Página 1 dos resultados de 189 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Associação entre depressão materna e diferenças de gênero no comportamento de crianças: uma revisão sistemática; Association between maternal depression and gender differences in child behavior: a systematic review

LOOSLI, Lívia; LOUREIRO, Sonia Regina
Fonte: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Publicador: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.86%
A depressão materna tem sido considerada uma condição de adversidade ao desenvolvimento infantil, sendo associada a problemas comportamentais, com manifestações diversas para meninos e meninas. O objetivo deste estudo foi identificar e analisar, na literatura indexada, artigos que abordem a associação entre depressão materna e diferenças de gênero relativas ao comportamento de crianças. Procedeu-se a uma busca nas bases de dados MEDLINE, PubMed, PsycINFO, Web of Science, LILACS, SciELO e Index Psi, por meio das palavras-chave maternal depression and gender e maternal depression and child sex, considerando-se a produção dos últimos 5 anos (2004 a 2009). Foram identificados e analisados sistematicamente 21 artigos empíricos. Observou-se a predominância de delineamentos longitudinais prospectivos, com amostras de comunidade, sem confirmação diagnóstica para a depressão materna, analisada conjuntamente com outras variáveis contextuais. As coletas de dados foram realizadas com instrumentos e informantes diversos. Os estudos longitudinais e transversais confirmaram o impacto negativo da depressão materna sobre as variáveis das crianças, apontando a presença de diferenças entre os gêneros, caracterizadas da seguinte forma: na idade escolar...

Cuidados primários à saúde mental: depressão materna e aspectos comportamentais de crianças em idade escolar; Primary Mental Health Care: Maternal Depression and Behavioral Aspects of School-age Children

Mendes, Ana Vilela
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.85%
Os transtornos mentais têm sido considerados problemas relevantes para a população mundial. Dentre estes, as síndromes depressivas, especialmente em mulheres/mães, tem sido reconhecidas como um problema de saúde pública, sendo associadas ao comprometimento do desenvolvimento infantil. Objetiva-se: caracterizar os indicadores comportamentais apresentados por crianças em idade escolar que convivem com mães com depressão, identificadas em um serviço de atenção primária, comparando tal perfil com o de crianças que convivem com mães sem história psiquiátrica; e caracterizar e comparar o perfil demográfico e clínico apresentado pelas mulheres-mães. A identificação das mulheres foi feita quando procuraram ou foram encaminhadas para serviços médicos, não psiquiátricos, em uma Unidade Básica de Saúde da cidade de Uberaba-MG. Das 680 mulheres agendadas no período do estudo, 205 (30,1%) apresentavam o perfil definido para a inclusão: mulheres/ mães, não grávidas, com filhos biológicos em idade escolar, sem deficiências físicas e/ou sensoriais aparentes. De forma ativa todas foram convidadas a participarem do estudo, 185 aceitaram. A identificação das mães com indicadores de depressão foi realizada por meio do Questionário sobre a Saúde do Paciente-9 (PHQ-9) e a confirmação diagnóstica realizada por meio da Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV (SCID). Foram excluídas do estudo oito mulheres que apresentavam diagnóstico de outros transtornos psiquiátricos e/ou comorbidades orgânicas. Participaram do estudo 177 mães e respectivos filhos...

Depressão materna associada a múltiplos estressores e a socialização de crianças em idade escolar; Association of maternal depression with multiple stressors and socialization of schoolchildren

Pizeta, Fernanda Aguiar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/05/2009 PT
Relevância na Pesquisa
57%
A depressão materna recorrente, pelas suas peculiaridades, pode se associar a outras condições adversas crônicas, configurando-se em cenários familiares diversos com impacto diferenciado para as famílias e para a socialização de crianças em idade escolar. Objetivou-se caracterizar, por meio do método de estudos de caso, o contexto de socialização de crianças em idade escolar que convivem com a depressão materna recorrente, associada a cenários familiares diversos. Comparou-se os recursos e as adversidades pessoais das crianças, das suas famílias e da rede de apoio social, tendo como foco crianças com perfis diferenciados, quanto ao desempenho acadêmico e ao comportamento, expressos pela presença ou ausência de dificuldade de socialização. Foram avaliadas oito duplas mãe-criança, tendo as mulheres entre 25 e 45 anos e diagnóstico de depressão recorrente, e as crianças, de ambos os sexos, com idades entre sete e 12 anos, sendo quatro com dificuldade de socialização e quatro sem tal dificuldade. Definiu-se como dificuldade de socialização, para crianças em idade escolar, problemas referentes ao desempenho acadêmico e ao comportamento. Procedeu-se à aplicação, com as mães: (a) entrevista diagnóstica para confirmação do transtorno depressivo recorrente...

