Página 1 dos resultados de 2874 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Para Além dos Números. As Consequências Pessoais do Desemprego. Trajectórias de Empobrecimento, Experiências e Políticas

Caleiras, Jorge Manuel Alves
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Este trabalho apresenta os resultados de uma investigação, cujo objectivo central passou por conhecer melhor as consequências pessoais do desemprego, em particular a relação deste com situações de pobreza. Embora estas duas realidades – desemprego e pobreza – não se sobreponham necessariamente, a verdade é que, com frequência, se encontram. Foi, aliás, nesta ideia que se fundou a hipótese de partida – a de que o desemprego é gerador de situações de risco de pobreza. Em que medida é que o desemprego pode tor-nar-se fonte de pobreza? E como é que esta relação se passa num “território-laboratório” concreto (o distrito de Coimbra) e num tempo definido (2000-2005)? Eis duas questões, inicialmente formuladas, que serviram de fio condutor à pesquisa. Reconhecendo que o desemprego não pode ser visto como uma realidade social ontolo-gicamente dissociada dos indivíduos, isto é, separada dos desempregados, assumiu-se que as consequências que ele gera estão antes de mais inscritas nas histórias pessoais, singulares e irredutíveis, daqueles que o experimentam. Nesse sentido, como próprio título indicia – “Para Além dos Números…” –, o método seguido consistiu em não entender o desemprego apenas pelo lado das consequências macro (redução da capacidade produtiva...

O desemprego em Portugal : uma análise ao nível dos concelhos entre 2001/2009

Rajado, Paulo José do Vale Pereira Santos
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
A evolução do desemprego em Portugal é um fator de crescente preocupação devido, por um lado, ao seu progressivo aumento que se tem verificado nos últimos anos e, por outro lado, devido à situação económica vivida mais recentemente. O desemprego perdeu o caráter individual para adquirir, cada vez mais, um caráter conjuntural e estrutural. Taxas de desemprego elevadas são um problema para a sociedade contemporânea a que a economia portuguesa não é alheia, contribuindo para a tornar mais débil, perante um quadro internacional muito competitivo. O quadro de crise económica e financeira em que Portugal se encontra desde 2001, tem tido repercussões económicas, geográficas e sociais, que condicionaram a atuação política, cujo efeito é mais visível e sentido ao nível do emprego e da sua crescente precariedade. O tema desemprego tornou-se, por isso, fator importante de análise socioeconómica e de tomada de medidas políticas para o controlar. O presente estudo organiza-se em duas partes distintas. Na primeira parte é avaliada a evolução do desemprego nos concelhos de Portugal Continental, no período de 2001 a 2009, através dos dados publicados pelo IEFP - Instituto de Emprego e Formação Profissional. Na segunda parte analisamos estes mesmos dados...

Para ajudar a Sísifo: uma abordagem integrante da experiência de desemprego

Costa, António Alberto Magalhães da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
O desemprego em Portugal sofreu nos últimos anos uma evolução dramática e é unanimemente considerado como um dos mais importantes problemas das sociedades contemporâneas do mundo ocidental. No seio da União Europeia, Portugal foi durante muitos anos um dos países com taxas de desemprego mais baixas, mas a evolução não foi complacente: de uma taxa de desemprego de 4,6 % em 2001 para 15,9% em 2012 (Eurostat), de 316440 pessoas registadas como desempregadas em 2001, para 675466 em 2012 (IEFP). Sendo certo que o emprego e o desemprego dependem, em primeiro lugar, do estado da economia, as políticas de emprego sempre desempenharam um papel importante na contenção dos impactos negativos das situações de desemprego e na dinamização das soluções de emprego para as pessoas, com particular atenção às mais vulneráveis. O cadastro de definição e implementação destas medidas é impressionante: no âmbito do serviço público de emprego, entre 2001 e 2012, foram abrangidas cerca de 1.000.000 de pessoas em medidas de emprego e cerca de 1.850.000 de pessoas em medidas de formação. A avaliação do impacto das diferentes acções não é uniforme, mas não obstante as críticas a determinadas fórmulas concretas de definição...

