Página 1 dos resultados de 68 itens digitais encontrados em 0.056 segundos

A distribuição generalizada de valores extremos no estudo da velocidade máxima do vento em Piracicaba, SP.; The generalized extreme value distribution to study maximum wind speed in Piracicaba, SP.

Bautista, Ezequiel Abraham López
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2002 PT
Relevância na Pesquisa
76.36%
A teoria dos valores extremos desempenha um papel fundamental na modelagem de eventos associados a probabilidades muito pequenas ou eventos raros. Os modelos probabilísticos baseados nesta teoria visam predizer, a partir de um conjunto de valores máximos de um processo ambiental registrado num período relativamente curto (30 anos, por exemplo), os valores máximos esperados num período maior de tempo (50, 100 ou mais anos), que para o caso específico dos ventos, são de grande utilidade no planejamento de estruturas civis. Este trabalho consistiu no ajuste da distribuição generalizada de valores extremos (GVE), que inclui como casos particulares, as distribuições Gumbel, Fréchet e de Weibull (definidas na teoria dos valores extremos), aos dados de velocidade máxima mensal de ventos registrados durante um período de 43 anos (1956 a 1971 e 1974 a 2000) na estação agrometeorológica da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" em Piracicaba, Estado de São Paulo. Para a estimação dos parâmetros dessa distribuição, foi utilizado o método da máxima verossimilhança. O ajuste aos dados foi avaliado através dos gráficos quantil-quantil e do teste de Kolmogorov-Smirnov. A partir do ajuste inicial da distribuição GVE...

A distribuição generalizada de Pareto e mistura de distribuições de Gumbel no estudo da vazão e da velocidade máxima do vento em Piracicaba, SP; The generalized Pareto distribution and Gumbel mixture to study flow and maximum wind speed in Piracicaba, SP

Silva, Renato Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.54%
A teoria dos valores extremos é um tópico da probabilidade que descreve a distribuição assintótica das estatísticas de ordem, tais como máximos ou mínimos, de uma seqüência de variáveis aleatórias que seguem uma função de distribuição F normalmente desconhecida. Descreve, ainda, a distribuição assintótica dos excessos acima de um valor limiar de um ou mais termos dessa seqüência. Dessa forma, as metodologias padrões utilizada neste contexto consistem no ajuste da distribuição generalizada dos valores extremos a uma série de máximos anuais ou no ajuste da distribuição generalizada de Pareto a uma série de dados compostas somente de observações excedentes de um valor limiar. No entanto, segundo Coles et al. (2003), há uma crescente insatisfação com o desempenho destes modelos padrões para predição de eventos extremos causada, possivelmente, por pressuposições não atendidas como a de independência das observações ou pelo fato de que os mesmos não sejam recomendados para serem utilizados em algumas situações específicas como por exemplo e quando observações de máximos anuais compostas por duas ou mais populações independentes de eventos extremos sendo que a primeira descreve eventos menos freqüentes e de maior magnitude e a segunda descreve eventos mais freqüentes e de menor magnitude. Então...

Simulação no dimensionamento e gestão de sistemas de recursos hídricos, geração de séries sintéticas de escoamento

Guimarães, Rita Cabral Pereira de Castro
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
75.99%
A geração de séries de valores de escoamento tem sido largamente utilizada no dimensionamento e gestão de sistemas de recursos hídricos, nomeadamente na determinação do volume de armazenamento de uma albufeira necessário para satisfazer, com uma dada garantia, uma determinada procura. Tais séries sintéticas não sendo valores reais (observados) nem previsões de valores futuros, são suficientemente próximos dos valores históricos para poderem ser usados como alternativa. Em estudos que envolvam a geração de séries levantam-se duas importantes questões: qual o número de séries a gerar e qual o tamanho das séries a gerar. 0 objectivo deste estudo é responder a estas duas questões, pelo que se desenvolveu uma metodologia que se aplicou a quatro cursos de água de Portugal Continental. A metodologia proposta compreende vários passos que a seguir se descrevem resumidamente. Primeiro e utilizando um modelo apropriado procede-se à geração de vários conjuntos de séries de escoamentos anuais. Estas, são posteriormente, desagregadas em séries de valores mensais através do método dos fragmentos. Por aplicação do método do pico sequencial, determina-se para cada conjunto de séries, um conjunto de volumes de armazenamento necessários para satisfazer um determinado consumo. A estes conjuntos de volumes de armazenamento ajusta-se a distribuição de Gumbel...

