Página 1 dos resultados de 68 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Migração lateral da desembocadura do Rio Itapocú, SC, Brasil: evolução morfológica e condicionantes físicas

CASSIANO, Gabriela Freire; SIEGLE, Eduardo
Fonte: Sociedade Brasileira de Geofísica Publicador: Sociedade Brasileira de Geofísica
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
47.28%
Desembocaduras são ambientes bastante dinâmicos e sujeitos à complexa interação entre fatores estabilizadores e desestabilizadores. Dependendo dessa interação, desembocaduras podem apresentar a tendência de migração ao longo de barreiras arenosas. Um dos mecanismos mais eficientes de transporte de sedimento paralelo à costa, e consequentemente migração de canais, são as correntes longitudinais geradas pelas ondas se aproximando obliquamente à costa. A motivação do presente trabalho é entender o comportamento morfodinâmico do sistema de desembocadura do rio Itapocú, localizado no centro-norte de Santa Catarina (SC), frente aos processos forçantes que atuam na sua migração ao longo da linha de costa. A morfologia dos pontais arenosos foi obtida a partir de levantamentos morfológicos com o uso de DGPS. Para analisar a refração de ondas foi utilizado o modelo numérico MIKE 21 SW, sendo considerados como condições de contorno os dados de ondas referentes ao ano de 2002 e os dados de ondas previstos referentes ao período de coleta. Os dados de saída do modelo foram utilizados para estimar a deriva litorânea potencial na região. Os resultados morfológicos obtidos demonstraram uma migração da desembocadura para o norte durante o período analisado...

Migração lateral da desembocadura do Rio Itapocú, Santa Catarina - Brasil: evolução morfológica e condicionantes físicas; Lateral migratin of the Itapocú Inlt, SC -Brazil: morphological evolution and forcing conditions

Cassiano, Gabriela Freire
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
47.28%
Desembocaduras são ambientes bastante dinâmicos e sujeitos à complexa interação entre fatores estabilizadores e desestabilizadores. Dependendo dessa interação, desembocaduras podem apresentar a tendência de migração ao longo de barreiras arenosas. Um dos mecanismos mais eficientes de transporte de sedimento paralelo à costa, e conseqüentemente migração de canais, são as correntes longitudinais geradas pelas ondas se aproximando obliquamente a costa. A motivação do presente trabalho é entender o comportamento morfodinâmico do sistema de desembocadura do rio Itapocú, localizado no centro-norte de Santa Catarina, frente aos processos forçantes que atuam na sua migração ao longo da linha de costa. A morfologia dos pontais arenosos foi obtida a partir de levantamentos morfológicos com o uso de DGPS. Para analisar a refração de ondas foi utilizado o modelo numérico MIKE 21 - SW, sendo considerados como condições de contorno dados de ondas referentes ao ano de 2002 e dados de ondas previstos referentes ao período de coleta. Os dados de saída do modelo foram utilizados para estimar a deriva litorânea potencial na região. Os resultados morfológicos obtidos demonstraram uma migração da desembocadura para o norte durante o período analisado...

Evolução sedimentar quaternária da Ilha Comprida, estado de São Paulo; Quaternary sedimentary evolution of Ilha Comprida, São Paulo state

Guedes, Carlos Conforti Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.83%
A Ilha Comprida é a barreira arenosa mais extensa do litoral paulista. Possui 63 km de comprimento e 500 m a 5 km de largura, e estende-se acompanhando a linha de costa (orientação aproximada NE-SW) desde a desembocadura de Icapara até a de Cananéia. Esta barreira foi estudada com base em fotografias aéreas, parâmetros granulométricos, minerais pesados e datações por luminescência opticamente estimulada (LOE). Cinco fases de evolução da ilha puderam ser determinadas. A fase inicial corresponde à formação da barreira transgressiva, em aproximadamente 6000 anos A.P.. Nas quatro fases seguintes, duas componentes de crescimento, uma longitudinal e outra transversal, alternaramse em importância relativa. Da fase inicial até perto de 5000 anos A.P., a ilha apresentou crescimento acelerado tanto longitudinal (10,2 a 22,8 m/ano) como transversal (2,6 m/ano); durante este período, os cordões litorâneos identificados são de origem praial. De 5000 a 2000 anos A.P., a componente de crescimento transversal caiu a praticamente zero, enquanto a longitudinal teve taxa relativamente baixa (5,2 a 6,9 m/ano). De 2000 a 200 anos A.P., o bloqueio do crescimento longitudinal pelos morros perto de Iguape forçou intensa progradação transversal (até 0...

