos e criar desequilíbrios familiares, psicológicos, económicos e sociais. Neste estudo pretendemos conhecer as percepções de grávidas adolescentes e de professores com formação específica sobre educação sexual. Estudou-se uma população de 30 jovens grávidas e um grupo de 60 professores de uma escola do norte do país, pioneira num projecto de Educação Sexual (ES). Utilizou-se um questionário para as grávidas adolescentes e outro para os professores. Com base nos dados obtidos da Escala do Ambiente Familiar, as grávidas adolescentes de idade superior a 18 anos, comparativamente às mais jovens, revelam maior valor de coerência em todos os itens: coesão, expressividade, conflito, independência, organização e controlo familiar. Os resultados sobre os professores indicam que aquela escola está preparada para dar resposta a esta temática, havendo no entanto diferenças significativas (P<0,05) a nível do género, área de docência, nível de ensino e tempo de docência. Comparando os dados das jovens adolescentes com os dos professores verifica-se que não existem diferenças significativas (P>0.05) na visão de uns e de outros sobre a ES...

Educação em ciências e desenvolvimento da competência de acção em educação sexual

Viegas, Ana Fátima Aguiar; Vilaça, Teresa
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
76.2%
Esta investigação tem como objectivo analisar a evolução da competência dos alunos para seleccionar e resolver problemas em educação sexual, dentro de um estudo mais amplo que avaliou o efeito de uma metodologia de ensino orientada para a acção, por comparação com uma metodologia tradicional, no desenvolvimento da competência de acção em educação sexual, durante a Unidade Didáctica ‘Reprodução Humana e Crescimento’, de Ciências da Natureza do 6.º ano. Assim, foi realizado um estudo de tipo quasi-experimental, envolvendo turmas experimental (n=23) e controlo (n=20). O pré/pós-testes incluíram uma entrevista de grupo focal sobre o conhecimento orientado para a acção. Durante o projecto fez-se observação participante e análise de documentos produzidos pelos alunos. Globalmente, no final do projecto a turma experimental foi capaz de seleccionar um maior número de problemas e de acções para os resolver. Estes resultados apontam para a necessidade de se incluir esta abordagem pedagógica na formação de professores.

A educação sexual na deficiência mental

Almeida, Paula Alexandra Camelo
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
76.17%
; A questão da sexualidade na deficiência mental além de ser um tema pouco discutido e analisado é também eivado de preconceitos, mitos e tabus. As pessoas com Deficiência Mental possuem conhecimentos precários a respeito da sua sexualidade, experiências limitadas e são, muitas vezes, privadas de um acesso efectivo a uma educação sexual adequada. Um dos objectivos do nosso trabalho de investigação foi perceber quais são os conhecimentos, necessidades e sentimentos de pessoas com Deficiência Mental, diante da sua sexualidade. Esta pesquisa foi concretizada por intermédio duma entrevista realizada a alunos com Deficiência Mental que, integrados numa turma de ensino regular, usufruem de um Currículo Especifico Individual. A análise qualitativa dos dados indicia que os seus conhecimentos em matéria de sexualidade são insuficientes e precários. Sendo assim, com base nos dados recolhidos e na revisão de literatura, apresentamos uma proposta dum programa de Educação Sexual para ser implementado no ensino regular a alunos com Deficiência Mental.

Sexos, sexualidades e gêneros: monstruosidades no currículo da Educação Sexual

Furlani,Jimena
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.18%
Apresento um exercício de análise cultural, a partir da frase "Que bicho é esse?" - do livro paradidático infantil (Lopes, 2000) para se referir a "sexo" e "sexualidade". Problematizo as potencialidades reflexivas da Educação Sexual tendo como referência a "Pedagogia dos Monstros" (Cohen, 2000) e a "desconstrução" como método analítico, articulando-as com teorizações nos campos dos Estudos Culturais e Feministas, sob a perspectiva pós-estruturalista de análise. Na Escola "os sexos", "as sexualidades" e "os gêneros" podem ser pensados como "monstros curriculares", assim como todo assunto marcado pela polêmica, pela provisoriedade, pela normalização. Como fenômeno metafórico cultural "os monstros" subordinam-se aos padrões hegemônicos da cultura normativa ao mesmo tempo em que resistem a eles. Essa resistência permite que, na Educação Sexual, os processos constituintes da normalidade e da desigualdade possam ser permanentemente postos em questão.

