Página 1 dos resultados de 1330 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Estresse, depressão e percepção de suporte familiar em estudantes de educação profissionalizante

Camargo, Valdirlene Checheto Vincenzi
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 93 f. :
POR
Relevância na Pesquisa
46.48%
Pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem - FC; O estresse corresponde a um processo que desencadeia uma relação neuropsicofisilógica nos indivíduos, auxiliando-os a se adaptarem a novas situações. Quando excessivo, pode provocar consequencias negativas para o funcionamento dos organismos, sendo uma das causas de desencadeamento da depressão. Também conhecida como transtorno de humor, a depressão relaciona-se à limitação da atividade e do bem-estar dos indivíduos, comprometendo sua qualidade de vida. O suporte familiar refere-se às características psicológicas presentes nas relações familiares, ajudando os indivíduos no enfrentamento de situações estressantes e funcionando como fator de proteção contra o desenvolvimento de doenças mentais como a depressão. Os estudantes da educação profissionalizante correspondem a uma categoria pouco investigada no que se refere a estresse, depressão e suporte familiar, a qual está sujeita às resposabilidades escolares, às exigências profissionais e às expectativas do mercado de trabalho. Estes fatores podem funcionar como fontes de desencadeadoras de estresse, evoluindo para sintomas mais graves, como é o caso da depressão. O apoio da familia pode funcionar como fonte amortecedora do estresse e a audiência do suporte familiar como uma fator de risco para a depressão. Considerando este contexto...

A depressão como “mal-estar” contemporâneo: medicalização e (ex)-sistência do sujeito depressivo

Tavares, Leandro Anselmo Todesqui
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 137 f.
POR
Relevância na Pesquisa
46.47%
Pós-graduação em Psicologia - FCLAS; Atualmente, ouvimos demasiadamente o significante “depressão” ecoar nos mais variados contextos e, em especial, naqueles que se dedicam ao atendimento de questões relacionadas à saúde mental. Diante disso, torna-se relevante o contínuo pensar e repensar a respeito dessa modalidade de subjetivação e/ou “mal-estar” contemporâneo. O interesse pelo tema proposto nasceu da prática clínica cotidiana em Saúde Pública, realizada num Centro de Saúde (CS-III) de uma cidade do interior de São Paulo. Nossa problemática assentou-se no intuito de compreender a exacerbada medicalização da depressão na atualidade, especificamente os impactos subjetivos provocados por tais intervenções. Utilizamos de uma metodologia qualitativa cujo método clínico psicanalítico nos permitiu trabalhar no resgate de fragmentos clínicos, sendo estes constituídos com base nas reminiscências do próprio pesquisador, de maneira que selecionamos para a pesquisa aqueles casos em que o paciente se dizia depressivo e insatisfeito com relação ao tratamento medicamentoso. O interesse por tais casos deve-se ao fato destes apresentarem evidências que contradizem as perspectivas amplamente disseminadas na atualidade...

Associações entre indicadores emocionais maternos para depressão, ansiedade e estresse e problemas comportamentais de crianças com fissura labiopalatina

Silva, Francislaine da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 179 f. :
POR
Relevância na Pesquisa
46.43%
Pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem - FC; Maternal emotional indicators such as depression, anxiety and stress has been considered as conditions of adversity to child development, and has been observed peculiarities and diversity of findings in relation to behavioral problems and other debilitating disorders in children across the life cycle. The present study aimed to identify and associate clinical indicators for depression, anxiety and maternal stress along with indicators of behavior problems (internalizing and externalizing) in children with cleft lip and palate. The participants were 83 pairs, mothers and their children with cleft palate of both genders, aged between three and five years old, who are in the process of treatment at the Hospital for Rehabilitation of Craniofacial Anomalies, University of São Paulo (HRAC/USP). The instruments used were: Interview Protocol for gathering sociodemographics data, Beck Depression Inventory (BDI-II). Inventory State-Trait Anxiety (IDATE) and Inventory of Stress Symptoms for Lipp Adults (ISSL) to identify maternal emotional indicators and Child Behavior Checklist (CBCL version 1 1/2 to 5 years old), to identify behavioral problems of children. The instruments were applied as technical recommendations and in individual sessions. Data were coded according to the propositons of instruments. For the analysis...

