Página 1 dos resultados de 82 itens digitais encontrados em 0.122 segundos

Consumo de água em plantios de eucalipto: parte 2 modelagem da resistência estomática e estimativa da transpiração em tratamentos irrigados e não-irrigados; Water consumption in eucalypt plantations: part 2 - modeling stomatal resistance and estimating tranpiration in irrigated and non-irrigated treatments

CARNEIRO, Rogério Lessa de Castro; RIBEIRO, Aristides; MARTINEZ Y HUAMAN, Carlos Alberto; LEITE, Fernando Palha; SEDIYAMA, Gilberto Chohaku; NEVES, Julio César Lima
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.89%
Este trabalho constitui a ultima parte do estudo que objetivou calcular o consumo de água em plantios de eucalipto. Nesta parte, modelou-se a resistência estomática em função das variáveis ambientais irradiância solar global, déficit de pressão de vapor e temperatura. Com a resistência estomática modelada a partir dos valores observados no artigo anterior, foi possível calcular a transpiração do eucalipto pelo método Penman-Monteith em alguns dias, nos períodos úmido e seco do ano. Verificou-se a existência da correlação entre a resistência estomática e as variáveis ambientais. Os modelos gerados nessa relação mostraram-se eficientes para calcular as variações diárias resistência estomática e também totais horários e diários de transpiração.; This paper concludes the last part of the work aimed to calculate water consumption in eucalypt plantations. Stomatal resistance was modeled as a function of the following ambient variables: global solar irradiance, vapor pressure deficit and temperature. Based on stomatal resistance modeled from the values observed in the first part of this work, eucalypt transpiration by the Penman-Monteith method could be calculated in some days during the humid and dry periods of the year. Correlation between stomatal resistance and ambient variables was verified. The models generated by this relation proved efficient in calculating the diurnal variation of stomatal resistance as well as hourly and daily transpiration totals.; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Celulose Nipo-Brasileira

Influência do regime hídrico na infecção de plantas cítricas jovens por Xylella fastidiosa; Influence of water regime in the infection of young citrus plants by Xylella fastidiosa

Cava, Cristiane Ramos da Veiga Lima
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.02%
Cerca de 38% das árvores cítricas do Estado de São Paulo são afetadas pela Clorose Variegada dos Citros - CVC, causando perdas anuais de cerca de 100 milhões de dólares para as indústrias citrícolas. O agente causal da CVC é uma bactéria gram-negativa, fastidiosa e habitante dos vasos de xilema denominada Xylella fastidiosa, transmitida por cigarrinhas pertencentes à família Cicadellidae, subfamília Cicadellinae. Já foi observado que laranjas doces jovens, na faixa de 3 a 4 anos de idade, são mais sensíveis à CVC do que as plantas adultas. A doença é mais severa em regiões onde estresses adicionais ocorrem, como alta demanda atmosférica por água (decorrente do aumento da temperatura e do déficit de pressão de vapor) e déficit hídrico no solo. Os mecanismos fisiológicos e químicos que caracterizam o estabelecimento da CVC ainda não foram totalmente compreendidos, especialmente sob condições de estresse. Sendo assim, estudos que consideram a interação entre época do ano, regime hídrico e o estabelecimento da CVC em plantas jovens são necessários para auxiliar na elaboração de programas de manejo da doença. O presente trabalho avaliou a sobrevivência de infecções iniciais de X. fastidiosa em plantas cítricas jovens no campo...

