Página 1 dos resultados de 310 itens digitais encontrados em 0.052 segundos

Internações sensíveis à atenção primária : estudo descritivo com foco em doenças infecciosas e validação do sistema de informações hospitalares, no Hospital Regional do Paranoá, Distrito Federal

Cavalcante, Danyelle Monteiro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
86.35%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Núcleo de Medicina Tropical, 2014.; Introdução: A atenção primária à saúde deve assumir o papel de coordenadora do cuidado para que o sistema de saúde responda de maneira apropriada às necessidades de saúde da população. Nesse sentido a avaliação e o monitoramento são fundamentais para as adequações necessárias das ações implementadas. Um dos indicadores que vem sendo utilizado no Brasil, com esta finalidade, são as internações por condições sensíveis à atenção primária (ICSAP). Trata-se de um indicador composto por 19 grupos de diagnósticos de acordo com a CID10, constituindo a lista brasileira de ICSAP. Objetivos: Estudar o perfil das Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP); analisar o comportamento das doenças infecciosas no escopo dessas internações; e validar o sistema de informações hospitalares quanto ao registro das internações por essas condições, no Hospital Regional do Paranoá Distrito Federal, no ano de 2012. Metodologia: Foram realizados dois estudos: epidemiológico descritivo de coorte clínica, utilizando dados das internações do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIHSUS) a fim de descrever estas internações segundo variáveis selecionadas; e um estudo de validação...

Conhecimento e práticas sobre doenças infecciosas e parasitárias de origem alimentar dos consumidores do concelho de Mirandela

Carbas, Bruna Filipa Camilo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
96.42%
Dissertação de Mestrado em Segurança Alimentar; As doenças de origem alimentar representam um problema de Saúde Pública amplamente difundido, a nível mundial. No entanto, este problema tem mais impacto na saúde e economia em países em vias de desenvolvimento do que em países desenvolvidos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a incidência global das doenças de origem alimentar é difícil de calcular, mas sabe-se que só no ano de 2005, 1,8 milhões de pessoas morreram devido a problemas desta natureza. Uma grande proporção destes casos pode ser atribuída à contaminação dos alimentos e da água potável. No presente estudo, pretendeu-se investigar o conhecimento, atitudes e práticas sobre doenças infecciosas e parasitárias de origem alimentar de consumidores do concelho de Mirandela. Procedeu-se à realização de um estudo observacional descritivo e transversal entre os meses de Outubro e Dezembro de 2009, recorrendo-se uma amostra de conveniência de 400 indivíduos e aplicando um questionário para a colheita de dados. Utilizou-se à análise estatística uni e bivariada, sendo o nível de significância para os testes estatísticas fixado em 0,05. Verificou-se que a maioria dos inquiridos apresentou um conhecimento suficiente sobre o controlo da temperatura nos alimentos. Relativamente às medidas de higiene...

Contribuição das doenças infecciosas e parasitárias na morbi-mortalidade de Ribeirão Preto, SP (Brasil)

Carvalheiro,José da Rocha; Carvalheiro,Clarisse Dulce Gardonyi; Xavier,Amábile Rodrigues; Costa,João Carlos da
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1979 PT
Relevância na Pesquisa
106.36%
Apresentam-se os resultados da mortalidade e morbidade cansadas por doenças infecciosas e parasitárias (Grupo I da Classificação Internacional de Doenças). Os dados de mortalidade basearam-se em informações da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo; os de morbidade, em estatísticas de egressos hospitalares produzidos pelo Centro de Processamento de Dados Hospitalares, do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e nos resultados de um levantamento de morbidade por entrevistas domiciliárias. Enquanto as estatísticas de mortalidade exibiram, no ano de 1974, uma proporção de 15,2% de doenças desse Grupo, em 1975 as estatísticas hospitalares mostraram 3,3% e as entrevistas domiciliárias 5,2%.

Mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias em Salvador - Bahia: evolução e diferenciais intra-urbanos segundo condições de vida

Teixeira,Maria da Gloria; Meyer,Marcos de Argolo; Costa,Maria da Conceição N.; Paim,Jairnilson Silva; Silva,Ligia Maria Vieira da
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2002 PT
Relevância na Pesquisa
126.39%
Analisa-se a evolução da mortalidade por DIP em Salvador-BA e seus diferenciais intra-urbanos mediante estudo de série temporal e de agregados espaciais, nos anos noventa. O DATASUS e declarações de óbitos foram as fontes de dados. Na análise temporal, empregou-se mortalidade proporcional, taxa de mortalidade e razão de mortalidade padronizada (RMP). No estudo espacial, analisou-se as taxas de mortalidade por DIP segundo um índice de condições de vida (ICV). Entre 1991 e 1995, a mortalidade proporcional por DIP foi de 8,3% e o risco de morrer variou entre 55,9 e 34,0 por 100 mil habitantes. No período seguinte, a variação foi entre 52,8 e 41,1 por 100 mil habitantes. A razão de mortalidade padronizada por doenças infecciosas e parasitárias em 1998 foi de 1,3. As doenças infecciosas intestinais continuam sendo uma das principais causas de morte desse grupo. As áreas da cidade onde as condições de vida eram mais baixas concentravam as maiores taxas de mortalidade por DIP. A despeito do declínio, ainda existe um excesso de mortalidade por DIP em Salvador. O modelo de desenvolvimento do país e a reemergência de algumas doenças podem estar contribuindo para este padrão.

Educação popular como instrumento de reorientação das estratégias de controle das doenças infecciosas e parasitárias

Vasconcelos,Eymard Mourão
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1998 PT
Relevância na Pesquisa
96.34%
Tem havido um amplo debate entre diferentes concepções metodológicas que orientam as estratégias de combate às doenças infecciosas e parasitárias nos serviços de atenção primária à saúde, algumas delas enfatizando o envolvimento da população na busca de soluções. Este trabalho se baseia em pesquisa realizada em um centro de saúde da periferia de Belo Horizonte entre 1994 e 1997, com o objetivo de contribuir na explicitação, de forma mais clara, da metodologia de educação popular em saúde adequada ao atual contexto institucional e de analisar o seu significado no combate às doenças infecciosas e parasitárias. Neste centro de saúde, ao se procurar dinamizar as suas práticas educativas, buscou-se identificar e entender os bloqueios e potencialidades existentes no relacionamento entre os profissionais e a população. Procurou-se esclarecer a forma como as questões culturais, cognitivas e subjetivas dificultam e favorecem o funcionamento de um serviço de saúde. Trata-se, portanto, de uma pesquisa-ação com ênfase na observação participante em que o envolvimento com os problemas de saúde de crianças desnutridas foi desencadeando uma série de mudanças no relacionamento do serviço de saúde com a comunidade local.

As estratégias da equipe de enfermagem frente à criança com doenças infecciosas e parasitárias

Catrib,Paula Regina Virginio Moraes de; Oliveira,Isabel Cristina dos Santos
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.27%
Os objetivos deste estudo foram descrever os cuidados prestados pela equipe de enfermagem às crianças com doenças infecciosas e parasitárias, analisar as (im)possibilidades da equipe de enfermagem frente a essas crianças, e discutir as estratégias da equipe de enfermagem voltadas para o universo dessas crianças. Estudo qualitativo desenvolvido num hospital universitário do município do Rio de Janeiro, com 19 sujeitos. Constatou-se como a equipe de enfermagem cuida das crianças hospitalizadas, num setor especializado em doenças infecciosas não-pediátrico, e que, apesar de não possuir formação em pediatria, se compromete com o atendimento à criança, através do estabelecimento de diferentes estratégias. A equipe de enfermagem interage com a criança durante os procedimentos, rompe ou modifica regras, observa a criança, valoriza a dimensão afetiva para cuidar, utiliza brincadeiras como meio de aproximação, entre outros. Conclui-se que os cuidados prestados pela equipe de enfermagem à criança se apresenta como desafio (im)possível, pois utiliza estratégias para resolver tensões dessa realidade.

Mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias no Município de Teresina-PI (Brasil), 1971-2000

