Página 1 dos resultados de 31 itens digitais encontrados em 0.033 segundos

Práticas educativas parentais de crianças com deficiência auditiva e de linguagem; Parental educational practices with their children with hearing and language impairments

BOLSONI-SILVA, Alessandra Turini; RODRIGUES, Olga Maria Piazentin Rolim; ABRAMIDES, Dagma Venturini Marques; SOUZA, Liliane Salgado de; LOUREIRO, Sonia Regina
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.16%
Comportamentos de pais e de filhos influenciam-se mutuamente. Crianças com alterações de linguagem relacionadas ou não à perda auditiva, podem apresentar dificuldades de relacionamento com os irmãos e seus pares. Assim, a investigação das práticas educativas parentais e do repertório comportamental infantil é fundamental para a busca de intervenções efetivas para essas crianças. O estudo tem como objetivos: (a) comparar o repertório positivo e negativo de mães e crianças com deficiência auditiva (DA) e distúrbio de linguagem (DL); (b) comparar cada uma das deficiências com grupo não clinico; (c) correlacionar comportamentos para cada uma das deficiências. Participaram deste estudo 72 mães, cujos filhos apresentavam DA (n = 27), DL (n = 19) ou compunha uma população não clínica (n = 26). O instrumento utilizado foi o Roteiro de Entrevista de Habilidades Sociais Educativas Parentais, que avalia a ocorrência de habilidades sociais aplicáveis às práticas educativas. Os resultados evidenciaram a associação entre práticas positivas e habilidades sociais, bem como entre práticas negativas e problemas de comportamento. O grupo de DL não apresentou mais problemas que as crianças não clínicas, sugerindo a participação de intervenções de caráter preventivo...

Acessibilidade aos serviços de saúde por pessoas com deficiência; Accessibility to health services by persons with disabilities; Acceso a los servicios de salud por personas con discapacidad

CASTRO, Shamyr Sulyvan; LEFÈVRE, Fernando; LEFÈVRE, Ana Maria Cavalcanti; CESAR, Chester Luiz Galvão
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.89%
OBJETIVO: Analisar as dificuldades de acessibilidade aos serviços de saúde vividas por pessoas com deficiência. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo realizado com pessoas que relataram ter algum tipo de deficiência (paralisia ou amputação de membros; baixa visão, cegueira unilateral ou total; baixa audição, surdez unilateral ou total). Foram entrevistados 25 indivíduos (14 mulheres) na cidade de São Paulo, SP, de junho a agosto de 2007, que responderam perguntas referentes a deslocamento e acessibilidade aos serviços de saúde. A metodologia utilizada para análise foi o discurso do sujeito coletivo e as análises foram conduzidas com recurso do programa Qualiquantisoft. ANÁLISE DOS RESULTADOS: A análise dos discursos sobre o deslocamento ao serviço de saúde mostrou diversidade quanto ao usuário ir ao serviço sozinho ou acompanhado, utilizar carro particular, transporte coletivo, ir a pé ou de ambulância e demandar tempo variado para chegar ao serviço. Com relação às dificuldades oferecidas de acessibilidade pelos serviços de saúde, houve relatos de demora no atendimento, problemas com estacionamento, falta de rampas, elevadores, cadeiras de rodas, sanitários adaptados e de médicos. CONCLUSÕES: As pessoas com algum tipo de deficiência fizeram uso de meios de transporte diversificados...

A utilização da resposta auditiva de estado estável para estimar limiares auditivos em indivíduos com perda auditiva neurossensorial; Utilization of auditory steady state response to estimate the auditory threshold in individuals with sensorineural hearing loss