Prognóstico das variáveis meteorológicas e da evapotranspiração de referência com o modelo de previsão do tempo GFS/NCEP; Prediction of meteorological variables and reference evapotranspiration with GFS/NCEP weather forecast model

Oliveira Filho, Celso Luís de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2007 PT
Relevância na Pesquisa
96.24%
Avaliou-se o desempenho de um modelo numérico de previsão do tempo (GFS - Global Forecast System – antigo AVN – AViatioN model - do Centro Nacional para Previsão Ambiental – NCEP) no prognóstico de variáveis meteorológicas temperatura, déficit de pressão de vapor do ar, saldo de radiação e velocidade do vento, e da evapotranspiração de referência calculada pelos métodos de Thornthwaite (1948) e de Penman-Monteith (Allen et al., 1998). O desempenho foi avaliado por comparação com dados provenientes de uma estação meteorológica, situada em Piracicaba, São Paulo. A temperatura e o déficit de pressão de vapor do ar foram os elementos melhor prognosticados, com desempenho "muito bom" e "bom", de acordo com o índice de desempenho proposto por Camargo e Sentelhas (1997), para no máximo quatro e três dia de antecedência, respectivamente, durante o período seco. Para o período úmido, somente o prognóstico do déficit de pressão de vapor do ar para o primeiro dia mostrou-se "bom". Os prognósticos de saldo de radiação e velocidade do vento foram ruins para ambos os períodos. Em decorrência do bom desempenho do modelo para prognosticar a temperatura, verificou-se que a estimativa de ETo pelo método de Thornthwaite teve boa concordância com o calculado a partir dos dados da estação meteorológica...

Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em sete clones comerciais de Eucalyptus e seus padrões de resposta ao déficit de pressão de vapor; Photosynthetic capacity and stomatal conductance characterization for seven commercial Eucalyptus clones and their variation due to vapor pressure deficit

Marrichi, Ana Heloisa Carnaval
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86.16%
O estudo caracterizou as variáveis fisiológicas da fotossíntese, em 7 clones de Eucalyptus de alta produtividade, determinando-se as capacidades fotossintéticas máximas (Amax), e o comportamento da fotossíntese (A), condutância (gs) e transpiração (E) em relação ao Déficit de Pressão de Vapor (DPV). Para isso, um ensaio foi instalado em 2004, na ESALQ/USP, contendo os clones do Projeto BEPP (Brasil Eucalyptus Produtividade Potencial), sendo cada parcela composta de 49 plantas (7x7) no espaçamento de 3,0m x 2,7m. Mediram-se as alturas ou DAPs e selecionaram-se 3 árvores médias para as mensurações fisiológicas, aos 16 e 36 meses. A amostragem para Amax foi composta de duas posições superiores da copa (2 e 3), dois galhos por posição e duas folhas por galho. As medições foram feitas das 8 às 10 horas (baixo DPV). Para o comportamento de A e gs frente ao DPV, as medições continuaram, de hora em hora, das 11 às 15 horas, nas folhas do primeiro galho da posição 2. Ao final as folhas foram coletadas para determinação da área foliar específica (AFE) e do nitrogênio (N). Aos 16 meses, foram feitas curvas A/Ci, para posterior cálculo de Vcmax (taxa máxima de carboxilação), Jmax (taxa máxima de transporte de elétrons) e VTPU (utilização da triose fosfato)...

Modelagem da evapotranspiração de referência e da evapotranspiração de limeira ácida com aplicação de técnicas de regressão e redes neurais artificiais; Modelling evapotranspiration for reference crop and acid lime orchard based on regression and artificial neural network tecniques

Irigoyen, Andrea Inés
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
86.24%
O objetivo principal deste trabalho foi testar redes neurais artificiais (RNAs) do tipo multilayer perceptron (MLP) na estimativa da evapotranspiração de referência e da evapotranspiração na linha de plantio de limeira ácida. As RNAs foram treinadas sob algoritmo de gradiente conjugado de erros, com funções de ativação sigmóide na camada intermediária e linear na camada de saída. Foram conduzidas análises comparativas com modelos de regressão. Valores diários de evapotranspiração de referência foram calculados usando o modelo Penman-Monteith (EToPM) a partir de dados meteorológicos (1997-2006) observados em Piracicaba, estado de São Paulo, Brasil (latitude: 22º 42 30 S; longitude: 47º 38 30 W; altitude: 546 m). Os modelos foram desenvolvidos a partir de dados de radiação solar global (Rg), saldo de radiação (Rn) ou radiação no topo da atmosfera (RTA) em combinação com temperatura do ar (Tar), déficit de pressão de vapor no ar (DPV) e velocidade do vento (u). Bom desempenho foi obtido quando os dados de Rg ou Rn estavam disponíveis, mesmo com a falta de uma ou mais das outras variáveis exigidas pelo modelo Penman- Monteith. As RNAs mostraram melhor desempenho do que os modelos de regressão, especialmente quando RTA foi considerada na entrada. O erro absoluto médio (MAE) das RNAs variou de 0...

