Página 1 dos resultados de 402 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Filosofia e retórica em David Hume; Philosophy and rethoric in David Hume

Falcão, Dircilene da Mota
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.09%
Uma comparação atenta entre o Tratado da natureza humana, obra de estreia de David Hume, e as Investigação sobre o entendimento humano e Investigação sobre os princípios da moral nas quais a primeira obra foi reeditada, revela uma diferença considerável na escrita do filósofo. Provavelmente levado por uma profunda decepção com sua obra inicial, Hume as reescreve adotando mudanças estilísticas e no foco de suas discussões para torná-las mais próximas de suas convicções filosóficas. Como instrumento nesse processo, Hume se utiliza conscientemente da retórica, optando nas duas investigações, pela adoção de evidentes recursos retóricos que variam desde alterações no foco e no objetivo final dessas obras, até a opção por um discurso conciso em detrimento daquele difuso utilizado na escrita do Tratado. Tais mudanças obedecem a padrões estéticos bem definidos, porém fundamentalmente tentam aproximar a escrita humiana dos preceitos filosóficos básicos do autor, representados por conceitos como os de crença e de imaginação. Assim, utilizando-se da retórica como uma tentativa de respeitar os fundamentos de sua própria filosofia, Hume desenvolve o que poderíamos chamar de uma espécie de filosofia da escrita; A close comparison between David Hume's first work A Treatise of Human Nature...

A filosofia da diferença de Gilles Deleuze na filosofia da educação no Brasil; Gilles Deleuze´s philosophy of difference in the philosophy of education in Brazil

Cristiane Maria Marinho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Formato: application/pdf
Publicado em 21/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.22%
O presente trabalho, A Filosofia da diferença de Gilles Deleuze na Filosofia da Educação no Brasil, tem por objetivo central apresentar o pensamento filosófico educacional de alguns pensadores brasileiros sob a inspiração da filosofia da diferença deleuzeana, realçando o que distingue esta produção da Filosofia da Educação tradicional regida pela filosofia da Representação. Para tanto, a pesquisa se divide em quatro capítulos: o primeiro capítulo, De Deus à Diferença: trajetória das matrizes filosóficas na educação brasileira elenca as matrizes filosóficas mais expressivas no nosso país, bem como as práticas e as teorias educativas resultantes delas; o segundo capítulo, A Filosofia da Educação no Brasil, expõe a trajetória de constituição da Filosofia da Educação como campo de saber específico e apresenta três obras brasileiras representativas desse percurso; o terceiro capítulo, A Filosofia da Diferença de Deleuze, explicita os contornos principais do pensamento deleuzeano no que diz respeito à sua Filosofia da Diferença; o quarto e último capítulo, Filosofia da Diferença deleuzeana na Filosofia da Educação no Brasil ou para uma (não)-teoria da quebradura da vara...

Ensino de filosofia e resistência; Teaching of philosophy and resistance

Renata Pereira Lima Aspis
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.27%
Pesquisar as possibilidades do ensino de filosofia para o nível médio nas condições políticas e econômicas da contemporaneidade tem como objetivo criar novas formas de pensar esse ensino e novas formas de agir como resistência através desse ensino. A pesquisa se expressa por uma escrita crazy-patchwork, remendando-louco, assim como a vida, assim como se compõem as subjetividades. Aglomerado de relações, multiplicidade de conexões, de possibilidades de entradas e saídas. Reativa-se conceitos de Nietzsche, Foucault e Deleuze e Guattari, assim como se encontra com pensadores contemporâneos, que também seguem a linha das chamadas filosofias da diferença, na busca de ressonâncias para produzir um diagrama das relações de poder que compõem o campo de tensões onde se dão os modos de subjetivação atuais. A hipótese é a de que se possa inventar um determinado ensino de filosofia para jovens, hoje, na escola, que se configure como vetor de enxame de re-existências. Um ensino de filosofia a partir de um planejamento nômade, por meio de aulas-acontecimento, que ensine como vírus, afetando, que exercite rigorosamente as ferramentas da filosofia de problematizacão, de argumentação, de conceituação, fluxos de pensamentos filosóficos...