Duarte, Josilene Luciene
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
35.92%
O diagnóstico precoce da perda auditiva tem sido cada vez mais freqüente em virtude dos programas de saúde auditiva que estão sendo implantados em todo o país. Existe, contudo, a necessidade de técnicas e procedimentos que ajudem a identificar, com maior precisão, a presença e o grau da mesma. A Resposta Auditiva de Estado Estável (RAEE) é um procedimento eletrofisiológico que, ao contrário do Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico (PEATE) realizado com estímulo tone burst, possibilita avaliar, ao mesmo tempo limiares auditivos com especificidade por freqüência e por orelha, reduzindo assim o tempo do exame. Além disso, ele permite a estimulação até níveis próximos a 130 dBHL, podendo assim medir a audição residual. O objetivo deste estudo foi verificar a aplicabilidade da RAEE para determinar os limiares auditivos nos diferentes graus de perda auditiva neurossensorial. Foram avaliados 65 indivíduos com perda auditiva neurossensorial, sendo que 48 apresentaram alteração neurossensorial (coclear) de grau leve até profundo, e idades entre sete e 30 anos; e 17 apresentaram alteração neurossensorial (Neuropatia Auditiva/Dessincronia Auditiva) e idades entre 0,6 e cinco anos. A avaliação foi composta por Audiometria Tonal Liminar (ATL) e pesquisa da RAEE para o grupo com alteração neurossensorial (coclear) e somente a pesquisa da RAEE para o grupo com alteração neurossensorial (NA/DA). Os resultados demonstraram que...

Desempenho acadêmico de crianças e adolescentes usuários de implante coclear; Academic performance of children and adolescents using cochlear implant

Campos, Patrícia Dominguez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
35.92%
A audição está diretamente relacionada à linguagem oral e à interação do indivíduo com o ambiente e seus pares. Possibilita o acesso auditivo aos sons da fala, favorece a aprendizagem, e por meio da via auditiva a criança poderá atribuir significados aos sons percebidos e consequentemente adquirir a linguagem oral. O diagnóstico da perda auditiva precoce é indispensável para o desenvolvimento das habilidades auditivas e linguagem oral próxima à normalidade. Para isso é necessária a intervenção precoce, com a adaptação de dispositivos eletrônicos aplicados às deficiências auditivas, entre eles o implante coclear, em conjunto com estimulação auditiva e terapia fonoaudiológica especializada. A linguagem oral é importante para a adequação da criança implantada em escola regular, visto que, as informações são transmitidas oralmente pelos professores. Mediante o exposto, o presente estudo vem ao encontro do ensejo de incrementar estudos em implante coclear em crianças, ampliando o estudo dos resultados sobre o desempenho acadêmico de tais crianças, área de interface com os resultados de percepção da fala e linguagem oral, em crianças e em adolescentes com longo tempo de uso do implante coclear inseridos em escolas regulares. Para caracterização do desempenho acadêmico e correlação deste aspecto com a linguagem oral e percepção da fala...

Práticas educativas parentais de crianças com deficiência auditiva e de linguagem

Bolsoni-Silva, Alessandra Turini; Rodrigues, Olga Maria Piazentin Rolim; Abramides, Dagma Venturini Marques; Souza, Liliane Salgado de; Loureiro, Sonia Regina
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 265-282
POR
Relevância na Pesquisa
46.16%
Comportamentos de pais e de filhos influenciam-se mutuamente. Crianças com alterações de linguagem relacionadas ou não à perda auditiva, podem apresentar dificuldades de relacionamento com os irmãos e seus pares. Assim, a investigação das práticas educativas parentais e do repertório comportamental infantil é fundamental para a busca de intervenções efetivas para essas crianças. O estudo tem como objetivos: (a) comparar o repertório positivo e negativo de mães e crianças com deficiência auditiva (DA) e distúrbio de linguagem (DL); (b) comparar cada uma das deficiências com grupo não clinico; (c) correlacionar comportamentos para cada uma das deficiências. Participaram deste estudo 72 mães, cujos filhos apresentavam da (n = 27), DL (n = 19) ou compunha uma população não clínica (n = 26). O instrumento utilizado foi o Roteiro de Entrevista de Habilidades Sociais Educativas Parentais, que avalia a ocorrência de habilidades sociais aplicáveis às práticas educativas. Os resultados evidenciaram a associação entre práticas positivas e habilidades sociais, bem como entre práticas negativas e problemas de comportamento. O grupo de DL não apresentou mais problemas que as crianças não clínicas, sugerindo a participação de intervenções de caráter preventivo...