Fluxos de agua em especie de citro (citrus sinensis L. Osbeck - laranja pera) - Campinas - São Paulo; Water flows in species of citrus (citrus sinensis L. Osbeck - Orange pear) - Campinas - São Paulo - Brazil

Aristoteles de Jesus Teixeira Filho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
86.25%
As variáveis ecofisiológicas exercem grande influência, não somente no comportamento vegetativo das plantas cultivadas, mas, sobretudo no seu desempenho em relação às características produtivas. Os estudos sobre trocas gasosas têm-se ampliado desde a década de oitenta, dada a sua importância em cultivos tropicais, tal qual, em variedades de citros. Tem-se investigado que os estômatos são o principal ponto de controle do fluxo de água, sendo o déficit de pressão hídrica do ar apontada como a força motora para a transpiração, e a quantidade de água no solo é o fator decisivo para o abastecimento hídrico da planta. Dessa forma, a eficiência do uso da água pela cultura pode ser considerada como uma relação custo-benefício para o aumento da produção dos citros, com o mínimo impacto na reserva hídrica do ecossistema, haja vista que no Brasil, apesar da incidência de períodos de déficits hídricos temporários em várias regiões citrícolas, predomina o cultivo sem irrigação. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de frutas cítricas, destacando-se os Estados: Bahia, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe. Com plantios acima de 1.100.000 hectares, os citros têm grande importância comercial no Brasil...

Caracterização de trocas de energia e evolução da camada limite atmosférica no cerrado; Characterization of energy exchange and evolution of atmospheric boundary layer development in savannah cerrado

Pinheiro, Luis Aramis dos Reis
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
85.99%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Mecânica, 2013.; O bioma Cerrado ocupa toda a região do Brasil Central e é o ecossistema do tipo savana mais rico do mundo em biodiversidade. Consiste de um mosaico de habitats variados, compreendendo campos abertos, florestas densas e florestas secas. Entretanto, o processo de ocupação humana também o transformou em um dos biomas mais ameaçados com crescentes taxas anuais de desmatamento da ordem de 0,7 % ao ano de 2002 a 2008. Dentre as perturbações ao cerrado destaca-se a cultura do Eucalyptus para fins energéticos e demais usos como aplicações na construção civil, que vem crescendo nos últimos anos, inclusive com incentivos governamentais. No entanto, esses usos causam impactos sobre os fluxos hídricos e de calor dos ambientes alterados. Este trabalho tem por objetivo a caracterização dos fluxos de energia e da evolução da Camada Limite Atmosférica (CLA) para capturar feedbacks entre solo-vegetação-atmosfera. A metodologia se baseou na implementação de estudos de laboratório e campo para estudar os efeitos da substituição da floresta de cerrado por Eucalyptus na dinâmica de trocas de energia entre biosfera e atmosfera a partir da medição de fluxos turbulentos de calor sensível e latente. Foram utilizados para estudos de correlações da resistência estomática...

