Página 1 dos resultados de 231 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Distribuição espacial de Chironomidae (Diptera) em riachos da região norte da Serra do Mar, Estado de São Paulo; Spatial distribution of Chironomidae (Diptera) in streams from north of Serra do Mar, São Paulo state

Leite, Ricardo Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.27%
O presente trabalho teve como objetivo testar se os fatores ambientais cobertura vegetal, estrutura ambiental, vazão e características físicas e químicas da água (pH, oxigênio dissolvido, temperatura da água e condutividade) podem predizer a abundância, a diversidade e a composição de Chironomidae em riachos. As coletas foram realizadas em riachos localizados nos núcleos Santa Virgínia e Cunha-Indaiá, Parque Estadual Serra do Mar, Estado de São Paulo, e suas adjacências, nos meses de outubro de 2006 e outubro e novembro de 2007. Em cada riacho a fauna associada a 25 rochas (com aproximadamente 20 centímetros de diâmetro) foi coletada. Foram coletados 3758 indivíduos distribuídos em 71 táxons. A riqueza estimada para a região, através do método de Jacknife 2, foi de 105 táxons. Os coeficientes parciais estimados a partir da regressão linear múltipla demonstraram que a cobertura vegetal teve influência significativa sobre a abundância e o oxigênio dissolvido sobre a riqueza. Nenhum fator ambiental foi preditivo da composição faunística. Riachos que apresentaram as maiores vazões e os menores escores do RCE apresentaram menores valores para a diversidade beta; This study aimed to test the effects of vegetation cover...

Diversidade e distribuição de anfíbios no Cerrado: o papel dos fatores históricos e dos gradientes ambientais; Diversity and distribution of anurans in Brazilian Cerrado: the role of historical factors and environmental gradients

Valdujo, Paula Hanna
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.42%
A integração de fatores contemporâneos locais e procesos biogeográficos fornece uma visão ampla e promissora a respeito da diversidade de espécies e seus padrões de diversidade. Utilizando ferramentas recentes para análises espaciais, eu integro fatores históricos e contemporâneos para analisar a distribuição e beta diversidade espécies de anuros do Cerrado. Forneço informações atualizadas a respeito da composição e distribuição das espécies de anuros no Cerrado, com base em um extensivo levantamento em coleções zoológicas e estudos de campo. Analiso a distribuição e beta diversidade em um contexto histórico, enfocando as relações do Cerrado com seus domínios vizinhos, e suas condições ambientais. Registrei 204 espécies de anuros no Cerrado, das quais 50% são endêmicas. Espécies que ocorrem no Cerrado e mais um domínio apresentam alta estruturação espacial, na qual espécies amazônicas estão restritas à porção noroeste e as espécies atlânticas estão restritas à porção sudeste do Cerrado. Registrei espécies endêmicas em quase todas as localidades e em todas as regiões, enquanto espécies de distribuição restrita ocorrem apenas em regiões montanhosas no centro, sudeste e sudoeste do Cerrado. Gêneros originado na Mata Atlântica e Amazonia estão distribuídos em um padrão de "tabuleiro de xadrez" dentro do Cerrado...

Partição aditiva da diversidade de nematoda em lagoas costeiras : componentes espaciais e ambientais; Additive partitioning of Nematoda diversity in coastal lakes: spatial and environmental components

Flach, Pamela Ziliotto Sant Anna
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.48%
A partição aditiva da diversidade tem recebido cada vez mais atenção dos ecólogos, sendo utilizada como uma abordagem para fracionar a diversidade ao longo de múltiplas escalas. A abordagem permite ainda testar se a diversidade em cada uma das escalas é maior ou menor do que o esperado segundo uma distribuição de indivíduos ao acaso nas unidades amostrais. Este trabalho avalia a diversidade alfa e beta de nematódeos em cinco escalas espaciais (de cm a km). A importância de componentes ambientais e geográficos (dentro de lagoas e entre lagoas) na diversidade desses organismos também é estimada. Como medida de diversidade utilizou-se a riqueza de morfotipos. Através de dados da literatura, comparou-se a diversidade de Nematoda com os padrões de diversidade descritos para organismos unicelulares de mesmo tamanho (menores de 2 mm). A expectativa era que a assembléia de nematódeos apresentasse uma alta diversidade alfa nas escalas espaciais inferiores, como ocorre para protistas, e valores baixos para diversidade beta, uma vez que a variação na composição da nematofauna refletiria principalmente mudanças nas características ambientais. Foram registrados 13.358 indivíduos e 59 morfoespécies de nematódeos. A partição aditiva da diversidade revelou que a importância da diversidade beta nas escalas maiores (dentro e entre ambientes e entre lagoas) foi maior que o esperado. Através da Análise de Correspondência Canônica Parcial (pCCA)...

