Página 1 dos resultados de 2027 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

A Culpa Persecutória e Culpa Depressiva: Uma análise de conteúdo à culpa de Raskólnikov em Crime e Castigo

Carvalhal, Pedro Nuno
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Este trabalho debruça-se sobre a Culpa. Em primeiro lugar, foi elaborada uma revisão bibliográfica acerca da perspetiva psicanalítica da culpa, revisitando as ideias de Freud, Klein, Winnicott, bem como a teoria de Grinberg acerca da culpa, onde defende que este sentimento pode assumir uma tonalidade persecutória ou depressiva. Em seguida, através da leitura flutuante da obra Crime e Castigo e das conceções teóricas apresentadas na literatura científica sobre este tema, elaborou-se um resumo compreensivo que visa apresentar uma leitura pessoal e subjetiva da obra articulada com perspetivas psicológicas sobre o tema. Seguidamente Por último, foi feita uma análise de conteúdo de 6 episódios da obra onde se evidenciou que a Culpa persecutória assume uma preponderância bastante maior, mas que, por outro lado, a Culpa depressiva ao longo da obra tem vindo a ganhar maior destaque, sendo no último episódio ligeiramente superior. Palavras-chave: Culpa persecutória, culpa depressiva, Análise de Conteúdo, Raskólnikov, Crime e Castigo.

A culpa das mães como antecedente do consumo

Battistella-Lima, Suzana Valente
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.32%
A culpa, uma emoção de valência negativa, é objeto de interesse da literatura científica em comportamento do consumidor desde os anos 1990. Um grupo de pessoas especialmente susceptível ao sentimento de culpa são as mães, e o pressuposto desta dissertação é que esta emoção influencia suas decisões de consumo. O objetivo aqui é investigar se a culpa pode ser um antecedente do consumo, e para isso a pesquisa foi realizada por meio de métodos mistos sequenciais com mães de crianças entre 3 e 12 anos. A primeira fase foi um estudo exploratório qualitativo e a segunda foram dois experimentos em que foram testadas hipóteses sobre as relações entre: 1) Culpa da mãe em relação ao bem estar do filho e influência do filho nas decisões de consumo; 2) Culpa da mãe em relação ao bem estar do filho e atendimento aos pedidos de compra do filho; 3) Culpa da mãe em relação ao bem estar do filho e frequência com que a mãe compra produtos supérfluos para o filho; sendo estas últimas duas relações moderadas pelo estilo de consumo da mãe e pelo poder de insistência do filho. O primeiro experimento (técnica projetiva) comprovou as três hipóteses e o segundo experimento (questionamento direto) comprovou a terceira hipótese e sua moderação. Os diferentes resultados devem-se à escolha da estratégia de pesquisa utilizada...

Os antecedentes motivacionais das emoções de vergonha e culpa

Maia, Ana Rita Azeredo Vasconcelos Moreira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; As emoções de Vergonha e Culpa são emoções negativas, que causam sofrimento intrapsíquico e surgem frequentemente no contexto psicoterapêutico. Investigação recente mostrou que são emoções distintas e que têm implicações diferentes na psicopatologia, surgindo a Culpa como a emoção mais benéfica e a Vergonha associada a comportamentos evitantes e defensivos. As diferentes implicações para a psicopatologia prendem-se com o diferente foco no comportamento (Culpa) ou no self (Vergonha). Torna-se então importante averiguar a causa desta diferente ênfase no comportamento ou no self. Uma possível explicação para esta diferente ênfase no self ou no comportamento prende-se com o grau de internalização das motivações, tal como postulado pela teoria da auto-determinação. Assim, neste estudo colocam-se as seguintes hipóteses: a) quando o indivíduo percepciona em si próprio uma violação de uma regra, valor ou principio que tem mais internalizado (motivação autónoma) sentirá Culpa; b) quando o indivíduo percepciona em si próprio uma violação de uma regra...