Testes não-paramétricos para validação de modelos extremais

Santos, Paulo Jorge Dias dos
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
65.99%
Tese de mestrado em Estatística, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2011; Os testes não-paramétricos de ajustamento, de entre os quais destacamos os testes de Kolmogorov-Smirnov, de Stephens e de Cramér-von Mises são frequentemente usados em contexto paramétrico, com o objectivo de validar determinado modelo, como modelo subjacente aos dados. Os pontos críticos destes testes são facilmente acessíveis em tabelas, válidas quando não há necessidade de estimar parâmetros desconhecidos, uma situação totalmente irrealista na prática. Em Estatística de Extremos, a sua aplicação à validação de modelos extremais, tais como os modelo de tipo Pareto, generalizado de Pareto e generalizado de valores extremos (ou casos particulares, como os modelos Gumbel, Fréchet e Weibull) tem-se revelado importante, sendo então necessário proceder previamente à estimação de parâmetros desconhecidos e à construção de tabelas de pontos críticos adequadas. Após um estudo genérico destes testes de ajustamento e sua distribuição de amostragem em contexto de população subjacente independente de parâmetros desconhecidos, procederemos à construção de tabelas de pontos críticos dos referidos testes...

Probabilidade de ocorrência de temperaturas mínimas absolutas mensais e anual no estado de São Paulo

Camargo,Marcelo Bento Paes de; Pedro Júnior,Mário José; Alfonsi,Rogério Remo; Ortolani,Altino Aldo; Brunini,Orivaldo
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1993 PT
Relevância na Pesquisa
86.14%
Avaliou-se modelo de "distribuição de valores extremos" (Gumbel) para dados de temperaturas mínimas absolutas mensais (maio a setembro) e anual e incidência de geadas, para séries de trinta anos referentes a vinte localidades paulistas. Os parâmetros da função de densidade de probabilidade da distribuição foram estimados para todas as localidades e períodos analisados. O modelo mostrou bom ajuste entre as freqüências estimadas e as observadas. Foram identificadas e quantificadas as áreas com maior risco de ocorrência de temperaturas baixas em nível mensal e anual. As maiores probabilidades de ocorrência de baixas temperaturas foram observadas em junho-agosto, com valores entre 60 e 95% para as regiões serranas e sudoeste do Estado.

Probabilidades mensais e anuais de ocorrência de temperaturas mínimas do ar adversas à agricultura na região de Campinas (SP), de 1891 a 2000

Astolpho,Fabiane; Camargo,Marcelo Bento Paes de; Bardin,Ludmila
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
75.96%
O uso de modelos probabilísticos introduz precisão matemática, permitindo estudos mais consistentes de séries históricas de dados. Utilizou-se o modelo "distribuição de valores extremos" (Gumbel) para estimar a probabilidade de ocorrência de temperaturas mínimas absolutas mensais (maio, junho, julho, agosto e setembro) e anuais para Campinas (SP), relativa à série histórica de 1891-2000 (110 anos). O objetivo deste trabalho foi estimar as probabilidades de ocorrência de temperaturas mínimas mensais e anuais adversas à agricultura em diferentes subperíodos (1891-1910, 1911-1940, 1941-1970 e 1971-2000) da série histórica. O modelo distribuição de valores extremos apresentou bom ajuste entre as freqüências estimadas e as observadas, independentemente dos meses e subperíodos analisados. Os valores de temperaturas mínimas absolutas médias aumentaram progressivamente de 1891 até 2000, enquanto os valores de probabilidade anual estimados apresentaram grande variabilidade entre os subperíodos históricos analisados. O subperíodo mais recente (1971/2000) apresentou probabilidade (24,2%) muito próxima de 1911/1940 (24,5%) e do período integral de 1891 a 2000 (24,4%). O subperíodo de 1891/1910 apresentou as maiores probabilidades (34...

