Página 1 dos resultados de 245 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Conhecimento de idosos sobre seus direitos; Knowledge of the elderly about their rights; Conocimiento de los ancianos sobre sus derechos

MARTINS, Maristela Santini; MASSAROLLO, Maria Cristina Komatsu Braga
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
76.25%
OBJETIVOS: Identificar o conhecimento de idosos sobre seus direitos e se consideram que esses direitos são respeitados. MÉTODOS: Pesquisa exploratória, descritiva, de abordagem quantitativa e com coleta de dados prospectiva, através de entrevista. A amostra, composta por 63 idosos, foi probabilística, aleatória e estratificada por sexo e idade. RESULTADOS: Os direitos dos idosos eram conhecidos por 49,2% dos entrevistados. Dentre estes, os mais citados foram a gratuidade no transporte (50,0%), a prioridade no atendimento (38,1%) e existência de assentos preferenciais nos meios de transporte (28,6%). Quanto ao respeito a esses direitos, 25,0% acreditavam que são respeitados e 44,4% que são respeitados parcialmente. CONCLUSÃO: A metade dos idosos entrevistados conhecia seus direitos e referiram que esses nem sempre são respeitados.; OBJECTIVES: To identify the knowledge of elderly people about their rights, and to assess whether they consider that these rights ware respected. METHODS: Exploratory and descriptive study with quantitative approach; the prospective data was collected through interview. The sample of 63 elders was probabilistic, random and stratified by gender and age. RESULTS: The rights of the elderly were known for 49.2% of respondents; among the rights...

Conhecimento de idosos sobre seus direitos; Elderly peoples knowledge of their rights

Martins, Maristela Santini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.38%
Este estudo objetivou identificar o conhecimento dos idosos a respeito dos seus direitos; conhecer, sob a perspectiva dos idosos, a influência da legislação/Estatuto do Idoso no seu cotidiano e descrever as sugestões dos idosos para o respeito aos seus direitos. Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva, de abordagem quantitativa e com coleta de dados prospectiva, através de entrevista. A amostra é probabilística, aleatória e estratificada por sexo e idade. Foi composta por 63 indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos, freqüentadores de três Núcleos de Convivência de Idosos (NCI). As variáveis foram analisadas descritivamente, permitindo a verificação da freqüência absoluta e relativa das respostas. Para a comparação entre variáveis foi utilizada a análise de variância a um fator e o teste não-paramétrico de Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5%. Do total de entrevistados, a maioria é do sexo feminino (95,2%), brasileira (95,2%), viúva (50,8%), aposentada (54,0%) e atendida na rede pública de saúde (57,1%). Os participantes, ainda, possuem idade média de 73,56 ± 6,72 anos, renda média de R$ 857,05 ± R$ 657,36 e freqüentaram a escola em média 4,19 ± 3,67 anos. Além disso...

Tutelas de urgência para a efetivação dos direitos dos idosos

Toledo, Ana Cláudia Sônego de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 212 f.
POR
Relevância na Pesquisa
96.36%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Direito - FCHS; O interesse pelos problemas da efetivação dos direitos, em especial, dos direitos dos idosos, após o advento do Estatuto do Idoso, Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, levou-nos à pesquisa de instrumentos para concretizar a obtenção dos referidos direitos. Após transpor as várias etapas da vida, os idosos encontram obstáculos econômicos, sociais e materiais para ter uma vida com dignidade, com respeito. A sociedade, a família e o Estado têm deveres para com os idosos, que se houvesse o reconhecimento natural de referidos deveres, não haveria a necessidade de positivar normas morais com escopo de proteção destes, pois são direitos humanos inerentes à sadia condição de vida. Reconhecidos os direitos nos planos constitucional e infraconstitucional, cabe a sua efetivação espontânea, ou através do Poder Judiciário. O processo civil é instrumento a aperfeiçoar e concretizar os direitos dos idosos. Porém, o fator tempo evidencia que os direitos não podem esperar. As tutelas de urgência do processo visam a abreviar a espera pela consecução dos direitos. A insuficiente política pública relacionada aos direitos dos idosos e a negação de recursos públicos para a consecução dos programas de apoio a eles são as justificativas mais freqüentes. Então...