(In)Visibilidade do género na sexualidade juvenil: propostas para uma nova concepção sobre a educação sexual e a prevenção de comportamentos sexuais de risco

Nogueira,Conceição; Saavedra,Luisa; Costa,Cecília
Fonte: UNICAMP - Faculdade de Educação Publicador: UNICAMP - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.14%
Neste artigo pretendemos mostrar como o género é um conceito determinante e imprescindível quando se trabalham as questões da sexualidade juvenil, particularmente quando se aborda a sexualidade das jovens adolescentes. A literatura feminista tem alertado para a continuidade dos discursos de vitimização, de medo e de moralidade que continuam a servir, em muitos casos e em muitos países, para justificar conteúdos de programa de educação sexual nas escolas e de campanhas de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, essencialmente sobre o HIV. Contudo, depois de analisar esses discursos, nota-se claramente a ausência de um discurso emancipador sobre a sexualidade feminina adolescente. Apesar da epidemia do HIV e de o número crescente de mulheres heterossexuais (de todas as faixas etárias, das mais jovens às mais idosas) a serem infectadas implicar a necessidade de uma atenção redobrada, esse problema não pode justificar discursos reguladores e tradicionais da sexualidade feminina. São necessários novos discursos emancipadores e de empowerment das jovens adolescentes, de responsabilização de jovens do sexo masculino pelas questões da reprodução e da construção de um projecto igualitário e, ao mesmo tempo...

Mulheres só fazem amor com homens? A educação sexual e os relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo

Furlani,Jimena
Fonte: UNICAMP - Faculdade de Educação Publicador: UNICAMP - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.2%
Neste artigo problematizo processos de produção das diferenças sexuais a partir de coleções de livros paradidáticos relativos à Educação Sexual. Tenho como referenciais os Estudos Culturais e os Estudos Feministas, articulados com a perspectiva pós-estruturalista de análise. Discuto significados conferidos à homossexualidade, procurando apontar caminhos para refletir: como, didaticamente, na Escola, é possível desconstruir e construir, positivamente, essa identidade sexual e de gênero? Respeitar a diversidade é promover a inclusão curricular? Questiono "representações" sexuais e busco ensaiar modos de "desconstrução" de seus significados, especialmente aqueles acerca dos tipos de sujeitos que estabelecem relacionamentos sexuais e afetivos com pessoas do mesmo sexo. O procedimento desconstrutivo poderá sugerir formas de operar a prática pedagógica da Educação Sexual, em qualquer nível de ensino.

Educação Sexual: ética, liberdade e autonomia

Altmann,Helena; Martins,Carlos José
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.22%
O objetivo desse artigo é refletir sobre o tema da educação sexual à luz dos conceitos de ética, liberdade e autonomia. Na perspectiva aqui adotada, não se trata de definir a priori conceitos que nos dariam uma grade de categorias que pudessem estabelecer o que é ético e o que não é ético. Tão somente, não se trata de estabelecer um critério distintivo do que seja moral e, por conseguinte, prescritivo e normativo, do que é princípio ético, objeto de livre escolha dos indivíduos e, portanto, emblema de sua autonomia. Trata-se de remeter os problemas éticos à dinâmica imanente das práticas sociais. Considerando a ética como uma prática refletida da liberdade, trata-se de exercitar tal prática, encorajando os/as atores/as a debater em torno das decisões e escolhas a serem feitas. Deste modo, esse artigo se volta para as seguintes questões: De que forma poderia a sexualidade ser trabalhada na escola a partir de uma ética como prática da liberdade e não de uma moral prescritiva? Como poderia um trabalho de educação sexual produzir reflexão e autonomia? Tais questões serão abordadas a partir da análise de uma atividade de educação sexual, sobre o tema da paternidade, desenvolvida em uma escola.

