Página 1 dos resultados de 88 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Avaliação da somestesia e coordenação motora em crianças com distrofia muscular de Duchenne; Evaluation of somesthetic and manual dexterity in children with Duchenne muscular dystrophy

Mesquita, Denise Caldeira Troise
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.88%
OBJETIVO: Pacientes com distrofia muscular de Duchenne apresentam alterações neuronais em regiões do sistema nervoso central como no giro pós-central e cerebelo. Para entender a sua influência sobre o controle motor, nós investigamos a somestesia e destreza manual, com e sem a informação visual. MÉTODO: Participaram deste estudo quarenta meninos com diagnóstico confirmado de distofia muscular de Duchenne (idade média = 9,68; DP = 2,23 anos), sem comprometimento dos membros superiores, e quarenta e nove meninos saudáveis (idade média = 8,14 anos; DP = 1,94 anos). Para avaliar a somestesia foi utilizado o teste de discriminação entre dois pontos e o teste de estereognosia, e para avaliar a destreza manual, foi utlilizado o Pick up test de Moberg com olhos abertos e olhos fechados e o teste do erro de localização. Os resultados foram submetidos pela análise de variância (ANOVA), sendo considerado estatisticamente significante p<0,05. RESULTADOS: Os resultados demonstraram que em meninos com distrofia muscular de Duchenne, a estereognosia estava comprometida em ambas as mãos (p<0,001), no entanto não houve diferença significativa no teste de discriminação entre dois pontos (p=0,313) quando comparado aos meninos saudáveis. A destreza manual estava pior nos meninos com distrofia muscular de Duchenne quando dependia de informações somestésicas...

Avaliação da eletroestimulação com biofeedback por eletromiografia de superfície em pacientes hemiplégicos; Evaluation of electrical stimulation with surface electromyographic biofeedback of hemiplegic patients

Lourenção, Maria Inês Paes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.66%
O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do biofeedback (BIO) associado à terapia ocupacional (TO) e à estimulação elétrica funcional (FES) na espasticidade, movimento ativo e função do membro superior de pacientes hemiplégicos. Este estudo foi realizado na Divisão de Medicina de Reabilitação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Cinqüenta e nove pacientes acometidos por acidente vascular cerebral participaram do estudo por um ano; 31 receberam TO+FES duas vezes por semana + BIO uma vez por semana e 28 receberam somente TO+FES duas vezes por semana. Os pacientes foram avaliados inicialmente, após 6 meses e após 1 ano através da Avaliação da Função Manual, do Teste de Destreza Manual Minnesota, do Teste de Amplitude de Movimento e da Escala de Ashworth modificada. TO+FES+BIO melhoraram significativamente a amplitude de movimento e função dos membros superiores após 6 meses e 12 meses, quando comparado com somente TO+FES. Ambos os grupos melhoraram significativamente a espasticidade, após 6 meses e 12 meses, com diferença não significante entre eles. O uso adicional do biofeedback mostrou efeito positivo em amplitude de movimento e recuperação da função do membro superior no grupo estudado e pode representar uma importante ferramenta para a reabiltação de pacientes hemiplégicos; The objective of this was to study the effect of biofeedback (BIO) associated to occupational therapy (OT) and functional electrical stimulation (FES) on spasticity...

Investigação de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) entre estudantes de odontologia e suas repercussões na destreza manual e desempenho cognitivo; Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) among dental students and its effects on manual dexterity and cognitive performance

