Página 1 dos resultados de 615 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Identificação de limitação para o exercício e atividades de vida diária em doentes com dpoc

Martins, Matilde; Silva, Norberto; Correia, Teresa
Fonte: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) é uma doença caracterizada pela limitação do fluxo aéreo que não é totalmente reversível. A limitação do fluxo aéreo é geralmente progressiva e está associada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões a partículas ou gases nocivos, causada principalmante pelo tabagismo. A DPOC é descrita como uma doença com consequências sistémicas, com perda progressiva da condição física e da força muscular, que associadas à dispneia gera nestes doentes importantes limitações na capacidade funcional. A capacidade funcional é definida como a tolerância ou a capacidade de uma pessoa para realizar determinada atividade, seja esta uma atividade desportiva ou de vida diária. Analisar a capacidade funcional em doentes em doentes com diagnóstico de Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) e identificar limitação para o exercício e actividades de vida diária nestes doentes. Foram avaliados 31 doentes, seguidos na consulta de pneumologia do Centro Hospitalar Nordeste -. Unidade de Bragança, com idades compreendidas entre 52 e 79 anos. Os critérios de inclusão foram: ter diagnóstico de DPOC, ter realizado prova de marcha de seis minutos e ter realizado espirometria. A Informação foi obtida recorrendo aos registos informatizados da prova de marcha e do teste de espirometria...

Identificação de limitação para o exercício e atividades de vida diária em doentes com DPOC.

Martins, Matilde; Silva, Norberto; Correia, Teresa
Fonte: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) é uma doença caracterizada pela limitação do fluxo aéreo que não é totalmente reversível. A limitação do fluxo aéreo é geralmente progressiva e está associada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões a partículas ou gases nocivos, causada principalmante pelo tabagismo. A DPOC é descrita como uma doença com consequências sistémicas, com perda progressiva da condição física e da força muscular, que associadas à dispneia gera nestes doentes importantes limitações na capacidade funcional. A capacidade funcional é definida como a tolerância ou a capacidade de uma pessoa para realizar determinada atividade, seja esta uma atividade desportiva ou de vida diária. Analisar a capacidade funcional em doentes em doentes com diagnóstico de Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) e identificar limitação para o exercício e actividades de vida diária nestes doentes. Foram avaliados 31 doentes, seguidos na consulta de pneumologia do Centro Hospitalar Nordeste -. Unidade de Bragança, com idades compreendidas entre 52 e 79 anos. Os critérios de inclusão foram: ter diagnóstico de DPOC, ter realizado prova de marcha de seis minutos e ter realizado espirometria. A Informação foi obtida recorrendo aos registos informatizados da prova de marcha e do teste de espirometria...

Repercussões sistémicas da DPOC

Marques, Maria Alcide Tavares
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.66%
PRIMEIRA PARTE Iniciámos este trabalho com uma sucinta introdução geral do tema e uma referência aos múltiplos trabalhos desenvolvidos ao longo das últimas décadas consubstanciados na revisão GOLD. O segundo capítulo foi dedicado a uma actualização epidemiológica da DPOC. No terceiro capítulo abordámos diversos factores de risco da DPOC, com excepção do tabaco, o qual foi tratado num capítulo próprio face à sua relevância neste contexto. O objectivo do quarto capítulo incidiu sobre a contribuição do envelhecimento para as manifestações sistémicas da DPOC. Em relação ao quinto capítulo, este dedicou-se à análise da influência da exposição crónica ao tabaco no contexto da inflamação sistémica. O capítulo sexto segue, naturalmente, o conteúdo do anterior já que ele foi dedicado a abordar a DPOC e o stress oxidativo em múltiplos aspectos, na actividade antioxidante e seus agentes, alguns aspectos da apoptose; na relação entre os oxidantes e a sensibilidade do receptor dos glucocorticóides; e, finalmente, o stress oxidativo face ao balanço proteases/antiproteases. No sétimo capítulo abordaram-se as alterações estruturais e inflamatórias locais e sistémicas. Por último, o capítulo oitavo debruçou-se sobre o envolvimento celular na inflamação local e sistémica...