O papel da internalização das motivações para a relação nas emoções de culpa e vergonha : influências nas estratégias de conflito e na satisfação relacional

Mader, Júlia Lisa
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; A culpa e a vergonha são emoções dolorosas que têm implicações distintas ao nível individual e interpessoal. A emoção de vergonha surge como mais disruptiva, enquanto a culpa possui várias vantagens. Este estudo pretendeu analisar estas emoções no contexto das relações românticas, compreender o que está na base das diferenças encontradas na propensão para a culpa e para a vergonha, estudar o efeito das duas emoções numa variável específica do funcionamento relacional – as estratégias de conflito – e os seus efeitos na satisfação relacional. A amostra foi constituída por 246 participantes envolvidos em relações românticas, que preencheram um conjunto de instrumentos de auto-relato que pretendiam avaliar as diferentes variáveis estudadas. Os resultados estavam de acordo com as hipóteses de que na base das diferenças entre culpa e vergonha estariam a internalização das motivações para o envolvimento na relação, isto é, motivações mais autónomas estavam associadas à propensão para a culpa e motivações mais controladas à propensão para a vergonha. Tal como esperado...

Um estudo exploratório sobre o sentido de humor e as suas relações com a culpa, a vergonha e a depressão

Pinheiro, Maria Teresa Cardoso
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; O sentido de humor é uma característica de personalidade comummente definida como indicativa de saúde anímica. Porém, permanecem questões sobre a sua ligação com a psicopatologia. Os objectivos do presente estudo recaem sobre a investigação, na população geral e na população clínica, das relações entre o sentido de humor, a culpa, a vergonha e a depressão. Participaram no estudo 163 adultos oriundos da comunidade e 18 adultos com diagnóstico de perturbação depressiva, de ambos os sexos. Os participantes responderam a um Questionário de Dados Sociodemográficos, à Escala Multidimensional do Sentido de Humor, à Escala de Depressão do Centro de Estudos Epidemiológicos e às subescalas de culpa e de vergonha do Personal Feelings Questionnaire - 2. Os participantes do grupo com patologia depressiva apresentaram um sentido de humor mais elevado, níveis mais elevados de sintomatologia depressiva e maiores propensões para a culpa e a vergonha. Encontrou-se apenas uma correlação significativa e negativa entre o sentido de humor e a sintomatologia depressiva no grupo da comunidade. Encontraram-se evidências estatísticas para a associação entre a probabilidade de apresentar níveis mais elevados de sintomatologia depressiva e uma maior propensão para a culpa e para a vergonha e a idade. A associação entre a probabilidade de apresentar níveis mais elevados de sintomatologia depressiva e o sentido de humor não foi estatisticamente significativa. Discutem-se os resultados em termos das implicações para o conhecimento da relação entre o sentido de humor e os processos psicopatológicos.; The sense of humor is a personality trait generally associated with the mental health. However...

Culpa e vergonha e experiências depressivas introjectivas e anaclíticas

Santos, Ana Luísa Viegas dos
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; O objectivo da presente investigação prende-se com o nosso interesse em 1) estudar a relação entre culpa e vergonha e as dimensões anaclítica e introjectiva da personalidade; e 2) estudar a relação entre culpa e vergonha e a sintomatologia depressiva. Para atingir estes objectivos formulámos três hipóteses de investigação. A primeira estabelece que a correlação entre a culpa e a dimensão introjectiva da personalidade é mais elevada do que a correlação entre a culpa e a dimensão anaclítica da personalidade. A segunda hipótese estabelece que a correlação entre a vergonha e a dimensão anaclítica da personalidade é mais elevada do que a correlação entre a vergonha e a dimensão introjectiva da personalidade. Por fim, a terceira hipótese estabelece que a correlação entre a culpa e a sintomatologia depressiva é mais elevada do que a correlação entre a vergonha e a sintomatologia depressiva. Participaram na investigação 145 estudantes de duas instituições de Ensino Superior da cidade de Lisboa com idades compreendidas entre 19 e 47 anos. Todos os participantes responderam a um questionários sobre dados sócio-demográficos...

