Página 1 dos resultados de 450 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Desinstitucionalização do doente mental

Bragança, Orlando dos Anjos
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
O presente trabalho de dissertação de mestrado objectiva realizar uma reflexão sobre a “desinstitucionalização do doente mental através do acolhimento na família”. Esta temática surgiu-nos na sequência do Plano Nacional de Saúde Mental (2007-2016), que visa a promoção e reabilitação psicossocial do doente mental. O caminho metodológico percorrido foi o de, primeiro, priviligiar uma dimensão de revisão bibliográfica quanto à temática da desinstitucionalização e, segundo, realizar um estudo empírico com o objectivo de compreender exploratoriamente a problemática do ponto de vista dos seus intervenientes directos, para o que procedemos à realização de entrevistas semi-estruturadas a cuidadores formais e informais e a indivíduos institucionalizados e não institucionalizados, de forma a recolhermos as suas percepções sobre a problemática e, através do cruzamento dos dados obtidos, chegarmos a um novo entendimento e perspectivas do mesmo. Reconhecemos a necessidade de analisar a desinstitucionalização para que a emancipação do portador de doença mental possa ser entendida e o consequente acolhimento na família seja uma realidade. Também consideramos que o educador social poderá ter aí um papel importante...

O trabalho como estratégia de desinstitucionalização e emancipação na saúde mental; Work as strategy of deinstitutionalization and emancipation in mental health

Taleikis, Paula Urzúa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este estudo tem por finalidade contribuir com a reflexão sobre a utilização do trabalho nas propostas reabilitadoras de desinstitucionalização no contexto da Reforma Psiquiátrica Brasileira, buscando compreender o sentido do trabalho e algumas concepções que norteiam as experiências de trabalho no campo da saúde mental. O objeto desta pesquisa, portanto, são as oficinas de trabalho que se orientam pelo trabalho cooperado, entendidas como uma possibilidade de subverter a lógica excludente e normatizadora da relação trabalho e saúde mental que historicamente pautou a relação sociedade/loucura e as instituições (assistenciais, jurídicas, sociais, culturais) que imbuídas dessa lógica vitimaram as pessoas com sofrimento mental, culminando com variados tipos de violência e desumanização. Para compreender esse processo de transformações complexo, fundamentamos o estudo na abordagem dialética, uma vez que possibilita buscar a essência do trabalho a partir da sua expressão na aparência, entendendo como algo em permanente movimento dialético, carregado de conflitos e contradições. Para os autores dessa abordagem o trabalho é considerado um elemento central da realidade, mas deve ser compreendido como historicamente determinado e somente a partir da sua totalidade pode se compreender sua forma particular...

Um estudo sobre o processo de desinstitucionalização das práticas contábeis de correção monetária em empresas brasileiras; A study on the desinstitutionalization process of inflation-adjusted accounting practices in Brazilian companies

Rezende, Amaury José
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.56%
Diante dos problemas econômicos e sociais ocasionados pelo fenômeno da inflação nas últimas décadas, foi instituído, no Brasil, em 1994, o Plano Real, cujo objetivo era controlar os altos níveis de inflação vivenciados nas últimas décadas e alcançar a estabilidade econômica. Nesse contexto, a obrigatoriedade das práticas de correção monetária institucionalizadas foi destituída e institui-se Lei proibindo a publicação de demonstrações contábeis corrigidas. Iniciou-se, então, o processo de desinstitucionalização das práticas contábeis de correção monetária nas empresas brasileiras. Este trabalho teve como objetivo analisar o processo de desinstitucionalização das práticas contábeis de correção monetárias em empresas brasileiras. Os pressupostos teóricos utilizados nesta pesquisa foram baseados na teoria institucional que representa uma abordagem sociológica interpretativa do comportamento humano, que reconhece fenômenos de racionalidade limitada e o caráter político da ação social. Esta abordagem fundamenta-se num modelo político, no qual o comportamento social é pautado pela legitimização e pela conformidade a padrões socialmente impostos pela socialização dos indivíduos, pelos contextos das organizações e pelos mercados. Os modelos utilizados nas análises empíricas foram baseados nas abordagens propostas por Oliver (1992) e DiMaggio e Powell (1983). A estratégia de pesquisa utilizada compreendeu aplicação de questionários e entrevistas numa população de 118 empresas brasileiras...

