Página 1 dos resultados de 637 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Efeitos de dopamina e noradrenalina no fluxo sangüíneo regional no tratamento do choque séptico; Dopamine and noradrenaline effects in the blood flux regional on therapeutic in the septic shock

MIRANDA, Milena Penteado Ferraro; SORIANO, Francisco Garcia; SECOLI, Silvia Regina
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A noradrenalina e a dopamina são utilizadas, no estado de choque, com o intuito de oferecer suporte hemodinâmico e restabelecer a perfusão tecidual. As ações farmacológicas desses vasopressores podem ser variadas, deste modo, o uso necessita, por parte do clinico, interpretação dos efeitos hemodinâmicos, com observação das variáveis sistêmica e regional. O objetivo deste estudo foi analisar as publicações acerca dos efeitos da noradrenalina e dopamina em baixas doses na perfusão hepatoesplâncnica e renal no tratamento do choque séptico. MÉTODO: Foram selecionados artigos (n = 27) sobre o uso de noradrenalina e dopamina em choque séptico, publicados no período de 1997 a setembro de 2007 revisados na PubMed, base de dados da National Library of Medicine (NLM). Utilizou-se o recurso MESH com os descritores noradrenaline, dopamine e sepsis. RESULTADOS: Os efeitos de dopamina e noradrenalina na perfusão renal demonstraram ser semelhantes em relação ao aumento da diurese e não alteração na depuração de creatinina. A noradrenalina não afetou a perfusão tissular renal, apesar de elevar o tônus vascular. Quanto aos efeitos esplâncnicos, os dois fármacos demonstraram aumentar o fluxo sangüíneo...

Dopamina, óxido nítrico e suas interações em modelos para o estudo da esquizofrenia; Dopamine, nitric oxide and their interactions in models for the study of schizophrenia

SALUM, Cristiane; PEREIRA, Ana Carolina de Castro Issy; GUIMARÃES, Elaine Aparecida Del Bel Belluz
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
Modelos experimentais baseados no aumento da neurotransmissão dopaminérgica mimetizam aspectos comportamentais e neuroquímicos característicos da esquizofrenia. Psicoestimulantes, como a anfetamina, são utilizados com esta finalidade, pois aumentam os níveis de dopamina extracelular nas vias mesocorticolímbica e mesoestriatal. As limitações da manipulação direta do sistema dopaminérgico nos modelos animais incentivam abordagens complementares. O óxido nítrico (NO), um neurotransmissor atípico que inibe a recaptação de dopamina e estimula sua liberação, parece modular comportamentos controlados pelo sistema dopaminérgico. O teste de inibição pré-pulso revela uma deficiência no filtro sensório-motor, verificada em esquizofrênicos ou após tratamentos com psicotomiméticos, podendo ser prevenida pela inibição do NO. Esta revisão apresenta evidências da interação do NO com o sistema dopaminérgico em modelos para o estudo da esquizofrenia como uma nova ferramenta de investigação desta patologia.; Experimental models based on the increase of dopaminergic neurotransmission mimic behavioral and neurochemical schizophrenia-like aspects. Psychostimulants, as amphetamine, are used with this purpose because they increase extracellular dopamine levels in mesocorticolimbic and mesostriatal pathways. The limitations of direct manipulation uniquely based on the dopamine system in animal models have encouraged the use of new approaches. Nitric oxide (NO)...

Análise dos polimorfismos 3420 e 3438 no gene do receptor da dopamina D2 em mulheres com diferentes desfechos reprodutivos : endometriose e aborto de repetição

