Página 1 dos resultados de 922 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

A influência da densidade óssea aparente na simulação de um fémur humano

Lima, M.J.; Fonseca, E.M.M.; Teixeira, Cristina; Barreira, Luísa
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
66.76%
A redução da massa óssea e a deterioração da micro-arquitectura do tecido leva a uma maior fragilidade do osso e ao consequente aumento de risco de fractura. Por este facto, considera-se relevante a quantificação da densidade de massa óssea e a verificação da sua sua influência de fluído, sendo a densidade efectiva a que inclui a massa de medula, essencialmente fluída. Essa medição é efectuada através da utilização de uma escala de valores cinza sobre a imagem médica em estudo. Inicialmente são determinados os valores de cálculo em unidades de densidade Hounsfield, sendo esta escala posteriormente convertida em medida da densidade óssea. Com base nesse registo, utilizar-se-á uma relação exponencial que permita calcular a dependência das propriedades biomecânicas do osso cortical e do osso trabecular da estrutura. Com este trabalho pretende-se verificar as zonas mais susceptíveis de fractura, no colo do fémur de um paciente de 70 anos utilizando o método de elementos finitos através do programa ANYSIS, para a obtenção das distribuições das tensões e deformações, nas diferentes situações de densidade óssea calculada.

Correlação entre a densidade óssea mandibular, femural, lombar e cervical; Correlation among mandibular, femoral, lumbar and cervical bone density

SCHEIBEL, Paula Cabrini; MATHEUS, Paula Daniele; ALBINO, Cláudio Cordeiro; RAMOS, Adilson Luiz
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.76%
INTRODUÇÃO: diante da maior frequência de pacientes adultos que se submetem atualmente ao tratamento ortodôntico, as condições gerais de saúde dessa faixa etária têm sido motivo de investigações correlacionadas aos eventos ligados ao metabolismo ósseo, haja vista que os movimentos dentários são dependentes do processo de remodelação óssea, ainda que num nível local. Diferentes padrões de densidade óssea podem acarretar diferentes respostas ao movimento ortodôntico. OBJETIVOS: o presente estudo avaliou a correlação da densidade mineral óssea (DMO) geral com aquela da região mandibular. MÉTODOS: para tanto, 22 mulheres saudáveis, com idades entre 30 e 45 anos, foram selecionadas para os exames de densitometria óssea das regiões lombar, cervical e femural, bem como da região mandibular. Foram testadas as correlações entre essas leituras e, também, estabelecidos valores de referência para as áreas cervical e mandibular. RESULTADOS: os resultados não demonstraram correlação significativa entre a densidade mandibular e as demais áreas estudadas. Houve correlação significativa apenas entre a região cervical e a femural. O valor médio DMO normal para a região mandibular foi de 0,983g/cm² (d.p. = 0...

Uso de alendronato de sódio em ratas submetidas à imobilização gessada. Análise de propriedades mecânicas do fêmur e da densidade óssea radiográfica do colo femoral; Use of the sodium alendronate in rats submitted to plaster cast immobilization. Analysis of the mechanical properties of the femur and of the femoral neck radiographic density.

Cecim, Paulo Eugenio Santos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.71%
A imobilização prolongada do aparelho locomotor, embora usada com finalidades terapêuticas, leva à osteopenia, o que causa enfraquecimento ósseo. Foi investigado se o uso concomitante do alendronato de sódio (um inibidor da atividade osteoclástica) é capaz de diminuir ou prevenir o enfraquecimento ósseo causado pela imobilização. Ratas fêmeas Wistar, adulta-jovens foram distribuídas em seis grupos: não imobilizado e sem tratamento (controle); não imobilizado + alendronato diário (0,1 mg/kg); não imobilizado + alendronato semanal (0,7 mg/kg); imobilizado e sem tratamento; imobilizado + alendronato diário (0,1 mg/kg); imobilizado + alendronato semanal (0,7 mg/kg). A imobilização foi obtida com aparelho gessado na região lombar, pélvica e de todo o membro pélvico direito (exceto a pata). O período de observação, imobilização e tratamento foi de 28 dias. Os métodos de avaliação foram a determinação da massa corporal, da massa e comprimento do fêmur direito, o ensaio mecânico em flexo-compressão no terço proximal do fêmur e a densidade óssea radiográfica do colo do fêmur direito. A comparação foi intergrupos. A imobilização, com alendronato ou não, causou diminuição significativa na massa corporal...