Erosividade das chuvas e tempo de recorrência para Lavras, Minas Gerais

Aquino,Regimeire Freitas; Silva,Marx Leandro Naves; Freitas,Diego Antonio França de; Curi,Nilton; Mello,Carlos Rogério de; Avanzi,Junior Cesar
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
76.28%
A erosividade das chuvas é um dos principais agentes causadores da erosão do solo, no sul de Minas Gerais. Por essa razão, objetivou-se, com este trabalho, aplicar cinco distribuições de probabilidades aos valores de erosividades, mensais e anual, e estimar o tempo de recorrência desses valores, com base na melhor distribuição de probabilidades ajustada para a região de Lavras, MG. A série de precipitações estudada foi de 1961 a 2004 e as distribuições de probabilidades utilizadas foram: Gumbel, Gama, Log-normal 2 e 3 parâmetros e Normal, ajustadas pelo método da Máxima Verossimilhança. Verificou-se que as distribuições Gama e Gumbel produziram o menor número de séries não adequadas, registrando-se apenas uma, para o mês de agosto. As demais distribuições produziram maiores números de séries não adequadas, especialmente, a distribuição Log-normal 2 parâmetros. Sendo assim, recomenda-se, para o cálculo de erosividade, que seja feita uma verificação prévia da melhor distribuição para cada período da série estudada, apesar de os dados apontarem um desempenho considerável da distribuição Gumbel.

Regiões homogêneas e funções de distribuição de probabilidade da precipitação pluvial no Estado de Táchira, Venezuela

Lyra,Gustavo Bastos; Garcia,Beatriz Ibet Lozada; Piedade,Sônia Maria De Stefano; Sediyama,Gilberto Chohaku; Sentelhas,Paulo César
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
65.99%
O objetivo deste trabalho foi determinar regiões homogêneas baseadas na sazonalidade da precipitação pluvial mensal e a distribuição de probabilidade que melhor se ajusta à precipitação dessas regiões no Estado de Táchira, Venezuela. Utilizaram-se valores da precipitação mensal de 25 estações climatológicas, que apresentam séries entre 24 e 62 anos. Aplicou-se o método de Ward no agrupamento dos meses com precipitação pluvial mensal similar e também no das localidades com precipitação similar (regiões homogêneas). Avaliaram-se os ajustes das funções de densidade exponencial, gama, Gumbel, normal, log-normal a três parâmetros, e Weibull aos dados observados de precipitação mensal. A variação sazonal da precipitação no Estado de Táchira apresenta três períodos estatisticamente definidos como: seco, transição e úmido. Os períodos seco e úmido apresentam quatro regiões homogêneas de precipitação mensal similar e o de transição três. No período seco, a distribuição de probabilidade recomendada para as estimativas mensais é a exponencial, com exceção da região homogênea com os maiores valores de precipitação pluvial do período, onde a gama se sobressai. No período chuvoso, em todas as regiões homogêneas...

Análise exploratória de conjuntos de dados obtidos durante a maturação de sementes de milho

Scapim,Carlos Alberto; Guedes,Terezinha Aparecida; Carneiro,José Walter Pedroza; Lucca e Braccini,Alessandro de; Amaral,Denilson do
Fonte: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Publicador: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
65.99%
O objetivo deste trabalho foi o de indicar, ou não, distribuições alternativas e assimétricas para a análise de dados que foram obtidos com os testes de germinação, frio e envelhecimento, peso de matéria seca e porcentagem de umidade medidos durante a maturação de sementes de milho. Para isto foi realizada uma análise exploratória dos dados obtidos de um experimento em que foram semeados três híbridos em três épocas distintas e cujas plantas tiveram as espigas amostradas dentro de cada parcela. O intervalo de coleta variou em quatro dias começando após o 23º e terminando no 59º dia após o florescimento. As distribuições estudadas foram a Normal, a Lognormal, a de Gumbel e a de Weibull. O valor numérico do logaritmo da função verossimilhança foi usado como indicativo do grau de ajustamento. Os resultados indicaram que distribuições diferentes da Normal podem ser uma alternativa para dados em porcentagem obtidos durante a maturação. O maior valor do logaritmo da função de verossimilhança foi obtido com o ajuste da distribuição de Gumbel para os dados germinativos em percentagem e a de Weibull para o peso da matéria seca acumulada e porcentagem de umidade.