Bilibio, João Paolo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
Introdução: O aumento do nível sérico de prolactina tem sido associado com desfechos ginecológicos e obstétricos desfavoráveis, entre eles a endometriose e aborto recorrente. Sabendo que o polimorfismo do receptor da dopamina D2 (DRD2) está associado com hiperprolactinemia, realizamos este estudo para verificar sua associação com endometriose e com abortamento de repetição. Objetivos: Verificar a prevalência dos polimorfismos de receptores de dopamina D2 em pacientes com endometriose peritoneal e em pacientes com abortamento de repetição comparando com mulheres saudáveis. Métodos: Dois estudos de caso-controle foram realizados: um estudo com 107 mulheres com idade entre 18 e 35 anos que foram atendidas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre devido à infertilidade causada pela endometriose peritoneal comparada com mulheres saudáveis. O outro estudo foi realizado com um total de 54 mulheres com idade entre 18 e 35 anos que tinham história de aborto de repetição comparada a mulheres férteis sem história de aborto. Foi realizada a extração de DNA de sangue periférico, seguido de reação em cadeia da polimerase (PCR) e o sequenciamento dos dois polimorfismos no exon 7 do gene receptor de dopamina D2 (DRD2). O polimorfismo 1 ocorre no nucleotídeo 3420 (Citosina para Timina...

Avaliação da densidade do transportador da dopamina em adolescentes com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade

Silva Junior, Neivo da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
O Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH) é um transtorno comportamental caracterizado por desatenção e/ou hiperatividade, impulsividade causando prejuízo funcional em múltiplos ambientes. Anormalidades no circuito frontoestriatal, o qual é modulado pela dopamina, têm sido relatadas em pacientes com TDAH. Estudos estruturais e funcionais demonstram redução de tamanho e diminuição do fluxo sanguíneo cerebral (FSC) em áreas relacionadas à rede atencional como o lobos frontal, parietal e temporal, estriado e cerebelo. Da mesma forma, a maioria dos estudos que utilizaram radiofármacos seletivos para o transportador da dopamina (DAT), o qual tem um papel importante no metabolismo da dopamina, mostraram maior densidade de DAT estriatal em pacientes com TDAH em comparação com grupo controle. Devido ao fato de algumas pesquisas terem sugerido que anormalidades no fluxo sanguíneo cerebral em estruturas cortico-subcorticais poderiam estar relacionadas a mudanças no sistema dopaminérgico, decidimos investigar a relação entre a densidade do transportador da dopamina no estriado e a perfusão cerebral total. Foi utilizado, para avaliação do DAT, o radiofármaco Tc-99m TRODAT-1 com técnica tomográfica em SPECT e para avaliação da perfusão 99mTc- ECD. Dez adolescentes...

Uso precoce e tardio de dopamina após isquemia miocárdica

Souza, Ademar R.; Silva, Marcos A. M.; Andrade, Rubens R.; Oliveira, Reinaldo A.; Martins, Antônio S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 309-313
POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
OBJETIVO: Avaliar os efeitos na função ventricular esquerda do uso precoce e tardio de dopamina, em modelo experimental de coração isolado. MÉTODO: Foram utilizados 60 coelhos em modelo de coração isolado mantido por animal suporte. Um balão intraventricular foi locado no ventrículo esquerdo. Três grupos foram constituídos: grupo controle (GC); grupo que recebeu dopamina precoce (Dopa P) e grupo que recebeu dopamina tardia (após 20 minutos) (Dopa T). Foram realizadas leituras hemodinâmicas diretas e indiretas. RESULTADOS: Fluxo sangüíneo coronariano: GC(7,196 ± 1,275ml/min); Dopa P (9,477 ± 1,160ml/min); Dopa T (14,316 ± 2,308ml/min), com GC=Dopa P, GC ¹Dopa T e Dopa P¹Dopa T. Primeira derivada temporal da pressão intraventricular (dp/dt+): GC (719,61 ± 127,53ml/min); Dopa P (719,61 ± 127,53ml/min); Dopa T (1431,60 ± 230,87ml/min), p<0,05, Dopa P¹Dopa T, GC=Dopa P e GC ¹ Dopa T. Primeira derivada temporal da pressão intraventricular negativa (dp/dt-): GC (469,85 ± 107,16mmHg/s); Dopa P (716,07 ± 215,66mmHg/s); Dopa T (931,24 ± 181,46mmHg/s), p<0,05, Dopa P¹Dopa T¹GC. Delta V: GC (1,355 ± 0,2432ml); Dopa P (0,97 ± 0,3199ml); Dopa T (1,27 ± 0,2983ml), p>0,05, Dopa P=Dopa T=GC. Estresse sistólico desenvolvido: GC (27...

