Página 1 dos resultados de 672 itens digitais encontrados em 0.047 segundos

A construção da paternidade desde a gestação até o primeiro ano do bebê

Castoldi, Luciana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.09%
A paternidade é um tema que vem merecendo atenção crescente nas últimas décadas. O presente estudo teve por objetivo analisar o processo de construção da paternidade, desde a gestação até o primeiro ano do bebê, com pais adultos que esperavam o seu primeiro filho. Foi realizado um estudo de caso coletivo com seis casais, selecionados de um total de 114, que fazem parte de um projeto longitudinal maior (GIDEP, 1998). Pais e mães, ambos com mais de 20 anos, foram entrevistados individual e conjuntamente, durante o último trimestre da gravidez, e após o terceiro e o décimo segundo meses do bebê. O foco de análise do estudo foi o envolvimento paterno, categorizado segundo os critérios propostos por Lamb (1996), em engajamento, acessibilidade e responsabilidade. Consideramos 5 aspectos que, de acordo com a revisão da literatura, poderiam estar relacionados ao envolvimento paterno: os modelos de paternidade, a matriz de apoio familiar, o desenvolvimento do bebê e as representações do pai e da mãe sobre o envolvimento. A análise dos dados apontou para os modelos familiares como sendo os fatores mais influentes sobre o envolvimento paterno. Verificamos que a ausência de uma matriz de apoio exerce influência mas não determina...

Experiência da maternidade no contexto do HIV/AIDS aos três meses de vida do bebê

Gonçalves, Tonantzin Ribeiro
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.01%
O estudo investigou a experiência da maternidade em portadoras do HIV/Aids aos três meses de vida do filho/a. Participaram do estudo seis mães com idades entre 19 e 30 anos, de nível sócio-econômico baixo, recrutadas em uma Unidade de Saúde referência para HIV/Aids da Grande Porto Alegre. Três destas mães engravidaram sabendo que já eram portadoras da doença, enquanto as demais ficaram sabendo apenas na hora do parto ou logo após. Cada mãe respondeu a uma entrevista estruturada, realizada de forma semi-dirigida, e a um questionário sobre sua saúde e acompanhamento médico. Os relatos das participantes sobre a maternidade foram examinados através de uma análise de conteúdo qualitativa baseada em quatro eixos teóricos derivados da literatura: vida-crescimento, relacionar-se primário, matriz de apoio e, reorganização da identidade. Os resultados mostraram que as mães tinham muitas preocupações com a possibilidade de infecção do filho/a e com a saúde do bebê, além de sentimentos de incerteza quanto ao futuro, culpa e medo do preconceito. Estes temores pareciam mais intensos para as três mães que tiveram seu diagnóstico no momento do nascimento do filho/a. O estigma do HIV/Aids, a presença de conflitos familiares...

Relação mãe-bebê no contexto de infecção materna pelo HIV/AIDS : a constituição do vínculo da gestação ao terceiro mês do bebê

Faria, Evelise Rigoni de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.17%
Investigou-se a relação mãe-bebê no contexto de infecção materna pelo HIV/Aids, desde a gestação até o terceiro mês de vida do bebê. Mais especificamente, investigou-se a influência da infecção sobre a constituição do vínculo entre mãe e bebê. Participaram do estudo cinco mães portadoras de HIV/Aids, primíparas, entre 19 e 37 anos, em sua maioria casadas. As mães realizaram acompanhamento pré-natal especializado na rede pública de saúde de Porto Alegre. A pesquisa teve um delineamento de estudo de caso coletivo, sendo cada caso investigado no final da gestação e no terceiro mês do bebê. Análise de conteúdo qualitativa foi utilizada para se examinar as entrevistas com base em três categorias: vivência da maternidade, desenvolvimento do bebê e, relacionamento mãe-bebê. Os resultados indicaram que a infecção pelo HIV/Aids agregou ansiedades específicas àquelas já presentes na maternidade. Entre essas se destacam preocupação com a transmissão do vírus ao bebê, medo do preconceito, frustração por não amamentar, preocupação com a adaptação do bebê ao leite industrializado e ao tratamento. Apesar destas dificuldades, prevaleceram nos relatos das mães satisfação com a maternidade, percepção de um desenvolvimento saudável do bebê...