Níveis de depressão, hábitos e aderência à programas de atividades físicas de pessoas com transtorno depressivo

Silveira, Lucinéia Daleth da
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xiii,101 f.;| tabs.,grafs.;
Relevância na Pesquisa
46.37%
Dissertação(mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos. Programa de Pós-Graduação em Educação Física.; Os transtornos depressivos, pela sua prevalência e danos que acarretam, têm enorme importância como problemas de saúde pública. Recentemente, a atividade física vem sendo estudada com relação a sua aplicação no tratamento desses transtornos. Nesse sentido, é que este estudo teve por objetivo verificar os níveis de atividade física habitual, níveis de depressão e aderência à prática de atividade física de pessoas diagnosticadas com transtorno depressivo. A amostra foi composta por 320 pessoas que estavam realizando tratamento em clínicas e hospitais especializados dos municípios de Florianópolis e São José. A média de idade das pessoas avaliadas foi de 37,5 ± 11,0 anos. Para a coleta de dados, além de um questionário aplicado para levantar informações sobre dados pessoais, nível socioeconômico e aderência à prática de atividade física, foram também utilizados o IPAQ - Questionário Internacional de Atividade Física na versão 8.0 e o BDI - Inventário de Depressão de Beck, para averiguação dos níveis de depressão (Beck, 1961). Os dados foram analisados por meio do pacote estatístico SPSS...

Prevalência de depressão e sua relação com a qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia

Berber, Joana de Souza Santos
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 103 f.| grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública.; Neste estudo, pretendeu-se estimar a prevalência de depressão em pacientes com Fibromialgia, estimar a condição da qualidade de vida destes pacientes e estimar a magnitude da associação entre a depressão e a qualidade de vida. Foram selecionados 70 pacientes com Fibromialgia que compareceram às consultas médicas em duas instituições públicas e em seis consultórios particulares de reumatologia. Foram aplicados dois questionários: o General Health Questionaire (GHQ- 28), para rastrear a depressão, e o Medical Outcome Short Form Health Survey (SF-36) para medir a qualidade de vida, composto de 8 escalas, que abordam vários aspectos da qualidade de vida. Realizaram-se análises uni e multivariadas entre os escores obtidos no GHQ- 28 e nas escalas do SF-36. Concluiu-se que a prevalência de depressão entre os pacientes de Fibromialgia é de 32,9% para depressão leve, 21,4% para depressão moderada e 12,9% para depressão severa. A depressão mostrou-se responsável pela queda estatisticamente significativa dos escores de qualidade de vida, das seguintes escalas: condicionamento físico...

Investigação experimental da percepção de dor em mulheres com depressão

Crepaldi, Ana Maria
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.38%
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2009.; No Brasil, onde existe grande ocorrência de casos de Transtorno Depressivo Maior (TDM) em comorbidade com sintomas dolorosos, há uma carência de pesquisa básica sobre a interação entre depressão e percepção de dor. O presente trabalho teve como objetivo contribuir para esclarecer como os estados depressivos podem influenciar a percepção de dor em ambientes experimentais, por meio do uso do Teste Pressor ao Frio (TPF) como método de indução de dor e do Questionário de Dor de McGill (QDM) como métrica de avaliação da dor. Foram realizados dois estudos: um piloto, com 16 participantes saudáveis (12 mulheres e quatro homens), para ajuste da metodologia, e um experimento envolvendo 16 mulheres com Depressão e 16 mulheres saudáveis, utilizando-se da mesma metodologia do estudo piloto para averiguar possíveis diferenças entre os resultados do TPF e do QDM entre os grupos com e sem depressão. O diagnóstico de depressão e a ausência de sintomas depressivos foram verificados através dos questionários Mini International Neuropsychiatric Interview (M.I.N.I.) e Inventário de Beck Para Depressão. A sensibilidade à dor foi comparada entre homens e mulheres no estudo piloto (01) e entre mulheres com e sem depressão no estudo 02. As medidas utilizadas para averiguar a sensibilidade à dor foram: a tolerância à dor...

Adultos com depressão : prevalência no Brasil e em estudo de base populacional no Distrito Federal

Silva, Marcus Tolentino
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.37%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.; Introdução: A depressão é um problema de saúde pública associado à incapacidade funcional e à elevada morbimortalidade. Apesar de comum, suas estimativas de frequência estão fragmentadas em diversos estudos, e o Distrito Federal carece de estimativas recentes. Objetivo: Realizaram-se duas pesquisas, uma para avaliar a prevalência de depressão em adultos (18 a 65 anos) em estudos realizados no Brasil e outra para estimar a prevalência e os fatores associados à depressão autorreferida em adultos residentes no Distrito Federal. Métodos: Na primeira pesquisa, conduziu-se uma revisão sistemática. Foram elegíveis estudos transversais de base populacional, sem restrição quanto ao idioma, data ou tipo de publicação. Até abril de 2013, pesquisou-se no MEDLINE, Embase, Scopus, LILACS, SciELO e Domínio Público. Após seleção pareada e independente, a qualidade metodológica dos estudos incluídos foi avaliada seguindo instrumento padronizado. Realizaram-se meta-análises a partir do modelo de efeito randômico de Mantel-Haenszel para obter a estimativa global, e metarregressões para investigar a heterogeneidade. Na segunda pesquisa...

