Página 1 dos resultados de 30 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Esclerose múltipla uma ou várias doenças?

Ribeiro, Marília Cláudia Castro
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.15%
As doenças inflamatórias desmielinizantes do Sistema Nervoso Central são cada vez mais prevalentes em todo o mundo e são a principal causa não traumática de défices neurológicos em adultos jovens. Estas doenças incluem um espectro amplo de patologias que habitualmente podem ser diferenciadas com base na clínica, patologia, imagiologia e exames laboratoriais. No entanto, existe uma considerável sobreposição entre estas doenças, originando diagnósticos incorrectos ou incertezas diagnósticas. Os subtipos clínicos de Esclerose Múltipla surto-remissão e secundária progressiva são as doenças inflamatórias desmielinizantes idiopáticas mais comuns. Formas mais raras de doenças inflamatórias desmielinizantes podem ser classificadas em: 1) Agudas ou fulminantes como a Doença de Marburg, a Esclerose concêntrica de Baló e a Encefalomielite aguda disseminada; 2) Monofásicas como a Neuromielite óptica, os síndromes clínicos isolados que correspondem à Nevrite óptica, à Mielite e aos síndromes desmielinizantes inflamatórios do tronco cerebral; 3) Doenças multifásicas com distribuição topográfica restrita como a Neuromielite óptica recorrente, Nevrite óptica recorrente e a Mielite transversa recorrente; 4) Esclerose Múltipla Tumefactiva. Parte destas doenças são ainda consideradas variantes de Esclerose Múltipla...

Estudo de bandas oligoclonais restritas ao líquido cefalorraquidiano em pacientes com esclerose múltipla na cidade de São Paulo; Study of oligoclonal bands restricted to the cerebrospinal fluid in multiple sclerosis patients in the city of São Paulo

Gama, Paulo Diniz da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.43%
Introdução: O diagnóstico da esclerose múltipla (EM) embora seja clínico, se completa com os resultados de imagem de ressonância magnética, somados ainda com a análise do líquido cefalorraquidiano (LCR), que se constituem em ferramentas indispensáveis. A presença das bandas oligoclonais (BOC) no LCR faz parte do estudo da EM, assim como auxilio no diagnóstico. Existem grandes variações quanto à frequência de BOC em pacientes com EM nas diferentes populações, desde 90% em países nórdicos europeus, até 30 a 60% no Japão, China, Índia e Líbano. O presente estudo tem o objetivo de estabelecer o valor da análise do LCR para o diagnóstico da EM em nossa população, com ênfase na pesquisa de BOC. O estudo também objetiva correlacionar os resultados destas análises com as características clínicas e demográficas da amostra selecionada. Casuística e Métodos: Foram estudados 145 pacientes selecionados do Centro de Referência de Doenças Desmielinizantes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Universidade de São Paulo, no período de agosto de 2005 a janeiro de 2008. Foram registrados para o estudo os dados demográficos, clínicos e da evolução da doença. O diagnóstico da EM foi estabelecido segundo o painel internacional de McDonald...

Neuromielite óptica recorrente - aspectos clínicos, imunológicos e imagenológicos; Recurrent neuromyelitis optica in brazilian patients: clinical, immunological, and neuroimaging characteristics

Adoni, Tarso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
26.21%
INTRODUÇÃO: A neuromielite óptica (NMO) recorrente não foi completamente estudada em pacientes brasileiros após a descoberta do autoanticorpo sérico NMO-IgG e seu antígeno específico aquaporina-4. Neste trabalho, descrevemos os aspectos clínicos, imunológicos e de ressonância magnética (RM) de pacientes portadores de NMO recorrente. MÉTODOS: Foram estudados retrospectivamente vinte e oito pacientes portadores de NMO recorrente regularmente acompanhados no Ambulatório de Doenças Desmielinizantes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e que preenchiam os critérios diagnósticos originalmente propostos em 1999. Foram analisados os dados relativos ao resultado da pesquisa sérica do NMO-IgG, características clínicas e de RM. RESULTADOS: Três homens e 25 mulheres foram estudados. A mediana de idade de instalação da doença foi 26 anos (intervalo: 755); a mediana do tempo de seguimento foi de sete anos (intervalo: 214). O tempo médio decorrido entre o primeiro e o segundo episódios clínicos foi de 17 meses (mediana: 8,5; intervalo 288). A mediana da Escala Expandida do Estado de Incapacidade (EDSS) na última avaliação foi de 5,5 (intervalo de 2 a 10). Não houve diferença estatística entre o resultado do NMO-IgG e o grau de incapacidade medido pela EDSS (p = 0...