A potência do contraste da cena dramática; The potency of the contrast in the dramatic scene

Marcus Pereira Novaes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.11%
O trabalho busca conectar filosofia e arte no campo da educação, pensando a urgência de apontar fissuras de uma constituição moderna fechada em uma estrutura de um sujeito vinculado a saberes autorizados a dizê-lo como verdade. No campo das artes em seu estreito vínculo com as imagens, apostaremos neste trabalho em um tipo de imagem, que chamaremos de imagem-contraste, contraste em uma conexão com a filosofia da diferença, com a qual pensamos ser importante para a intensificação do entre polos: gênero, classificação, juízo. Encontro com esses tipos de imagens que poderia permitir o pensamento, pensar no intervalo, escapando à identificação e ao reconhecimento imediato de gêneros e modelos estéticos universais. Parece possível, no encontro com imagens, termos uma oportunidade de sentir algo diferente, mas que ainda não necessariamente sabemos o quê.; This work seeks to connect Philosophy and Art into the field of Education, thinking the urgency of pointing fissures of a modern constitution closed in a structure of subject linked to knowledges authorized to say it as a truth. In the field of Arts in its closed link with the images, we bet on this work in a sort of image, that we called contrast-image, contrast in a connection with the philosophy of difference...

Gnothi Seauton: Why and How to Teach Religion and Philosophy to Secondary School Students

Vorkink, Peter
Fonte: Harvard University Publicador: Harvard University
Tipo: Thesis or Dissertation; text Formato: application/pdf
EN
Relevância na Pesquisa
36.11%
Rather than “saving” the difficult fields of religion and philosophy for college curricula, it is instead developmentally appropriate for high school students—fourteen- to eighteen-year-olds—to engage the complex existential, ethical, and analytical challenges raised by these disciplines, especially as they pertain to the adolescent search to “know thyself” (Gr. γνῶθι σεαυτόν [gnōthi seauton]). This is explored in the context of unfolding trends in American education which downplay the importance of a humanities education in the overall curriculum, and with reference to models of adolescent psychology and pedagogical theory, drawing in particular upon my forty years of experience as a classroom teacher. In pursuit of this thesis, I argue for a more appropriate understanding of the definitions of religion and philosophy, as well as a more holistic understanding of the act of philosophizing. More traditional and restrictive definitions of religion need to be revised to embrace the view of the student as a person who is seeking meaning in a variety of situations and places, often outside of organized religion. The understanding of what it means to teach philosophy—that is, “to philosophize”—is likewise reappraised in light of Phillips Exeter Academy’s reliance on the pedagogy of the Harkness method...

On reduced relatives with genitive subjects

Krause, Cornelia (Cornelia Ann), 1972-
Fonte: Massachusetts Institute of Technology Publicador: Massachusetts Institute of Technology
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 232 leaves
ENG
Relevância na Pesquisa
36.16%
What is the place of relatives with genitive subjects in a typology of relative clauses? Are they full or reduced, headed or free relatives? Can they appear pre- and postnominally? Can they be head-internal relatives? Are they finite or non-finite? Can they be restrictives and appositives? These are the questions that this thesis will address. Full relatives have nominative subjects. Thus, relatives with genitive subjects are not full relatives. Relatives with genitive subjects share, however, many properties with reduced relatives. Among others, both prohibit relative pronouns and complementizers. Both employ participles, i.e., verbs that lack tense but exhibit nominal properties. Both prohibit nominative subjects. Therefore, it will be argued that relative clauses with genitive subjects are reduced relatives. There exists, however, one difference between relative clauses with genitive subjects and standard reduced relatives. Only the former permits non-subject relativization. It will be argued that reduced relatives are headed by a NP and that the difference in permitting genitive subjects is caused by a difference in the case licensing mechanisms within this NP. Only if N can license structural genitive case can a language have relative clauses with genitive subjects. The verb in reduced relatives lacks tense. If the finite/non-finite distinction is based on the presence of tense...