Detecção por espirometria de DPOC em usuários de um centro de convivência do idoso: alta prevalência de subdiagnóstico e redução da qualidade de vida; Detection of COPD by espirometry in users of a senior community center: high prevalence and underdiagnosis of reduced quality of life.

Santos, Simeão Rodrigo dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
Introdução: A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma doença muito prevalente nos indivíduos acima de 40 anos. É uma doença com grande impacto social e econômico, podendo levar a um declínio na qualidade de vida de seus portadores. Objetivos: Avaliar as características da DPOC, a frequência do subdiagnóstico e a influência da doença sobre a qualidade de vida em um centro de convivência da comunidade. Casuística e Método: É um estudo observacional, transversal e analítico realizado na cidade de Uberaba MG. Todos os participantes responderam questionários sobre as características demográficas, socioeconômicas, de trabalho, da qualidade de vida e do estado de saúde. Foram realizadas também a avaliação antropométrica e a espirometria. Foi utilizado o teste t de Student não pareado e bicaudal para a comparação de médias de variáveis quantitativas entre dois grupos independentes: grupo DPOC e grupo sem DPOC (na 1ª parte da análise); e grupo DPOC com diagnóstico prévio e grupo com DPOC sem diagnóstico (na 2ª parte da análise). A comparação das proporções das variáveis qualitativas entre dois grupos independentes foi realizada com o Teste Qui Quadrado. Regressão logística e regressão logística múltipla foram utilizadas para identificar associações entre as variáveis qualitativas independentes e a variável qualitativa dependente (ter diagnóstico prévio de DPOC). Regressão linear simples e a múltipla foram utilizadas para identificar variáveis independentes que pudessem proporcionar mudanças significativas (explicativas) na variável resposta (escore total e escores dos domínios do questionário WHOQOL-bref). Resultados: 315 indivíduos com idade acima de 50 anos foram recrutados e 298 completaram o estudo...

Caracterização do perfil de atividade física na vida diária de pacientes portadores de DPOC do Brasil e comparação com pacientes da Áustria

Fujii, Nidia Aparecida Hernandes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 62 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Fisioterapia - FCT; Avaliar as características de atividades físicas na vida diária de pacientes brasileiros portadores de DPOC e sua relação com diferentes variáveis fisiológicas. Métodos: Quarenta pacientes brasileiros portadores de DPOC (18 homens; 66±8 anos; VEF1 46±16%pred; IMC 27±6 Kg.m-2) e 30 idosos saudáveis foram avaliados quanto às atividades físicas na vida diária utilizando-se um acelerômetro multiaxial (Dynaport Activity Monitor, Holanda) por 12 h/dia durante 2 dias da semana. Foram ainda avaliados: capacidade máxima e funcional de exercício (teste incremental máximo e teste de caminhada de 6 minutos [TC6], respectivamente), pressões máximas inspiratória e expiratória (PImax e PEmax, respectivamente), força muscular periférica (1 repetição máxima e força de preensão manual), qualidade de vida (Saint George Respiratory Questionnaire [SGRQ]), estado funcional (questionário London Chest Activity of Daily Living [LCADL]) e sensação de dispnéia (escala do Medical Research Council [MRC]). Resultados: Pacientes portadores de DPOC apresentaram menor tempo gasto andando/dia quando comparados aos idosos saudáveis (55±33 versus 80±28 min/dia; p=0...

Fatores associados à ocorrência de exacerbação em pacientes com DPOC

Faganello, Marcia Maria
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 75 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica - FMB; Nos últimos anos, vários estudos avaliaram os marcadores da doença associados à freqüência de exacerbação, hospitalização, readmissão e mortalidade em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Entretanto, estudos que avaliaram os marcadores associados à ocorrência de exacerbação em pacientes ambulatoriais são limitados. Assim, o objetivo deste estudo foi identificar os fatores de predição da ocorrência de exacerbação no período de um ano em 120 pacientes com DPOC atendidos no Ambulatório de Pneumologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - Unesp. Os pacientes tiveram o diagnóstico de DPOC confirmado e foram submetidos às seguintes avaliações: espirometria pré e pós-broncodilatador, composição do corpo (antropometria e bioimpedância), qualidade de vida por meio do Saint George s Respiratory Questionnaire (SGRQ), intensidade da dispnéia por meio da escala modificada Medical Research Council (MMRC) e do índice basal de dispnéia (BDI) e tolerância ao exercício (distância percorrida em 6 minutos DP6). Em seguida foi calculado o índice BODE de acordo com os pontos de corte do volume expiratório no primeiro segundo (VEF1)...

