Página 1 dos resultados de 44 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Identification of non-host resistance genesin wheat to Puccinia striiformis f. sp. hordei

Rodrigues, Paula
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
16.89%
Yellow rust, caused by Puccinia striiformis West., is an important foliar disease of wheat and barley throughout the world, and the development of resistant cultivars is the most economical and environmentally friendly method of control. Breeding for resistance to yellow rust has, for decades, been based on the use of race-specific resistance genes, which have shown to be short-lived. Non-host resistance has been studied as a possible source of durable resistance. Two major genes, as well as an undetermined number of minor genes, for non-host resistance to the barley attacking form of yellow rust, P. striiformis f. sp. hordei, have been previously detected in the wheat cultivar ‘Lemhi’. The present study aimed at quantifying and mapping those genes using QTL (quantitative trait loci) mapping procedures. For that purpose, an F2 population of 114 individuals resulting from the cross of resistant ‘Lemhi’ with ‘Chinese 166’, a wheat cultivar susceptible to barley yellow rust, was used as the mapping population. QTL effects and significance were estimated by means of interval mapping and MQM mapping procedures. A map for the F2 population was constructed which included 116 DNA markers (14 SSRs and 102 AFLPs). Two major QTLs have been mapped to chromosome arms 1DS (Psh1) and 2BL (Psh2)...

Caracterização do sistema antioxidativo no estabelecimento da associação micorrízica Castanea sativa Mill. / Amanita muscaria

Baptista, Paula; Martins, Anabela; Tavares, Rui Manuel; Lino-Neto, Teresa
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
16.62%
As micorrizas são associações mutualistas que se estabelecem entre fungos, pertencentes sobretudo às divisões Basidiomycota, Ascomycota e Zigomycota, e raízes de plantas vasculares. Com o estabelecimento da associação micorrízica, ocorrem várias alterações morfológicas, fisiológicas e ecológicas em ambos os intervenientes, que têm sido objecto de estudo por diversos autores. Contudo, os mecanismos que controlam o processo de colonização e como este processo se inicia é completamente desconhecido. Os poucos trabalhos desenvolvidos nesta área, utilizando micorrizas arbusculares, sugerem que, durante as primeiras horas de invasão do fungo, ocorre uma indução de resposta de defesa por parte da planta hospedeira, semelhante à observada na interacção planta-patogénio. O presente trabalho pretende averiguar o efeito da inoculação de plantas de Castanea sativa Mill. com o fungo ectomicorrízico Amanita muscaria, na indução de resposta de defesa da planta hospedeira.O trabalho experimental decorreu num sistema in vitro estabelecido entre plantas de C. sativa e o fungo A. muscaria. Durante as primeiras horas de contacto (0 às 48 horas) procedeu-se à recolha de amostras de raízes, caules e folhas da planta hospedeira e de micélio de fungo que esteve em contacto com a raiz. Nestas amostras analisaram-se os níveis de peróxido de hidrogénio (H2O2)...

Meloidogyne Hispanica parasitism genes : molecular and functional characterization

Duarte, Aida Maria Dâmaso
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
26.62%
O nemátode-das-galhas-radiculares (NGR), Meloidogyne hispanica (Mhi), tem sido detetado em todos os continentes associado a uma grande diversidade de plantas hospedeiras. Os objetivos principais deste estudo foram determinar as funções de genes efetores de M. hispanica na interação entre a planta hospedeira e o nemátode e contribuir para o desenvolvimento de novas estratégias de controlo. Em virtude de não existirem dados genómicos disponíveis para M. hispanica, alguns genes ortólogos foram selecionados, a partir de genes modelo do genoma de M. incognita e M. hapla, no "National Center for Biotechnology". Foram desenhados primers para as regiões conservadas dos efetores selecionados de M. incognita e M. hapla e usados para amplificar estes genes em M. hispanica. Este processo levou à amplificação dos genes efetores de M. hispanica: anexina-2 (nex-2); β-1,4- endoglucanase-1 e 2 (eng-1 e eng-2); cisteína protease L-catepsina (cpl-1); calreticulina (crt-1); proteína de ligação de ácidos gordos e retinol (far-1); transferase glutationa-S (gsts-1); dismutase superóxido de manganésio (mnsod); liase pectase 3 (pel-3); poligalacturonase (gp-1); proteína semelhante à alérgica do veneno 1 e 2 (vap-1 e vap-2) e 14-3-3a (14-3-3a). Os genes Mhi-cpl-1...

