Página 1 dos resultados de 318 itens digitais encontrados em 0.145 segundos

Automedicação em adultos de baixa renda no município de São Paulo; Self-medication in low-income adults in Southeastern Brazil; Automedicación en adultos de baja renta en el municipio de Sao Paulo

SCHMID, Bianca; BERNAL, Regina; SILVA, Nilza Nunes
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR; ENG
Relevância na Pesquisa
55.44%
OBJETIVO: Estimar a proporção de automedicação em adultos de baixa renda e identificar fatores associados. MÉTODOS: Foram utilizados dados de inquérito populacional realizado no município de São Paulo em 2005, cujo plano amostral incluiu dois domínios, favela e não favela, com amostragem por conglomerados em dois estágios, totalizando 3.226 indivíduos elegíveis. Além de características sociodemográficas e econômicas, foram analisados: uso de medicamentos nos 15 dias anteriores à entrevista, tipo de acesso (gratuito, comprado ou outra) aos medicamentos e os tipos de morbidades (crônicas ou agudas) tratadas, em análise de regressão logística múltipla. RESULTADOS: A proporção de automedicação foi de 27% a 32%. Automedicação esteve fortemente associada à morbidade aguda, ao acesso ao medicamento por compra, à idade menor que 47 anos e medicamentos do grupo terapêutico que atuam no sistema nervoso central. O grupo que atua no sistema nervoso central foi o mais utilizado na automedicação. CONCLUSÕES: O acesso gratuito aos medicamentos mostrou-se fator de proteção para a automedicação. A distribuição de medicamentos e o atendimento adequado devem ser considerados para orientação e redução dos riscos que o uso irracional de medicamentos pode gerar à saúde.; OBJECTIVE: To estimate the self-medication prevalence in low-income adults and identify associated factors. METHODS: Data from a population survey performed in São Paulo municipality...

Uso de medicamentos por pessoas com deficiências em áreas do estado de São Paulo; Use of medicines by persons with disabilities in São Paulo state areas, Southeastern Brazil

CASTRO, Shamyr Sulyvan de; PELICIONI, Andréa Focesi; CESAR, Chester Luiz Galvão; CARANDINA, Luana; BARROS, Marilisa Berti de Azevedo; ALVES, Maria Cecilia Goi Porto; GOLDBAUM, Moisés
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR; ENG
Relevância na Pesquisa
65.57%
OBJETIVO: Analisar o consumo de medicamentos e os principais grupos terapêuticos consumidos por pessoas com deficiências físicas, auditivas ou visuais. MÉTODOS: Estudo transversal em que foram analisados dados do Inquérito Multicêntrico de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP) em 2002 e do Inquérito de Saúde no Município de São Paulo (ISA-Capital), realizado em 2003. Os entrevistados que referiram deficiências foram estudados segundo as variáveis que compõem o banco de dados: área, sexo, renda, faixa etária, raça, consumo de medicamentos e tipos de medicamentos consumidos. RESULTADOS: A percentagem de consumo entre as pessoas com deficiência foi de: 62,8 por cento entre os visuais; 60,2 por cento entre os auditivos e 70,1 por cento entre os físicos. As pessoas com deficiência física consumiram 20 por cento mais medicamentos que os não-deficientes. Entre as pessoas com deficiência visual, os medicamentos mais consumidos foram os diuréticos, agentes do sistema renina-angiotensina e analgésicos. Pessoas com deficiência auditiva utilizaram mais analgésicos e agentes do sistema renina-angiotensina. Entre indivíduos com deficiência física, analgésicos, antitrombóticos e agentes do sistema renina-angiotensina foram os medicamentos mais consumidos. CONCLUSÕES: Houve maior consumo de medicamentos entre as pessoas com deficiências quando comparados com os não-deficientes...