Estudo da correlação da densidade mineral óssea obtida pelo método de absorciometria radiográfica com a resistência óssea do terceiro metacarpiano de eqüinos submetido a ensaios biomecânicos; Correlation study between bone mineral density determined by radiographic absorptiometry and bone resistance of equine third metacarpal bone submitted to biomechanial testings

Frazão, Paulo José Riccio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.68%
A fundamentação de métodos diagnósticos precoces na ortopedia de eqüinos é de extrema importância clínica, cirúrgica e econômica. O presente estudo teve como objetivo estudar a correlação da densidade mineral óssea do terceiro metacarpiano de eqüinos, obtida pelo método de absorciometria radiográfica, com a resistência dos mesmos quando submetidos a ensaios biomecânicos de compressão e flexão. Utilizaram-se trinta pares de osso terceiro metacarpiano de eqüinos adultos, os quais foram dissecados, radiografados, analisados pelo método de absorciometria radiográfica, submetidos ao estudo tomográfico e a ensaios biomecânicos. Através dos dados obtidos não se observou correlação significativa entre os valores de densidade óptica radiográfica e as propriedades biomecânicas do osso terceiro metacarpiano. Concluiu-se que não se pode inferir que os valores de densidade óssea obtidos pela absorciometria radiográfica do osso terceiro metacarpiano de um eqüino tenha correlação com a capacidade deste osso de absorver cargas de compressão e flexão.; The complete knowledge about non-invasive methods for early disgnostics in equine orthopedy is economicaly important. This experiment has studied the correlation between bone mineral density determined by radiographic absorptiometry and bone resistance of equine third metacarpal bone submitted to both compression and flexion testings. Thirty pairs of third metacarpal bone of adult horses were collected...

Efeito de diferentes tempos de ativação sobre a estabilidade e resposta óssea ao redor de implantes dentários. Estudo por análise de freqüência de ressonância e histomorfométrico em cães; Effect of different loading time on the stabililty and boné response around dental implants. Resonance frequency analysis and histomorphometric study in dogs.

Jayme, Sérgio Jorge
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
56.65%
Propósito: O objetivo deste estudo foi avaliar a estabilidade primária com análise de freqüência de ressonância e a resposta óssea por histomorfometria em implantes sob tratamento com carga imediata e carga precoce. Material e método: Foram colocados três implantes Replace Select (Nobel Biocare, Suécia) em cada lado da mandíbula de 8 cães, totalizando 48 implantes no estudo. Um par de implantes foi selecionado para o protocolo de carga imediata (CI). Após sete dias, o segundo par de implantes recebeu as próteses para o protocolo de carga precoce (CP). Catorze dias após a colocação dos implantes, o terceiro par de implantes recebeu as próteses para o protocolo de carga precoce tardia (CPT). Em cada período foi medida a estabilidade dos implantes por freqüência de ressonância. Após o período total de doze semanas da colocação das próteses os animais foram sacrificados e os espécimes foram preparados para análise histomorfométrica. As diferenças entre os tempos de carregamento para os seguintes parâmetros: estabilidade, contato ossoimplante (COI), densidade óssea (DO) e perda da crista óssea (PCO) foram avaliadas usando ANOVA. Resultados: Os valores iniciais de estabilidade (ISQ) dos implantes foram: 77...

Uso da radiografia panorâmica para identificação de baixa densidade óssea em pacientes com síndrome de Down; Use of panoramic radiography as an indicative of low bone density in Down syndrome patients

Kitamura, Karen Tieme
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
56.72%
A síndrome de Down (SD) é a causa genética mais comum de comprometimento intelectual associada a doenças sistêmicas, como o envelhecimento precoce e alterações músculo-esqueléticas que aumentam o risco de osteoporose (OP). A OP é uma doença do esqueleto, caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da micro arquitetura do tecido ósseo, com aumento de fragilidade óssea e susceptibilidade à fratura, considerada um problema de saúde mundial, que aumenta o risco de mortalidade e os custos médicos. Tem como fatores de risco para o desenvolvimento de OP: sexo feminino, raça branca ou asiática, história familiar, imobilidade, abuso de álcool, massa muscular, uso crônico de corticosteróides, a falta de terapia de reposição hormonal, tabagismo, sedentarismo e baixa ingestão de cálcio. Muitos destes fatores podem ser encontrados em indivíduos com SD, onde recentemente a OP foi identificada em adultos jovens. O diagnóstico precoce da OP impede fraturas e é extremamente importante, realizado pelo exame absormetria de dupla energia de raios X (DXA), ou seja, a densitometria óssea, que determina a densidade óssea (DO). Embora exames radiográficos não serem precisos para o diagnóstico da OP, se bem interpretados...