Padrões de diversidade da vegetação lenhosa da região do Alto Camaquã, Rio Grande do Sul, Brasil

Dadalt, Letícia Piccinini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.43%
A diversidade beta pode ser definida como a mudança na composição de espécies entre locais em uma determinada área geográfica. Quantificar a contribuição relativa dos diferentes fatores que a afetam é essencial para entender como é mantida a diversidade das comunidades. Nosso estudo tem foco na vegetação lenhosa da região do Alto Camaquã, sul do Brasil (ca.30-31° S, 52-54° W), que está inserida no bioma Pampa e é caracterizada por ampla heterogeneidade ambiental com mosaicos de floresta e campo naturais. Com o objetivo de responder quais fatores tem mais influência na estruturação da comunidade de plantas lenhosas dessa região, distribuímos sistematicamente 60 unidades amostrais onde foram levantadas todas as espécies de plantas lenhosas. Primeiramente particionamos a diversidade beta através de RDA parcial e verificamos que as variáveis ambientais – que incluem variáveis climáticas, topográficas e edáficas – explicaram 28,4% da variação na composição de espécies, a distância geográfica explicou 16,6%, 14,7% foi compartilhado entre os dois componentes e 40,3% permaneceu não explicado. Com isso ficou claro que fatores determinísticos são mais importantes na estruturação das comunidades lenhosas. Em uma posterior análise de árvore de regressão multivariada...

Especificidade de espécies arbóreas no sudeste da Mata Atlântica e padrões de diversidade em florestas com Araucária

Bergamin, Rodrigo Scarton
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.44%
Distintos padrões de composição e diversidade de espécies podem ser observados ao longo de comunidades que variam em relação ao ambiente e à posição geográfica, sendo possível a identificação de potenciais espécies indicadoras destas mudanças. Diversos estudos sobre a variação na diversidade de espécies têm demonstrado a influência de condições ambientais (teoria de nicho) e/ou da limitação na dispersão (teoria neutra), com diferentes proporções de explicação. Esta dissertação aborda a especificidade de espécies arbóreas no sudeste da Mata Atlântica e alguns padrões de variação da diversidade beta em Florestas com Araucária, na região nordeste do Rio Grande do Sul. Na abordagem de especificidade de espécies, analisamos um gradiente ambiental e espacial a partir de 21 trabalhos abrangendo diferentes tipologias florestais: Floresta de Restinga (3), Floresta Ombrófila Densa (7), Floresta Ombrófila Mista (8) e Floresta Nebular (3). Foram observados diferentes níveis de riqueza e de espécies indicadoras para cada tipo florestal. Além disso, a altitude foi a principal variável ambiental associada aos padrões florísticos observados neste estudo, que formam um continuum de substituição de espécies ao longo do gradiente. Para a abordagem da diversidade beta...

Partição da diversidade de insetos aquáticos em riachos do sul do Brasil; Partitioning diversity of aquatic insects in streams of the Southern Brazil

