Página 1 dos resultados de 1197 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Efeito agudo do exercicío físico aeróbico na atividade nervosa simpática periférica de pacientes portadores de doença renal crônica - estágio III; Acute effectof aerobic exercise in the muscle sympathetic nerve activity in patients with chronic kidney disease stage III

Aprile, Daniele Cristina Bosco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.46%
A principal causa de mortalidade nos pacientes com doença renal crônica é a doença cardiovascular. A alta prevalência de hipertensão arterial nestes pacientes e sua relação com riscos cardiovasculares são indiscutíveis. A doença renal crônica é caracterizada pela hiperatividade simpática, o que contribui para gênese ou agravo da hipertensão arterial. O exercício aeróbico reduz a pressão arterial e a atividade nervosa simpática em diversas populações, mas seus efeitos não são claros em pacientes com doença renal crônica. O objetivo deste estudo foi avaliar nestes pacientes as respostas hemodinâmicas e neurais ao exercício estático com handgrip após uma sessão de exercício aeróbio. Nove pacientes, portadores de doença renal crônica no estágio III (52±8 anos) e doze indivíduos saudáveis (50±5 anos), em ordem aleatória, realizaram uma sessão de exercício aeróbio em ciclo ergômetro (45 minutos a 50% do Vo2pico) e uma sessão de repouso (repouso sentado por 45 minutos). Após as sessões, foram registradas no período basal e durante o exercício estático com handgrip (3 minutos a 30% da contração voluntária máxima): atividade nervosa simpática periférica (microneurografia), pressão arterial...

Estudo da progressão da doença renal crônica em cães, segundo a classificação em estágios, pela avaliação sequencial da proteinúria pela eletroforese de proteínas urinárias e determinação de albuminúria; Study of chronic kidney disease progression in dogs, according to the stages classification, through the sequential evaluation of proteinuria by urine protein electrophoresis and determination of albuminuria

Waki, Mariana Faraone
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
96.42%
Durante a evolução da doença renal crônica (DRC) em cães, um dos mecanismos importantes envolvidos na autoperpetuação e progressão da lesão renal envolvem, teoricamente, o comprometimento inicial do glomérulo pelo mecanismo de hiperfiltração glomerular, e este processo pode acarretar no desenvolvimento de microalbuminúria ou de proteinúria pela presença de proteínas de alto peso molecular (albumina). Com o progredir da doença, as altas concentrações de proteína no filtrado glomerular pode também desencadear lesões tubulares e intersticiais, ocasionando a perda urinária também de proteínas de baixo peso molecular (PM) pelo comprometimento da reabsorção dessas proteínas pelos túbulos renais. Outras teorias de progressão da lesão renal também são suscitadas tais como o comprometimento inicial da porção túbulo-intersticial. Assim, espera- -se que durante a evolução da DRC, a avaliação das proteínas urinárias quanto à qualidade (determinação de albumina e os pesos moleculares) e a quantidade possam trazer informações relevantes sobre a velocidade de progressão e o local da lesão renal. O objetivo deste estudo foi de avaliar, sequencialmente, a albuminúria e a proteinúria (pelos métodos quantitativos e qualitativos - eletroforese de proteínas) dos cães com DRC nos estágios 1...

Terapia celular em gatos portadores de doença renal crônica: avaliação laboratorial e imagiológica; Stem cell therapy in cats carriers of chronic kidney disease: laboratorial and imaging evaluation