Promoção da gestão do regime terapêutico em clientes com DPOC : um percurso de investigação-ação

Padilha, José Miguel dos Santos Castro
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 23/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
A DPOC é uma doença crónica que influencia negativamente o nível de energia disponível para o autocuidado. Os clientes portadores de DPOC, para controlarem a progressão da doença, necessitam de desenvolver competências para gerir o regime terapêutico. Com este estudo, pretendíamos contribuir para a melhoria contínua da qualidade dos cuidados, através do desenvolvimento de uma abordagem terapêutica progressivamente mais sistematizada, tomando por foco a promoção da gestão do regime terapêutico, em clientes com DPOC. Utilizamos um paradigma de investigação construtivista e uma metodologia de investigação-ação. Para a recolha de dados, utilizamos simultaneamente estratégias qualitativas e quantitativas, com recurso à análise comparativa e iterativa dos dados. O estudo decorreu num serviço de internamento e na consulta externa de uma instituição hospitalar, e contou com a participação de 52 enfermeiros. Utilizamos estratégias promotoras da participação e do comprometimento interno dos enfermeiros, tendo em vista a viabilização da mudança. O ciclo de IA empreendido, gerou mudanças no modelo de cuidados em uso, que evoluiu de uma lógica de gestão de sinais e sintomas da doença, para uma visão...

Implementação de intenções e adesão a um programa de caminhada diária em pessoas com doença pulmonar obstructiva crónica (DPOC) e mais de 65 anos

Ramos, Ana Catarina Marques Barge
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.54%
Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto Superior de Psicologia Aplicada; A prática de actividade física traduz-se em benefícios na evolução clínica da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC). A implementação de intenções parece constituir uma estratégia de auto-regulação eficaz na promoção de comportamentos pró-saúde, como a actividade e o exercício físico. Neste projecto, o objectivo consiste em promover a adesão à actividade física em doentes com DPOC através da implementação de intenções. A amostra proposta será cerca de 100 sujeitos com mais de 65 anos e DPOC, clinicamente estável e em ambulatório, para a realização da caminhada diária de 30 minutos durante nove semanas (mais 24 semanas do follow-up). Serão divididos em dois grupos. Apenas o grupo experimental, estará envolvido na formação da implementação de intenções com especificação de “onde, quando e como” realizará a caminhada. Este comportamento será avaliado através de exames médicos, questionários (variáveis da teoria do comportamento planeado e actividade física anterior) e pedómetro, em avaliações a realizar num Hospital da Grande Lisboa. Espera-se obter benefícios a nível da evolução da DPOC em todos os participantes e uma maior adesão à caminhada diária nos participantes envolvidos na implementação de intenções.; ABSTRACT: The practice of physical activity results in benefits in the Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) clinical evolution. Implementation intentions seem to be an effective self-regulatory strategy in the promotion of pro-health behaviors...

β2-agonista de longa duração na doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

CAMPOS,LUIZ EDUARDO MENDES
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
No paciente com DPOC, os β2-agonistas de longa duração são capazes de produzir broncodilatação de intensidade semelhante à dos anticolinérgicos, mas, devido a sua propriedade lipofílica, a ação se prolonga por um período até 12 horas após a sua administração. Estudos comparativos entre salmeterol e formoterol sugerem eqüipotência entre 50mcg de salmeterol e 24 ou 12mcg de formoterol quando este é administrado respectivamente através do aerossol dosimetrado ou turbuhaler. É preciso considerar o tipo de inalador para se estabelecer a eqüipotência entre os dois agentes. Até mesmo pacientes com DPOC e cardiopatia associada podem fazer uso dos β2-agonistas de longa duração com segurança. O salmeterol, por ser agonista parcial, é mais seguro nesses casos de maior risco. A terapia broncodilatadora escalonada na DPOC pode ser revista. Brometo de tiotrópio é um novo anticolinérgico cuja ação pode se prolongar por mais de 1-3 dias e talvez seja o novo broncodilatador mais promissor na DPOC