Factores de vulnerabilidade no funcionamento sexual feminino: a religião, as crenças sexuais disfuncionais e a culpa

Lopes, Marta Filipa Baltazar
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; Com o crescente interesse que a sexualidade feminina tem vindo a despertar, a presente investigação pretende estudar factores etiológicos de natureza psicossocial, associados às dificuldades no funcionamento sexual feminino. Este trabalho, constituído por dois artigos científicos, tem como objectivo avaliar o papel da religião, das crenças sexuais disfuncionais e da culpa, no funcionamento sexual da mulher. O primeiro artigo, de âmbito teórico, corresponde a uma revisão da literatura, onde efectuamos um enquadramento acerca da resposta sexual feminina e dos factores de vulnerabilidade individual, destacando a religião, as crenças sexuais disfuncionais e a culpa. O segundo artigo reflecte os resultados de um estudo empírico com 199 mulheres da população geral, onde se testaram hipóteses sobre a associação e carácter preditivo da religião, das crenças sexuais disfuncionais e da culpa, no funcionamento sexual feminino. De acordo com os dados da investigação, o nível de religiosidade parece não ter um papel significativo no funcionamento sexual, nem nas restantes variáveis em estudo. As crenças sexuais disfuncionais e a culpa apresentam uma associação significativa com o funcionamento sexual da mulher...

Acidentes rodoviários: culpa e comportamento preventivo

Martins, Maria João Guerreiro
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Mestrado em Risco, Trauma e Sociedade; Os acidentes de viação em Portugal constituem um problema grave, tanto pela frequência com que ocorrem, como pelo elevado número de mortos daí resultante. A culpa sentida pelo acidente, ou atribuída formalmente, e danos a ele associados, parecem fomentar sentimentos de arrependimento e de mudança de comportamentos. O objectivo geral do estudo foi compreender a relação da culpa em acidentes rodoviários e a mudança de comportamentos no sentido preventivo. Este objectivo foi analisado através de dois objectivos específicos: (1) análise da relação entre a auto-culpabilização em acidentes rodoviários e a mudança de comportamentos no sentido preventivo e (2) a análise da relação entre a culpa atribuída em acidentes rodoviários e a mudança de comportamentos no sentido preventivo. Foram utilizados dois instrumentos de análise – questionário e entrevista semi-estruturada –, aplicados a 19 indivíduos (13 Homens / 6 Mulheres), com uma média etária de 34,2 anos, que sofreram acidentes de viação nos últimos 3-4 anos, dos quais resultaram lesões físicas nos próprios ou em terceiros. Os dados foram analisados pela técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados sugerem que a auto-culpabilização...

Pensamento contrafactual: Estudo do efeito de foco nos cenários e atribuição de culpa à vítima e agressor

Marques, João Amaral
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica, apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; A presente dissertação, sobre o pensamento contrafactual, pretende analisar o efeito de foco de um cenário, quer nos pensamentos contrafactuais que são produzidos, quer na atribuição de culpa feita aos dois personagens principais (vitima e agressor). Procura-se desta forma colmatar uma lacuna apontada por Kahneman e Miller (1986), a de que os cenários habitualmente usados na investigação do pensamento contrafactual estão maioritariamente centrados na vítima, tornando as suas acções mais salientes e mutáveis e, portanto, o foco central dos pensamentos contrafactuais. Outra consequência que os autores referem é o elevado grau de atribuição de culpa à vítima, já que é mais fácil imaginar a vítima a agir de forma diferente e, assim, a ter evitado o que lhe aconteceu. Foram criadas três situações – acidente de viação, agressão e assalto – cada uma relatada segundo um foco distinto – vítima, agressor ou ambos. Foi esperado que o supracitado efeito produzisse resultados em termos dos contrafactuais gerados e das atribuições de culpa, conduzindo, por um lado, a um maior número de contrafactuais centrados na personagem principal do cenário e...