Depressão e actividades de vida diária no idoso

Sousa, Fernando António Neto Teixeira de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.57%
O envelhecimento crescente da população portuguesa é uma realidade impossível de ignorar. Tendo em atenção que os Idosos estão numa situação de perdas constantes, mediante a diminuição do suporte sócio familiar, a perda do estatuto profissional e económico, o declínio físico e a maior frequência de doenças, podem surgir estados depressivos, como consequência destas situações. A questão central que orientou este estudo diz respeito ao Idoso com depressão e a sua autonomia nas Actividades de Vida Diária. Assim pretendese determinar a relação entre a depressão e o índice de autonomia nas Actividades de Vida Diária. O estudo foi realizado numa Instituição Particular de Solidariedade Social, com um grupo de 47 Idosos (com idades superiores a 65 anos), sem deficit cognitivo, a residir em Lar ou a frequentar o Centro de Dia. Como opção metodológica considerámos o estudo descritivo correlacional. O método usado para a colheita de dados foi a aplicação de um questionário constituído, por questões inerentes aos dados pessoais, pelo Mini Mental State de Folstein Escala de Depressão Geriátrica de Yesavage e Índice de Autonomia de Katz. Os estudos estatísticos realizados revelaram que a autonomia nas Actividades de Vida Diária nos Idosos não está relacionada com a sua idade...

Motivação na esquizofrenia e depressão: estudo das necessidades psicológicas básicas e dos níveis de autodeterminação em amostras psiquiátricas

Sousa, Rita Flávia Moreira de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
A motivação tem sido uma questão perene no domínio da psicologia e é identificada como um conjunto de determinantes ambientais, de forças internas (necessidades e desejos) e incentivos que movem o organismo (Witter., Porto, Lomônaco., & Bitencourt, 1984). Em 1975 Decy e Ryan, apresentaram um livro intitulado Intrinsic Motivation, afirmando que as pessoas para estarem intrinsecamente motivadas necessitam de se sentir competentes e autodeterminadas (cf. Ryan & Deci, 2000). Apresentaram ainda, nesta abordagem o conceito de necessidades psicológicas básicas, apontadas como determinantes do comportamento intrinsecamente motivado. Entretanto as necessidades psicológicas básicas como a autodeterminação estão pouco estudadas em amostras clínicas. Por conseguinte este estudo teve como objetivo principal, avaliar a satisfação das necessidades psicológicas básicas (NPB) e os níveis de autodeterminação, tendo como referencial conceptual a teoria motivacional da autodeterminação de Deci & Ryan em amostras clínicas com diagnóstico de depressão ou de esquizofrenia. Foi recolhida uma amostra total de 91 participantes, com idades entre os 21 e os 71 anos, compreendendo 29 (19 homens e 10 mulheres) com psicose esquizofrénica...

Sofrimento emocional, stress e depressão em estudantes universitários

Cristovão, Filipa Catarina Caetano
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.62%
Os estudantes do ensino superior encontram-se vulneráveis a fatores de stress, devido à fase de desenvolvimento psicossocial e desafios inerentes à vivência universitária. Esta experiência poderá ser vivida como crise e/ou fator de desenvolvimento. O presente estudo pretende caracterizar a saúde mental global, sofrimento emocional, stress e depressão nos alunos do ensino superior. Foi realizado um estudo transversal com uma amostra de 220 alunos do ensino superior com e sem acompanhamento psicológico. Como instrumentos de avaliação foram utilizados: Questionário de Caracterização Sócio demográfica; Inventário do Stress em Estudantes Universitários (ISEU); Inventário de Saúde Mental (MHI-5); Termómetros Emocionais (ET-5); e o Questionário de Saúde do Paciente (PHQ-9). Os resultados revelam níveis elevados de depressão, stress e sofrimento emocional no ensino superior, com os alunos em acompanhamento psicológico a revelarem dificuldades mais acentuadas. As variáveis saúde mental, depressão, stress e sofrimento emocional estão significativamente correlacionadas. O presente estudo permitiu concluir que uma menor perceção de distress, menos sintomatologia depressiva e de stress, assim como uma menor perceção de necessidade de ajuda...

