Página 1 dos resultados de 161 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Notas sobre diversificação/diferenciação curricular em Portugal; Notes on curricular diversification/differentiation in Portugal

Pacheco, José Augusto
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
O presente artigo revisita a discussão sobre currículo comum e culturas diferenciadas enfrentada por diferentes estudiosos do currículo. Para tanto, apresenta o conceito de diversificação/diferenciação curricular, a partir da premissa de escola para todos. Como foco de análise evidencia-se as políticas curriculares do contexto educacional português. A diferenciação curricular é um conceito que apresenta, essencialmente, mudanças na metodologia e na avaliação, pressupondo que os alunos têm um mesmo percurso nas suas opções, mas que uns precisam seguir caminhos diferentes para que todos possam atingir o sucesso educativo. Na prática, o que discute-se é que o processo de desenvolvimento do currículo envolve e obdece a uma lógica centralizada, que nem sempre valoriza os diversos contextos de aprendizagem. Daí que o conceito de autonomia curricular possa vir a tornar-se numa prática residual, com pouco impacto nas actividades de recontextualização do currículo por parte do professor. A questão que se coloca não é a de saber se os professores dispõem de autonomia ou se é uma prática ao seu alcance, mas de a questionar perante as condições escolares pensadas para uma escola comum e nacional.; The present article revisits a discussion on common curriculum and differentiated cultures faced by different researchers on curriculum. To this end...

Práticas educativas na sobredotação : diferenciação curricular e estratégias complementares; Practices in gifted education : differentiated curriculum and complementary strategies

Antunes, Ana Maria Pereira; Almeida, Leandro S.
Fonte: Colégio Internato dos Carvalhos Publicador: Colégio Internato dos Carvalhos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.6%
A escola inclusiva, atenta à diversidade e à igualdade de oportunidades, deverá contemplar explicitamente a educação dos alunos mais capazes, talentosos ou sobredotados. Neste trabalho, tomamos como ponto de partida da intervenção com os alunos sobredotados a necessidade de adaptação e de diferenciação curricular para responder às suas necessidades individuais. Nessa lógica, destacamos a importância da complementaridade e da articulação das diversas formas de intervenção (aceleração, agrupamento e enriquecimento), caracterizando cada uma delas e apresentando alguns estudos face à sua eficácia. Fazemos ainda uma breve referência à situação em Portugal, destacando que importa sensibilizar e formar os agentes educativos face à problemática da sobredotação.; The inclusive school responding to the students ‘differences and to the opportunities’ equality should consider the education of the gifted and talented students. In this work, we take curricular adaptation and curricular differentiation as the main Intervention points centered on individual differences. We also defend the complementary use of the educational practices (acceleration, grouping and enrichment) explaining each one of them and presenting some studies about their efficacy. We briefly describe the practices for gifted students in Portugal and highlight the importance of the school staff sensitivity to understand giftedness.

Impacto das políticas educativas e curriculares na construção das práticas inclusivas

Barata, Clarinda Luísa Ferreira; Ferreira, José Brites; Morgado, José Carlos
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.48%
Esta comunicação resulta de um trabalho de investigação desenvolvido em torno de três eixos – saberes básicos, inclusão educativa e diferenciação curricular – que têm vindo a ter uma visibilidade crescente tanto ao nível dos discursos educativos, como das políticas educativas e curriculares para o ensino básico. É imprescindível atender à diversidade, uma realidade cada vez mais comum no interior das salas de aulas, considerando-a não como um obstáculo mas como uma fonte enriquecedora do processo educativo, bem como à necessidade de transformar a escola num espaço de inclusão, para que cada aluno possa munir-se de um conjunto de saberes básicos imprescindíveis à sua integração e participação na sociedade. Neste sentido, importa perceber se os professores estão a conseguir uma efectiva flexibilização e diferenciação curriculares nas escolas ou se, pelo contrário, continuam entrincheirados entre rotinas securizantes, adiando a possibilidade de edificar uma verdadeira escola inclusiva. Partindo desta problemática, este projecto de investigação visou, entre outros aspectos compreender o impacto das políticas educativas e curriculares em termos de práticas inclusivas. Para o efeito, recorremos a uma estratégia metodológica de investigação que incluiu a aplicação de um questionário aos docentes do 1.º Ciclo do Ensino Básico e...