Análise estatística de chuvas intensas na bacia hidrográfica do Rio Paraíba

Araújo,Lincoln Eloi de; Sousa,Francisco de Assis Salviano de; Ribeiro,Maria Adriana de Freitas Mágero; Santos,Arnaldo Sena dos; Medeiros,Paulo da Costa
Fonte: Sociedade Brasileira de Meteorologia Publicador: Sociedade Brasileira de Meteorologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
75.99%
Esta pesquisa foi realizada na bacia hidrográfica do rio Paraíba com a finalidade de identificar a variação espacial e temporal das chuvas intensas de 1, 2, 3, 4 e 5 dias. Os resultados obtidos mostraram concentração de valores máximos da variação espacial das chuvas intensas no leste da sub-bacia do Baixo Paraíba, Sul da sub-bacia do rio Taperoá e centro-norte da sub-bacia do Alto Paraíba. A análise da variação temporal revelou que os meses de maiores ocorrências de chuvas intensas na bacia em estudo são: janeiro, fevereiro, março e abril. Em seguida, as chuvas intensas foram ajustadas à função distribuição de probabilidade de Gumbel. O teste Kolmogorov-Smirnov foi utilizado para verificar a qualidade desses ajustes.

Distribuições de extremos de precipitação diária, temperatura máxima e mínima e velocidade do vento em Piracicaba, SP (1917-2006)

Sansigolo,Clóvis Angeli
Fonte: Sociedade Brasileira de Meteorologia Publicador: Sociedade Brasileira de Meteorologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.17%
Diversas distribuições teóricas de probabilidade incluindo a Normal, Gumbel, Fréchet, Weibull, Log-Normal e Pearson 3, foram ajustadas aos extremos anuais de precipitação máxima diária, temperatura máxima e mínima absolutas e velocidade instantânea do vento em Piracicaba, SP (1917-2006). Métodos de máxima verossimilhança foram utilizados para estimar os parâmetros das distribuições, assim como seus intervalos de confiança. Testes χ2 e KS foram usados para comparar os ajuste e selecionar as melhores distribuições teóricas. Os ajustes também foram avaliados em gráficos PP e QQ. A distribuição de Gumbel foi a que melhor se ajustou aos extremos de precipitação máxima diária e de temperaturas máximas absolutas. As temperaturas mínimas absolutas apresentaram uma distribuição simétrica e foram melhor ajustadas pela distribuição normal. A distribuição de Weibull foi a que melhor se ajustou às velocidades instantâneas do vento. São apresentados resultados sobre os valores esperados, assim como seus intervalos de confiança, para períodos de retorno de até 500 anos.

Análise de frequência hidrológica dos dados de precipitação pluvial de algumas estações agroclimatológicas da região sul do Rio Grande do Sul

Damé,Rita de Cássia Fraga; Teixeira,Claudia Fernanda Almeida; Moreira,Núcia Margot; Souto,Mery Vijagran
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1996 PT
Relevância na Pesquisa
66.18%
A análise de frequência hidrológica, possibilita conhecer a magnitude de um evento para uma dada frequência de ocorrência, identificando se os dados observados ajustam-se a alguma distribuição de probabilidade. O presente trabalho teve como objetivos, ajustar os dados observados de precipitação pluvial anual e máximo e mínimo mensal, para diversos níveis de probabilidade, das estações agroclimatológicas de Pelotas, Morro Redondo, Domingos Petroline e Rio Grande. A série de valores de precipitação pluvial anual das estações agroclimatológicas de Pelotas, Morro Redondo, Domingos Petroline e Rio Grande, ajustaram-se adequadamente as distribuições de probabilidade normal, log-normal, log-normal e Gumbel, respectivamente. A série dos máximos anuais adequaram-se, para as estações descritas anteriormente, às distribuições de probabilidades de Gumbel, log-normal, Gumbel e log-normal, respectivamente. A série de mínimos anuais de Rio Grande não foi considerada homogénea pelo "Run-Test".