Testes de avaliação do processamento auditivo central : SSW em português europeu

Martins, Jorge Humberto Ferreira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
45.9%
A possibilidade de avaliação do sistema auditivo central é uma melhoria na prática clínica em Audiologia. Com o nosso trabalho disponibilizamos para a língua portuguesa europeia, a ferramenta mais utilizada na Audiologia internacional, julgando, assim, contribuir para uma melhor avaliação dos indivíduos com alterações do processamento auditivo central. O nosso trabalho foi dividido em diversas etapas: revisão da anatomo-fisiololgia e da literatura existente e posterior criação do teste SSW versão Português Europeu. Para a criação do teste foi criada a lista de estímulos em Português Europeu, avaliada a sua adaptação a crianças, gravada e criado o teste para avaliar a população normoouvinte. A avaliação foi efectuada a 89 indivíduos dos 12 aos 59 anos, 45 do género feminino e 44 do género masculino, dos quais 10 são canhotos. Também foram avaliadas 5 crianças com 6 anos e 7 crianças com 9 anos. Como principal resultado salientamos a obtenção do SSW para o Português Europeu, com as mesmas características do teste original de Katz, não tendo o nosso trabalho revelado diferenças estatísticas no desempenho no teste relacionadas com género, região territorial de origem e predominância motora (dextro/canhoto). Contudo...

Perda auditiva e articulação nas crianças do primeiro ciclo na Trofa

Silva, Ana Isabel Campos
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.22%
Objectivo/tema: Quando as crianças, em idade escolar, não produzem correctamente os sons da língua materna e os processos fonológicos de simplificação se mantêm, podemos estar perante Perturbações da Articulação Verbal. Estas perturbações podem ser consequência de perda auditiva ligeira detectada tardiamente. Neste trabalho, pretendemos estudar a relação dos problemas de articulação verbal com a perda auditiva e comparar a manutenção de processos fonológicos entre um grupo de sujeitos com audição normal e outro com perda auditiva ligeira, ambos em idade escolar. Método: Participaram neste estudo 10 crianças com audição normal e 10 crianças com perda auditiva ligeira, a frequentar escolas da Trofa, previamente avaliadas em Audiologia. Foi elaborada uma metodologia para obtenção de dados sobre a articulação verbal, que permitiu recolher informação sobre a produção dos fonemas consonantais e grupos consonânticos do Português Europeu (PE). O método foi aplicado individualmente e as respostas gravadas em computador. Resultados: Verificámos que, nos alunos com perda auditiva, os processos fonológicos que ocorreram com maior frequência foram os de omissão de líquida, erro fonético e substituição inter-classe...

Resultados auditivos com o implante coclear multicanal em pacientes submetidos a cirurgia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Bento,Ricardo Ferreira; Brito Neto,Rubens de; Castilho,Arthur Menino; Gómez,Valéria Goffi; Giorgi,Sandra Barreto; Guedes,Mariana Cardoso
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.05%
A surdez profunda é uma deficiência que afeta a personalidade, o relacionamento e todo o estilo de vida do paciente. Incapacita os indivíduos de escutarem sons ambientes como sirenes e alarmes que constituem alerta em situações da vida diária e não permite a modulação vocal, tornando a voz esteticamente ruim. A prótese auditiva convencional é eficiente no tratamento de grande parte das deficiências auditivas, porém existem pacientes que não conseguem obter discriminação de palavras e sentenças mesmo com uma prótese auditiva potente. O implante coclear é a alternativa atual para estes pacientes. OBJETIVO: Avaliar o resultado auditivo dos pacientes adultos implantados com o implante coclear multicanal pelo Grupo de Implante Coclear da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de medicina da Universidade de São Paulo. FORMA DE ESTUDO: Estudo de série. CASUÍSTICA E MÉTODO: Foram selecionados 61 pacientes com surdez profunda bilateral que utilizam o implante coclear multicanal por pelo menos seis meses e estudados os resultados auditivos através de testes de reconhecimento de palavras e sentenças. RESULTADOS: O PTA médio obtido pelos pacientes foi 38.7 dB NPS. A média em reconhecimento de sentenças em formato aberto foi de 71.3%...