Elements of number theory

Harbour, Daniel, 1975-
Fonte: Massachusetts Institute of Technology Publicador: Massachusetts Institute of Technology
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 205 leaves
ENG
Relevância na Pesquisa
36.11%
The dissertation argues for the necessity of a morphosemantic theory of number, that is, a theory of number serviceable both to semantics and morphology. The basis for this position, and the empirical core of the dissertation, is the relationship between semantically based noun classification and agreement in Kiowa, an indigenous, endangered language of Oklahoma. The central claim is that Universal Grammar provides three number features, concerned with unithood, existence of homogeneous subsets, and properties of those subsets. The features are used to analyze a wide variety of data. Semantic topics include the difference between granular and non-granular mass nouns, collective, non-collective and distributive plurals, and cardinality. Syntactic topics include the structure of DP, noun marking, agreement and suppletion. Morphological topics include the inventory of morphological operations, the featural basis of complex syncretisms, the difference between agreement and suppletion, whether features are privative or binary, and the nature of the Kiowa/Tanoan inverse. Keywords: Kiowa-Tanoan, number, morphology, semantics, agreement, suppletion, inverse, noun class, singular, dual, plural, features, binary, privative.; by Daniel Harbour.; Thesis (Ph. D.)--Massachusetts Institute of Technology...

Demonstration and belief : the investigation of a difference in classical thought

Benjamin, Andrew E
Fonte: Universidade Nacional da Austrália Publicador: Universidade Nacional da Austrália
Tipo: Thesis (Masters); Master of Philosophy (MPhil)
EN_AU
Relevância na Pesquisa
36.28%
This thesis exists on two levels. It is an examination of certain topics in seventeenth century and eighteenth century philosophy, and at the same time an attempt to utilise the insights afforded by Heidegger and Foucault in the writing of the history of systems of thought. I have gone about the thesis in this way because I think there are theoretical inadequacies in most writings in the history of ideas. While I have not concerned myself to any great degree with an examination and critique of these inadequacies, I have used them as a starting point. In other words, my concern is not with these inadequacies as such. Rather, the aim of this thesis is to examine the writing of the history of philosophy by attempting to write a tiny portion of its history. This thesis is therefore a process, a means by which the act of writing becomes an examination of the possibility of writing the 'history of philosophy' itself. In the introduction to the first chapter and in the first section of that chapter, I have attempted to establish certain problems and conditions which provide a way into the writing of the history of philosophy. The way in is not pure acceptance of certain approaches. Rather, it is an examination of what constitutes an 'approach'. The criterion used to substantiate what accounts for an 'approach' is the relationship between the approach and metaphysics. That has been argued is that central to any approach...

Diabo e fluoxetina : formas de gestão da diferença; Devil and fluoxetine : forms of difference´s management

Mariana Magalhães Pinto Côrtes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.02%
Quando a diferença surge como problema? Quando o diferente torna-se objeto de intervenção? Qual foi a primeira agência que se ocupou com a diferença como questão a ser administrada? A religião monoteísta e o Estado-nação apresentam modelos análogos no combate à diferença? Essas são questões que motivam a presente tese. Na primeira parte do trabalho, analisa-se a gestão moderna da diferença, condensada em três modalidades de guerra: a guerra contra os estranhos (Zygmunt Bauman), a guerra contra os anormais (Michel Foucault), a guerra contra os homini sacri (Giorgio Agamben). No drama das três guerras, desvela-se a íntima solidariedade entre liberalismo e racismo, democracia e totalitarismo. Eugenia, genocídio, biopolítica, assimilação, disciplina compuseram as estratégias modernas da batalha contra a diferença. Elas permanecem sendo as formas de administração da diferença na sociedade contemporânea? Para responder a pergunta, a pesquisa toma dois grupos como objeto de estudo: 1) pregadores-itinerantes evangélicos, que vivem do expediente de vender suas histórias de vida violentas e despedaçadas no mercado religioso de pregações; 2) sujeitos oriundos do universo social do campesinato que foram diagnosticados...