Parâmetros para equações mensais de estimativas de precipitação de intensidade máxima para o estado de São Paulo: fase I

Ferreira,José Carlos; Daniel,Luis Antonio; Tomazela,Mauro
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
76.14%
Nesta fase do trabalho objetivou-se estimar parâmetros para equações mensais de estimativas de precipitação de intensidade máxima em intervalos de 5, 10, 15, 20, 25, 30 e 60 minutos para 165 localidades do Estado de São Paulo. A partir de dados mensais de séries históricas de 31 anos de precipitação máxima de "um dia", utilizou-se da distribuição de probabilidade de Gumbel para os cálculos da probabilidade de ocorrência de valores extremos em cada mês. Utilizando-se da metodologia proposta por Occhipinti & Santos (1966), as chuvas máximas de "um dia" foram desagregadas para precipitações de intensidade máxima em 24 horas e nos sete intervalos de tempo acima descritos, para cada uma das 165 localidades e em cada mês. Os parâmetros alfa e beta foram calculados, para cada um dos sete intervalos de duração da chuva, com F(x)= 90% e em cada uma das 165 localidades propostas. As séries de precipitação máxima de "um dia" foram submetidas ao teste de Kolmogorov-Smirnov, confirmando bom ajuste com distribuição de Gumbel. A metodologia mostrou bom desempenho, considerando-se que as diferenças percentuais relativas dos resultados das precipitações máximas obtidas com os parâmetros alfa e beta, de 25 localidades...

Análise estatística das características de vazão do córrego Capetinga

Silva,Cícero L. da
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.09%
Em 1996 foram instalados, num dos córregos da Fazenda Experimental da Universidade de Brasília, um linígrafo e três pluviógrafos, iniciando-se, assim, a medição de algumas variáveis hidrometeorológicos referentes à bacia do córrego Capetinga. Conhecendo-se as médias mensais da vazão e as médias específicas, traçaram-se as respectivas curvas de permanência das vazões médias mensais desse córrego. Dessas curvas, extraíram-se os valores da vazão associada à permanência de 95% (Q95) e da vazão específica associada à permanência de 95% (q95). Não houve discrepância entre os valores de q95 e a razão entre Q95 e a área da bacia. Através da distribuição de valores extremos do tipo 1 ou de Gumbel, determinaram-se os períodos de retorno das vazões máximas instantâneas anuais e das mínimas anuais, com duração de sete dias. Calcularam-se, também, os eventos esperados dos máximos anuais e dos mínimos com a mencionada duração, para os períodos de retorno de 5, 10, 20, 50 e 100 anos. Verificou-se que a distribuição de Gumbel, no caso dos máximos, adaptou-se muito bem tanto na descrição dos eventos simulados quanto na descrição dos eventos observados, ao passo que no caso dos mínimos não houve discrepância...

Desenvolvimento de equações Intensidade-Duração-Frequência sem dados pluviográficos em regiões semiáridas

Fechine Sobrinho,Vicente; Rodrigues,Joseilson O.; Mendonça,Luiz A. R.; Andrade,Eunice M. de; Tavares,Paulo R. L.
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
75.81%
Neste estudo foram feitas a validação da metodologia de desagregação de chuvas das isozonas e sua utilização no desenvolvimento de equações IDF (Intensidade-Duração-Frequência) para três municípios da Região Metropolitana do Cariri, Ceará, desprovidos de pluviógrafos. Na validação utilizaram-se dados de estações localizadas em zonas climatológicas distintas da Região Metropolitana do Cariri e de uma estação localizada na mesma zona. As precipitações máximas diárias anuais foram ajustadas e testadas pelas distribuições de probabilidade de Gumbel, Log-Normal II-P, Log-Normal III-P, Gama II-P e Gama III-P. As intensidades de chuvas estimadas pelo método das isozonas apresentaram altos índices de concordância e desempenho de Willmott, quando comparadas com as estimadas pelas respectivas equações IDF. As precipitações máximas diárias anuais utilizadas na aplicação do método das isozonas se ajustaram, respectivamente, às distribuições Gama III, Log-Normal II e Gama II; entretanto, verificou-se que outras funções podem ser utilizadas sem perda significativa na precisão das estimativas; esses resultados indicam a viabilidade da utilização do método das isozonas como alternativa na elaboração das equações IDF em regiões não monitoradas.