Santos, Juliana Passos Alves dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.37%
A doença renal crônica é uma das maiores causas de enfermidade e óbito de gatos geriátricos e carreia o declínio da função renal. A forma crônica é caracterizada por persistir um período prolongado de tempo e de prognóstico reservado. Atualmente, a reposição hídrica, a hemodiálise e o transplante são as opções de terapia. Como a terapia com células-tronco tem sido extensivamente estudada nos últimos anos devido a sua capacidade de melhorar a função de órgão lesionados, inclusive os rins, este estudo teve como objetivo avaliar o efeito do transplante de células-tronco de tecido adiposo de gatos, bem como estudar a contribuição de exames complementares laboratoriais e de imagem na evolução terapêutica dos animais. As células provenientes deste tecido apresentaram morfologia fibroblastóide; aderência ao plástico; diferenciaram em osteócitos, condrócitos e adipócitos e expressaram marcadores de superfície característicos de células-tronco mesenquimais. Além disso, quando injetadas em camundongos imunossuprimidos nude não apresentaram formações tumorais. Para triar os animais com a doença renal crônica para este estudo foram realizados exames de sangue, urina e ultrassonografia de 97 animais...

O significado do tratamento conservador para o paciente idoso com doença renal crônica

Bagattini, Ângela Maria
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.48%
O tema do presente estudo é a Doença Renal Crônica e o idoso em Tratamento Conservador. A Doença Renal Crônica é uma síndrome de avanço progressivo e irreversível do declínio da função dos rins. O tratamento conservador tem como objetivo o estabelecimento de várias intervenções terapêuticas realizadas por uma equipe multiprofissional, que buscam evitar a progressão do dano renal e/ou preparar o paciente para uma futura Terapia Renal Substitutiva. Trata-se de um estudo descritivo exploratório de cunho qualitativo, do qual participaram 14 pessoas com 60 anos ou mais com Doença Renal Crônica que realizam tratamento conservador e estão vinculadas ao Ambulatório De Nefrologia do Hospital de Clinicas de Porto Alegre (HCPA). Esse estudo tem como objetivo conhecer o significado do tratamento conservador para o paciente idoso com doença renal crônica. As informações foram coletadas no mês de maio de 2011 por meio de uma entrevista semi-estruturada realizada individualmente. As informações foram gravadas e analisadas conforme o referencial da análise de conteúdo de acordo com Minayo(2004). O projeto obteve aprovação do comitê de ética do HCPA. Dos conteúdos expressos pelos idosos surgiram quatro categorias...

Hipertensão arterial sistémica em felídeos com doença renal crónica

Loução, Felisbela Alexandra da Cruz
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
96.41%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A hipertensão arterial sistémica é a principal afecção cardiovascular da espécie felina. Consiste numa elevação persistente da pressão arterial sistémica e evidencia uma forte associação com a doença renal crónica. Nesta última ocorre retenção de sódio e água, com consequente aumento do volume de fluído extracelular e do débito cardíaco, produzindo elevação da pressão arterial sistémica. Também, a activação do sistema renina-angiotensina-aldosterona e outras alterações neuro-hormonais, comuns na doença renal crónica, são passíveis de induzir hipertensão arterial sistémica. Por sua vez, a hipertensão arterial sistémica promove a hipertensão e a hiperfiltração glomerulares, a proteinúria e a arteriosclerose, completando este ciclo vicioso através da auto-prepectuação da lesão renal. A prevalência significativa destas doenças, com particular destaque na população felina geriátrica, torna fundamental o diagnóstico precoce, a instituição de uma terapêutica específica e o controlo adequado das alterações secundárias, favorecendo assim, o prognóstico e melhorando a qualidade de vida dos animais afectados. No âmbito deste tema foi realizado um estudo...

Estadiamento da doença renal crónica em felinos

Freitas, Cláudia Filipa Henriques de
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em 21/10/2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.4%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A Doença Renal Crónica (DRC) é uma doença de evolução insidiosa, progressiva e irreversível, comum nos nossos animais de companhia. Trata-se da doença renal mais frequentemente diagnosticada em felinos, responsável por índices elevados de morbilidade e mortalidade, principalmente em gatos idosos. A Sociedade Internacional de Interesse Renal propôs um sistema de classificação da doença renal, com o objectivo de facilitar a aplicação de orientações clínicas adequadas para o diagnóstico, terapêutica e prognóstico desta doença. A presente dissertação foi desenvolvida no período de Setembro de 2009 a Março de 2010, no âmbito do estágio curricular final do Mestrado Integrado em Medicina Veterinária, no Hospital Veterinário Montenegro. Esta consistiu na caracterização de uma amostra populacional de 25 gatos com DRC, apresentados à consulta ou internados de Janeiro de 2009 e Março de 2010, com especial atenção ao estadiamento de todos estes pacientes e sub-estadiamento de 6 dos felinos. Estes animais apresentavam idades entre os 3 e os 17 anos, 48% dos quais desenvolveram anemia e em 80% a causa da DRC não foi determinada. O tempo médio de sobrevivência dos felinos que morreram desta doença foi de 243 dias. Quanto ao estadiamento...