Sedimentologia, cronologia e dinâmica progradacional das planícies costeiras de Campos Verdes e Ji (Laguna, SC); Sedimentology, chronology and progradational dynamics of the coastal plains of Campos Verdes and Ji (Laguna, state of Santa Catarina, southern Brazil)

Tanaka, Ana Paula Burgoa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
Localizadas no litoral sul de Santa Catarina, as planícies costeiras holocênicas de Campos Verdes e Ji caracterizam-se por séries truncadas de cordões litorâneos alternados a campos de dunas livres. Constituem exemplo de planícies formadas em um mesmo contexto regional, porém sob condições distintas quanto ao caráter hidrodinâmico: área semiprotegida de retrobarreira (Campos Verdes) versus tômbolo de mar aberto (Ji). A meta deste trabalho é construir modelos de evolução sedimentar para estas duas planícies com base em fotointerpretação, granulometria, minerais pesados, idades LOE, cálculo de taxas de progradação e simulação computacional. A comparação visa contribuir para a compreensão dos processos formadores ou remodeladores de planícies de cordões em geral e definir o caráter, se autocíclico ou alocíclico, de cada mecanismo no caso em estudo. O desenvolvimento destas planícies teria começado durante a desaceleração da subida de NRM, pouco antes do nível máximo holocênico, alcançado por volta de 5 ka AP. A partir de padrões de transporte e retrabalhamento sedimentar deduzidos com base em estatísticas da distribuição granulométrica (tamanho médio, seleção, assimetria), combinadas com variação dos índices de minerais pesados (iINS...

Dinâmica da desembocadura do rio Itanhém, Alcobaça, BA; Morphodynamics at the Itanhaém Inlet, Alcobaça, BA

Cussioli, Mariana Coppede
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.95%
Os processos morfodinâmicos em sistemas de desembocaduras estão relacionados a uma variedade de condições forçantes que criam condições hidrodinâmicas únicas. Correntes de maré, ondas e descarga fluvial, interagindo em diferentes níveis resultam em complexos padrões dinâmicos. O objetivo do presente trabalho é entender os processos que controlam a dinâmica da desembocadura do estuário do rio Itanhém, Alcobaça, BA. A dinâmica do ambiente foi analisada através de imagens de satélite LANDSAT5-TM e da aplicação de um modelo numérico. As imagens de satélite disponíveis, para os anos de 1987, 1990, 1996, 2007, 2008 e 2009, foram utilizadas para extrair os contornos da linha de costa que, juntamente com dados batimétricos constituíram as malhas para o desenvolvimento de uma série de experimentos numéricos. O modelo numérico utilizado foi o MIKE 21 FM. Foram utilizados três módulos: propagação de ondas, hidrodinâmico e de transporte de sedimento, com retroalimentação entre as mudanças morfológicas e a hidrodinâmica. A descrição dos processos observados pelas imagens de satélite, juntamente com os resultados dos experimentos numéricos mostraram que na região ocorreu acúmulo de sedimentos com consequente crescimento de um pontal a barlamar da desembocadura entre 1987 e 2007. Em 2007 o pontal atingiu seu tamanho máximo...

Sedimentação Quaternária na Planície Costeira de Peruíbe-Itanhaém (SP)