Análise das estratégias utilizadas em um grupo terapêutico pedagógico para auxiliar o desenvolvimento da linguagem escrita em crianças com deficiência auditiva

Duarte,Janaína Luciane; Brazorotto,Joseli Soares
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
56.07%
O presente estudo teve como objetivos avaliar e acompanhar o desenvolvimento da linguagem escrita e analisar as estratégias utilizadas durante 01 ano de intervenção pedagógica em grupo para o desenvolvimento da linguagem escrita de quatro crianças com deficiência auditiva, usuárias de Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) e/ou Implante Coclear (IC) com idades entre 05 e 07 anos, atendidas no Centro Educacional do Deficiente Auditivo do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo, em Bauru-SP. Para a consecução dos objetivos foram realizados os seguintes procedimentos: submissão do projeto de pesquisa ao Comitê de Ética em Pesquisa da instituição, revisão da literatura, análise das estratégias para a intervenção, categorização das habilidades de audição e de linguagem oral de cada criança após avaliações da percepção auditiva da fala e de linguagem oral realizadas por um fonoaudiólogo, bem como avaliação da linguagem escrita de acordo com protocolos específicos, no pré e pós-intervenção. As estratégias foram aplicadas na situação de grupo, mediadas pela pedagoga-pesquisadora e registradas com câmera fixa, instalada em tripé. Realizada a análise das estratégias por meio de transcrição e categorização das mesmas bem como a análise quantitativa e qualitativa das avaliações de cada criança...

Práticas educativas parentais de crianças com deficiência auditiva e de linguagem

Bolsoni-Silva,Alessandra Turini; Rodrigues,Olga Maria Piazentin Rolim; Abramides,Dagma Venturini Marques; Souza,Liliane Salgado de; Loureiro,Sonia Regina
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.16%
Comportamentos de pais e de filhos influenciam-se mutuamente. Crianças com alterações de linguagem relacionadas ou não à perda auditiva, podem apresentar dificuldades de relacionamento com os irmãos e seus pares. Assim, a investigação das práticas educativas parentais e do repertório comportamental infantil é fundamental para a busca de intervenções efetivas para essas crianças. O estudo tem como objetivos: (a) comparar o repertório positivo e negativo de mães e crianças com deficiência auditiva (DA) e distúrbio de linguagem (DL); (b) comparar cada uma das deficiências com grupo não clinico; (c) correlacionar comportamentos para cada uma das deficiências. Participaram deste estudo 72 mães, cujos filhos apresentavam DA (n = 27), DL (n = 19) ou compunha uma população não clínica (n = 26). O instrumento utilizado foi o Roteiro de Entrevista de Habilidades Sociais Educativas Parentais, que avalia a ocorrência de habilidades sociais aplicáveis às práticas educativas. Os resultados evidenciaram a associação entre práticas positivas e habilidades sociais, bem como entre práticas negativas e problemas de comportamento. O grupo de DL não apresentou mais problemas que as crianças não clínicas, sugerindo a participação de intervenções de caráter preventivo...

Avaliação do processamento auditivo em crianças com dificuldades de aprendizagem

Engelmann,Lucilene; Ferreira,Maria Inês Dornelles da Costa
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
45.9%
OBJETIVO: Esclarecer a relação entre dificuldades de aprendizagem e o transtorno do processamento auditivo em uma turma de segunda série. MÉTODOS: Através da aplicação de testes de leitura os alunos foram classificados quanto à fluência em leitura, sendo um com maior fluência (grupo A) e outro com menor fluência (grupo B). Os testes de processamento auditivo foram comparados entre os grupos. RESULTADOS: Todos os participantes apresentaram dificuldades de aprendizagem e transtorno do processamento auditivo em quase todos os subperfis primários. Verificou-se que a variável memória sequencial verbal do grupo de menor fluência em leitura (grupo B) foi significantemente melhor (p=0,030). CONCLUSÃO: Questiona-se o diagnóstico de transtorno primário do processamento auditivo e salienta-se a importância da memória sequencial verbal no aprendizado da leitura e escrita. Em face do que foi observado, mais pesquisas deverão ser realizadas objetivando o estudo dessa variável e sua relação com o processamento auditivo temporal.