Corpo e pensamento : alianças conceituais entre Deleuze e Espinosa; Body and mind: conceptual alliances between Deleuze and Spinoza

Cintia Vieira da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.09%
Este trabalho se propõe a mostrar a importância da filosofia de Espinosa para a elaboração do pensamento deleuzeano. Considerando-se que tal pensamento se constrói por múltiplas alianças com outros pensadores dos campos da arte, da ciência e da filosofia, a aliança com Espinosa é estudada de modo privilegiado. Tal privilégio se estabelece em função do tema escolhido, a saber, a relação entre corpo e pensamento. Outras alianças também são abordadas, tais como a feita com Bergson, no que se refere à criação de um novo conceito de imagem como ensejo para uma nova imagem do pensamento; e aquela articulada com Artaud, no que diz respeito a uma concepção de corpo que ultrapassa os limites do orgânico. Na filosofia deleuzeana, a relação entre corpo e pensamento se estabelece nos termos de uma igualdade que busca no corpo a gênese do pensamento. Ao mesmo tempo, trata-se de uma concepção do pensar e da corporeidade que os coloca em pressuposição recíproca: não há pensamento desencarnado, assim como não há corpo que não coloque problemas ao pensamento.; This work's purpose is about showing the importance of Espinosa's philosophy on the elaboration of the Deleuzian thought. Considering that this thought is built upon multiple links between other thinkers related to the arts...

Arquiteturas do abandono : [ou uma cartografia nas fronteiras da arquitetura, da filosofia e da arte]; Architectures de l'abandon: ou d'une cartographie à l'intérieur des frontières de l'architecture, la philosophie et l'art; Architectures of Abandonment: or a mapping at the borders of architecture, philosophy and art

Rocha, Eduardo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.25%
Pensar as arquiteturas do abandono na contemporaneidade e fugir da descrição em detrimento da experiência. Tudo por meio da cartografia sentimental. Abandonar a centralidade das certezas da matéria, da significação e do sujeito, propostas nas teorias da arquitetura e do urbanismo, para , dessa forma,abrir-se à arte, à filosofia e à vida. Cruzar fronteiras, às vezes, abandonar é esquecer, renunciar, deixar alguma coisa. As arquiteturas do abandono, antes de qualquer coisa, é um estado, uma condição, os quais passam pela descoberta dos sinais do abandono, sejam eles negativo-agressivos, positivo-amorosos, não-valorizados ou catastróficos. Para, por fim, desvendar que essa pode ser uma arquitetura da liberdade, do sem compromisso, ou seja, do fim e do começo da própria arquitetura. Ler a cidade a partir de suas arquiteturas e espaços do abandono é olhar a vida nua e o poder soberano unidos, coexistentes. Tudo carregado pelas potências do profano e pela filosofia da diferença, do violável, da melancolia, da arte contemporânea. Nós já vimos esse filme, já visitamos esse lugar, já sentimos calafrios ao nos deparamos com as arquiteturas do abandono. Agora é só experimentar!; Penser les architectures de l'abandon dans contemporaneidade et fuir de la description au détriment de l'expérience. Tout au moyen de la cartographie sentimentale. Abandonner la centralité des certitudes de la matière...