Avaliação da função renal de cães sadios e nefropatas sob infusão de dopamina

Brum, Alexandre Martini de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: v, 46 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; A dopamina e um composto endogeno amplamente utilizado em terapia intensiva. Possui um amplo espectro de acoes, tanto sobre o sistema cardiovascular como urinario. Aumento da taxa de filtracao glomerular, do fluxo sanguineo renal e excrecao fracionada de sodio e fosforo sao efeitos renais esperados em individuos normais, porem sao pouco explorados na medicina veterinaria. Com o proposito de testar a hipotese que a dopamina e capaz de aumentar a excrecao fracionada de fosforo em caes nefropatas, este estudo foi conduzido. Diferentes doses de dopamina foram administradas em caes nefropatas. Avaliacoes laboratoriais foram realizadas durante e apos os tratamentos. O clearance de creatinina e a excrecao fracionada de fosforo apresentaram aumento dose-dependente nos caes sadios. Em caes nefropatas, a dose de 1 Êg/kg/min aumentou discretamente a TFG, alem de aumentar o volume urinario e excrecao de fosfato, sem modificar a U-P/C e pressao arterial sistemica, enquanto a dose de 3 Êg/kg/min nao aumentou os beneficios e, ainda, promoveu aumento da excrecao urinaria de proteinas.; Dopamine is a endogenous compound largely used in critical care. It has a large spectrum of actions on cardiovascular and urinary systems. Increases in glomerular filtration rate...

Efeitos renais e cardiovasculares da infusão de dopamina e da solução de cloreto de sódio a 7,5%: estudo experimental em cães com restrição hídrica

Verderese,Marisa Aparecida Lima; Vianna,Pedro Thadeu Galvão; Ganem,Eliana Marisa; Vane,Luiz Antonio
Fonte: Sociedade Brasileira de Anestesiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.62%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: É controvertido o uso da infusão de dopamina na proteção renal. O objetivo desta pesquisa foi estudar o efeito da dopamina, da solução hipertônica e da associação de ambas em cães com restrição hídrica, simulando o jejum pré-operatório. MÉTODO: Foram estudados, em 32 cães anestesiados com tiopental sódico e fentanil, os seguintes parâmetros da função renal: fluxo plasmático efetivo renal (depuração de para-aminohipurato de sódio), ritmo de filtração glomerular (depuração de creatinina) e as depurações de sódio, de potássio e osmolar, excreção fracionária de sódio e potássio, excreção de sódio e potássio e a resistência vascular renal. Os parâmetros cardiovasculares foram: pressão arterial média, freqüência cardíaca, pressão da veia cava inferior, índice cardíaco, hematócrito e índice de resistência vascular periférica. Os animais foram subdivididos, através de sorteio, em 4 grupos experimentais: Grupo 1 - G1 (n = 8) - grupo controle; Grupo 2 - G2 (n = 8) infusão de dopamina (2 µg.kg-1.min-1), Grupo 3 - G3 (n = 8) solução de cloreto de sódio a 7,5% (2 ml.kg-1) e Grupo 4 - G4 (n = 8) - associação de dopamina (2 µg.kg-1.min-1) e cloreto de sódio a 7...

Efeitos do propofol na resposta contrátil do miocárdio à dopamina e dobutamina: estudo experimental em corações isolados de ratos

Pontes,José Carlos Dorsa; Medeiros,Carlos Geraldo Sobral; Gomes,Otoni M
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1996 PT
Relevância na Pesquisa
37.67%
OBJETIVO: Estudo experimental das ações farmacodinâmicas do propofol e sua interação com a dopamina e dobutamina em corações isolados de ratos. MÉTODO: Foram estudadas as variações da contratilidade miocárdica (dT/dt), em 30 corações isolados de ratos. Em todos os animais, após anestesia por inalação de éter, os corações foram excisados e perfundidos em sistema de Langendorff com solução de Krebs - Hensleit enriquecida com 95% O2 e 5% CO2, (pressão de 90 cm de H2O, temperatura constante de 37,0ºC ± 0,5ºC). Foram estudados 30 animais divididos em: Grupo I (controle) - 10 corações perfundidos durante 11 minutos com solução de Krebs - Hensleit; Grupo II (dopamina-propofol-dopamina) -10 corações onde foram administrados dopamina (50 mcg/ml) e analisados os resultados nos 1º, 3º e 5º minutos e, posteriormente, propofol, (25 mcg/ml) infundindo-se 1 minuto após, dopamina (50 mcg/ml) e analisando-se os 1º, 3º e 5º minutos. Grupo III (dobutamina-propofol-dobutamina) - diferiu do Grupo II pela substituição da dopamina por dobutamina (50 mcg/ml). RESULTADOS: No Grupo I observou-se que a dT/dt variou de 39,57 ± 3,97 (g.seg-1) a 39,37 ± 3,44 (g.seg-1) (p>0,05) no período estudado. No Grupo II observou-se que...