Análise de anticorpos antiparasitários dosados em soro sanguíneo e sua relação com a presença de bandas oligoclonais em pacientes com esclerose múltipla; Analysis of antiparasitic antibodies measured In Blood serum and their selationship with the presence of oligoclonal bands in patients with multiple Sclerosis

Papavero, Fabiana Cruz Gomes da Fonseca
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.21%
Introdução: A frequência de detecção de bandas oligoclonais (BOC) em doentes com esclerose múltipla (EM) na cidade de São Paulo é significativamente mais baixa do que em outras cidades do Brasil e de outros países, principalmente da Europa e da América do Norte. Não se conhece o motivo pelo qual isso ocorre. Uma das hipóteses mais interessantes relacionada à imunopatogenia da EM é a chamada Hipótese Higiênica, que postula uma relação inversamente proporcional entre a prevalência de infecções por parasitas e a frequência da EM. Objetivo: verificar se há relação entre a ocorrência de anticorpos contra parasitas no soro sanguíneo e a detecção de BOC em pacientes diagnosticados com EM na cidade de São Paulo. Métodos: Foram estudados 164 pacientes do Ambulatório de Doenças Desmielinizantes da Divisão de Neurologia Clínica e da Divisão de Anestesia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo dos quais foram obtidas as amostras de LCR e de soro em que foi realizado este estudo. Esses pacientes foram separados em 4 grupos (EM, CIS, Grupo Controle com Pacientes de DNI e Grupo Controle com Pacientes sem Queixas Neurológicas) nos quais foram identificadas as presenças de BOC e de anticorpos parasitários. Para a detecção de anticorpos parasitários...

Caracterização das disfunções miccionais em pacientes portadores do espectro da neuromielite óptica e suas associações com o comprometimento neurológico e a qualidade de vida; Voiding dysfunction in patients with neuromyelitis optica spectrum disorder and its association with neurological impairment and quality of life

Carvalho, Fabricio Leite de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.67%
INTRODUÇÃO: Neuromielite óptica (NMO) e suas formas limitadas são doenças desmielinizantes autoimunes do sistema nervoso central que acometem preferencialmente a medula espinhal e o nervo óptico. Várias formas clínicas do espectro da NMO (NMO-SD) tem sido descritas e incluem desde um evento único de mielite transversa longitudinalmente extensa (MTLE) à NMO recorrente. O comprometimento neurológico destes pacientes pode levar a diversas disfunções autonômicas, incluindo disfunção miccional. OBJETIVOS: Determinar a prevalência e as características dos sintomas do trato urinário inferior (STUI) e dos achados urodinâmicos em pacientes portadores de NMO-SD, e analisar suas associações com o grau de comprometimento neurológico e qualidade de vida (QV). MÉTODOS: Avaliamos 30 pacientes (23 mulheres e 7 homens) com diagnóstico estabelecido de NMO-SD, que foram convidados a participar do estudo a despeito de apresentarem ou não STUI. A avaliação neurológica foi realizada por meio da Escala Expandida do Estado de Incapacidade (EDSS), ressonância magnética de crânio e coluna vertebral, e dosagem de NMOIgG. Os STUI foram avaliados pelo Questionário de Avaliação da Bexiga Hiperativa (OAB-V8) e pelo Escore Internacional de Sintomas Prostáticos (IPSS). A qualidade de vida de forma geral foi avaliada pelo questionário de Satisfação com a Vida (LiSat-9). Todos os pacientes foram submetidos ao estudo videourodinâmico. RESULTADOS: A idade média dos pacientes foi de 41...