Irigaray y la cuestión de la diferencia sexual.; Irigaray and the question on sexual difference. [Spanish]

Amalia Boyer; Universidad del Norte
Fonte: Universidad del Norte Publicador: Universidad del Norte
Tipo: article; publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.11%
Según Luce Irigaray la cuestión central de nuestra época es la de la diferencia sexual. En este artículo se trata de dilucidar las razones de la importancia de esta cuestión analizando las críticas al psicoanálisis, y a la filosofía, llevadas a cabo por esta pensadora en su búsqueda de una materialidad femenina. Además del aporte a las corrientes feministas se reconoce en la obra de esta pensadora un aporte a la filosofía a través de su argumento sobre la naturaleza sexuada de la razón.; For Luce Irigaray the central question of our age is that of sexual difference. This article attempts to shed light on the reasons for this question through the analysis of the critiques of psychoanalysis and philosophy undertook by this thinker in her search for a feminine materiality. Her work is seen to have produced important effects not only for feminism but also for philosophy itself through her arguments on the sexual nature of reason.

The syntactic and semantic roots of floating quantification

Fitzpatrick, Justin Michael
Fonte: Massachusetts Institute of Technology Publicador: Massachusetts Institute of Technology
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 230 p.
ENG
Relevância na Pesquisa
36.11%
Through the study of floating quantifiers in a variety of languages, I demonstrate that floating quantification is not a uniform phenomenon and outline a series of puzzles that force us to adopt a two-part analysis. I argue that certain floating quantifiers are related to their nominal associate by syntactic transformation (the stranding approach, Sportiche 1988; Miyagawa 1989) and that others are related only semantically (the adverbial approach, Dowty and Brody 1984; Bobaljik 1995; Doetjes 1997). Evidence for this split comes from the syntactic distribution of these elements within and across languages and from two other points of difference. First, I show that each type of floating quantifier imposes a different restriction on the movement of its nominal associate. An adverbial floating quantifier restricts its associate to A-movement, while a stranded floating quantifier restricts its associate to A'-movement. Furthermore, these two classes of quantifiers divide along semantic lines: Adverbial floating quantifiers have exhaustive semantics, while stranded adnominal floating quantifiers are non-exhaustive. The analysis developed here provides an explanation for these syntactic and semantic differences.; (cont.) The syntactic behavior is linked to the structural make-up of the two types of elements and to more general syntactic principles. I propose that quantifier stranding can only arise through A'-movement and that this restriction reflects a general ban on subphrasal extraction through A-movement. I suggest that this difference in locality conditions has roots in deeper differences between A- and A'-movement. My analysis of adverbial floating quantifier structure draws on Doetjes's (1997) analysis of adverbial floating quantifiers as containing a possibly null pronominal element. I extend this analysis to treat a variety of characteristics found with adverbial floating quantifiers...

«Know thyself» : mind, body and ethics. Japanese archery (Kyudo) and the philosophy of Gilles Deleuze

Soeiro, Diana
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2011 ENG
Relevância na Pesquisa
36.09%
This article aims to describe the mind/ body problem from an Eastern philosophy point of view addressing firstly Kyudo, the Japanese martial art of archery; and secondly the Western philosopher Gilles Deleuze. Ethics is, in Western philosophy, what deals with the way we take decisions and act upon them. Decisions and actions consider rationality and intuition but seldom the body’s own rationality and intuition —which Kyudo exercises. We can find in Deleuze’s philosophy important concepts to better understand this: difference, repetition, chaos, identity, energy, force, stage and micro-perceptions. To what extent can the dominant Eastern thought approach on the mind/ body topic be effective to fulfill the Ancient Greek aphorism «Know yourself» (γνθι σεαυτν) inscribed in the Temple of Apollo at Delphi?; Este artículo pretende describir el problema mente/cuerpo desde el punto de vista de la filosofía oriental y más específicamente desde el Kyudo, el arte marcial japonés del tiro con arco, y en segundo lugar a partir del filósofo occidental Gilles Deleuze. La ética, en la filosofía occidental, trata de la forma cómo tomamos decisiones y cómo actuamos a partir de estas. Decisiones y acciones se analizan desde la racionalidad y la intuición...