Teor de água no substrato de crescimento e fotossíntese em laranjeira ‘Valência’

MACHADO,EDUARDO CARUSO; MEDINA,CAMILO LÁZARO; GOMES,MARA DE MENEZES DE ASSIS
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
85.73%
Analisou-se a resposta da fotossíntese (A), transpiração (E), condutância estomática (g s), potencial da água na folha (Y), conteúdo relativo de água na folha (RWC), concentração interna de CO2 (Ci) e eficiência do uso de água (WUE) em laranjeiras ‘Valência’, sobre duas espécies de porta-enxertos, submetidas ao dessecamento do substrato de crescimento. As medidas foram feitas diariamente em laboratório (temperatura = 27 ± 1 oC, déficit de pressão de vapor = 1,5 ± 0,3 kPa e 700 mmol.m-2.s-1 de fluxo de fótons fotossinteticamente ativos), até que A atingisse valores próximos a zero, quando os vasos foram reirrigados. Em seguida, as mesmas variáveis foram medidas por mais quatro dias. Os valores de A e de Y praticamente não variaram com teores de água no substrato entre 24 e 15% e com RWC entre 90 e 80%. Todavia, g s começou a decrescer desde o início de a queda no RWC e abaixo de 18% no teor de água no substrato. Discute-se a possibilidade da resposta do estômato estar diretamente relacionada à variação do teor de água no substrato, via comunicação raiz-parte aérea. A relação A/E, isto é, WUE, apresentou uma tendência discreta de diminuir com a queda de g s, indicando que, sob estresse mais severo (Y< -2...

Teores de Ca e variáveis meteorológicas: relações com a incidência da mancha fisiológica do mamão no Norte Fluminense

Campostrini,Eliemar; Lima,Heber Cruz; Oliveira,Jurandi Gonçalves de; Monnerat,Pedro Henrique; Marinho,Cláudia Sales
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
95.97%
No Brasil e no mundo, o mamoeiro (Carica papaya L.) tem apresentado um distúrbio fisiológico no fruto denominado de Mancha Fisiológica do Mamão (MFM). Na literatura, pouco se conhece sobre as causas desta anomalia que afeta sensivelmente a comercialização dos frutos da espécie. Com o objetivo de se buscar informações relacionadas às causas da MFM, foi realizado um estudo, durante um ano, em um plantio comercial localizado em São Franscisco do Itabapoana (RJ), no norte fluminense. Foram feitas relações entre algumas variáveis do clima (temperatura, déficit de pressão de vapor, precipitação pluvial e radiação solar global) e os teores de Ca na planta [limbo, pecíolo, pedúnculo, epicarpo não-exposto (face do fruto próxima ao tronco) e epicarpo exposto (face do fruto oposta ao tronco)] com a incidência da MFM. Observou-se que a maior incidência de MFM foi durante setembro/2000. Em janeiro/2001, a incidência da MFM foi praticamente nula. A amplitude térmica, nos três meses que antecederam a setembro/2000, foi a variável do clima que mais se relacionou com a incidência da MFM. Em setembro, os teores de Ca em todas as partes do fruto (pedúnculo, epicarpo exposto e não-exposto) estudadas foram maiores. Na época que antecedeu o mês de setembro...

Fotossíntese, condutância estomática e potencial hídrico foliar em árvores jovens de andiroba (Carapa guianensis)

Costa,Gracilene Fernandes da; Marenco,Ricardo A.
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
85.97%
O potencial hídrico da folha é um dos fatores mais importantes que afetam o funcionamento dos estômatos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da variação diurna na irradiância e déficit de pressão de vapor (DPV) na fotossíntese (A), condutância estomática (g s) e potencial hídrico da folha (psi) em Carapa guianensis (Aubl.). Os dados foram coletados de 07:00 às 17:00 h. A taxa fotossintética atingiu um valor máximo (2,5 µmol m-2 s-1) às 10:00 h, depois declinou até atingir um mínimo de 1 µmolm-2 s-1 às 16:00 h. A condutância estomática oscilou durante o dia, de 0,04 molm-2s-1 (ao meio dia) para 0,02 molm-2s- 1 no final da tarde. O potencial hídrico da folha foi máximo nas primeiras horas do dia (-0,3 MPa) e mínimo (-0,75 MPa) no meio da tarde (14:30 a 15:00 h). Após ter alcançado um mínimo, o psi aumentou até -0,64 MPa no fim da tarde. A taxa fotossintética aumentou linearmente em função do g s (P < 0,01). Também houve uma relação positiva entre psi e g s (P < 0,01). A taxa fotossintética declinou durante o dia após ter alcançado um pico no início da manhã, demonstrando que os fatores ambientais que afetam o psi têm efeito significativo na assimilação do carbono de C. guianensis.