Desemprego, qualidade de vida e stress: um estudo na Região de Lisboa

Cachapa, Maria da Luz
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta; Este estudo teve por objectivo compreender se as características sociais, demográficas e específicas da situação de desemprego produzem alterações significativas na qualidade de vida dos indivíduos. Especificamente, procurou responder a dois objectivos específicos: I) Identificar as características sócio-demográficas (sexo, idade, nível de escolaridade, tipo de agregado familiar, religiosidade, existência de filhos, número de filhos, tipologia da habitação), que produzem alterações na qualidade de vida dos desempregados ao nível dos recursos emocionais, da satisfação com a vida e dos níveis de stresse; II) identificar se as características específicas da situação de desemprego, como o tipo de desemprego, duração do desemprego, duração da última actividade profissional, razões que levaram ao desemprego, modo de subsistência e alterações de vida decorrentes da situação de desemprego, produzem alterações na qualidade de vida dos desempregados ao nível dos recursos emocionais, da satisfação com a vida e dos níveis de stresse. Para a concretização destes objectivos, aplicámos um inquérito por questionário a cem indivíduos desempregados e analisámos os resultados tendo por base um Modelo Biopsicossocial e Multifactorial de Saúde...

Desemprego de jovens: um estudo sobre a dinâmica do mercado de trabalho juvenil brasileiro. ; "Youth unemployment: a study about the dynamics of the Brazilian youth job market"

Flori, Priscilla Matias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
Este trabalho tem como objetivo analisar a estrutura do desemprego dos jovens no Brasil, procurando identificar os motivos da taxa de desemprego dos jovens ser muito superior à dos adultos. Apesar de sua importância, este tema tem recebido pouca atenção na literatura sobre o mercado de trabalho brasileiro. Na primeira análise deste estudo, decompõe-se a taxa de desemprego em dois determinantes, duração média e taxa de entrada no desemprego de jovens, adultos e idosos; percebe-se que a duração do desemprego é praticamente a mesma para as três categorias, enquanto a taxa de entrada dos jovens é maior que a das outras duas, sendo, portanto, o determinante que faz com que o desemprego juvenil seja mais elevado que o de trabalhadores mais velhos; assim, com uma nova decomposição da taxa de entrada de jovens, verifica-se que cerca de 80% dessa taxa é composta de jovens que já trabalharam. Outro método será o cálculo, para jovens e adultos, das matrizes de transição entre os estados do mercado de trabalho. Para avaliar a questão do desemprego dos jovens no Brasil, recalcula-se as taxas de desemprego de cada categoria, substituindo uma de cada vez nas matrizes, as probabilidades de transição da outra categoria; os resultados mostram a alta rotatividade dos jovens no mercado de trabalho. Com esses resultados...

O que explica a reduzida taxa de desemprego no Brasil no início do século XXI

Muto, Flávio Tomimori
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.2%
A taxa de desemprego no Brasil sofreu redução significativa do começo do século XXI até o fim do ano de 2014. No entanto, esta redução significativa não foi acompanhada do esperado crescimento econômico disposto na teoria. Desta forma, constata-se que embora a taxa de desemprego tenha se reduzido, não necessariamente as pessoas estavam trabalhando e produzindo. Procurará se entender os fatores que influenciaram esta trajetória de redução da taxa de desemprego por meio de influência na PEA e no número de admissões de empregados, que aproximaremos à oferta e à demanda por mão de obra. Ou seja, pretende-se verificar as variáveis que influenciaram uma possível redução da oferta de trabalho, assim como uma maior demanda por trabalho, resultantes em uma redução da taxa de desemprego. Serão consideradas variáveis de renda, de transferência de renda, de educação e de crescimento econômico na análise das influências da baixa taxa de desemprego. Com base em um modelo vetor de correção de erros (VEC) pretende-se identificar quais variáveis efetivamente afetaram o panorama do desemprego.