Efeitos do brometo de etidio no tronco cerebral de ratos Wistar : aspectos morfologicos relacionados aos processos de desmielinização e remielização do sistema nervoso central

Luis Antonio Violin Dias Pereira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/1994 PT
Relevância na Pesquisa
36.67%
Face à dificuldade do estudo de material humano, muitos modelos experimentais, que mimetizam doenças desmielinizantes, têm sido utilizados no estudo das características celulares da desmielinização e da limitada remielinização do sistema nervoso central. O objetivo desta investigação foi estudar o fenômeno desmielinizante causado pela droga intercalante brometo de etídio (BE), bem como o conseqüente processo de remielinização, no tronco cerebral de ratos Wistar adultos. Foram utilizados 34 animais divididos em grupo I (3 animais) utilizados para as análises histológica e ultraestrutural da porção ventral da ponte, grupo 11 (21 animais) que receberam uma única injeção de 1O,u1 (0,1 % de BE em solução salina 0,15M) na cisterna basal, e grupo 111 (10 animais) que receberam uma única injeção de 10 ,ul de solução salina 0,15M. Do grupo 11, 3 animais foram perfundidos (1 para histologia e 2 para ultraestrutura) nos seguintes intervalos de tempo (dias): 1,3,7, 11, 15,21 e 30. Do grupo 111, 2 animais foram perfundidos (1 para histologia e 2 para ultraestrutura) até o período de 15 dias. No grupo 11, lesões desmielinizantes foram encontradas principalmente na superfície ventral da ponte e se estendem de 1/3 a 1/2 na estrutura em sentido dorsal e posteriormente constituem formações císticas. As lesões eram caracterizadas por espongiose do tecido nervoso confirmados à microscopia eletrônica de transmissão por cariorréxis das células gliais...

Diagnóstico diferencial das lesões tumefativas desmielinizantes do sistema nervoso central na infância e adolescência: revisão sistemática da literatura

Santos, Stella de Aparecida Ederli Pinto dos
Fonte: Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira Publicador: Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.93%
Introdução: As lesões tumefativas desmielinizantes (LTD) do SNC apresentam extrema dificuldade diagnóstica em virtude da similaridade clínica e radiológica com outras entidades nosológicas, incluindo doenças neoplásicas, inflamatórias e infecciosas. Frequentemente, o caráter indefinido das lesões aponta para a necessidade de biópsia cerebral com alto risco de morbidade. Portanto, o reconhecimento das características neurorradiológicas da LTD é fundamental para evitar a utilização de procedimentos invasivos. Na prática clínica, os exemplos das formas tumefativas não tumorais são os seguintes: esclerose múltipla (EM), neuromielite óptica (NMO), doença de Schilder e encefalomielite agudadisseminada (ADEM). Objetivo e Métodos: Analisar, através de revisão sistemática da literatura, quais ferramentas diagnósticas clínicas, radiológicas e laboratoriais são utilizadas pelos autores na investigação da etiologia das LTDs do SNC na infância. Resultados: As doenças desmielinizantes encontradas foram as seguintes: EM em 36% dos casos; LTD, sem classificação específica, em 27%; ADEM 17%;doença de Schilder 13 % e NMO 7%. De todos os casos estudados, em 45% houve recorrência de eventos desmielinizantes. Não há protocolo definido em relação aos tipos de exame solicitados nem a sequência apropriada ou oportunidade de indicá-los. Os exames mais realizados pelos autores foram os seguintes: RM de crânio...

Diagnóstico diferencial das lesões tumefativas desmielizantes do sistema nervoso central na infância e adolescência: revisão sistemática da literatura