A escolha do cuidado alternativo para o bebê e a criança pequena; The choice of an alternative care for the infant

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.03%
A escolha de um cuidado alternativo para o bebê ou criança pequena geralmente não é tarefa fácil para os pais e envolve a análise de vários fatores. Isto fica mais difícil ainda quando esta escolha precisa ser feita nos primeiros meses de vida do bebê. O presente artigo tem por objetivo discutir os fatores que influenciam na escolha de um cuidado alternativo (i.e., parente, babá, creche) para o bebê e criança pequena e as vantagens e desvantagens apontadas pelos pais para as diferentes formas de cuidado. Dentre os fatores envolvidos no processo de decisão dos pais estão: a situação financeira e social da família; o apoio social recebido nos cuidados da criança; as práticas e crenças parentais sobre o cuidado das crianças; a escolaridade dos pais; a idade da criança; e o grupo étnico. Os estudos apontam que um cuidado alternativo adequado não só tranqüiliza os pais, como contribui para o desenvolvimento do bebê e para que seja mantida a qualidade da interação pais-bebê.; The choice of an alternative care for the infant is not an easy task for parents and it involves the analysis of several factors. It is even harder when this choice has to be made in the first months of the baby’s life. This article aims to discuss the factors which have influence in choosing an alternative care (i.e....

Psicoterapia pais-bebê no contexto de malformação do bebê : repercussões no olhar da mãe acerca do desenvolvimento do bebê; Parent-infant psychotherapy in the context of malformation : implications on the mother’s perception about the baby’s development

Gomes, Aline Grill; Piccinini, Cesar Augusto; Prado, Luiz Carlos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.22%
Introdução: Diante de um bebê com malformação, as representações maternas podem fi car bastante distorcidas. Neste contexto, percebe-se a necessidade de intervenções psicológicas que ajudem os pais a adequar suas representações psíquicas, visando descontaminá-las de projeções e confl itos para facilitar o desenvolvimento físico e psíquico do bebê. Nesse sentido, o presente estudo investigou o impacto da psicoterapia breve mãe-bebê sobre as representações maternas a respeito do desenvolvimento do bebê quando este apresentava uma malformação cardíaca. Método: Relata-se o processo de psicoterapia breve (24 sessões) de uma díade composta por uma mãe de 22 anos e seu bebê de 11 meses. Mostrase, ao longo do tratamento, como foram se dando algumas mudanças no tema vida e crescimento (Stern, 1997). Resultados: Os resultados revelam mudanças, tanto nas representações da mãe sobre o bebê, como na sua postura em relação à busca de informações sobre a malformação e sobre cuidados com o fi lho. Conclusões: Os resultados destacam o benefício da psicoterapia pais-bebê para o contexto de malformação do bebê e, especialmente, para as representações da mãe acerca do desenvolvimento do bebê.; Introduction: Maternal representations of the infant can be quite distorted when the infant has a malformation. Within this context...

A canção do desejo : da voz materna ao brincar com os sons, a função da música na estruturação psíquica do bebê e sua constituição como sujeito

Stahlschmidt, Ana Paula Melchiors
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.11%
Este trabalho investiga a função da música, enquanto atividade lúdica e elemento constitutivo da voz, na construção e consolidação dos laços mãe-bebê, ou cuidador-bebê, discutindo suas implicações na estruturação psíquica deste e sua constituição como sujeito. A pesquisa que lhe deu origem foi desenvolvida a partir de minha inserção em um projeto do Departamento de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, denominado “Música para Bebês – os primeiros encontros com a música”, cujo objetivo é a realização de atividades musicais com bebês de 0 a 24 meses e seus cuidadores, em grupos formados por aproximadamente 10 duplas, divididas de acordo com a faixa etária. Através de observações, gravações em vídeo dos encontros, depoimentos registrados em áudio, e instrumentos de avaliação aplicados aos participantes dos grupos, foram coletadas informações sobre a participação de 195 bebês, dos quais 8 foram mais detalhadamente enfocados neste trabalho a partir de entrevistas com seus cuidadores. Estas entrevistas, analisadas com base nos referenciais da Análise do Discurso francesa, Psicanálise, Psicologia do Desenvolvimento e Educação Musical, e articuladas ao restante das informações coletadas...