Influência da força muscular isométrica de membros inferiores sobre equilíbrio e índice BODE em pacientes com DPOC: estudo transversal

Gianjoppe-Santos,Júlia; Nyssen,Samantha Maria; Arcuri,Juliano Ferreira; Oliveira Junior,Antonio Delfino de; Jamami,Mauricio; Lorenzo,Valéria Amorim Pires Di
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Paraná Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Introdução Força muscular de membros inferiores (MMII) diminuída associa-se à limitação da capacidade funcional; entretanto, existem poucas evidências sobre a repercussão direta da fraqueza muscular periférica sobre tarefas de equilíbrio, bem como com o prognóstico de mortalidade nos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Objetivos Verificar se há relação da força isométrica de MMII com Índice BODE e equilíbrio funcional de pacientes com DPOC em reabilitação pulmonar (RP), além de investigar se esses pacientes apresentam fraqueza muscular, e se tal característica é capaz de influenciar nessas variáveis. Materiais e métodos Trata-se de um estudo transversal, onde avaliou-se 24 pacientes (idade > 50 anos) de ambos os gêneros, com DPOC moderada a muito grave (VEF1 = 44 (31 - 62,8)% previsto), por meio de:modified Medical Research Council (mMRC), Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6), Índice BODE, TesteTimed “Up and Go” (TUG), Escala de Equilíbrio de Berg (EEB),Dynamic Gait Index (DGI) e Teste de Força Isométrica de Extensores de Joelho (ExtJ) e Abdutores de Quadril (AbdQ). Resultados Na amostra estudada...

Células inflamatórias e seus mediadores na patogênese da DPOC

Costa,Cláudia Henrique da; Rufino,Rogério; Lapa e Silva,José Roberto
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.59%
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é causada por processo inflamatório crônico que limita o fluxo aéreo, sendo sua principal causa o tabagismo. Conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a DPOC será a quarta causa de mortalidade em 2020, atrás apenas das doenças vasculares, cardíacas e cerebral, além das neoplasias. Apesar do enorme crescimento da prevalência e da mortalidade da DPOC, não existe nenhuma terapêutica que consiga controlar a evolução da doença estabelecida. O processo inflamatório crônico causado pelos gases da fumaça de tabaco desencadeia alterações estruturais que predominam nas pequenas vias aéreas (menores que 2 mm). Essa agressão provoca um processo inflamatório que conta com a participação não apenas de macrófagos, linfócitos e neutrófilos, mas células estruturais como epiteliais, musculares e fibroblastos. Atualmente, a interação entre macrófagos e linfócitos, especialmente CD8+, tem sido implicada na patogênese da DPOC. Quimiocinas como CXCL9/MIG, CXCL10/IP-10, CXCL11/I-TAC e CCL5/RANTES têm sido descritas como possíveis responsáveis pelo recrutamento de linfócitos T e monócitos sanguíneos, facilitando o aumento de macrófagos alveolares e linfócitos T CD8+ no parênquima dos pacientes com DPOC. Conhecer melhor como ocorre o tráfego de células mononuclerares em direção ao pulmão é fundamental não só para um maior entendimento da patogênese da DPOC...