Santos, Stella de Aparecida Ederli Pinto dos
Fonte: Instituto Fernandes Figueira Publicador: Instituto Fernandes Figueira
Tipo: Dissertação
Relevância na Pesquisa
26.83%
As lesões tumefativas desmielinizantes (LTD) do SNC apresentam extrema dificuldade diagnóstica em virtude da similaridade clínica e radiológica com outras entidades nosológicas, incluindo doenças neoplásicas, inflamatórias e infecciosas. Frequentemente, o caráter indefinido das lesões aponta para a necessidade de biópsia cerebral com alto risco de morbidade. Portanto, o reconhecimento das características neurorradiológicas da LTD é fundamental para evitar a utilização de procedimentos invasivos. Na prática clínica, os exemplos das formas tumefativas não tumorais são os seguintes: esclerose múltipla (EM), neuromielite óptica (NMO), doença de Schilder e encefalomielite agudadisseminada (ADEM).Objetivo e Métodos: Analisar, através de revisão sistemática da literatura, quais ferramentas diagnósticas clínicas, radiológicas e laboratoriais são utilizadas pelos autores na investigação da etiologia das LTDs do SNC na infância.Resultados: As doenças desmielinizantes encontradas foram as seguintes: EM em 36% dos casos; LTD, sem classificação específica, em 27%; ADEM 17%;doença de Schilder 13 % e NMO 7%. De todos os casos estudados, em 45% houve recorrência de eventos desmielinizantes. Não há protocolo definido em relação aos tipos de exame solicitados nem a sequência apropriada ou oportunidade de indicá-los. Os exames mais realizados pelos autores foram os seguintes: RM de crânio...

Mielinólise Pôntica e Extrapôntica

Marreiros, H; Santos, R; Santos, S; Tomás, R; Marques, A; Veiga, E
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
26.21%
Introdução: A mielinólise define-se como uma doença desmielinizante aguda, associada a um quadro clínico de tetraplegia flácida e a incapacidade na fala e na deglutição. A patogenia em geral está associada a perturbações electrolíticas, particularmente hiponatrémia profunda e sua rápida correcção. A confirmação imagiológica do diagnóstico pode ser feita recorrendo à Ressonância Magnética Nuclear. Objectivo: Os autores fazem a descrição do caso clínico, evidenciando a sua evolução e programa de reabilitação instituído, realçando os ganhos da funcionalidade. São descritas também as intercorrências clínicas relevantes no atraso do diagnóstico. Caso clínico: Apresenta-se uma doente com antecedentes psiquiátricos e polidipsia, internada na sequência de um quadro convulsivo resistente à medicação, tendo sido identificada hiponatrémia e feita a sua correcção. Após a correcção a doente desenvolveu um quadro de tetraplegia e hipotonia generalizada, tendo realizado uma Ressonância Magnética compatível com o diagnóstico de mielinólise centropôntica e extrapôntica.

Mielinólise Pôntica e Extrapôntica

Marreiros, H; Santos, R; Santos, S; Tomás, R; Marques, A; Veiga, E
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
26.21%
Introdução: A mielinólise define-se como uma doença desmielinizante aguda, associada a um quadro clínico de tetraplegia flácida e a incapacidade na fala e na deglutição. A patogenia em geral está associada a perturbações electrolíticas, particularmente hiponatrémia profunda e sua rápida correcção. A confirmação imagiológica do diagnóstico pode ser feita recorrendo à Ressonância Magnética Nuclear. Objectivo: Os autores fazem a descrição do caso clínico, evidenciando a sua evolução e programa de reabilitação instituído, realçando os ganhos da funcionalidade. São descritas também as intercorrências clínicas relevantes no atraso do diagnóstico. Caso clínico: Apresenta-se uma doente com antecedentes psiquiátricos e polidipsia, internada na sequência de um quadro convulsivo resistente à medicação, tendo sido identificada hiponatrémia e feita a sua correcção. Após a correcção a doente desenvolveu um quadro de tetraplegia e hipotonia generalizada, tendo realizado uma Ressonância Magnética compatível com o diagnóstico de mielinólise centropôntica e extrapôntica.

Mycoplasma pneumoniae causing nervous system lesion and SIADH in the absence of pneumonia

Coelho, M; Leite, A; Revés, A; Miranda, C; Serra, I; Brandão, T; Albuquerque, L; Freitas, P
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 ENG
Relevância na Pesquisa
26.21%
A patient was admitted for fever and acute respiratory failure (ARF), rapidly progressive tetraparesis, delirium, behavioral abnormalities, and diplopia. Leukocytosis and a rise in C-reactive protein were present. A syndrome of inappropriate anti-diuretic hormone secretion (SIADH) was also diagnosed. Lumbar puncture yielded colorless CFS with mononuclear pleocytosis and protein rise. Electrodiagnosis revealed demyelinating polyneuropathy and axonal degeneration. Serum IgG and IgM for mycoplasma pneumoniae (MP) was consistent with acute infection, and erythromycin was started with rapid resolution of symptoms. Contrarily to most reports, an associated respiratory disease was not present and SIADH in association with MP has been reported only once, in a patient without direct central nervous system (CNS) involvement. Differential diagnosis and possible pathogenic mechanisms are discussed.