Hepp, Luiz Ubiratan
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
O presente estudo teve por objetivo principal avaliar a distribuição espacial de insetos aquáticos (Ephemeroptera, Plecoptera e Trichoptera; EPT) em riachos do Sul do Brasil. Para tanto, foram realizados diferentes estudos com objetivos específicos direcionados a (i) avaliar o efeito de fatores ambientais e espaciais sobre a distribuição dos organismos, (ii) verificar as escalas heirárquicas onde ocorreram maior variação da comunidade (diversidade beta), (iii) testar a existência de relação entre a composição de espécies e diferentes distâncias espaciais e (iv) avaliar a importância da inclusão de espécies raras na diversidade beta de insetos aquáticos. No primeiro estudo, realizado em Maquiné-RS, observei que os preditores ambientais possuem maior importância na explicação da diversidade beta das comunidades do que a distância entre os trechos . No segundo estudo, em São José dos Ausentes–RS, particionei a diversidade em múltiplas escalas. A partição aditiva utilizada demonstrou que as escalas maiores (riachos e microbacias) foram as de maior importância para estruturação da comunidade. No último estudo, utilizei um método de decomposição da variância da comunidade em múltiplas escalas espaciais utilizando uma matriz biológica contendo toda a fauna de EPT coletada e outra matriz com exclusão das espécies raras. Neste estudo foi possível observar que a variação existente nas escalas de corredeiras...

Padrões de variação da diversidade funcional e de espécies em comunidades arbóreas na Floresta Atlântica do sul do Brasil

Muelbert, Adriane Esquivel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.55%
O conhecimento sobre o funcionamento e a diversidade das florestas tropicais vem crescendo nos últimos anos. Formas de quantificar as causas da diversidade beta funcional estão sendo desenvolvidas e perguntas sobre quais fatores determinam essa variação da diversidade em comunidades permanecem em aberto, sobretudo em uma escala regional. Nosso objetivo foi identificar as causas da variação da diversidade (i.e. diversidade beta) de espécies e da diversidade funcional de uma metacomunidade de árvores na Floresta Ombrófila Densa Submontana do sul do Brasil, extremo sul de seu limite de distribuição. Nossa hipótese é de que as causas da diversidade beta funcional e de espécies são distintas. A diversidade beta funcional seria explicada por fatores ambientais e a diversidade beta de espécies por fatores históricos. Para testar nossa hipótese utilizamos a análise de partição da variação através da análise de redundância canônica (ROA). Assim, quantificamos a porção da diversidade beta de espécies e funcional entre comunidades explicada pela variação de variáveis explanatórias ambientais (variáveis bioclimáticas e topológicas) ou espaciais (PCNMs). Também tivemos acesso à porção não explicada por nenhum destes fatores...

Diversity, distribution and conservation of anurans from coastal plains of São Paulo state, Southeastern Brazil; Diversidade, distribuição e conservação de anfíbios anuros das planícies costeiras do estado de São Paulo, Sudeste do Brasil

Amom Mendes Luiz
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.53%
Indivíduos e espécies não são distribuídos aleatoriamente no espaço. Consequentemente, as metacomunidades formadas por tais organismos também apresentam uma organização espacial. Associado a isso, poucas espécies conseguem se distribuir na maioria dos ambientes possíveis. Portanto, as metacomunidades possuem uma variação em sua composição que pode ser espacialmente organizada, ou seja, existem locais que são mais similares em termos de composição de espécies do que outros. Robert Whittaker nomeou esse fenômeno como o componente beta da diversidade, ou simplesmente, diversidade beta. Entender quais processos geram e mantêm os padrões espaciais da diversidade beta é, portanto, uma questão central em ecologia de comunidades, além de auxiliar na proposição de formas apropriadas de manejo e conservação. O objetivo deste estudo foi descrever padrões de diversidade beta de anfíbios anuros das planícies costeiras do Sudeste do Brasil e investigar os possíveis processos que influenciam os padrões de diversidade detectados. A dissertação está dividida em dois capítulos. No primeiro capítulo, descrevo a diversidade beta de anuros da região de estudo e avalio como esses padrões estão protegidos atualmente...

Padrões de diversidade do componente arbustivo-arbóreo em diferentes escalas espaciais em fragmentos de Cerrado; Diversity patterns of the woody component in different spatial scales in Cerrado fragments