Guia para prática clínica: fisioterapia em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Langer,D; Probst,VS; Pitta,F; Burtin,C; Hendriks,E; Schans,CPVD; Paterson,WJ; Verhoef-Dewijk,MCE; Straver,RVM; Klaassen,M; Troosters,T; Decramer,M; Ninane,V; Delguste,P; Muris,J; Gosselink,R
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
INTRODUÇÃO: No contexto da colaboração internacional para desenvolvimento de guias práticos (ou guidelines), a Sociedade Real Holandesa de Fisioterapia (Koninklijk Nederlands Genootschap voor Fysiotherapie, KNGF) se propôs a desenvolver um guia para esclarecimento sobre a prática clínica de Fisioterapia em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), assim como também optou por estimular a sua tradução para outras línguas, a fim de torná-lo acessível para públicos internacionais. OBJETIVOS: O presente guia é a versão em língua portuguesa do Guia para Prática Clínica de Fisioterapia em pacientes com DPOC desenvolvido pela KNGF, que teve como objetivo descrever a Fisioterapia baseada em evidências para pacientes com DPOC que apresentam limitação da função pulmonar, da função muscular respiratória e periférica, da capacidade de exercício, da depuração mucociliar e da qualidade de vida, além de limitações em relação à atividade física na vida diária pela dispneia e/ou intolerância ao exercício. CONCLUSÃO: O guia propõe-se principalmente a prover recomendações terapêuticas práticas que auxiliem o fisioterapeuta a oferecer o melhor tratamento possível para pacientes com DPOC...

A asma e a DPOC na visão do pneumologista

Campos,Hisbello da Silva; Lemos,Antonio Carlos Moreira
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.59%
OBJETIVO: Avaliar como o pneumologista vê o impacto da asma e da DPOC na sua clientela, e como ele vem tratando essas doenças. MÉTODOS: Inquérito com 227 pneumologistas participantes do VI Congresso de Asma e II Congressos Brasileiros de DPOC e de Tabagismo, realizados em 2007. RESULTADOS: As respostas dos pneumologistas mostraram que a DPOC é um problema de saúde pública igual ou maior que a asma, e que a DPOC causa inúmeros transtornos para o doente e para seus familiares. Na escolha do dispositivo inalatório, a simplicidade de uso é mais importante que o custo, havendo discreta predileção pelos sistemas Aeroliser® e Diskus®. A associação entre budesonida e formoterol foi a conduta terapêutica mais citada para o tratamento continuado do asmático sintomático, enquanto o brometo de tiotrópio foi o medicamento preferido pela maior parte para o tratamento continuado do portador de DPOC. A escolha do esquema para o tratamento continuado do asmático e do portador de DPOC é especialmente influenciada pela publicação de resultados de ensaios terapêuticos na literatura. CONCLUSÕES: A opinião do pneumologista sobre os temas abordados está de acordo com a literatura especializada.

Exercício físico de baixa intensidade na dpoc: comparação dos programas solo e aquático

Araújo, Zênia Trindade de Souto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia; Movimento e Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia; Movimento e Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.63%
Physical Exercise (PE) is a necessary component in the management in COPD patients, where respiratory symptoms are associated with reduced functional capacity. Even with the increase in the number of studies that have been published and the therapeutics success using aquatic therapy approach, studies using PE in water in COPD patients are so few. Objective: the aim of this present study was to analyze the effects of low intensity water exercise in COPD patients, developed in two different places aquatic and ground. Methods: This is a randomized clinical trial study, 42 patients with moderate to very severe DPOC were recruited for the study, mean age of 63,2  10,9 years old. Randomized in 3 groups: Control Group (CG), Land Group (LG) and Water Group (WG). The PE protocol was performed in a period of 8 weeks, with frequency of 3 times per week. The CG participated in an educational program. All the patients were assessed twice through spirometry, respiratory muscular strength, the 6-min walk test, the quality of life (SF-36 and SGRQ), the LCADL, the MRC, the BODE index and the upper limbs (UP) incremental test. Results: There was a significant difference after the approaches in DP6 from the WG (p=0,02); in VEF1 in LG (p=0,00) and WG (p=0...