Silva, Maria Aparecida da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
67.11%
O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é caracterizado por caracterizado por desconcentração frequente, falta de controle dos impulsos e comportamento hiperativo iniciados na infância que permanecem por toda a vida em até 75% dos casos. O transtorno está associado a adversidades como baixo desempenho escolar e outras condições comórbidas, como ansiedade, depressão, uso de substâncias psicoativas e problemas de coordenação motora, principalmente destreza manual, este último mais descrito na infância e nomeado por Transtorno do Desenvolvimento da Coordenação (TDC). O presente estudo teve duas fases: na primeira, o objetivo foi investigar a frequência de autorrelato de sintomas de TDAH em uma população de estudantes de Odontologia; na segunda, confirmar clinicamente o diagnóstico desse transtorno, avaliar história pregressa de problemas motores (se presença do TDC) e aplicar instrumentos para avaliar destreza manual e aspectos psicossociais. Material e Métodos. Foram incluídos 408 estudantes do curso de Odontologia da Universidade de São Paulo na primeira fase, com idade média de 22± 4,06 anos, aplicada a escala de autorrelato para sintomas de TDAH - Adult Self Report Scale (ASRS). Na segunda fase...

Aptidão física, destreza manual e sensibilidade proprioceptiva manual no idoso : Estudo em praticantes e não praticantes de actividade física

Pinto, Maria João Costa
Fonte: Universidade do Porto. Reitoria Publicador: Universidade do Porto. Reitoria
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.26%
O presente estudo teve como objectivo geral conhecer alguns aspectos da aptidão física, da destreza manual e da sensibilidade proprioceptiva manual, num grupo de idosos praticantes e não praticantes de actividade física. Analisaram-se os valores da aptidão física, da destreza manual e da sensibilidade proprioceptiva manual dos idosos segundo o sexo, a idade e a prática de actividade física. No sentido de se encontrar associações entre as variáveis, correlacionaram-se os valores da aptidão física, da destreza manual e da sensibilidade proprioceptiva manual.A amostra foi constituída por 57 idosos institucionalizados, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 65 e os 99 anos. Para avaliar a aptidão física foi utilizado o Senior Fitness Test, para a avaliação da destreza manual o Teste de Destreza Manual de Minnesota e na sensibilidade proprioceptiva manual o Teste de Discriminação de Pesos. Os procedimentos estatísticos utilizados foram o Teste t de Student, o Teste z de Mann-Whitney e o coeficiente de correlação r de Pearson. Os principais resultados e conclusões obtidos neste estudo foram os seguintes: i) Algumas componentes da aptidão física declinaram em função do sexo, da idade e da prática de actividade física; ii) A destreza manual variou independentemente do sexo...

Teste de destreza manual da caixa e blocos em indivíduos normais e em pacientes com esclerose múltipla

Mendes,Maria Fernanda; Tilbery,Charles Peter; Balsimelli,Silvia; Moreira,Marcos Aurélio; Cruz,Ana Maria Barão
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
Recentemente foram introduzidos novos medicamentos no tratamento da esclerose múltipla (EM) capazes de modificar a história natural da doença. Nos estudos clínicos que avaliam estas drogas utiliza-se com frequência a escala de incapacidade expandida (EDSS) como instrumento para avaliar as disfunções e incapacidades neurológicas durante estes ensaios. Há inúmeras limitações no uso desta escala, predominantemente pelo fato desta ser uma escala que privilegia em demasia a capacidade de marcha dos pacientes. Neste estudo, apresentamos nossos resultados na aplicação do teste de destreza manual da caixa e blocos em indivíduos normais e em portadores de EM. Observamos que 64,8% das mulheres e 80,7% dos homens apresentaram alterações estatisticamente significantes no escore deste teste quando comparados com indivíduos normais. Por sua facilidade de aplicação e sensibilidade em detectar alterações das habilidades motoras em membros superiores, os autores recomendam o emprego deste teste na avaliação do efeito destes medicamentos em pacientes com EM.

Relação entre os desempenhos em diferentes testes frequentemente utilizados na avaliação da função manual

