Página 1 dos resultados de 4 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Caim e Abel: uma leitura de 'Improbus Amor', de Frederico José Correia, como processo de singularização da personagem judia Abel; Cain and Abel: a reading of 'Improbus Love', of José Frederico Correia, as the process of singling of character jewish Abel

Jesus, Daniel Santana de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
16.51%
A formação de um gosto sensível à apreciação de elementos sombrios da realidade tem seu desenvolvimento localizado na Europa desde meados do século XVIII. A disseminação desta nova sensibilidade no Brasil pode ser estudada na segunda geração de nosso romantismo, liderada por jovens poetas como Álvares de Azevedo, Bernardo Guimarães e Fagundes Varela. Entre os poemas de Inspirações Poéticas, do poeta romântico maranhense Frederico José Correia, há uma série de textos marcados por um conteúdo sombrio. Entre eles está Improbus amor, história da paixão proibida de Abel por sua irmã Elisa. O objetivo desta pesquisa é estudar uma série de elementos sombrios que aparecem neste poema, como a misantropia, melancolia, sadomasoquismo, paixão incestuosa e condição judaica vista como maldita. Julga-se mais viável metodologicamente examiná-los enquanto constituintes da sombria figura do herói romântico Abel. A análise desta personagem dividiu-se em três partes. Na primeira, foi examinada a hipersensibilidade de Abel. Na segunda e terceira, verificou-se a função do judaísmo em seu pathos e destino trágico. Nestas últimas duas seções, considerou-se tanto a rebeldia de Abel contra a sociedade cristã que o discriminava quanto o papel da fatalidade em seu destino enquanto elemento de um grupo configurado como depositário de uma herança maldita. Ao contrário do que se esperava...

A vanguarda na lírica de Sá-Carneiro : textos, contextos e intertextos

Rückert, Gustavo Henrique
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.51%
A poesia de Sá-Carneiro apresenta elementos de diferentes estilos e manifestações artísticas. Se por um lado há uma subjetividade melancólica, ao estilo do poeta maldito, por outro há a incorporação dos ideais estéticos das experiências de vanguarda. Assim como o próprio Modernismo português, idealizado por Fernando Pessoa, tendo em vista o grupo Orpheu, Sá-Carneiro mescla em sua lírica características clássicas e modernas. O Presente trabalho tem por objetivo principal o estudo dos elementos vanguardistas na poesia de Mário de Sá-Carneiro. Para isso utiliza a Literatura Comparada, que, entrecruzando diferentes saberes através da interdisciplinaridade perspectivada sob o código da intertextualidade, possibilita a análise do objeto literário em diálogo com as demais manifestações artísticas e momentos situacionais. Assim, o contexto histórico, filosófico, científico e artístico (incluindo principalmente pinturas e manifestos) acaba assumindo a noção de texto, sendo possível estabelecer relações intertextuais na poesia de Sá-Carneiro.; Sá-Carneiro’s poetry presents elements from different artistic styles and manifestations. On the one hand, there is a melancholic subjectivity in the style of the cursed poets...

A maldição como processo : leituras de Gaspard de la Nuit; Curse as a process : lectures on Gaspard de la Nuit

Lenon Rogerio de Melo Franco
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.51%
A dissertação se ocupa da recepção da obra francesa Gaspard de la Nuit: fantaisies à la manière de Rembrandt et de Callot desde sua publicação nos anos românticos até nossos dias. As leituras de Sainte-Beuve, Baudelaire, Mallarmé e André Breton, sobretudo, são revisadas à luz de exames sincrônicos e diacrônicos. Os diferentes acolhimentos do texto são oportunidade e aporte para discutirmos seus aspectos prevalentes, tais como a relação da poesia com as artes plásticas, a fundação de um novo gênero que é o poema em prosa moderno e a noção de poète maudit. Após o decantamento crítico de numerosos leitores, apresentamos então nossa exegese particular da obra - que se acrescenta a esses registros recepcionais que foram analisados; Not informed

Poesia moderna, mito e dialética revolucionária; Modern Poetry, myth and revolutionary dialectic

Rafael de Almeida Padial
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.51%
Este trabalho insere-se na tradição que reflete sobre a possibilidade de o conceito reencontrar o sensível em uma forma superior, como um universal concreto. Em certo sentido, busca-se uma fundamentação poética para a política (considerando-se aqui "poética" em sentido amplo). Trabalhamos as relações conflituosas entre poesia moderna e revolução, desde o que ficou conhecido, com Hegel, como "morte da arte", até a expressão da poesia como silêncio entre os chamados "poetas malditos" do final do séc. XIX. Para uma melhor compreensão dessa grave crise moderna da poesia pensamos ser necessário retornar à Grécia antiga e analisar a origem da obra de arte na sociedade ocidental, analise à qual nos ateremos. Por fim, verificaremos algumas possíveis analogias entre dialética revolucionária e poesia mítica, visando trazer ao presente a urgência da superação da estreita divisão social do trabalho.; This dissertation situates itself in the tradition that reflects on the possibility of the concept reconnecting with the sensible in a superior form, as a concrete universal. In a certain sense, we seek a poetic grounding for politics (using "poetic" here in its broadest sense). We consider the conflicting relations between modern poetry and revolution...