Utopia da realidade : contribuições da desinstitucionalização para a invenção de serviços de saude mental

Maria Fernanda de Silvio Nicacio
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Nas duas últimas décadas, o campo da atenção psiquiátrica no Brasil tem sido marcado por um processo de críticas e de propostas de transformação denominado reforma psiquiátrica. No final dos anos 1980, a insígnia ?Por uma sociedade sem manicômios?, formulada pelo Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental, produziu uma ruptura com os marcos conceituais e as estratégias políticas e operativas até então delineados e abriu um novo campo de possibilidades e de desafios éticos, teóricos, sociais, institucionais e jurídicos. Na década de 1990, a afirmação dos direitos de cidadania das pessoas com transtornos mentais e a superação do modelo asilar foram definidas com as principais diretrizes para o processo de reforma e para a implementação da política nacional de saúde mental, engendrando mudanças significativas nas dimensões assistencial, legislativa e sociocultural. Atualmente, não obstante a difusão das proposições da reforma e a produção de um amplo conjunto de iniciativas, o panorama nacional evidencia a centralidade do modelo asilar e o movimento instituinte de criação de novos serviços e experiências. A produção de projetos locais e de serviços substitutivos, em particular de serviços de atenção psicossocial...

A desinstitucionalização e as alternativas habitacionais ao dispor de indivíduos com perturbações mentais: Um novo modelo habitacional – A habitação apoiada

Maria, Susana; ISPA-IU; Sousa, Fernando; Fundação António Silva Leal
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Desde o início do processo de desinstitucionalização que este se tem vindo a deparar com dificuldades. Passando pelos poucos recursos ao dispor dos serviços de saúde mental, à tendência para trabalhar com os elementos que apresentam maiores probabilidades de sucesso, à não articulação entre os serviços hospitalares e os centros comunitários de saúde mental, até à falta de investimentos em alternativas habitacionais de carácter permanente. Estas têm sido algumas das situações a que os consumidores de serviços de saúde mental se têm sujeitado.Actualmente, assistimos à emergência de um paradigma que assenta na crença de que se deverá prestar apoio a estes consumidores numa casa tipicamente normal, com uma vivência na comunidade, em que o apoio é disponibilizado consoante as necessidades de cada indivíduo sem que exista uma limitação temporal à sua prestação.Torna-se assim necessário criar novospapéis para os técnicos, no sentido de que estes ajudem os consumidores a escolher, a obter, e a manter uma habitação. É pois urgente o desenvolvimento de um conjunto diversificado de alternativas habitacionaisque se baseiem nos recursos e capacidades das comunidades locais, no sentido de garantir que o processode desinstitucionalização se conclua com sucesso.

A reforma e os hospitais psiquiátricos: histórias da desinstitucionalização

Goulart,Maria Stella Brandão; Durães,Flávio
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Esta pesquisa investigou como o processo de Reforma da Política de saúde mental repercutiu no mais antigo hospital psiquiátrico público de Belo Horizonte, o Instituto Raul Soares, resultando em iniciativas institucionais que procuravam responder à crítica aos asilos e à cultura manicomial que emergiu desde os anos 60 (século XX, em Minas Gerais). Trata-se de um esforço historiográfico, realizado em 2007, que trabalhou com fontes documentais e orais (entrevistas com psiquiatras, psicólogos, enfermeiros e outros), recuperando informações sobre as décadas de 60, 70 e 80. O referencial teórico foi o da Análise Institucional. Foram enfocadas iniciativas instituintes que tomaram a forma de projetos assistenciais e de formação que objetivavam a reestruturação do hospital: o Ambulatório Central Roberto Resende; a Residência em Psiquiatria, o Projeto Guimarães Rosa e o Hospital Dia. São evidenciados os paradigmas de referência e o contraditório processo de desinstitucionalização.