Caio Jefiter dos Reis Santos Soares
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.4%
Padrões ecológicos, como a distribuição da diversidade de espécies, podem variar de acordo com a escala espacial em que são observados. Esta variação de padrões dependentes de escala é ainda mais perceptível quando o objeto de estudo apresenta grande heterogeneidade, pois nestes ambientes há vários fatores que influenciam a distribuição e a organização da diversidade de espécies, tanto localmente quanto regionalmente. O domínio fitogeográfico do Cerrado possui grande heterogeneidade de condições ambientais, o que acarreta em padrão de distribuição de espécies em mosaico, com poucas espécies amplamente distribuídas e a maioria das espécies sendo raras ou restritas a uma ou poucas localidades. Este trabalho teve como objetivo responder a questões relacionadas a padrões de diversidade entre fragmentos de Cerrado em escala espacial de 200 km². Visamos compreender a organização geográfica da diversidade de árvores e arbustos, assim como sua distribuição em diferentes escalas espaciais dentro da nossa área de estudo. Determinamos os processos (substituição ou aninhamento de espécies) que geram as diferenças de composição de espécies entre comunidades de diferentes fragmentos de Cerrado, em diferentes escalas. Para avaliar as questões propostas...

Matas de galeria no Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil : fitossociologia, diversidade, regeneração natural e relação com variáveis ambientais

Matos, Mariana de Queiroz
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.39%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2009.; O presente trabalho foi realizado no Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), localizado na porção nordeste do Piauí, região onde ainda existem lacunas de conhecimento. O Parque, considerado área prioritária para conservação do bioma Cerrado (BRASIL 1999), contém um mosaico de fisionomias e ocorre em área de transição ecológica. Este estudo faz parte da 2ª etapa da excursão científica do projeto Biodiversidade e Fragmentação de Ecossistemas nos Cerrados Marginais do Nordeste (Sítio 10 do PELD), com apoio do CNPQ/BIOTEN e execução conjunta pela equipe da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da Universidade de Brasília (UnB). O objetivo foi estudar a composição florística, fitossociologia, diversidade, regeneração natural e relação com variáveis ambientais da vegetação arbórea das matas de galeria que se distribuem ao longo dos cursos d’água localizados no PNSC e também avaliar a similaridade florística entre essas matas e outras em diversas localidades do bioma Cerrado. A vegetação arbórea (DAP > 5 cm) foi amostrada de forma sistemática em 56 parcelas permanentes de 100 m² (10 x 10 m) em quatro trechos de mata de galeria ao longo do Parque. As parcelas foram subdivididas em subparcelas de 5 x 5 m e 2 x 2 m...

Diversidade beta na vegetação da bacia do Rio Paracatu - MG

Ferreira, Fernanda Gomes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
56.39%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Engenharia Florestal, Programa de pós-graduação em Ciências Florestais, 2010.; A grande importância ecológica do Cerrado o torna conhecido dentre os principais biomas em termos de riqueza e biodiversidade. Desta forma, para que a vegetação do Cerrado seja efetivamente protegida, são necessários estudos que reconheçam os arranjos nas comunidades e seu grau de heterogeneidade florística, que podem ser estudados por meio de parâmetros de diversidade em escalas regionais e locais. Conhecer as diversidades alfa e beta, bem como obter informações a respeito da estrutura de áreas no Cerrado, é de fundamental importância para delinear estratégias de recomposição de ambientes degradados, selecionar áreas para conservação com base em critérios ecológicos, descrever padrões fitogeográficos em escala regional, bem como os processos biológicos nesta vegetação. Este trabalho testa a hipótese de que na bacia do Rio Paracatu a sobreposição de espécies na flora é alta, por isso a diversidade beta naquela região é baixa. Para tanto, os principais objetivos deste trabalho foram: estudar a estrutura na comunidade do cerrado sentido restrito associado à Neossolo Flúvico localizado na bacia do Rio Paracatu (Capítulo: Diversidade e estrutura no cerrado sentido restrito em Neossolo Flúvico nas margens do rio Paracatu...

Diversidade alfa e beta no cerrado sensu stricto da Chapada Pratinha, Brasil.; Alfa and Beta diversity in the cerrado sensu stricto