Relação entre desvios fonológicos e processamento auditivo

Caumo,Débora Tomazi Moreira; Ferreira,Maria Inês Dornelles da Costa
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
35.9%
OBJETIVOS: Pesquisar a relação entre desvio fonológico e processamento auditivo. MÉTODOS: Os dados foram coletados por meio da verificação de prontuários. Foram incluídos no estudo pacientes com diagnóstico de desvio fonológico que realizaram testes de processamento auditivo e que tinham idade mínima de sete anos. Considerou-se a avaliação do processamento auditivo, a avaliação da fala, o gênero, a idade e a série escolar. RESULTADOS: Todas as crianças (100%) apresentaram pelo menos um subperfil do processamento auditivo alterado. Ao comparar os processos de substituição e de estruturação silábica aos resultados dos testes de processamento auditivo verificou-se correlação estatisticamente significante para a etapa de integração binaural para a orelha direita do teste dicótico de dígitos (p=0,018) e para a condição nomeando do teste PPS (p=0,041). Na comparação dos testes de processamento auditivo com a idade encontrou-se diferença estatisticamente significante para o teste PSI na orelha direita (p=0,011) para a faixa de 10 a 12 anos. O mesmo ocorreu na comparação com a série escolar, em que o teste SSW na condição direita competitiva (p=0,039) e a atenção direcionada à direita do teste dicótico de dígitos (p=0...

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas - 2014

Friche, Amélia Augusta de Lima; Reis, Nivania Maria de Melo; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Bonolo, Palmira de Fátima; Andrade, Marco Antônio Percope de; Campos, Túlio Vinícius de Oliveira; Lustosa, Lygia Paccini; Figueiredo, Ana Rosa Pimente
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.06%
O curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas (2014) integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema. Pretende promover atualização sobre o uso terapêutico das tecnologias assistivas no âmbito da habilitação e da reabilitação das pessoas com deficiência. Busca-se colaborar à proposta da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência: a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para atender as pessoas com deficiência, com o objetivo de promoção do cuidado a saúde, prevenção e identificação precoce de deficiências em todas as fases da vida. Busca, ainda, atender à ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção e de capacidade visual e auditiva, bem como dos cuidados em habilitação e reabilitação, para promover a reinserção social das pessoas com deficiência. O curso está dividido em 5 unidades: Unidade 1. Tecnologias assistivas: direitos das pessoas com deficiência Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Unidade 3. Tecnologias assistivas: visão Unidade 4. Tecnologias assistivas: audição Unidade 5. Tecnologias assistivas: ampliação da comunicação

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas - 2014

Friche, Amélia Augusta de Lima; Reis, Nivania Maria de Melo; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Bonolo, Palmira de Fátima; Andrade, Marco Antônio Percope de; Campos, Túlio Vinícius de Oliveira; Lustosa, Lygia Paccini; Figueiredo, Ana Rosa Pimente
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.06%
O curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas (2014) integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema. Pretende promover atualização sobre o uso terapêutico das tecnologias assistivas no âmbito da habilitação e da reabilitação das pessoas com deficiência. Busca-se colaborar à proposta da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência: a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para atender as pessoas com deficiência, com o objetivo de promoção do cuidado a saúde, prevenção e identificação precoce de deficiências em todas as fases da vida. Busca, ainda, atender à ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção e de capacidade visual e auditiva, bem como dos cuidados em habilitação e reabilitação, para promover a reinserção social das pessoas com deficiência. O curso está dividido em 5 unidades: Unidade 1. Tecnologias assistivas: direitos das pessoas com deficiência Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Unidade 3. Tecnologias assistivas: visão Unidade 4. Tecnologias assistivas: audição Unidade 5. Tecnologias assistivas: ampliação da comunicação

Sistema não-Intrusivo para Estimação da Direção do olhar utilizando redes neurais artificiais