Giannini, Paulo Cesar Fonseca
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/1987 PT
Relevância na Pesquisa
26.73%
Este trabalho contém uma caracterização sedimentológica dos depósitos marinhos, com ênfase aos sedimentos arenosos, aflorantes ao longo da planície costeira de Peruíbe - Itanhaém, envolvendo basicamente distribuição granulométrica, mineralogia e morfometria. A planície costeira de Peruíbe-Itanhaém constitui-se numa faixa de cerca de 25 km de extensão contínua de sedimentos quaternários regressivos situada no litoral sudoeste do Estado de São Paulo, apresentando largura variável desde 4 até 14 km e altitudes entre 0 e 14 m. Tem como fronteiras naturais a Serra do Peruíbe (subsidiária da Serra do Itatins), a SW, o Morro do Poço de Anchieta e os morros Botoruçu, Araraú, e Novo Mundo, a NE, e a Serra das Laranjeiras (subsidiária da Serra do Mar), na parte interior. Entre o flanco norte da Serra do Peruíbe e a porção meridional da Serra das Laranjeiras, define-se, parcialmente controlado por lineamentos associados à Falha de Itariri, o sistema flúvio-paleolagunar dos rios Preto e Branco de Peruíbe, enquanto na extremidade oposta da planície (NE), ocorre outro sistema semelhante, compreendendo os rios homônimos de Itanhaém. Estes dois sistemas flúvio-paleolagunares constituem as únicas zonas de sedimentação areno-lamosa aflorantes na planície...

Deriva litorânea e evolução da linha de costa no sul do Espírito Santo (Brasil); Longshore drift and shoreline evolution in southern Espírito Santo (Brazil)

Contti Neto, Nery
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
67.03%
A deriva litorânea é estudada no litoral sul do Espírito Santo através de diferentes técnicas: distribuição de Minerais Pesados (MP); modelo conceitual Análise de Transport de Sedimento (Sediment Trend Analysis - STA), através da variação de parâmetros texturais do sedimento; dados de clima de onda entre 1997 e 2010 do modelo global WaveWatch III propagados para a zona costeira através do modelo Delft-3D, fornecendo parâmetros necessários para as equações de deriva; e imagens de satélite e fotografias aéreas para avaliar a variação espaço-temporal da morfologia costeira. O modelo STA mostrou-se confiável apenas nos dois setores ao norte, enquanto nos demais os resultados foram mascarados por altos teores de MP e/ou carbonato e a entrada de outras fácies no sistema; as equações representaram bem a variação da morfologia costeira na área de estudos. De maneira geral, os setores ao sul apresentaram transporte longitudinal para sul, e os setores ao norte, para norte, fato relacionado à batimetria local. A orientação da linha de costa auxiliou na compreensão dos fenômenos erosivos, pois em sua maioria estão orientados no sentido NEN, formando 45º com as ondas dos setores de ESE e SE.; Longshore drift is studied in the southern portion of Espírito Santo through different techniques: Heavy Minerals (HM) distribution; the conceptual model Sediment Trend Analysis (STA) by sediment textural parameters fluctuation; wave climate data between 1997 and 2010 from WaveWatch III propagated to the coastal zone through Delft-3D model...

Caracterização do sistema Praia-Duna ao longo da Costa uruguaia, de Montevideo a La Coronilla

Terence, Valéria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
A costa leste do Uruguay, de Montevideo até La Coronilla, caracteriza-se, no seu lado platense (a W de Punta del Este), por praias arenosas restritas, com escarpas ativas, promontórios formados por rochas do embasamento e pequenas ilhas; e, no seu lado atlântico, pela presença de lagunas e praias mais extensas e homogêneas, com maior exposição à ação do vento e de ondas de tempestade. A caracterização da cobertura vegetal e da morfodinâmica e sedimentologia do sistema praia - dunas frontais, incluindo rumo inferido de deriva litorânea longitudinal, permitiu estabelecer subdivisões desta costa em segmentos com características semelhantes. Os dois segmentos diferenciados pela associação de espécies vegetais foram o de Montevideo a Cuchilla Alta, caracterizado pelo predomínio de Panicum racemosum, e o de Jaurreguiberry até La Coronilla, com alta concentração de Spartina ciliata. Esta subdivisão foi correlacionada a fatores abióticos, como salinidade e intensidade do vento. Correlações estatísticas aplicadas a resultados de análise de variações granulométricas e mineralógicas dos sedimentos mostraram-se insuficientes para deduzir o rumo de deriva litorânea longitudinal. Critérios mais efetivos na determinação desse rumo foram os geomorfológicos...