O trabalho do profissional de saúde mental em um processo de desinstitucionalização

Honorato,Carlos Eduardo de Moraes; Pinheiro,Roseni
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
O artigo apresenta um recorte da pesquisa realizada em 2006 sobre o trabalho dos profissionais de saúde mental responsáveis pelo acompanhamento a moradores dos serviços residenciais terapêuticos do município de Carmo, no Estado do Rio de Janeiro. Estas moradias constituem uma etapa do processo de desinstitucionalização de um hospital psiquiátrico estadual do tipo colônia agrícola, fundado na década de 1940, onde estavam internados cerca de 280 pacientes. A partir de 2003, com a extinção do hospital, coordenada pelo gestor estadual, e a municipalização dos recursos, uma pequena parcela dos internos retornou ao seio familiar, mas a maioria (153) foi alocada em moradias assistidas, espalhadas pelas áreas urbana e rural do município. Tomando a tarefa de reinserção social como parte do viés político da Reforma Psiquiátrica brasileira, o trabalho cotidiano da equipe multiprofissional é focalizado. Neste plano relacional do trabalho, utilizamos a abordagem ergológica como arcabouço conceitual para a análise dos processos de trabalho. Iremos nos deter na discussão do trabalho junto à sociedade civil, em que o investimento dos técnicos visa a mudança do estatuto social do louco. No cotidiano, a experiência dos técnicos envolvidos mais diretamente com os moradores...

O cuidado interdisciplinar à família do portador de transtorno mental no paradigma da desinstitucionalização

Waidman,Maria Angélica Pagliarini; Elsen,Ingrid
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Estudo bibliográfico que objetivou identificar nos estudos sobre desinstitucionalização e família as referências sobre o cuidado multi e interdisciplinar em saúde mental e apreender as categorias que emergem sobre a temática analisada. Foram analisados 41 estudos, 4 teses de doutorado e 10 dissertações de mestrado em enfermagem, 2 dissertações de medicina e 25 artigos publicados em periódicos nacionais de enfermagem e medicina. A técnica de análise de conteúdo utilizada foi a de Bardin. Foram encontradas três categorias: crítica ao cuidado oferecido por alguns profissionais; a necessidade de preparo do profissional para cuidar de famílias de portadores de transtorno mental e; a importância do profissional enquanto agente da desinstitucionalização e resinserção social do portador de transtorno mental. O trabalho interdisciplinar em saúde mental é um dos pressupostos para que a desinstitucionalização seja efetiva, porém, conforme pode ser observado neste estudo, os profissionais apresentam dificuldades em desenvolver essa forma de trabalho.

Reflexões sobre a gestão de processos de desinstitucionalização

Lucena,Marcela Adriana da Silva; Bezerra,Adriana Falangola Benjamin
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
O tema a ser tratado neste artigo encontra-se dentro do campo da saúde mental e, mediante revisão conceitual, realiza considerações sobre a gestão de processos de desinstitucionalização de pessoas com internação psiquiátrica de longa permanência, abordando elementos acerca da formação e lógica asilar, assim como sobre a engrenagem necessária para a efetivação da mudança de seu paradigma e de suas práticas, considerando a desinstitucionalização e a reabilitação psicossocial como eixos centrais. Realiza reflexão sobre a ação gerencial comprometida com o modelo psicossocial, atrelando a mesma à aplicação dos componentes do cuidado, indo para além da articulação das ferramentas da política de saúde mental. A partir da reflexão teórica, traz indicativos referentes aos processos de qualificação dos trabalhadores de saúde mental, à desinstitucionalização como pauta para pactuação de gestão no SUS e à ação tripartite com corresponsabilização nas ações e financiamento. Nas considerações finais reconhece os obstáculos burocráticos no âmbito público e propõe como desafio gerencial o enfrentamento destes e a indução de processos de mudança que possam radicalmente se comprometer com a vida das pessoas...