Consumo de água em plantios de eucalipto: parte 2 modelagem da resistência estomática e estimativa da transpiração em tratamentos irrigados e não-irrigados

Carneiro,Rogério Lessa de Castro; Ribeiro,Aristides; Martinez y Huaman,Carlos Alberto; Leite,Fernando Palha; Sediyama,Gilberto Chohaku; Neves,Julio César Lima
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
85.72%
Este trabalho constitui a ultima parte do estudo que objetivou calcular o consumo de água em plantios de eucalipto. Nesta parte, modelou-se a resistência estomática em função das variáveis ambientais irradiância solar global, déficit de pressão de vapor e temperatura. Com a resistência estomática modelada a partir dos valores observados no artigo anterior, foi possível calcular a transpiração do eucalipto pelo método Penman-Monteith em alguns dias, nos períodos úmido e seco do ano. Verificou-se a existência da correlação entre a resistência estomática e as variáveis ambientais. Os modelos gerados nessa relação mostraram-se eficientes para calcular as variações diárias resistência estomática e também totais horários e diários de transpiração.

Mapeamento de índice de estresse hídrico da cultura do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) em pivô central por meio de termometria a infravermelho.

GOMIDE, R. L.; KOBAYASHI, M. K.; AVELLAR, G. de.
Fonte: In: CONGRESSO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM, 14.; ENCONTRO LATINOAMERICANO DE IRRIGAÇÃO, DRENAGEM E CONTROLE DE ENCHENTES, 1., 2004, Porto Alegre. Anais...Porto Alegre: ABID, 2004. Publicador: In: CONGRESSO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM, 14.; ENCONTRO LATINOAMERICANO DE IRRIGAÇÃO, DRENAGEM E CONTROLE DE ENCHENTES, 1., 2004, Porto Alegre. Anais...Porto Alegre: ABID, 2004.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.73%
O principal objetivo deste trabalho foi o mapeamento de índice de estresse hídrico da cultura (IEHC) do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) em pivô central por meio de termometria a infravermelho. Um transdutor de temperatura a infravermelho (TTIR) registrou os valores de temperaturas do dos seI da cultura (Te) e do ar (Ta), déficit de pressão de vapor do ar (DPV) e radiação solar. Uma equação relacionando a diferença Te-Ta atual (dT) com os limites inferior e superior de Te-Ta (dTj e dTs) foi usada nos cálculos dos valores de IEHC. Equações relacionando a diferença Te-Ta com o DPV constituíram estes limites. Um sistema de posicionamento global diferencial possibilitou o georreferenciamento dos locais de medições de altimetria da área, da diferença Te - Ta e de produtividade de grãos da cultura e a integração dos dados a um sistema de informação geográfica (SIG). O TTIR mostrou-se eficaz no mapeamento de IEHC e possibilitou a caracterização e análise da variabilidade do estresse hídrico da cultura e produtividade de grãos. Valores de IEHC de 0,0 a 0,2 foram encontrados em 65,3 % da área irrigada. Apenas 7 % da área irrigada forneceu rendimentos de grãos da ordem de 2000 a 3000 Kg/ha. As áreas da parte mais elevada do pivô apresentaram as menores produtividade e os maiores valores de IEHC...

Trocas gasosas de Grama Batatais em função das variações ambientais diárias.