Surto-remissão : caracterização deste tipo específico de esclerose múltipla

Fernandes, Cátia Carina Pontífice
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
26.52%
A Esclerose Múltipla é uma doença desmielinizante do Sistema Nervoso Central que assume particular importância por afectar e incapacitar indivíduos jovens. Afecta em maior proporção mulheres e apresenta uma predisposição genética. A clínica apresentada é reflexo de lesões desmielinizantes encontradas na substância branca do SNC, em vários locais, daí esta ser uma patologia que apresente inúmeras formas clínicas. A forma clínica mais comum é a surto-remissão. Etiologicamente aponta-se para um fundo auto-imune e/ou infeccioso. O diagnóstico assenta nos critérios de McDonald, suportado por exames de imagem (RMN), análise do líquido cefalorraquidiano, potenciais evocados e clínica. O tratamento actualmente passa pelo uso de imunomoduladores e imunosupressores. A incapacidade clínica classifica-se através do EDSS, que varia de 0 (normalidade) até o grau máximo de 10 (morte por Esclerose Múltipla). Quanto ao prognóstico, este é mais favorável para o sexo feminino, doença com início em idade mais jovem e doença que se inicie com sintomas sensitivos e disfunções dos nervos cranianos. Neste trabalho efectuou-se um estudo retrospectivo documental numa amostra de 40 doentes com Esclerose Múltipla do tipo surto-remissão e com diagnóstico há pelo menos três anos...

Ressonância magnética e características clínicas em adultos com doenças desmielinizantes monofásicas: encefalomielite aguda disseminada ou uma variante da esclerose múltipla?

REIS,FABIANO; KOBAYASHI,ELIANE; MACIEL,ERNANE P.; ZANARDI,VERÔNICA DE A.; MENEZES NETTO,JOSÉ R. DE; DAMASCENO,BENITO P.; CENDES,FERNANDO
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.83%
A encefalomielite aguda disseminada (ADEM) é doença monofásica inflamatória difusa do sistema nervoso central, que geralmente ocorre após infecção ou vacinação. Neste estudo, apresentamos a análise da ressonância magnética (RM), líquor e aspectos clínicos de quatro pacientes com diagnóstico presuntivo inicial de ADEM. O achado de lesões desmielinizantes na RM foi importante, mas não por si só suficiente para o diagnóstico definitivo. O seguimento clínico e realização de RM de controle, para excluir o aparecimento de novas lesões e reavaliar as anteriores, assim como as análises liquóricas, foram importantes para o diagnóstico diferencial com outras doenças desmielinizantes, particularmente a esclerose múltipla. Além disso, mostramos que a introdução precoce de metilprednisolona foi eficaz tanto para a melhora do quadro clínico quanto para redução ou desaparecimento das lesões na RM.

Esclerose múltipla: estudo de pacientes com a forma surto-remissão cadastrados na Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais

Santos,Eustáquio Claret dos; Yokota,Mitico; Dias,Nádia Fernanda Rezende
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.52%
Esclerose múltipla é uma doença crônica, inflamatória e desmielinizante do sistema nervoso central. O tratamento preconizado para a forma surto-remissão é com imunomoduladores, fornecidos em Belo Horizonte pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES/MG). Analisamos os dados de 283 pacientes inscritos no Programa de Medicamentos Excepcionais (imunomoduladores) da SES/MG no período de maio a outubro de 2004. Houve predomínio do sexo feminino (3,7:1) e a idade média dos pacientes foi 38,4±10,7 anos, com as primeiras manifestações clínicas ocorridas aos 29,7±10,2 anos. Os sintomas iniciais foram: sensitivos (46,4%), visuais (33,1%), síndrome de tronco cerebral/cerebelo (30,1%) e motores (25,9%). Os sintomas observados em surtos subseqüentes foram motores (22,3%), síndromes de tronco cerebral/cerebelo (18,9%), visuais (18,9%) e sensitivos (9,6%). Em 234 RM de encéfalo e 109 RM da medula espinhal existiam lesões desmielinizantes em 97,4% e 85,3% respectivamente. Comparamos nossos achados com outras séries descritas na literatura brasileira.