Infecção do tracto urinário em felinos com doença renal crónica

Peixoto, Joana Amil
Fonte: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /01/2014 POR
Relevância na Pesquisa
96.42%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Doença Renal Crónica (DRC) é um processo progressivo e irreversível, o qual afecta sobretudo animais de idade avançada. A prevalência desta doença tem sido tendencialmente crescente nas últimas décadas e é uma das causas de morte mais comuns por doença crónica no gato doméstico. A Sociedade Internacional de Interesse Renal (IRIS) propôs um sistema de estadiamento para a classificação da doença renal de acordo com os níveis plasmáticos de creatinina, de forma a facilitar a aplicação de orientações clínicas adequadas em termos de diagnóstico, tratamento e prognóstico. A Infecção do Tracto Urinário (ITU) é relativamente rara em gatos e desenvolve-se quando as defesas do hospedeiro permitem a aderência, multiplicação e persistência de microorganismos no tracto urinário. Sabe-se que a ITU em gatos surge muitas vezes associada a outras doenças como o hipertiroidismo, diabetes mellitus e DRC. Os animais afectados podem ou não demonstrar sinais clínicos associados à infecção. Neste trabalho foi avaliada a presença de ITU em gatos com DRC. Dos 20 animais que fizeram parte da amostra populacional, 3 foram positivos a ITU. Em termos percentuais...

Stress parental em pais de crianças com obesidade e com doença renal crónica

Santos, Salomé Vieira; Ataíde, Sofia; João, Paula
Fonte: ISPA - Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: ISPA - Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1996 POR
Relevância na Pesquisa
96.43%
Apresentam-se os resultados decorrentes da aplicação do Índice de Stress Parental (versão portuguesa do Parenting Stress Index de R. Abidin, 1983) a quatro grupos de pais de crianças: com Problemática Emocional (n=15), com Obesidade (n=16), com Doença Renal Crónica (n=16) e Sem Problemas Físicos ou Psicológicos (n=15). Na sequência de um estudo anterior (Santos, 1994), que integrou pais de crianças com outras doenças (Fibrose Quística e Doença Celíaca), pretende-se agora estudar as respostas dadas pelos pais das crianças com Obesidade e com Doença Renal Crónica, comparando-as com as dos outros grupos. Verifica-se que o grupo com Obesidade não se distingue do saudável, enquanto que o grupo com Doença Renal Crónica se diferencia deste no Total de stress, nos dois Domínios (Criança e Pais) e em algumas subescalas. Tal como no estudo anterior, os pais das crianças com Perturbação Emocional continuam a ser os que apresentam maior número de áreas de stress, quando comparados com o grupo Sem Problemas. Os resultados são discutidos em função das características dos diferentes grupos.; ABSTRACT:The authors present the results related to the application of Índice de Stress Parental (portuguese version of Parenting Stress Index de R. Abidin...