RIBEIRO, R. V.; LYRA, G. B.; MARIN, F. R.; PILAU, F. G.; RIGHI, E. Z.; SANTIAGO, A. V.; OLIVEIRA, R. F. de; ANGELOCCI, L. R.; PEREIRA, A. R.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 13., 2003, Santa Maria. Anais... Santa Maria: UNIFRA, SBA, UFSM, 2003. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 13., 2003, Santa Maria. Anais... Santa Maria: UNIFRA, SBA, UFSM, 2003.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: folhas avulsas; 17-18
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.72%
O trabalho avaliou as respostas da assimilação de CO2, condutância estomática e transpiração de grama batatais frente às variações diárias da radiação fotossinteticamente ativa e do deficit de pressão de vapor do ar.; 2003

Fenologia e capacidade fotossintética do pinhão-manso (Jatropha curcas L.) Em diferentes épocas do ano no estado de Alagoas.; Phenology and photosynthetic capacity of the physic nut (Jatropha curcas L.) in different periods of the year in the state of Alagoas.

Santos, Claudiana Moura dos
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
85.96%
The physic nut (Jatropha curcas L.), is a native plant of the Americas which belongs to the Euphorbiaceae family. There is a process of domestication of the species, being considered an agricultural option for the Northeast region, for being a xerophytic species that adapted to regions of less fertile soils and of unfavorable climate conditions than most of the traditional alimentary cultures. Part of the interest for the cultivation of this species is related to the use of the seeds for oil production for the obtainment of the bio-diesel. This work was developed with the objective of charactering the phenology behavior of the physic nut in semi-humid region (Zone of Mata) and to compare the leaf gaseous exchanges and photochemistry efficiency of the physic nut in two regions with distinct climates, Agreste (semi-arid tropical climate) and Zone of Mata (semi-humid tropical climate) of the state of Alagoas. The physic nut presented vegetative growth with standard sazonal, slow growth was verified in the dry season, and acceleration of the growth in the rainy season. The budding and fructification peak occurred during the rainy season. The development cycle of the fruit lasted an average period of 120 days from the sprouting of the inflorescence until the complete matureness of the fruit on the plant. The physic nut plants presented less decreases in the photosynthesis taxes...

Respostas da fotossíntese de três espécies de citros a fatores ambientais

Machado,Eduardo Caruso; Schmidt,Patrícia Tambelli; Medina,Camilo Lázaro; Ribeiro,Rafael Vasconcelos
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
76.11%
Foram avaliadas as respostas das trocas gasosas à irradiância, à temperatura, ao déficit de pressão de vapor e à concentração interna de CO2 em plantas jovens de laranjeira 'Valência', tangor 'Murcote' e lima ácida 'Tahiti', sob condições controladas. As taxas máximas de assimilação de CO2 foram de 9,8, 12,8 e 13,0 µmol m-2 s-1 em 'Valência', 'Murcote' e 'Tahiti', respectivamente. Diferenças na taxa de assimilação de CO2 foram relacionadas com a condutância estomática e com a eficiência instantânea de carboxilação. A saturação da fotossíntese pela luz foi em torno de 750 µmol m-2 s-1 em 'Valência'. Em 'Murcote' e 'Tahiti', não houve um ponto evidente de saturação lumínica, pois houve pequenos aumentos da assimilação de CO2 acima de 1.000 µmol m-2 s-1. Os pontos de compensação de CO2 foram 4,8, 5,8 e 5,4 Pa em 'Valência', 'Murcote' e 'Tahiti', respectivamente. Temperaturas das folhas entre 25ºC e 30ºC corresponderam à faixa ótima para a fotossíntese em 'Valência' e ao redor de 30ºC em 'Murcote' e 'Tahiti'. Quedas das taxas de assimilação de CO2 em temperaturas acima ou abaixo da ideal ocorreram em razão de quedas parciais na condutância estomática e na eficiência instantânea de carboxilação. A taxa de assimilação de CO2 também decresceu com o aumento do déficit de pressão de vapor de 1...