Os coordenadores de grupos de convivência de idosos como facilitadores da construção da cidadania

Araujo, Vera Nicia Fortkamp de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.2%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Este estudo teve como objetivo geral analisar a contribuição dos Coordenadores dos Grupos de Convivência de Idosos como facilitadores da construção da cidadania dos idosos. Primeiramente, realizou-se uma pesquisa documental e bibliográfica, proporcionando o aprofundamento, ampliação do conhecimento acerca do tema de estudo. A seguir foi realizada uma pesquisa de campo, quando se recorreu aos Coordenadores dos Grupos de Convivência de Idosos da região continental de Florianópolis, SC, para analisar como se dá a construção da cidadania dos idosos nesses grupos. Como conclusões tem-se: Os Grupos de Convivência de Idosos podem ser novos espaços de representação democrática da cidadania, mas observa-se, pelo estudo, um paradoxo, pois ao mesmo tempo em que a luta pela cidadania é vivida na participação em grupos, o próprio coordenador idoso impõe, pelos traços de autoritarismo, um limite ao exercício da cidadania (do outro), que se reproduz pela coordenação ao longo dos tempos, desde a fundação. A construção da cidadania pode ser refletida quando os coordenadores dos grupos de idosos participam de outros espaços externos ao grupo...

Oficina “Direitos dos Idosos: Conhecer para respeitar”

Oliveira, Maria; Banhos, Fernanda; Seremeta, Édina; Mohring, Giorgia; Iurino, Kethilin; Malucelli, Andressa; Schoab, Fabiane; Gruszka, Neoli; Santos, Katy; Santi, Silvana
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Relevância na Pesquisa
76.1%
Trabalho apresentado no 31º SEURS - Seminário de Extensão Universitária da Região Sul, realizado em Florianópolis, SC, no período de 04 a 07 de agosto de 2013 - Universidade Federal de Santa Catarina.; O fato de vivermos em uma sociedade onde o econômico prevalece nas relações sociais, sendo bem visto o sujeito que produz e contribui para o crescimento, como também o culto a aparência estabelecida pelos padrões de uma sociedade consumista, torna a população jovem cada vez mais individualista e despreocupada com a população idosa. Sendo assim, este trabalho destina-se a apresentar a oficina “Direitos dos idosos – conhecer para respeitar”, a qual tem por objetivo divulgar e socializar o Estatuto junto a crianças, adolescentes e/ou jovens, ressaltando a importância de se respeitar as pessoas idosas como cidadãos portadores de direitos fundamentais como a liberdade, a dignidade, o convívio social, entre outros. A metodologia utilizada corresponde a realização de atividades lúdicas (desenho, pintura, jogo) dinâmica de grupo, leitura de cartilha ilustrada, projeção de vídeos, exposição oral e outros de acordo com o público existente. Observa-se que dos direitos apresentados chamam a atenção dos participantes...

O Idoso cidadão de direitos: uma análise da atuação do Conselho Estadual do Idoso em Santa Catarina

Fernandes, Valéria Santana
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
56.23%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Serviço Social; Este estudo tem como objetivo analisar o Conselho Estadual do Idoso de Santa Catarina (CEI/SC) que se constitui em um espaço de defesa e garantia dos direitos dos idosos. A legitimação do Conselho de deliberação coletiva e permanente se encontra na Constituição Federal de 1988 e nas leis que a regulamentam. como Constituição Estadual de Santa Catarina, Política Nacional do Idoso, Lei Orgânica da Assistência Social e o Estatuto do Idoso. O Conselho Estadual do Idoso tem por competência formular, acompanhar e fiscalizar a Política Social do Idoso, assim como propor medidas que defendam e garantam os direitos dos idosos. Para alcançar o objetivo proposto. buscou-se recuperar a concepção teórica do termo idoso, analisando algumas questões do idoso no Brasil e em Santa Catarina. O CEI/SC tem a competência de deliberar em favor dos direitos de cidadania do idoso. Para a análise proposta, utilizou-se a abordagem qualitativa. fazendo-se uso da técnica de análise documental e bibliográfica, utilizando-se como fonte para coleta dos dados, os registros do Conselho Estadual do Idoso, ou seja, as atas das Reuniões Plenárias do CEI/SC...