Interação entre Methylobacterium extorquens e cana-de-açúcar (Saccharum sp.); Interaction between Methylobacterium extorquens and sugarcane (Saccharum sp.)

Silva, Michele de Cássia Pereira e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
16.59%
As plantas quando colonizadas produzem diversas enzimas de defesa que podem impedir o estabelecimento de microrganismos. Esta condição adversa na planta hospedeira gera uma resposta do microrganismo, a qual está associada à síntese de proteínas e outras moléculas que atuam na sua interação com a planta e alteram a comunidade microbiana associada. Todos os organismos respondem a essa condição, estabelecendo biofilmes, ou sintetizando um grupo de moléculas e proteínas que os protegem de danos e facilita a recuperação. Estas são chamadas proteínas de choque térmico (HSPs), as quais não foram ainda estudadas na interação Methylobacterium - planta. As bactérias do gênero Methylobacterium são metilotróficas facultativas da classe Alfa-proteobactéria, encontradas em relações epifíticas e endofíticas com diferentes espécies vegetais. Assim, o presente trabalho teve como objetivos avaliar o efeito da deficiência da produção de biofilme e de Acil-Homoserina-Lactonas (AHLs), e do estresse térmico de M. extorquens na colonização da planta hospedeira (Saccharum sp.). Para isso, foram usadas linhagens defectivas para produção de biofilme e AHLs, juntamente com a linhagem selvagem submetida ou não ao estresse térmico. Os resultados obtidos mostram a complexidade dos mecanismos envolvidos na produção de biofilme e moléculas AHLs. O estresse térmico não afetou a colonização das raízes nem de colmos após 5 dias de inóculo...

Indução de voláteis em plantas de milho por um hospedeiro, Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) e um não-hospedeiro, Plutella xylostella L. (Lepidoptera: Plutellidae) e seu efeito sobre esses insetos e seus respectivos parasitóides; Maize induced volatiles elicited by a host Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) and a non-host Plutella xylostella L. (Lepidoptera: Plutellidae) of these insects and their respective parasitoids

Signoretti, André Gustavo Corrêa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
16.54%
As plantas reconhecem e produzem substâncias voláteis específicas para a atração de parasitóides após o ataque de um herbívoro, num processo conhecido como defesa indireta. Contudo, a capacidade dessas plantas em processar e liberar novos compostos voláteis sob o ataque de um herbívoro não hospedeiro permanece ainda inexplorado. Em vista disso, o presente trabalho buscou investigar o efeito dos voláteis emitidos por planta de milho sob o ataque de uma praga até então não hospedeira (traça-das-crucíferas, Plutella xylostella) comparado ao daqueles emitidos por planta de milho sob ataque de um hospedeiro tradicional (lagarta-do-cartucho-domilho, Spodoptera frugiperda), sobre esses insetos e seus respectivos parasitóides, Apanteles piceotrichosus e Campoletis flavicincta. Os bioensaios com os parasitóides foram conduzidos em fotofase, sendo oferecidos a estes, voláteis de plantas de milho sadias, voláteis liberados nos intervalos de 0-1, 5-6 e 24-25h após tratamento em fotofase por dano mecânico ou herbivoria simulada, e voláteis liberados no intervalo de 5-6h após esses mesmos tratamentos em escotofase. Já os ensaios com as mariposas foram conduzidos em escotofase, sendo oferecidos a estas, voláteis de plantas de milho sadias...