A política de saúde mental em Recife : caminhos da desinstitucionalização

Isi da Silva Maia, Ana; Salazar Uchôa, Roberta (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.62%
Movimento pela Reforma Psiquiátrica Brasileira tinha como principal proposta a mudança no modelo de atenção à saúde mental, com substituição progressiva de leitos psiquiátricos por serviços extra-hospitalares. As primeiras experiências foram iniciadas na década de 1980, através da criação, em alguns municípios, de serviços extra-hospitalares para tratamento de pessoas com transtornos mentais. A década de 1990 foi marcada pela continuidade da implementação e regulamentação dos novos dispositivos em diversas localidades do país, tendo como foco a desinstitucionalização. No início do século XXI, houve o incentivo do Governo Federal para a adesão municipal ao novo modelo de atenção à saúde mental, seguindo as propostas da Reforma Psiquiátrica, diminuindo os leitos psiquiátricos e, proporcionalmente, aumentando os serviços substitutivos. Assim como propunha o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional, diminuindo os custos e racionalizando os serviços. Recife (PE), na década de 1990, era considerado um dos maiores pólos de hospitais psiquiátricos do país, devido a concentração dos hospitais do estado, na capital. Em 2000, a rede de atenção à saúde mental em Recife era composta...

O Serviço Residencial Terapêutico: cartografias de um híbrido no contexto da desinstitucionalização em saúde mental

Amorim, Ana Karenina de Melo Arraes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social; Psicologia Social; Processos Psicossociais; Relações de Poder e Sociedade Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social; Psicologia Social; Processos Psicossociais; Relações de Poder e Sociedade
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
This thesis seeks to uphold the idea that the therapeutic residential service, as hybrid device and recent process of deinstitutionalization in mental health, works as a problem producer while it also indicates challenges and potentialities in this process, the attention on mental health and on its own care production. To that end, we work with the prospect map with which we approach reality as the subjectivities production field which transformations and intensities are the major thought propellants. From this perspective, it was possible to produce three "purpose maps" from meetings with actors and groups involved with the TRS and the theoretical study carried out. On the first map we mapped the conditions of possibility of this device and its design in the midst of the process of institutionalization and health policies. We indicate on it the TRS configuration as a hybrid and we hassled its proposition as a means of "social rehabilitation" that can work as a social homogeneity mechanism. On a second map, we cartographied mental captures through images and ways historically built from madness presented in the biopolitical contemporary game and we indicated that the resistance to such catches should be built on a politic daily basis as important vectors of the institutionalization process in mental health. Finally...

Abrigar... Desabrigar: conhecendo o papel das famílias no processo de institucionalização / desinstitucionalização de abrigados; Shelter... deprive of shelter: knowing the role of families in the institutionalization/disinstitutionalization of sheltered adolescents

Azôr, Ana Mafalda Guedes Cabral Caminha Vasselo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este estudo objetivou conhecer o processo de institucionalização/desinstitucionalização do adolescente, abrigado por um período de tempo em uma instituição do município de Uberaba, por meio da ótica do genitor e do adolescente. Foram apontados os aspectos que contribuíram para o abrigamento do adolescente; as alterações ocorridas na estrutura familiar durante o período de abrigamento; os aspectos que contribuíram para a reinserção do adolescente na família biológica e a situação das famílias após a desinstitucionalização dos filhos. Esta pesquisa, que tem cunho qualitativo, realizou-se com cinco famílias, em suas respectivas casas, escolhidas em função de critérios definidos a priori. Utilizaram-se entrevistas semiestruturadas com o(s) genitor(es), adolescentes e diretor do abrigo; fichas de identificação socioeconômica; foram verificados os livros de registros do abrigo; as pastas arquivadas com informações dos adolescentes e diários de campo da pesquisa. Através das entrevistas e das fichas de identificação, analisaram-se os seguintes aspectos: processo de institucionalização; período de abrigamento; período de desligamento; representação da instituição e situação atual das famílias. Os dados...