Uso precoce e tardio de dopamina após isquemia miocárdica

Souza,Ademar R.; Silva,Marcos A. M.; Andrade,Rubens R.; Oliveira,Reinaldo A.; Martins,Antônio S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
OBJETIVO: Avaliar os efeitos na função ventricular esquerda do uso precoce e tardio de dopamina, em modelo experimental de coração isolado. MÉTODO: Foram utilizados 60 coelhos em modelo de coração isolado mantido por animal suporte. Um balão intraventricular foi locado no ventrículo esquerdo. Três grupos foram constituídos: grupo controle (GC); grupo que recebeu dopamina precoce (Dopa P) e grupo que recebeu dopamina tardia (após 20 minutos) (Dopa T). Foram realizadas leituras hemodinâmicas diretas e indiretas. RESULTADOS: Fluxo sangüíneo coronariano: GC(7,196 ± 1,275ml/min); Dopa P (9,477 ± 1,160ml/min); Dopa T (14,316 ± 2,308ml/min), com GC=Dopa P, GC ¹Dopa T e Dopa P¹Dopa T. Primeira derivada temporal da pressão intraventricular (dp/dt+): GC (719,61 ± 127,53ml/min); Dopa P (719,61 ± 127,53ml/min); Dopa T (1431,60 ± 230,87ml/min), p<0,05, Dopa P¹Dopa T, GC=Dopa P e GC ¹ Dopa T. Primeira derivada temporal da pressão intraventricular negativa (dp/dt-): GC (469,85 ± 107,16mmHg/s); Dopa P (716,07 ± 215,66mmHg/s); Dopa T (931,24 ± 181,46mmHg/s), p<0,05, Dopa P¹Dopa T¹GC. Delta V: GC (1,355 ± 0,2432ml); Dopa P (0,97 ± 0,3199ml); Dopa T (1,27 ± 0,2983ml), p>0,05, Dopa P=Dopa T=GC. Estresse sistólico desenvolvido: GC (27...

Efeitos de dopamina e noradrenalina no fluxo sangüíneo regional no tratamento do choque séptico

Miranda,Milena Penteado Ferraro; Soriano,Francisco Garcia; Secoli,Silvia Regina
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A noradrenalina e a dopamina são utilizadas, no estado de choque, com o intuito de oferecer suporte hemodinâmico e restabelecer a perfusão tecidual. As ações farmacológicas desses vasopressores podem ser variadas, deste modo, o uso necessita, por parte do clinico, interpretação dos efeitos hemodinâmicos, com observação das variáveis sistêmica e regional. O objetivo deste estudo foi analisar as publicações acerca dos efeitos da noradrenalina e dopamina em baixas doses na perfusão hepatoesplâncnica e renal no tratamento do choque séptico. MÉTODO: Foram selecionados artigos (n = 27) sobre o uso de noradrenalina e dopamina em choque séptico, publicados no período de 1997 a setembro de 2007 revisados na PubMed, base de dados da National Library of Medicine (NLM). Utilizou-se o recurso MESH com os descritores noradrenaline, dopamine e sepsis. RESULTADOS: Os efeitos de dopamina e noradrenalina na perfusão renal demonstraram ser semelhantes em relação ao aumento da diurese e não alteração na depuração de creatinina. A noradrenalina não afetou a perfusão tissular renal, apesar de elevar o tônus vascular. Quanto aos efeitos esplâncnicos, os dois fármacos demonstraram aumentar o fluxo sangüíneo...