Ensaios sobre o seguro desemprego no Brasil : teorias e evidências

Teixeira, Gibran da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
A presente tese de doutorado estuda duas questões referentes ao programa brasileiro de Seguro Desemprego: o impacto do benefício sobre o salário de reinserção dos trabalhadores beneficiados, bem como sobre o tempo de procura por emprego. No primeiro ensaio são apresentados alguns fatos estilizados referente ao problema de pesquisa, entre os quais destacam-se: i) Descrição Jurídica e os principais objetivos do Programa brasileiro de Seguro Desemprego; ii) O Status Quo do Programa Seguro Desemprego; iii) O Perfil do Trabalhador Beneficiado pelo Programa; iv) Salário de reinserção de trabalhadores contemplados e não contemplados pelo programa (2006-2009) com tempo de permanência no trabalho anterior entre um mês e onze meses; e v) Procura por emprego de trabalhadores contemplados e não contemplados pelo programa (2006-2010) com tempo de permanência no trabalho anterior entre um mês e onze meses. No segundo ensaio, avalia-se o impacto do benefício Seguro Desemprego sobre o salário de reinserção de seu público alvo, utilizando-se as Teorias de Job Search e do Capital Humano. Na estratégia empírica, utilizaram-se informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio - PNAD no período de 2006 a 2009, bem como o método de regressão com descontinuidade. Os resultados indicaram que para o período avaliado...

O desemprego e seus indicadores

Luciano de Souza Costa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
O aparecimento com grande relevância de outros tipos de desemprego revelou a difícil expressão sintética do estado do mercado de trabalho através de indicadores simples de desemprego aberto. Isto resultou na própria imprecisão conceitual do desemprego. As estatísticas de emprego e desemprego foram tornando-se, assim, ao passar dos anos, em particular nestes últimos anos, ineficientes quanto aos seus objetivo de expressar o estado do mercado de trabalho. Ou seja, as estatísticas não conseguem mais dimensionar o grosso do desemprego, deixando ao largo um grande número de pessoas que poderiam ser classificadas como desempregadas e que são consideradas, erroneamente, como ativas ou ocupadas. Neste sentido, o conceito de desemprego aberto, entendido como aquele no qual há falta completa de trabalho combinado com a disponibilidade para o trabalho e a procura efetiva, não mais representa o grosso do contigente desempregado, devido a existência crescente de outros tipos de desemprego. Portanto, o objetivo central dessa pesquisa é discutir, refletir e avaliar a problemática que envolve as estatísticas de emprego e desemprego representadas por indicadores sintéticos como a taxa de desemprego aberto, dado um contexto de grandes transformações sócio-econômicas e ritmo relativamente baixo de atividade econômica.; Not informed.

Alternativas de combate ao desemprego brasileiro

Secchi, Leonardo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 126 f.| grafs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico; Esta pesquisa teve como objetivo principal analisar e debater com representantes de partidos políticos as diferentes políticas públicas, programas e ações de combate ao desemprego brasileiro. Também foram objetivos dessa pesquisa: analisar o mercado de trabalho, a reestruturação produtiva e a estrutura do desemprego brasileiro, analisar os diversos enfoques adotados pelos partidos políticos para reduzir o desemprego, revisar propostas de combate ao desemprego presentes em teoria e confrontá-las com as diferentes perspectivas dos partidos políticos. Para o alcance de tais objetivos foi adotada uma metodologia qualitativa, teórico-empírica, interdisciplinar, seguindo uma corrente crítica de abordagem epistemológica. A coleta de dados foi feita através de entrevistas presenciais não-estruturadas com representantes de partidos políticos, pesquisadores, representantes de organizações governamentais e de ONG´s e também questionários estruturados aplicados via e-mail com deputados federais, levantamento bibliográfico de publicações de instituições de pesquisa públicas e privadas, análise documental em legislações trabalhistas...