Formação de professores do ensino superior e práticas curriculares

Guimarães, Edilene Rocha; Pacheco, José Augusto
Fonte: CIIE- Centro de Investigação e Intervenção Educativas Publicador: CIIE- Centro de Investigação e Intervenção Educativas
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.57%
A comunicação tem como objetivo analisar as relações entre os processos de formação de professores do ensino superior e as práticas de diversificação e diferenciação curricular. No Campo do Currículo, o trabalho se insere no debate sobre a formação contínua docente, com contribuições para o aprofundamento das questões sobre diversidade e diferença, que envolvem o desenvolvimento curricular no contexto da prática. Como campo da pesquisa elegemos os cursos superiores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), localizado no Brasil, e seu processo de formação contínua docente. No Brasil, a formação de professores do ensino superior tem sido associada a uma política que incentiva a contratação do professor com formação inicial em cursos superiores de Bacharelado, relacionados às disciplinas específicas do currículo, como é o caso das Engenharias, deixando a formação docente para ser realizada como formação contínua, através de seminários, palestras, cursos complementares à graduação e através de cursos de Pós-graduação, denotando que o perfil dos professores do ensino superior tem se configurado como "engenheiros-docentes". Assim, a formação docente vem se aproximando da ideia de desenvolvimento profissional...

A gestão curricular em turmas com diferentes anos de escolaridade : conceções e práticas pedagógicas dos professores do 1º CEB

Machado, Fátima Susana Araújo
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.4%
Dissertação de mestrado em Estudos da Criança (área de especialização em Integração Curricular e Inovação Educativa); Este trabalho de dissertação explana sobre uma realidade caraterística das escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico (CEB) em Portugal, a das turmas constituídas por diferentes anos de escolaridade. Do ponto de vista teórico, o estudo inicia por caraterizar o professor e a escola do 1.º CEB e a estreita ligação destes elementos com os meios rurais. Posteriormente, tentamos conceptualizar as turmas com diferentes anos. No entanto, a relativa escassez de bibliografia nacional sobre a temática fez-nos relacionar o objeto em estudo com as turmas multi-grade, designação anglo-saxónica para esta realidade, bem como com as turmas multisseriadas, termo também encontrado em referências vindas do contexto brasileiro. Ao nível da fundamentação teórica, apresentamos também o conceito de diferenciação curricular e pedagógica, uma vez que se considera ser este um contributo fundamental para o trabalho a realizar neste tipo de turmas. Apresentam-se ainda quatro modelos curriculares que se apreciam como diferentes e inovadores, no sentido de apontar caminhos alternativos para o trabalho curricular e pedagógico em turmas com estas caraterísticas. Ao nível do estudo empírico...

Práticas de diversificação/diferenciação curricular no contexto das políticas educativas para o ensino básico

Frazão, Rogério Martins
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 09/07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
No contexto de cada comunidade, onde a escola está inserida, a definição de políticas educativas e curriculares assume maior pertinência, podendo contemplar componentes locais e regionais do currículo, valorizando as características de cada região e, sobretudo, permitindo um maior envolvimento e responsabilização dos diversos actores, que representando a comunidade educativa participam ao nível das tomadas de decisão. A escola, como espaço de reflexão e participação dos vários actores, favorece a emergência de uma nova cultura, marcada pelas dimensões do ser, do estar, do fazer, do conviver, do comunicar, do aprender e do fazer aprender. É este novo entendimento da escola, preconizado nos princípios e nos normativos orientadores da política educativa actual, que se deseja ver instituído na organização escolar e nas práticas pedagógicas, com vista à melhoria da qualidade da educação tornando as aprendizagens mais significativas. A reflexão realizada, a partir deste novo entendimento da escola e das políticas educativas actuais, deu origem a uma questão central: Como é que os professores diversificam/diferenciam o currículo no contexto das políticas educativas e curriculares definidas para o 1º...

Diferenciação curricular e educação multicultural : conceções e práticas em contexto de diversidade cultural

Portugal, António Miguel Ralha
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 28/03/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
O currículo é um artefacto social e cultural, que envolve uma fase de conceção e outra de reconstrução, esta a cargo dos professores, que em contexto, o desenvolvem de modo que os alunos, na sua diversidade de necessidades, características e interesses possam aceder a um conjunto de conhecimentos sistemáticos e desejavelmente comuns a todos. Uma teorização do currículo, atento a todos os fatores, sociais, culturais, de hegemonização de poder e de desigualdades de acesso, deve estar atenta à identidade e à diferença, que se joga nesse percurso, nesse currículo entendido como currere, que molda a pessoa do aluno ao longo do caminho. A massificação do ensino trouxe para a escola uma ampla diversidade de alunos, o que contras-tou com uma organização – que sobrevive desde a constituição da escola moderna no séc. XVIII e XIX – centralizada em torno do padrão da classe e de uma pedagogia da transmissão, que tende a tratar a todos como se fossem um e que necessariamente deu origem a uma diferenciação curricular, porém estratificadora, que é necessário substituir por uma forma diferenciada, mas inclusiva, de fazer ascender ao currículo comum uma grande diversidade de alunos. Essa diversidade cresce hoje nas nossas escolas...