Dopamina e o rim na sepse: uma revisão sistemática

Katz,Denise Varella; Troster,Eduardo Juan; Vaz,Flavio Adolfo Costa
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.53%
A insuficiência renal aguda (IRA) tem uma alta morbi-mortalidade em pacientes de terapia intensiva. A sepse grave e choque séptico são fatores de risco importantes para o desenvolvimento de IRA. A dopamina em dose baixa (0,5 a 3 mg/kg/min) vem sendo empregada durante várias décadas como opção terapêutica para a proteção da função renal nestes pacientes, ainda que na ausência de estudos bem controlados. OBJETIVOS: Verificar evidências na literatura que justifiquem o uso rotineiro da dopamina em dose baixa nos pacientes com sepse grave e choque séptico. MÉTODOS: Busca sistemática da literatura, abrangendo bancos de dados eletrônicos (MEDLINE, EMBASE, LILACS) e a busca manual de artigos. RESULTADOS: Dos cinco estudos clínicos randomizados encontrados, nenhum se enquadrou nos critérios de inclusão, pois não avaliavam a função renal. Dentre os estudos do tipo séries de casos, apenas oito foram passíveis de avaliação qualitativa. Foram descritos alguns efeitos adversos associados à dopamina, tais como aumento do shunt pulmonar, taquiarritmias, aumento na pressão de artéria pulmonar, que não foram estatisticamente significantes. A mortalidade também não se alterou com o uso da dopamina. CONCLUSÕES: Não existem evidências suficientes na literatura que suportem o uso rotineiro da dopamina em dose baixa como opção terapêutica para proteção da função renal na sepse grave e choque séptico.

Interação entre adenosina, dopamina e óxido nítrico nos núcleos basais : análise do comportamento motor em um modelo animal da doença de Parkinson

Silva, Sheila Insfran da
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.58%
Introdução: A dopamina, a adenosina e o óxido nítrico (NO) desempenham um papel importante na função dos núcleos da base do encéfalo, todavia, a interação entre estes, na modulação do comportamento motor ainda permanece pouco esclarecida. Objetivos: Avaliar a interação entre a adenosina, dopamina e óxido nítrico nos núcleos basais, por meio da avaliação do comportamento motor, em um modelo animal da doença de Parkinson. Material e Métodos: Animais e grupos experimentais de Camundongos Suíços (n=272), machos, pesando entre 20 e 30g. Experimento I: Os animais receberam injeção intra peritonial (i.p.) de salina ou cafeína, seguida pela aplicação i.p. salina ou L-Arginina, haloperidol, L-NOARG ou L-NAME após 30 minutos, perfazendo um total de 5 grupos experimentais. Experimento II: Os animais receberam injeção (i.p.) com salina ou NECA (5’, NEtilcarboxamidoadenosina), seguida pela aplicação i.p. de salina ou L-Arginina, ou haloperidol ou L-NOARG ou L-NAME após 30 minutos, perfazendo um total de 5 grupos experimentais. Após os intervalos de tempo 30, 60 e 90 minutos subseqüentes a aplicação das drogas, os animais foram submetidos à avaliação funcional no teste de catalepsia e campo aberto. Análise estatística: Os resultados foram analisados pelo software SigmaStat para Windows na versão 2.0. As médias dos fatores tratamento e tempo foram comparadas por ANOVA de duas vias de medidas repetitivas. A comparação entre os grupos experimentais...

Desenvolvimento de metodologias analíticas usando FIA com detecção amperométrica : análise de dopamina, ácido ascórbico e ácido úrico