Fundamentalismo cristão e desemprego em Blumenau (SC)

Santos, Vanessa Juliana da Silva
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 114 f.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política.; Esta dissertação versa sobre as categorias juventude, trabalho, desemprego e religiosidade. Objetiva conhecer como os jovens adeptos da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Blumenau/SC - ADBLU concebem e vivenciam o trabalho e o desemprego. O percurso metodológico incluiu realização de pesquisa bibliográfica e documental, observação participante, aplicação de questionário e entrevistas. Do estudo foi possível apreender aspectos da vida secular e religiosa dos jovens adeptos da ADBLU, com destaque para a sua relação com o mundo do trabalho e a igreja. 20,8 % destes jovens encontravam-se em situação de desemprego. Por meio das entrevistas foi possível apreender a concepção da direção da ADBLU e dos jovens entrevistados sobre trabalho, desemprego e religiosidade. Acerca do trabalho, observamos que há uma tendência à sua sacralização, evidenciada pela citação e reprodução de versículos bíblicos que tratam do tema. Os jovens entrevistados reproduziram a noção de trabalho proferida pelo pastor, que aponta para a dignificação dos seres humanos. Sobre o desemprego...

Seguro-desemprego e rotatividade no mercado de trabalho brasileiro : uma análise da relação entre as variáveis

Santos, Carlos Augusto de Oliveira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Programa de Pós-Graduação em Administração, 2014.; O programa seguro-desemprego foi efetivamente instituído no Brasil no final da década de1980 – o que representa uma defasagem de, aproximadamente, 50 anos em relação à instituição de programas similares nos países desenvolvidos. Desde então, o programa foi sendo modificado e sua abrangência ampliada. Só no último ano (2013), foram requeridos e concedidos mais de 8 milhões de seguros na sua modalidade formal, o que representa quase o dobro da quantidade requerida e concedida em 2004, bem como um aumento de magnitude similar nos gastos governamentais com o programa. Esses números não chamariam a atenção se durante esse período a economia brasileira não tivesse atravessado um ciclo de crescimento acompanhado de taxas declinantes de desemprego. Assim, entre os fatores que poderiam explicar essa aparente contradição está a taxa de rotatividade do mercado de trabalho brasileiro. O nível persistentemente elevado da rotatividade dos postos de trabalho no País aparece, em parte da literatura especializada, como um dos principais suspeitos de causar esse fenômeno. Dessa forma...

Sustentabilidade financeira da Segurança Social: impacto do desemprego

Oliveira,Sónia Margarida de Pinho
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Este trabalho pretendeu analisar as consequências que a progressiva evolução do desemprego, tem induzido, a nível macro, na sustentabilidade da segurança social, ou seja, no aumento das despesas com subsidiação dos desempregados, diminuição da receita das contribuições da população ativa e, deterioração do saldo financeiro global da segurança social. A então perda de capital humano, resultante da fragilidade económica, política e social que Portugal enfrenta nos últimos anos, em simultâneo com a influência da evolução dos indicadores demográficos e evolução da despesa com pensões, têm colocado à prova a real liquidez e sustentabilidade financeira da segurança social. Através da análise de elementos e dados orçamentais, concluiu-se que, a segurança social apresentou, em 2012, o pior saldo global do último quinquénio. A despesa efetiva apresentou um aumento (2,9%) superior ao da receita efetiva (2,7%), que gerou um diminuto saldo orçamental de 419 Milhões de euros. O acréscimo da despesa com prestações sociais pela qual o sistema previdencial é responsável, aumentou 353,3 Milhões de euros, totalizando um gasto de 21.105 Milhões de euros, isto é, um aumento de 1,7% (comparativamente ao ano antecedente). Este aumento foi desenvolvido...