Homossexualidade, homofobia e a agressividade do palavrão: seu uso na educação sexual escolar

Roselli-Cruz,Amadeu
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
O uso do palavrão pode gerar violência e até crime de morte na escola. Muitos professores e famílias relatam a dificuldade em lidar com ele. 90% da agressividade do palavrão se referem à sexualidade do ofendido e/ou de sua família, em especial à mãe, e à homossexualidade. Muitos dos livros de educação sexual sequer fazem referência à homossexualidade e, em nenhum deles encontramos conteúdos sobre o palavrão. O discurso religioso mais contribui para aumentar as possibilidades de punição do que à compreensão e aceitação do sujeito com esses comportamentos. Nossa pesquisa estudou jovens do sexo masculino entre 9 e 14 anos de escola pública de periferia, com o objetivo de verificar o uso do palavrão, a ofensa e a conotação expressa e entendida, mais especificamente referente a mecanismos de homofobia entre adolescentes na escola. A despreocupação para com o palavrão contribui para a homofobia e agressividade dentro da escola.

Sexualidade e educação sexual na percepção docente

Quirino,Glauberto da Silva; Rocha,João Batista Teixeira da
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
76.27%
Este artigo objetivou conhecer a percepção sobre sexualidade e educação sexual dos/as professores/as do Ensino Fundamental e Médio de uma escola pública de Juazeiro do Norte-CE, Brasil. Desenvolveu-se um estudo descritivo, de natureza qualitativa, de setembro de 2009 a fevereiro de 2010, com sete professores/as, por meio da observação e entrevista semiestruturada, com os seguintes questionamentos: o que é para você sexualidade? O que você entende por educação sexual? Os dados foram organizados em cinco categorias e analisados de forma interpretativa. O conceito de sexualidade foi dividido em duas categorias, sexo e opção sexual. Além de seus aspectos corporais, houve elementos espirituais e de expressão do amor entre os seres, embora estes fossem secundários aos atributos genitais e do intercurso sexual, circundados pelo caráter natural. A educação sexual foi pautada sobre três eixos: relação sexual, fisiologia corporal e comportamento social, constituindo tema relevante, a ser trabalhado a partir do quarto ou quinto ano do Ensino Fundamental, cujas aulas de ciências figuram como o espaço mais adequado para se tratar do assunto. O trabalho docente necessita de constante renovação, sendo preciso superar o modelo biomédico/científico na sexualidade...

Formação de professores e educadores para abordagem da educação sexual na escola: o que mostram as pesquisas

Silva,Regina Célia Pinheiro da; Megid Neto,Jorge
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
Este artigo estuda as produções de pós-graduação brasileiras sobre formação de professores/ educadores para o trabalho com Educação Sexual nos vários níveis escolares, com objetivo de conhecer e apontar as principais tendências dessa produção. A metodologia baseou-se na pesquisa do estado da arte, identificando 65 teses e dissertações que são descritas e analisadas, entre outros itens, quanto aos modelos de formação inicial e continuada, características e concepções/representações dos profissionais, elementos teóricos, históricos e curriculares tratados nas pesquisas. Resultados apontam profissionais despreparado,s tanto na formação inicial quanto na continuada.

Desenvolvimento de uma proposta de educação sexual para adolescentes

Alencar,Rúbia de Aguiar; Silva,Lucía; Silva,Fábio Arlindo; Diniz,Renato Eugênio da Silva
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.12%
O objetivo geral do presente estudo foi descrever a experiência de construção e aplicação de uma proposta pedagógica no campo da educação sexual, fundamentada em algumas premissas contidas na concepção de Paulo Freire, visando atender adolescentes de uma comunidade carente do interior paulista. A partir dos questionamentos iniciais levantados pelos jovens foram realizados quatro encontros focando questões sobre sexualidade, anatomia e fisiologia humana, métodos anticoncepcionais e DST/Aids. Com a realização desse trabalho, os jovens tiveram oportunidade de participar de um processo educativo que possibilitou, pelo resgate de suas próprias experiências e crenças, a reflexão sobre sua autonomia na vivência de uma sexualidade saudável, respeitando a si próprio e ao outro.