Doença de Devic: um relato de caso

Silva,Alexandre R. da; Barros,Sonja V.T.; Rotta,Newra T.; Lygia,Ohlweiler; Stone,Isa; Mello,Letícia R.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.67%
OBJETIVO: chamar a atenção para o diagnóstico da doença de Devic e realizar revisão da literatura. DESCRIÇÃO: paciente de 6 anos, do sexo masculino, apresentou subitamente paresia nos membros inferiores, que desapareceu no decorrer da internação. No entanto, à medida que a paresia desaparecia, ocorria perda da visão. Os sintomas só foram revertidos após o uso de prednisona. COMENTÁRIOS: a abordagem diagnóstica e terapêutica foi semelhante à usada em outros casos em diferentes centros de referência, ou seja, o diagnóstico foi clínico e o tratamento com prednisona, obtendo-se a melhora completa dos sintomas. Apesar disso, várias contradições ainda cercam essa doença, desde a etiologia até sua relação com outras doenças desmielinizantes, como a esclerose múltipla.

Alterações dos potenciais evocados auditivos do tronco encefálico em pacientes com esclerose múltipla

Lima,Tania Mara Assis; Crato,Aline Nascimento; Mancini,Patrícia Cotta; Simões,Lília Correa; Gonçalves,Denise Utsch
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.67%
A presença de alterações nos potenciais evocados auditivos do tronco encefálico (PEATE) em indivíduos com doenças desmielinizantes sugere lesão do tronco encefálico. OBJETIVOS: O objetivo do presente estudo foi avaliar a incidência de alterações auditivas e dos PEATE em indivíduos com esclerose múltipla (EM). MATERIAL E MÉTODO: Participaram do estudo 16 pacientes do sexo feminino e 9 do sexo masculino com diagnóstico definido de EM. Testes audiométricos e pesquisa dos PEATE foram realizados em todos os indivíduos. Para a classificação dos PEATE utilizou-se a classificação proposta por Jerger (1986) na análise da morfologia das ondas. FORMA DE ESTUDO: Estudo de coorte contemporânea com corte transversal. RESULTADOS: Dos 50 PEATE realizados, 70% foram classificados como tipo I (resposta normal) pela classificação de Jerger. Considerando-se como alterados os PEATE dos tipos II, III, IV ou V da classificação de Jerger em pelo menos um dos lados, encontrou-se 31,25% de alterações no sexo feminino e 44,44% no masculino, totalizando 36%. CONCLUSÕES: Estes achados enfatizam a relevância do estudo dos PEATE em casos de suspeita clínica de doenças desmielinizantes e naqueles com diagnóstico definido de EM.

Cefaléia em portadores de esclerose múltipla - caracterização e classificação

Raniere Pessoa de Aquino, Eduardo; Farias da Silva, Wilson (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.68%
Para caracterizar cefaléia em portadores de esclerose múltipla, atendidos no Centro de Referência para Atenção a Pacientes Portadores de Doenças Desmielinizantes do Hospital da Restauração, até março de 2007, desenvolveu-se estudo transversal, tipo série de casos, com amostragem por conveniência, incluindo 60 pacientes, submetidos à investigação dirigida de sinais e sintomas de cefaléia. As variáveis envolveram características: sócio-demográficas, da esclerose múltipla e da cefaléia. Empregaram-se os programas EPI-INFO, versão 6.04d, e Statistical Package for Social Sciences, versão 13.0, para organização e análise dos dados, utilizando os testes de Qui quadrado e exato de Fisher, em nível de significância de 0,05. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética do Hospital da Restauração. As características predominantes foram: proporção feminino:masculino igual a 2,33:1,0, 30 a 69 anos de idade (76,7%), pele parda (88,4%); casado (49,1%), escolaridade média ou superior (73,3%), forma clínica surto/remissão (76,7%) e EDSS entre zero e três (8%). Referiram cefaléia 55% dos pacientes, correspondendo a proporção feminino:masculino 4,5:1,0, predominantemente antecedendo sintomas iniciais de esclerose múltipla (75...