Adequações curriculares e estratégias de ensino em turmas inclusivas

Silva, Alexandra Frias da
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
Um dos maiores desafios actuais no nosso sistema de ensino é a necessidade de construir uma escola inclusiva, uma escola que respeite a diversidade dos alunos e procure garantir o seu sucesso educativo, através de traçados curriculares diferenciados e adequados. Este desafio exige mudanças quer nas atitudes e práticas dos agentes educativos, quer nas estruturas do sistema de ensino ao nível organizacional e da gestão curricular. Este estudo centra-se nas decisões de planeamento curricular e estratégias de ensino protagonizadas por professores do 1º Ciclo do Ensino Básico que leccionam em turmas inclusivas. Tem como propósito identificar concepções e práticas de diferenciação curricular para alunos com NEE no 1º CEB, procurando conhecer: i) a concepção dos professores do 1º CEB sobre o seu papel na decisão das medidas educativas a adoptar com alunos com NEE; ii) a concepção dos professores do 1º CEB sobre o seu papel como gestores do currículo; iii) os critérios de selecção das medidas educativas e as formas de elaboração das adequações curriculares para os alunos com NEE no 1º CEB; iv) os processos de ensino desenvolvidos em sala de aula inclusivas no 1º CEB. O trabalho desenvolveu-se através de um estudo exploratório...

Diferenciação curricular para a inclusão de alunos com necessidade educativas especiais no 1º Ciclo do Ensino Básico

Monteiro, Susana Cristina Sousa
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.66%
Um dos grandes desafios da atualidade reside em construir uma escola inclusiva para todos, respeitando as diferenças entre os alunos e procurando dar resposta a todas as suas necessidades educativas, através do acesso igualitário a uma educação de qualidade, no sentido de uma preparação para a vida social e profissional ao longo da vida. Desta forma, é necessária uma mudança não só na maneira de pensar como também nas práticas dos agentes educativos, no sentido de adequarem o currículo às necessidades educativas especiais dos alunos. O presente estudo constitui, pois, uma tentativa de conhecer não apenas as conceções dos professores do 1º Ciclo do Ensino Básico sobre a inclusão e as adaptações curriculares para alunos com NEE, mas também as práticas curriculares que desenvolvem quando têm estes alunos nas suas turmas. O trabalho desenvolveu-se através de um estudo de caso, incidindo sobre 6 professores do 1º CEB e respetivas turmas com alunos com NEE incluídos. Como metodologia de recolha de dados utilizámos as técnicas da entrevista, da análise documental e da observação naturalista em contexto de sala de aula. Articulando os resultados das entrevistas com os das observações em sala de aula...

Inclusão e práticas de diferenciação curricular nos cursos de educação e formação

Pais, Liana Pereira
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.57%
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Lisboa para obtenção de grau de mestre em Ciências da Educação, especialidade em Educação Especial, ramo de Problemas de Cognição e Multideficiência; A conceção e construção da escola inclusiva implicam mudanças, quer nas atitudes e práticas dos agentes educativos, quer nas estruturas do sistema de ensino ao nível organizacional e da gestão curricular. Neste sentido, a adequação do currículo às necessidades educativas especiais (NEE) dos alunos torna-se essencial na operacionalização dos diferentes processos curriculares. O presente estudo foi desenvolvido através de um estudo de caso, o qual se centrou numa turma do Curso de Educação e Formação – Acompanhante de Ação Educativa (AAE), procurando compreender como é o currículo perspetivado pelos respetivos docentes e discentes, tendo em conta as características da população que o frequenta, nomeadamente alunos com NEE. Como técnicas de recolha de dados, utilizámos a entrevista, a consulta documental e a observação naturalista. Concluímos que a diferenciação curricular parece assumida pelos docentes apenas em relação ao CEF e às características gerais do tipo de alunos que o frequenta...