Efeito do alcoolismo crônico sobre a densidade e o reparo ósseo em tíbias de ratos: estudo histométrico e imunohistoquímico; Effect of chronic alcoholism on the density and bone repair in tíbia of rats: immunohistochemical and histometric study

Romero, José Renato
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.74%
O tecido ósseo tem como característica estar constantemente em plena absorção e recomposição celular, sendo controlado pela interação de RANKL e OPG. No caso da perda de sua continuidade, ou seja, quando ocorre algum defeito ósseo, sua remodelação leva à restauração e consequente integridade do esqueleto, sendo o seu metabolismo influenciado por fatores hormonais, locais, comportamentais, ambientais e nutricionais; e seu desequilíbrio é um dos maiores obstáculos para a eficácia da remodelação óssea, podendo interferir negativamente na consolidação de fraturas. A ingestão crônica de álcool pode contribuir para esse desequilíbrio, e embora correlações significativas venham sendo relatadas entre o consumo excessivo de álcool e a consolidação óssea, novos estudos devem ser desenvolvidos haja vista a grande disparidade entre o tempo de submissão e a quantidade de ingestão do álcool englobando os diferentes protocolos. Os objetivos desse estudo foram avaliar quantitativamente os efeitos do consumo crônico de álcool no peso, reparo ósseo e densidade óssea em ratos Wistar, além de observarmos qualitativamente as fibras colágenas e a expressão de OPG e RANKL. Para isso, separamos aleatoriamente 30 ratos Wistar em dois grupos ...

Influência do ph da água de beber na gênese da alteração óssea por cádmio: estudo experimental em ratos; The influence of the pH of the drinking water in the bone alteration origin caused by cadmium: experimental study in rats

Neves, Cynthia Der Torossian Torres
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
56.74%
O cádmio (Cd) é um metal pesado e dos mais abundantes elementos encontrados no ambiente. Existem evidências de sua relação coma osteopenia, osteoporose, e osteomalacia e fragilidade do tecido ósseo. Este estudo visa avaliar o efeito do pH da água de beber na gênese da alteração óssea provocada pela intoxicação por cádmio. Neste estudo, foram utilizados90 ratosWistar (Ratus Norvegicus albinus), adultos, machos,divididos em 6 grupos, aos quais foram administrados: A -solução de cloreto de Cd(400mg/L) com pH neutro (pH 7,0); B -solução de cloreto de Cd(400mg/L) com pH ácido (pH 5,0); C -solução de cloreto de Cd(400mg/L) com pH básico (pH 8,0). D -pH ácido (pH 5,0); E -pH básico (pH 8,0); F -pH neutro (pH 7,0). Nofêmur esquerdo de cada rato avaliou-se a densidade óssea, por meio do densitômetro de dupla emissão (DEXA), ensaiosbiomecânicos e escala de HU na tomografia computadorizada espiral.Os resultados demostram que a densidade óssea reduziunos grupos que receberam cádmio e no grupo sem administração de cádmio para o pH 5 ocorreu uma redução da densidade mineral óssea (DMO) e do conteúdo mineral ósseo (CMO). A rigidez biomecânica mostrou-se aumentada para o grupocom pH 5 sem cádmio. Como conclusão geral o cádmio reduziu a densidade óssea.; The cadmium (Cd) is a heavy metal...

Análise da densidade óssea de rádio-ulna de cães SRD utilizando o método de imersão

Medeiros, Rafael Augusto
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
56.68%
Imaging diagnosis is a medical specialty that uses imaging techniques to perform diagnosis. In diagnostic imaging various methods are used such as direct absorption of photons - SPA and DPA, radiographic photometry, the dual-energy radiographic absorptiometry - DEXA, ultrasound, magnetic resonance imaging, computed tomography and optical densitometry in radiographic image. The dog can be considered one of the most widely used animals in the study of bone diseases and searching for a reliable diagnosis, although not an ideal model for the study of osteoporosis, because these animals tend not to develop a decrease in bone mineral density. The objective of this study was to analyze bone density in mongrel dogs from the determination of the variation of density along the radio-ulna bone and also the mean value related to gender, weight and age of individuals. The density analysis carried out showed that for this data set, there is a significant difference in the case of gender and age of the animal and may generalize according to these variables. The only significant difference was found in the weight, which increases bone mass is related to weight gain through the growth of the animal; O diagnóstico por imagem é uma especialidade médica que se utiliza de técnicas de imagem para realização de diagnóstico. No diagnóstico por imagem são utilizados vários métodos como a absorção direta por fótons – SPA e DPA...