Gestão integrada da doença renal crónica em Portugal : o panorama atual e o papel do profissional de nutrição na obtenção de melhores resultados em saúde

Gama, Maria Morais
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
96.41%
RESUMO - A doença renal crónica (DRC) resulta da perda de função renal, sendo necessário a terapêutica de substituição, no estádio terminal. Em Portugal está atualmente em vigor o modelo de Gestão Integrada da Doença, que tem inerente o cumprimento de objetivos e metas pelas unidades de diálise. Uma alimentação adequada é um pilar fundamental ao sucesso do tratamento desta doença, o que torna o profissional de nutrição indispensável. Este trabalho pretendeu avaliar o cumprimento das metas e objetivos estabelecidos no modelo referido, e relacionar os resultados obtidos com a existência de contacto entre o profissional de nutrição e os pacientes. Para a persecução dos objetivos, foram analisadas duas bases de dados disponibilizadas pela Direção Geral da Saúde: a base de dados da Plataforma de Gestão Integrada da Doença Renal Crónica em 2012 e a do Questionário de Avaliação da Satisfação dos Doentes em Hemodiálise em 2013. Verificou-se uma melhoria contínua ao longo dos anos do cumprimento das metas e objetivos preconizados em Portugal para o tratamento da DRC, com um cumprimento da maioria no ano de 2012. No entanto, os parâmetros ferritina e albumina sérica ficaram aquém da recomendação. Observou-se um nível elevado de satisfação do paciente quanto ao trabalho do profissional de nutrição...

Doença renal crónica e a sua relação com doença cardio-vascular

Nascimento, João Francisco Gouveia
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.52%
Introdução: A doença renal crónica tem uma prevalência em constante crescimento, estimando-se cerca de 265 milhões de pessoas em todo o mundo com risco aumentado para desenvolver esta doença. Os doentes renais crónicos no estadio mais avançado da doença apresentam um risco 10 a 30 vezes superior do que a população em geral de morrer por doença cardio-vascular. Objectivos: Aprofundar o conhecimento actual sobre a insuficiência renal crónica e a sua relação com a doença cardio-vascular. Métodos: Pesquisa bibliográfica na base de dados electrónica “PubMed”, com as seguintes palavras-chave: "chronickidneydisease", "glomerular filtration rate", "GFR", "eGFR", como pesquisa para doença renal crónica, e "cardiovascular disease" e "stroke", como pesquisa para doença cardio-vascular.Também se utilizou informação presente em diversos websites nacionais e internacionais. Conclusões: A doença renal crónica aumenta o risco de desenvolver doença-cardiovascular, em especial a hipertrofia ventricular esquerda, a doença coronária e o acidente vascular cerebral. Também se encontra relacionada com o desenvolvimento de lesões cerebrais, tais como lesões da substância branca, enfartes cerebrais silenciosos e atrofia cerebral. O consumo de pequenas quantidades de álcool...

Estudo epidemiológico da doença renal crônica terminal no oeste do Paraná: uma experiência de 878 casos atendidos em 25 anos

Peres,Luis Alberto Batista; Biela,Rubia; Herrmann,Michelle; Matsuo,Tiemi; Ann,Hi Kyung; Camargo,Maurício T. A; Rohde,Noris R. S; Uscocovich,Vanessa S. M
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.44%
INTRODUÇÃO: A incidência e prevalência dos pacientes em fase final da doença renal crônica (DRC) continuam a crescer em todo o mundo. O transplante renal continua tendo preferência na terapia renal substitutiva, mas, dada a limitada oferta de doadores de órgãos, terapias dialíticas são as modalidades mais realizadas. OBJETIVOS: Avaliar um registro de pacientes admitidos para terapia renal substitutiva no período de 1984 a 2009, em um único Centro. MÉTODOS: Este é um estudo epidemiológico retrospectivo. Foram analisadas as características demográficas e clínicas, incidência, principal doença renal de base, modalidades dialíticas, mortalidade e causas de óbitos. Para comparar as variáveis, foram utilizados o teste do qui-quadrado, teste t de Student, ANOVA e teste de Tukey. Curvas de Kaplan-Meier foram utilizadas para estimar a sobrevida dos pacientes. Um valor de p < 0,05 foi considerado estatisticamente significativo. RESULTADOS: No período compreendido, 878 pacientes foram admitidos em diálise. A média de idade dos pacientes foi 47,0 ± 16,2 anos, 549 (62,5%) eram do sexo masculino e 712 (81,1%) eram brancos. As principais causas da DRC foram a hipertensão, encontrada em 351 (40,0%) pacientes; nefropatia diabética...