Fluxo de seiva xilemática em mamoeiro 'Golden' cultivado por microaspersão sobre copa: relações com as variáveis ambientais

Reis,Fabrício de Oliveira; Campostrini,Eliemar; Sousa,Elias Fernandes de
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
95.98%
As técnicas de irrigação, bem como o uso de espécies adaptadas às condições de deficiência hídrica, têm sido cada vez mais importantes para o sucesso da produção vegetal. De fato, a adequada irrigação em plantas cultivadas pode melhorar a eficiência no uso da água, refletindo na qualidade do produto agrícola e no custo de produção. O estresse hídrico em fruteiras pode ser causado por deficiência de água no solo, na atmosfera ou em ambos. As variáveis ambientais regulam a perda de água pelas plantas, e os elevados valores de déficit de pressão de vapor entre a folha e o ar (DPVfolha-ar) podem causar fechamento estomático e reduzir o processo transpiratório, principalmente em plantas de grande porte. Neste trabalho, utilizou-se o método de dissipação de calor no caule proposto por GRANIER (1985) para a medição do fluxo de seiva xilemática (FS). Assim, objetivou-se obter possíveis relações entre os valores de FS e os valores de evapotranspiração de referência (ET0) em mamoeiros cultivados com e sem microaspersão sobre copa (MASC) em condição de campo, assim como investigar as relações entre os valores do FS e a radiação global (RG) e déficit de pressão de vapor do ar (DPVar). Constatou-se uma defasagem entre a perda de água pelas folhas e o movimento de água através do tronco (fase lag). De janeiro a março...

Média diária do déficit de pressão de saturação do vapor d'água do ar e sua influência na vapotranspiração de referência pelo modelo de penman-monteith (FAO 56) em Piracicaba - SP

Lyra,Gustavo B.; Pereira,Antonio R.; Sediyama,Gilberto C.; Lyra,Guilherme B.; Santiago,Alailson V.; Folegatti,Marcos V.
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Agrícola Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Agrícola
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
116.11%
Utilizando-se como padrão as medidas lisimétricas de um gramado, avaliaram-se os resultados de estimativas de ETo obtidas com Dar_méd oriundos de 14 métodos para seu cálculo. Tais comparações permitiram separar os métodos de cálculo de Dar_méd em três grupos, ou seja: um grupo resultou sempre em superestimativa de ETo; em outro, a tendência foi de sempre subestimar, e no último a tendência foi de superestimar valores baixos (< 4,5 mm dia-1) e de subestimar valores altos de ETo. Não foram observadas diferenças significativas (teste t; p < 0,05) de ETo, em função dos métodos de Dar_méd ao utilizar a média horária da temperatura e/ou umidade relativa do ar em relação aos determinados com a média dos valores máximo e mínimo desses elementos. Dos métodos propostos pelo boletim FAO56, apenas o que utilizou a umidade relativa média para calcular a pressão parcial de vapor d'água (e a) apresentou estimativa satisfatória. As melhores estimativas de ETo foram obtidas com os métodos de Dar_méd, que utilizaram média da temperatura do ar na determinação da pressão de saturação (e s), e média da umidade relativa para ea. A utilização do déficit de pressão de saturação em um único horário (9 e 10 h local)...

Respostas da fotossíntese de três espécies de citros a fatores ambientais.

MACHADO, E.C.; SCHMIDT, P.T.; MEDINA, C.L.; RIBEIRO, R.V.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.40, n. 12, p. 1161-1170, dez. 2005. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.40, n. 12, p. 1161-1170, dez. 2005.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.16%
Foram avaliadas as respostas das trocas gasosas à irradiância, à temperatura, ao déficit de pressão de vapor e à concentração interna de CO2 em plantas jovens de laranjeira 'Valência', tangor 'Murcote' e lima ácida 'Tahiti', sob condições controladas. As taxas máximas de assimilação de CO2 foram de 9,8, 12,8 e 13,0 mmol m-2 s-1 em 'Valência', 'Murcote' e 'Tahiti', respectivamente. Diferenças na taxa de assimilação de CO2 foram relacionadas com a condutância estomática e com a eficiência instantânea de carboxilação. A saturação da fotossíntese pela luz foi em torno de 750 mmol m-2 s-1 em 'Valência'. Em 'Murcote' e 'Tahiti', não houve um ponto evidente de saturação lumínica, pois houve pequenos aumentos da assimilação de CO2 acima de 1.000 mmol m-2 s-1. Os pontos de compensação de CO2 foram 4,8, 5,8 e 5,4 Pa em 'Valência', 'Murcote' e 'Tahiti', respectivamente. Temperaturas das folhas entre 25oC e 30oC corresponderam à faixa ótima para a fotossíntese em 'Valência' e ao redor de 30oC em 'Murcote' e 'Tahiti'. Quedas das taxas de assimilação de CO2 em temperaturas acima ou abaixo da ideal ocorreram em razão de quedas parciais na condutância estomática e na eficiência instantânea de carboxilação. A taxa de assimilação de CO2 também decresceu com o aumento do déficit de pressão de vapor de 1...