“Una via genuina a la verdadera filosofía”. Estatuto y rol de la crítica filosófica en el Über das Wesen der philosophischen Kritik; “Una via genuina a la verdadera filosofía”. Estatuto y rol de la crítica filosófica en el Über das Wesen der philosophischen Kritik; “A path to genuine philosophy”. Estatute and role of philosophical critique in Über das Wesen der philosophischen Kritik

Palermo, Sandra Viviana
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 05/06/2015 SPA
Relevância na Pesquisa
36.09%
El presente trabajo concentra su atención sobre el estatuto y el rol de la crítica filosófica en la reflexión hegeliana de los primeros años de Jena, con la intención de poner en evidencia que el concepto de philosophische Kritik puede ser leído como una suerte de «punto de crisis» de la concepción hegeliana de la filosofía, así como la misma se había presentado en la Diferencia entre los sistemas de filosofía de Fichte y de Schelling: dentro de una concepción en virtud de la cual lo Absoluto está ya presente, el espacio lógico para el constituirse del pasaje entre error y verdad se diluye. De ahí que si la crítica filosófica debe configurarse como propedéutica a la verdadera filosofía, como elevación del no saber al saber, este último no podrá constituirse como totalidad acabada y completa ya presente, ni tampoco como tal que deje fuera de sí el saber inadecuado o finito; es decir no podrá constituirse como monísticamente compacto.; The paper focuses the attention on the status and the role of philosophical critique in Hegel’s early writings in Jena, with the aim of highlighting that the concept of philosophische Kritik can be read as a “point of crisis” of the conception of philosophy, that Hegel offer in his first publication...

Deleuze, Merleau-Ponty and the challenges of difference; Deleuze, Merleau-Ponty e os desafios da diferença

Ramos, Silvana Souza; Universidade de São Paulo
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.15%
Que significa fazer uma filosofia da diferença? Como é possível captar o movimento singular de algo, sem subordiná-lo a categorias universais, sem submetê-lo aos limites da identidade e da representação? Ademais, como podemos capturar a experiência de nós mesmos sem reduzi-la à expressão de faculdades desde sempre prontas para agir sob a unidade sintética de um eu ou, ainda, sem espacializar a densidade criadora que a permeia? Certamente, essas questões ditam o norte do pensamento de Deleuze, embora já estivessem de algum modo presentes na filosofia de Merleau-Ponty, sugerindo direções pouco exploradas pelo autor de Diferença e repetição. Afinal, enquanto Merleau-Ponty pretende desvelar o caráter originariamente não-intelectual das ligações produzidas no interior da experiência, Deleuze busca dar dignidade ontológica à diferença tomada em si mesma. Sendo assim, o objetivo deste artigo é fazer uma reflexão sobre o lugar concedido à diferença nos dois filósofos no intuito de compreender alguns dos desafios enfrentados por um pensamente que recusa se submeter ao império da identidade.; To create a philosophy of difference: what does it mean? How is it possible to capture the movement of something singular...

The marginal thought of the beyond-formation as difference outline; Pensar más allá de la formación marginal seguimiento de la diferencia; O pensamento marginal da além-formação como traçado da diferença

Brito, Maria dos Remédios de
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.08%
 This article tries to think on the idea of formation from the perspective of philosophy of difference. It criticizes the idea of classical formation, it suggests an idea of beyond-formation from the inferences of Nietzsche and Deleuze - which can be understood for beyond identitary assumptions - and it celebrates the transversality, the singularity, the flow and the intensity. This formation perspective leads to a kind of swirling movement that does not accept the representation of the mere rule installed, but it marks the body in the immanence of the differential event, leading him to feel, to fight and to toil in the eternal creation game which characterizes the adventure by existence. Thus, this formation perspective sees the transformation in all its life potency.; O presente artigo objetiva pensar a ideia de formação a partir da perspectiva da filosofia da diferença: O texto mobiliza uma crítica à ideia de formação compreendida ao logo da tradição clássica e toma por meio das inferências de Nietzsche e Deleuze uma ideia de além-formação, esta é compreendida para além dos pressupostos identitários e festeje a transversalidade, a singularidade, o fluxo e a intensidade. Essa perspectiva exercita uma espécie de movimento turbilhonar que não aceita a representação do mero instalado...