Felfili, Maria Cristina; Felfili, Jeanine Maria
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
O bioma cerrado possui uma das mais ricas florasdentre as savanas mundiais com mais de 6000 espécies, abrange uma vasta extensão territorial, contém as três maioresbacias hidrográficas sul americanas, e se destaca pela elevada biodiversidade. O objetivo deste trabalho, que faz partedo Projeto Biogeografia do Bioma Cerrado, foi analisar as diversidades alfa e beta em comunidades de cerrado sensustricto. Foram amostrados o Parque Nacional de Brasília, a Estação Ecológica de Águas Emendadas, a Area deProteção Ambiental (APA) Gama-Cabeça de Veado, Silvânia-GO, Paracatu-MG e Patrocínio-MG. A amostragem foialeatória com 10 parcelas de 20x50m em cada área de estudo. Foram incluídas plantas lenhosas, exceto lianas, quetivessem no mínimo 5cm de diâmetro. Foi calculada a diversidade alfa pelo teste de Shannon & Wienner e o deSimpson. A diversidade beta foi calculada pelo índice de Whittaker que mede a mudança ou taxa de substituição nacomposição de espécies de um local para outro. Foi efetuada a curva espécie-área para as 60 parcelas amostradas eefetuada a classificação por TWINSPAN. O cerrado sensu stricto da Chapada Pratinha pode ser diferenciado em duaszonas fitogeográficas: Distrito Federal-Silvânia e Paracatu-Patrocínio. Estas coincidem com um zoneamento porsistemas de terra que classifica a primeira zona como terras altas em contraposição à segunda. ___________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The cerrado flora is one of the richest among theworld’s savannas with more than 6000 species. The cerrado covers a large territory...

Diversidade de morcegos (Mammalia: Chiroptera) em fragmentos de Caatinga na planície do médio São Francisco

Sá-Neto, Raymundo José de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.29%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Pós-Graduação em Ecologia, 2012.; A diversidade de espécies é um dos principais focos de estudos ecológicos, este tema apresenta uma complexa relação entre níveis de organização e escala de observação. A diversidade de espécies em uma região depende de componentes locais, assim como de interações entre estes componentes e entre da região estudada com outras regiões vizinhas. Assim, a compreensão dos mecanismos dos três níveis da diversidade é importante para a conservação da diversidade de espécies em uma região. A caatinga é caracterizada por um mosaico de vegetação xerófila com enclaves de savana e floresta tropical presentes no interior do Nordeste do Brasil. Esses enclaves resultam da expansão e retração de biomas mésicos e semi-áridos da América do Sul durante as mudanças climáticas do Pleistoceno. Os morcegos formam o mais rico grupo de mamíferos na Caatinga, apresentam alta diversidade local e diferentes redes de metacomunidade moldam a composição das espécies entre as áreas. Além disso, as espécies deste grupo apresentam diferentes repostas à fragmentação e perda de habitat. Tornando estes animais adequados para se avaliar a biodiversidade em regiões de Caatinga. Esta tese tem por objetivo avaliar os três níveis da diversidade de morcegos em fragmentos de caatinga na região do curso médio do rio São Francisco no estado da Bahia. No primeiro capítulo...

Diversidade de comunidades de pequenos mamíferos de três fitofisonomias [sic] do Cerrado no Brasil Central : partição da diversidade regional em componentes alfa e beta

Silva, Anderson Paz da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.42%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2013.; A diversidade de grupos animais pode estar relacionada à heterogeneidade e/ou à complexidade do ambiente. No domínio vegetacional Cerrado, a alta diversidade de pequenos mamíferos tem sido atribuída à heterogeneidade ambiental e a influência da complexidade ainda é uma questão aberta. O objetivo deste trabalho foi avaliar a partição da diversidade de pequenos mamíferos de uma região de Cerrado do Brasil Central em áreas de vegetação savânica típica – cerrado sensu stricto (cerrado s.s.) – e de formações florestais – cerradão e mata de galeria – considerando os efeitos da complexidade ambiental. A riqueza de espécies e os índices de diversidade “verdadeira” de Shannon e Simpson foram as métricas de diversidade usadas. Amostrei quatro áreas de cada fitofisionomia dispondo armadilhas no solo e sub-bosque nas três formações e também no dossel em cerradão e mata. Com esforço amostral total de 15744 armadilhas-noite em todo o estudo, capturei 348 indivíduos de 14 espécies. A amostragem de dossel em mata e cerradão incrementou suas riquezas de espécies...