Gimenes, Denise Tofanello
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
No presente trabalho foi investigada uma metodologia simples, sensível e seletiva para a determinação de espécie analíticas de interesse farmacêutico e biológico. Os estudos foram direcionados para a determinação de dopamina (DA) na presença de altas concentrações de ácido ascórbico (AA), dopamina na presença de AA e ácido úrico (AU) e determinação simultânea de AA e AU usando Análise por Injeção em Fluxo (FIA) com detecção amperométrica de múltiplos pulsos (AMP) e carbono vítreo como eletrodo de trabalho (sem modificação química). Inicialmente, um estudo do comportamento eletroquímico das espécies analíticas foi avaliado em meio de H2SO4 0,20 mol L-1. A opção por este eletrólito se deve ao fato de que a cinética de reação entre a o-dopaminoquinona (o-DQ) e AA ser muito lenta nesta condição. Em seguida foram otimizados os potenciais de oxidação e redução para a determinação indireta de DA e AU em sistema FIA com detecção por AMP. Para a análise de dopamina na presença de altas concentrações de ácido ascórbico, os seguintes pulsos de potenciais em função do tempo foram utilizados: (a) +0,8V / 700 ms: oxidação simultânea de DA e AA; (b) +0,35V / 30 ms: determinação indireta de DA através da redução da o-DQ gerada no pulso de potencial anterior; (c) 0...

O gene do transportador de dopamina e a suscetibilidade genética ao Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade em crianças

Genro, Júlia Pasqualini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) está entre as doenças psiquiátricas mais comuns na infância e adolescência, afetando 5,3% de crianças em todo mundo. O TDAH é uma doença bastante heterogênea caracterizada por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade, determinando prejuízo significativo na qualidade de vida dos pacientes. A partir destes sintomas três tipos clínicos são reconhecidos: predominantemente desatento, predominantemente hiperativo-impulsivo e combinado (combinação dos sintomas de ambos os grupos). Embora sua etiologia ainda não esteja totalmente esclarecida, existem fortes evidências mostrando que os genes desempenham um papel importante na doença. O transportador de dopamina (DAT) é uma proteína plasmática de membrana que controla a neurotransmissão dopaminérgica através da recaptação da dopamina liberada pelos neurônios pré-sinapticos. O DAT também é o principal sítio de ação do metilfenidato, que é o estimulante mais usado no tratamento do TDAH. O metilfenidato bloqueia a ação do DAT aumentando as concentrações sinápticas de dopamina. Esta evidência justifica o gene transportador de dopamina (DAT1 ou SLC6A3) como um candidato central no TDAH. A grande maioria dos estudos de associação com este gene concentram-se na região 3’ não traduzida do gene (3’ UTR)...

Determinação de levodopa, carbidopa, entacapona, tolcapona, 3-0-metildopa e dopamina em plasma humano utilizando CLAE-EM/EM

Ribeiro, Rômulo Pereira
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 111f. : il., grafs., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.58%
Orientador : Prof. Dr. Roberto Pontarolo; Co-orientador: Prof. Dr. João Cleverson Gasparetto; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. Defesa: Curitiba, 25/02/2014; Inclui referências; Área de concentração: Insumos, medicamentos e correlatos; Resumo: No presente trabalho foi desenvolvido e validado um método para quantificação simultânea de levodopa, carbidopa, entacapona, tolcapona, 3-O-metildopa e dopamina em plasma, através de cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas sequencial (CLAE-EM/EM). A fonte de ionização por electrospray (ESI) operada no modo positivo de ionização foi o mecanismo mais eficiente para ionizar os compostos de interesse. Na cromatografia, foi utilizada uma coluna XBridge C8 (150 x 4,6 mm com tamanho de partícula de 5 ?m) mantida a 30 ºC. A fase móvel foi composta de um gradiente entre água e acetonitrila:metanol (90:10, v/v) ambos contendo 0,1% de ácido fórmico. A extração dos analitos foi realizada por meio da precipitação de proteínas com acetonitrila contendo 0,1% de ácido fórmico. Dados da validação demonstraram que o método é seletivo e não sofre efeito residual e de matriz. O método foi considerado sensível por apresentar baixos limites de detecção (5 ng/mL para levodopa; 7 ng/mL para a carbidopa; 1 ng/mL para entacapona; 1...