Julgamento moral: estudo comparativo entre crianças institucionalizadas e crianças de comunidade de baixa renda com relação à emergência do sentimento de culpa

Loos,Helga; Ferreira,Sandra P. A; Vasconcelos,Fabíola C.
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
A culpa, um importante aspecto afetivo do desenvolvimento moral, tem sido utilizada como um de seus principais indicadores. Nas crianças, a culpa aprimora-se gradualmente, sendo influenciada pelos modelos de moralidade e métodos disciplinares aos quais estão expostas (Harris, 1989). O presente estudo buscou verificar possíveis diferenças na emergência do sentimento de culpa entre 32 meninos (6-12 anos) provenientes de grupos distintos, sendo 16 de comunidade carente e 16 de instituição que atende crianças sob risco e abandono. Utilizaram-se tarefas de checagem do reconhecimento de emoções, julgamento de personagem em situação de dano acidental e intencional, e relato de episódio pessoal envolvendo culpa, além de entrevista exploratória dos modelos de moralidade com os quais convivem as crianças. Encontraram-se concepções distintas de culpa, classificadas nos níveis "ser apontado como culpado", "ter culpa" e "sentir culpa". A idade parece determinar tais concepções, enquanto o grupo de origem não se mostra significativamente influenciador, talvez porque os dois grupos compartilhem diversas características.

Sentimento de culpa na obra freudiana: universal e inconsciente

Gellis,André; Hamud,Maria Isabel Lima
Fonte: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O projeto de pesquisa do qual resulta este artigo teve como objetivo geral "investigar a trajetória teórica da noção de sentimento de culpa na obra freudiana". Dentre os resultados obtidos, optamos por discorrer especificamente sobre a dualidade "culpa universal/culpa individual" e a qualidade inconsciente atribuída à culpa. Na constatação da díade da culpa tratamos a universalidade do sentimento de culpa - que aparece constantemente em formas de religiosidade - e discorremos acerca da cobrança específica que o Supereu faz ao Eu. A qualidade inconsciente da culpa aparece inúmeras vezes, culminando na discussão acerca de como é possível ser inconsciente o que é sentimento.

Graus da culpa e redução equitativa da indenização

Kfouri Neto, Miguel
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Apresenta um estudo sobre o artigo 944 do Código civil e a redução equitativa da indenização em duas hipóteses de aplicação, no domínio da responsabilidade civil do médico: na ausência de obtenção do consentimento informado e na perda de uma chance e quantificação da indenização. Versa sobre a eqüidade e a fixação da indenização, bem como sobre os graus de culpa e a desproporção entre culpa e dano.

A irrelevância da culpa para o fim do casamento

Namur, Samir
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.17%
"Pondera sobre a herança e influência da igreja no direito de família, destacando a questão da culpa na dissolução do casamento, para tal parte-se da análise da influência da Igreja Católica na configuração da culpa como fator preponderante na separação. Por fim, averigua a natureza jurídica do casamento."

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ENFERMEIRO EM ÁREA HOSPITALAR Culpa “in vigilando”

DOS SANTOS, NANCI ANDRADE
Fonte: Centro Universitário Eurípedes de Marília Publicador: Centro Universitário Eurípedes de Marília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
A presente monografia tem como objeto de estudo, ―A Responsabilidade civil do enfermeiro em área hospitalar culpa in vigilando‖. A responsabilização do profissional da enfermagem, diante de um ato ilícito, de uma conduta realizada com imprudência, negligência ou imperícia, que tem como resultado o dano ao cliente que esta sendo assistido por este profissional. No nosso ordenamento jurídico vigora como regra geral, o dever ressarcitório pela prática de atos ilícitos decorrente da culpa. A culpa é falta de diligência na observância de norma de conduta, isto é, o desprezo, por parte do agente, do esforço necessários para observá-la, com resultado não objetivado, expressado na iliciedade, é a falta de preparo, de técnicas, elementos subjetivo, que resulta o mau procedimento imputável. A sua responsabilização poderá ser na esfera civil ou penal, além das previstas no Código de Ética do Profissional da Enfermagem. A reparação do dano poderá atingir a pessoa do seu empregador, que responderá objetivamente por fato de terceiro, respondera pela culpa in eligendo ou in vigilando, pois tinha o dever de bem eleger o seu preposto e de fiscalizá-lo, neste caso independe de prova a sua culpa. O enfermeiro responde pelo dano que der causa sua ação de forma subjetiva...