Associação do antecedente de gravidez com a densidade mineral ossea na adolescencia

Larissa Miglioli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.84%
Introdução: Estudos indicam que a gravidez pode interferir com a densidade mineral óssea. A adolescência é um período crucial de aquisição de massa óssea e não se sabe se a gravidez nesta faixa etária poderia aumentar o risco de osteoporose futura. Objetivo: Avaliar a associação do antecedente de gravidez com a densidade mineral óssea na adolescência. Sujeitos e métodos: Foi realizado um estudo de corte transversal com 119 adolescentes com idade de 12 a 20 anos, 30 delas com antecedente de pelo menos uma gestação até o termo. As adolescentes foram selecionadas durante consulta de rotina no Ambulatório de Ginecologia de Adolescentes do CAISM-Unicamp. Todas as adolescentes responderam a um questionário sobre sua história clínica, foram submetidas a um exame clínico para avaliação de peso, altura e estágios de desenvolvimento puberal de Tanner, e realizaram um exame de densitometria óssea da coluna lombar e corpo total (DXA-LUNAR DPX) para medida da densidade mineral óssea e composição corporal. Para a análise estatística foram utilizados os testes qui-quadrado, exato de Fisher, Mann Whitney, Anova, Tukey e regressão linear múltipla. Resultados: Das 119 adolescentes, 30 delas tinham antecedente de gravidez a termo; dessas...

Influência da composição corporal e da idade sobre a densidade óssea em relação aos níveis de atividade física

Nascimento,Thales Boaventura Rachid; Glaner,Maria Fátima; Paccini,Marina Kanthack
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
OBJETIVO: Verificar em relação ao nível de atividade física (NAF) o quanto cada componente da composição corporal e a idade influenciam na densidade óssea (DO). MÉTODOS: Amostra de 22 homens e 42 mulheres (21 a 51 anos) classificados com NAF recomendado e não recomendado para a saúde. A DO do fêmur foi mensurada por meio da DXA. RESULTADOS: Por meio da análise de regressão linear múltipla stepwise (p < 0,05), a idade explicou negativamente a DO em todos os grupos, exceto nos homens com NAF recomendado. Nas mulheres com NAF não recomendado, a gordura relativa (G%) e a massa gorda (MG) explicaram a DO em todas as regiões de interesse no fêmur, com aumento de até 0,007 g/cm² por quilograma de MG. CONCLUSÃO: A DO na área de Ward sofre maior influência da idade nas mulheres. A MG e a G% exercem influência positiva sobre a DO das mulheres com NAF não recomendado.

Densidade mineral óssea de adolescentes com sobrepeso e obesidade

Cobayashi,Fernanda; Lopes,Luiz A.; Taddei,José A. A. C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.82%
OBJETIVO: Estudar a densidade óssea como fator concomitante da obesidade em adolescentes pós-púberes, controlando outras variáveis que possam interferir nessa relação. MÉTODOS: Estudo com 83 sobrepesos e obesos (IMC > P85) e 89 não obesos (P5 < IMC < P85). Casos e controles foram selecionados entre 1420 estudantes (14-19 anos) de escola pública na cidade de São Paulo. A densidade mineral óssea de coluna (L2-L4 em g/cm²) foi avaliada por meio de densitometria de duplo feixe de raios X (LUNAR® DPX-L). A variável densidade óssea foi categorizada utilizando a mediana 1,194 g/cm² como ponto de corte. Foram realizadas análises bivariadas, observando-se a prevalência de sobrepeso e obesidade. Em seguida, procedeu-se à análise multivariada (regressão logística), de acordo com um modelo conceitual hierárquico. RESULTADOS: A prevalência de densidade óssea acima da mediana foi duas vezes mais freqüente entre os casos (69,3%) do que entre os controles (32,1%). Na análise bivariada, tais prevalências resultaram em odds ratio (OR) de 4,78. O modelo de regressão logística mostrou que a associação entre obesidade e densidade mineral é ainda mais intensa com OR de 6,65, após o controle das variáveis relacionadas ao sedentarismo e ao consumo de leite e derivados. CONCLUSÃO: Observou-se...