Defesa quimica em larvas da borboleta Mechanitis polymnia (Nymphalidae : Ithomiinae)

Augusto Henrique Arantes Portugal
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/02/2001 PT
Relevância na Pesquisa
26.51%
Os imaturos de lepidópteros estão sujeitos a altas taxas de mortalidade no ambiente natural. Uma das formas de defesa mais utilizadas e estudadas é a defesa química, envolvendo, por exemplo, substâncias tóxicas ou impalatáveis. Estas substâncias podem ser adquiridas pelos lepidópteros de suas fontes alimentares ou biosintetisadas de novo. Através de um acompanhamento dos imaturos de Mechanitis po/ymnia no campo observou-se que larvas apresentam as taxas mais altas de sobrevivência quando comparadas a ovos e pupas. A sobrevivência de ovos a adultos de Mechanitis po/ymnia em So/anum tabacifolium (área urbana) foi maior do que em So/anum mauritianum e So/anum concinnum (ambos floresta secundária). Experimentos realizados em laboratório com a formiga predadora generalista Camponotus crassus confirmaram a capacidade de defesa de larvas de Mechanitis po/ymnia contra predadores. Além disto verificou se que o tipo de defesa envolvida seria provavelmente defesa química e que as substâncias de defesa estariam localizadas na superfície das larvas já que a rejeição pelas formigas se dava após breve contato inicial. Uma classe de substâncias possivelmente responsáveis pela defesa seriam os lipídios cuticulares (LCs). Lipídios cuticulares de insetos e plantas terrestres tem como principal função...

Interações tritroficas no sistema Aristolochia arcuata (Aristolochiaceae), Battus polydamas (Lepidoptera:Papilonidae:Troidini), e alguns de seus inimigos naturais

Ana Beatriz Barros de Morais
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/1997 PT
Relevância na Pesquisa
16.49%
No período de setembro de 1995 a agosto de 1996, foram acompanhadas as populações naturais de Aristolochia arcuata (Aristolochiaceae), seu fitófago especialista Battus polydamas (Lepidoptera: Papilionidae: Troidini) e seus inimigos naturais na Reserva Municipal Mata de Santa Genebra, município de Campinas, SP. Ovos e larvas dos fitófagos foram encontrados durante o ano todo, com uma diminuição nos meses mais secos. O desaparecimento na planta hospedeira (75,72%), seguido de predação (11,23%) foram os principais fatores naturais de mortalidade constatados em experimentos de exposição de imaturos. As crisálidas (58,82 %), larvas de 4° estádio (56,04 %), e ovos (46,44 %) foram os mais atingidos. A vespa Areoscelis rufa (Hymenoptera: Ichneumonidae) é um parasitóide especialista de B. polydamas e a porcentagem de larvas parasitadas foi maior no período de fevereiro a junho de 1996. A razão sexual das vespas obtidas foi de 0,32, com predomínio de fêmeas. O peso de crisálidas provenientes de larvas parasitadas de B. polydamas foi significativamente menor do que em larvas não-parasitadas (p < 0,01). Bioensaios em olfatômetro mostraram que as fêmeas de A. rufa foram atraídas significativamente para folhas de A. arcuata e larvas de 4° estádio de B. polydamas (p < 0...

Interação entre formigas, o membracideo Guayaquila xiphias (Hemiptera) e sua planta hospdeira Schefflera vinosa (Araliaceae) : o papel dos lipidios cuticulares na camuflagem quimica dos membracideos; Ants and Guayaquila xiphias (Hemiptera: Membracidae) on Schefflera vinosa (Araliaceae) : the role of cuticular lipids in the chemical camouflage of treehoppers