Desenvolvimento prossocial em crianças de três anos de idade: relações do contexto sócio afetivo de criação e da depressão materna; Prosocial development in three years old children: the relationship of the socio affective parenting context and of the maternal depression

Stobäus, Laura Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.9%
Estudos em diferentes ambientes socioculturais têm mostrado uma incidência de depressão em 10 a 20% das mulheres. Dentre as decorrências relevantes do quadro, tem havido um interesse especial nos potenciais comprometimentos da interação mãebebê no desenvolvimento cognitivo e emocional da criança, que repercutem no desenvolvimento do seu comportamento prossocial. O objetivo do presente estudo foi avaliar, através de tarefas de ajuda instrumental, se a depressão materna afeta o desenvolvimento do comportamento prossocial de crianças de três anos de idade. Participantes: 24 díades mães-criança: 12 mães nunca deprimidas, seis mães sempre deprimidas e seis mães com depressão atual quando as crianças estavam com a idade de 36 meses (M=37±2,8 meses). As mães estavam com a idade média de 25 anos (M=25,87±5,23) e foram avaliadas pela escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo, no momento da aplicação dos testes e no puerpério. Foi filmado o desempenho das crianças em tarefas de: 1) ajudar a mãe, pessoa familiar, a recolher os brinquedos, depois de uma sessão de brincadeira e 2) ajudar experimentador, desconhecido, a pegar objeto que ele deixa cair ao solo. Os resultados não apresentaram diferenças significativas estatísticas quanto aos tipos de comandos maternos...

Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares; Maternal depression, stressors and resilience: predictors to school-age behavior

Pizeta, Fernanda Aguiar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.88%
Estudos que avaliam condições de risco para o desenvolvimento infantil têm incluído a depressão materna no conjunto de variáveis preditoras de desfechos negativos por parte das crianças. A compreensão sobre o impacto das condições de risco, sob a perspectiva da psicopatologia do desenvolvimento, coloca em foco a relevância das condições de proteção como elementos que concorrem para os desfechos. Verifica-se, na literatura, que poucos estudos sobre o impacto da depressão materna para as crianças abordam condições de risco e proteção, definidas a priori. O presente estudo se insere nessa lacuna. Objetivou-se identificar as associações entre condições contextuais adversas e protetivas para crianças em idade escolar que conviviam com mães com depressão recorrente, focalizando os eventos estressores e os processos de resiliência familiar e o efeito preditivo de tais variáveis para o desfecho comportamento das crianças. Foram avaliadas 100 díades mães-crianças, sendo 50 díades casos, cujas mães apresentavam diagnóstico de transtorno depressivo recorrente, com episódios moderados ou graves, e 50 díades não casos, cujas mães não apresentavam transtornos psiquiátricos, e as crianças, ambos os sexos...

Depressão materna e representações mentais

Marques, Cristina
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.63%
A depressão materna merece um lugar especial entre as situações em que a qualidade do investimentomaterno se encontra comprometida, não só pela sua frequência, mas também pelo papel que ultimamente lhe tem sido atribuído enquanto factor de risco psicopatológico para o desenvolvimento de perturbaçõesemocionais na criança. Neste trabalho são analisadas de forma mais detalhada as representações mentais de mães com sintomatologia depressiva e o seu impacto nas interacções mãe-criança, a partir de um estudo realizado na Unidade da Primeira Infância com o objectivo de avaliar adepressão materna (em correlação com outros factoresde risco significativos) e o funcionamento psico-emocionaldos filhos de mães deprimidas.É efectuada uma reflexão sobre os resultados desta investigação, sendo de destacar as diferenças significativas encontradas entre mães deprimidas e não deprimidas relativamente às percepções de si próprias, da criança e a aspectos da identificação mãe-criança.