Organizadores e cortadores de comprimidos: riscos e restrições ao uso; Pill organizers and pill cutters: risks and limitations

Oliveira, Caroline Ribeiro de Borja
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública; São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública; São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
55.44%
Com base em análise documental, foram discutidas e problematizadas as limitações associadas à utilização de organizadores e cortadores de comprimidos, como questão de saúde pública. Os organizadores destinados ao armazenamento e transporte de comprimidos e cápsulas expõem essas formas farmacêuticas a fatores ambientais dos quais estariam protegidos em suas embalagens originais, comprometendo sua estabilidade, eficácia e segurança. Os cortadores oferecem risco adicional quanto a perda da eficácia, reações adversas e intoxicação. Por outro lado, o transporte de medicamentos pelo usuário é reflexo da conciliação entre autonomia e autocuidado e a partição de comprimidos é necessária para cumprir certos regimes posológicos. Conclui-se que cabe aos profissionais observar e orientar pacientes e cuidadores, visando à adequação dessas condutas e à prevenção dos riscos envolvidos.; In this essay, based on documental analysis, the limitations associated with the use of pill organizers and cutters are discussed and analyzed as a matter of public health. The use of the organizers for storing and carrying tablets and capsules exposes these medications to environmental factors from which their original packaging protected them...

Acesso a medicamentos: experiência da população de baixa renda na Região do Butantã, São Paulo, 2009; Access to medicines: the experience of the population low-income families in the region of Butantan, City of St. Paul, 2009

Bello, Carmen Barata
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
65.59%
Introdução: O medicamento, imprescindível no tratamento e recuperação da saúde, cresce em importância, tanto para os profissionais de saúde como para a população. Objetivo: Incluir a experiência da população de baixa renda, na pesquisa em saúde pública, sobre necessidade de tomar medicamentos; apresentar dificuldades vivenciadas, em busca destes; relatar as estratégias adotadas, diante da impossibilidade de consegui-los gratuitamente; estudar a compreensão do valor monetário deste produto; identificar a possibilidade de aquisição de medicamentos de médio e alto custo. Método: Metodologia qualitativa, usando a técnica de grupo focal, com a construção de 3 grupos, com a participação de 31 sujeitos, no período de dezembro de 2008 a março de 2009. Os sujeitos são moradores da região do Butantã, SP/SP, com 40 anos ou mais, com renda mensal até 3 salários mínimos e usuários do SUS, fazendo uso de pelo menos um medicamento. Os três grupos foram formados por usuários de medicamentos de uso contínuo; usuários de medicamentos de médio e alto custo e por moradores de uma favela. As discussões foram conduzidas por 2 profissionais e, foram baseadas em 5 perguntas referentes aos objetivos. Para a análise das discussões...

Atividades desenvolvidas em centros dia para idosos na perspectiva do envelhecimento ativo: subsídios para avaliação da qualidade dos serviços; Activities developed in day-care centers for elderly aimed at active aging: subsidies for assessing the quality of services

Fratezi, Flavia Renata
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
55.38%
Introdução: O centro dia é uma alternativa promissora de atenção integral ao idoso que se baseia na promoção da saúde, na prevenção de agravos, na recuperação e na reabilitação e que possibilita aos idosos a oportunidade para vivenciar um envelhecimento ativo. Objetivos: Identificar as atividades de promoção da saúde e prevenção de agravos, desenvolvidas em centros dia para idosos, nas dimensões saúde, participação, segurança e educação; e validar o conteúdo dessas atividades, para subsidiar a avaliação da qualidade da atenção ao idoso em centros dia. Método: Estudo metodológico, conduzido em três fases: identificação das atividades de atenção aos idosos desenvolvidas em centros dia; seleção e descrição das atividades, referentes à promoção da saúde e à prevenção de agravos, de acordo com as dimensões saúde, participação, segurança e educação; e validação de conteúdo das atividades, realizada por nove especialistas. O índice de consenso estabelecido correspondeu a 80% e as atividades foram validadas segundo os atributos relevância, clareza, pertinência e simplicidade. O período de coleta de dados da primeira e da segunda fase ocorreu de outubro a dezembro de 2013; e o da terceira fase...