“A minha filha diz-me que quando for grande não quer ser como eu” A vivência do desemprego em desempregados de longa duração: com idades entre os 40 e os 55 anos

Major, Ana Paula Pinto Serrão Ferreira
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Mestrado em Sociologia do Trabalho e do Emprego; Portugal no século XXI debate-se com um conjunto de problemas sociais, grande parte deles relacionados, direta ou indiretamente com a precarização do trabalho e essencialmente com o desemprego. Nesta investigação discute-se o trabalho assalariado e a sua importância na vida das pessoas que tendo sido assalariadas o perderam, analisa-se o desemprego e os projetos de vida, as consequências na identidade social de desempregados com percurso profissional anterior, já que este é o objetivo principal deste trabalho. Escolheu-se estudar o desemprego de longa duração e de não beneficiários de prestações de desemprego, na fase da maturidade das carreiras profissionais e antes da entrada em cena dos mecanismos de transição para a reforma. Pretendeu-se ver o efeito da privação do trabalho, ou seja do desemprego nos trabalhadores, de idades compreendidas entre os 40 e os 55 anos O regresso ao mercado de trabalho apresenta-se como um projeto difícil para os trabalhadores da faixa etária em análise, independentemente das habilitações. Através de entrevistas de enfoque biográfico identifica-se a fragilização dos elos no processo de desemprego com que se debatem os nossos entrevistados. A análise da informação recolhida segue os três tipos de tipologia de desemprego de Dominique Schnapper...

Transições e duração do desemprego: uma revisão da literatura com novas evidências para Belo Horizonte

Antigo,Mariangela Furlan; Machado,Ana Flávia
Fonte: Nova Economia Publicador: Nova Economia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Este trabalho investiga os fluxos entre os estados do mercado de trabalho - ocupação, desemprego e inatividade - e a permanência no estado de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte, com base nos dados da PME, entre 1997 e 2001. Entre as características individuais, os resultados apontam que o comportamento do desemprego para jovens e mulheres é afetado muito mais pela maior incidência desses grupos nesse estado, porque são observadas maior intensidade e maior freqüência dos fluxos entre os outros estados de ocupação - desemprego e inatividade - do que por um longo período de permanência no desemprego. No caso de longa duração, os indivíduos mais escolarizados que estão há mais tempo sem trabalho e que, na última ocupação, tinham carteira de trabalho assinada são os mais atingidos. Percebe-se que a seletividade do mercado de trabalho, as formas precárias de inserção e o comportamento da atividade econômica dessa região contribuem para o aumento tanto do desemprego quanto da rotatividade entre os grupos com menor estabilidade no mercado de trabalho. Nesse sentido, conclui-se que o fenômeno do desemprego na RMBH é afetado não só por fatores individuais, como também pelo comportamento da atividade econômica...

Práticas da psicologia clínica em face do sofrimento psíquico causado pelo desemprego contemporâneo

Abs,Daniel; Monteiro,Janine Kieling
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Este estudo objetivou compreender as práticas da Psicologia Clínica em face do sofrimento psíquico causado pelo desemprego contemporâneo. Para tanto, foram entrevistados 8 psicólogos da região metropolitana de Porto Alegre, abordando os seus entendimentos sobre as temáticas de trabalho e desemprego, as suas consequências para a subjetividade dos pacientes, as intervenções utilizadas, o auxílio da abordagem teórica nessas intervenções e as possíveis contribuições da Psicologia em relação ao fenômeno estudado. Foi realizada análise de conteúdo para os dados coletados. Os enunciados foram agrupados em quatro temáticas, com as respectivas categorias: Trabalho, Desemprego, Intervenções sobre o desemprego na clínica e Lugar da Psicologia em face do desemprego. Os enunciados destacaram a falta de operadores clínicos para se lidar com esse fenômeno. Concluiu-se que o desemprego é uma temática da clínica psicológica contemporânea, e que esta necessita produzir operadores capazes de, na clínica, dar conta de fenômenos contemporâneos que estão emergindo, como o desemprego. Concluiu-se igualmente que são necessários mais estudos abordando essa temática.