Campelo,Viriato; Gonçalves,Maria Alice Guimarães; Donadi,Eduardo Antonio
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 PT
Relevância na Pesquisa
106.51%
Este estudo relata a mortalidade por doenças infecto-parasitárias em Teresina, nos últimos trinta anos do século XX. Os resultados mostraram que as mortes por doenças infecto-parasitárias diminuíram em coeficientes e em anos potenciais de vida perdidos, e foram superadas pelas mortes relacionadas aos aparelhos circulatório e respiratório, causas externas e neoplasias, entre 1980 e 1990. Em 2000, a faixa etária mais acometida entre as mortes por doenças infecto-parasitárias foi a de cinqüenta anos e mais, e em especial nos homens. As causas de morte mais freqüentes foram as septicemias, as enterites, a tuberculose, a aids e a leishmaniose, e entre as doenças infecciosas que se encontram em outros grupos de causas, vale ressaltar as pneumonias. Durante o período analisado, três doenças emergentes apareceram no quadro das doenças infecciosas em Teresina: a aids, a dengue e a cólera, enquanto as permanecentes, como a tuberculose e a leishmaniose, voltaram a ter relevância no quadro de morbi-mortalidade. Nesse mesmo período, em Teresina, o impacto das doenças emergentes e o peso das permanecentes, junto com as transformações socioeconômicas, demográficas e ambientais, experimentadas pelo município, fizeram com que as doenças infecto-parasitárias voltassem a ter importância para o século XXI.

Mortalidade infantil por doenças infecciosas e parasitárias: reflexo das desigualdades sociais em um município do Nordeste do Brasil

Vilela,Mirella Bezerra Rodrigues; Bonfim,Cristine; Medeiros,Zulma
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.26%
OBJETIVOS: estudar a relação entre o coeficiente de mortalidade infantil (CMI) por doenças infecciosas e parasitarias (DIP) e o indicador de carência social (ICS), identificando áreas geográficas de maior risco no município de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, Brasil. MÉTODOS: trata-se de um estudo ecológico cujas unidades de análise foram os bairros do município. Os sistemas de informações de mortalidade e de nascidos vivos do Ministério da Saúde foram utilizados para o cálculo do CMI por DIP e o ICS foi construído utilizando dados socioeconômicos do Censo 2000. RESULTADOS: o CMI por DIP foi de 3,56 por 103 nascidos vivos (NV) e o coeficiente de mortalidade pós-neonatal foi de 3,39 por 10³ NV. Houve correlação entre ICS e o CMI por DIP (r=0,87; p=0,008; F=12,88). Encontrou-se um risco 48% (RR=1,479) maior das crianças irem a óbito por DIP antes de completarem um ano no estrato de maior carência social. CONCLUSÕES: o ICS é um útil instrumento para o planejamento de ações locais de saúde, contribuindo para a adoção de medidas que promovam a redução da mortalidade infantil, não descartando a necessidade de demandar atenção para o desenvolvimento de políticas sociais e econômicas nas áreas com maiores carências sociais.

Prevalência e fatores de risco da co-infecção HCV/HIV nos pacientes atendidos no serviço de doenças infecciosas e parasitárias do Hospital-Escola Dr. Hélvio Auto - Maceió - (AL)

Oliveira dos Santos, Erlon; Rosângela Cunha Duarte Coêlho, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.16%
A hepatite C constitui um importante problema de saúde pública no Brasil e no Mundo, afetando cerca de 170 milhões de pessoas. O vírus da hepatite C (HCV) é comum em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), o que pode ser justificado pelas semelhantes vias de transmissão entre ambos os vírus, notadamente a via parenteral. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência e os fatores de risco da co-infecção HCV/HIV, nos pacientes atendidos no Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital-escola Dr. Hélvio Auto HEHA em Maceió-Al. Os dados foram coletados entre maio e novembro de 2005, através da aplicação de questionário, o qual constava de dados comportamentais e sócio-demográficos. Em seguida foram colhidas amostras de sangue (10mL) para a execução do ELISA e da Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). A análise estatística foi realizada através da análise univariada e da regressão logística multivariada, utilizando os programas Epiinfo 6.0 e o programa SPSS PC versão 8.0. Participaram do estudo 299 pacientes, sabidamente positivos para o HIV, de ambos os sexos, com idade variando entre 19 e 70 anos, dos quais 10 (3,3%) foram positivos para o HCV, destes 20% (2/10) eram do sexo feminino e 80% (8/10) do sexo masculino. A faixa etária mais acometida foi em menores de 40 anos. Os fatores de risco que apresentaram associação estatisticamente significante com a positividade para o HCV...