Depressão materna e a saúde mental de escolares

Mendes,Ana Vilela; Loureiro,Sonia Regina; Crippa,José Alexandre S.
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.88%
CONTEXTO: A depressão materna tem sido apontada como uma condição pouco favorecedora ao desenvolvimento infantil, mostrando-se associada a dificuldades emocionais e comportamentais. OBJETIVOS: Identificar e analisar na literatura indexada artigos que abordem o impacto da depressão materna para as crianças em idade escolar. MÉTODOS: Procedeu-se à pesquisa nos indexadores Medline, Lilacs, Scielo, Index Psi, Psyc Info, considerando a produção dos últimos cinco anos (2002-2007). Foram identificados e analisados 30 artigos empíricos. RESULTADOS: Observou-se distribuição semelhante quanto aos delineamentos longitudinais e transversais, características das amostras e formas de avaliação. As coletas de dados foram realizadas em contextos diversos com uma variedade de recursos e informantes. Depressão materna associou-se a dificuldades apresentadas pelas crianças, tais como problemas comportamentais, sintomas depressivos, prejuízos cognitivos e sociais, independentemente do momento de primeira exposição à depressão materna e dos delineamentos adotados, sendo o prejuízo potencializado na presença de comorbidades psiquiátricas. CONCLUSÕES: A depressão materna configurou-se como fator de risco ao desenvolvimento infantil...

Depressão materna e interação mãe-bebê no final do primeiro ano de vida

Schwengber,Daniela Delias de Sousa; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
O objetivo deste estudo foi o de examinar eventuais diferenças na interação mãe-bebê entre mães com e sem depressão no final do primeiro ano de vida do bebê. Participaram 26 díades mãe-bebê, 11 com mães com indicadores de depressão e 15 com mães sem indicadores. A designação aos dois grupos ocorreu com base nos escores do Inventário Beck de Depressão. Análise dos totais de comportamentos maternos e infantis durante sessão de observação do brinquedo livre revelou que mães com indicadores de depressão apresentaram menos comportamentos facilitadores da exploração de brinquedos pelos bebês enquanto seus filhos mostraram mais afeto negativo. Além disso, mães com indicadores de depressão evidenciaram mais apatia, mantiveram menos a atenção de seus filhos nos brinquedos e demonstraram menos ternura e afeição e seus bebês apresentaram mais vocalizações negativas. Esses resultados apóiam as expectativas de que a depressão materna pode ocasionar um impacto negativo na interação mãe-bebê.

A depressão materna e o comportamento de crianças em idade escolar

Mian,Luciana; Tango,Louise Azenha; Lopes,Juliana; Loureiro,Sonia Regina
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.78%
A depressão materna caracteriza-se como condição de vulnerabilidade ao desenvolvimento infantil. No presente estudo, objetivou-se comparar o perfil comportamental, as percepções e os eventos de vida de escolares que convivem com a depressão materna (G1) aos daqueles que convivem com mães sem história psiquiátrica (G2), segundo as informações obtidas com as mães e as crianças. Avaliou-se 40 crianças, de 7 a 12 anos, por meio do Teste Raven, da Escala Infantil Piers-Harris de Autoconceito e da Entrevista de Eventos Vitais. As mães foram avaliadas pela Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV para a confirmação diagnóstica, e responderam a Escala Comportamental Infantil A2 de Rutter. A depressão materna mostrou-se associada a problemas comportamentais das crianças, segundo o relato das mães e a percepção das crianças.

Depressão materna e a interação triádica pai-mãe-bebê

Frizzo,Giana Bitencourt; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.88%
O presente estudo examinou as eventuais diferenças na interação triádica (pai-mãe-bebê) e diádica (mãe-bebê, pai-bebê e mãe-pai) em famílias com e sem depressão materna, com bebês de um ano de idade, durante uma sessão de interação livre. Participaram do estudo 19 famílias, das quais 9 de mães deprimidas e 10 de mães não-deprimidas. Foram investigados os padrões de interação triádico e diádico através de um protocolo envolvendo diversas categorias. Contrariando a hipótese do estudo, não houve diferenças estatisticamente significantes nas interações triádicas entre as famílias com e sem depressão materna. Já nas interações diádicas, dentro de cada grupo de famílias, apareceram diferenças estatisticamente significantes no grupo sem depressão materna. Nas famílias com depressão materna, apenas a categoria estimulação cognitiva obteve significantemente maior incidência, indicando que, embora deprimidas, as mães conseguiam prover uma estimulação adequada para seus bebês. No conjunto, os dados sugerem que a depressão materna pode acarretar mudanças, ainda que sutis, no padrão familiar.