Estudo do Impacto da Desinstitucionalização de doentes e /ou deficientes mentais no seu Bem-Estar Psicológico: Uma Experiência de Reabilitação Psicossocial – “Quinta Pedagógica das Romãzeiras”

Almeida, Ana Carolina Cordeiro de
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.67%
O presente estudo analisa uma experiência de desinstitucionalização de pacientes que se encontravam internadas na Casa de Saúde Rainha Santa Isabel, em Condeixa-a- Nova, visando a sua inserção socio-comunitária, através da integração num projecto, que tem por nome “Quinta Pedagógica das Romãzeiras” apoiado num programa de reabilitação psicossocial (THS – Treino de Habilidades Sociais) e de Actividades de Vida Diária (AVDs). O universo do estudo compreendeu um grupo de vinte pacientes que foram acompanhados na sua trajectória de desinstitucionalização e avaliados em dois momentos com um intervalo de oito meses. A primeira avaliação foi feita antes da desinstitucionalização de modo a obter os valores relativos ao estado psicológico e psicopatológico das utentes internadas. A segunda avaliação foi feita após a desinstitucionalização e a intervenção da equipa técnica através do respectivo projecto de reabilitação psicossocial. As duas áreas avaliadas foram: O índice Geral de Sintomas Psicopatológicos (Sintomatologia Psiquiátrica) e o nível de Bem-Estar Psicológico. Os resultados deste estudo apontam no sentido, globalmente, existirem mudanças positivas consideradas estatisticamente significativas nos índices de sintomatologia...

Ensaio teórico sobre desinstitucionalização em saúde mental: O Programa de Volta para Casa (PVC)

Silva, Marcelle Luzia Lyra da
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Esta pesquisa diz respeito a um ensaio teórico que tem como objetivo compreender a desinstitucionalização de pacientes de saúde mental em especial o Programa de Volta para Casa. Para a revisão bibliográfica foram utilizados artigos científicos e para os princípios que regem o programa portarias e manuais do portal do Ministério da Saúde. O Programa de Volta para Casa consiste em uma das principais estratégias de desinstitucionalização para pacientes com transtorno mental através da reabilitação psicossocial que é um marco importante da reforma psiquiátrica, visando a promoção da cidadania, e a reabilitação psicossocial. Portanto conclui-se que o programa busca resgatar os direitos civis, o bem estar e autonomia dessas pessoas.; Psicologia

A desinstitucionalização: limites e possibilidades; Opportunities and limits of deinstitutionalization

Venturini, Ernesto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
A desinstitucionalização dentro de um significado mais abrangente a ser atribuído ao ato de curar e reconhecer dois diferentes paradigmas: o "cuidar" e o "curar por meio da terapia". Na dialética entre os dois se introduz um pensamento que se apresenta como uma verdadeira "revolução copernicana": é a perspectiva desenvolvida pela desinstitucionalização, que mais do que um tratamento consiste em um crescimento da pessoa. Como exemplo desta dialética trata-se o assunto dos manicômios judiciários. Na Itália foram totalmente fechados os manicômios desde 1978, mas permanecem 6 pequenos hospitais psiquiátricos judiciários, por dependerem do Ministério da Justiça, não envolvido na reforma da psiquiatria. Hoje criaram-se as premissas para uma efetiva superação dos manicômios judicíarios, mas o sucesso do projeto depende da disponibilidade dos "Centros de Saúde Mental" de assumir tarefa de cuidar dos pacientes que cometeram crime. Os serviços que põem em prática uma desinstitucionalização incompleta revelam-se indisponiveis, ao contrário do serviços daquele que se baseiam em uma desinstitucionalização de fato. Todavia o autor sugere sobretudo uma leitura crítica dos conceitos de imputabilidade e de periculosidade social para a doente mental: até quando eles permaneceram não poderemos nos libertar realmente da ideia do manicômio.; The meaning of "cure" in medicine is examined...