Henrique Cesar Pelicci Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/07/2008 PT
Relevância na Pesquisa
16.54%
A grande abundância de formigas é um dos fatores que torna esses artrópodes os maiores predadores de insetos herbívoros, sendo que sua intensa atividade de forrageamento na vegetação resulta em um número expressivo de associações com plantas e outros artrópodes. O sistema entre formigas, Guayaquila xiphias (Hemiptera: Membracidae) e sua planta hospedeira Schefflera vinosa (Araliaceae) é um exemplo que ocorre no cerrado. As ninfas e os adultos do hemíptero se alimentam da seiva da planta, apresentando hábito gregário e produzindo exsudação ricamente energética (majoritariamente carboidratos), que é coletada dia e noite por diversas espécies de formigas, as quais protegem esses membracídeos contra predadores. Entretanto, será que somente o exsudato seria o suficiente para apaziguar as formigas fazendo com que elas não ataquem os membracídeos? Nós testamos a hipótese que a semelhança química entre o membracídeo (ninfas e adultos) e sua planta hospedeira confere a esse herbívoro uma camuflagem química contra formigas, resultando em uma defesa adicional à produção de exsudato. Ninfas liofilizadas de G. xiphias foram coladas em uma planta diferente da hospedeira (Solanum tabacifolium; Solanaceae), o que resultou em uma predação significativamente maior pela formiga predadora generalista Camponotus crassus (Formicinae)...

Multimodalidade de defesas em Ipomoea carnea subsp. fistulosa (Convolvulaceae) e em seus herbívoros, os besouros Cassidinae (Chrysomelidae); Multimodal defenses in Ipomoea carnea subsp. fistulosa (Convolvulaceae) and in its tortoise beetles herbivores (Cassdinae: Chrysomelidae)

Kamila Ferreira Massuda Garcia
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
As interações entre os insetos herbívoros e as plantas foram moldadas ao longo de um extenso processo coevolutivo, que gerou adaptações das plantas para evitarem a herbivoria e contra-adaptações dos herbívoros para superarem as defesas impostas pelas plantas. As folhas de Ipomoea carnea subsp. fistulosa (Convolvulaceae) são atacadas pelos besouros Cassidinae (Chrysomelidae), Chelymorpha reimoseri, Chelymorpha cribraria e Charidotella rubicunda. Esses besouros depositam seus ovos nas folhas e se alimentam das mesmas nos estágios de larva e adulto. Nesse trabalho, demonstramos a eficácia de dois mecanismos de defesa de I. carnea contra a deposição de ovos por C. reimoseri: (1) o descolamento de posturas, devido a formação de neoplasmas abaixo da postura e (2) a atração de parasitoides de ovos, por voláteis liberados de plantas induzidas pela própria postura ou por um indivíduo realmente capaz de ovipor, uma fêmea que copulou. Além disso, demonstramos duas estratégias de defesa para as três espécies cassidíneas supramencionadas contra predadores: (1) a impalatabilidade, devido ao alcaloide swainsonina, sequestrado da planta hospedeira e cuja atividade deterrente foi demonstrada para Gallus gallus e (2) a camuflagem química das larvas de C. reimoseri nas folhas da planta hospedeira...

Sistemática morfológica e molecular de ácaros fitófagos do gênero Brevipalpus Donnadieu de importância econômica e quarentenária para o Brasil; Morphological and molecular systematics of phytophagous mites of Brevipalpus Donnadieu genus of economic and quarantine importance to Brazil

Miranda, Letícia Calvoso
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.09%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2008.; O gênero de maior importância na família Tenuipalpidae é Brevipalpus Donnadieu. Esse gênero é composto por cerca de 300 espécies distribuídas por todo o mundo. Ácaros Brevipalpus apresentam importância agrícola por danificarem diversas culturas e, principalmente, por algumas espécies agirem como vetoras de importantes vírus fitopatogênicos. No Brasil, as principais espécies de Brevipalpus são B. phoenicis (Geijskes), B. obovatus Donnadieu e B. californicus (Banks). A espécie B. chilensis Baker é de expressão quarentenária para o Brasil e apresenta alto risco de introdução no país, através do trânsito de material vegetal. As espécies de Brevipalpus são morfologicamente muito próximas e, algumas delas, têm sido confundidas e erroneamente identificadas. Esta dificuldade de identificação das espécies de Brevipalpus tem causando dificuldades para o desembaraço de commodities brasileiras e para a interceptação de espécies quarentenárias em pontos de entrada no Brasil. Este trabalho teve como objetivo geral dar subsídio para a rápida e acurada identificação de espécies de Brevipalpus e contribuir para a sistemática do grupo. São apresentados três capítulos...