Quando a cidadania é "aprisionada": violência sobre idosos em contexto institucional

Frei, Susana
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.21%
O aumento do envelhecimento populacional é uma realidade presente nas sociedades atuais, do qual o nosso país não é excepção, e que têm preocupado organizações internacionais e governos dos mais vários países. Um problema relativo ao envelhecimento que começou recentemente a ser mais debatido é a questão da violência sobre idosos tanto em contexto familiar como institucional. O nosso objecto de estudo é a violência sobre idosos em contexto institucional sendo que o objetivo principal deste trabalho consiste em analisar as percepções sobre a violência exercida em idosos institucionalizados. Sabendo-se que é uma área exploratória, onde ainda há uma grande caminhada a percorrer do ponto de vista teórico e empírico, optou-se por uma metodologia qualitativa; tendo-se recorrido, como principais técnicas, à entrevista semi-directiva onde se pretendeu dar voz a idosos, familiares, técnicos e auxiliares deste tipo de instituições e a um diário de bordo. A escolha desta última técnica insere-se na necessidade de não nos confinarmos a uma rigidez metodológica que, como explicamos no capítulo da estratégia metodológica, poderia inviabilizar a obtenção de dados. Através da análise dos vários tipos e formas de violência...

Mudanças na assistência ao idoso após promulgação do Estatuto do Idoso segundo profissionais de hospital geriátrico

Martins,Maristela Santini; Massarollo,Maria Cristina Komatsu Braga
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.09%
Este estudo objetivou conhecer o contato da equipe multiprofissional com o Estatuto do Idoso e qual a interferência dessa Lei na assistência ao idoso institucionalizado. O cenário do estudo foi um Hospital Geriátrico de São Paulo, onde residem 297 idosos. Participaram 35 profissionais integrantes da equipe multiprofissional da Instituição que responderam a um questionário composto de perguntas abertas e fechadas. Os resultados foram divididos em categorias e submetidos à análise descritiva. Destacou-se que 68,6% dos profissionais acreditam estar ocorrendo mudanças na assistência, mesmo que lentamente, após a promulgação da Lei, e que elas ocorreram na equipe multiprofissional, que buscou especialização específica, melhorando a assistência; nas instituições que se adaptaram para atender às especificidades dos idosos; nos próprios idosos e em suas famílias que, sentindo-se respaldados pela Lei, passaram a reivindicar mais os seus direitos.

Conhecimento de idosos sobre seus direitos

Martins,Maristela Santini; Massarollo,Maria Cristina Komatsu Braga
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.25%
OBJETIVOS: Identificar o conhecimento de idosos sobre seus direitos e se consideram que esses direitos são respeitados. MÉTODOS: Pesquisa exploratória, descritiva, de abordagem quantitativa e com coleta de dados prospectiva, através de entrevista. A amostra, composta por 63 idosos, foi probabilística, aleatória e estratificada por sexo e idade. RESULTADOS: Os direitos dos idosos eram conhecidos por 49,2% dos entrevistados. Dentre estes, os mais citados foram a gratuidade no transporte (50,0%), a prioridade no atendimento (38,1%) e existência de assentos preferenciais nos meios de transporte (28,6%). Quanto ao respeito a esses direitos, 25,0% acreditavam que são respeitados e 44,4% que são respeitados parcialmente. CONCLUSÃO: A metade dos idosos entrevistados conhecia seus direitos e referiram que esses nem sempre são respeitados.

A pertinência da noção de ambiências urbanas para o tema dos direitos dos idosos: perspectivas brasileiras

Graeff,Bibiana
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.12%
No Brasil, o reconhecimento das funções sociais da cidade e do dever de amparo aos idosos foi um dos avanços da Constituição Federal de 1988 (artigos 182 e 230). Em um contexto de urbanização e de envelhecimento populacional, um Estatuto da Cidade e um Estatuto do Idoso foram também adotados pelo legislador brasileiro. O presente trabalho, baseado em pesquisa exploratória de natureza qualitativa, teve por objetivo investigar se a noção de ambiência urbana vem sendo empregada ou se mostra pertinente para a análise e a efetivação dos direitos do idoso no Brasil. Foram feitas buscas nas bases de dados IusData e periódicos CAPES e LILACS, com os termos "ambiência" e "idoso" e seus respectivos plurais nos títulos e resumos, período livre até fevereiro de 2014, encontrando-se apenas um resultado, na área da Enfermagem. Além das principais leis federais relacionadas às cidades e aos idosos, e de leis orgânicas municipais (São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre), a pesquisa também se apoiou em referencial teórico nas áreas da Gerontologia, do Direito e da Arquitetura e Urbanismo. A ideia de ambiência...