Avaliação da estrutura da comunidade fitoplanctônica em várzeas amazônicas frente às variações hidrológicas, ambientais e espaciais

Kraus, Cleber Nunes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.39%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2015.; O pulso de inundação é a principal força estruturadora ambiental e biológica das planícies alagáveis, mas nem sempre é capaz de homogeneizar os ambientes ao longo de um gradiente espacial e/ou ambiental de conexão. Os regimes hidrológicos controlam o funcionamento dos ecossistemas aquáticos, gerando fases distintas com características distintas, porém, o ciclo de enchente e seca sazonal, não gera sempre uma homogeneização das características ambientais e biológicas da comunidade fitoplanctônica como sugerido por outros autores. Essa heterogeneidade leva a um alto índice de diversidade beta. A diversidade beta é uma das medidas mais importantes para a compreensão do funcionamento dos ecossistemas. Uma das formas mais simples de mensurá-la é uma medida de dissimilaridade biológica entre locais. Existem diferentes métodos para se avaliar essa dissimilaridade, mas todos se concentram em separar a dissimilaridade causada por turnover da dissimilaridade causada pelo aninhamento. Como estes fenômenos levam em conta fatores espaciais e ambientais, eles também podem ajudar na avaliação da estrutura de metacomunidades. Neste trabalho...

A diversidade diferencial beta de Coleoptera (Insecta) em uma paisagem antropizada do Bioma Araucária

Marinoni,Renato C.; Ganho,Norma G.
Fonte: Sociedade Brasileira De Entomologia Publicador: Sociedade Brasileira De Entomologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.32%
Este trabalho dá continuidade aos estudos sobre a fauna de Coleoptera do Parque Estadual de Vila Velha, Ponta Grossa, Paraná (PROVIVE). Teve como objeto conhecer a diversidade diferencial, ou seja, avaliar as mudanças que ocorrem na composição de espécies em áreas que sofreram ação antrópica. Os dados foram obtidos a partir de coletas através de armadilha malaise, de setembro de 1999 a agosto de 2000 (52 semanas), em cinco áreas reconhecidas como sendo diferentes habitats num capão de araucária (Floresta Ombrófila Mista), em diferentes níveis de conservação e de manejo:1) uma área de borda de mata (campo - floresta); 2) uma área com povoamento de Araucaria angustifolia, sem manejo; 3) uma área em estágio inicial a intermediário de sucessão vegetal; 4) uma área em estágio intermediário a avançado de sucessão vegetal e 5) uma área em estágio avançado de sucessão vegetal. Foram coletados 10.822 indivíduos de 1.659 espécies. A aplicação de diferentes índices de diversidade beta (b), baseados em medidas de continuidade de espécies e de ganho e perda de espécies, resultaram em altas taxas de mudança, indicando alta diversidade diferencial entre as áreas, onde já havia sido constatada a existência de alta diversidade inventarial (a). A área que mais se diferenciou na composição de espécies foi a borda de mata. As áreas em sucessão vegetal foram as mais assemelhadas entre si...

Variáveis climáticas como estruturadoraas da diversidade beta em comunidades de anuros em escala regional

Bonetti, Maria Fernanda
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.39%
Resumo: Sabe-se, atualmente, que as comunidades são estruturadas por mecanismos diferentes, embora conectados, que atuam tanto em escalas locais, como em escalas maiores de tempo e espaço. Assim, compreender os fatores que geram esta estruturação passa a ser uma tarefa fundamental, com implicações na identificação de fatores que auxiliam na geração e manutenção da diversidade, bem como na predição de quanto as mudanças ambientais podem afetar a diversidade local e regional. A relação entre escala e diversidade foi introduzida por R. J. Whittaker, diferenciando as diversidades local, regional e a diversidade beta. A diversidade beta é a diferença da composição de espécies entre as comunidades. Existem muitos trabalhos que abordam a troca de espécies entre localidades com base em gradientes latitudinais, todavia, são poucos os estudos que buscam entender dinâmicas regionais. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo geral descrever como ocorre a variação das espécies, nas comunidades de Anura, em escala regional, usando descritores de habitat. Vários métodos multivariados como análise de correspondência, análise canônica e um método de partição da variação foram aplicados para determinar o efeito das variáveis climáticas...