Prevalência e estudo neuropsicológico de transtornos cognitivos e demências decorrentes de neuroinfecções em hospital de referência; Prevalence and neuropsychological study of disorders cognitive and dementia resulting from neuroinfecções in referral hospital

REIMER, Cláudio Henrique Ribeiro
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Medicina Tropical; Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Medicina Tropical; Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.16%
Several infectious and parasitic diseases have been described as possible causes of cognitive loss, especially the neuroinfections that the location in the CNS, may evolve into frank dementia table (although subject to reversal). The vast possibilities as a result has large etiological heterogeneity of neuropsychiatric symptoms, which may hinder the clinical evaluation, but if using neuropsychological testing, it increases the chances of detection of cognitive and behavioral symptoms and therefore the diagnostic accuracy. The objective of the study is to estimate the prevalence of dementia and cognitive changes in neuroinfections, and characterize the co-morbid psychiatric symptoms. The sample comprised 60 patients with infection of the CNS in order to identify possible changes in performance in Mini-Mental State Examination (MMSE) and a questionnaire on activities of daily living for Pfeffer, and conduct behavioral assessment by questionnaire BEHAV - AD. By applying the MMSE and the Pfeffer questionnaire found that 20 patients (33.3% of the sample) had cognitive disorders without dementia and 23 patients were diagnosed as dementia, which is the framework neuropsychological most prevalent (38.3% of patients). If we include patients with cognitive disorders without dementia and those with dementia in one group...

Perfil epidemiológico e clínico das meningites infecciosas em idosos, no Hospital de Doenças Tropicais – HDT/AA Goiânia, Goiás, Brasil, 2000 - 2006; Epidemiological and clinical profile of the infectious meningitis in the elderly: a study of cases series in a reference hospital

Alvarenga, José Alberto
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical e Saúde Publica (IPTSP); Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical e Saúde Publica (IPTSP); Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.32%
It is estimated that until the year 2020, in Brazil, 13 % of the population will be constituted by the elderly (population who are above 60 years old), counting 30 million people. The frequency and the gravity of the infectious diseases spread with age. Among these days, infectious diseases are the third cause of death after the sixty’s. The physical changes and the lack of immunological response in the elderly worsen day after day, favoring the infections’ gravity. Moreover, chronic diseases treated with immunosuppressor drugs and other, repeated hospitalizations and nutritional deficiency are addictive factors which explain this kind of diseases to grow worse in this specific population. This dissertation is about a retrospective essay with a descriptive analysis raising medical documents from patients with infectious meningitis in the Hospital de Doenças Tropicais (HDT), State of Goiás, Brazil, and aimed to evaluate the epidemiologic and clinical profile of the infectious meningitis in the elderly, the level of clinical suspicion and confirmation in health services in our State. About 110 cases of meningitis in elderly were notified between the years 2000 and 2006. From all cases, 64 (58,71%) were confirmed, 64...

INFECTIOUS AND PARASITIC DISEASES OF THE CENTRAL NERVOUS SYSTEM-SURGICAL ASPECTS; DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL: ASPECTOS CIRÚRGICOS

Ribeiro Dantas Furtado, Geraldo José
Fonte: Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Publicador: Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
86.08%
In this article the epidemiology, clinical picture, diagnosis and treatment of three infectious and parasitic diseases of the Central Nervous System- neurocysticercosis, tuberculosis and brain abscess are reviewed. The choice for these pathologies was due to the fact that they are possibly the most frequent ones in the pediatric neurosurgery practices in Brazil.; Nesse artigo são revistos aspectos epidemiológicos, quadro clínico, diagnóstico e tratamento de afecções infecciosas e parasitárias do sistema nervoso central, a saber a neurocisticercose, neurotuberculose e os abscessos cerebrais.A escolha por essas patologias se deu por serem possivelmente as mais frequentemente  encontradas na prática neurocirúrgica pediátrica brasileira.

Cuidados em doenças infecciosas e parasitárias: endêmicas, emergentes e re-emergentes

Universidade Aberta do SUS da Universidade de Brasília - UNA-SUS/UnB
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.3%
Este módulo é dividido em nove lições e aborda epidemiologia, manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento, medidas de controle e vigilância epidemiológica das seguintes doenças: Influenza, Febre Amarela, Leishmaniose, Malária, Doença de Chagas, Parasitoses, Esquistossomose, Doenças Sexualmente Transmissíveis e Hantavirose.; Fundo Nacional de Saúde - FNS

Contribuição das doenças infecciosas e parasitárias na morbi-mortalidade de Ribeirão Preto, SP (Brasil); The contribution of infectious and parasitic diseases to the morbidity-mortality rates of Ribeirão Preto, SP (Brazil)