Diferenciação curricular para a inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no 1º ciclo do Ensino Básico

Monteiro, Susana Cristina Sousa
Fonte: CIED – Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais Publicador: CIED – Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.45%
Um dos grandes desafios da atualidade reside em construir uma escola inclusiva para todos, respeitando as diferenças entre os alunos e procurando dar resposta a todas as suas necessidades educativas, através do acesso igualitário a uma educação de qualidade, no sentido de uma preparação para a vida social e profissional ao longo da vida. Desta forma, é necessária uma mudança não só na maneira de pensar como também nas práticas dos agentes educativos, no sentido de adequarem o currículo às necessidades educativas especiais dos alunos. O presente estudo constitui, pois, uma tentativa de conhecer não apenas as conceções dos professores do 1º Ciclo do Ensino Básico sobre a inclusão e as adaptações curriculares para alunos com NEE, mas também as práticas curriculares que desenvolvem quando têm estes alunos nas suas turmas. O trabalho desenvolveu-se através de um estudo de caso, incidindo sobre 6 professores do 1º CEB e respetivas turmas com alunos com NEE incluídos. Como metodologia de recolha de dados utilizámos as técnicas da entrevista, da análise documental e da observação naturalista em contexto de sala de aula. Articulando os resultados das entrevistas com os das observações em sala de aula...

Papel do PCT na diferenciação pedagógica e curricular de alunos com DEA/Dislexia

GORDO, Júlio Manuel Gonçalves
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.77%
O presente estudo partiu de preocupações da prática relacionadas com o papel do PCT no desenvolvimento pedagógico e curricular sobretudo de alunos com dislexia. No sentido de se responder à pergunta de partida: “de que forma a diferenciação pedagógica e curricular dos alunos com DEA/Dislexia, é contemplada no PCT?” elaborou-se um quadro teórico onde se começou por discutir o papel da escola recorrendo inclusivamente à sua perspectivação histórica. Esta permitiu perceber a escola actual nomeadamente nas tensões entre os processos de massificação escolar conducentes a uma hegemonia do currículo e os processos de flexibilização curricular. O nosso interesse principal situou-se nestes últimos pela sua importância para a diferenciação curricular e pedagógica na sala de aula necessária para os alunos com dislexia. A formação dos professores desempenha neste contexto uma grande relevância, pelo que lhe atribuímos elevada importância. Utilizando como instrumentos de recolha inquéritos por questionário articulados com a análise dos PCTs inquirimos uma amostra de vinte e oito professores de um agrupamento de escolas do distrito de Santarém sobre a sua percepção face à dislexia e à importância dada à utilização do PCT. Os dados recolhidos e tratados permitiram verificar que nem os PCT são encarados como um instrumento de diferenciação curricular e pedagógica...

A diferenciação como princípio de organização curricular

Sousa, Francisco
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /09/2008 POR
Relevância na Pesquisa
56.79%
Comunicação apresentada no IV Colóquio Luso-Brasileiro sobre Questões Curriculares / VIII Colóquio sobre Questões Curriculares, sob o tema "Currículo, Teorias, Métodos", realizado na Universidade Federal de Santa Catarina - Florianópolis - SC em 2, 3 e 4 de setembro de 2008.; A diferenciação curricular inclui-se entre os princípios de organização curricular oficialmente assumidos no sistema educativo português, quer para o ensino básico quer para o ensino secundário. É possível diferenciar o currículo seguindo uma orientação inclusiva, comprometida com a promoção da equidade, ou seguindo uma orientação estratificadora, associada à distribuição dos alunos por vias alternativas de estudo que diferem entre si quanto à complexidade do currículo e quanto ao prestígio social que lhes está associado. Por isso, importa que a discussão do referido princípio tenha em conta a tensão entre essas duas concepções de diferenciação curricular. Neste sentido, farei um breve comentário sobre políticas educativas e curriculares recentemente desenvolvidas em Portugal, seguido de uma discussão sobre algumas abordagens à problemática da diferença e da diferenciação que têm sido desenvolvidas ao longo da história dos Estudos Curriculares. Comentarei ainda algumas perspectivas mais especializadas sobre a diferença e a diferenciação...