A vivência da DPOC em estadio avançado enquadrada no contexto da CIF

Jácome, Cristina
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma das principais causas de morbilidade e mortalidade mundiais. A patologia é inicialmente caracterizada pela limitação progressiva do fluxo de ar, mas com o avanço da doença, os pacientes experienciam também uma redução da capacidade funcional. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o uso da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) para caracterizar o espectro típico de problemas de funcionalidade em pacientes com DPOC, o que não tem vindo a ocorrer. No entanto, para a implementação de um modelo de cuidados de saúde centrados no paciente, como preconizado também pela OMS, a aplicação da CIF não explora em profundidade a vivência da doença. Assim, este estudo tem como principal objectivo caracterizar de forma integrada a vivência dos pacientes com DPOC em estadio avançado, de acordo com a CIF. Uma amostra de conveniência de 15 pacientes (8 mulheres) com DPOC nos estadios III e IV, com idades compreendidas entre os 45 e os 80 anos, foi recrutada. Os dados foram recolhidos através de uma metodologia mista: aplicação do core set da CIF para as doenças pulmonares obstrutivas e realização de entrevistas individuais semi-estruturadas. A falta de energia...

A qualidade do sono em portadores de DPOC; The quality of sleep in patients with COPD; A qualidade do sono em portadores de doença pulmonar obstrutiva Ccônica

Freitas, Juciele Martins de
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.48%
A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) demonstra uma característica comum, a qual é uma troca gasosa desordenada e distúrbios relacionados ao sono, apresentando uma hipoventilação com alteração durante o sono, tendo com conseqüência a desaturação noturna. Impactando negativamente na qualidade de vida afetando diretamente o sono, desencadeando um sono perturbado, vários períodos de vigília, sonolência diurna, o que leva há um cansaço físico e acaba refletindo no dia a dia. Objetivo: O presente trabalho tem como objetivo, estudar a qualidade do sono em portadores de DPOC. Metodologia: A metodologia se deu através de fontes como: PUBMED e SCIELO, com o uso de descritores a qualidade do sono em portadores de DPOC. os critérios de inclusão foram constituídos através de artigos publicados na integra no período entre 2002 a 2012 no idioma português e inglês. O critério de exclusão foi os artigos encontrados no período inferior a 2002. Resultado: Foram encontrados 35 artigos com as palavras chaves: DPOC, sono, qualidade, sendo selecionados 18 que se adequavam ao estudo. Conclusão: Encontram-se ainda muitos desafios para tratar algumas patologias, quando se diz respeito ao sono. No entanto é preciso ter mais estudos...

Peso corporal e comorbilidade são indicadores da mortalidade em doentes com DPOC sob oxigenioterapia

Marti,S; Muñoz,X; Rios,J; Morell,F; Ferrer,J
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.59%
A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma patologia comum, afectando 4-9% da população adulta. Em comparação com outras doenças, a mortalidade relacionada com a DPOC continua a aumentar na população em geral. É uma doença progressiva que conduz, usualmente, a insuficiência respiratória e à morte. A oxigenioterapia de longa duração constitui o único tratamento eficaz no aumento da esperança de vida de indivíduos com DPOC e insuficiência respiratória crónica. No entanto, esta continua a ser pequena (aproximadamente 40% aos 5 anos). Apesar de terem sido efectuados numerosos estudos, permanece alguma controvérsia sobre os factores de risco relacionados com a mortalidade destes indivíduos. Entre eles encontram-se os parâmetros funcionais respiratórios (FEV1), gases arteriais (PaO2, PaCO2), hipertensão pulmonar, sexo, idade e índice de massa corporal (IMC). Contudo, nenhuma destas variáveis revelou ter um valor predictivo claro. Esta discrepância pode resultar, em parte, da metodologia utilizada. O objectivo do presente estudo foi investigar a associação entre as variáveis clínicas e a mortalidade por causas respiratórias e outras, em doentes com DPOC sob oxigenioterapia de longa duração. Foram avaliados retrospectivamente todos os doentes que iniciaram oxigenioterapia de longa duração entre 1992 e 1999 no Hospital Vall d’Hebram (Barcelona). A prescrição de oxigénio foi a seguinte: >15h/ /dia a um débito de 1-3L/min...