Controle automático do espectro de gotas de pulverizador hidropneumático em função do déficit de pressão de vapor d'água no ar

Alvarenga,Cleyton Batista de; Teixeira,Mauri Martins; Zolnier,Sérgio; Sasaki,Robson Shigueaki; Rinaldi,Paula Cristina Natalino
Fonte: Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos/UFG Publicador: Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos/UFG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
86.19%
O princípio de fracionamento e o tamanho de gotas são fundamentais para o sucesso do controle fitossanitário. Objetivou-se, com este trabalho, desenvolver e avaliar um sistema automatizado, para controlar os parâmetros do espectro de gotas da pulverização, em função do déficit de pressão de vapor d'água no ar. O sistema de controle automático constituiu-se de um sensor de temperatura e umidade relativa, um microcontrolador, um servomotor e um pulverizador hidropneumático. A pulverização foi realizada em etiquetas de papel hidrossensível, dispostas em suportes de madeira, para diferentes déficits de pressão de vapor d'água no ar. Posteriormente à digitalização e análise das etiquetas, foram selecionadas três pressões de trabalho (633 kPa, 844 kPa e 1.055 kPa), para serem utilizadas no sistema automatizado. Os resultados indicaram que o controlador foi eficiente na manutenção do espectro de gotas da pulverização de agrotóxicos. A automatização permitiu a manutenção do volume de calda, alterando a pressão de trabalho, em função do déficit de pressão de vapor d'água no ar. A pulverização com o sistema automatizado apresentou qualidade do espectro de gotas superior ao sistema manual, à pressão de 633 kPa.

Mancha fisiológica do mamão 'formosa': relações com o potencial hídrico do solo, o teor de sólidos solúveis totais do látex e as variáveis do clima

Reis,Fabrício de Oliveira; Campostrini,Eliemar; Torres Netto,Alena
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
86.02%
Em várias regiões produtoras de mamão do Brasil, tem sido observado um distúrbio fisiológico nos frutos denominado de Mancha Fisiológica do Mamão (MFM). Tal distúrbio pode causar significativos prejuízos ao produtor, uma vez que pode comprometer a qualidade do fruto da espécie. Procurou-se buscar, neste trabalho, possíveis relações entre a incidência da MFM, o potencial hídrico do solo, o teor de sólidos solúveis no látex, a amplitude térmica e o déficit de pressão de vapor do ar. Para tanto, num plantio comercial localizado na cidade de São Francisco do Itabapoana - RJ, foram monitorados o déficit de pressão de vapor do ar, o potencial hídrico do solo, o teor de sólidos solúveis no látex dos frutos em duas faces do fruto (face próxima ao tronco e face oposta ao tronco) e a amplitude térmica do ar. Foi verificado que nos meses que antecederam a época de maior incidência da MFM, o déficit hídrico do solo acentuado (média diária -113,6kPa nos meses de abril a julho), em associação com menores demandas evaporativas do ar (média diária nos meses de abril a julho 0,6kPa) e uma amplitude térmica média de 11,3ºC nessas mesmas épocas, contribuiu para a maior incidência da MFM, nos meses julho a outubro.