O Ministério Público e a tutela jurisdicional coletiva dos direitos dos idosos : algumas impressões

Godinho, Robson Renault
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
65.98%
Versa sobre a atuação do Ministério Público em defesa dos direito dos idosos, de acordo com o constante no Estatuto do Idoso.

Velhice e Cidadania: Um Estudo Sobre os Centros de convivência de Idosos

Simone de Oliveira, Griselda; Régia Fernandes Gehlen, Vitória (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.27%
Este trabalho se constitui num estudo de caso tendo, como objeto de estudo, a atuação dos Centros de Convivência de Idosos e sua perspectiva de cidadania, trazendo, enquanto questão, como a prática nos Centros de Convivência contribui para a construção da cidadania dos idosos. Partimos da compreensão de Velhice e Envelhecimento na sociedade atual, mostrando o aumento populacional de idosos que vem se registrando nos últimos anos, tanto nos países desenvolvidos como em vias de desenvolvimento, e as implicações que tal crescimento demográfico tende a causar, visualizando a questão social dos idosos. Numa breve incursão histórica, mostramos quando e como o Estado Brasileiro percebe a velhice não simplesmente como um fenômeno, mas um fato emergente, que exige a adoção de políticas sociais públicas, inicialmente adotadas pela extinta LBA. Numa análise crítica sobre esses programas, buscamos desenhar, paralelamente, a construção do cenário de lutas dos idosos pelos seus direitos sociais e mostrar que é a partir da Constituição de 1988 e, mais à frente, com a implementação da LOAS e da PNI que esses direitos parecem, enfim, ser consubstanciados pela prática da cidadania gestada pela sociedade civil...

Direitos fundamentais sociais e a situação jurídica do idoso no Brasil

Abreu, Nylson Paim de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.2%
Não há como elaborar um trabalho sobre Direitos Fundamentais sem fazer menção à Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, de cunho essencialmente social, protetivo e ancorada em fundamentos e objetivos dos mais nobres para qualquer sociedade. Vale acrescentar que a nossa Constituição tem como seus fundamentos a soberania e a dignidade da pessoa humana, esta última tida até mesmo como o único alicerce sobre o qual se apóiam todos os direitos fundamentais. Dentre os objetivos preconizados pela nossa Carta Maior, estão a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, bem como a promoção do bem-estar de todos, sem quaisquer discriminações. Nesse espírito, pela primeira vez na história constitucional do Brasil, os direitos sociais foram incluídos no capítulo reservado aos direitos fundamentais. Afora todas as discussões acerca de sua concretização imediata, há que se reconhecer aí um grande avanço em termos sociais e no sentido de reconhecimento de valores tão caros como a solidariedade. Ainda que de forma um pouco tímida, aparece a proteção à velhice e aos idosos, o que é compreensível, pois o Constituinte de 1988 não vislumbrou os avanços científicos e tecnológicos dos anos que se seguiram após a sua promulgação.O fato é que daquela época para cá...

Assistência social ao idoso enquanto direito de proteção social em municípios do Rio Grande do Sul

Pessôa, Elisângela Maia
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.23%
Este trabalho refere-se à pesquisa desenvolvida durante a realização do Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da PUCRS. A investigação buscou analisar como a assistência social, enquanto direito de proteção social, está sendo executada em municípios do Estado do Rio Grande do Sul no atendimento ao idoso, tendo como norte as indicações do Estatuto do Idoso enquanto legislação primordial no que diz respeito ao atendimento das necessidades do segmento idoso. Neste sentindo definiu-se como problema de pesquisa: como a Assistência Social enquanto direito de proteção social está sendo executada em municípios do Estado do Rio Grande do Sul no atendimento aos idosos? Analisar como o Estatuto do Idoso enquanto proteção social está sendo executado no âmbito da Assistência Social por meio do Sistema Único de Assistência Social em municípios do Estado do Rio Grande do Sul, visando a contribuir com o fortalecimento da política, torna-se de fundamental importância, uma vez que a referida legislação norteia a prestação de serviços socioassistenciais aos idosos. Constatar como as instituições que atuam no âmbito da assistência social e instituições de longa permanência, da Região das Missões e Fronteira Oeste...