Uso de medicamentos por pessoas com deficiências em áreas do estado de São Paulo

Castro, Shamyr Sulyvan; Pelicioni, Americo Focesi; Cesar, Chester Luiz Galvão; Carandina, Luana; Barros, Marilisa Berti de Azevedo; Alves, Maria Cecilia Goi Porto; Goldbaum, Moisés
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 601-610
POR
Relevância na Pesquisa
55.57%
OBJETIVO: Analisar o consumo de medicamentos e os principais grupos terapêuticos consumidos por pessoas com deficiências físicas, auditivas ou visuais. MÉTODOS: Estudo transversal em que foram analisados dados do Inquérito Multicêntrico de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP) em 2002 e do Inquérito de Saúde no Município de São Paulo (ISA-Capital), realizado em 2003. Os entrevistados que referiram deficiências foram estudados segundo as variáveis que compõem o banco de dados: área, sexo, renda, faixa etária, raça, consumo de medicamentos e tipos de medicamentos consumidos. RESULTADOS: A percentagem de consumo entre as pessoas com deficiência foi de: 62,8% entre os visuais; 60,2% entre os auditivos e 70,1% entre os físicos. As pessoas com deficiência física consumiram 20% mais medicamentos que os não-deficientes. Entre as pessoas com deficiência visual, os medicamentos mais consumidos foram os diuréticos, agentes do sistema renina-angiotensina e analgésicos. Pessoas com deficiência auditiva utilizaram mais analgésicos e agentes do sistema renina-angiotensina. Entre indivíduos com deficiência física, analgésicos, antitrombóticos e agentes do sistema renina-angiotensina foram os medicamentos mais consumidos. CONCLUSÕES: Houve maior consumo de medicamentos entre as pessoas com deficiências quando comparados com os não-deficientes...

Incidência e caracterização de eventos adversos aos medicamentos (EAM) na unidade de emergência referenciada pediátrica do Hospital de Clínicas da UNICAMP; Incidence and characterization of adverse drug events in the referenced pediatric emergency unit of Clinical Hospital of UNICAMP

Indira Valadê Carvalho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
45.61%
A segurança na utilização de medicamentos tornou-se um tema altamente discutido nas políticas de saúde, em parte devido a pesquisas que demonstram a ocorrência de importantes eventos adversos aos medicamentos (EAM) causados por fármacos comumente utilizados. Poucos estudos em pediatria quantificam os EAM, o que demonstra a necessidade da condução de mais estudos com esta faixa etária. O objetivo deste trabalho foi realizar uma análise prospectiva sobre a incidência de EAM e estabelecer o perfil de adesão à farmacoterapia de uso contínuo em pacientes pediátricos admitidos em uma unidade de emergência. Trata-se, portanto, de um estudo transversal, com duração de um ano (julho/2011 a junho/2012), conduzido na Unidade de Emergência Referenciada Pediátrica do Hospital de Clínicas da (HC) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Os EAM foram identificados, quantificados e caracterizados em 7 categorias (reação adversa ao medicamento; não adesão; inefetividade terapêutica; uso inadequado do medicamento; interação medicamentosa; intoxicação e queixa técnica) e classificados segundo a gravidade obedecendo aos critérios do CTCAE (Common Terminology Criteria for Adverse Events). As reações adversas aos medicamentos foram classificadas pela causalidade...

Uso de medicamentos por pessoas com deficiências em áreas do estado de São Paulo

CASTRO, Shamyr Sulyvan; PELICIONI, Americo Focesi; CESAR, Chester Luiz Galvão; CARANDINA, Luana; BARROS, Marilisa Berti de Azevedo; ALVES, Maria Cecilia Goi Porto; GOLDBAUM, Moisés
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
55.57%
OBJETIVO: Analisar o consumo de medicamentos e os principais grupos terapêuticos consumidos por pessoas com deficiências físicas, auditivas ou visuais. MÉTODOS: Estudo transversal em que foram analisados dados do Inquérito Multicêntrico de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP) em 2002 e do Inquérito de Saúde no Município de São Paulo (ISA-Capital), realizado em 2003. Os entrevistados que referiram deficiências foram estudados segundo as variáveis que compõem o banco de dados: área, sexo, renda, faixa etária, raça, consumo de medicamentos e tipos de medicamentos consumidos. RESULTADOS: A percentagem de consumo entre as pessoas com deficiência foi de: 62,8% entre os visuais; 60,2% entre os auditivos e 70,1% entre os físicos. As pessoas com deficiência física consumiram 20% mais medicamentos que os não-deficientes. Entre as pessoas com deficiência visual, os medicamentos mais consumidos foram os diuréticos, agentes do sistema renina-angiotensina e analgésicos. Pessoas com deficiência auditiva utilizaram mais analgésicos e agentes do sistema renina-angiotensina. Entre indivíduos com deficiência física, analgésicos, antitrombóticos e agentes do sistema renina-angiotensina foram os medicamentos mais consumidos. CONCLUSÕES: Houve maior consumo de medicamentos entre as pessoas com deficiências quando comparados com os não-deficientes...