A geografia do desemprego no Porto: comunidades e territórios com maior vulnerabilidade à pobreza e à exclusão social

Alves, Sónia
Fonte: CET - Centro de Estudos Territoriais Publicador: CET - Centro de Estudos Territoriais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
A incidência do desemprego não é idêntica para todos os grupos sociais nem para todos os territórios, assim como a gravidade da sua experiência depende de um conjunto diversificado de factores, como seja o período de permanência na situação de desemprego ou o nível de protecção social do Estado e da família/amigos. Face a esta complexidade, opta-se por articular, neste estudo, e ao longo de quatro partes, uma perspectiva de análise sociológica e geográfica da problemática do desemprego. Na primeira parte, discutem-se as relações que se estabelecem entre o desemprego e a pobreza e o desemprego e a exclusão social, notando-se que estas conexões dependem dos mecanismos de apoio do Estado e da família. Num segundo momento, desenvolve-se uma abordagem empírica para a problemática do desemprego no contexto do Grande Porto, procurando identificar-se e explicar-se a variação intra-urbana do fenómeno. Na terceira parte, analisam-se as formas de organização socioespacial do desemprego no Porto, bem como a repartição da protecção social associada ao subsídio de desemprego, concluindo-se sobre a existência de uma variação intra-urbana particularmente evidente entre a parte ocidental e a oriental da cidade. Por fim...

O enfrentamento do desemprego: experiências e vivências de trabalhadores desempregados em Porto Alegre

Magalhães, Cláudia Valéria Emanuelli
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.23%
O presente estudo discorre sobre o enfrentamento do desemprego e tem por objetivo contribuir para o desvendamento do modo como os trabalhadores desempregados que procuram o SINE (Sistema Nacional de Emprego), em Porto Alegre, enfrentam o desemprego, ou seja, como os sujeitos vivenciam e dão sentido à experiência de estarem desempregados. Isso inclui seus sentimentos, reações e posturas assumidas diante da situação de desemprego. Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que foram realizadas vinte entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores desempregados que procuraram emprego no SINE, no período de julho a agosto de 2006, sendo que a análise das informações coletadas foi realizada a partir da técnica de Análise de Conteúdo com base em Bardin (1977). A categoria trabalho foi fundamentada na teoria marxiana que define o trabalho como atividade central no processo de hominização. Coerente com essa escolha, o método utilizado foi o dialético-crítico, que possui como categorias centrais a totalidade, a historicidade e a contradição. As mudanças ocorridas no mundo do trabalho, principalmente a partir das últimas décadas, provocaram a precarização do trabalho e o crescimento do desemprego. Esse fenômeno traz conseqüências significativas para os trabalhadores em diversos aspectos de sua vida...

O desemprego do tempo: narrativas de trabalhadores desempregados em diferentes ambientes sociais; The unemployment of time: tales of unemployed workers in different social environments

Ackermann, Katia; Amaral, Mariana Almeida do; Silva, Janaína Corazza Barreto; Geraldes, Antônio Leopoldo; Lima, Tiago Novaes; Lombardi Júnior, Márcio; Mendes, André; Scandiucci, Guilherme
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O artigo apresenta alguns modos pelos quais pessoas desempregadas lidam com sua situação. Partiu da hipótese de que diferentes contextos e locais possibilitariam a expressão de distintos modos de lidar com o desemprego. Para tanto, realizamos entrevistas semi-dirigidas em locais onde o desemprego é um tema institucional - serviços de recolocação profissional - e em lugares onde não há essa preocupação mas onde seria provável encontrar pessoas sem emprego - bares e igrejas. As entrevistas procuraram tematizar o desemprego vivido em várias dimensões, a partir do relato da experiência dos trabalhadores desempregados, passando pelas diferentes representações do desemprego na sociedade. Entre as categorias de análise que estabelecemos, o tempo, sob vários aspectos, apareceu sempre de forma marcante e consolidou-se como categoria central, que pôde sintetizar bem o que encontramos. Consideramos que realmente surgiram diferentes manifestações do desemprego em locais com diferentes funções sociais e que essas funções, somadas às representações dos indivíduos sobre o desemprego, eram os eixos que norteavam a forma e o conteúdo das entrevistas, apontando tanto semelhanças quanto diferenças. Dentro disso, houve três dimensões que identificamos nos discursos de todos os entrevistados como fundamentais nos seus modos de lidar com o desemprego: causas do desemprego...