Conservação de mamíferos no cerrado e em Goiás; Conservation biogeography of bats in the Brasilia cerrado

Barreto, Bruno de Souza
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.35%
Increasingly biodiversity has lost diversity around the globe because of the way the human population have used natural resources. To reduce the impacts caused by human activity, conservation units (CU) have been created to ensure the maintenance of biodiversity. However, many conservation units were not established following scientific criteria and its efficiency can therefore be questioned. In this study we tried to evaluate the efficiency of conservation of the Cerrado based on species richness and beta diversity of mammals currently and in accord to climate change expected for 2080. We show through gap analyzes that species are represented in the current system both in the current climate and in the future. However, they have become rarer within CUs with climate change. We show that CUs do not capture a greater diversity than expected by chance. It is expected a larger number of species within the CUs in 2080, however, the number of species outside them will also be greater. As for beta diversity, there will be a reduction of the index in 2080 and both outside and within the UCs expected on average the same value. Climate change became UC’s Cerrado more inefficient, there will be an increase in the number of threatened species because of climate change interfering in the spatial arrangement of species on the Cerrado. This draws attention to the evaluation of systems of protected areas consider the spatial-temporal dynamics of the species.; Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq; Cada vez mais a biodiversidade tem perdido diversidade ao redor do planeta em razão do modo como a população humana têm utilizado os recursos naturais. Para reduzir os impactos causados pela atividade humana...

Phylogenetic, taxonomical and functional diversity and the structure of anurans communities in coastal plains of São Paulo state, southeastern Brazil = : Diversidade filogenética, taxonômica e funcional e a estrutura de comunidades de anuros nas planícies costeiras do estado de São Paulo, sudeste do Brasil; Diversidade filogenética, taxonômica e funcional e a estrutura de comunidades de anuros nas planícies costeiras do estado de São Paulo, sudeste do Brasil

Thiago Augusto Pires
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.52%
Em termos gerais, comunidades biológicas podem ser estruturadas por elementos que ocorrem em escalas espaciais diversas, que incluem fatores bióticos (e.g., competição e predação); fatores abióticos (e.g., heterogeneidade ambiental), históricos (e.g., eventos de extinção e colonização; e dinâmicas neutras (e.g., dispersões e extinções locais e aleatórias). Uma das formas mais interessantes de se estudar a estrutura de comunidades é a partir da investigação de como diferentes processos e mecanismos influenciam diferentes escalas ou componentes da biodiversidade. Por exemplo, o componente da diversidadebeta, uma medida de dissimilaridade entre comunidades, primariamente avaliada através da presença e ausência das espécies em cada comunidade. Outra forma utilizada por ecólogos para compreender a estrutura de comunidades é avaliar a estrutura filogenética das comunidades. Através da avaliação dessas propriedades e quais possíveis fatores a influenciam, se torna possível compreender as regras de montagem e manutenção de comunidades. Nesse contexto, nossos objetivos gerais nessa dissertação foram: estimar a diversidade beta de anuros das planícies costeiras paulistas em seus diferentes componentes: funcional...

Uso de hábitat em diferentes escalas, distribuição da diversidade e nicho isotópico de comunidades de pequenos mamíferos do Cerrado central

Ribeiro, Juliana Fernandes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
56.29%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2015.; Compreender os fatores que colaboram para a co-ocorrência de espécies em um local ou região é de extrema importância para a conservação e manejo dos pequenos mamíferos terrestres do Cerrado brasileiro. Essas espécies possuem adaptações morfológicas distintas que permite selecionar hábitats em diferentes escalas espaciais, apresentar diferenças na utilização dos recursos alimentares, bem como possuírem distintas capacidades de locomoção para explorarem o ambiente. No presente estudo avaliamos a diversidade e distribuição desse grupo nas diferentes formações vegetais do bioma e em distintas escalas espaciais. A diversidade beta foi alta entre formações vegetais em uma mesma área e entre as áreas, indicando a relevância de processos locais e regionais na estruturação dessas comunidades e na abundância das espécies. Ao avaliarmos o uso do hábitat em diferentes escalas e dos recursos alimentares, verificamos que as características do hábitat em diferentes escalas espaciais são importantes para a estruturação das comunidades, bem como na seleção do hábitat por determinadas espécies. Os recursos alimentares (i.e....