Diagnosis and control of polypharmacy in the elderly

Medeiros-Souza,Patrícia; Santos-Neto,Leopoldo Luiz dos; Kusano,Liana Tieko Evangelista; Pereira,Maurício Gomes
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 EN
Relevância na Pesquisa
65.5%
The article had the purpose of commenting on studies on polypharmacy in the elderly, focusing on diagnosis and control. Polypharmacy is defined as the use of a number of medications at the same time and the use of additional drugs to correct drug adverse effects. The fact that the elderly take more medications for the treatment of several diseases makes them more susceptible to the occurrence of adverse reactions. Prophylactic actions such as balanced prescriptions are vital to reduce the incidence of these reactions and prevent longer hospital stay, increased costs and aggravation of the elderly health condition.

Chronic use of benzodiazepines among older adults

Alvarenga,Jussara Mendonça; Giacomin,Karla Cristina; Loyola Filho,Antônio Ignácio de; Uchoa,Elizabeth; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 EN
Relevância na Pesquisa
75.53%
OBJECTIVE To analyze the perception of and motivation for the chronic use of benzodiazepine among older adults. METHODS A qualitative study was conducted on 22 older adults living in Bambuí, MG, Southeastern Brazil, who were taking benzodiazepines and had the clinical and cognitive ability to respond to interview questions. The collected data were analyzed on the basis of the “signs, meanings, and actions” model. RESULTS The main reasons pointed out for the use of benzodiazepines were “nervousness”, “sleep problems”, and “worry” due to family and financial problems, everyday problems, and existential difficulties. None of the interviewees said that they used benzodiazepines in a dose higher than that recommended or had been warned by health professionals about any risks of their continuous use. Different strategies were used to obtain the prescription for the medication, and any physician would prescribe it, indicating that a bond was established with the drug and not with the health professional or healthcare service. Obtaining and consuming the medication turned into a crucial issue because benzodiazepine assumes the status of an essential food, which leads users to not think but sleep. It causes a feeling of relief from their problems such as awareness of human finitude and fragility...

Access to continued-use medication among older adults, Brazil

Viana,Karynna Pimentel; Brito,Alexandre dos Santos; Rodrigues,Claudia Soares; Luiz,Ronir Raggio
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 EN
Relevância na Pesquisa
65.55%
OBJECTIVE To determine the prevalence and associated access factors for all continued-use prescription drugs and the ways in which they can be obtained. METHODS Data was obtained from the 2008 Household National Survey. The sample comprised 27,333 individuals above 60 years who reported that they used continued-use prescription drugs. A descriptive analysis and binary and multiple multinomial logistic regressions were performed. RESULTS 86.0% of the older adults had access to all the medication they needed, and among them, 50.7% purchased said medication. Those who obtained medication from the public health system were younger (60-64 years), did not have health insurance plans, and belonged to the lower income groups. It is remarkable that 14.0% of the subjects still had no access to any continued-use medication, and for those with more than four chronic diseases, this amount reached 22.0%. Those with a greater number of chronic diseases ran a higher risk of not having access to all the medication they needed. CONCLUSIONS There are some groups of older adults with an increased risk of not obtaining all the medication they need and of purchasing it. The results of this study are expected to contribute to guide programs and plans for access to medication in Brazil.