Lima,Kauê Carvalho de Almeida; Francisco,Matheus Menezes; Freitas,Paulo Barbosa de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Paraná Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.96%
INTRODUÇÃO: Testes de Força de Preensão Palmar Máxima (FP Max) e de destreza manual são utilizados como indicativos da função manual . Porém, a FP Max pode ter sua validade questionada, em virtude de raramente exercermos força máxima em tarefas cotidianas. Para investigar a validade da FP Max, examinamos a relação dessa variável com outras obtidas em testes de destreza manual. Ainda, investigamos a relação entre testes de destreza manual. OBJETIVO: Verificar a relação entre a FP Max e o desempenho no Teste de Função Manual de Jebsen e Taylor (TFMJT) e entre o desempenho nesse teste e o desempenho no teste dos Nove Pinos nos Buracos (9-PnB). MÉTODO: Trinta e seis adultos jovens e sadios (18 homens e 18 mulheres) realizaram o TFMJT, seguido do 9-PnB e do teste de FP Max, com ambas as mãos. Foram realizadas análises de correlação entre o desempenho nesses testes. RESULTADOS: Os resultados revelaram a existência de uma relação negativa moderada entre a FP Max e o TFMJT (r < - 0,74), mostrando que, quanto mais forte o indivíduo, menor é o tempo para realizar o TFMJT. Os resultados revelaram, também, uma fraca correlação entre o teste 9-PnB e o TFMJT, somente na mão não dominante. CONCLUSÕES: A FP Max pode ser utilizada como indicativo da FM...

Influência do nível de habilidade e posição corporal no alcance de lactentes

Carvalho,RP; Gonçalves,H; Tudella,E
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.27%
CONTEXTUALIZAÇÃO: Embora o desenvolvimento do alcance em diferentes posições corporais tem sido amplamente estudado, há poucas pesquisas sobre este assunto, considerando o nível de habilidade do lactente. Objetivo: Verificar como as posições corporais afetam os ajustes proximais e distais do alcance manual de lactentes de quatro a seis meses. MATERIAIS E MÉTODOS: Dez lactentes classificados como menos (n=6) e mais habilidosos (n=4) foram avaliados no mês de aquisição do alcance (M1) e após um mês de prática espontânea (M2), nas posições supina (0º), reclinada (45º) e sentada (70º). Foram analisados os ajustes proximais (alcances uni ou bimanuais) e distais (mão aberta, semi-aberta ou fechada), posição das mãos no início do movimento (perto ou longe do corpo) e movimentos de preensão. RESULTADOS: Houve predomínio de alcances unimanuais para os lactentes mais habilidosos. Os lactentes menos habilidosos apresentaram maior freqüência de alcances unimanuais em M1 (sentado) e M2 (supino e sentado). Houve predomínio de alcances com as mãos semi-abertas, exceto para lactentes mais habilidosos em M2 na posição reclinada. Lactentes menos habilidosos apresentaram mãos próximas ao corpo em M1 (reclinado e sentado) e M2 (reclinado)...

Dinamometria de preensão manual como parâmetro de avaliação funcional do membro superior de pacientes hemiparéticos por acidente vascular cerebral

Soares,Antonio Vinicius; Kerscher,Caroline; Uhlig,Loisiane; Domenech,Susana Cristina; Borges Júnior,Noé Gomes
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.4%
A força muscular é a valência física mais importante. É provável que exista correlação entre a força de preensão manual e outros testes para o membro superior afetado por um acidente vascular cerebral (AVC). O propósito deste estudo é analisar o valor preditivo da dinamometria de preensão manual (DPM) para recuperação do membro superior parético por AVC. Foram avaliados 43 pacientes hemiparéticos pós-AVC (60,7 anos±12,1). Vários testes (Escala de movimento da mão (EMM), Estesiometria, Teste de caixa e blocos, 9 buracos e pinos, Escala de Ashworth modificada e Índice de Barthel) foram relacionados com a DPM. Os resultados apontaram que a DPM apresenta boa correlação com EMM e, contrariamente, os testes de destreza manual, a sensibilidade e o índice de independência funcional não apresentaram valores significativos. A DPM é um teste rápido, fácil e acessível, e pode fazer parte dos protocolos de avaliação funcional do membro superior de pacientes hemiparéticos por AVC.