Encefalomielite na cinomose canina : estudo prospectivo dos achados clinicos, histologicos e da RT-PCR; Encephalomyelitis in canine distemper : prospective study of clinical, histological and RT-PCR findings

Edson Martins Scarpelli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
26.36%
A cinomose canina (CC) é uma doença viral sistêmica de carnívoros, cujo diagnóstico é embasado em sinais neurológicos e extra-neurais. A desmielinização que ocorre nesta doença assemelha-se à das doenças desmielinizantes humanas, o que a torna um modelo animal para estudo de doenças neurodegenerativas humanas. Lesões iniciais do SNC caracterizam-se por desmielinização sem considerável inflamação e lesões tardias por um processo inflamatório crônico. Vários métodos são empregados para o diagnóstico da CC, destacando-se a RT-PCR como precisa e sensível. Estudar, prospectivamente, os achados clínicos e histopatológicos do cérebro de 49 cães com cinomose diagnosticada clinicamente, e confrontá-los com os resultados da RT-PCR foi o nosso objetivo. A presença de sinais neurológicos foi significante para o diagnóstico da doença, especialmente a mioclonia e ataxia. O comprometimento inflamatório era significante no cerebelo, hipocampo e diencéfalo sendo que a reação inflamatória era maior no diencéfalo. Quanto maior o peso cerebral, menor era a desmielinização. Nos animais na fase clínica aguda, a freqüência de desmielinização cerebelar foi maior. Foi significante a localização linização...

Prevalência de doença celíaca em pacientes com doenças desmielinizantes do sistema nervoso central

Oliveira, Pérola de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2014.; Esclerose múltipla, neuromielite óptica ou doença de Devic e mielites são desordens inflamatórias, autoimunes e neurodegenerativas que envolvem o sistema nervoso central. A doença celíaca é uma afecção imunomediada caracterizada por intolerância permanente a proteínas contidas no glúten que, em indivíduos geneticamente susceptíveis, resulta em progressivas e graves lesões da mucosa entérica. A coexistência entre doença celíaca e doença desmielinizante do sistema nervoso central é sugerida desde a década de 1960, contudo há poucos trabalhos publicados e os resultados encontrados são conflitantes. O objetivo do presente estudo foi ddeterminar a prevalência de doença celíaca em pacientes com diagnóstico de doença desmielinizante do sistema nervoso central, especificamente, esclerose múltipla, neuromielite óptica e mielites de causa não determinada. Foi realizado estudo de prevalência com pacientes assistidos na Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação com idade igual ou superior a 16 anos, de ambos os sexos, em acompanhamento médico regular no período compreendido entre março de 2012 e setembro de 2013...

Surto-remissão : caracterização deste tipo específico de esclerose múltipla

Fernandes, Cátia Carina Pontífice
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
26.52%
A Esclerose Múltipla é uma doença desmielinizante do Sistema Nervoso Central que assume particular importância por afectar e incapacitar indivíduos jovens. Afecta em maior proporção mulheres e apresenta uma predisposição genética. A clínica apresentada é reflexo de lesões desmielinizantes encontradas na substância branca do SNC, em vários locais, daí esta ser uma patologia que apresente inúmeras formas clínicas. A forma clínica mais comum é a surto-remissão. Etiologicamente aponta-se para um fundo auto-imune e/ou infeccioso. O diagnóstico assenta nos critérios de McDonald, suportado por exames de imagem (RMN), análise do líquido cefalorraquidiano, potenciais evocados e clínica. O tratamento actualmente passa pelo uso de imunomoduladores e imunosupressores. A incapacidade clínica classifica-se através do EDSS, que varia de 0 (normalidade) até o grau máximo de 10 (morte por Esclerose Múltipla). Quanto ao prognóstico, este é mais favorável para o sexo feminino, doença com início em idade mais jovem e doença que se inicie com sintomas sensitivos e disfunções dos nervos cranianos. Neste trabalho efectuou-se um estudo retrospectivo documental numa amostra de 40 doentes com Esclerose Múltipla do tipo surto-remissão e com diagnóstico há pelo menos três anos...