Peixoto, Helton Maia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica; Automação e Sistemas; Engenharia de Computação; Telecomunicações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica; Automação e Sistemas; Engenharia de Computação; Telecomunicações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.9%
The fundamental senses of the human body are: vision, hearing, touch, taste and smell. These senses are the functions that provide our relationship with the environment. The vision serves as a sensory receptor responsible for obtaining information from the outside world that will be sent to the brain. The gaze reflects its attention, intention and interest. Therefore, the estimation of gaze direction, using computer tools, provides a promising alternative to improve the capacity of human-computer interaction, mainly with respect to those people who suffer from motor deficiencies. Thus, the objective of this work is to present a non-intrusive system that basically uses a personal computer and a low cost webcam, combined with the use of digital image processing techniques, Wavelets transforms and pattern recognition, such as artificial neural network models, resulting in a complete system that performs since the image acquisition (including face detection and eye tracking) to the estimation of gaze direction. The obtained results show the feasibility of the proposed system, as well as several feature advantages.; Os sentidos fundamentais do corpo humano são: visão, audição, tato, gustação(ou paladar) e olfato. Estes constituem as funções que propiciam o nosso relacionamento com o ambiente. A visão funciona como um receptor sensorial responsável pela captação de informações do mundo exterior que serão enviadas ao cérebro. O olhar reflete a sua atenção...

Análise das estratégias utilizadas em um grupo terapêutico pedagógico para auxiliar o desenvolvimento da linguagem escrita em crianças com deficiência auditiva; Analyses of strategies used in a pedagogic therapeutic group to enhance the development of writing in hearing impaired children

DUARTE, Janaína Luciane; BRAZOROTTO, Joseli Soares
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.07%
O presente estudo teve como objetivos avaliar e acompanhar o desenvolvimento da linguagem escrita e analisar as estratégias utilizadas durante 01 ano de intervenção pedagógica em grupo para o desenvolvimento da linguagem escrita de quatro crianças com deficiência auditiva, usuárias de Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) e/ou Implante Coclear (IC) com idades entre 05 e 07 anos, atendidas no Centro Educacional do Deficiente Auditivo do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo, em Bauru-SP. Para a consecução dos objetivos foram realizados os seguintes procedimentos: submissão do projeto de pesquisa ao Comitê de Ética em Pesquisa da instituição, revisão da literatura, análise das estratégias para a intervenção, categorização das habilidades de audição e de linguagem oral de cada criança após avaliações da percepção auditiva da fala e de linguagem oral realizadas por um fonoaudiólogo, bem como avaliação da linguagem escrita de acordo com protocolos específicos, no pré e pós-intervenção. As estratégias foram aplicadas na situação de grupo, mediadas pela pedagoga-pesquisadora e registradas com câmera fixa, instalada em tripé. Realizada a análise das estratégias por meio de transcrição e categorização das mesmas bem como a análise quantitativa e qualitativa das avaliações de cada criança...

Investigação do comportamento auditivo em recem-nascidos e lactentes

Helenice Yemi Nakamura
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/1996 PT
Relevância na Pesquisa
46.13%
O diagnóstico precoce das hipoacusias são muito importantes, no entanto, a prática da avaliação auditiva de recém-nascidos e lactentes ainda está sendo objeto de estudo. Este traqalho teve como objetivos avaliar as respostas auditivas frente aos estímulos sonoros em recém-nascidos, verificar a validade da utilização dos indicadores associados com perda auditiva como forma de selecionar casos para testagem auditiva, analisar as respostas aos estímulos sonoros no primeiro trimestre com a finalidade de<' verificar a utilidade do seguimento nesta faixa etária e determinar o instrumento que pode ser usado de maneira eficiente e acessível em nosso meio. Foram selecionados, 120 recém-nascidos, em 05 maternidades de Campinas, sendo acompanhados 20 lactentes no primeiro trimestre, classificados segundo grupo de risco para deficiências neuromotoras e sensoriais definidas no nosso serviço de O a 4 , desde sem risco até os indicadores associados com perda auditiva sendo triadas auditivamente através de testagem comportamental. Nossos resultados demonstraram que: quanto aos instrumentos utilizados, o I Agogô de campânula grande mostrou ser o mais indicado para a testagem comportamental de respostas reflexas tanto no berçário e como no seguimento. Com relação aos grupos de risco...