Proteínas moduladas durante a interação do begomovírus Tomato chlorotic mottle virus (Tocmov) e Suas plantas hospedeiras

Carmo, Lílian Silveira Travassos do
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Relevância na Pesquisa
16.49%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de Biologia Molecular, 2014.; O tomate é uma cultura de grande importância econômica em todo o mundo, mas é severamente afetada por vários geminivírus, como o begomovírus Tomato chrolotic mottle virus (ToCMoV) que causam perdas significativas na cultura. O objetivo desse estudofoi identificar proteínas diferencialmente expressas na interação ToCMoV-planta hospedeira. Primeiramente foi verificado o efeito do gene AC2 de ToCMoV na planta modelo Nicotiana benthamiana. A proteína AC2 é um fator de virulência que tem um papel crucial no sucesso da interação vírus-planta, atuando como ativador transcricional e em alguns begomovírus, como supressor de silenciamento de RNA. Entretanto, a função ou funções da proteína AC2 do begomovírus ToCMoV ainda não foram determinadas. Para esta etapa do trabalho, plantas de N. benthamiana foram inoculadas com Agrobacterium tumefaciens contendo o vetor viral Potato virus X (PVX) e com a construção PVX-AC2. Eletroforese bidimensional foi realizada e a análise por MALDI TOF-TOF revelou proteínas diferencialmente expressas envolvidas em estresse oxidativo, fotossíntese, defesa contra patógenos, entre outros. Na segunda etapa do trabalho...

Análise da interação entre Phaseolus vulgaris, Trichoderma harzianum ALL 42 e os fungos fitopatogênicos Fusarium solani e Rhizoctonia solani

Pereira, Jackeline Leite
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
16.42%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de Biologia Molecular, Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular, 2012.; Este estudo teve como objetivo analisar a interação entre o fungo Trichoderma harzianum ALL-42 isolado de solo do Cerrado e Phaseolus vulgaris, na presença ou ausência dos fungos fitopatogênicos Rhizoctonia solani e Fusarium solani. Foram avaliadas as capacidades de T. harzianum de promover o crescimento, bem como de modular a resposta de defesa e alterar o padrão de expressão de proteínas na planta hospedeira, P. vulgaris. Os feijoeiros cultivados na presença deste isolado mostraram um aumento significativo de 14,29% no tamanho, 17,72% na área foliar e 36,31% no volume radicular, quando comparados às plantas controle. Análises da produção de enzimas relacionadas à resposta de defesa vegetal em folhas em raízes das plantas mostraram que os valores mais significativos de atividade de quitinases em folhas e raizes de feijoeiro, foram detectadas para as plantas cuja interação envolvia o fungo micoparasita T. harzianum e um dos fungos fitopatogênicos, R. solani ou F. solani. Para β 1,3 glucanases, os valores de atividade mais significativos foram detectados em folhas...

Análise da associação e do secretoma da interação entre Trichoderma spp. de solo do Cerrado com feijoeiro comum, Phaseolus vulgaris L.; Analysis of the association and the secretome of interaction between Trichoderma spp. of Cerrado soil with common bean, Phaseolus vulgaris L.