O papel da satisfação de necessidades e da internalização das motivações nas reacções de vergonha e culpa em relações de casal

Miranda, Mariana Cerqueira de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; A culpa e a vergonha são emoções morais que se distinguem pelo foco de atenção, perante uma situação de transgressão. Quando o foco da atenção é o comportamento específico de transgressão, o indivíduo sentirá culpa, enquanto que na vergonha se atribui a responsabilidade ao self do transgressor. Esta diferença leva a consequências distintas a nível psicológico e relacional. A presente investigação tem como objectivo melhorar a compreensão dos factores que predispõem para reacções de culpa e vergonha, no contexto das relações de casal. A Teoria da Auto-Determinação constitui o quadro teórico usado para operacionalizar o conceito de internalização. Através de uma amostra de 222 participantes, conclui-se que as reacções de culpa surgem quando se age contra normas internalizadas e as de vergonha quando se age contra normas parcialmente internalizadas. Logo, estar na relação por motivos autónomos (internalizados) leva a emoções de culpa que revelaram ser mais benéficas, comparativamente com a vergonha...

Diferenças individuais na tendência para a vergonha e culpa : antecedentes motivacionais

Santos, Andreia da Silva
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; A vergonha e culpa são emoções auto-conscientes que assumem grande importância a nível individual e interpessoal. Estas duas emoções estão relacionadas a diferentes sintomas psicológicos. Por isso a sua distinção é importante no planeamento de intervenções mais eficazes. Neste sentido considera-se que a vergonha envolve uma avaliação negativa do self global, e a culpa envolve uma avaliação negativa de um comportamento específico. Contudo esta diferença não permite explicar as diferenças individuais na tendência para um destes focos de avaliação. Assim, o presente estudo teve por objectivo investigar os antecedentes destas duas emoções. Para tal, hipotetizou-se que a distinção entre reacções de vergonha e de culpa é determinada por factores motivacionais, nomeadamente os graus de internalização definidos na Teoria da Auto-Determinação. De forma a testar estas hipóteses foi desenvolvido um questionário baseado em cenários que representam situações de transgressão de regras ou valores morais: Questionário Emoções Auto-Conscientes (QEAC). O objectivo deste instrumento é perceber a relação entre as reacções (Vergonha...

As bases motivacionais das reacções de vergonha e culpa

Fagundes, Mónica Patrícia Fontes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Tese de mestrado integrado em Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2008; Este trabalho tem como tema as bases motivacionais das emoções de vergonha e culpa e baseia-se na teoria de Tangney. Pretende-se estudar, através da aplicação de dois questionários, em que medida o grau de internalização das regras e valores de cada pessoa, tal como definido pela teoria da autodeterminação, estará relacionado com as emoções de vergonha e culpa. Pesquisas recentes sugerem que a vergonha e a culpa não são emoções igualmente morais e adaptativas, e levam a diferentes motivações e tendências de acção. Perante o fracasso ou uma transgressão, a vergonha leva a tentativas de negar, esconder ou escapar, enquanto que a culpa leva a acções reparadoras. Parece que a vergonha envolve uma avaliação negativa do self global, e a culpa envolve uma avaliação negativa de um comportamento específico. No entanto, verifica-se uma grande dificuldade em distinguir entre ambas as emoções, em termos de avaliação por serem dimensões bastante complexas de definir e caracterizar. Neste trabalho hipotetiza-se que...