Avaliação da função manual e da força de preensão palmar máxima em indivíduos com diabetes mellitus

Lima,Kauê Carvalho de Almeida; Freitas,Paulo Barbosa de
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.35%
O sucesso na realização de atividades manipulativas é crucial para um estilo independente. Como os diabéticos podem apresentar alterações sensoriais nas mãos, podem demonstrar alterações funcionais em tarefas manipulativas. Assim, o objetivo deste estudo foi comparar o desempenho de indivíduos diabéticos não neuropatas com o de não diabéticos em tarefas manipulativas e na capacidade de geração de força de preensão palmar máxima. Treze diabéticos sem diagnóstico de neuropatia (48,6±11,51 anos; 79,9±10,88 kg; 1,68 ±0,09 m) e 13 controles pareados por sexo e idade (48,5±10,09 anos; 76,44±11,79 kg; 1,69±0,1 m) participaram do estudo. A sensibilidade das mãos foi avaliada por meio do kit de monofilamentos Semmes-Weinstein e, em seguida, foram aplicados três testes comumente utilizados para avaliação da função manual na seguinte ordem: teste de função manual Jebsen Taylor (TFMJT), teste dos nove pinos nos buracos (9-PnB) e teste de força de preensão palmar máxima (FPmax). Os resultados do teste de sensibilidade cutânea indicaram que oito diabéticos apresentaram sensibilidade cutânea normal e cinco, alguma alteração sensorial detectável pelo monofilamento, a qual, no entanto, não os caracterizavam como neuropatas. Com relação aos testes funcionais...

Força de preensão e destreza manual na criança com Síndrome de Down

Priosti,Paula Aivazoglou; Blascovi-Assis,Silvana Maria; Cymrot,Raquel; Vianna,Denise Loureiro; Caromano,Fátima Aparecida
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
57.11%
Crianças com Síndrome de Down (SD) apresentam atraso na aquisição das habilidades motoras em relação às crianças com desenvolvimento normal, podendo interferir em atividades como a força de preensão e a destreza manual. A avaliação destas atividades pode fornecer indicadores de desempenho nas atividades diárias. O objetivo deste estudo foi analisar a correlação entre força de preensão e destreza manual em crianças com SD e crianças saudáveis com idade entre 7 e 9 anos. Participaram 26 crianças com SD, de ambos os sexos, que constituíram o Grupo SD, e 30 crianças saudáveis, compondo o Grupo Controle (GC). A avaliação da força de preensão foi realizada com o dinamômetro Jamar, e a da destreza manual pelo Teste Caixa e Blocos. O Grupo SD apresentou desempenho inferior tanto na força de preensão quanto na destreza manual, quando comparado ao GC; não houve correlação significativa entre a força de preensão e a destreza manual no Grupo SD; no GC esta correlação existiu; não houve diferença de desempenho entre os sexos para os itens avaliados; o desempenho nos testes de força de preensão e destreza manual no GC mostrou uma evolução com o decorrer da idade; no Grupo SD esta evolução não ocorreu. Conclui-se que foram encontradas diferenças no desempenho dos dois grupos...

Desempenho motor e estado nutricional de escolares com e sem transtorno do desenvolvimento da coordenação

Miranda,Talita Barbosa; Beltrame,Thaís Silva; Cardoso,Fernando Luiz
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.37%
O objetivo desse estudo foi investigar o desempenho motor e o estado nutricional de escolares de 7 a 10 anos de idade, com e sem Transtorno do Desenvolvimento da Coordenação (TDC). Participaram do estudo, 380 escolares de escolas públicas de Florianópolis -SC -Brasil. Para a identificação de dificuldades motoras, foi utilizado o Movement Assessment Battery for Children (MABC-2) e para a avaliação do estado nutricional, foram realizadas medidas antropométricas de peso e altura e cálculo do IMC. Os resultados demonstraram que 6,1% (n=23) apresentaram TDC, sendo 18 meninos e 5 meninas. No grupo com TDC, observou-se diferença significativa entre as habilidades de destreza manual e habilidades de lançar/receber e entre as habilidades de lançar/receber e equilíbrio. Quanto ao estado nutricional, 85,5% dos escolares, em geral, apresentaram eutrofia e 12,9% apresentaram sobrepeso/obesidade. No grupo com TDC, 91,3% obtiveram eutrofia e 8,7% apresentaram sobrepeso. Não houve associação entre o estado nutricional e desempenho motor entre os dois grupos, o que nos leva a perceber que o estado nutricional não influenciou o desempenho motor dos escolares avaliados.