Os cordões litorâneos da planície de Una-Juréia, municípios de Peruíbe e Iguape, SP; not available

Bentz, Deise
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.29%
A proposta desta Dissertação de Mestrado atende a três metas principais: explicar os processos formadores e remodeladores de alinhamentos de cordões litorâneos; compreender o modo como o feixe de cordões se relaciona com a evolução e interação dos sistemas deposicionais quaternários da planície litorânea de Una-Juréia; e reconstituir no tempo a evolução holocênica desta planície, no contexto do padrão regional de variação do nível relativo do mar, a partir dos atributos sedimentológicos associados à datação absoluta por Termoluminescência ou Luminescência Opticamente Estimulada. Na planície do Una, o sistema deposicional costeiro progradante é homogêneo, com desenvolvimento monótono de cordões contínuos e paralelos entre si e à linha de costa atual. O padrão de variação granulométrica transversal aos cordões é de afinamento do diâmetro médio e melhora de seleção rumo aos alinhamentos mais recentes. Mineralogicamente se observam evidências de dissolução pós-deposicional crescente nos cordões mas antigos. Na planície da Juréia, devido ao confinamento e maior porte das desembocaduras estuarino-lagunares, os padrões de variação sedimentológica, a distribuição das paleocorrentes de deriva litorânea e a geometria dos cordões são mais complexos. Os cordões internos apresentam alto índice ZTR e granulometria mais fina e bem selecionada que os externos. Uma paleodesembocadura existente junto ao morro da Juréia teria gerado...

As células de deriva litorânea e a erosão nas praias do Estado de São Paulo; Not available.

Souza, Celia Regina de Gouveia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/1997 PT
Relevância na Pesquisa
47.11%
O presente trabalho versa sobre a caracterização morfotextural de 64 principais praias do Estado de São Paulo, compreendidas entre os municípios de Ilha Comprida e Ubatuba. O objetivo principal do trabalho consistiu na identificação das mais importantes células de circulação costeira atuantes neste litoral, bem como no diagnóstico das causas de processos erosivos instalados na costa. Os trabalhos de campo foram efetuados no inverno de 1992 e no verão de 1993, tendo sido levantados 348 perfis de amostragem, nos mesmos locais nas duas etapas. Para este trabalho foram analisadas 1050 amostras de sedimentos praiais, distribuídas entre amostras de inverno e de verão. Durante estas etapas foi possível observar o comportamento das praias e das ondas sob diferentes condições meteorológicas e de maré astronômica. O litoral paulista foi caracterizado quanto aos estados morfodinâmicos de suas praias e compartimento em sete setores morfodinâmicos. A apresentação de todos os resultados do trabalho foi feita com base nessa subdivisão. Foram empregados três métodos de estudo, envolvendo a análise de produtos de sensoriamento remoto (fotografias aéreas e imagens de satélite em papel) e a análise de parâmetros morfológicos e texturais das praias. Entre estes parâmetros...

Dinâmica sedimentar quaternária no litoral sul paulista; Not available.

Tessler, Moyses Gonsalez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/1988 PT
Relevância na Pesquisa
27.29%
A origem e evolução das feições arenosas holocênicas, presentes no litoral sul paulista, estão vinculadas à ação da dinâmica litorânea atual, bem como ao papel representado pelos processos dinâmicos pretéritos. Esta dinâmica atual, fortemente condicionada pelos mecanismos de circulação atmosférica do continente sul-americano tem, nas correntes de deriva litorânea geradas a partir da interação dos trens de ondas incidentes com alinha de costa, o principal mecanismo de movimentação de sedimentos arenosos, junto ao fundo, no litoral sul paulista. A interação entre os mecanismos de circulação atmosférica do continente sul-americano e os trens de ondas incidentes constitui a base para a compreensão da origem e do sentido de deslocamento das correntes litorâneas de fundo, a partir dos trens de onda provenientes de S e SE são geradas correntes de deriva litorânea que se propagam no litoral sul rumo ao litoral centro-sul paulista, NE. Por outro lado, as correntes litorâneas de sentido inverso (SW), são geradas a partir dos trens de onda incidentes dos quadrantes NE - E. Esses sistemas de correntes litorâneas, de sentidos opostos, são responsáveis pela redistribuição dos sedimentos provenientes da cobertura sedimentar atual da plataforma continental próxima bem como dos sedimentos de origem continental...

Morfodinâmica e sedimentologia de campos de dunas transgressivos na região de Jaguaruna-Imbituba, Santa Catarina; Not available.