Maus-tratos contra os idosos no município de Porto Alegre: uma abordagem interdisciplinar

Oliveira, Jacson Caprini de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.1%
A violência genérica, aqui focada nos maus-tratos, que foi representada principalmente em termos de agressões físicas e psicológicas foi o tema desta pesquisa. O problema proposto para a pesquisa foi relativo à questão dos maus-tratos praticados contra os idosos e como as instituições protetivas de direitos lidaram com o assunto. Utilizando-se de pesquisa bibliográfica e empírica foi então que se pretendeu aprofundar a análise do problema proposto. Em um primeiro momento a pesquisa fez uma abordagem histórica, sociológica e antropológica dos aspectos da violência em relação aos idosos em geral, filtrou-se posteriormente com foco no município de Porto Alegre, para que se pudesse compreender como este fenômeno se manifestou no seio familiar, inicialmente, e se expandiu pela sociedade.O ponto central desta pesquisa seguiu então para uma análise do problema sendo que se buscou compreender como o mesmo se manifestou na sociedade, qual a sua influência hoje no convívio social e o que poderia ser feito no que tange a uma busca pelo controle social da violência além da proteção aos direitos dos idosos e pela manutenção de uma vida com dignidade. O fechamento deste estudo ocorreu com uma análise dos dados coletados em pesquisa empírica a qual foi realizada na Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso de Porto Alegre. Esta pesquisa de campo almejou compreender quais os principais tipos de crimes verificados neste município bem como identificar quem seriam as principiais vítimas e agressores...

Mudanças na assistência ao idoso após promulgação do Estatuto do Idoso segundo profissionais de hospital geriátrico; Changes in the care of the elderly after the enactment of the Elderly Statute according to professionals of a geriatric hospital; Cambios en asistencia al anciano después promulgación del Estatuto del Anciano según profesionales de hospital geriátrico

MARTINS, Maristela Santini; MASSAROLLO, Maria Cristina Komatsu Braga
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.09%
Este estudo objetivou conhecer o contato da equipe multiprofissional com o Estatuto do Idoso e qual a interferência dessa Lei na assistência ao idoso institucionalizado. O cenário do estudo foi um Hospital Geriátrico de São Paulo, onde residem 297 idosos. Participaram 35 profissionais integrantes da equipe multiprofissional da Instituição que responderam a um questionário composto de perguntas abertas e fechadas. Os resultados foram divididos em categorias e submetidos à análise descritiva. Destacou-se que 68,6% dos profissionais acreditam estar ocorrendo mudanças na assistência, mesmo que lentamente, após a promulgação da Lei, e que elas ocorreram na equipe multiprofissional, que buscou especialização específica, melhorando a assistência; nas instituições que se adaptaram para atender às especificidades dos idosos; nos próprios idosos e em suas famílias que, sentindo-se respaldados pela Lei, passaram a reivindicar mais os seus direitos.; This study was aimed at finding out how an interdisciplinary team deals with the Elderly Statute and how it interfered in the care of institutionalized elderly. The setting was a geriatric hospital in São Paulo where 297 elderly people reside. Thirty-five professionals from the facility's interdisciplinary team took part in the study and answered a questionnaire with open and close questions. Results were divided into categories and submitted to a descriptive analysis. It was observed that 68.6% of the professionals thought that after the enactment of the Statute there have been changes in the care provided...

Quando a cidadania é "aprisionada": violência sobre idosos em contexto institucional

Frei, Susana
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.21%
O aumento do envelhecimento populacional é uma realidade presente nas sociedades atuais, do qual o nosso país não é excepção, e que têm preocupado organizações internacionais e governos dos mais vários países. Um problema relativo ao envelhecimento que começou recentemente a ser mais debatido é a questão da violência sobre idosos tanto em contexto familiar como institucional. O nosso objecto de estudo é a violência sobre idosos em contexto institucional sendo que o objetivo principal deste trabalho consiste em analisar as percepções sobre a violência exercida em idosos institucionalizados. Sabendo-se que é uma área exploratória, onde ainda há uma grande caminhada a percorrer do ponto de vista teórico e empírico, optou-se por uma metodologia qualitativa; tendo-se recorrido, como principais técnicas, à entrevista semi-directiva onde se pretendeu dar voz a idosos, familiares, técnicos e auxiliares deste tipo de instituições e a um diário de bordo. A escolha desta última técnica insere-se na necessidade de não nos confinarmos a uma rigidez metodológica que, como explicamos no capítulo da estratégia metodológica, poderia inviabilizar a obtenção de dados. Através da análise dos vários tipos e formas de violência...