Desempenho Manual do Membro Superior Ipsilesional em Indivíduos com Acidente Vascular Encefálico

Alves, Katia
Fonte: Instituto Politécnico do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
Introdução: nos pacientes que sofreram um Acidente Vascular Encefálico são incididos programas de reabilitação que visam principalmente o hemicorpo contralesional, negligenciando o lado ipsilesional. Porém, estão descritas alterações sensitivas e motoras do membro superior ipsilesional neste grupo populacional. Objetivo: avaliar os défices de sensibilidade, destreza grossa e fina e força de preensão da mão ipsilesional em indivíduos com diagnóstico de Acidente Vascular Encefálico, comparando o sexo, o hemisfério cerebral onde se localiza a lesão, a fase aguda e crónica, tendo como referência um grupo controlo. Metodologia: este estudo observacional de carácter analítico transversal foi constituído por 34 indivíduos em que 18 deles tem diagnóstico de Acidente Vascular Encefálico e 16 sem défices neurológicos. A avaliação foi iniciada com um questionário para recolha de informações dos participantes e de seguida foram aplicados instrumentos de avaliação num só momento com o mesmo examinador. Para avaliar a sensibilidade foi usado o Moving Touch-Pressure Test, para a força o Dinamómetro Baseline®, na avaliação da destreza grossa o Teste Caixa e Blocos e por fim a destreza fina com o Purdue Pegboard Test. Estatisticamente recorreu-se ao teste T-student para amostras independentes com nível de significância de 0...

Avaliação da capacidade funcional dos membros superiores por meio do TEMPA: Valores de referência, efeito da idade, gênero, dominância e relação com a destreza; Upper extremity evaluation test through TEMPA: Reference values, age, gender, dominance effect and relation to dexterity

Michaelsen, Stella Maris; Ovando, Angélica Cristiane; Natalio, Mavie Amaral; Mazo, Giovana Zarpellon; Rodrigues, Letícia Cardoso
Fonte: Edições Desafio Singular Publicador: Edições Desafio Singular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.98%
Os objetivos do estudo foram verificar o efeito da idade, gênero e dominância na capacidade funcional dos membros superiores (MMSS), desenvolver valores de referência para a versão brasileira do TEMPA (Test d’Evaluation de la performance des Membres supérieurs dês Personnes Agées; teste de função dos MMSS) e verificar a relação entre a destreza digital e manual e a capacidade funcional dos MMSS. Participaram 281 indivíduos acima de 40 anos. As destrezas manual e digital foram avaliadas, respectivamente, através do Box and Blocks Test (BBT) e do Nine Hole Peg Test (NHPT). A ANOVA foi utilizada para avaliar o efeito da idade, do sexo e lateralidade. O coeficiente de correlação de Pearson foi usado para avaliar a relação entre a destreza e o TEMPA. Nas faixas etárias de 70-79 e acima dos 80 anos observou-se um declínio nas tarefas do TEMPA comparativamente às faixas etárias inferiores. Não foram observadas diferenças significativas entre as faixas etárias de 40-49, 50-59 e 60-69 anos, em nenhuma das tarefas. O declínio da destreza digital nas mulheres e da destreza manual nos homens apresentou correlação com a diminuição da função dos MMSS. Conhecer os efeitos do envelhecimento na função dos MMSS e o impacto das alterações de destreza é importante para identificar mudanças patológicas que afetam os MMSS.; The purpose of this study was to verify the effect of age...