Prática docente em educação sexual em uma escola pública de Juazeiro do Norte, CE, Brasil

Quirino,Glauberto da Silva; Rocha,João Batista Teixeira da
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
Estudo etnográfico com base na observação participante e entrevista semiestruturada, que objetivou descrever o trabalho de educação sexual dos/as professores/as, e apreender os valores e as atitudes destes/as em relação à sexualidade de adolescentes no espaço escolar. O trabalho de campo foi desenvolvido em uma escola de Ensino Fundamental e Médio estadual da cidade de Juazeiro do Norte-CE, no período de setembro de 2009 a fevereiro de 2010. Constatou-se que, mesmo sendo o assunto suscitado por parte dos/as estudantes, sempre os/as professores/as se omitiram em realizar qualquer intervenção. Observou-se a presença de valores morais e pessoais na condução das práticas educativas, atitudes de silenciamento em relação ao preconceito a homossexuais e a perda da virgindade, assim como manutenção das desigualdades de gênero. Os dados apontam as fragilidades das ações pedagógicas e a necessidade de mudança de paradigma do processo ensino/aprendizagem.

Perspectiva evolutiva das políticas e práticas de educação sexual na comunidade escolar em portugal

Vilaça, Teresa
Fonte: Departamento de Psicologia da Educação da FCL - UNESP Publicador: Departamento de Psicologia da Educação da FCL - UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.33%
Este artigo descreve a trajetória das políticas públicas e das práticas educativas em educação sexual na comunidade escolar em Portugal a partir de sete marcos sócio-pedagógicos registrados na sua implementação nacional desde os anos 1970: a emergência da educação sexual na pré-democracia (início da década 70); a educação para a saúde e sexualidade no despertar do estado de direito democrático (meados da década 70); a emergência da educação sexual na comunidade escolar como um direito do cidadão (década 80); a consolidação do programa de promoção e educação para a saúde na comunidade escolar (década 90); a acelerada evolução da legislação sobre educação sexual como uma componente da promoção da saúde (transição para o ano 2000); e a consolidação da educação sexual na comunidade escolar (primeira década após a viragem do milénio). Por fim, para terminar, serão tecidas algumas considerações finais com implicações para o futuro da educação em sexualidade e formação de professores/as no âmbito das escolas promotoras de saúde.; An evolutionary analysis of the Portuguese legislation on the policies and practices of sexuality education in the school community, has given rise to the present seven socio pedagogical milestones in its national implementation. These milestones will be presented along a critical review of the evolution of the Portuguese legislation that highlights the training and role of education and health professionals during: the emergence of sexuality education in the pre-democracy era (early 70s); health education and sexuality in the wakening of the democratic rule of law (mid 70s); the emergence of sexuality education in the school community as a citizen's right (80s); the consolidation of health education and promotion programs in the school community (90s); the accelerated development of legislation on sexuality education as a component of health promotion (transition to the year 2000); and the consolidation of sexuality education in the school community (first decade after the turn of the millennium). Finally...

Avaliação da implementação da Educação Sexual em contexto escolar, na região do Algarve – A perspetiva de atores educativos responsáveis pela Educação para a Saúde/Educação Sexual; Evaluation of the implementation of sexual education in schools in Algarve - the perspective of educational actors responsible for health education/sexual education; Évaluation de l'implémentationde l'éducation sexuelle dans les écoles de l'Algarve – la perspective des acteurs éducatifs responsables pour l'éducation pour la santé/éducation sexuelle

Paulos, Liliana; Valadas, Sandra T.
Fonte: Instituto de Educação da Universidade do Minho Publicador: Instituto de Educação da Universidade do Minho
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; article Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
76.3%
O presente estudo assume-se como um estudo de caso, insere-se no paradigma interpretativo/qualitativo e pretendeu avaliar a implementação da Educação Sexual (ES) no Algarve. Realizaram-se entrevistas semidiretivas a oito coordenadores da Educação para a Saúde (EpS)/ES e a um diretor de agrupamento de escolas (AE). Os resultados indicaram que a ES foi integrada nos projetos educativos de todos os AE, sendo que os AE situados em concelhos com menos residentes apresentaram um percurso mais próximo das recomendações da lei. Foram nomeados professores-coordenadores para a EpS/ES e apenas um AE não tem o gabinete de apoio a funcionar. A disciplina de Ciências Naturais foi identificada como sendo a mais interveniente na ES. O aumento e a consolidação dos conhecimentos foram objetivos privilegiados numa vertente de prevenção. O pouco apoio do Ministério da Educação e Ciência e a falta de formação, de experiência e de à-vontade dos docentes nesta área foram apontados como limitações no processo de implementação da ES.; A case study was performed under the interpretative/qualitative paradigm, with the main objective of evaluating the implementation of Sexual Education (SE)in the Algarve region (Portugal). We interviewed eight Health Education/Sexual Education (HE/SE) coordinators and one director of acluster of schools (CS). Our results showed that all CS have integrated SE intheir educational programs and that CS that are located in areas with fewer residents followed the legal recommendations more strictly. Each CS has designated a specific teacher to coordinate HE/SE and one CS did not have a supporting office. Natural Sciences were identified as the more active subjectin SE. The increment and consolitation of knowledge was mostly performed ona preventive approach. The little support from the Ministry of Education and Science and the lack of training and experience...