Viver com a depressão: relatos de uma transição

Marques, Maria de Fátima
Fonte: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental Publicador: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.52%
Titulo – Viver com a depressão - relatos de uma transição Questão: - Como acontece a transição saúde-doença na pessoa com depressão? Objectivos: - Compreender a transição saúde-doença na pessoa com depressão. - Descrever os factores desencadeantes da depressão; - Descrever as alterações que ocorrem na vida da pessoa com depressão - Identificar como a pessoa vive a sua depressão - Descrever as reacções da pessoa com depressão na relação com os outros. Metodologia: Desenho de investigação de natureza qualitativa. Decorreu em Dezembro 2007 nas consultas externas do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital de Évora. Estudo exploratório/descritivo com vista a originar questões para estudo posterior. A amostragem é não probabilística por acessibilidade. Seleccionei, todos os indivíduos a que tive acesso durante Dezembro nas consultas externas, 2 vezes por semana, num total de 5 participantes, obedecendo aos seguintes critérios: - ter diagnóstico médico de depressão unipolar sem patologia associada, inscrito nas consultas externas do Departamento. - ter capacidade cognitiva que permita a recolha de informação - aceitar participar no estudo de forma voluntária. Foram respeitados os procedimentos éticos. Recolha de dados: consulta da ficha clínica para obtenção do diagnóstico médico (critério de selecção) e entrevistas semi-estruturadas. Entrevistas gravadas em áudio e transcritas integralmente por mim. Análise de conteúdo temática segundo Bardin. Com o desmembramento do texto em unidades...

O familiar como cuidador da pessoa com depressão

Marques, Maria de Fátima; Lopes, M. J.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental Publicador: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
46.59%
O familiar como cuidador da pessoa com depressão Classificada como transtorno do estado de humor (ICD 10), a depressão é considerada um grande problema de saúde pública, pela forma como pode deteriorar a qualidade de vida dos doentes e implicações sociais que acarreta. Segundo European Alliance Against Depression (EAAD, 2012), estima-se que 18,4 milhões de europeus sofrem de depressão, enquanto um estudo de saúde mental realizado em Portugal (2010), revelou que 7,9% da população tinha perturbações depressivas, resultado superior à média dos países europeus. Sendo o internamento considerado recurso de última linha, é no contexto familiar e social que a pessoa vive a sua depressão, devendo os familiares ser encarados parceiros importantes na prestação de cuidados. É esperado que estes se assumam como cuidadores informais de uma situação clinica que muitas vezes desconhecem e para a qual não estão preparados, por não saber o que fazer. Como cuida o familiar da pessoa com depressão? Objetivos: caraterizar a depressão na perspetiva do familiar e do doente; descrever as estratégias utilizadas pelo familiar para cuidar do doente com depressão. Método: investigação de natureza qualitativa e indutiva, com recurso à Grounded Theory...

Uma investigação dos determinantes socioeconômicos da depressão mental no Brasil com ênfase nos efeitos da educação

Santos,Marcelo Justus dos; Kassouf,Ana Lúcia
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
Este estudo investigou a relação entre fatores socioeconômicos e depressão mental com ênfase nos efeitos da educação, objetivando avançar no conhecimento e discussão sobre a relação entre fatores socioeconômicos e saúde. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) de 2003 e de seu suplemento especial sobre saúde. Foram estimadas, separadamente, equações para homens e mulheres. Constatou-se que as condições socioeconômicas podem interferir na probabilidade de ambos os gêneros desenvolverem sintomas depressivos. Contudo, o efeito destas condições é maior nas mulheres. Por fim, concluímos que um maior nível educacional pode reduzir o risco de depressão.