Avaliação da função manual e da força de preensão palmar máxima em indivíduos com diabetes mellitus; Hand function and power grip strength assessment in individuals with diabetes mellitus

Lima, Kauê Carvalho de Almeida; Freitas, Paulo Barbosa de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.35%
O sucesso na realização de atividades manipulativas é crucial para um estilo independente. Como os diabéticos podem apresentar alterações sensoriais nas mãos, podem demonstrar alterações funcionais em tarefas manipulativas. Assim, o objetivo deste estudo foi comparar o desempenho de indivíduos diabéticos não neuropatas com o de não diabéticos em tarefas manipulativas e na capacidade de geração de força de preensão palmar máxima. Treze diabéticos sem diagnóstico de neuropatia (48,6±11,51 anos; 79,9±10,88 kg; 1,68 ±0,09 m) e 13 controles pareados por sexo e idade (48,5±10,09 anos; 76,44±11,79 kg; 1,69±0,1 m) participaram do estudo. A sensibilidade das mãos foi avaliada por meio do kit de monofilamentos Semmes-Weinstein e, em seguida, foram aplicados três testes comumente utilizados para avaliação da função manual na seguinte ordem: teste de função manual Jebsen Taylor (TFMJT), teste dos nove pinos nos buracos (9-PnB) e teste de força de preensão palmar máxima (FPmax). Os resultados do teste de sensibilidade cutânea indicaram que oito diabéticos apresentaram sensibilidade cutânea normal e cinco, alguma alteração sensorial detectável pelo monofilamento, a qual, no entanto, não os caracterizavam como neuropatas. Com relação aos testes funcionais...

Força de preensão e destreza manual na criança com Síndrome de Down; Fuerza de prensión y destreza manual en el niño con Síndrome de Down; Grip strength and manual dexterity in Down Syndrome children

Priosti, Paula Aivazoglou; Blascovi-Assis, Silvana Maria; Cymrot, Raquel; Vianna, Denise Loureiro; Caromano, Fátima Aparecida
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/09/2013 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
47.28%
Crianças com Síndrome de Down (SD) apresentam atraso na aquisição das habilidades motoras em relação às crianças com desenvolvimento normal, podendo interferir em atividades como a força de preensão e a destreza manual. A avaliação destas atividades pode fornecer indicadores de desempenho nas atividades diárias. O objetivo deste estudo foi analisar a correlação entre força de preensão e destreza manual em crianças com SD e crianças saudáveis com idade entre 7 e 9 anos. Participaram 26 crianças com SD, de ambos os sexos, que constituíram o Grupo SD, e 30 crianças saudáveis, compondo o Grupo Controle (GC). A avaliação da força de preensão foi realizada com o dinamômetro Jamar, e a da destreza manual pelo Teste Caixa e Blocos. O Grupo SD apresentou desempenho inferior tanto na força de preensão quanto na destreza manual, quando comparado ao GC; não houve correlação significativa entre a força de preensão e a destreza manual no Grupo SD; no GC esta correlação existiu; não houve diferença de desempenho entre os sexos para os itens avaliados; o desempenho nos testes de força de preensão e destreza manual no GC mostrou uma evolução com o decorrer da idade; no Grupo SD esta evolução não ocorreu. Conclui-se que foram encontradas diferenças no desempenho dos dois grupos...

Dinamometria de preensão manual como parâmetro de avaliação funcional do membro superior de pacientes hemiparéticos por acidente vascular cerebral; Handgrip dynamometry as a parameter of functional evaluation of the upper extremity hemiparetic after stroke

Soares, Antonio Vinicius; Kerscher, Caroline; Uhlig, Loisiane; Domenech, Susana Cristina; Borges Júnior, Noé Gomes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.43%
A força muscular é a valência física mais importante. É provável que exista correlação entre a força de preensão manual e outros testes para o membro superior afetado por um acidente vascular cerebral (AVC). O propósito deste estudo é analisar o valor preditivo da dinamometria de preensão manual (DPM) para recuperação do membro superior parético por AVC. Foram avaliados 43 pacientes hemiparéticos pós-AVC (60,7 anos±12,1). Vários testes (Escala de movimento da mão (EMM), Estesiometria, Teste de caixa e blocos, 9 buracos e pinos, Escala de Ashworth modificada e Índice de Barthel) foram relacionados com a DPM. Os resultados apontaram que a DPM apresenta boa correlação com EMM e, contrariamente, os testes de destreza manual, a sensibilidade e o índice de independência funcional não apresentaram valores significativos. A DPM é um teste rápido, fácil e acessível, e pode fazer parte dos protocolos de avaliação funcional do membro superior de pacientes hemiparéticos por AVC.; Muscle strength is the most important physical valence. It is likely that there is a correlation between handgrip strength and other tests for the upper extremity affected by stroke. The purpose of this study is to analyze the predictive value of handgrip dynamometry (HD) for upper limb recovery in stroke. Were studied 43 hemiparetic patients after stroke (60.7 years±12.1). Several tests (Hand moviment scale (HMS)...