Carvalheiro, José da Rocha; Carvalheiro, Clarisse Dulce Gardonyi; Xavier, Amábile Rodrigues; Costa, João Carlos da
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/1979 POR
Relevância na Pesquisa
106.36%
Apresentam-se os resultados da mortalidade e morbidade cansadas por doenças infecciosas e parasitárias (Grupo I da Classificação Internacional de Doenças). Os dados de mortalidade basearam-se em informações da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo; os de morbidade, em estatísticas de egressos hospitalares produzidos pelo Centro de Processamento de Dados Hospitalares, do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e nos resultados de um levantamento de morbidade por entrevistas domiciliárias. Enquanto as estatísticas de mortalidade exibiram, no ano de 1974, uma proporção de 15,2% de doenças desse Grupo, em 1975 as estatísticas hospitalares mostraram 3,3% e as entrevistas domiciliárias 5,2%.; Mortality and morbidity caused by infectious and parasitic diseases (Group I of the International Classification of Diseases) were studied. Mortality statistics were obtained from the S. Paulo State Health Department; morbidity, from hospital statistics furnished by the Hospital Data Processing Center of the Department of Social Medicine of the School of Medicine of Ribeirão Preto and from information obtained by a home survey. In 1974, mortality statistics showed a 15.2% proportion of infectious and parasitic diseases; however...

Avaliação do grupo de estudo em epidemiologia e prevenção das doenças infecciosas e parasitárias no Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas

de Souza, Claudia Teresa Vieira; Fundação Oswaldo Cruz; Montes, Marco Aurélio de Azambuja; Fundação Oswaldo Cruz; Neves, Sonia Maria Medeiros Ferraz; Fundação Oswaldo Cruz
Fonte: UFSC Publicador: UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2008 POR
Relevância na Pesquisa
126.34%
As ações educativas em saúde fazem parte de um processo dinâmico e contínuo onde as práticas de ensino e aprendizagem estão voltadas, principalmente para a promoção da saúde e prevenção de doenças. Dentro deste contexto foi realizado o I Grupo de Estudo em Epidemiologia e Prevenção de Doenças Infecciosas e Parasitárias, direcionado a clientela (pacientes, amigos e familiares) do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz, cujo objetivo foi resgatar os conteúdos aprendidos no ensino formal, e adequá-los ao ensino não formal. O impacto desta abordagem, para os participantes, foi uma estratégia motivadora da auto-estima e dos cuidados básicos em saúde. A forma dinâmica que utilizamos as sociada à sensibilidade do grupo com o qual trabalhamos possibilitou a construção de um cotidiano permeado pela humanização, permitindo aos participantes trocar e construir conhecimentos, elaborando conceitos, redefinindo ou anulando normas, construindo outras possibilidades de fazer o processo educativo em saúde.

A mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias na população idosa brasileira

Paes,Neir Antunes
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
86.53%
OBJETIVO: Traçar o perfil da mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias na população de mais de 65 anos no Brasil e nas unidades da federação e investigar sua associação com determinadas variáveis socioeconômicas no período de 1980 a 1995. MÉTODOS: Foram utilizados os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade. Foram calculadas taxas de mortalidade padronizadas para tuberculose, tripanossomíase e septicemia, assim como a participação relativa dessas causas na mortalidade geral. Analisou-se a relação entre as taxas de mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias e sexo e as seguintes variáveis socioeconômicas: produto interno bruto per capita; número de leitos hospitalares por habitante; relação entre a população urbana e a total; número de benefícios em manutenção pela previdência social por habitante; coeficiente de letalidade; e esperança de vida ao nascer. Para esta análise foi utilizado o modelo normal de regressão linear múltipla. RESULTADOS: Não houve alteração significativa no percentual de óbitos por doenças infecciosas e parasitárias na população idosa brasileira no período para ambos os sexos. Por outro lado, verificou-se uma importante transição no período...

Contribuição das doenças infecciosas e parasitárias na morbi-mortalidade de Ribeirão Preto, SP (Brasil)

Carvalheiro,José da Rocha; Carvalheiro,Clarisse Dulce Gardonyi; Xavier,Amábile Rodrigues; Costa,João Carlos da
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1979 PT
Relevância na Pesquisa
106.36%
Apresentam-se os resultados da mortalidade e morbidade cansadas por doenças infecciosas e parasitárias (Grupo I da Classificação Internacional de Doenças). Os dados de mortalidade basearam-se em informações da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo; os de morbidade, em estatísticas de egressos hospitalares produzidos pelo Centro de Processamento de Dados Hospitalares, do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e nos resultados de um levantamento de morbidade por entrevistas domiciliárias. Enquanto as estatísticas de mortalidade exibiram, no ano de 1974, uma proporção de 15,2% de doenças desse Grupo, em 1975 as estatísticas hospitalares mostraram 3,3% e as entrevistas domiciliárias 5,2%.