Uma análise do processo de desinstitucionalização de práticas contábeis de correção monetária em empresas brasileiras; An analysis of the deinstitutionalization of inflation-adjusted accounting practices in Brazilian companies

Rezende, Amaury José; Guerreiro, Reinaldo; Dalmácio, Flávia Zóboli
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2012 ENG; POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Este artigo tem como objetivo analisar o processo de desinstitucionalização, quanto ao uso das práticas contábeis de correção monetária, pelas grandes empresas brasileiras. Os pressupostos teóricos utilizados foram baseados na teoria institucional, que representa uma abordagem sociológica interpretativa do comportamento humano, que reconhece fenômenos de racionalidade limitada e o caráter político da ação social. As análises empíricas foram baseadas na abordagem proposta por Oliver (1992). A estratégia de pesquisa compreendeu aplicação de questionários e entrevistas a uma população de 118 empresas brasileiras, de grande porte, constantes da Revista Exame 500 Maiores Empresas e teve como principais respondentes os contadores e gerentes de controladoria. Foram utilizadas as técnicas estatísticas de Análise Fatorial, ANOVA one way e Kruskal-Wallis. A partir da abordagem proposta por Oliver (1992), que contemplou 22 variáveis, que compõem 12 constructos e 6 hipóteses qualitativas, sobre as pressões motivadoras do processo de desinstitucionalização das práticas contábeis de correção monetária. Portanto, em relação aos constructos avaliados, cabe destaque para as pressões políticas (nível do ambiente)...

Desinstitucionalização e serviços residenciais terapêuticos: novas perspectivas para o campo da reabilitação psicossocial; Deinstitutionalization and therapeutic residential services: new perspectives on psychosocial rehabilitation's field

Mângia, Elisabete Ferreira; Marques, Ana Lucia Marinho
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2004 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este artigo discute a importância que adquire, no contexto do processo de desinstitucionalização de pessoas que viveram longo percurso de internação psiquiátrica, a construção do "habitar", entendido como processo complexo de apropriação e resignificação das formas de viver o cotidiano e aumento do poder contratual, capaz de permitir a participação ativa das pessoas na organização material ou simbólica do lugar onde de vive, assim como a divisão afetiva com outros. Para tanto recorre aos autores da desinstitucionalização italiana e, especialmente às contribuições da experiência de Trieste. No Brasil, o processo de reforma psiquiátrica apresenta resultados significativos na redução de leitos e hospitais psiquiátricos e evidencia que a construção de redes de serviços de saúde mental implica, dentre outros aspectos, na busca de alternativas habitacionais para os egressos de longas internações e para os que ainda vivem em manicômios. Nessa perspectiva, a implementação de serviços residenciais, validada pelo Sistema Único de Saúde a partir do ano 2000, representa um desafio fundamental para o sucesso da Política de Saúde Mental. Assim, buscamos contribuir para a formulação teórica do problema e para a construção de novos entendimentos e significados para os processos de reabilitação psicossocial formulados e desenvolvidos pelos profissionais de saúde mental que atuam em serviços substitutivos.; This article discusses the importance that construction of "living" acquires in the context of the deinstitutionalization processes of people who had lived a long course of psychiatric hospital admissions. The referable construction can be understood as a complex process that involves appropriation and resignification of ways to live the everyday life and to increase individual's contractual power...