Relação entre destreza manual e legibilidade da escrita em crianças: estudo piloto; Relation between manual dexterity and handwriting legibility in children: pilot study

Magalhães, Lívia de Castro; Rezende, Márcia Bastos; Cardoso, Ana Amélia; Galvão, Beatriz Arruda Pereira; Maor, Fernanda Mara Oliveira de Miranda
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2011 POR
Relevância na Pesquisa
57.08%
OBJETIVO: Examinar a relação entre legibilidade de escrita, destreza manual, coordenação visomotora e discriminação tátil na mão em crianças de 1ª e 2ª séries do ensino fundamental. MÉTODOS: Foram avaliadas 40 crianças, divididas em quatro grupos, com os instrumentos: Avaliação da Coordenação e Destreza Motora (ACOORDEM) e o Beery-Buktenica Developmental Test of Visual-Motor Integration (VMI). A classificação da legibilidade como boa ou ruim foi realizada por duas pedagogas. RESULTADOS: Ao comparar o desempenho dos grupos da 1ª série, o teste Mann-Whitney identificou diferenças significativas em 5 itens da ACOORDEM e no VMI. Entre os grupos da 2ª série, o teste estatístico apontou diferenças significativas em 7 itens da ACOORDEM. CONCLUSÃO: Resultados refirmam a idéia de que a coordenação visomotora é componente relevante para crianças que 1ª série, que estão na fase inicial de aquisição da escrita, entretanto os dados relativos à destreza manual e discriminação tátil na mão foram inconsistentes.; AIM: To examine the relationship between handwriting legibility, manual dexterity, visuomotor coordination and manual tactile discrimination in 1st and 2nd grade children. METHODS: Forty children divided in four groups were evaluated with the Avaliação da Coordenação e Destreza Motora (ACOORDEM) and the Beery-Buktenica Developmental Test of Visual-Motor Integration (VMI). Legibility was rated as good or poor by two pedagogues. RESULTS: When comparing the performance of the 1rst grade children...

Uso do teste caixa e blocos na avaliação de destreza manual em crianças e jovens com síndrome de Down; Box and block test in motor dexterity evaluation to children and young people with Down syndrome

Guimarães, Renata; Blascovi-Assis, Silvana Maria
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
57.13%
Este estudo objetivou avaliar a destreza manual de crianças e adolescentes com síndromede Down (SD) nas idades de 7, 8, 9, 14 e 15 anos, utilizando o Teste de Caixa e Blocos(TCB). Participaram 50 crianças e jovens com SD, de ambos os sexos, que compuseram o grupoestudado (GSD), e 50 sem a síndrome, constituindo o grupo controle (GC). O teste foi aplicadoindividualmente em cada participante nas instituições colaboradoras no interior do Estado de SãoPaulo após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie.Os resultados indicaram que há desvantagem na destreza manual dos participantes com SD quandocomparados ao GC. Observou-se também que não houve alteração estatisticamente signifi cativa nadestreza manual para o GSD entre as idades de 7 a 9 anos em comparação com as idades de 14 e 15anos (7a = 30 Blocos Por Minuto, 8a = 29 BPM, 9a = 29 BPM), (14a = 32 BPM, 15a = 34 BPM),evidenciando que quase não há evolução na destreza manual com a idade. O GC apresentou evoluçãode destreza manual proporcional à idade dos participantes (7a = 63 BPM, 8a = 66 BPM,9a = 68 BPM, 14a = 80 BPM, 15a = 81 BPM). Adicionalmente, foram observadas diferenças naforma de preensão dos blocos nos participantes do GSD...