Distribuição de probabilidades para precipitação máxima diária na Bacia Hidrográfica do Rio Verde, Minas Gerais

Franco,Camila S.; Marques,Rosângela F. P. V.; Oliveira,Alisson S.; Oliveira,Luiz F. C. de
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.17%
Estimativas probabilísticas de eventos extremos são de grande relevância para o planejamento das atividades humanas. As distribuições de probabilidade possibilitam a estimativa de eventos de precipitação máxima diária anual associados às suas frequências de ocorrência. Objetivou-se, com este trabalho, identificar, dentre as distribuições Gumbel, Gama a 2 parâmetros e Generalizada de Valores Extremos (GEV), qual a mais indicada para aplicação às séries históricas de precipitação máxima diária anual na bacia hidrográfica do rio Verde, no Sul de Minas Gerais. Os parâmetros de cada distribuição foram estimados pelos métodos dos momentos, máxima verossimilhança e momentos-L. Para tal, foram empregadas, neste estudo, oito estações pluviométricas com séries históricas de, no mínimo, 20 anos de dados, distribuídas pela bacia hidrográfica. Pelos testes de adequação de Kolmogorov-Smirnov, Qui-Quadrado, Anderson Darling e Filliben, a distribuição Gumbel, estimada pelos três métodos, obteve os ajustes menos adequados. A distribuição GEV, pelo método dos momentos-L, foi a mais adequada para análise probabilística de precipitação máxima diária na Bacia Hidrográfica do Rio Verde, devendo ser priorizada para planejamentos na região.

Distribuição de frequência e temporal de chuvas intensas

Quadros,Luciana Espíndula de; Queiroz,Manuel Moisés Ferreira de; Vilas Boas,Marcio Antonio
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.23%
A distribuição generalizada de valores extremos (GEV) tem tido grande aceitação para discrição dos eventos máximos naturais. Estudos sobre o assunto mostram que a distribuição GEV ajusta valores mais próximos à realidade quando há necessidade de extrapolação dos dados amostrais para grandes períodos de retornos e com o intuito de contribuir para o planejamento de atividades que são influenciadas pela intensidade de água precipitada foi ajustado um modelo de distribuição de probabilidade de chuva intensa por meio da GEV, utilizando momentos LH para estimar seus parâmetros e o teste estatístico proposto por Wang (1998) para verificação da qualidade dos ajustes desenvolvidos no ambiente Matlab. Analisaram-se séries históricas de precipitação máximas para diferentes durações obtidas de pluviográfos no município de Cascavel, Estado do Paraná. Além disso, as referidas séries foram ajustadas pela distribuição Gumbel para efeito de comparação com a GEV. Este trabalho mostra que a distribuição Gumbel subestima a distribuição GEV para grandes períodos de retorno.

Análise da probabilidade de ocorrência de extremos de precipitação e estudo da tendência de classes de precipitação na região metropolitana de São Paulo; Analysis of the probability of occurrence of extreme precipitation and trend study of classes of rainfall in the metropolitan region of São Paulo