Estatuto do idoso: análise do conhecimento dos idosos atendidos pela estratégia saúde da família

Silva, Anelise Crippa
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.33%
Introdução: O processo de envelhecimento, um fenômeno multidimensional, frequentemente impõe limitações aos indivíduos, contribuindo para sua maior vulnerabilidade. Com o aumento do número de idosos na população brasileira e a expectativa de aumento deste número para os próximos anos, fica estabelecido um cenário de preocupação no âmbito do cuidado com estes indivíduos vulneráveis, sendo que uma das problemáticas diz respeito à proteção de seus direitos como pessoa idosa. Neste contexto, foi promulgado em 2003, o Estatuto do Idoso (EI), Lei nº 10. 741, que dispõe sobre direitos protetivos ao idoso, porém, além da existência de legislações, é imprescindível que o idoso tenha conhecimento dos seus direitos, visto que pesquisas nesta temática ainda são insipientes. OBJETIVOS: descrever o conhecimento de idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família (ESF) sobre o Estatuto do Idoso. METODOLOGIA: trata-se de um estudo transversal e observacional em que foram entrevistados 402 idosos, de 30 ESF do município de Porto Alegre-Brasil, partícipes do projeto Multidimensional dos Idosos da Estratégia Saúde da Família de Porto Alegre. Os pesquisados responderam a um questionário sobre seu conhecimento sobre o Estatuto do Idoso...

A violação dos direitos do idoso enquanto forma de agressão

Valença, Rodrigo Dourado
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.1%
O desenvolvimento deste trabalho tem como objetivo principal analisar os direitos dos idosos, debatendo-os contra as formas de violência e a sua efetividade. Busca analisar a violência e maus-tratos e suas conseqüências na vida dos mesmos. Serão abordados aspectos de grande relevância que envolve a população idosa, como: o que é a velhice, o conceito legal de idoso, o envelhecimento da população, ferramentas para a prevenção e repressão da violência, etc. Trata-se de um estudo da legislação de proteção ao idoso, abordando os seus principais aspectos, destacando os direitos da pessoa idosa e confrontando-os com os tipos de violência e suas dimensões. Este trabalho pretende contribuir para o conhecimento de algumas legislações voltadas para a pessoa idosa, afim que se conheça os principais direitos desta população e verificar quais são os responsáveis por sua efetivação. Busca-se também apresentar ás formas de violências e maus tratos contra o idoso, enfatizando-os como qualquer ato que viole os direitos destes cidadãos.; The development of this work aims at analyzing the rights of the elderly, struggling against the forms of violence and its effectiveness. Analyzes violence and abuse and its consequences in their lives. This will address issues of great importance involving the elderly...

O vínculo familiar dos idosos de uma Instituição de Longa Permanência (ILPI)

Alencar, Iranilde Souza
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.09%
O envelhecimento populacional é uma realidade que se apresenta concreta e crescente, refletindo as grandes mudanças sociais, culturais, econômicas, institucionais e familiares. Entretanto, se torna cada vez mais ausente o acompanhamento familiar, embora a legislação estabeleça que o cuidado dos idosos seja responsabilidade da família. Diante do contexto, muitas pessoas recorrem a Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI´s), para que essa assuma a responsabilidade para com seus entes. Nesse sentido, a pesquisa teve como foco principal analisar os dados dos vínculos familiares dos idosos institucionalizados, por meio de documentos (relatórios, prontuários e pareceres) da Instituição Lar Maria Madalena, no Distrito Federal. Tendo como principais referências teóricas os trabalhos de investigação a cerca do tema realizado pelos autores Queiroz (2010), Camarano; Kanso (2010), Alves (2010), Alcântara (2004), Martinez (2006), Minayo (1994, 2002), o próprio Estatuto do Idoso, Código Civil (2003), o Regulamento Técnico aprovado pela Resolução da Diretoria Colegiada - RDC/ANVISA Nº 283 de 26 de setembro de 2005, dentre outros documentos como relatórios, prontuários e pareceres, que são instrumentos de trabalho do Serviço Social da ILPI. Para tanto foi realizado revisão bibliográfica da literatura existente sobre o tema...