Avaliação do uso de terapias biológicas em pacientes com artrite reumatoide no Estado de Mato Grosso, Brasil; Evaluation of the use of biologic therapies in patients with rheumatoid arthritis in the State of Mato Grosso, Brazil

FERNANDES, Vander
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
55.58%
RA is debilitating autoimmune disease with serious physical, emotional and economic consequences, which affects about 0.5 to 1% of the adult population worldwide. Significant advances in the recognition of the pathophysiology of disease and injury mechanisms allowed the development of new treatment options with drugs that block inflammatory mediators involved in the mechanism of the disease, known as biologics. These drugs are expensive and of continuous use. They are complex to use due care and management of storage and the risk of immediate and delayed adverse reactions. These therapies are available at the Health System for 12 years, is necessary to evaluate the effectiveness of this drug group in the Brazilian public health system in the treatment of rheumatoid arthritis. OBJECTIVES: a) analyze the effectiveness of biological therapies in patients with rheumatoid arthritis of the State of Mato Grosso, through the assessment of disease activity index DAS28-ESR b) Review the laboratory characteristics of these patients; c) examine the safe use these therapies and to describe adverse events. d) analyze the efficiency of the program dispensing of biological therapies in the State of Mato Grosso, Brazil. METHODS: Two groups of patients with rheumatoid arthritis users Pharmacy High Cost of the State Secretariat of Health of Mato Grosso (FAC / SES) or the University General Hospital. Group I included 68 patients who were already in use of biological therapies. These were assessed for disease activity at the time of inclusion in the study and asked about the historical use of biological drugs...

Automedicação em adultos de baixa renda no município de São Paulo; Automedicación en adultos de baja renta en el municipio de Sao Paulo; Self-medication in low-income adults in Southeastern Brazil

Schmid, Bianca; Bernal, Regina; Silva, Nilza Nunes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2010 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
55.44%
OBJETIVO: Estimar a proporção de automedicação em adultos de baixa renda e identificar fatores associados. MÉTODOS: Foram utilizados dados de inquérito populacional realizado no município de São Paulo em 2005, cujo plano amostral incluiu dois domínios, favela e não favela, com amostragem por conglomerados em dois estágios, totalizando 3.226 indivíduos elegíveis. Além de características sociodemográficas e econômicas, foram analisados: uso de medicamentos nos 15 dias anteriores à entrevista, tipo de acesso (gratuito, comprado ou outra) aos medicamentos e os tipos de morbidades (crônicas ou agudas) tratadas, em análise de regressão logística múltipla. RESULTADOS: A proporção de automedicação foi de 27% a 32%. Automedicação esteve fortemente associada à morbidade aguda, ao acesso ao medicamento por compra, à idade menor que 47 anos e medicamentos do grupo terapêutico que atuam no sistema nervoso central. O grupo que atua no sistema nervoso central foi o mais utilizado na automedicação. CONCLUSÕES: O acesso gratuito aos medicamentos mostrou-se fator de proteção para a automedicação. A distribuição de medicamentos e o atendimento adequado devem ser considerados para orientação e redução dos riscos que o uso irracional de medicamentos pode gerar à saúde.; OBJETIVO: Estimar la proporción da automedicación en adultos de baja renta e identificar factores asociados. MÉTODOS: Se utilizaron datos de pesquisa poblacional realizado en el municipio de Sao Paulo...

Inquérito sobre uso de medicamentos por idosos aposentados, Belo Horizonte,MG; Survey on medicine use by elderly retirees in Belo Horizonte, Southeastern Brazil

Ribeiro, Andréia Queiroz; Rozenfeld, Suely; Klein, Carlos Henrique; César, Cibele Comini; Acurcio, Francisco de Assis
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
75.46%
OBJETIVO: Caracterizar o uso de medicamentos por aposentados e pensionistas idosos, com ênfase nas diferenças entre gêneros. MÉTODOS: Inquérito domiciliar conduzido com amostra aleatória simples de 667 indivíduos com 60 anos ou mais, residentes em Belo Horizonte, MG, em 2003. Os idosos foram entrevistados por farmacêuticos, utilizando questionário padronizado. Foram estimadas a prevalência de uso e a média de medicamentos usados nos últimos 15 dias anteriores à entrevista, as quais foram estratificadas de acordo com o gênero segundo variáveis sociodemográficas e de saúde. RESULTADOS: A prevalência de uso de medicamentos foi de 90,1%, significativamente maior entre as mulheres (93,4%) do que entre os homens (84,3%). Mulheres utilizaram em média 4,6±3,2 produtos e homens 3,3±2,6 (p; OBJECTIVE: To describe self-reported use of medicines by Brazilian elderly retirees focusing on gender differences. METHODS: Household survey conducted in a random sample comprising 667 subjects aged 60 years or more who were living in Belo Horizonte, Southeastern Brazil, in 2003. The elderly were interviewed by pharmacists, using a standardized questionnaire. The prevalence of medicine use and mean use in the 15 days previous to the interview were estimated and then stratified by gender according to sociodemographic and health variables. RESULTS: The prevalence of medicine use was 90.1%...