Raimundo, Clebson do Carmo
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Processos de superfície terrestre; Programa de Pós-Graduação em Meteorologia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Processos de superfície terrestre; Programa de Pós-Graduação em Meteorologia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.36%
Extreme rainfall events are responsible for social disorder and economic problems, especially in large urban centers. Densely populated areas suffer from flooding , landslide and building destruction that cause deaths and wide-spread diseases, such as malaria, dengue and leptospirosis. They are recurrent phenomena that wear down the life of the urban population, particularly the least privileged ones. The focal area of this work was the Metropolitan Region of São Paulo (MRSP), Brazil, one of the largest cities in the world. Rainfall daily totals of 21 rain gage network in the MRSP were analyzed to i) estimate the annual maximum daily rainfall (PMDA), by means of the Gumbel distribution; II) group different rainfall rates into classes (from drizzle to extreme rates) and verify the similarity between seasons (clustering), that is annual and seasonal rain rates, for the period 1947 to 1998, making use of the technique known as Cluster Analysis, and III) identify possible trends of three rain rate classes (drizzle, moderate and above 30.0 mm / day) for the annual and seasonal periods, for the whole dataset length of each gage, using the Mann-Kendall trend test. The results showed that the maximum daily rainfall observed data fit the Gumbel distribution in the annual period...

Parâmetros para equações mensais de estimativas de precipitação de intensidade máxima para o estado de São Paulo: fase I

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
76.14%
Nesta fase do trabalho objetivou-se estimar parâmetros para equações mensais de estimativas de precipitação de intensidade máxima em intervalos de 5, 10, 15, 20, 25, 30 e 60 minutos para 165 localidades do Estado de São Paulo. A partir de dados mensais de séries históricas de 31 anos de precipitação máxima de "um dia", utilizou-se da distribuição de probabilidade de Gumbel para os cálculos da probabilidade de ocorrência de valores extremos em cada mês. Utilizando-se da metodologia proposta por Occhipinti & Santos (1966), as chuvas máximas de "um dia" foram desagregadas para precipitações de intensidade máxima em 24 horas e nos sete intervalos de tempo acima descritos, para cada uma das 165 localidades e em cada mês. Os parâmetros alfa e beta foram calculados, para cada um dos sete intervalos de duração da chuva, com F(x)= 90% e em cada uma das 165 localidades propostas. As séries de precipitação máxima de "um dia" foram submetidas ao teste de Kolmogorov-Smirnov, confirmando bom ajuste com distribuição de Gumbel. A metodologia mostrou bom desempenho, considerando-se que as diferenças percentuais relativas dos resultados das precipitações máximas obtidas com os parâmetros alfa e beta, de 25 localidades...

INTENSITY – DURATION – FREQUENCY EQUATION OF RAINFALL FOR LOCALITIES OF FORTALEZA AND PENTECOSTE, CEARÁ; EQUAÇÕES DE INTENSIDADE – DURAÇÃO – FREQUÊNCIA DE CHUVAS PARA AS LOCALIDADES DE FORTALEZA E PENTECOSTE, CEARÁ

RODRIGUES, Joseilson Oliveira; ANDRADE, Eunice Maia de; UFC; OLIVEIRA, Teógenes Senna de; UFC; LOBATO, Francisco Antônio de Oliveira
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 22/10/2008 ENG
Relevância na Pesquisa
76.21%
In this work data sets with 19 e 30 years were used for Pentecoste and Fortaleza - CE, respectively, with the aim to establish a relationship between rainfall intensity, duration and frequency. The theoretical model used was the Gumbel probability distribution. The maximum intensity rainfall was evaluated to 5, 10, 15, 20, 30, 45, 60, 90, 120, 180, 240, 360, 720 e 1440 minutes using rainfall gauge graphic. The fitted probabilistic model was tested by the Kolmogorov-Smirnov adherence test. The result showed that, the Gumbel model adjusted of data maximum intensity at a significance level of 20% in the all studied durations to Pentecoste station. The estimated values by general equation can show errors up to 40% for the location Pentecoste. This fact confirms the necessity of distinct equations for each return period. The values of probable maximum intensity calculated by developed equation can be used to estimate the rainfall intensity, except for 5 minutes duration in station of Fortaleza, which presented a tendency to underestimated the predictable values.; Analisaram-se séries históricas de chuvas de 30 e 19 anos de duração, com dados coletados em duas estações meteorológicas nos municípios de Pentecoste e Fortaleza – CE...