Efeitos de procedimentos focados na relação terapêutica sobre comportamentos geralmente descritos nos quadros de depressão

Freitas, Sulliane Teixeira
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.58%
Resumo: A literatura analítico-comportamental indica que a alta freqüência de comportamentos de fuga/esquiva de estimulação aversiva, emitidos por clientes com depressão, somada à escassez de reforçamento positivo, têm por conseqüência um repertório social restrito. As relações interpessoais estabelecidas com esses clientes podem tornar-se aversivas, gerando contexto para afastamento das pessoas com quem eles interagem. As psicoterapias analítico-comportamentais contemporâneas propõem que intervenções com foco na relação terapêutica podem gerar o restabelecimento de relações de intimidade, confiança, entre outras, favorecendo modificação dos repertórios sociais restritos e, possivelmente, a melhora da depressão. O presente estudo teve por objetivo a análise da relação terapêutica estabelecida entre terapeuta e clientes que apresentam comportamentos geralmente descritos nos quadros de depressão. Buscou-se avaliar os efeitos de intervenções com foco no aqui/agora, privilegiando resposta aos CRBs, em dois casos clínicos de clientes com depressão. Para tal investigação, optou-se por um delineamento experimental de sujeito único A-B, de linha de base múltipla inter-sujeitos. Na Fase A, a terapeuta não deveria responder aos comportamentos clinicamente relevantes das clientes...

Uma análise crítica da depressão dentro do âmbito do trabalho e de suas consequências jurídicas

Santos, Luiza Beghetto Penteado dos
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.49%
Resumo: O estudo da depressão dentro do âmbito do trabalho ao resumir-se apenas à questões biológicas mascara a realidade opressora que predomina dentro do mundo do trabalho. No entanto, vinculá-la apenas à fatores relacionados às condições do ambiente laboral limita a compreensão da depressão à questões particulares e específicas. O presente trabalho busca fazer uma análise crítica de como a depressão tem sido encarada no âmbito do trabalho e de suas consequências jurídicas. Compreender que o processo saúde-doença é determinado socialmente é essencial para entender a relação entre a depressão e o trabalho. O conceito de doença no mundo moderno sempre esteve vinculado à capacidade ou não de trabalhar, portanto, não necessariamente o patológico é de fato uma anormalidade, até porque o conceito de normal também é determinado de acordo com aspectos sócio-históricos. Verifica-se, portanto, que os altos índices de depressão na sociedade contemporânea corresponde ao período de desenvolvimento do toyotismo, modelo de organização produtiva marcado pela flexibilidade da produção, intensos ritmos de trabalho, exigência de trabalhadores multiqualificados, em que se mantém a lógica da máxima produtividade. O amplo conceito de depressão tem sido um bom mecanismo para exclusão ou afastamento do mercado de trabalho de trabalhadores que demonstrem indícios de fadiga...

Adesão e não adesão ao tratamento psiquiátrico para depressão

Cunha, Marines de Fátima
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.74%
Entende-se que a adesão ao tratamento medicamentoso seja de fundamental importância para o manejo da doença depressiva e concebendo-se que a não adesão a este tratamento possa ocorrer com uma freqüência importante, este estudo teve por objetivo compreender os aspectos relacionados à adesão e não adesão ao tratamento psiquiátrico para depressão, na ótica de usuários e ex-usuários de um serviço público de saúde mental da cidade de Araguari MG. A amostra deste estudo compôs-se de 24 participantes, sendo 12 considerados aderentes ao tratamento para depressão e12 considerados como não aderentes ao tratamento, de acordo com o critério de assiduidade às consultas médicas psiquiátricas. Realizaram-se entrevistas semidirigidas que foram conduzidas individualmente com cada participante pela Pesquisadora, e a partir dos relatos transcritos procedeu-se à análise de conteúdo na perspectiva de análise temática. Verificou-se que a adesão e a não adesão ao tratamento medicamentoso para depressão consistem em fenômenos multifatoriais, identificando-se três grandes aspectos ou perspectivas a serem considerados no comportamento de adesão e de não adesão a este tipo de tratamento. Na perspectiva dos “Aspectos Intrapessoais” concebeu-se a participação de fatores relacionados ao próprio paciente que podiam facilitar e também dificultar a adesão ao tratamento...

Transtorno de estresse pós-traumático, depressão e desesperança em mulheres vítimas de violência sexual no primeiro e no sexto mês de avaliação; Posttraumatic stress disorder, depression and hopelessness in women victims of sexual violence at the first and at the sixth month of evaluation

Carolina Leme Machado
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.55%
Introdução: A violência sexual é problema que atinge inúmeras mulheres no mundo e suas consequências abrangem complicações físicas, psíquicas, sociais e sexuais. Estudos indicam que psicopatologias são recorrentes nas mulheres que sofrem abuso sexual, mais comumente o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e a depressão. Objetivos: Avaliar os escores de TEPT, Depressão e Desesperança em mulheres vítimas de violência sexual que estiveram em acompanhamento ambulatorial no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Métodos: Estudo de coorte longitudinal em que foram avaliadas 67 mulheres, no primeiro mês pós-violência e 52 no sexto mês, através da Escala de Avaliação de Transtorno de Estresse Pós-Traumático Administrada pelo Clínico (CAPS), do Inventário de Depressão de Beck (BDI), da Escala de Desesperança Beck (BHS) e de entrevista estruturada para avaliar a autopercepção do trauma e da saúde. Os escores foram correlacionados às variáveis sociodemográficas, da violência, percepção e atitudes da mulher. Resultados: TEPT presente em 64,2% dos casos na avaliação inicial, sendo 13,5% entre severo e muito severo e 29,9% em moderado...