Depressão materna e riscos para o comportamento e a saúde mental das crianças: uma revisão

Pizeta,Fernanda Aguiar; Silva,Thaysa Brinck Fernandes; Cartafina,Maria Isabela Brasil; Loureiro,Sonia Regina
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.84%
A depressão materna tem sido considerada um fator de risco para a saúde mental das crianças. Objetivou-se identificar e analisar na literatura indexada artigos empíricos recentes (2005 a 2012), que abordaram as associações da depressão materna ao comportamento e à saúde mental de crianças, escolares. Procedeu-se a uma busca sistemática nas bases PubMed, PsycInfo e LILACS, por meio das palavras-chave "Maternal Depression or Depression" e "Risk Factors". Foram selecionados e analisados 68 artigos, 23 transversais e 45 longitudinais. Independentemente dos delineamentos adotados, a depressão materna mostrou-se associada à presença de dificuldades emocionais e comportamentais em geral, de manifestações depressivas e de ansiedade. Além da depressão materna, outras variáveis contextuais mostraram-se associadas às dificuldades das crianças. O reconhecimento da ação de múltiplas variáveis permitiu a verificação de indicadores diversos, o que pode favorecer o planejamento de intervenções.

Interação mãe-bebê em contexto de depressão materna: aspectos teóricos e empíricos

Frizzo,Giana Bitencourt; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.81%
O presente estudo teve por objetivo revisar a literatura sobre a interação mãe-bebê em situação de depressão materna. Em particular, buscou-se analisar os diversos fatores que podem mediar o impacto da depressão materna no desenvolvimento do bebê, dentre eles a idade da criança, o seu temperamento, a cronicidade do episódio depressivo materno e o estilo interativo da mãe deprimida. A literatura revisada revela que a depressão afeta não só a mãe, mas também o bebê e até mesmo o próprio pai, em vista da influência deste quadro no contexto familiar. Alguns estudos sugerem ainda que a presença do pai e a ausência de conflitos conjugais são fatores que podem amenizar os efeitos da depressão materna para o bebê.

Dialogia mãe-filho em contextos de depressão materna: revisão de literatura

Carlesso,Janaína Pereira Pretto; Souza,Ana Paula Ramos de
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.88%
TEMA: o presente estudo analisou a produção científica dos últimos cinco anos sobre a depressão materna, em particular as repercussões da depressão na interação mãe-filho e as suas implicações para o desenvolvimento infantil. OBJETIVO: verificar as repercussões da depressão materna na interação mãe-filho, e examinar suas implicações para o desenvolvimento da criança, especialmente o de linguagem. CONCLUSÃO: a revisão de literatura realizada demonstra que a depressão materna afeta não só a mãe, mas também o desenvolvimento global do bebê. Os estudos apontaram que os efeitos da depressão materna podem resultar negativamente no desenvolvimento da criança, potencializando desordens lingüísticas, comportamentais, afetivas, cognitivas e sociais. Portanto, a depressão materna, em um determinado momento após o nascimento, pode interferir no estabelecimento do vínculo mãe-bebê e, por isso, deve ser tratada o mais precocemente possível.

A influência da depressão materna no desenvolvimento da criança

Carvalho, Margarida Mateus de
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.81%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; Esta investigação pretende compreender o funcionamento mental das mães, de forma a averiguar o impacto da depressão materna no desenvolvimento emocional da criança e na qualidade da relação mãe-criança. A amostra é constituída por 50 mães (M= 34,40; DP= 7,56) de crianças até 5 anos (M = 3,6; DP = 1,56). A depressão materna foi avaliada através do Inventário de Depressão de Beck –II (BDI-II, Beck, Steer & Brown, 1996) e do Questionário de Experiências Depressivas (QED, Blatt, D´Afflitti & Quinlan, 1976, 1979) tendo sido utilizada a versão portuguesa do instrumento (Campos, 2000). As crianças foram avaliadas através da Classificação Diagnóstica de Saúde Mental e Perturbações do Desenvolvimento do Bebé e da Criança (D-C : 0-3 - R). Observou-se um predomínio da tipologia auto-critica em detrimento das restantes e a maioria das mães apresentam níveis moderados a severos, de acordo com a BDI. Verificou-se a existência de uma correlação positiva e significativa entre o desenvolvimento emocional da criança e a eficácia das mães (r = 0,54; p < 0,01) bem como com os sub-factores relatedness (r = 0,36; p < 0,05) e connectedness (r = 0...