Silva, Francilene Lopes da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
16.48%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Biologia Celular, Programa de Pós-Graduação em Biologia Microbiana, 2014.; Algumas espécies de Trichoderma quando em íntima associação com plantas hospedeiras podem desencadear sua resposta de defesa e, desta forma, induzir resistência contra subsequentes infecções fúngicas. No presente trabalho foi analisado a expressão dos genes codificadores de proteínas de defesa (Glu, Chit 1, LOX, PER e PAL) em feijoeiro comum, Phaseolus vulgaris, em resposta à asssociação com os isolados das espécies T. asperellum (468/02) e T. harzianum (475/2 e 303/2), após 24, 48 e 72 horas de interação; Além disso, foi analisado o secretoma da interação entre o feijoeiro comum e o isolado 303/02 visando mapear proteínas com papel na interação entre T. harzianum e feijoeiro comum em um sistema hidropônico. A presença do T. asperellum 468/02 e T. harzianum 457/02 aumentaram a expressão dos genes de defesa do feijoeiro Chit, Glu e PAL durante as primeiras 24h de interação. Um aumento mais tardio, com 72 h, foi observado na expressão desses mesmos genes de defesa em feijoeiro na presença T.harzianum 303/02. O gene PER teve sua expressão aumentada com 48 h de interação para os três isolados. O aumento na expressão do gene LOX foi baixa para os isolados 468/02 e 457/02 e não foi observado aumento para o isolado 303/02. A análise por LC-MS/MS do secretoma de T. harzianum 303/02 crescido na ausência da planta hospedeira permitiu a identificação de 185 proteínas...

Interaction of malaria parasites with host late endocytic and autophagic pathways is essential for Plasmodium liver stage development

Matos, Carolina Thieleke da Silva Macedo
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas Publicador: Faculdade de Ciências Médicas
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 ENG
Relevância na Pesquisa
16.54%
RESUMO: A Malária é causada por parasitas do género Plasmodium, sendo a doença parasitária mais fatal para o ser humano. Apesar de, durante o século passado, o desenvolvimento económico e a implementação de diversas medidas de controlo, tenham permitido erradicar a doença em muitos países, a Malária continua a ser um problema de saúde grave, em particular nos países em desenvolvimento. A Malária é transmitida através da picada de uma fêmea de mosquito do género Anopheles. Durante a picada, os esporozoítos são injetados na pele do hospedeiro, seguindo-se a fase hepática e obrigatória do ciclo de vida. No fígado, os esporozoítos infetam os hepatócitos onde se replicam, dentro de um vacúolo parasitário (VP) e de uma forma imunitária silenciosa, em centenas de merozoitos. Estas novas formas do parasita são as responsáveis por infetar os eritrócitos, iniciando a fase sanguínea da doença, onde se os primeiros sintomas se manifestam, tais como a característica febre cíclica. A fase hepática da doença é a menos estudada e compreendida. Mais ainda, as interações entre o VP e os organelos da células hospedeira estão ainda pouco caracterizados. Assim, neste estudo, as interações entre os organelos endocíticos e autofágicos da célula hospedeira e o VP foram dissecados...

Avaliações microscópicas e moleculares da interação incompatível entre plantas de soja e o fungo Uromyces appendiculatus.

ROMERO, C. C. T.
Fonte: 2011. Publicador: 2011.
Tipo: Teses/dissertações (ALICE) Formato: il.; 82 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
16.75%
As plantas estão naturalmente expostas a uma ampla variedade de micro-organismos potencialmente patogênicos, mas, graças ao fenômeno conhecido como resistência não-hospedeira, apenas uma ínfima parcela destes lhes causa danos. A resistência não-hospedeira é sabidamente a forma mais comum e duradoura de resistência, porém, devido a sua natureza complexa, tem sido menos estudada ao longo dos anos do que a resistência específica. Acredita-se que o entendimento das bases moleculares da resistência não-hospedeira, com o auxílio das técnicas modernas de biologia molecular, possa trazer contribuições para o desenvolvimento de variedades de plantas resistentes a doenças. A cultura da soja ocupa lugar de destaque no agronegócio brasileiro, mas sofre anualmente prejuízos da ordem de milhões de reais devido ao ataque do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da Ferrugem Asiática da Soja (FAS). O presente trabalho se propôs a investigar fenotípica e molecularmente a interação de plantas de soja com o fungo heterólogo Uromyces appendiculatus, causador da ferrugem do feijoeiro. As análises fenotípicas, feitas por microscopia óptica e microscopia eletrônica de varredura, sugerem a tentativa mal sucedida de penetração fúngica no tecido vegetal...