Ansiedade na gravidez : implicações para a saúde e desenvolvimento do bebé e mecanismos neurofisiológicos envolvidos

Conde, Ana; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
96.04%
O presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio das implicações da ansiedade materna para a saúde e desenvolvimento do recém-nascido. Atende, particularmente, aos mecanismos neurofisiológicos possivelmente responsáveis pelo impacto adverso da ansiedade materna durante a gravidez na saúde e bom desenvolvimento do bebé, tanto durante a gestação, como a médio e longo prazo. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma diminuição da morbilidade associada e dos efeitos adversos que se verificam no desenvolvimento da criança.; The present article is a review of the more recent and relevant research in the field of maternal anxiety implications to the infant’s health and development. It mainly discusses neurophysiologic mechanisms probably responsible for the adverse impact of maternal anxiety during pregnancy in infant’s health and development, during childbearing and also in postpartum and later in life. This article ends alerting to the necessity of prevention and intervention measures for reducing anxiety levels during pregnancy, in order to diminishing the morbidity associated with and the main adverse effects in child’s development.; Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) - SFRH/BD/13768/2003.

Síndrome do bebé abanado – experiência de 10 anos de um Serviço de Cuidados Intensivos Pediátricos

Lourenço, L.; Silva, M.; Lisboa, L.; Mota, T.C.; Ribeiro, A.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.04%
Introdução: O Síndrome do Bebé Abanado é uma das causas de lesão não acidental mais difíceis de diagnosticar. Objetivos: Caracterizar os doentes internados no Serviço de Cuidados Intensivos Pediátricos (SCIP) com Síndrome do Bebé Abanado. Material e Métodos: Estudo retrospetivo dos doentes internados no SCIP do Centro Hospitalar de São João com o diagnóstico de Síndrome de Bebé Abanado de 1 de Janeiro de 1999 a 31 de Dezembro de 2009. Resultados: Foram internadas oito crianças com diagnóstico de Síndrome do Bebé Abanado. A média de idades foi de 4,1 meses e cinco doentes eram do sexo masculino. Um caso apresentava história de traumatismo. O motivo de recurso aos cuidados de saúde mais frequente foram as crises convulsivas com paragem respiratória/cardiorrespiratória (50%). Verificou-se hemorragias retinianas bilaterais em 6 doentes (75%). Em todos a tomografia a axial computorizada cerebral mostrou hematomas subdurais. Sete doentes (87,5%) necessitaram de ventilação mecânica e cinco (62,5%) de suporte inotrópico. O tempo médio de internamento no SCIP foi de 5,25 dias (1-11 dias). Verificou-se um óbito. Verificou-se uma hemiparésia transitória num doente. Três casos apresentaram uma epilepsia de novo e défices na acuidade visual ou auditiva e num caso houve perda das aquisições prévias com um atraso moderado a severo do desenvolvimento psicomotor. Conclusão: O Síndrome do Bebé Abanado resultou...

Psicoterapia pais-bebê no contexto de malformação do bebê: repercussões no olhar da mãe acerca do desenvolvimento do bebê