Depressão materna e a saúde mental de escolares; Maternal depression and school-age mental health

MENDES, Ana Vilela; LOUREIRO, Sonia Regina; CRIPPA, José Alexandre S.
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.88%
CONTEXTO: A depressão materna tem sido apontada como uma condição pouco favorecedora ao desenvolvimento infantil, mostrando-se associada a dificuldades emocionais e comportamentais. OBJETIVOS: Identificar e analisar na literatura indexada artigos que abordem o impacto da depressão materna para as crianças em idade escolar. MÉTODOS: Procedeu-se à pesquisa nos indexadores Medline, Lilacs, Scielo, Index Psi, Psyc Info, considerando a produção dos últimos cinco anos (2002-2007). Foram identificados e analisados 30 artigos empíricos. RESULTADOS: Observou-se distribuição semelhante quanto aos delineamentos longitudinais e transversais, características das amostras e formas de avaliação. As coletas de dados foram realizadas em contextos diversos com uma variedade de recursos e informantes. Depressão materna associou-se a dificuldades apresentadas pelas crianças, tais como problemas comportamentais, sintomas depressivos, prejuízos cognitivos e sociais, independentemente do momento de primeira exposição à depressão materna e dos delineamentos adotados, sendo o prejuízo potencializado na presença de comorbidades psiquiátricas. CONCLUSÕES: A depressão materna configurou-se como fator de risco ao desenvolvimento infantil...

A depressão materna e o comportamento de crianças em idade escolar; Maternal depression and school-aged children behavior

MIAN, Luciana; TANGO, Louise Azenha; LOPES, Juliana; LOUREIRO, Sonia Regina
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
A depressão materna caracteriza-se como condição de vulnerabilidade ao desenvolvimento infantil. No presente estudo, objetivou-se comparar o perfil comportamental, as percepções e os eventos de vida de escolares que convivem com a depressão materna (G1) aos daqueles que convivem com mães sem história psiquiátrica (G2), segundo as informações obtidas com as mães e as crianças. Avaliou-se 40 crianças, de 7 a 12 anos, por meio do Teste Raven, da Escala Infantil Piers-Harris de Autoconceito e da Entrevista de Eventos Vitais. As mães foram avaliadas pela Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV para a confirmação diagnóstica, e responderam a Escala Comportamental Infantil A2 de Rutter. A depressão materna mostrou-se associada a problemas comportamentais das crianças, segundo o relato das mães e a percepção das crianças.; Maternal depression is characterized as a condition of vulnerability to children's development. The aim of this study was to compare the behavioral profile, the self-perceptions and the life events experienced by school-aged children that live with maternal depression (G1) to those of children who live with mothers without psychiatric history (G2), according to mothers' and children's perceptions. Forty children...

Implicações Emocionais e Sócio-Cognitivas da Depressão Materna na Criança em Idade Escolar

Martins, Vando Filipe Lavos
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
66.86%
A depressão materna tem sido associada a factores que em nada promovem o desenvolvimento infantil. O presente estudo tem como objectivo compreender implicações da depressão materna no desenvolvimento da criança em idade escolar A amostra foi composta por 24 mães e respectivos filhos de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 8 e os 15 anos, do 1º, 2º e 3º ciclo, pertencentes ao Agrupamento de Escolas da Batalha, encaminhados aos Serviços de Psicologia e Orientação. As crianças foram distribuídas em grupos distintos, G1, constituído por 12 crianças cujas mães sofreram depressão nos primeiros três anos de vida dos seus filhos, e G2, composto por 12 crianças cujas mães não sofreram depressão nem outros distúrbios psiquiátricos nos primeiros três anos de vida dos seus filhos. A identificação das mães com indicadores de depressão foi feita de forma retrospectiva, através do questionário sobre a saúde do paciente (PHQ-9) e a confirmação diagnóstica através da SCID. Os dados sociodemográficos das mães e crianças foram recolhidos em contexto de entrevista, em que se analisaram dados relativos à gravidez, ao desenvolvimento da criança e ao seu contexto escolar. As mães responderam igualmente ao questionário de capacidades e dificuldades (SDQ) relativo ao comportamento dos seus filhos. Para a análise do sucesso escolar...