Diagnóstico e controle da polifarmácia no idoso; Diagnosis and control of polypharmacy in the elderly

Medeiros-Souza, Patrícia; Santos-Neto, Leopoldo Luiz dos; Kusano, Liana Tieko Evangelista; Pereira, Maurício Gomes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
65.5%
O artigo teve por objetivo comentar estudos sobre polifarmácia em idosos, particularmente em diagnose e controle. O conceito de polifarmácia considera o uso de diversos medicamentos ao mesmo tempo, além da utilização de um fármaco para corrigir o efeito adverso de outro. Por consumirem mais medicamentos para o tratamento de diversas doenças, os idosos são mais vulneráveis ao surgimento de reações adversas. Medidas profiláticas, como a prescrição balanceada, são de fundamental importância para diminuir essas reações, tendo em vista o aumento do tempo de internação, gasto e piora do quadro de saúde do idoso.; The article had the purpose of commenting on studies on polypharmacy in the elderly, focusing on diagnosis and control. Polypharmacy is defined as the use of a number of medications at the same time and the use of additional drugs to correct drug adverse effects. The fact that the elderly take more medications for the treatment of several diseases makes them more susceptible to the occurrence of adverse reactions. Prophylactic actions such as balanced prescriptions are vital to reduce the incidence of these reactions and prevent longer hospital stay, increased costs and aggravation of the elderly health condition.

Uso de medicamentos por pessoas com deficiências em áreas do estado de São Paulo; Uso de medicamentos por personas con deficiencias en áreas del Estado de Sao Paulo, Sureste de Brasil; Use of medicines by persons with disabilities in São Paulo state areas, Southeastern Brazil

Castro, Shamyr Sulyvan; Pelicioni, Americo Focesi; Cesar, Chester Luiz Galvão; Carandina, Luana; Barros, Marilisa Berti de Azevedo; Alves, Maria Cecilia Goi Porto; Goldbaum, Moisés
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2010 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
65.57%
OBJETIVO: Analisar o consumo de medicamentos e os principais grupos terapêuticos consumidos por pessoas com deficiências físicas, auditivas ou visuais. MÉTODOS: Estudo transversal em que foram analisados dados do Inquérito Multicêntrico de Saúde no Estado de São Paulo (ISA-SP) em 2002 e do Inquérito de Saúde no Município de São Paulo (ISA-Capital), realizado em 2003. Os entrevistados que referiram deficiências foram estudados segundo as variáveis que compõem o banco de dados: área, sexo, renda, faixa etária, raça, consumo de medicamentos e tipos de medicamentos consumidos. RESULTADOS: A percentagem de consumo entre as pessoas com deficiência foi de: 62,8% entre os visuais; 60,2% entre os auditivos e 70,1% entre os físicos. As pessoas com deficiência física consumiram 20% mais medicamentos que os não-deficientes. Entre as pessoas com deficiência visual, os medicamentos mais consumidos foram os diuréticos, agentes do sistema renina-angiotensina e analgésicos. Pessoas com deficiência auditiva utilizaram mais analgésicos e agentes do sistema renina-angiotensina. Entre indivíduos com deficiência física, analgésicos, antitrombóticos e agentes do sistema renina-angiotensina foram os medicamentos mais consumidos. CONCLUSÕES: Houve maior consumo de medicamentos entre as pessoas com deficiências quando comparados com os não-deficientes...