Alterações cognitivas na depressão

Dirceu Zorzetto Filho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.55%
Este estudo é uma revisão crítica da literatura sobre o comprometimento cognitivo encontrado nos quadros depressivos primários, não-bipolares. O objetivo foi a análise da natureza e do padrão desse comprometimento, o estabelecimento de associações entre as variáveis clínicas e o desempenho neuropsicológico, e a determinação das correlações entre os déficits cognitivos na depressão e seus substratos neurais subjacentes. Inicialmente, foram revistos os conceitos de depressão, suas características clínicas, as classificações atuais, o diagnóstico diferencial, a epidemiologia, as principais hipóteses etiológicas e a evolução. Discutiu-se a conceituação e as características das principais funções cognitivas, seguindo a abordagem neuropsicológica sugerida por Muriel Lezak, e descreveu-se os propósitos e os métodos da avaliação neuropsicológica das funções cognitivas. Organizou-se um painel das principais contribuições da neuropsicologia na área de saúde mental e descreveu-se a evolução histórica do conceito de déficit cognitivo relacionado à depressão, bem como as contribuições de diversos autores. Tanto o aspecto conceitual como a utilidade clínica da avaliação neuropsicológica foram abordados. A revisão da literatura foi realizada por meio da consulta a três bancos de dados: Medline...

O cuidador familiar no olhar da pessoa com depressão

Marques, Maria de Fátima S. R.; Lopes, Manuel José
Fonte: A Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental Publicador: A Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
RESUMO: Problema: Atualmente o internamento em unidades de saúde é considerado um recurso de última linha, sendo no contexto familiar e social que a pessoa vive a sua depressão. Consequência desta realidade, o papel de cuidador é naturalmente assumido pelo familiar, mas nem sempre aceite como tal pela pessoa que vive a depressão, tendo este facto repercussões importantes na vida familiar, sobretudo ao nível das relações interpessoais. Questão: - Como é que a pessoa com depressão vê o familiar cuidador? Objetivos: - caraterizar a depressão na perspetiva de quem a vive; - Caraterizar o papel de cuidador familiar na perspetiva do doente; - Descrever as reações do doente na relação com os cuidadores familiares Metodologia: desenho de natureza qualitativa e indutiva com recurso à Grounded Theory. Dois pólos das consultas externas do departamento psiquiatria e saúde mental, Hospital de Évora, em duas cidades diferentes, de fevereiro a julho 2009. Seleção de participantes, não probabilística intencional com os seguintes critérios: adultos ou idosos com diagnóstico de depressão, habitar com familiares, ter capacidade cognitiva que permita recolher informação. Realizadas entrevistas a 20 participantes (8 doentes e 12 familiares)...

Uma investigação dos determinantes socioeconômicos da depressão mental no Brasil com ênfase nos efeitos da educação

Santos, Marcelo Justus dos; Kassouf, Ana Lúcia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2007 POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
This study investigates the relationship between socioeconomic factors and mental depression emphasizing the educational effect. Analyses for men and women were performed separately, using a 2003 Brazilian Household Survey (PNAD). It was verified that socioeconomic conditions can interfere in the probability of both men and women to develop depressive symptoms. However, the effect of these conditions is larger for women. Finally we concluded that higher education can reduce the risk of depression.; Este estudo investigou a relação entre fatores socioeconômicos e depressão mental com ênfase nos efeitos da educação, objetivando avançar no conhecimento e discussão sobre a relação entre fatores socioeconômicos e saúde. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) de 2003 e de seu suplemento especial sobre saúde. Foram estimadas, separadamente, equações para homens e mulheres. Constatou-se que as condições socioeconômicas podem interferir na probabilidade de ambos os gêneros desenvolverem sintomas depressivos. Contudo, o efeito destas condições é maior nas mulheres. Por fim, concluímos que um maior nível educacional pode reduzir o risco de depressão.