Educação popular como instrumento de reorientação das estratégias de controle das doenças infecciosas e parasitárias

Vasconcelos,Eymard Mourão
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1998 PT
Relevância na Pesquisa
96.34%
Tem havido um amplo debate entre diferentes concepções metodológicas que orientam as estratégias de combate às doenças infecciosas e parasitárias nos serviços de atenção primária à saúde, algumas delas enfatizando o envolvimento da população na busca de soluções. Este trabalho se baseia em pesquisa realizada em um centro de saúde da periferia de Belo Horizonte entre 1994 e 1997, com o objetivo de contribuir na explicitação, de forma mais clara, da metodologia de educação popular em saúde adequada ao atual contexto institucional e de analisar o seu significado no combate às doenças infecciosas e parasitárias. Neste centro de saúde, ao se procurar dinamizar as suas práticas educativas, buscou-se identificar e entender os bloqueios e potencialidades existentes no relacionamento entre os profissionais e a população. Procurou-se esclarecer a forma como as questões culturais, cognitivas e subjetivas dificultam e favorecem o funcionamento de um serviço de saúde. Trata-se, portanto, de uma pesquisa-ação com ênfase na observação participante em que o envolvimento com os problemas de saúde de crianças desnutridas foi desencadeando uma série de mudanças no relacionamento do serviço de saúde com a comunidade local.

Doenças infecciosas e parasitárias no Brasil: uma década de transição

Paes,Neir Antunes; Silva,Lenine Angelo A.
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1999 PT
Relevância na Pesquisa
86.56%
Em pleno período de transição epidemiológica e demográfica, também marcado pela melhoria na qualidade dos registros de óbitos no Brasil, é crucial entender o comportamento recente da mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias neste país. Este trabalho apresenta as mudanças nos padrões de mortalidade por causas infecciosas e parasitárias para o Brasil e seus estados durante a década de 1980. Foram utilizados para tanto os dados de mortalidade provenientes do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, classificados de acordo com a Classificação Internacional de Doenças (nona revisão). O resultado desta análise revela mudanças nos padrões de mortalidade com acentuadas quedas nas taxas de mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias para o Brasil (variação de 41% para homens e 44% para mulheres), em particular para os estados das regiões Norte e Nordeste. No entanto, estes estados ainda são detentores das mais elevadas taxas de mortalidade do país. Em termos de distribuição etária, as variações atingiram com maior intensidade os extremos de idade, especialmente o grupo de menores de 1 ano. Dentre as doenças infecciosas e parasitárias, o estudo observou ainda o comportamento da mortalidade por doenças infecciosas intestinais (na sua maioria classificadas como mal definidas)...

Mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias no Município de Teresina-PI (Brasil), 1971-2000

Campelo,Viriato; Gonçalves,Maria Alice Guimarães; Donadi,Eduardo Antonio
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 PT
Relevância na Pesquisa
106.51%
Este estudo relata a mortalidade por doenças infecto-parasitárias em Teresina, nos últimos trinta anos do século XX. Os resultados mostraram que as mortes por doenças infecto-parasitárias diminuíram em coeficientes e em anos potenciais de vida perdidos, e foram superadas pelas mortes relacionadas aos aparelhos circulatório e respiratório, causas externas e neoplasias, entre 1980 e 1990. Em 2000, a faixa etária mais acometida entre as mortes por doenças infecto-parasitárias foi a de cinqüenta anos e mais, e em especial nos homens. As causas de morte mais freqüentes foram as septicemias, as enterites, a tuberculose, a aids e a leishmaniose, e entre as doenças infecciosas que se encontram em outros grupos de causas, vale ressaltar as pneumonias. Durante o período analisado, três doenças emergentes apareceram no quadro das doenças infecciosas em Teresina: a aids, a dengue e a cólera, enquanto as permanecentes, como a tuberculose e a leishmaniose, voltaram a ter relevância no quadro de morbi-mortalidade. Nesse mesmo período, em Teresina, o impacto das doenças emergentes e o peso das permanecentes, junto com as transformações socioeconômicas, demográficas e ambientais, experimentadas pelo município, fizeram com que as doenças infecto-parasitárias voltassem a ter importância para o século XXI.