Effect of environmental salinity and dopamine injections on key digestive enzymes in hepatopancreas of the euryhaline crab Cyrtograpsus angulatus (Decapoda: Brachyura: Varunidae; Efecto de la salinidad ambiental y de la inyección de dopamina sobre enzimas digestivas clave en hepatopáncreas del cangrejo eurihalino Cyrtograpsus angulatus (Decapoda: Brachyura: Varunidae)

Michiels, Maria Soledad; del Valle, Juana Cristina; Lopez Mañanes, Alejandra Antonia
Fonte: Instituto de Ciencias del Mar Barcelona Publicador: Instituto de Ciencias del Mar Barcelona
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
37.47%
We studied the occurrence and characteristics of lipase activity and the response of lipase and proteolytic activity to salinity and dopamine injections in hepatopancreas of the euryhaline crab (Cyrtograpsus angulatus). Lipase activity was maximal at pH 8.5; it exhibited Michaelis-Menten kinetics (apparent Km=0.019 mM), was higher at 37°C and appeared to be cold tolerant, being also high at 4°C. In 10 psu (hyper-regulation conditions), lipase and proteolytic activity were about 3 and 5 times higher, respectively, than in 35 psu (osmoconformation). In 40 psu (hypo-regulation), lipase activity was about three times higher than in 35 psu, while proteolytic activity was similar. Lipase activity was inhibited in vivo by 10–4 M dopamine in 35 psu but not in 10 or 40 psu. Proteolytic activity was not affected by 10–4 M dopamine. The differential responses of lipase and proteolytic activity to salinity and dopamine suggest the occurrence of distinct digestive adjustments and mechanisms of regulation upon osmoregulatory conditions. This study contributes to a better understanding of the complexity of the biochemical adaptations to salinity in euryhaline crabs. The fact that higher digestive enzyme activities could be associated with a differential digestive capacity potentially leading to enhanced availability of energy substrates is discussed.; Se estudió la existencia y características bioquímicas de actividad de lipasa y la respuesta a salinidad y a dopamina de actividad de lipasa y proteolítica total en el hepatopáncreas del cangrejo eurihalino Cyrtograpsus angulatus. La actividad de lipasa fue máxima a pH 8...

Salsolinol e isosalsolinol : productos de la condensación de dopamina y acetaldehído como efectores finales del efecto reforzante del etanol

Berríos Cárcamo, Pablo Andrés
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
37.65%
Magíster en Bioquímica, área de especialización en Bioquímica Toxicológica y Diagnóstico Molecular; Memoria para optar al Título de Bioquímico; Autorizada por el autor, pero con restricción para ser publicada a texto completo en el Portal de tesis, hasta enero de 2014; Recientemente, se demostró que la metabolización de etanol a acetaldehído es indispensable para que su consumo sea reforzante; sin embargo, no se conoce el mecanismo cerebral por el cual se produce este efecto. Se ha postulado que el salsolinol, un producto racémico de la condensación no enzimática de acetaldehído con dopamina, es responsable del efecto reforzante del etanol. La concentración cerebral de salsolinol aumenta luego del consumo de etanol y el salsolinol es una molécula reforzante más potente que el acetaldehído y el etanol, probablemente activando al receptor μ de opioides. Sin embargo, el salsolinol de Sigma-Aldrich, caracterizado como reforzante en los estudios en la literatura, está compuesto por 4 isómeros: R- y S-salsolinol, y R- y S-isosalsolinol (este último es un producto secundario de la condensación no enzimática de acetaldehído y dopamina). Queda por esclarecer: cuál o cuáles de estas moléculas son reforzantes y si estas moléculas alcanzan su concentración reforzante cuando se consume etanol. Además...

Derivados de glicosil-diacil dopamina y sus sales como agentes potenciales de reposición de dopamina en cerebro y su procedimiento de obtención

Fernández-Mayoralas, Alfonso; Nieto López, Ofelia; Fontela Gil, José Ángel; Fernández Lozano, Caridad; Rivas Torres, Emilia
Fonte: Conselho Superior de Investigações Científicas Publicador: Conselho Superior de Investigações Científicas
Tipo: Patente Formato: 150799 bytes; application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.53%
Referencia OEPM: P9902827.-- Fecha de solicitud: 22/12/1999.-- Titulares: Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), Universidad de Santiago; La hipótesis de la invención se fundamenta en la capacidad de un residuo glucídico para actuar como un vector que transporte al neurotransmisor hacia el interior del tejido cerebral, en donde se liberará gradualmente dopamina por hidrólisis de la unión glúcido- dopamina. Los compuestos presentan la dopamina unida a una hexosa a través de un conector derivado de un ácido dicarboxílico. Las uniones tienen lugar mediante enlaces susceptibles de ser hidrolizados por enzimas hidrolasas presentes en tejido cerebral, tales como estearasas y proteasas. Poseen utilidad potencial como nuevos agentes terapéuticos en el tratamiento de enfermedades caracterizadas por bajos niveles de dopamina, como la enfermedad de Parkinson.; Peer reviewed