Ecologia das interações entre Udranomia spitzi (Lepidoptera, Hesperiidae) e formigas tendo como hospedeira Ouratea spectabilis (Ochnaceae) em um cerrado mineiro; Ecology of interactions between Udranomia spitzi (Lepidoptera, Hesperiidae) and ants on Ouratea spectabilis (Ochnaceae) in a savanna from Minas Gerais state, Brazil

Bächtold, Alexandra
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.42%
Estudos em sistemas multitróficos podem servir como ferramentas para investigar a estrutura e a organização de comunidades ecológicas. Por se tratar de um bioma rico em interações multitróficas, o Cerrado é um bom modelo para o estudo das interações inseto-planta. Udranomia spitzi (Hesperiidae) é uma borboleta endêmica do cerrado. Em fase de imaturo, a mesma apresenta padrão de dieta especializado em folhas jovens de Ouratea spectabilis (Ochnaceae). Essas plantas possuem nectários extraflorais na base das estípulas de suas folhas em desenvolvimento, estimulando a visitação por formigas e promovendo interações entre formigas e larvas de Udranomia. Consideradas predadoras generalistas, as formigas podem exercer forte pressão seletiva sobre insetos herbívoros, afetando o padrão de utilização de plantas hospedeiras bem como as estratégias de defesa contra predadores. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo caracterizar a história natural, o ciclo de vida e a ecologia comportamental de Udranomia spitzi através dos mecanismos de defesa utilizados frente à pressão exercida por formigas. O estudo desse sistema abrangeu uma área de cerrado em Uberlândia, MG, no período de abril de 2008 à maio de 2009. Para a descrição do ciclo de vida...

Ecologia das interações entre formigas e a mirmecófita Tococa guianensis no Cerrado brasileiro

Moraes, Sinara Cristina de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.62%
Tococa guianensis (Melastomataceae) é uma das poucas espécies de plantas mirmecófitas que ocorrem no Cerrado Brasileiro e apesar de neste bioma esta espécie ser comumente encontrada em matas galerias e matas ciliares (e eventualmente em formações campestres), pouco se sabe sobre sua interação com formigas. Para isto, foram analisadas três populações de T. guianensis no sudeste e centro-oeste Brasileiro. Em Uberlândia, MG, foram amostrados dois fragmentos de mata de galeria, em Jataí, GO, uma área de campo e quatro matas de galeria não fragmentadas (porém com histórico de perturbação antrópica), e no Parque Nacional de Emas, GO, duas matas de galeria não perturbadas. Em cada uma destas áreas amostrais foi determinada a porcentagem de plantas colonizadas por formigas e as espécies de formigas associadas. Essas foram classificadas como espécies obrigatórias ou não obrigatórias, dependendo do fato de a formiga nidificar regularmente na planta hospedeira. O efeito das formigas obrigatórias sobre a herbivoria da planta hospedeira foi determinado através de comparações no nível de herbivoria entre plantas sem formigas ou com formigas não obrigatórias e plantas com formigas obrigatórias. Foram tomadas medidas da morfologia...

Causa da resistência de Lipaphis pseudobrassicae (DAVIS, 1914) ao parasitoide Diaeretiella rapae (McINTOSH, 1855) e sua influência sobre o parasitismo de Myzus persicae (SULZER, 1776); The cause of resistance of Lipaphis pseudobrassicae (Davis, 1914) to the parasitoid Diaeretiella rapae (McIntosh, 1855) and its influence on parasitism of Myzus persicae (Sulzer, 1776)