Uma diferenciação curricular inclusiva é possível? Procurando oportunidades numa escola açoriana

Sousa, Francisco
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana. Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana.
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
66.7%
Após uma discussão sobre a tensão entre diferentes concepções gerais de diferenciação curricular, serão aqui discutidos os resultados de um estudo empírico sobre essa temática, através do qual se pretendeu caracterizar o pensamento e a acção de quatro professoras do 3º ciclo do ensino básico. No que respeita às concepções reveladas pelas participantes no estudo, destaca-se a tendência para entender que a diferenciação curricular consiste numa assistência ao aluno em dificuldade. À luz de tal entendimento, não é de estranhar o facto de se ter observado que a diferenciação só foi activada quando as dificuldades (e, ocasionalmente, também os interesses) dos alunos se manifestaram ostensivamente na aula, constituindo mais um recurso de emergência do que uma prática estruturante do trabalho das referidas professoras. Procura-se aqui comentar esse uso reactivo da diferenciação curricular não apenas no sentido de nele identificar obstáculos à concretização de práticas inclusivas mas também no sentido de reflectir sobre as oportunidades de inclusão que a realidade estudada não deixou de propiciar.

Identidade não ostensiva e diferenciação curricular inclusiva: oportunidades assinaladas numa escola portuguesa

Sousa, Francisco
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /09/2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.8%
Comunicação apresentada no IV Colóquio Luso-Brasileiro sobre Questões Curriculares / VIII Colóquio sobre Questões Curriculares, sob o tema "Currículo, Teorias, Métodos", realizado na Universidade Federal de Santa Catarina - Florianópolis - SC em 2, 3 e 4 de setembro de 2008.; A presente comunicação é centrada num estudo sobre diferenciação curricular, realizado numa escola básica portuguesa com a finalidade de compreender as concepções e as práticas das professoras participantes sobre essa matéria. Considerando que a diferenciação curricular constitui uma resposta às diferenças entre estudantes e que é possível trabalhar no sentido de uma diferenciação curricular inclusiva, apesar das tendências para conceber a diferenciação como dispositivo estratificador, os dados foram recolhidos, através de observação directa de aulas e de entrevistas, com a preocupação de compreender até que ponto as oportunidades de diferenciação que iam surgindo na sala de aula, através de comportamentos dos alunos que revelavam determinados aspectos das suas identidades, eram ou não consideradas e aproveitadas. Apesar de as práticas observadas tenderem para a uniformidade curricular, houve também algum aproveitamento de oportunidades de diferenciação...

Alguns obstáculos à construção de projectos curriculares promotores da equidade

Sousa, Francisco
Fonte: CIIE - Centro de Investigação e Intervenção Educativas Publicador: CIIE - Centro de Investigação e Intervenção Educativas
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /09/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.75%
Comunicação apresentada no IX Colóquio sobre Questões Curriculares/V Colóquio Luso-Brasileiro, sob o tema "Debater o currículo e os seus campos – políticas, fundamentos e práticas", realizado na Universidade do Porto - FPCEUP - de 21 a 23 de Junho de 2010.; É hoje claro que nem a uniformidade curricular, que começou a ser sistematicamente criticada em Portugal há quase vinte anos (Formosinho, 1991, 1993), nem a diferenciação curricular estratificadora – isto é, associada a uma lógica de atribuição de diferentes valores a diferentes tipos de conhecimento e de controlo do acesso aos diferentes estratos de currículo resultantes dessa atribuição (Young, 1998, pp. 14-21) – promovem a equidade nos sistemas educativos. O desenvolvimento de formas não estratificadoras de diferenciação curricular parece, portanto, o único caminho possível para a construção de um currículo respeitador do princípio da equidade. Mas há obstáculos à assunção dessa abordagem. Numa tentativa de contribuir para a compreensão dos mesmos, recorre-se, nesta comunicação, a um estudo empírico através do qual se procurou caracterizar o pensamento e a prática de docentes do ensino básico relativamente à diferenciação curricular. Tendo os resultados relativos à dimensão individual dessa problemática sido já apresentados e discutidos (Sousa...

A diferenciação como princípio de organização curricular

Sousa, Francisco
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.79%
IV Colóquio Luso-Brasileiro sobre Questões Curriculares, Florianópolis, Setembro de 2008.; “A diferenciação curricular inclui-se entre os princípios de organização curricular oficialmente assumidos no sistema educativo português, quer para o ensino básico quer para o ensino secundário. É possível diferenciar o currículo seguindo uma orientação inclusiva, comprometida com a promoção da equidade, ou seguindo uma orientação estratificadora. Associada à distribuição dos alunos por vias alternativas de estudo que diferem entre si quanto à complexidade do currículo e quanto ao prestígio social que lhes está associado. Por isso, importa que a discussão do referido princípio tenha em conta a tensão entre essas duas concepções de diferenciação curricular. Neste sentido, farei um breve comentário sobre políticas educativas e curriculares recentemente desenvolvidas em Portugal, seguido de uma discussão sobre algumas abordagens à problemática da diferença e da diferenciação que têm sido desenvolvidas ao longo da história dos Estudos Curriculares. Comentarei ainda algumas perspectivas mais especializadas sobre a diferença e a diferenciação, isto é, perspectivas construídas não propriamente no âmbito da Teoria e Desenvolvimento Curricular em si mas sim no âmbito de áreas afins...