Estudo da densidade óssea na esclerodermia sistêmica

da Silva,H.C.; Szejnfeld,V.L.; Assis,L.S.S.; Sato,E.I.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1997 PT
Relevância na Pesquisa
66.83%
OBJETIVO. A osteopenia em pacientes com esclerodermia sistêmica foi descrita, radiologicamente, em mãos e, por densidade óssea, no terço proximal e distal do rádio. A redução da massa óssea, nesses pacientes, tem sido atribuída à isquemia, imobilização e à menopausa precoce. O objetivo deste estudo é analisar a densidade óssea na coluna, região proximal do fêmur e corpo todo de pacientes com esclerodermia sistêmica. PACIENTES E MÉTODO. Foram examinadas 25 pacientes caucasóides, sem outras condições que pudessem afetar o metabolismo ósseo. A média de idade das pacientes foi de 48 ± 12 anos, e o tempo de doença, de 7 ± 7 anos; 13 estavam na pós-menopausa há 8 ± 8 anos. A medida de massa óssea foi realizada na coluna, região proximal do fêmur e corpo todo, utilizando-se densitômetro de dupla emissão com fonte de raios X (Lunar - modelo DPX). RESULTADOS. Não houve diferença estatisticamente significante na densidade óssea das regiões avaliadas nas pacientes com esclerodermia sistêmica e as mulheres-controle pareadas para a idade, peso, altura e anos de menopausa. A densidade óssea das pacientes com forma limitada não foi diferente daquelas com a forma difusa. Pacientes com calcinose apresentaram menor densidade óssea na região proximal do fêmur que aquelas sem calcinose. CONCLUSÕES. Os autores concluíram que pacientes com esclerodermia sistêmica não apresentam perda de massa óssea. Portanto...

Redução da densidade óssea alveolar em pacientes com artrite idiopática juvenil

Silva,Tânia Lúcia de Oliveira; Braga,Flávia Silva Farah Ferreira; Sztajnbok,Flavio Roberto; Souza,Alessandra Areas e; Silva,Fernanda de Brito; Fischer,Ricardo Guimarães; Figueredo,Carlos Marcelo da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.55%
OBJETIVOS: Avaliar a densidade óssea alveolar (DOA) na região dos primeiros molares superiores em pacientes com artrite idiopática juvenil (AIJ) e compará-la à de controles sistemicamente saudáveis. Como objetivos secundários, a influência da medicação e a atividade de doença reumática na DOA foram avaliadas, além da correlação entre a DOA e os parâmetros clínicos periodontais e reumatológicos. PACIENTES E MÉTODOS: Foram incluídos neste estudo 16 pacientes com AIJ (seis meninos e 10 meninas com idade média de 16,2 ± 2 anos) e 11 controles (seis meninos e cinco meninas com idade média de 16,4 ± 2,1 anos). A profundidade de sondagem (PS), o índice de placa visível (IPV), o índice de sangramento gengival (ISG) e o nível de inserção clínica (NIC) foram registrados. Radiografias bite-wings foram tiradas, e a DOA foi mensurada pelo sistema de radiografia digital RVG KODAK 6100, na região dos molares superiores. RESULTADOS: DOA, percentual de sítios com PS > 4 mm e ISG foram significativamente menores nos pacientes com AIJ, comparado aos controles (P = 0,001; P = 0,019; P = 0,011, respectivamente). A DOA não foi influenciada pela medicação nem pela atividade da AIJ, e não apresentou correlação com os parâmetros clínicos periodontais e reumatológicos. CONCLUSÃO: A DOA foi menor nos pacientes com AIJ...