Gomes,Aline Grill; Piccinini,Cesar; Prado,Luiz Carlos
Fonte: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Publicador: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.22%
INTRODUÇÃO: Diante de um bebê com malformação, as representações maternas podem ficar bastante distorcidas. Neste contexto, percebe-se a necessidade de intervenções psicológicas que ajudem os pais a adequar suas representações psíquicas, visando descontaminá-las de projeções e conflitos para facilitar o desenvolvimento físico e psíquico do bebê. Nesse sentido, o presente estudo investigou o impacto da psicoterapia breve mãe-bebê sobre as representações maternas a respeito do desenvolvimento do bebê quando este apresentava uma malformação cardíaca. MÉTODO: Relata-se o processo de psicoterapia breve (24 sessões) de uma díade composta por uma mãe de 22 anos e seu bebê de 11 meses. Mostra-se, ao longo do tratamento, como foram se dando algumas mudanças no tema vida e crescimento (Stern, 1997). RESULTADOS: Os resultados revelam mudanças, tanto nas representações da mãe sobre o bebê, como na sua postura em relação à busca de informações sobre a malformação e sobre cuidados com o filho. CONCLUSÃO: Os resultados destacam o benefício da psicoterapia pais-bebê para o contexto de malformação do bebê e, especialmente, para as representações da mãe acerca do desenvolvimento do bebê.

Ensinando o pai a brincar com seu bebê com síndrome de Down

Silva,Nancy Capretz Batista da; Aiello,Ana Lúcia Rossito
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.04%
Os membros da família de uma pessoa com necessidades educacionais especiais podem precisar de assistência e deveriam ser clientes de serviços e intervenções profissionais. Embora as mães sejam o principal cuidador da criança em contato com os programas de intervenção precoce, estudos têm cada vez mais mostrado a importância do pai e de sua participação. Este estudo teve como objetivo avaliar se uma intervenção direcionada ao pai altera seus padrões de interações diádicas com seu bebê com síndrome de Down em situações de brincadeira. Foi utilizado o Protocolo de Categorias de Análise das Filmagens de Interação na análise de cinco filmagens de interação: duas antes, uma durante, uma após a intervenção e uma de follow-up. O pai participou de treino de comportamentos para o desenvolvimento do bebê, com orientações sobre como estimular a criança. Houve o aumento na frequência de comportamentos positivos após o feedback fornecido aos pais e ao longo da intervenção até o final desta, indicando um efeito positivo das orientações fornecidas. As mães, que não passaram pelo treino, não tiveram os mesmos ganhos. Contudo, os efeitos nos pais não se mantiveram no follow-up. As crianças também passaram a exibir mais comportamentos positivos em interação. Conclui-se que os objetivos foram alcançados e que é possível envolver o pai nos programas de intervenção precoce visando ao melhor desenvolvimento de bebês com atraso.

Manifestações iniciais de trocas interativas mãe-bebê e suas transformações

Ribas,Adriana F. Paes; Moura,Maria Lucia Seidl de
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
66.21%
Neste trabalho, adota-se a perspectiva sócio-cultural e pressupõe-se que as interações adulto-bebê são matrizes nas quais se constrói o desenvolvimento. Esta pesquisa teve como objetivo descrever e analisar as transformações nas atividades da mãe e do bebê, nas trocas interativas e nos contextos específicos em que tais atividades e interações ocorrem, em etapas iniciais de desenvolvimento do bebê. Foi realizado o registro em vídeo, em ambiente natural, da observação de uma díade mãe-bebê em quatro momentos de desenvolvimento do bebê: 2, 10, 15 e 21 semanas. Foram analisadas as modificações na natureza das interações, mudanças nas atividades dos parceiros (e.g., vocalização, fala, sorriso), nos tipos de estimulação por parte das mães (e.g., estimulação voltada para a mãe ou voltada para os objeto) e os diferentes contextos de interação. Os resultados obtidos mostraram-se convergentes com achados de pesquisas na área, ampliando-os. Foram identificadas, desde fases iniciais, interações como processos recíprocos de engajamento que tornaram-se mais freqüentes e complexos. Foi possível identificar interações mãe-bebê, caracterizá-las e ilustrar a natureza diferenciada das atividades e interações dos parceiros em momentos distintos do desenvolvimento do bebê. Os resultados apresentados puderam ser interpretados segundo a abordagem sócio-cultural...