Ensaio sobre a cegueira: mortalidade de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise de emergência

Silva,Letícia Krauss; Bregman,Rachel; Lessi,Dulce; Leimann,Beatriz; Alves,Mariane Branco
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.39%
A doença renal crônica (DRC) leva à falência renal e à necessidade de terapia renal substitutiva (TRS). A prevenção secundária pode retardar em muitos anos a evolução da doença. O presente estudo, retrospectivo, objetivou analisar os fatores prognósticos e estimar a mortalidade de portadores de doença renal crônica (DRC) secundária à hipertensão ou diabetes que iniciam a TRS por hemodiálise de emergência, desde a admissão hospitalar até a transferência para clínica-satélite ou óbito, no Rio de Janeiro. A taxa de mortalidade foi de 35,1%. Houve diferença significativa entre as curvas de sobrevida até o óbito, por doença de base (log-rank e Peto, p = 0,02) e por presença de fístula funcional (log-rank, p = 0,0099; Peto, p = 0,0090). A análise multivariada (modelo de Cox) mostrou aumento no risco de óbito de 7% (p = 0,002) por ano de idade; a presença de fístula funcional foi associada a uma redução de 81% no risco (p = 0,03). Conclui-se que um terço dos pacientes portadores de DRC por hipertensão e diabetes, que iniciam a TRS de forma não planejada, morrem no período entre a admissão hospitalar e a transferência para clínicas-satélites, o que indica baixo acesso à prevenção secundária na DRC...

Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica no nível primário: pensando a integralidade e o matriciamento

Pena,Paulo Félix de Almeida; Silva Júnior,Aluísio Gomes da; Oliveira,Paulo de Tarso Ribeiro de; Moreira,Gracyelle Alves Remigio; Libório,Alexandre Braga
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.39%
A Doença Renal Crônica é um problema de saúde pública crescente no mundo. A detecção e o tratamento precoces reduziriam as altas taxas de morbimortalidade e os custos associados. Este trabalho buscou identificar o panorama do acesso ao cuidado a partir da conduta dos médicos da Atenção Primária à Saúde na linha de cuidado da doença. Aplicaram-se questionários para 62 médicos de família dos Centros de Saúde da Família do município de Fortaleza. Os achados apontam que a Taxa de Filtração Glomerular foi mensurada por apenas 8.1% dos médicos para pacientes diabéticos e 4.8% para pacientes hipertensos. Mais da metade dos médicos (51.2%) referenciariam o paciente apresentando redução leve/moderada da Taxa de Filtração Glomerular ao nível secundário. Por outro lado, 25.8% dos médicos não referenciariam o paciente com Doença Renal Crônica avançada ao especialista. A lacuna entre esses dois níveis da atenção implica em barreira de acesso ao usuário, podendo comprometer avanços no plano da integralidade. A criação de novos dispositivos no processo de trabalho torna-se urgente e o apoio matricial apresenta-se como proposta viável para a articulação das ações entre os níveis da atenção no cuidado do portador da Doença Renal Crônica ou seus fatores de risco.

Acidose metabólica na doença renal crônica: abordagem nutricional

Leal,Viviane de Oliveira; Leite Júnior,Maurilo; Mafra,Denise
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.39%
A acidose metabólica é uma das complicações da doença renal crônica e está associada ao aumento do catabolismo protéico, à diminuição da síntese de proteínas e ao balanço nitrogenado negativo. A dieta tem forte influência sobre a geração de ácidos, podendo contribuir, portanto, para determinar a gravidade da acidose no paciente com doença renal crônica. Alguns pesquisadores têm observado que é possível estimar a excreção ácida renal, e que o cálculo dessa carga ácida a partir de alguns componentes da dieta, permitiria uma predição apropriada dos efeitos da dieta na acidose metabólica. Este artigo é uma comunicação sobre as bases fisiológicas, bem como as implicações clínicas da acidose em pacientes com doença renal crônica e a influência da dieta no balanço ácido-básico desses pacientes.