Percepções de professores portugueses sobre educação sexual; Percepciones de profesores portugueses sobre educación sexual; Perceptions of Portuguese teachers about sex education

Ramiro, Lúcia; Matos, Margarida Gaspar de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66.41%
OBJETIVO: Avaliar percepções e atitudes em relação à educação sexual entre professores portugueses do ensino básico e secundário. MÉTODOS: Participaram do estudo 371 professores de ambos os sexos, do segundo e terceiro ciclos e do ensino secundário do continente Português, entre Fevereiro e Março de 2006. A coleta de dados foi feita por meio de questionário, pela técnica bola de neve, constituído por duas partes; a primeira abordava dados sociodemográficos, caracterização profissional, crenças religiosas, formação e experiência em educação sexual em meio escolar. A segunda parte foi composta por escalas relativas a atitudes, importância atribuída a temas de educação sexual e nível de ensino para introduzir tópicos de educação sexual. A análise das diferenças entre géneros, entre professores com e sem experiência em educação sexual, e entre professores com e sem formação complementar na área foi efectuada pela análise de variância ANOVA. RESULTADOS: Os professores, no geral, revelaram quer atitude quer importância médias/altas em relação à educação sexual. Imagem corporal foi o único tópico que deveria ser introduzido no primeiro ciclo. As professoras [F(1;366)=7,772; p=0,006] por oposição aos professores...

EDUCAÇÃO SEXUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA MENTAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Pinho, Joana; Menezes, Maria de Jesus; Cardoso, Mariana
Fonte: Revista Contemporânea de Educação Publicador: Revista Contemporânea de Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 29/02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
76.17%
O presente trabalho pretende fomentar o entendimento e, sobretudo, a clarificação de conceitos e ideias concernentes à educação sexual da pessoa com deficiência mental. Considerado, por si só, um tema frágil, envolto em mitos e tabus, nosso objeto de estudo acaba por ser revestido de um duplo preconceito ao englobar sexualidade e deficiência, conceitos estigmatizados pela sociedade. Sendo assim, e intencionando ir de encontro a essa marginalização, o objetivo deste estudo configura-se como um alicerce para reflexão e conscientização da importância e necessidade prementes de uma legítima e eficaz Educação Sexual destinada aos deficientes mentais.

Conceção e implementação de um projeto de educação sexual na turma: legislação vs literatura

Ribeiro,Jorge; Pontes,Angela; Santos,Luísa
Fonte: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Publicador: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.31%
A educação sexual é um processo que acompanha o indivíduo durante toda a sua vida. As alterações socioculturais das últimas décadas revelaram a necessidade de uma educação sexual formal que capacite os jovens para se relacionarem, com a sua sexualidade, de uma forma responsável e satisfatória. Foi produzida, em Portugal, legislação que decretou a educação sexual obrigatória nas escolas. É objetivo deste artigo analisar a legislação relativa à conceção e implementação de um projeto de educação sexual na turma e comparar as suas indicações com as propostas pela literatura. Constatamos que, na generalidade, a legislação está de acordo com as orientações da literatura: as finalidades propostas consideram uma perspetiva abrangente da sexualidade, o projeto educativo da escola parece corresponder à necessidade de participação da comunidade envolvente, o projeto de educação sexual na turma pode ir de encontro às necessidades dos alunos, é considerada a participação de toda a comunidade escolar e de parceiros externos e a carga horária enquadra-se na exigida para este tipo de projeto. Contudo, as características individuais dos docentes e a sua disponibilidade para integrarem este tipo de projetos não é considerada pela legislação...