Farmácia: a porta de entrada para o acesso a medicamentos para idosos residentes em Santos; Pharmacy: a gateway to access to medicines for elderly individuals living in the city of Santos

Moura, Beatriz Vieira de; Cohn, Amélia; Pinto, Rosa Maria Ferreiro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
65.59%
Este estudo teve como objetivos conhecer o perfil dos medicamentos utilizados pelos idosos, com ênfase na associação entre aqueles de uso contínuo mais utilizados e outros fármacos sem indicação médica e avaliar a função social do farmacêutico nas farmácias privadas. O método utilizado foi a pesquisa qualitativa de natureza compreensiva e explicativa, realizada no município de Santos, em 2008, em bairros com maior concentração de idosos (IBGE,2000). Nesses bairros, foram identificadas três farmácias privadas, que autorizaram a realização da pesquisa por um período de uma semana, quando foram realizadas as entrevistas, a partir de um roteiro estruturado.Os resultados evidenciaram um maior consumo dos idosos para as classes farmacológicas dos medicamentos de uso contínuo (os anti-hipertensivos, antidiabéticos, diuréticos e o antiagregante plaquetário). Dentre os medicamentos adquiridos sem prescrição médica, destacaram-se a compra de: analgésicos/antitérmicos, antigripais, antiinflamatórios e fitoterápicos. Alguns dos que compõem esse conjunto são tarjados e exigiriam a apresentação do receituário. As evidências obtidas apontam para o fato de que o consumo autoindicado, associado ao uso de medicamentos de uso contínuo...

Access to continued-use medication among older adults, Brazil

Viana,Karynna Pimentel; Brito,Alexandre dos Santos; Rodrigues,Claudia Soares; Luiz,Ronir Raggio
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 EN
Relevância na Pesquisa
65.55%
OBJECTIVE To determine the prevalence and associated access factors for all continued-use prescription drugs and the ways in which they can be obtained.METHODS Data was obtained from the 2008 Household National Survey. The sample comprised 27,333 individuals above 60 years who reported that they used continued-use prescription drugs. A descriptive analysis and binary and multiple multinomial logistic regressions were performed.RESULTS 86.0% of the older adults had access to all the medication they needed, and among them, 50.7% purchased said medication. Those who obtained medication from the public health system were younger (60-64 years), did not have health insurance plans, and belonged to the lower income groups. It is remarkable that 14.0% of the subjects still had no access to any continued-use medication, and for those with more than four chronic diseases, this amount reached 22.0%. Those with a greater number of chronic diseases ran a higher risk of not having access to all the medication they needed.CONCLUSIONS There are some groups of older adults with an increased risk of not obtaining all the medication they need and of purchasing it. The results of this study are expected to contribute to guide programs and plans for access to medication in Brazil.

Chronic use of benzodiazepines among older adults

Alvarenga,Jussara Mendonça; Giacomin,Karla Cristina; Loyola Filho,Antônio Ignácio de; Uchoa,Elizabeth; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 EN
Relevância na Pesquisa
75.53%
OBJECTIVE To analyze the perception of and motivation for the chronic use of benzodiazepine among older adults. METHODS A qualitative study was conducted on 22 older adults living in Bambuí, MG, Southeastern Brazil, who were taking benzodiazepines and had the clinical and cognitive ability to respond to interview questions. The collected data were analyzed on the basis of the “signs, meanings, and actions” model. RESULTS The main reasons pointed out for the use of benzodiazepines were “nervousness”, “sleep problems”, and “worry” due to family and financial problems, everyday problems, and existential difficulties. None of the interviewees said that they used benzodiazepines in a dose higher than that recommended or had been warned by health professionals about any risks of their continuous use. Different strategies were used to obtain the prescription for the medication, and any physician would prescribe it, indicating that a bond was established with the drug and not with the health professional or healthcare service. Obtaining and consuming the medication turned into a crucial issue because benzodiazepine assumes the status of an essential food, which leads users to not think but sleep. It causes a feeling of relief from their problems such as awareness of human finitude and fragility...

Diagnosis and control of polypharmacy in the elderly

Medeiros-Souza,Patrícia; Santos-Neto,Leopoldo Luiz dos; Kusano,Liana Tieko Evangelista; Pereira,Maurício Gomes
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 EN
Relevância na Pesquisa
65.5%
The article had the purpose of commenting on studies on polypharmacy in the elderly, focusing on diagnosis and control. Polypharmacy is defined as the use of a number of medications at the same time and the use of additional drugs to correct drug adverse effects. The fact that the elderly take more medications for the treatment of several diseases makes them more susceptible to the occurrence of adverse reactions. Prophylactic actions such as balanced prescriptions are vital to reduce the incidence of these reactions and prevent longer hospital stay, increased costs and aggravation of the elderly health condition.