Hacia una responsabilidad contractual estricta : la culpa en el derecho civil moderno

Zamora Picciani, Rebeca Concepción
Fonte: Universidade do Chile Publicador: Universidade do Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
37.22%
No autorizada por el autor para ser publicada a texto completo; Memoria (licenciado en ciencias jurídicas y sociales); El presente trabajo tiene por objeto el estudio del sistema de responsabilidad contractual chileno desde una mirada crítica, pero también respetuosa y constructiva. No pretende ser un tratado, ni abarcar todo el estudio de la responsabilidad civil, sino solo avocarse al estudio de cuestiones bien específicas en relación a la responsabilidad contractual, que ayuden de mejor forma a comprender la hipótesis que se plantea. Efectivamente, en nuestro país existe bastante doctrina que de alguna u otra manera ha tratado los problemas que se presentan en esta tesis. Sin embargo, en el último tiempo, el debate parece, en todo caso, centrarse en la responsabilidad aquiliana. Al hablar de responsabilidad civil contractual, tradicionalmente se ha dicho que se trata de un sistema subjetivo, fundado en la culpa, de lo que se sigue que para que opere el abanico de remedios contractuales de que dispone el acreedor afectado por un incumplimiento, se requiere que el deudor haya obrado de manera dolosa, o por lo menos culpable, esto es, sin el grado de diligencia que el Derecho le impone, en razón del tipo de obligación o más específicamente...

A (in) aplicabilidade da presunção da culpa consciente como fundamento para os delitos de trânsito provocados por embriaguez

Bozzetto, Krizia Gallardo
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel no curso de Direito da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; O dolo eventual e a culpa consciente são elementos subjetivos do crime que possuem entre si características muito semelhantes e, por conta disso, é extremamente difícil fazer a diferenciação entre ambos. Diante disso, o presente estudo objetivou fazer uma análise de ambos os elementos subjetivos, visando esclarecer os pontos principais, suas características e suas formas de utilização, a fim de diminuir eventuais dúvidas existentes em relação ao tema, fornecendo elementos teóricos necessários para a aplicação de um caso ou de outro, dando maior enfoque à aplicabilidade da culpa consciente como fundamento para os delitos de trânsito provocados por embriaguez. Inicialmente, foram analisados os conceitos de crime, suas modalidades e seus elementos subjetivos. No segundo capítulo foi feita uma análise aprofundada a respeito do dolo eventual e da culpa consciente, seus conceitos, suas diferenças e características, fazendo a distinção de um em relação ao outro e apresentando casos práticos referentes a utilização do dolo eventual e da culpa consciente. Por fim...

Sense of guilt in freudian work: universal and unconscious; Sentimiento de culpa en la obra freudiana: universal e inconsciente; La culpabilité chez freud: universal et inconscient; Sentimento de culpa na obra freudiana: universal e inconsciente

Gellis, André; Hamud, Maria Isabel Lima
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
In the project entitled "Genesis and Development of the Concept of Sense of Guilt in the Freudian Work", the research aims to "investigate the theoretical trajectory of the sense of guilt in the Freudian work". That research has many results. We choose to talk about the duality "universal guilt/ individual guilt" and the unconscious guilt. First, the universality of the sense of guilt is discussed, which appears constantly in religion; but also we discuss specific demands Superego do to Ego. Besides, the unconscious guilt appears several times, culminating in the discussion about how feelings can be unconscious.; El proyecto de investigación que da origen a este artículo tuvo como objetivo general "estudiar la trayectoria teórica de la noción de sentimiento de culpa en la obra freudiana". Entre los resultados obtenidos, optamos por analizar específicamente la dualidad "culpa universal/culpa individual" y la cualidad inconsciente atribuida a la culpa. En la constatación de la dualidad de la culpa tratamos sobre la universalidad del sentimiento en cuestión - que aparece constantemente en formas de religiosidad - y profundizamos acerca de la demanda específica del Superyo al Yo. La calidad inconsciente de la culpa aparece innumerables veces...