Estimativa das necessidades energéticas em pacientes com doença renal crônica

Rodrigues,Juliana Cordeiro Dias; Lamarca,Fernando; Oliveira,Cecilia Lacroix; Avesani,Carla Maria
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
96.46%
Estabelecer as necessidades energéticas de pacientes com doença renal crônica é importante para que se possam tratar os distúrbios nutricionais encontrados nessa população. Segundo os guias de condutas voltados ao cuidado nutricional de pacientes com essa doença, a recomendação energética pode variar entre 30 e 40kcal/kg/dia. Contudo, trabalhos que avaliaram os componentes do gasto energético nos pacientes com doença renal crônica sugerem que as necessidades energéticas dessa população podem diferir do valor recomendado acima, a depender da condição clínica (presença de comorbidades), da modalidade de tratamento empregado e do nível de atividade física. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo fazer uma revisão dos estudos sobre o gasto energético de pacientes com doença renal crônica, com o intuito de abordar as seguintes questões: (1) as atuais recomendações de energia para pacientes com doença renal crônica estão adequadas? (2) qual equação de predição poderia ser empregada para estimar as necessidades energéticas desse grupo de pacientes? Assim, esta revisão busca auxiliar o nutricionista ao estimar as necessidades energéticas de pacientes com doença renal crônica.

Do normal ao renal : uma perspectiva antropológica sobre doença renal crônica e hemodiálise

Vieira Barros, Tatiane; Teodósio de Quadros, Marion (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.41%
Esse trabalho propõe evidenciar a presença da experiência com a doença renal crônica e o tratamento com hemodiálise no processo de re-significação do corpo e outras condições relevantes ao universo da saúde e doença, trazendo como fonte teórica principal Mauss (2003) e Le Breton (2008) com as discussões sobre o corpo e, Herzlich (2001) e Rabelo (1999) como propostas para discutir experiência e significados. A metodologia é seguida a partir de etnografia realizada na Clínica de Doenças Renais (CDR) no município de Parnamirim/RN, onde acompanhei durante 4 meses as sessões de hemodiálise de um grupo fixo. O processo de adoecimento permite repensar as significações do corpo e dos sentimentos, a partir da descoberta da doença e da realização de um tratamento constante e invasivo, no qual outros compartilham esclarecimentos e frustrações acerca de seus problemas. A experiência da doença possibilita construir idéias sobre estar adoecido; dosar as sensações de dor e sofrimento; se habituar com a condição da cronicidade e, ainda, ver as tecnologias sendo acopladas ao corpo que, modificado pelo tratamento, está ligado à uma máquina para a manutenção da vida. Todos estes acontecimentos fazem parte do universo de um doente renal crônico. Com isso é possível ver que a experiência pode ser interpretada como um caminho por onde a doença é re-significada dentro do contexto social. O doente renal crônico tem que aprender a viver com limitações e exigências da doença e do seu tratamento...

Doença renal crónica e a sua relação com doença cardio-vascular

Nascimento, João Francisco Gouveia
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.52%
Introdução: A doença renal crónica tem uma prevalência em constante crescimento, estimando-se cerca de 265 milhões de pessoas em todo o mundo com risco aumentado para desenvolver esta doença. Os doentes renais crónicos no estadio mais avançado da doença apresentam um risco 10 a 30 vezes superior do que a população em geral de morrer por doença cardio-vascular. Objectivos: Aprofundar o conhecimento actual sobre a insuficiência renal crónica e a sua relação com a doença cardio-vascular. Métodos: Pesquisa bibliográfica na base de dados electrónica “PubMed”, com as seguintes palavras-chave: "chronickidneydisease", "glomerular filtration rate", "GFR", "eGFR", como pesquisa para doença renal crónica, e "cardiovascular disease" e "stroke", como pesquisa para doença cardio-vascular.Também se utilizou informação presente em diversos websites nacionais e internacionais. Conclusões: A doença renal crónica aumenta o risco de desenvolver doença-cardiovascular, em especial a hipertrofia ventricular esquerda, a doença coronária e o acidente vascular cerebral. Também se encontra relacionada com o desenvolvimento de lesões cerebrais, tais como lesões da substância branca, enfartes cerebrais silenciosos e atrofia cerebral. O consumo de pequenas quantidades de álcool...