A escolha do cuidado alternativo para o bebê e a criança pequena

Rapoport,Andrea; Piccinini,Cesar A.
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.03%
A escolha de um cuidado alternativo para o bebê ou criança pequena geralmente não é tarefa fácil para os pais e envolve a análise de vários fatores. Isto fica mais difícil ainda quando esta escolha precisa ser feita nos primeiros meses de vida do bebê. O presente artigo tem por objetivo discutir os fatores que influenciam na escolha de um cuidado alternativo (i.e., parente, babá, creche) para o bebê e criança pequena e as vantagens e desvantagens apontadas pelos pais para as diferentes formas de cuidado. Dentre os fatores envolvidos no processo de decisão dos pais estão: a situação financeira e social da família; o apoio social recebido nos cuidados da criança; as práticas e crenças parentais sobre o cuidado das crianças; a escolaridade dos pais; a idade da criança; e o grupo étnico. Os estudos apontam que um cuidado alternativo adequado não só tranqüiliza os pais, como contribui para o desenvolvimento do bebê e para que seja mantida a qualidade da interação pais-bebê.

Charles Darwin: um observador do desenvolvimento humano

Celeri,Eloisa Helena Rubello Valler; Jacintho,Antonio Carvalho de Ávila; Dalgalarrondo,Paulo
Fonte: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Publicador: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.04%
Os autores traduzem, pela primeira vez para o português, o artigo de Charles Darwin "A Biographical Sketch of an Infant", publicado no periódico Mind em julho de 1877. Utilizando anotações de observações do desenvolvimento de seus filhos, especialmente de seu filho mais velho William Erasmus (Doddy), Darwin descreve e estuda, a partir de seu enfoque naturalista, o filhote humano, narrando os primeiros indicativos comportamentais de emoções tais como raiva e medo, curiosidade e senso moral, o brincar e o prazer envolvido nesta atividade, a capacidade de imitação e os primeiros indícios daquilo que hoje conhecemos como "teoria da mente". Colocando-se questões sobre as capacidades do bebê, como eles aprendem e como se comunicam e levantando hipóteses sobre possíveis significados de certos comportamentos, questões ainda hoje fundamentais para o estudo do desenvolvimento humano, Darwin mostra-se também um pioneiro no estudo do bebê e da criança pequena, numa época na qual as capacidades dos bebês eram extremamente subestimadas e desconsideradas.

Concepção do adulto sobre o desenvolvimento do bebê na comunicação através do uso da Internet : procedimento de classificação múltipla

Bernardino Corrêa Sobral, Avany; da Conceição Diniz Pereira de Lyra, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.26%
O presente estudo teve como objetivo investigar como o adulto compreende o desenvolvimento do bebê no processo de comunicação no início da vida. Desta forma, este trabalho explorou a concepção do adulto acerca do desenvolvimento humano na faixa etária do primeiro ano de vida. Visando tal objetivo, esta investigação utilizou como instrumento a criação de uma Web site que foi hospedada na seguinte URL: www.maebebe.eti.br, para coletar os dados. Foi realizado um questionário para receber informações pessoais e aplicado um Procedimento de Classificação Múltipla (PCM) baseada na escolha de 20 fotos digitalizadas (10 fotos referentes às trocas Face-a-Face e 10 fotos referentes às trocas Mãe- Objeto-Bebê) referentes à comunicação mãe-bebê durante os oito primeiros meses de vida do bebê. Este estudo baseia-se na perspectiva de que o estudo do desenvolvimento do bebê implica no estudo de um processo de mudança que ocorre na comunicação, proposto por Lyra e cols. (Lyra, 1988; 1999; 2000; Lyra & Chaves, 2001; Lyra & Rosseti-Ferreira, 1995; Lyra & Souza, no prelo; Lyra & Winegar, 1997; Souza, Lyra & Lyra, 1998; Souza, Lyra & Roazzi, 2001), no qual esse desenvolvimento se dá através de três períodos de quase-estabilidade: Estabelecimento...