Explorando as fronteiras do desemprego: reflexões a partir da categoria "desemprego por desalento"

Jardim, Fabiana A. A.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Originais" Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O artigo tem como objetivo discutir as perspectivas e os limites da categoria "de-semprego" para a compreensão do mundo do trabalho e de suas mudanças. Partindo de dados relativos a 1989 e 2002, produzidos pela Pesquisa de Emprego e Desemprego (SEADE/DIEESE), procura-se explorar as fronteiras do que a categoria desemprego re-vela ou deixa de revelar. Na medida em que a PED trabalha também com a noção de desemprego oculto, a comparação entre os dados de um ou outro tipo de desemprego permite uma interessante reflexão sobre as dinâmicas de inserção/exclusão e também sobre a visibilidade de cada um dos tipos de desemprego — conforme os atributos pes-soais do desempregado e conforme as representações sociais sobre quem constitui o "núcleo duro" do emprego e, conseqüentemente, do desemprego. A questão do direito ao trabalho ganha novos contornos a partir da observação daqueles que "ficam fora da conta" a despeito de sua vontade ou necessidade de trabalhar. Finalmente, o artigo procura formular algumas questões em relação aos limites da categoria desemprego para a interpretação da atual dinâmica do mercado de trabalho; categoria, aliás, que sempre teve entre nós um poder explicativo limitado, dada a heterogeneidade das situações ocupacionais presentes no mercado de trabalho brasileiro. A reflexão possibilitada pela exploração das fronteiras do desemprego revela nossa dificuldade em pensar o mundo do trabalho para além das três situações ocupacionais típicas (emprego — desemprego — inatividade) e provoca a criação de novos instrumentos analíticos para a compreensão do mundo do trabalho. 

Transições e duração do desemprego: uma revisão da literatura com novas evidências para Belo Horizonte; Transições e duração do desemprego: uma revisão da literatura com novas evidências para Belo Horizonte

Antigo, Mariangela Furlan; Machado, Ana Flávia
Fonte: Nova Economia; Nova Economia Publicador: Nova Economia; Nova Economia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Este trabalho investiga os fluxos entre os estados do mercado de trabalho – ocupação, desemprego e inatividade – e a permanência no estado de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte, com base nos dados da PME, entre 1997  e 2001. Entre as características individuais, os resultadosapontam que o comportamento do desemprego para jovens e mulheres é afetado muito mais pela maior incidência desses grupos nesse  estado, porque são observadas maior intensidade e maior freqüência dos fluxos entre os outros estados de ocupação – desemprego e inatividade – do que por um longo período de permanência no  desemprego. No caso de longa duração, os indivíduos mais escolarizados que estão há mais tempo sem trabalho e que, na última ocupação, tinham carteira de trabalho assinada são os mais atingidos. Percebe-se que a seletividade do mercado de trabalho, as formas precárias de inserção e o comportamento da atividade econômica dessa região contribuem para o aumento tanto do desemprego quanto da rotatividade entre os grupos com menor estabilidade no mercado de trabalho. Nesse sentido, conclui-se que o fenômeno do desemprego na RMBH é afetado não só por fatores individuais, como também pelo comportamento da atividade econômica...