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas - 2014

Friche, Amélia Augusta de Lima; Reis, Nivania Maria de Melo; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Bonolo, Palmira de Fátima; Andrade, Marco Antônio Percope de; Campos, Túlio Vinícius de Oliveira; Lustosa, Lygia Paccini; Figueiredo, Ana Rosa Pimente
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Backup moodle contendo materiais em formato PDF e na linguagem html, além de áudio, vídeos e slides
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.07%
O curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas (2014) integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema. Pretende promover atualização sobre o uso terapêutico das tecnologias assistivas no âmbito da habilitação e da reabilitação das pessoas com deficiência. Busca-se colaborar à proposta da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência: a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para atender as pessoas com deficiência, com o objetivo de promoção do cuidado a saúde, prevenção e identificação precoce de deficiências em todas as fases da vida. Busca, ainda, atender à ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção e de capacidade visual e auditiva, bem como dos cuidados em habilitação e reabilitação, para promover a reinserção social das pessoas com deficiência. O curso está dividido em 5 unidades: Unidade 1. Tecnologias assistivas: direitos das pessoas com deficiência Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Unidade 3. Tecnologias assistivas: visão Unidade 4. Tecnologias assistivas: audição Unidade 5. Tecnologias assistivas: ampliação da comunicação; 2014; Ministérios da Saúde

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas - 2014

Friche, Amélia Augusta de Lima; Reis, Nivania Maria de Melo; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Bonolo, Palmira de Fátima; Andrade, Marco Antônio Percope de; Campos, Túlio Vinícius de Oliveira; Lustosa, Lygia Paccini; Figueiredo, Ana Rosa Pimente
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Arquivo texto, ilustrado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.07%
O curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas (2014) integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema. Pretende promover atualização sobre o uso terapêutico das tecnologias assistivas no âmbito da habilitação e da reabilitação das pessoas com deficiência. Busca-se colaborar à proposta da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência: a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para atender as pessoas com deficiência, com o objetivo de promoção do cuidado a saúde, prevenção e identificação precoce de deficiências em todas as fases da vida. Busca, ainda, atender à ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção e de capacidade visual e auditiva, bem como dos cuidados em habilitação e reabilitação, para promover a reinserção social das pessoas com deficiência. O curso está dividido em 5 unidades: Unidade 1. Tecnologias assistivas: direitos das pessoas com deficiência Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Unidade 3. Tecnologias assistivas: visão Unidade 4. Tecnologias assistivas: audição Unidade 5. Tecnologias assistivas: ampliação da comunicação; Ministério da Saúde

Cidade acessível: igualdade e singularidade da deficiência visual

Kastrup, Virginia; David, Jéssica da Silva; Gurgel, Veronica Torres; Antunes, Ximene Martins
Fonte: Eduff Publicador: Eduff
Tipo: ; ; Resumo não avaliado por pares; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 22/06/2009
Relevância na Pesquisa
35.91%
A maior parte das discussões acerca das deficiências (motoras e sensoriais) tende a tomar uma de duas direções. A primeira delas se refere às políticas de inclusão que, focadas no direito das pessoas com deficiência, enfatizam a igualdade entre deficientes e não deficientes. A segunda direção vai em sentido oposto e destaca a diferença. Sob tal perspectiva, na maioria das vezes a deficiência é vista como um déficit, um empecilho, desconsiderando o que ela tem de potência de recriar a subjetividade, de aprender e conhecer, de se relacionar e habitar a cidade. Numa orientação mais interessante, a pessoa com deficiência é vista como portadora de necessidades especiais. No campo da deficiência visual, estudos cognitivos apontam para as particularidades do cego, atentando também para suas potencialidades. A diferença cognitiva entre cegos e videntes diz respeito ao modo como eles se movimentam e sua percepção do espaço, o que tem conseqüências para a locomoção na cidade. A especificidade da pessoa com deficiência visual se dá não como efeito de uma falta de competência cognitiva espacial, mas como decorrente da ausência de dados perceptivos provenientes do ambiente. Para os videntes, o que permite se locomover no espaço de maneira organizada é a relação entre movimentos realizados e as progressivas mudanças de distância e direção entre os objetos e si mesmo. Para os deficientes visuais não há um fluxo visual contínuo...