Ansiedade na Gravidez: Implicações para a Saúde e Desenvolvimento do Bebé e Mecanismos Neurofísiológicos Envolvidos*

Conde, Ana; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.04%
ResumoO presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio das implicações da ansiedade materna para a saúde e desenvolvimento do recém-nascido. Atende, particularmente» aos mecanismos neurofisiológicos possivelmente responsáveis pelo impacto adverso da ansiedade materna durante a gravidez na saúde e bom desenvolvimento do bebé, tanto durante a gestação, como a médio e longo prazo. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma diminuição da morbilidade associada e dos efeitos adversos que se verificam no desenvolvimento da criança.Palavras-Chave: ansiedade; gravidez; desenvolvimento do bebé.

GRAVIDEZ DE RISCO E DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ (Influência da Diabetes Gestacional e da Hipertensão arterial Induzida pela Gestação no desenvolvimento precoce dos bebés - estudo comparativo)

Camarneiro, Ana Paula Forte
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Outros
Publicado em 01/05/1998 POR
Relevância na Pesquisa
76.05%
O desenvolvimento dos bebés desenrola-se no contexto duma influência mútua de factores constitucionais (filogenéticos) e relacionais durante os períodos pré, peri e pós-natais. Uma doença na mãe, durante a gravidez, é vivenciada como potencialmente ameaçadora para a sua saúde e do seu bebé... Dois exemplos de risco obstétrico estudados são: Diabetes Gestacional (DG); Hipertensão arterial Induzida pela Gestação. Ambas induzidas pela gestação, surpreendendo a grávida numa altura em que já sente os movimentos fetais e já organizou os primeiros movimentos de vinculação pré-natal. Conhecer os factores etiopatogénicos que se definem como factores de risco no desenvolvimento pós-natal dos bebés expostos a uma gravidez de risco, com patologia obstétrica, comparativamente com o desenvolvimento dos bebés expostos a uma gravidez que decorreu sem patologia (grupo de controlo). ...

A massagem no desenvolvimento do bebé e das competências parentais

Bárcia, Sónia Cristina da Silva Vicente Cascão
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
76.11%
Tese de Doutoramento em Psicologia Aplicada especialidade Psicologia Educacional, apresentada ao ISPA - Instituto universitário; O primeiro ano de parentalidade é um ano de crescimento e de adaptação na vida da mulher. Inerentes a esta fase estão uma série de transformações que terão que ocorrer a vários níveis, para que mãe e bebé aprendam a conhecer-se e a ajustar-se em conjunto. Esta primeira relação servirá de modelo no futuro. Saber identificar as necessidades do bebé e conseguir dar respostas adequadas é o objectivo de qualquer mãe. A relação está assim dependente dos protagonistas do processo, ou seja da mãe, do bebé e ainda do ambiente onde se relacionam. Neste processo vários factores podem contribuir para que a ligação na díade seja vivida de uma forma mais tranquila, entre eles destacamos o papel da massagem no bebé como veículo facilitador da relação. A massagem apresenta benefícios tanto para o bebé como para a mãe, a nível psicológico e fisiológico. Este estudo longitudinal pretendeu avaliar as implicações da massagem do bebé na relação mãe-bebé, desde o final da gravidez até aos 12 meses de vida do bebé. Os parâmetros a medir foram: as atitudes relativas à maternidade através do CAQ-P...

Repercussões do comportamento interativo de mães com depressão no desenvolvimento do comportamento exploratório do bebê; Repercussions of depressive mothers'interactive behaviours on the development of the infant´s exploratory behaviour