Utilização da densitometria óssea como método de avaliação dos resultados da utilização de BMP bovina em artrodese de coluna em coelhos

Machado,Paulo Roberto Moura; Puertas,Eduardo Barros; Taga,Eulázio; Nonose,Nilson
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.73%
As BMPs, proteínas indutoras de crescimento ósseo, desde o início de sua utilização, têm sido avaliadas em diferentes modelos experimentais objetivando determinar sua eficácia, sendo necessário o estabelecimento de métodos de avaliação que permitam melhor compreensão dos resultados. OBJETIVO: Este estudo tem por objetivo avaliar a utilização da densitometria óssea como método de avaliação do incremento ósseo observado quando da utilização de BMP bovina em artrodeses intertransversas da coluna lombar de coelhos. MÉTODOS: Foram utilizados dois grupos de dez coelhos neozelandeses fêmeas, submetidos a artrodese intertransversa da coluna lombar, segmento L5/L6, por via posterior. No primeiro grupo foi utilizado enxerto homólogo e no segundo a associação de enxerto homólogo com biocomposto (BMP bovino, 1,0 mg e hidroxiapatita, 9,0 mg). Os animais foram acompanhados por 15 semanas, isolados em cativeiro e avaliados diariamente por veterinário sob o ponto de vista clínico e neurológico e, posteriormente, submetidos à realização de densitometria óssea por tomografia computadorizada. RESULTADOS: Foram obtidas 268 medidas de densidade óssea do osso normal, 134 medidas do osso neoformado de enxerto homólogo isolado e 134 medidas do osso neoformado pela associação enxerto homólogo e BMP. Esses valores foram submetidos à análise estatística que demonstrou incremento ósseo significativo (p=0...

Correlação entre a densidade óssea mandibular, femural, lombar e cervical

Scheibel,Paula Cabrini; Matheus,Paula Daniele; Albino,Cláudio Cordeiro; Ramos,Adilson Luiz
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.76%
INTRODUÇÃO: diante da maior frequência de pacientes adultos que se submetem atualmente ao tratamento ortodôntico, as condições gerais de saúde dessa faixa etária têm sido motivo de investigações correlacionadas aos eventos ligados ao metabolismo ósseo, haja vista que os movimentos dentários são dependentes do processo de remodelação óssea, ainda que num nível local. Diferentes padrões de densidade óssea podem acarretar diferentes respostas ao movimento ortodôntico. OBJETIVOS: o presente estudo avaliou a correlação da densidade mineral óssea (DMO) geral com aquela da região mandibular. MÉTODOS: para tanto, 22 mulheres saudáveis, com idades entre 30 e 45 anos, foram selecionadas para os exames de densitometria óssea das regiões lombar, cervical e femural, bem como da região mandibular. Foram testadas as correlações entre essas leituras e, também, estabelecidos valores de referência para as áreas cervical e mandibular. RESULTADOS: os resultados não demonstraram correlação significativa entre a densidade mandibular e as demais áreas estudadas. Houve correlação significativa apenas entre a região cervical e a femural. O valor médio DMO normal para a região mandibular foi de 0,983g/cm² (d.p. = 0...

Avaliação da densidade óssea para instalação de mini-implantes

Borges,Marlon Sampaio; Mucha,José Nelson
Fonte: Dental Press International Publicador: Dental Press International
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.84%
INTRODUÇÃO: além da espessura da cortical óssea e da largura dos espaços inter-radiculares, a densidade óssea é fator primordial para a eficiência dos mini-implantes usados como recurso de ancoragem. OBJETIVO: nesse estudo, pretendeu-se avaliar a densidade óssea alveolar e basal maxilar e mandibular, em unidades Hounsfield (HU). MÉTODOS: em onze arquivos de imagens tomográficas computadorizadas Cone-Beam, de indivíduos adultos, foram obtidas 660 medidas das densidades ósseas alveolar (corticais vestibular e lingual), do osso medular e basal (maxilar e mandibular). Os valores foram obtidos através do software Mimics 10.01 (Materialise, Bélgica). RESULTADOS: maxila - a densidade da cortical vestibular na faixa de osso alveolar variou de 438 a 948HU, e a lingual de 680 a 950HU; já o osso medular variou de 207 a 488HU; a densidade da cortical vestibular na faixa de osso basal apresentou uma variação de 672 a 1380HU e o osso medular de 186 a 420HU. Mandíbula - a variação do osso na cortical vestibular na faixa de osso alveolar foi de 782 a 1610HU, na cortical lingual alveolar de 610 a 1301HU, e na medular de 224 a 538; a densidade na área basal foi de 1145 a 1363HU na cortical vestibular, e de 184 a 485HU na medular. CONCLUSÕES: a maior densidade óssea na maxila foi observada entre pré-molares na cortical alveolar vestibular. A tuberosidade maxilar foi a região com menor densidade óssea. A densidade óssea na mandíbula foi maior do que na maxila...