Martinho, Caroline Thaís
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
Nos campos de dunas transgressivos ativos da costa centro-sul de Santa Catarina, reconhecem-se, com base em critérios morfológicos, duas associações de fácies eólicas (ou draas costeiros) distintas, denominadas proximal e distal. A associação de fácies proximal predomina principalmente a sul do cabo de Santa Marta, onde se estende por vários quilômetros ao longo da costa, sem apresentar fácies deflacionares. A associação de fácies distal predomina a norte de Laguna (SC), possui menor extensão e planícies de deflação separando o campo de dunas da praia. Um estudo faciológico foi realizado, em ambas as associações de fácies, com o propósito de confrontar as fácies morfológicas (processo-forma) com suas fácies deposicionais correspondentes (forma-produto), baseado em descrições de granulometria, mineralogia, estruturas sedimentares e superfícies de separação. Os campos de dunas estudados localizam-se junto à praia de Ibiraqüera, município de Imbituba, e praia Grande do Sul, município de Jaguaruna, e correspondem a associação de fácies distal e proximal, respectivamente. Há diferenças importantes entre os dois campos de dunas estudados, no que diz respeito às características do sistema praia-duna adjacente...

Paleoclima e dinâmica costeira como fatores controladores da distribuição de arenitos em sistemas parálicos : um estudo para reservatórios análigos no eopermiano da Bacia do Paraná

Cacela, Alessandra Suzely Moda
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Este trabalho teve como objetivo um estudo utilizando a reconstrução paleoclimática como ferramenta de auxilio na definição da distribuição de arenitos depositados em sistemas parálicos das unidades litoestratigráficas Rio Bonito e Palermo (Eopermiano), que constituem reservatórios análogos para esse intervalo da Bacia do Paraná. Um estudo estratigráfico refinado de quarta ordem, desenvolvido na margem sudeste da bacia, no Estado do Rio Grande do Sul, proporcionou a reconstrução da paleolinha de costa em diferentes intervalos temporais, denominados de T1, T2 e T3, delimitados de acordo mudanças do nível de base e padrão de empilhamento das parasseqüências. A análise paleoclimática, focando na retrodição de regimes de vento e integrada a reconstrução da paleolinha, mostrou que a deriva litorânea que atingia a costa eopermiana do sul da Bacia do Paraná era para sudoeste durante os invernos e norte e nordeste durante os verões. Esta deriva litorânea controlou em parte a deposição dos ambientes deposicionais durante os intervalos de tempo T1 e T2. A orientação do sistema de ilhas-barreira para nordeste-sudoeste, bem como a grande concentração de fácies arenosas a sudoeste da área analisada, pode indicar a predominância de fortes longshore drifts originadas durante os invernos sobre aquelas originadas nos verões. Os mapas de distribuição de arenitos parálicos revelaram que a concentração de sedimentos de sistemas deltaicos em algumas áreas pode ser atribuída à dinâmica costeira durantes os invernos. Já para as fácies de arenitos do sistema ilha-barreira / marinho raso...

Estudo e avaliação das assembléias de minerais pesados detríticos das areas holocênicas praiais da margem emersa da Bacia de Pelotas

Martins, Loren Pinto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
A análise de minerais pesados para estudos de proveniência é uma das técnicas mais sensíveis atualmente empregadas. As associações dos minerais pesados formam paragêneses, as quais propiciam informações cruciais sobre os tipos de rochas-fonte, não podendo essas serem obtidas por outros meios. O presente estudo tem por objetivo identificar as assembléias de minerais pesados detríticos, bem como determinar as prováveis fontes primárias e a distribuição destas assembléias ao longo da margem emersa da Bacia de Pelotas. Além disso, este trabalho propõe uma análise do sentido da deriva litorânea com base no estudo da variação das concentrações destas assembléias de minerais pesados. Os minerais pesados presentes nas amostras analisadas são: epidotos, apatita, turmalinas, hornblenda, estaurolita, zircão, cianita, granadas, rutilo, piroxênios, actinolita-tremolita, monazita, silimanita e, em menores quantidades, observa-se ainda clorita, andaluzita e titanita, alem de minerais opacos. A maior concentração de minerais pesados ocorre no sul da área em estudo, alcançando o valor máximo de 4,75% , e diminuindo em direção ao norte da Planície Costeira do Rio Grande Sul. A assembléia de minerais pesados no norte da área de estudo tem como rocha fonte importante os basaltos da Formação Serra Geral...