Resultados da ventilação não invasiva por pressão positiva dirigida à máxima redução da PACO2 em doentes com DPOC estável

Windisch,W; Kostié,S; Dreher,M; Virchow,J C; Sorichter,S
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
O papel da ventilação não invasiva (VNI) no doente com DPOC hipercápnica estável continua controverso, sobretudo pela ausência de estudos que documentem a melhoria de sobrevida com esta terapêutica. O uso de pressões inspiratórias inferiores a 18cm H2O, não permitindo a redução máxima da PaCo2, tem sido evocado como possivel razão do insucesso da VNI nestes doentes. Os autores propuseram-se avaliar a evolução de um grupo de doentes com DPOC hipercápnica estável, tratados com VNI com o objectivo de atingir a melhoria máxima da PaCO2. O estudo retrospectivo de 1997 a 2003 envolveu 34 doentes do departamento de pneumologia do Hospital Universitário de Friburgo. Os doentes iniciaram VNI por pressão positiva no modo assistido/controlado com máscara nasal e preferencialmente nocturna. A pressão inspiratória foi incrementada progressivamente até ao máximo tolerado pelo doente (de modo a atingir o objectivo da máxima descida da PaCO2). O oxigénio suplementar foi adicionado à VNI nos doentes em oxigenoterapia de longa duração (OLD). A adaptação do doente ao ventilador foi efectuada em enfermaria com internamento médio de 13,0 dias. Os resultados após 2 meses da VNI revelaram: Redução da PaCO2 diurna de 6...

A actividade física e o internamento por exacerbação da DPOC

Pitta,F; Troosters,T; Probst,VS; Spruit,MA; Decramer,M; Gosselink,R
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.54%
As exacerbações são eventos com um impacto negativo na qualidade de vida relacionada com a saúde, na função pulmonar, na utilização dos recursos de saúde e na sobrevida dos doentes com DPOC. Contudo, ainda não é conhecido o impacto dos internamentos por exacerbação na actividade física dos doentes. O presente estudo teve como objectivos: 1. Investigar o grau de inactividade dos doentes com DPOC durante e após um internamento por exacerbação, através da utilização de um monitor de actividade de elevada precisão; 2. Pesquisar se os doentes com internamentos no último ano por exacerbação da DPOC revelam uma recuperação mais lenta da sua actividade física quando comparados com doentes que não foram internados no último ano; 3. Investigar se os doentes com baixo nível de actividade física durante ou após o internamento por exacerbação têm maior probabilidade de serem reinternados no ano seguinte. Os autores avaliaram a actividade física através de um monitor de actividade que mediu de forma precisa o tempo que os doentes despendem na marcha, a andar de bicicleta, de pé, sentados e deitados. Estas medições foram efectuadas no 2º e 7º dias de internamento, bem como um mês após a alta. Foram ainda avaliadas a função pulmonar...

Quais os parâmetros funcionais que permitem diferenciar asma grave de DPOC?

Dias,Ricardo Marques; Chacur,Fernando Hauaji; Carvalho,Sonia Regina da Silva; Neves,Denise Duprat
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.54%
Com o objectivo de identificar parâmetros funcionais respiratórios que contribuam para o diagnóstico diferencial entre asma e DPOC, estudámos 20 asmáticos e 30 bronquíticos, com ou sem enfisema, com os exames usuais de função pulmonar: espirografia, pletismografia e DLCO, pré e pós-broncodilatação para os dois primeiros exames. Os grupos apresentam diferenças significativas na sua constituição. Os asmáticos são mais jovens, média de 48 anos, contra 59 anos no grupo com DPOC, e o grupo é constituído predominantemente por mulheres, 65% contra 40%, respectivamente. Os exames funcionais pulmonares, realizados conforme as directrizes internacionais, mostram, pela espirografia, que os asmáticos têm obstrução mais intensa, VEF1/CVF de 59 versus 66 e maior resposta broncodilatadora pelo VEF1, quer em valor absoluto, quer por variação percentual, do basal (%) ou do valor previsto (%P). A DLCO mostra-se, em média, normal entre os asmáticos, 103%P, e diminuída no grupo com DPOC, 69%P. Na pletismografia constatámos que os asmáticos têm maior volume residual (%P) e resistência de vias aéreas. Concluímos que vários parâmetros funcionais diferenciam a asma da DPOC, como um grupo; na análise individual, a DLCO é o parâmetro que melhor discrimina as duas doenças...