Validación de un método analítico de determinación de dopamina por cromatografía líquida de alta resolución

Hernández Falcón,Daylín; Fernández García,Asela; Ledea Lozano,Ernesto
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 ES
Relevância na Pesquisa
37.39%
Introducción: la dopamina es una hormona endógena del grupo de las catecolaminas que se emplea como fármaco para simular la acción del sistema nervioso simpático, promueve el incremento de la frecuencia cardiaca y la presión arterial. Sin embargo; este medicamento presenta un alto potencial genotóxico y está asociado al tratamiento de enfermedades como la esquizofrenia y el Mal del Parkinson. Por tal motivo ha resultado de gran interés su determinación en las aguas residuales que emergen de su producción. Objetivo: validar un método para la cuantificación por cromatografía líquida de alta resolución de la dopamina presente en disoluciones acuosas. Métodos: la validación se llevó a cabo empleando una columna RP-18 de 250 x 4,6 mm, 5 µm; fase móvil: NaH2PO4 al 1 %/CH3OH (90/10); flujo: 1,0 mL/min y un detector ultravioleta visible a 280 nm. Se calcularon los límites de detección y cuantificación, y se evaluó la estabilidad del medicamento en las condiciones de análisis. Resultados: se obtuvieron pruebas documentadas que demuestran que el método resultó ser lineal (r= 0,999 y r²= 0,998), exacto y preciso en el intervalo de 1 x 10-4 mol/L a 2 x 10-3 mol/L; además, fue selectivo frente a los posibles productos de degradación obtenidos mediante la ozonización. Conclusiones: el método estudiado resulta lineal...

Relación entre dopamina e insulina en sujetos sanos y diabeticos tipo 2

Contreras,Freddy   ; Fouillioux,Christian   ; Pacheco,Betsy  ; Maroun,Charbel  ; Bolivar,Hector  ; Lares,Mary   ; Velasco,Manuel  
Fonte: Sociedad Venezolana de Farmacológia y Farmacológia Clínica y Terapéutica. Escuela de Medicina; José Maria Vargas. Cátedra de Farmacológia, piso 3, esquina san jacinto, San José Caracas Publicador: Sociedad Venezolana de Farmacológia y Farmacológia Clínica y Terapéutica. Escuela de Medicina; José Maria Vargas. Cátedra de Farmacológia, piso 3, esquina san jacinto, San José Caracas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
37.47%
Los agonistas de la dopamina ejercen un papel importante en la regulación de los sistemas nervioso central, cardiovascular, renal y endocrino, por la estimulación de los receptores α y β adrenérgicos y dopaminérgicos específicos DA1 y DA2. Diversos estudios demuestran que los agonistas dopaminérgicos mejoran la hiperglicemia y la hiperlipidemia en ratones obesos y diabéticos. Objetivos: Establecer la relación entre la activación de receptores dopaminérgicos y la secreción de insulina mediante el uso de Metoclopramida (MTC) y dopamina (DA) y determinar mediante variables hemodinámicas la respuesta a la activación de receptores dopaminergicos cardiovasculares en sujetos sanos y diabéticos tipo 2. Materiales y métodos: Se seleccionaron 15 sujetos sanos (controles) y 15 diabéticos tipo 2, entre 29 y 53 años de edad, del sexo masculino y femenino. Se diseño un estudio experimental comparativo de 90 minutos es decir, se administraron infusiones intravenosas de dopamina a 0.5-3 µg/Kg y de MTC (DA2), a 7.5 µg/Kg/min. Se empleó como placebo solución fisiológica. Los parámetros estudiados, a 0’, 30’, 60’ y 90 minutos, incluyeron: insulina, glicemia, hemoglobina glicosilada A1c, HOMA-IR, EKG de 12 derivaciones y medición de FC...