Medição da densidade óssea através de ondas eletromagnéticas e classificação por MVS

Cruz, Agnaldo Souza
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica; Automação e Sistemas; Engenharia de Computação; Telecomunicações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica; Automação e Sistemas; Engenharia de Computação; Telecomunicações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.61%
This work holds the purpose of presenting an auxiliary way of bone density measurement through the attenuation of electromagnetic waves. In order to do so, an arrangement of two microstrip antennas with rectangular configuration has been used, operating in a frequency of 2,49 GHz, and fed by a microstrip line on a substrate of fiberglass with permissiveness of 4.4 and height of 0,9 cm. Simulations were done with silica, bone meal, silica and gypsum blocks samples to prove the variation on the attenuation level of different combinations. Because of their good reproduction of the human beings anomaly aspects, samples of bovine bone were used. They were subjected to weighing, measurement and microwave radiation. The samples had their masses altered after mischaracterization and the process was repeated. The obtained data were inserted in a neural network and its training was proceeded with the best results gathered by correct classification on 100% of the samples. It comes to the conclusion that through only one non-ionizing wave in the 2,49 GHz zone it is possible to evaluate the attenuation level in the bone tissue, and that with the appliance of neural network fed with obtained characteristics in the experiment it is possible to classify a sample as having low or high bone density; Este trabalho tem como objetivo apresentar uma técnica de medição da densidade óssea através da atenuação de ondas eletromagnéticas. Para a realização do trabalho...

Influência da composição corporal e da idade sobre a densidade óssea em relação aos níveis de atividade física

Nascimento, Thales Boaventura Rachid; Glane, Maria Fátima; Paccini, Marina Kanthack
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.49%
OBJETIVO: Verificar em relação ao nível de atividade física (NAF) o quanto cada componente da composição corporal e a idade influenciam na densidade óssea (DO). MÉTODOS: Amostra de 22 homens e 42 mulheres (21 a 51 anos) classificados com NAF recomendado e não recomendado para a saúde. A DO do fêmur foi mensurada por meio da DXA. RESULTADOS: Por meio da análise de regressão linear múltipla stepwise (p < 0,05), a idade explicou negativamente a DO em todos os grupos, exceto nos homens com NAF recomendado. Nas mulheres com NAF não recomendado, a gordura relativa (G%) e a massa gorda (MG) explicaram a DO em todas as regiões de interesse no fêmur, com aumento de até 0,007 g/cm2 por quilograma de MG. CONCLUSÃO: A DO na área de Ward sofre maior influência da idade nas mulheres. A MG e a G% exercem influência positiva sobre a DO das mulheres com NAF não recomendado

Fatores de risco para fratura por osteoporose e baixa densidade óssea em mulheres na pré e pós-menopausa; Factores de riesgo para fractura por osteoporosis y baja densidad ósea en mujeres en la pre y post menopausia; Risk factors for osteoporotic fractures and low bone density in pre and postmenopausal women

Pinheiro, Marcelo M; Reis Neto, Edgard T dos; Machado, Flávia S; Omura, Felipe; Yang, Jeane H K; Szejnfeld, Jacob; Szejnfeld, Vera L
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
66.78%
OBJETIVO: Estimar a prevalência e analisar os fatores de risco associados com osteoporose e fratura por baixo impacto entre mulheres. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 4.332 mulheres acima de 40 anos de idade provenientes de atendimento primário de saúde na área metropolitana da Grande São Paulo, SP, entre 2004 e 2007. Dados antropométricos e ginecológicos e relativos a hábitos de vida, fratura prévia, antecedentes pessoais, ingestão alimentar e atividade física foram avaliados por meio de entrevista individual e quantitativa. Fratura por baixo impacto foi definida como decorrente de queda da própria altura ou menos em indivíduos com mais de 50 anos de idade. Modelos de regressão multivariada e logística analisaram, respectivamente, a densidade óssea e a fratura por osteoporose como variáveis dependentes e todas as outras como independentes. O nível de significância estatística estabelecido foi p < 0,05. RESULTADOS: A prevalência de osteoporose e de fraturas por fragilidade óssea foi de 33% e 11,5%, respectivamente. Os principais fatores de risco associados com baixa densidade óssea foram idade (OR = 1,07; IC 95%: 1,06;1,08), menopausa (OR = 2,16; IC 95%: 1,49;3,14), fratura prévia (OR = 2,62; IC 95%: 2...