Diabetes e doença renal crônica

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Material interativo em formato HTML contendo imagens coloridas e botões de ação.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.41%
Este material compõe o Curso de Especialização em Nefrologia Multidisciplinar (Módulo 3, Unidade 2), produzido pela UNA-SUS/UFMA. Trata-se de um recurso educacional interativo que apresenta a Doença Renal Diabética (DRD), quando a Doença Renal Crônica acontece no curso do diabetes de tipo 1 e 2.; Ministério da Saúde

Ensaio sobre a cegueira: mortalidade de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise de emergência

Silva,Letícia Krauss; Bregman,Rachel; Lessi,Dulce; Leimann,Beatriz; Alves,Mariane Branco
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.39%
A doença renal crônica (DRC) leva à falência renal e à necessidade de terapia renal substitutiva (TRS). A prevenção secundária pode retardar em muitos anos a evolução da doença. O presente estudo, retrospectivo, objetivou analisar os fatores prognósticos e estimar a mortalidade de portadores de doença renal crônica (DRC) secundária à hipertensão ou diabetes que iniciam a TRS por hemodiálise de emergência, desde a admissão hospitalar até a transferência para clínica-satélite ou óbito, no Rio de Janeiro. A taxa de mortalidade foi de 35,1%. Houve diferença significativa entre as curvas de sobrevida até o óbito, por doença de base (log-rank e Peto, p = 0,02) e por presença de fístula funcional (log-rank, p = 0,0099; Peto, p = 0,0090). A análise multivariada (modelo de Cox) mostrou aumento no risco de óbito de 7% (p = 0,002) por ano de idade; a presença de fístula funcional foi associada a uma redução de 81% no risco (p = 0,03). Conclui-se que um terço dos pacientes portadores de DRC por hipertensão e diabetes, que iniciam a TRS de forma não planejada, morrem no período entre a admissão hospitalar e a transferência para clínicas-satélites, o que indica baixo acesso à prevenção secundária na DRC...

Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica no nível primário: pensando a integralidade e o matriciamento

Pena,Paulo Félix de Almeida; Silva Júnior,Aluísio Gomes da; Oliveira,Paulo de Tarso Ribeiro de; Moreira,Gracyelle Alves Remigio; Libório,Alexandre Braga
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.39%
A Doença Renal Crônica é um problema de saúde pública crescente no mundo. A detecção e o tratamento precoces reduziriam as altas taxas de morbimortalidade e os custos associados. Este trabalho buscou identificar o panorama do acesso ao cuidado a partir da conduta dos médicos da Atenção Primária à Saúde na linha de cuidado da doença. Aplicaram-se questionários para 62 médicos de família dos Centros de Saúde da Família do município de Fortaleza. Os achados apontam que a Taxa de Filtração Glomerular foi mensurada por apenas 8.1% dos médicos para pacientes diabéticos e 4.8% para pacientes hipertensos. Mais da metade dos médicos (51.2%) referenciariam o paciente apresentando redução leve/moderada da Taxa de Filtração Glomerular ao nível secundário. Por outro lado, 25.8% dos médicos não referenciariam o paciente com Doença Renal Crônica avançada ao especialista. A lacuna entre esses dois níveis da atenção implica em barreira de acesso ao usuário, podendo comprometer avanços no plano da integralidade. A criação de novos dispositivos no processo de trabalho torna-se urgente e o apoio matricial apresenta-se como proposta viável para a articulação das ações entre os níveis da atenção no cuidado do portador da Doença Renal Crônica ou seus fatores de risco.