Alterações na deriva litorânea e no balanço de sedimentos: molhes do rio Mapituba e praias adjacente, divisa entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Zasso, Luciano Albuquerque
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.17%
O Rio Mampituba deságua no Oceano Atlântico e demarca a fronteira litorânea dos Estados de Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS) na Planície Costeira Sul Brasileira. Ao longo deste limite costeiro existem duas interrupções na deriva litorânea, uma composta pelos afloramentos de rochas da Bacia do Paraná no município de Torres-RS e a outra pelo Rio Mampituba. A quebra na deriva litorânea neste ponto já existia naturalmente, devido à barreira hidráulica constituída pela foz natural do rio, porém seus efeitos eram brandos. Em meados da década de 70 foram construídos dois guias correntes que se prolongam mar adentro, constituindo dois molhes, um ao sul e outro ao norte na desembocadura do rio. A partir dessa construção começaram a surgir modificações morfodinâmicas, que alteraram os setores costeiros a montante e a jusante dos molhes. São duas as praias adjacentes aos molhes que há quase quatro décadas convivem com as consequências da obra: a Praia Grande no município de Torres (RS) ao sul, e a Praia de Passo de Torres (SC) na cidade de mesmo nome ao norte do rio. Os métodos utilizados nesse trabalho são compostos de observação e diagnóstico periódico de campo com levantamento de perfis topográficos ao longo dos dois segmentos praiais adjacentes aos molhes durante um ano. Aliados a esse método...

Balanço de sedimentos arenosos no litoral médio do Rio Grande do Sul

Motta, Lucas Marchi da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.17%
O cálculo do balanço de sedimentos arenosos litorâneos permite estimar o tempo e a intensidade dos processos associados à erosão, transporte e deposição, e também compreender a dinâmica de sedimentos local e regional aplicada, por exemplo, ao mapeamento das áreas de risco. O objetivo principal desta pesquisa é analisar as variações no transporte longitudinal de sedimentos ao longo da costa através de diferentes relações empíricas, descritas na literatura, e realizar o balanço sedimentar do litoral médio do Rio Grande do Sul (RS). Além disso, também é objetivo quantificar o volume de areia contido no campo de dunas costeiras que se desenvolve ao longo da área de estudo, com idade estimada entre 7-8ka (Dillenburg et al., 2006; Martinho et al., 2008). A presente dissertação é apresentada em forma de artigo, de acordo com a norma 103 do Programa de Pós Graduação em Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O corpo principal do trabalho é constituído por um artigo, submetido a uma revista especializada na área, que por sua vez, é antecedido por um capítulo introdutório sucinto com uma breve revisão bibliográfica sobre os temas abordados ao longo do curso de mestrado. Espera-se, com a realização desta dissertação...

Migração lateral da desembocadura do Rio Itapocú, SC, Brasil: evolução morfológica e condicionantes físicas

Cassiano,Gabriela Freire; Siegle,Eduardo
Fonte: Sociedade Brasileira de Geofísica Publicador: Sociedade Brasileira de Geofísica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
47.28%
Desembocaduras são ambientes bastante dinâmicos e sujeitos à complexa interação entre fatores estabilizadores e desestabilizadores. Dependendo dessa interação, desembocaduras podem apresentar a tendência de migração ao longo de barreiras arenosas. Um dos mecanismos mais eficientes de transporte de sedimento paralelo à costa, e consequentemente migração de canais, são as correntes longitudinais geradas pelas ondas se aproximando obliquamente à costa. A motivação do presente trabalho é entender o comportamento morfodinâmico do sistema de desembocadura do rio Itapocú, localizado no centro-norte de Santa Catarina (SC), frente aos processos forçantes que atuam na sua migração ao longo da linha de costa. A morfologia dos pontais arenosos foi obtida a partir de levantamentos morfológicos com o uso de DGPS. Para analisar a refração de ondas foi utilizado o modelo numérico MIKE 21 SW, sendo considerados como condições de contorno os dados de ondas referentes ao ano de 2002 e os dados de ondas previstos referentes ao período de coleta. Os dados de saída do modelo foram utilizados para estimar a deriva litorânea potencial na região. Os resultados morfológicos obtidos demonstraram uma migração da desembocadura para o norte durante o período analisado...