DELEUZE: FOR AN ONTOLOGY OF THE PHILOSOPHY CLASS REPETITION CREATES DIFFERENCE; Deleuze: hacia una ontología de la clase de filosofía; Deleuze: por uma ontologia da aula de filosofia repetição cria diferençaDeleuze: for an ontology of the philosophy class repetition creates difference

Santana, Marcos Ribeiro de
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
 This essay is an attempt to set up an ontology of the Philosophy class, according to the deleuzian definition of philosophy, understood as "the art of making, inventing, creating concepts", within the specificity of the theme of difference and repetition. This perspective is outlined for high school, from the development of the same lesson plan for various groups of the same grade level. The challenge lies in the problem of creating difference, as teaching practice - the class - even when there is repetition of a lesson plan in a given mandatory curriculum. This is about creating a cartographic plan for the Philosophy class, mapping the activity of thinking as an act of invention, of differences, of becomings and of events.;  O presente ensaio corresponde à tentativa de constituição de uma ontologia da Aula de Filosofia, a partir da definição elaborada por Deleuze sobre a filosofia, entendida como “a arte de formar, de inventar, de fabricar conceitos”, dentro da especificidade do tema da diferença e repetição. Perspectiva traçada no âmbito do ensino médio quanto ao desenvolvimento de um mesmo plano de aula para várias turmas de uma mesma série. O desafio situa-se no problema da criação da diferença, quanto à prática da docência – a aula –...

Images of the other at philosophy: the challenge of difference; Imágenes de otra filosofía: el desafío de la diferencia; Imagens do outro na filosofia: o desafio da diferença

Gallo, Sílvio
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.25%
 This article aims to discuss the theme of the other at Philosophy. Dialoguing with images of cinema and television, it seeks to identify the images or concepts of other produced in the history of Philosophy. In a schematic form, it presents the images of the other as barbarian (Aristotle), exotic (Montaigne), civilized (Voltaire) hell (Sartre), for at the end to rehearse a "no-image" of the other as radical difference, proposed by the philosophy of the difference of Deleuze.; Este artigo tem por objetivo problematizar a tematização do outro pela Filosofia. Dialogando com imagens do cinema e da televisão, procura identificar quais as imagens ou os conceitos do outro, produzidos na história da Filosofia. De forma esquemática, apresenta as imagens do outro como bárbaro (Aristóteles); exótico (Montaigne); civilizado (Voltaire); inferno (Sartre), para, ao final, ensaiar uma "não-imagem" do outro como diferença radical, proposta pela filosofia da diferença de Deleuze.  

Philosophy of difference: records for learning of thought in philosophy; La filosofía de la diferencia: las notas en torno al aprendizaje del pensamiento en la filosofía; Filosofia da diferença: apontamentos em torno da aprendizagem do pensamento em filosofia

Grisotto, Américo
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
 Venturing into the thinking not only depend on efforts, it is necessary to throw in their fields and to pay attention to their events. Only when these events occur will be possible to distinguish between what has been done and what is new. Maybe, then, some effort has meaning. Thus, reading the writings of philosophy of difference, in particular of Deleuze, Guattari and Foucault, it was possible to move my practice from major philosophy to the philosophy in its minority. Encouraged by this movement, I believe it is possible to suggest that students invent their own rules of doing philosophy, according to a new way of production, a new style, that they choose; take the authors of the history of thought like entertainment matter, through new compositions other than those already offered; select authors who endorse what they believe and make intensive use of them; betray the authors, respect them, but do not duplicate them.; Aventurar-se no pensamento em filosofia não depende, a princípio, do uso necessário dos arsenais da razão. Antes, seria necessário lançar-se em seus domínios e ficar à espreita dos seus acontecimentos. Somente quando esses ocorrerem teremos como distinguir os que coincidem enormemente com o que já fazemos e pensamos...