Study of a residential service: reflection about the processes of deinstitutionalization; Estudo de um serviço residencial: reflexões sobre os processos de desinstitucionalização

Rosa, Caroline Aparecida de; Mângia, Elisabete Ferreira; Oliveira, Márcia Aparecida F. de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Os serviços residenciais surgem como iniciativa dos processos de desinstitucionalização e constituem um instrumento fundamental para as Políticas de Saúde Mental que assumem a meta de superação dos hospitais psiquiátricos e das internações de longa duração. Este trabalho é parte da dissertação, realizada no período de fevereiro de 2003 a julho de 2005, no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade de São Paulo. O objetivo geral deste estudo foi conhecer os serviços residenciais do município de Santo André e compreender as características e alcance do projeto de desinstitucionalização em curso. Para tanto, buscou-se identificar e analisar: as concepções sobre serviço residencial na visão dos atores que vivenciam e constroem o seu dia-a-dia; as características estruturais e organizacionais de um serviço residencial e o cotidiano de seus moradores. A pesquisa se configura como qualitativa e foi construída a partir de procedimentos diversificados: estudo de caso e observação participante, entrevistas e análise documental, além do estudo bibliográfico sobre os temas de problematização. Os dados foram analisados à luz da perspectiva teórica dos autores da desinstitucionalização italiana. Valendo-se dos temas emergentes foram elaborados três eixos para a análise...

A desinstitucionalização e as alternativas habitacionais ao dispor de indivíduos com perturbações mentais: Um novo modelo habitacional - A habitação apoiada

Maria,Susana G. S.; Sousa,Fernando M. V. De
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Desde o início do processo de desinstitucionalização que este se tem vindo a deparar com dificuldades. Passando pelos poucos recursos ao dispor dos serviços de saúde mental, à tendência para trabalhar com os elementos que apresentam maiores probabilidades de sucesso, à não articulação entre os serviços hospitalares e os centros comunitários de saúde mental, até à falta de investimentos em alternativas habitacionais de carácter permanente. Estas têm sido algumas das situações a que os consumidores de serviços de saúde mental se têm sujeitado. Actualmente, assistimos à emergência de um paradigma que assenta na crença de que se deverá prestar apoio a estes consumidores numa casa tipicamente normal, com uma vivência na comunidade, em que o apoio é disponibilizado consoante as necessidades de cada indivíduo sem que exista uma limitação temporal à sua prestação. Torna-se assim necessário criar novos papéis para os técnicos, no sentido de que estes ajudem os consumidores a escolher, a obter, e a manter uma habitação. É pois urgente o desenvolvimento de um conjunto diversificado de alternativas habitacionais que se baseiem nos recursos e capacidades das comunidades locais, no sentido de garantir que o processo de desinstitucionalização se conclua com sucesso.

Reflexões sobre a gestão de processos de desinstitucionalização

Lucena,Marcela Adriana da Silva; Bezerra,Adriana Falangola Benjamin
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
O tema a ser tratado neste artigo encontra-se dentro do campo da saúde mental e, mediante revisão conceitual, realiza considerações sobre a gestão de processos de desinstitucionalização de pessoas com internação psiquiátrica de longa permanência, abordando elementos acerca da formação e lógica asilar, assim como sobre a engrenagem necessária para a efetivação da mudança de seu paradigma e de suas práticas, considerando a desinstitucionalização e a reabilitação psicossocial como eixos centrais. Realiza reflexão sobre a ação gerencial comprometida com o modelo psicossocial, atrelando a mesma à aplicação dos componentes do cuidado, indo para além da articulação das ferramentas da política de saúde mental. A partir da reflexão teórica, traz indicativos referentes aos processos de qualificação dos trabalhadores de saúde mental, à desinstitucionalização como pauta para pactuação de gestão no SUS e à ação tripartite com corresponsabilização nas ações e financiamento. Nas considerações finais reconhece os obstáculos burocráticos no âmbito público e propõe como desafio gerencial o enfrentamento destes e a indução de processos de mudança que possam radicalmente se comprometer com a vida das pessoas...