Ferreira, Samira Evangelista
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.09%
O pulgão Lipaphis pseudobrassicae (Davis, 1914) (Hemiptera: Aphididade) é uma importante praga das brássicas. Na região de Uberlândia, Minas Gerais, neste afídeo ocorrem baixas porcentagens de parasitismo por ser resistente ao parasitoide Diaeretiella rapae (McIntosh, 1855), entretanto, não se sabe a causa da resistência. Variações na susceptibilidade ou na resistência de insetos a inimigos naturais podem impactar a interação de populações de afídeos. Os objetivos deste trabalho foram determinar qual a causa da resistência de L. pseudobrassicae a D. rapae e se o controle biológico de Myzus persicae (Sulzer, 1776) pelo parasitoide D. rapae é prejudicado pela presença de L. pseudobrassicae resistente. Em laboratório, foram identificados clones resistentes e suscetíveis ao parasitoide, avaliadas a influência do superparasitismo na resistência, a perda de resistência na progênie, a presença de estruturas de encapsulamento do parasitoide em pulgões parasitados e testes moleculares para comparar a composição de simbiontes em clones resistentes e suscetíveis. O experimento de interação entre as espécies foi conduzido em plantas de couve, cobertas com gaiolas de tela antiafídica e em casa-de-vegetação (temperatura média de 28ºC). Cada planta foi infestada com 30 M. persicae e 30 L. pseudobrassicae...

Anatomia do haustório secundário da hemiparasita phthirusa ovata (pohl ex DC.) eichler, respostas fisiológicas e seus efeitos em distintas hospedeiras

Sant’Ana, Izabelly Saraiva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
16.72%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2012.; Hemiparasitas aéreas estabelecem conexões vasculares com suas plantas hospedeiras por meio do haustório para obter água e nutrientes minerais. Entre os nutrientes, nitrogênio (N) foi sugerido o mais limitante para o desenvolvimento dessas plantas. Os objetivos desse estudo foram (1) analisar estruturalmente a conexão do haustório secundário da hemiparasita Phthirusa ovata em ramos da hospedeira, (2) verificar as respostas fisiológicas da hemiparasita crescendo em uma hospedeira fixadora de N e outra não-fixadora e (3) as implicações do parasitismo nas respostas fisiológicas das duas hospedeiras. Para o estudo anatômico, foram coletadas raízes epicorticais e haustórios secundários de P. ovata crescendo em galhos de Dalbergia miscolobium. O estudo das respostas fisiológicas foi realizado na Reserva Ecológica do IBGE, em Brasília-DF, onde foram selecionados indivíduos de P. ovata na hospedeira fixadora de N, D. miscolobium, e não-fixadora, Byrsonima verbascifolia...

Esclerofilia, taninos e insetos herbívoros associados a Copaifera lagsdorffii Desf. (Fabaceae: Caesalpinioideae) em área de transição Cerrado-Caatinga no Brasil

Silva,Jhonathan O; Jesus,Fabiene M; Fagundes,Marcílio; Fernandes,G Wilson
Fonte: Ecología austral Publicador: Ecología austral
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.09%
A riqueza e abundância de herbívoros associados a uma planta hospedeira são influenciadas por variações nas defesas físicas e químicas da planta as quais são mediadas pela qualidade do habitat. Neste estudo, 36 indivíduos de Copaifera langsdorffii distribuídos equitativamente entre habitats de Cerrado "sensu stricto", Matas Ciliares e Floresta Estacional Decidual foram usadas para avaliar os efeitos do habitat na esclerofilia foliar, produção de taninos e na fauna de insetos herbívoros associados. Observou-se maior riqueza e abundância de herbívoros mastigadores em plantas dos habitats de Mata Ciliar e Cerrado comparativamente à Floresta Estacional Decidual. Porém, a riqueza e abundância de insetos herbívoros sugadores não diferiu entre os habitats. Não foi encontrada relação entre a riqueza ou abundância de herbívoros com a concentração de taninos e a esclerofilia foliar de C. langsdorffii. Estas variáveis também não variaram entre os habitats. É provável que nesses ambientes a esclerofilia não esteja relacionada apenas com a herbivoria, e que alguns herbívoros podem não ser afetados negativamente ou beneficiados pela concentração de taninos encontrada. O lançamento de folhas por C. langsdorffi apenas no fim da estação seca na Floresta Decidual pode constituir um mecanismo de escape de herbivoria. Porém...