Alfaya, Cristiane; Lopes, Rita de Cássia S.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.29%
O impacto da depressão materna para o desenvolvimento infantil tem sido amplamente estudado e vem sendo compreendido a partir de um referencial teórico interacionista, em que a qualidade da interação mãe-bebê é o foco de atenção nestes estudos. Os comportamentos interativos das mães com depressão costumam ser caracterizados como intrusivo ou retraído. Para os autores, ambos os estilos podem repercutir de maneira negativa no desenvolvimento do bebê, pois a estimulação e a modulação do estado de alerta que a mãe oferece são inadequadas para a regulação emocional do bebê. Pouco ainda se sabe sobre as repercussões dos estilos de comportamento interativo materno para o desenvolvimento do comportamento exploratório do bebê durante o primeiro ano de vida. Nesse sentido, o presente artigo procura refletir teoricamente acerca do desenvolvimento emocional do bebê e, em particular, sobre o comportamento exploratório do bebê no contexto da depressão materna. Inicialmente, busca-se descrever alguns estudos sobre a interação mãe-bebê e o desenvolvimento sócio-emocional no primeiro ano de vida, em seguida, estudos empíricos sobre o desenvolvimento do bebê no contexto da depressão materna, e finalmente, os estudos empíricos sobre os comportamentos interativos mãe-bebê no contexto da depressão materna. Para tanto...

Narrative Envelop and Self Development: A Longitudinal Study With Mothers and Babies in Their First Six Months of Life; O Envelope Narrativo e o Desenvolvimento do Self: Um Estudo Longitudinal com Mães e Bebês nos Seis Primeiros Meses de Vida

Mendes, Deise Fernandes; Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Seidl-de-Moura, Maria Lucia; Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 08/11/2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.13%
Mother-infant interactions have its dynamics defined by culture and by the value attributed to personal distance and autonomy. Mothers are responsible for establishing different socialization trajectories. In this study we focus on one of the parental systems, the narrative envelope of mother-infant interactions of two dyads with babies from birth to six months. Dyads were visited at their homes and video-taped, mothers speech directed to babies was analyzed. We observed a double tendency. Mothers speech is marked by expressions of statements of needs and mental states attributed to the baby, and by a significant presence of social rules. Evidence can be interpreted as a tendency both toward autonomy and toward interdependency. Those results contribute to the literature about mother-infant interactions and development of the self in specific cultural contexts.; Interações mãe-bebê têm dinâmica definida pela cultura e pelo valor atribuído à distância pessoal e autonomia. Mães estabelecem trajetórias de socialização diversas, privilegiando um ou mais componentes do sistema de cuidados. Esse estudo foca o envelope narrativo (componente do sistema de cuidados), envolvendo duas díades mãe-bebê, do nascimento aos seis meses do bebê. Realizaramse visitas...

Síndrome do bebé abanado: experiência de 10 anos de um Serviço de Cuidados Intensivos Pediátricos

Lourenço,Lara; Silva,Marta; Lisboa,Lurdes; Mota,Teresa Cunha da; Ribeiro,Augusto
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.04%
Introdução: O Síndrome do Bebé Abanado é uma das causas de lesão não acidental mais difíceis de diagnosticar. Objetivos: Caracterizar os doentes internados no Serviço de Cuidados Intensivos Pediátricos (SCIP) com Síndrome do Bebé Abanado. Material e Métodos: Estudo retrospetivo dos doentes internados no SCIP do Centro Hospitalar de São João com o diagnóstico de Síndrome de Bebé Abanado de 1 de Janeiro de 1999 a 31 de Dezembro de 2009. Resultados: Foram internadas oito crianças com diagnóstico de Síndrome do Bebé Abanado. A média de idades foi de 4,1 meses e cinco doentes eram do sexo masculino. Um caso apresentava história de traumatismo. O motivo de recurso aos cuidados de saúde mais frequente foram as crises convulsivas com paragem respiratória/cardiorrespiratória (50%). Verificou-se hemorragias retinianas bilaterais em 6 doentes (75%). Em todos a tomografia axial computorizada cerebral mostrou hematomas subdurais. Sete doentes (87,5%) necessitaram de ventilação mecânica e cinco (62,5%) de suporte inotrópico. O tempo médio de internamento no SCIP foi de 5,25 dias (1-11 dias). Verificou-se um óbito. Verificou-se uma hemiparésia transitória num doente. Três casos apresentaram uma epilepsia de novo e défices na acuidade visual ou auditiva e num caso houve perda das aquisições prévias com um atraso moderado a severo do desenvolvimento psicomotor. Conclusão: O Síndrome do Bebé Abanado resultou...