Diferenciação curricular : uma abordagem às práticas de intervenção educativa no 2º ciclo do ensino básico

Matos, Maria Manuela Santana Fernandes
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 28/10/2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Doutoramento em Ciências da Educação na especialidade de Análise e Organização de Situações de Educação; O estudo tem como objectivos principais conhecer as opções tomadas ao nível de uma micro-política de organização e de funcionamento que influenciam o currículo no contexto escolar face à diversidade social, económica e multicultural dos alunos, bem como pretende identificar os modos de diferenciação curricular e as decisões tomadas pelos professores, de acordo com as suas concepções e fontes de conhecimento para a organização de ambientes de aprendizagem. Procura, ainda, conhecer as formas de avaliação e regulação previstas no processo de desenvolvimento curricular. A pesquisa inspirou-se numa abordagem etnográfica, configurada num estudo de caso, de carácter longitudinal e exploratória. Permitiu estudar acontecimentos que se reportam a dois anos lectivos durante a frequência do 2º ciclo do Ensino Básico, acompanhando os grupos/turmas de alunos de uma Escola. O estudo centrou-se na análise documental de Produtos Curriculares, Observação de Aulas e Entrevistas aos professores responsáveis pelas decisões de organização e de design curricular. Pela análise dos resultados, é possível concluir que a Escola...

A construção de experiências de aprendizagem promotoras da diferenciação curricular na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico : contributos para a reflexão sobre os processos de tomada de decisão

Silva, Maria do Carmo Oliveira Cabral
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 12/02/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.54%
Mestrado (PES II) em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico.; O presente relatório foi desenvolvido no âmbito do Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico. Este visa dar a conhecer o estágio de formação profissional e a prática de uma estagiária, em contexto Pré-Escolar e de 1º Ciclo do Ensino Básico. O relatório está baseado em literatura de referência no âmbito da Educação de Infância e do 1º Ciclo do Ensino Básico, assim como se baseia também nos referenciais e na legislação portuguesa que regem a Educação Pré-Escolar e o Ensino Básico. Neste relatório de estágio apresenta-se o trabalho desenvolvido, em contexto de estágio, na Educação Pré-Escolar e no Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Pretendeu-se explorar e refletir sobre a construção de Experiências de Aprendizagem promotoras da Diferenciação Curricular, procurando problematizar, mais especificamente, os processos de tomada de decisões neste âmbito. Na primeira parte, apresentamos a fundamentação teórica com a respetiva revisão de literatura de referência e refletimos sobre a temática em aprofundamento. Na segunda parte, explanamos o estágio pedagógico, em ambos os contextos...

Diferenciação curricular e pedagógica e dificuldades de aprendizagem no 1.º CEB

Gonçalves, Eduardo Jorge de Almeida
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.81%
Esta é uma tese que terá que ser compreendida num tempo em que nas escolas o reconhecimento da diversidade dos alunos se tornou uma necessidade formativa e pedagógica. Pode afirmar-se que esta é a principal razão que justifica o facto de este trabalho abordar a diferenciação curricular e pedagógica como a sua problemática de referência, ainda que seja necessário evidenciar a articulação que se estabelece entre esta problemática e as dificuldades de aprendizagem dos alunos. Não sendo uma tese sobre dificuldades de aprendizagem, é uma tese que parte destas mesmas dificuldades para promover a reflexão sobre as conceções e práticas de diferenciação nas escolas e desenvolver um projeto de investigação em turmas do 1º Ciclo do Ensino Básico. Isto não significa, contudo, que circunscrevemos a diferenciação curricular e pedagógica às dificuldades de aprendizagem dos alunos, mas apenas que defendemos que a partir destas dificuldades se torna possível analisar de forma credível e sustentada a temática da diferenciação em contextos educativos formais. Realizado o estudo num agrupamento de escolas do norte litoral de Portugal, o qual envolveu 21 turmas de todas as escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico deste agrupamento...