Desempenho motor e estado nutricional de escolares com e sem transtorno do desenvolvimento da coordenação. DOI: 10.5007/1980-0037.2011v13n1p59; Motor performance and nutritional status of schoolchildren with and without developmental coordination disorder. DOI: 10.5007/1980-0037.2011v13n1p59

Miranda, Talita Barbosa; Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil; Beltrame, Thaís Silva; Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópopolis, SC. Brasil; Cardoso, Fernando Luiz; Universidade do Estado de Santa Catarina.
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; ; Avaliado por Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 29/12/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
36.53%
O objetivo desse estudo foi investigar o desempenho motor e o estado nutricional de escolares de 7 a 10 anos de idade, com e sem Transtorno do Desenvolvimento da Coordenação (TDC). Participaram do estudo, 380 escolares de escolas públicas de Florianópolis –SC –Brasil. Para a identificação de dificuldades motoras, foi utilizado o Movement Assessment Battery for Children (MABC-2) e para a avaliação do estado nutricional, foram realizadas medidas antropométricas de peso e altura e cálculo do IMC. Os resultados demonstraram que 6,1% (n=23) apresentaram TDC, sendo 18 meninos e 5 meninas. No grupo com TDC, observou-se diferença significativa entre as habilidades de destreza manual e habilidades de lançar/receber e entre as habilidades de lançar/receber e equilíbrio. Quanto ao estado nutricional, 85,5% dos escolares, em geral, apresentaram eutrofia e 12,9% apresentaram sobrepeso/obesidade. No grupo com TDC, 91,3% obtiveram eutrofia e 8,7% apresentaram sobrepeso. Não houve associação entre o estado nutricional e desempenho motor entre os dois grupos, o que nos leva a perceber que o estado nutricional não influenciou o desempenho motor dos escolares avaliados.; The objective of this study was to investigate the motor performance and nutritional status of schoolchildren aged 7 to 10 years with developmental coordination disorder (DCD). A total of 380 children from public schools in Florianópolis...

Avaliação da capacidade funcional dos membros superiores por meio do TEMPA: Valores de referência, efeito da idade, gênero, dominância e relação com a destreza

Michaelsen,S.M.; Ovando,A.C.; Natalio,M.A.; Mazo,G.Z.; Rodrigues,L.C.
Fonte: Edições Desafio Singular Publicador: Edições Desafio Singular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.96%
Os objetivos do estudo foram verificar o efeito da idade, gênero e dominância na capacidade funcional dos membros superiores (MMSS), desenvolver valores de referência para a versão brasileira do TEMPA (Test d’Evaluation de la performance des Membres supérieurs dês Personnes Agées; teste de função dos MMSS) e verificar a relação entre a destreza digital e manual e a capacidade funcional dos MMSS. Participaram 281 indivíduos acima de 40 anos. As destrezas manual e digital foram avaliadas, respectivamente, através do Box and Blocks Test (BBT) e do Nine Hole Peg Test (NHPT). A ANOVA foi utilizada para avaliar o efeito da idade, do sexo e lateralidade. O coeficiente de correlação de Pearson foi usado para avaliar a relação entre a destreza e o TEMPA. Nas faixas etárias de 70-79 e acima dos 80 anos observou-se um declínio nas tarefas do TEMPA comparativamente às faixas etárias inferiores. Não foram observadas diferenças significativas entre as faixas etárias de 40-49, 50-59 e 60-69 anos, em nenhuma das tarefas. O declínio da destreza digital nas mulheres e da destreza manual nos homens apresentou correlação com a diminuição da função dos MMSS. Conhecer os efeitos do envelhecimento na função dos MMSS e o impacto das alterações de destreza é importante para identificar mudanças patológicas que afetam os MMSS.