Depressão materna e implicações sobre o desenvolvimento infantil do autista; Maternal depression and implications on the infant development of autist

Sanini, Cláudia; Brum, Evanisa Helena Maio de; Bosa, Cleonice Alves
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.81%
INTRODUÇÃO: há evidências de intenso estresse nos cuidadores de crianças com autismo, especialmente nas mães, podendo ter, como uma de suas consequências, o desenvolvimento de um quadro depressivo materno. A depressão materna, por sua vez, pode afetar negativamente, tanto a mãe quanto a criança. OBJETIVO: descrever os aspectos implicados na depressão materna no contexto do autismo, bem como o impacto deste diagnóstico no desenvolvimento da criança com autismo. MÉTODO: foram consultadas as bases de dados do PsycINFO e SciELO. Utilizou-se como estratégias de busca no PsycINFO os descritores: autism OR infantile autism AND mother depression e no SciELO, Autism AND mother depression em todos os campos. RESULTADOS: os artigos foram classificados quanto ao tipo: revisão, estudo de caso e estudo experimental (N = 14). Foram considerados estudos de natureza qualitativa e quantitativa, escritos em português, inglês e espanhol. Os artigos listados de 1 a 3 foram utilizados para embasar a concepção de autismo e depressão materna. CONCLUSÃO: o diagnóstico de autismo pode afetar negativamente a saúde mental materna, o que por sua vez, pode impactar negativamente a interação com o filho, trazendo consequências para o desenvolvimento infantil. Intervenções destinadas a melhorar a saúde mental das mães e o desenvolvimento de crianças com autismo têm apresentado resultados positivos.; INTRODUCTION: there is evidence of intensive stress in caregivers of children with autism...

Depressão materna e a saúde mental de escolares; Maternal depression and school-age mental health

Mendes, Ana Vilela; Loureiro, Sonia Regina; Crippa, José Alexandre S.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.88%
CONTEXTO: A depressão materna tem sido apontada como uma condição pouco favorecedora ao desenvolvimento infantil, mostrando-se associada a dificuldades emocionais e comportamentais. OBJETIVOS: Identificar e analisar na literatura indexada artigos que abordem o impacto da depressão materna para as crianças em idade escolar. MÉTODOS: Procedeu-se à pesquisa nos indexadores Medline, Lilacs, Scielo, Index Psi, Psyc Info, considerando a produção dos últimos cinco anos (2002-2007). Foram identificados e analisados 30 artigos empíricos. RESULTADOS: Observou-se distribuição semelhante quanto aos delineamentos longitudinais e transversais, características das amostras e formas de avaliação. As coletas de dados foram realizadas em contextos diversos com uma variedade de recursos e informantes. Depressão materna associou-se a dificuldades apresentadas pelas crianças, tais como problemas comportamentais, sintomas depressivos, prejuízos cognitivos e sociais, independentemente do momento de primeira exposição à depressão materna e dos delineamentos adotados, sendo o prejuízo potencializado na presença de comorbidades psiquiátricas. CONCLUSÕES: A depressão materna configurou-se como fator de risco ao desenvolvimento infantil...

Depressão materna e representações mentais

Marques,Cristina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.69%
A depressão materna merece um lugar especial entre as situações em que a qualidade do investimento materno se encontra comprometida, não só pela sua frequência, mas também pelo papel que ultimamente lhe tem sido atribuído enquanto factor de risco psicopatológico para o desenvolvimento de perturbações emocionais na criança. Neste trabalho são analisadas de forma mais detalhada as representações mentais de mães com sintomatologia depressiva e o seu impacto nas interacções mãe-criança, a partir de um estudo realizado na Unidade da Primeira Infância com o objectivo de avaliar a depressão materna (em correlação com outros factores de risco significativos) e o funcionamento psico-emocional dos filhos de mães deprimidas. É efectuada uma reflexão sobre os resultados desta investigação, sendo de destacar as diferenças significativas encontradas entre mães deprimidas e não deprimidas relativamente às percepções de si próprias, da criança e a aspectos da identificação mãe-criança.