Caracterização batimétrica do mar de Ararapira, na divisa litorânea dos estados do Paraná e São Paulo, Brasil.

Nogueira, Raissa de Araújo
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: 62 f. : il. , grafs., maps., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.5%
Orientador : Prof. Dr. Eduardo Marone; Monografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de Oceanografia; Resumo: A região do mar do Ararapira sofre variações morfodinâmicas significativas na linha de costa interna, tanto por efeito de erosão quanto de deposição de sedimentos. A morfodinâmica do mar pode estar ligada à dinâmica erosional e deposicional governada por fenômenos estuarinos, a dinâmica presente na região costeira adjacente ou, ainda, processos disparados pela abertura do Canal da Draga ou do Varadouro, e que só agora começaram a ser percebidos (ou uma combinação destas e outras causas, como efeitos das mudanças climáticas, uso do solo no interior da bacia de drenagem, etc.). O mar do Ararapira vem sofrendo influencias oceanográficas e está deslocando a sua desembocadura com uma migração em sentido SW. Por ser uma região protegida, separada do oceano, não sofre influencias diretas da morfodinâmica oceânica (como a agitação marítima, marés meteorológicas, etc.), sendo assim um local de águas aparentemente calmas, com variações ocorrendo principalmente nos deltas de marés. A caracterização batimétrica da região do mar do Ararapira tem por objetivo ajudar no início da compreensão da dinâmica local e de sua influencia sobre as áreas ao redor. As campanhas batimétricas foram realizadas de setembro de 2007 sendo a piloto...

Wave refraction and longshore transport patterns along the southern Santa Catarina coast

Siegle, Eduardo; Asp, Nils Edvin
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto Oceanográfico
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
47.26%
Based on the wave climate for the southern Brazilian coast, wave refraction has been modelled in order to obtain the refracted wave heights and directions along the southern Santa Catarina coast, providing the needed information for potential longshore drift estimates. According to its coastline orientation, different sectors of the coast present varying longshore drift patterns. Estimates have been made for the yearly-averaged wave climate as well as for each season, showing thereby the longshore drift patterns along the year. Based on the results of the potential longshore drift intensities and directions and on the shoreline outline in plan, it has been possible to identify a strongly drift-dominated coast in the south turning to a mixed drift and swash dominated coast towards the north of the studied area. Contrasting patterns of longshore drift between the southern and northern portion of the coastline indicate a sediment surplus in the central portion, making sediment available for cross-shore transport processes, either on- or offshore. Considering long-term aspects, the longshore drift patterns are in agreement with the coastal infilling process which has mainly been driven by persistent surplus from littoral sediment drift.; Com base no clima de ondas para o sul da costa brasileira...

DINÂMICA SEDIMENTAR DO LITORAL NORTE PARANAENSE E EXTREMO SUL PAULISTA

MIHÁLY, PAOLA
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 26/08/2004 POR
Relevância na Pesquisa
27.28%
O estudo da dinâmica sedimentar do litoral norte paranaense e extremo sul paulista foi elaborado através dos seguintes métodos análise granulométrica e mineralógica das areias das praias do Ararapira (SP), Deserta (PR) e da Ilha das Peças (PR), com o objetivo principal de identificar tendência na distribuição das características sedimentológicas e o monitoramento da dinâmica da desembocadura lagunar do Ararapira (SP/PR), através do levantamento topográfico periódico das margens da desembocadura e acompanhamento da erosão nas margens do corpo lagunar do Ararapira. Esta desembocadura lagunar apresenta uma migração anômala, no sentido contrário ao da corrente de deriva litorânea longitudinal. O sentido predominante da corrente de deriva é para NE e está relacionado à passagem de frentes frias. A ausência prolongada deste efeito meteorológico causa variações temporárias no padrão de ondas, que induzem à inversão no sentido da corrente de deriva. Considerando-se esta inversão, são sugeridos dois modelos de circulação das correntes de maré e dos sedimentos, na desembocadura lagunar do Ararapira, que atuando alternadamente provocariam a migração desta no sentido inverso ao da corrente de deriva, ou seja para SW. Quando o sentido da deriva é para NE...